Passando por cima.

O senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado na tarde desta quarta-feira (19) em um motim de policiais para reivindicar aumento salarial em Sobral (CE). Cid pilotava uma retroescavadeira e tentava furar um bloqueio feito por policiais no 3º Batalhão da Polícia Militar do município. LINK


Ainda não decidimos se é trágico ou cômico. E tem muita gente que acha que dá para defender alguém nessa história… Desfavor da semana.

SALLY

A notícia em si nem é muito relevante, mas é um exemplo perfeito do que é o Brasil: todo mundo está errado, todo mundo se portou de forma animalesca, indigna e criminosa. Todo mundo abusou do poder que tinha para fazer valer a sua vontade e todo mundo se acha injustiçado, acha a outra parte fascista, truculenta.

Vamos aos fatos: policiais estavam fazendo uma greve ilegal. O STF proíbe a paralisação de servidores que atuem na segurança pública, portanto, só o fato de não estarem trabalhando já está contra as normas. Justo ou injusto? Não sei, mas se espera de pessoas que trabalham com a aplicação da lei que cumpram a lei – pausa para rir da minha ingenuidade.

Não era apenas uma greve ilegal, os policiais estavam fazendo um piquete, fechando o local. Comerciantes foram ameaçados e forçados a fechar as portas, policiais que tentaram trabalhar foram intimidadas e daí pra pior. Um festival de violência, truculência e terrorismo. Pela atitude dos policiais, o evento nem vem sendo chamada de greve e sim de “motim”.

Também fizeram algo muito comum nessa situação: levaram esposas e filhos para participar da ação, assim, de eventualmente houver uma fiscalização ou der problema, os policiais dizem que eles não estão participando de nada, são as esposas que estão ali revoltadas protestando. Com isso não são enquadrados como grevistas e não tem salários descontados. As esposas é que estão paradas na frente, impedindo-os de ir trabalhar.

O Senador Cid Gomes, irmão de Ciro Gomes, ficou revoltado com a situação. Parece que o descontrole e arrogância está no DNA da família. Mas, ao que tudo indica, a revolta não foi por se preocupar com o bem estar da população, mas por uma rixa preexistente com a polícia. Incitou a população a se voltar contra os policiais, falou barbaridades e foi até o local procurar por confusão.

Se aproximou de um dos quartéis da cidade, onde os grevistas estavam amotinados, junto com familiares, incluindo mulheres e crianças. Pegou um megafone e deu meia dúzia de ordens, ao seu estilo coronelzinho do Nordeste. As pessoas riram da cara dele. Ele teve um colapso egóico por não ter seus sagrados comandos atendidos, subiu em uma retroescavadeira e acelerou em direção à multidão, repito, com mulheres e crianças.

Resultado: disparos de arma de fogo em sua direção, dois deles o atingiram no peito. Ao menos três pessoas diferentes (provavelmente os policiais prestes a serem esmagados pela retroescavadeira) atiraram contra o Senador. Cid Gomes aprendeu que quando se faz o maluco, sempre tem um maluco mais maluco para ensinar que não vale a pena cruzar a linha da civilidade.

Dá para levar na brincadeira e ficar se perguntando como é que tanta gente erra a cabeça de um cearense na hora de dar um tiro, mas também dá para falar sério e refletir sobre o fato e sobre sua repercussão. Curioso… Não é todo dia que a gente vê a esquerda defendendo um ato autoritário e violento voltado para ferir grevistas e não é todo dia que a gente vê a direita defendendo uma greve violenta, ilegal e que prejudica a população. Não tem ideologia nesta porra de país, tem achismo, disputa por poder e vontade de ter razão.

Os lados continuam, a polarização continua. Uma ginástica argumentativa absurda faz com que cada lado defenda o indefensável e aponte o dedo para acusar o outro lado de ser responsável de tudo de ruim que aconteceu. Não se avaliam os fatos e sim os lados envolvidos.

A verdade é que ninguém está certo nessa história, mas, mesmo assim, cada escroto tem o seu fã-clube. Não é sobre o que você acha, o balizador é a lei. Se a pessoa fez algo proibido por lei, não é muito pertinente se meter em uma briga para justificar o que essa pessoa fez. Ou por acaso alguém aqui acha que está acima da lei? Sim, muita gente acha. É um dos motivos pelos quais este país está uma merda irrecuperável. “Se eu concordo com o que ele fez, tudo bem desrespeitar uma lei”. Ê Brasil…

Por mais mal remunerados que os policiais sejam, não justifica ameaçar comerciantes para que fechem as portas, parar de trabalhar e colocar a população em risco ou ter qualquer atitude violenta. Por mais errado que estejam os grevistas, uma autoridade pública não pode tentar resolver isso pegando uma retroescavadeira e passando por cima de seres humanos. É o básico do básico, meu povo.

Mas, ao que tudo indica, as pessoas não conseguem se manter dentro do básico do básico em matéria de regras de civilidade. É assustador ver quem defende ato terrorista de policial agindo contra a lei e também é assustador ver Senador querendo passar por cima das pessoas com retroescavadeira. A sociedade brasileira faliu, não resta quase nada de civilidade, de humanidade, de bom-senso.

Ambos os lados são indefensáveis. Na briga entre policiais e Cid Gomes, eu sou a favor da briga. É um absurdo, é chocante, é aviltante que um conflito seja solucionado na base da violência justamente por membros do Poder Público encarregados de manter a paz social (quem faz as leis e quem zela pelo cumprimento das leis). Está tudo contaminado, do mais baixo escalão (um policial) até o mais alto escalão (um Senador). Não há esperanças.

Com uma polícia dessas e com pessoas como essa fazendo as leis que devemos seguir, qual pode ser o resultado? Quando esse tipo de “troca de gentilezas” vira regra e é divulgado o tempo todo nos meios de comunicação, isso passa uma mensagem clara para a população: é ok fazer isso, é normal fazer isso, todo mundo faz. Todo mundo faz e não dá em nada, pois nada vai acontecer, nem com os grevistas, nem com o Senador.

A normalização desse comportamento animalesco só fica reforçada quando o brasileiro insiste em tomar um lado e ficar brigando por ele, defendendo. Pessoas decentes repudiam veementemente tudo que aconteceu e nem pensam em tomar um lado ou defender alguém.

NADA justifica o que aconteceu. Nada. Nem tente. É inadmissível, em uma sociedade civilizada, que isso aconteça, seja aceito ou defendido. Aprendam de uma vez, a menos que você também seja um filho da puta, uma filhadaputagem não justifica a outra.

Para dizer que está rindo da desgraça, para tentar defender um dos lados ou ainda para dizer que o brasileiro merece a extinção: sally@desfavor.com

SOMIR

Não sei se isso é sinal de amadurecimento ou cansaço, mas me encontro na situação de não querer tomar partido em cada vez mais discussões. Não por medo de ser julgado pelas minhas opiniões e criar adversários, mas pelo simples fato de que muitas vezes eu não concordo com ninguém mesmo. É pior do que ser centrista e acreditar que algumas concessões devem ser feitas, é observar dois malucos discutindo se uma bola é quadrada ou retangular…

Pode ser amadurecimento, afinal, saber escolher suas batalhas é essencial para levar uma vida mais agradável; mas não estou descartando o cansaço: argumentar dá trabalho, e se você não consegue achar nada em comum com as pessoas com as quais discute, é um exercício de futilidade na maioria dos casos. Não em todos os casos, mas é muito mais comum não chegar a lugar algum enquanto você se mata para tentar vencer a postura defensiva típica de quem está em negação sobre as próprias falhas lógicas.

Minha primeira reação ao saber da notícia foi achar engraçado. Eu não quero ser a pessoa que dá risada da desgraça alheia, mas já estou num grau de adaptação ao Brasil que a única reação saudável do organismo é essa: se não pode vencê-los, ria deles. Um senador da república resolve subir numa retroescavadeira para quebrar um bloqueio feito por policiais e toma um monte de tiros dos policiais! O grau de falta de decoro dos agentes públicos, a falta de noção sobre consequências, a burrice galopante de todos os envolvidos… é uma piada.

Uma piada feita literalmente às nossas custas, afinal, financiamos esses brucutus de dois dígitos de Q.I. e todas suas aventuras. Financiamos mal, afinal, o senador ganha demais e os policiais de menos, mas mesmo assim. Senador que enfia retroescavadeira para cima de policiais e policiais que atiram em senador são duas coisas que não deveriam existir num país minimamente organizado, mas cá estamos nós discutindo esse tema.

Não me resta nada além de rir. Porque entrar numa discussão sobre quem está certo, sobre quem foi a vítima? Não, eu não caio mais nessa. Alguns assuntos merecem morrer sob a percepção que ambas as partes estavam erradas. Não importa qual corrente política cada uma das partes segue, não importa quem sofreu mais antes ou depois, estava todo mundo errado. Mas sabemos que não é assim que o polarizado médio reage: como a Sally bem disse, acabamos com a direita defendendo grevista e a esquerda defendendo autoritário. A briga é mais importante que a lógica.

E infelizmente essa parece ser a norma, você pode até achar que o cidadão médio não pensa meia segundo sobre o tema, mas ele vai tomar um lado assim que se sentir pressionado. O problema é que como pensamento crítico e racionalidade em geral não são incentivados por aqui, o conceito de “todos estão errados” não é uma ferramenta comum para analisar o mundo. Afinal, gente que acumula pouco conhecimento está sempre à mercê de outros para validar as informações. É por tabela o problema das Fake News.

Falta um guia interno de lógica para permitir que a pessoa perceba quando as duas partes numa discussão estão falando ou fazendo besteira. E tome cuidado, mesmo você que tem paciência e curiosidade para ler textos diários como o do desfavor: esse é o padrão da mente humana. Esperamos naturalmente que qualquer conflito tenha um lado certo e um errado. Se você não tiver acumulado as informações necessárias para analisar a situação por conta própria, vai cair na armadilha da polarização do mesmo jeito.

Se esquerda e direita estão discutindo algo, não quer dizer que um dos lados está certo, nem mesmo que a resposta esteja no meio da caminho: existe a possibilidade muito real de serem duas alternativas horríveis. Não quero viver num mundo onde Cid Gomes consegue o que quer, muito menos em um que policiais encapuzados que atiram sem pensar são heróis. Eu quero os dois lados fora da minha realidade. E só consigo chegar a essa conclusão porque tenho as ferramentas necessárias para pular essa coisa quase instintiva de procurar certo e errado em qualquer disputa.

Aprender sobre o mundo e história, suas ideologias e sistemas de organização, é extremamente importante para ganhar o contexto necessário para se afastar dessa pancadaria toda. O Brasil (e a maioria dos países, para ser honesto) é terra de brucutu, que prefere atirar primeiro e perguntar depois. Isso só acontece pela certeza inabalável que só a burrice proporciona. Quem age por instinto está sempre tomando decisões de vida ou morte, seja a sua ou das pessoas ao redor. Não é assim que as coisas devem ser, pelo menos não mais depois de milhares de anos de experiência na vida em sociedade.

Criticar polarização não é subir num pedestal para criticar todo mundo, é apontar os problemas sérios resultantes dessa ilusão de que toda discussão tem um lado certo e um errado. Você toma decisões horríveis se se sentir pressionado contra a parede o tempo todo, como se tudo fosse questão de estar do lado certo ou errado da história. Às vezes, são só jagunços com graus diferentes de poder disputando para ver quem é mais corajoso. Pode servir para essa gente, mas não deveria servir para a maioria de nós.

Toda vez que você não consegue enxergar uma terceira via, seja ela um comprometimento entre as duas partes ou mesmo uma solução “fora da caixa”, você corre o risco sério de subir numa retroescavadeira para enfrentar policiais armados… não é questão de esquerda ou direita, é questão de pensar antes de fazer besteira. Quem aceita polarização aceita junto essa visão rasa e perigosa da vida.

Para dizer que ainda está rindo, para dizer que é só mandar essa notícia para explicar o Brasil, ou mesmo para dizer que isso é desculpa de isentão: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (7)

  • Parei de me importar com debates, não adianta, os NPCs não entendem nada e eu que fico irritado e puto no final, quem se deteriora com sentimentos tóxicos sou eu. Escolhi me recolher em minha insignificância.

  • Avatar

    Mito dos Lacres

    Uma pena que não foi o Ciro Gomes, o queridinho da esquerdalha idiota a ficar no “foi golpe” a tomar tiros naquela retroescavadeira e sim o irmão dele. Se bem que arriscava de transformarem o cara num santo caso morresse.

  • Ninguém sabe quando aconteceu, ninguém sabe seu criador, ninguém sabe nada a não ser sobre o seu significado. Em algum momento, um grupo de pessoas criou esse movimento e assim surgiram as definições de pills, sendo uma delas a honk pill, que é nada mais do que tratar o mundo como a piada que ele é e ver ele pegar fogo no pleno caos que habita nele, ao mesmo tempo que mostra a verdade, queira você ou não aceitar ela.

    Estamos passando por um período em que alguns seres humanos estão regredindo em nome da seleção natural. A sociedade funciona assim, mas não se assuste, ela vai se matar assim como a Venezuela se matou. A seleção natural não trabalha com aqueles que sobrevivem e sim com aqueles que são fracos o suficiente pra pensar que tão combatendo algo que na verdade eles criaram. Afinal de contas, o vilão é o herói na sua própria história e se você ainda não aderiu à honk pill, sinto muito. O mundo não tem mais esperança, só resta vê-lo se autodestruir e eu espero que tenha provado meu ponto até você desistir dele. Sabemos quem sobrevive no final. Fui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: