Oportunidades.

Não resta muito a dizer sobre Covid-19, que passaremos a chamar de Coronavírus, por questões didáticas. A parte técnica está toda coberta não apenas pelo Desfavor, mas também pela grande mídia. Já se sabe o mecanismo de contágio e já se sabe quais são as perspectivas futuras para o Brasil. Parece que, finalmente, com três meses de atraso, começou a cair a ficha de que a coisa é feia e pode se tornar muito grave.

Então, talvez, o único enfoque possível que eu possa encontrar para trazer algo novo é: oportunidades. Sim, estamos entrando em uma grande cagalança, sim, estamos nas mãos de um poder público irresponsável, sim, dias difíceis virão. Mas, no meio disso tudo tem oportunidades: conhecer verdadeiramente as pessoas e peneirar bem quem você decide manter ao seu lado.

Em tempos de crise dá para fazer uma bela peneira nas pessoas que te cercam. Não vale a pena ter por perto gente ignorante, negadora ou egoísta. Pessoa postou fotinho na praia? Foi a barzinho? Foi a festinha? Foi à academia? Disse que Coronavírus é “só uma gripe”, está saindo de casa pois acha que ela não vai morrer e o vírus só mata idoso? Não vale a pena manter uma pessoa tão medíocre por perto. Não vale. Amanhã ela será ignorante e egoísta com você. Não deseje mal, não deseje que a pessoa se contamine, não bata boca. Apenas se afaste.

Uma pessoa sem senso de coletividade é uma pessoa egoísta. Uma pessoa egoísta, dadas as circunstâncias, vai pisar na sua cabeça para se salvar ou conseguir o que quer. Uma pessoa que sai sem uma necessidade imperiosa está colocando em risco matar outras pessoas que estão dentro de um grupo vulnerável. Gente sem consciência do outro é encrenca, mais cedo ou mais tarde. Você merece ter pessoas melhores por perto. Pessoas que não precisem negar a realidade por serem incapazes de vivenciar uma privação.

Tempos difíceis revelam o que há de melhor e de pior na humanidade. É uma oportunidade única de ver a todos sem as máscaras de bondade que normalmente vestem e discursam. Observem os atos das pessoas a partir de hoje e aproveitem a oportunidade para separar o joio do trigo. Algumas pessoas te surpreenderão negativamente, enquanto outras te surpreenderão positivamente.

Corte da sua vida as que se mostraram escrotas, inconscientes, rasas. Acolha na sua vida as que se mostraram solidárias, conscientes, responsáveis. É tempo de peneirar, de sacudir a árvore da amizade para que caiam as frutas podres. O medo deixa as pessoas sem energia para fazer teatrinho, para sustentar personagens. Aproveite essa oportunidade, onde as máscaras caem e selecionem melhor as pessoas que estão ao seu lado.

Não seja condescendente. “Fulano é meio sem noção mas é boa pessoa”. Você tem total condições (e merece) estar cercado de pessoas que tenham noção e que sejam boas pessoas. Pessoas sem noção cedo ou tarde acabam te prejudicando de alguma forma. Tenha autoestima, se livre de pessoas que não tem a decência de fazer um sacrifício para evitar que pessoas morram. É o mínimo que uma pessoa decente pode fazer.

É hora de observar. Está todo mundo em pânico, todo mundo correndo de um lado pro outro, puxando os cabelos e perdendo esse momento único, preciso, de observação do ser humano no seu estado mais despido. O medo, o pânico, as situações limites faz com que as pessoas esqueçam de sustentar as máscaras que vestem diariamente. Observe e você vai se surpreender, para o bem e para o mal, com o que vai perceber em certas pessoas.

Observem figuras públicas. Políticos, famosos, médicos… todos aqueles que puderem. Observem as palavras que escolhem para falar sobre a pandemia, a postura que adotam. Independente da sua ideologia ou da deles, observem apenas a postura. Grave na sua memória as pessoas que se portaram de forma decente e as pessoas que contribuíram para piorar a situação, seja por ignorância, filha da putez ou despreparo emocional – e mantenha essas pessoas bem longe da sua vida.

Apesar de ser um desdobramento totalmente esperado (a progressão na qual o vírus evoluí é mais ou menos a mesma em todos os países), a ficha só está caindo agora no Brasil. E para muitos, ainda não caiu. Há muitos negadores, entre eles o Presidente da República, que chamou o Coronavírus de “histeria”, “fantasia” e outros. Não vai demorar muito para que a ficha dessas pessoas caia, e quando cair, observe bem como vão se comportar.

E, vamos deixar uma coisa clara aqui: cidadania não é histeria. Pessoas histéricas não são pessoas “que realmente se importam”, são pessoas sem preparo emocional, que atrapalham. Fique longe de gente histérica e fique longe de pessoas negadoras que se comportam como se nada estivesse acontecendo.

Fique longe de quem repassa notícias falsas, mesmo que a pessoa tenha a melhor das intenções e ache que são verdadeiras. Pessoas que não tem consciência de verificar a fonte antes de passar adiante uma informação são pessoas irresponsáveis, mais preocupadas em serem os arautos da novidade do que em de fato fazer um bem. Falou que mastigar alho previne Coronavírus? Falou que tomar chá cura? Falou que Cuba tem uma vacina? Essa pessoa é um câncer para a sociedade. Se afaste. São pessoas que serão irresponsáveis e nocivas com você também, em algum momento.

A pessoa relativizou a segurança da coletividade por ideologia? Sai fora. Qualquer pessoa que defenda as manifestações do final de semana e o Bolsonaro (cujos companheiros de viagem testaram positivo para Coronavírus) dando as mãos para o povão, está cega pela ideologia, pelas crenças políticas. Não é sobre ser a favor ou contra o Bolsonaro, é sobre colocar a saúde pública em risco e servir de péssimo exemplo para a população. Quem, para defender político de estimação, relativiza a saúde pública não merece sua proximidade ou sua consideração.

Observe pessoas que colocam o seu bem estar acima do bem estar da coletividade. São pessoas que ainda não entenderam o que estão fazendo aqui. São pessoas que estão apenas fazendo peso no mundo, que não entenderam nada. Pessoas que estão em um lugar da mente muito, muito ruim e que podem te puxar junto. Afaste-se. Pessoas com esse grau de egoísmo te jogarão na fogueira um dia se isso for preciso para a manutenção da sua zona de conforto. Não é por ainda não terem feito nada contra você que nunca farão. Leia as placas de “Pare” e se afaste.

Observe a mídia. Quem realmente informa, quem está se portando de forma íntegra, quem está disseminando o medo puro em troca de audiência. Não me refiro apenas a grandes portais. Observem tudo: podcast, blogs, colunistas. A intenção é informar ou conseguir cliques? A intenção é dar ferramentas para que as pessoas formem suas opiniões ou forçar a opinião pessoal do autor goela abaixo? Risquem da sua lista pessoas que, em tempos de crise, tiram proveito da vulnerabilidade que o medo alheio causa. Não consumam mais, não falem mais sobre, não divulguem.

Veja quem está tentando conciliar, encontrar soluções para os problemas, acolher os que estão sofrendo e quem está tacando fogo na discórdia. Quem, em tempos de crise, de medo e de doença se dedica a antagonizar, brigar, discutir e agredir, perdeu o último resquício de humanidade que tinha. Não gaste seu tempo com esse tipo de pessoa, muito menos para brigar, discutir ou tentar trazê-la para a razão. Esse trem já partiu.

Se você quer ajudar o coletivo, cuide você da sua cabeça, para começo de conversa. Esteja você em um bom lugar da mente. Seja como um farol, que vai atrair outras pessoas para esse bom lugar da mente. Vai quem quer. Você não tem que trazer ninguém à força ou na base do consentimento, apenas seja íntegro, mantenha-se equilibrado na medida do possível, tente estar centrado. Caminho do meio, nem a histeria do “vamos todos morrer” nem a ignorância do “eu não vou abrir mão de ir para praia”.

O sofrimento vem da não aceitação de uma realidade que não pode ser modificada e se nos apresenta. Não lute contra o que é, o que não pode ser mudado. Agora nossa realidade mudou, surfe na onda, não nade contra ela. Durante algum tempo, teremos que nos sujeitar a algumas restrições, e tá tudo bem, todos nós temos a capacidade de adaptação. Estamos em meio a uma situação dinâmica, que muda dia após dia. Esteja ciente de que as restrições, as orientações, as regras também serão dinâmicas e mudarão minuto a minuto. Esteja com a mente aberta para aceitar essas mudanças.

Não esperneie, não sofra, não faça disso um motivo de desgosto. Essa é sua nova realidade, cabe a você decidir se vai lidar com ela com sofrimento ou sem sofrimento. Spoiler: realidade não vai mudar se você sofrer, quem endossa e recompensa sofrimento é rede social, para a realidade, seu sofrimento é indiferente.

E, acima de tudo, esteja aberto. Estamos entrando em um momento onde tudo muda em questão de dias, horas, às vezes minutos. Não se apegue a informações, planos, projetos. É momento de flexibilidade, de estar pronto para se adaptar a quaisquer mudanças repentinas sem frustrações, sem resistência. Tudo aquilo a que você resiste, persiste. Esteja aberto e dance conforme a música. É só um período complicado, como tudo, vai passar. Sim, this too shall pass. Hora de todos nós termos um anel com essa inscrição para lembrar disso.

Não vá para extremos. Não caia no medo e viva no sofrimento, mas também não caia na negação e continue levando vida normal. Encare esse período como uma turbulência que vai passar e faça a sua parte: use cinto de segurança, sem gritar, sem disseminar o pânico, cerque-se de pessoas conscientes.

Para dizer que vai ter que excluir do seu convívio todas as pessoas que conhece, para dizer que mal pode esperar pelo Ei Você quando a ficha dos populares cair ou ainda para dizer que está tossindo em público só por diversão: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (10)

  • Estou evitando contato com meus pais, pessoas nos grupos de risco e idosos no geral desde que o corona chegou à minha região. 80% dos contaminados são assintomáticos, pelas pesquisas que li. E esses são os maiores responsáveis pela disseminação.
    Minha cidade ainda tem apenas casos suspeitos, mas as pessoas estão se isolando voluntariamente. A prefeitura já mandou fechar quase tudo. Espero que o resto do Brasil também se isole. Quanto antes fizer, mais cedo acaba!

  • Faz muito tempo que eu não comento aqui no desfavor, mas hoje eu precisava dizer um “obrigada” pra Sally e o texto excelente. Eu acho que a gente às vezes fica em negação a respeito das pessoas ao nosso redor, ou tende a fazer uma relativização sem fim, como se o fato da pessoa ser tão egoísta num contexto desses não quer dizer que sempre será o caso… só que isso é autoenganação, não é? Com um pouco mais de experiência e estando atento vemos isso. Quem é egoísta num momento assim realmente tá pouco se fodendo pra qualquer um, não tem como dar outra explicação pra uma atitude dessas.

    Vi stories de conhecidos em shows no final de semana e estava com isso entalado até agora, mesmo que até o presente momento as sugestões de restrição social não estivessem tão bem colocadas como nos Estados Unidos agora estão. Então eu estava tendo ignorar o porquê de sentir tamanho incômodo… e não é pra se ignorar mesmo. Foda.

    • Uma causo bizarro, aliás: eu ia sair com cara nesses dias pela primeira vez, e desmarquei por conta do coronavírus – principalmente porque tive um sintoma leve de resfriado ontem (que até já passou) e já me coloquei em isolamento por conta disso. Não quero ter o menor risco de contaminar ninguém. E o indivíduo achou tanta frescura que ME BLOQUEOU. hahahaha. Não fiquei nem irritada, achei ótimo já saber assim como a pessoa é, mas quando a gente para pra analisar é chocante – tem gente cujo ego é tamanho que NEM UMA PANDEMIA pode competir com isso. Impressionante.

  • Avatar

    Geraldo Renato da Silva

    Em tempos de crise, como o atual, é sempre bom e saudável, reavaliar o que realmente importa, acrescenta e faz diferença em nossas vidas.
    Podar a árvore para que ela cresça com mais viço; descobrir, com espanto mais uma vez, que para se viver bem não se precisa de muitas pessoas ou coisas.

  • Sinceramente, vc acha que tem como eliminar o corona? Não tem! Teria se logo que surgisse na China, tivessem isolado os caras. Agora vamos ter aie conviver com ele durante 18 meses que é quando sai o uso da vacina. Eu sou autônomo, se não trabalhar eu não morro de vírus, mas morro de fome e fim de semana saio pra me divertir sim, senão minha mente explode.

  • “E para muitos, ainda não caiu. Há muitos negadores, entre eles o Presidente da República, que chamou o Coronavírus de “histeria”, “fantasia” e outros.”

    Tenho a impressão de que o próprio Bolsonaro não dura muito tempo no cargo. Até o Trump tá tratando dessa pandemia com mais seriedade enquanto o outro aí vai cumprimentar a galera em dia de manifestação. Enfim, tudo errado neste país para a surpresa de ninguém.

  • “Só véio tá morrendo” Esse povo não tem mãe não?

    Queria compartilhar que vi um povo na minha bolha de internet chamado o corona de Kung-Flu. Era só isso mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: