Sobrevivendo à quarentena.

Uma das principais dicas para manter sua saúde mental em tempos de pandemia e quarentena está no texto de terça: desapegar de tudo que você conhece, soltar o controle e estar aberto para o que quer que venha. Por mais que requeira algum esforço, você pode se adaptar. Não crie expectativas, precisões, certezas. São tempos incertos. O que hoje parece imutável, amanhã pode ruir.

Dito isto, hoje vamos falar sobre algumas dicas práticas, mais objetivas, sobre como render bem em Home Office e como vivenciar o confinamento da melhor forma possível.

Tenho alguma experiência no assunto, já trabalho em esquema de Home Office faz tempo. E tenho lido muita cagação de regra por aí. Ignorem. A regra é: o que funcionar para você. E isso você só vai descobrir na tentativa e erro. Portanto, não se imponha regras absolutas. Seguem algumas dicas que me ajudaram, experimente, SE te ajudarem também use, caso contrário descarte sem medo e teste até encontrar o que dá certo.

É muito fácil que um dia inteiro passe com pouca produtividade quando estamos em Home Office. Na sua casa há milhões de demandas paralelas e distrações que não existem no seu local de trabalho (filhos, pets, parceiros, pais, telefone, preparar a própria comida, etc). Por isso, a melhor forma de não perder tempo é estabelecer rituais, rotinas, da forma mais organizada possível. Quais rituais e rotinas? Isso você só vai descobrir tentando, até encontrar o seu. Posso compartilhar o meu e, quem sabe, é útil para algumas pessoas.

Antes de dormir anoto na minha agenda (anote onde quiser) quais são as tarefas do dia seguinte. Tudo. Desde as demandas previsíveis de trabalho, até as contas a pagar. Anote tudo que você tem que fazer. Estime quanto tempo vai demorar em cada tarefa. Se você for ruim de calcular tempo (ou seja, se você é uma pessoa que frequentemente se atrasa, não cumpre prazos ou não dá conta das suas obrigações), dobre o tempo que você achou que seria suficiente. Preencha seu dia apenas com tarefas que caibam naquele dia.

Isso vai te dar uma ideia do tempo que você precisará trabalhar no dia seguinte. Não é uma certeza, pois demandas surpresa surgem, mas ao menos te dá uma base, o que ajuda bastante. Além disso, é cientificamente provado que colocar todas as pendências no papel ajuda o cérebro a “relaxar” e dormir melhor, pois ele não precisa mais fazer um esforço para lembrar de nada, para manter a informação viva no dia seguinte. Ciente do tempo que você terá que trabalhar, fica mais fácil determinar a hora em que você deve acordar para tudo dar certo.

Sabemos que pessoas tem fusos horários diferentes, alguns funcionam melhor à noite, outros de dia. Mas, se você trabalha para uma empresa, fatalmente vai ter que fazer o horário daquela empresa. Sendo esse o caso, acorde pelo menos uma hora antes do início do expediente. Se tiver total liberdade de horário, programe ao menos oito horas do seu dia seguinte para trabalhar e, se possível, ao menos oito horas de sono para descansar.

Escuto muita gente dizer que tem que acordar e trocar de roupa, para que o corpo e a mente percebam que é hora de trabalhar. Mas olha… nem por um decreto eu abro mão do conforto do meu pijama. Existem outros “marcos”, outras formas de estabelecer que a hora do trabalho chegou. O que eu faço: levanto, faço uma higiene matinal, tomo café da manhã e leio as notícias, me informo minimamente do que está acontecendo no mundo. Para realizar esse “pré” eu me permito uma hora. E conto no relógio, pois o tempo passa muito mais rápido dentro de casa.

Portanto, minha sugestão é que você estabeleça um horário razoável para acordar e se permita uma hora de alguma atividade que te dê prazer antes de começar a trabalhar, para que o corpo e o cérebro “despertem”.

Também recomendo que estabeleça um marco para a hora em que o trabalho vai começar. Não precisa ser trocar de roupa, pode ser ir para um quarto separado, pode ser desligar os telefones, pode ser o que você quiser. O meu é pegar uma xícara de café. Quando meu corpo sente o cheiro do café parece que a concentração automaticamente aumenta, mesmo que eu não beba.

O trabalho começou. É muito importante que você tenha um pacto de respeito com as pessoas que moram com você. Elas precisam saber que de tal hora a tal hora você estará trabalhando e não deve ser acionado, a menos que seja uma emergência. Não parece, mas cada interrupção no processo de concentração ou no processo criativo pode demandar quase meia hora para que seu cérebro retorne ao ponto de rendimento onde estava. Um fluxo ininterrupto é fundamental para um bom rendimento.

Trabalhar oito horas seguidas é uma utopia. Não tente fazer isso, pois mesmo que você consiga, o resultado final será uma merda. Segundo a neurociência, atingimos nosso limite de concentração após 90 minutos trabalhando, daí pra frente vem trabalho de qualidade inferior, que demora muito mais para sair e sai muito abaixo do que você é capaz. É como trabalhar horas seguidas com um computador com muitos programas abertos, que fica lento e demorado. É melhor perder dez minutinhos e reiniciar o computador, para que ele renda bem o resto do dia.

Então, a cada 90 minutos (ou quando sentir que não está mais rendendo bem), faça um rápido intervalo. Rápido, eu disse. Entre 10 e 15 minutos. E é um intervalo para DESCANSAR, não emende outra atividade como limpar cocô do cachorro ou ligar para a NET. Não sabe o que fazer nesse intervalo? Medite. Vai te ajudar em tudo na vida. Não quer meditar? Faça alguma coisa eu te relaxe: tome um banho, tome um café, deite em uma esteira massageadora.

Retome o trabalho depois desse intervalo necessário. Vá riscando na sua lista as tarefas já cumpridas, é cientificamente provado que isso dá satisfação ao cérebro e ajuda no rendimento. Se, por um motivo de força maior, alguma tarefa do dia não puder ser cumprida, já a anote para o dia seguinte, mesmo que não tenha certeza de que poderá cumpri-la no dia seguinte. Reanote quantas vezes for preciso, dia após dia, até que ela seja feita. Não deixe nada pendente da sua memória, isso estressa seu cérebro.

Terminou todas as tarefas de trabalho com folga? Se tiver pique, adiante alguma(s) programada(s) para o dia seguinte. Terminou o dia devendo trabalho? Reveja seus cálculos e entenda onde errou e passe as tarefas para o dia seguinte. Encerre seu dia de trabalho em um horário razoável, de modo a que sobre tempo para as suas atividades paralelas (lazer, família etc).

Não dá? Parece absurdo? Calma. Home Office é como musculação, no começo você é um fracasso que não consegue levantar muito peso, mas, com treino, com a prática, vai ficando cada vez mais forte, até se tornar o melhor que pode ser naquilo. Não desanime, não desista, não diga “isso não é para mim”. Ninguém precisa da chibata de um chefe para render bem. Persista e você vai ver que depois de duas ou três semanas o rendimento já melhora.

Agora vamos falar dos efeitos que o confinamento gera no ser humano. Não são todos que lidam bem com uma imposição de ficar em casa por longos períodos, então, aqui vão algumas dicas que podem te ajudar.

Antes de mais nada, quero te dizer que se você estiver triste, com algum mal estar, se sentindo chateado, sem energia ou até angustiado isso é normal. Por mais que nada tenha acontecido em específico na sua vida, o que está acontecendo com o mundo é capaz de desencadear um luto. Sim, luto. O mundo como o conhecíamos, está morrendo. Nascerá um novo mundo em seu lugar, porém, por mais legal que ele seja, há uma perda do mundo anterior a ser elaborada. E luto só se resolve de um jeito: vivenciando-o. É normal. Não se cobre nada diferente, respeite o que você está sentindo. Mas vide que segue…

A primeira grande dica é: mantenha uma rotina. Mesmo que você não tenha uma rotina, seja um herdeiro milionário e não precise fazer porra nenhuma da vida, crie uma rotina para você. Qualquer rotina, qualquer meta serve: ler um livro todos os dias, ver um episódio de um seriado todos os dias, almoçar tal hora, fazer alongamentos tal hora, meditar ou até escrever o que você está sentindo. Quem sabe, com o tempo, isso não vira um livro?

Use a internet para algo produtivo em vez de perder tempo e se encher de alarmismo. Existem milhões de opções de coisas boas que você pode fazer por você mesmo de graça no Youtube: aulas de atividades físicas sem aparelhos que podem ser feitas de qualquer lugar, aulas de idiomas, de culinária ou do que quer que te interesse. Aproveite o tempo livre e se aprimore, se capacite.

Cuide da sua saúde física, pois saúde física e mental estão interconectadas, uma depende da outra. Isso significa se alimentar em horários regulares, preferencialmente com comida minimamente saudável, dormir uma quantidade suficiente de horas de sono e não ficar com o corpo parado. Não tem como se exercitar? Não faz mal, faça uma horinha de alongamento guiado por algum vídeo do Youtube, já vai fazer muita diferença. Se puder, pegue um pouco de sol nos horários recomendados todos os dias.

Convivência não é esse pesadelo todo que pintam. Em minha casa todos trabalhamos de Home Office e isso não danificou meu relacionamento. Se o relacionamento terminar, certamente não é culpa da quarentena e sim de outros fatores que foram trazidos à tona pela quarentena.

A única recomendação que dou para a convivência é que se respeite o espaço de trabalho do outro, o espaço de banheiro do outro (nada de ficar chamando, batendo na porta, conversando ou importunando quem está no banheiro) e o sono do outro. Um mínimo de civilidade e tudo ficará bem.

Se o assunto for sobre filhos, bem, sinto muito, não posso te ajudar. Optei por não tê-los justamente por não suportar a ideia de conviver o dia todo com uma criança. E sim, maternidade e paternidade é conviver o dia todo com uma criança. Creche, escola integral, deixar com babá ou com avós é delegar seu trabalho a terceiros. Dá teu jeito, e não se ache herói por isso, não é mais do que sua obrigação cuidar do filho que você optou por colocar no mundo, prover atenção e educação o dia todo.

Vamos falar sobre pets. Eles também sofrerão com a quarentena. Sabemos que cães precisam de passeios longos e estimulantes (ao menos uma hora por dia) para que não fiquem neuróticos ou deprimidos. Nem sempre isso é possível na quarentena, portanto, você vai ter que, provisoriamente, gastar a energia do seu cão de outra forma.

Pesquise sugestões de “enriquecimento ambiental” e compre brinquedos que o estimulem a brincar sozinho, como é o caso do Kong. Eu pessoalmente recomendo, além do Kong Clássico, o Kong Tiltz e o Kong Wobber, mas, cada cão é um cão.

“Sally, meu cão tira o petisco de dentro do Kong muito rápido, não dura nada essa brincadeira”. Certo. Encha o Kong com a comida em pasta e congele. Dê para o cão quando estiver congelado, assim, ele não vai conseguir tirar rápido. Ainda assim ele tira rápido? Enche um pote de sorvete vazio com água, joga o Kong recheado dentro e congela, formando um bloco de gelo que deve ser vencido pelo cão até chegar no Kong.

Idosos em casa? Atenção redobrada. Eles podem desenvolver uma coisa chamada “Delirium” após muito tempo de confinamento. Cerca de 80% dos idosos hospitalizados acabam apresentando sintomas. É uma espécie de surto onde o idoso se desconecta completamente da realidade, não sabem mais quem é, onde está, apresenta uma confusão crescente.

Você pode ajudar a evitar com providências simples como deixar um calendário à vista para que ele saiba que dia é hoje, deixar um relógio à vista para que ele saiba as horas, deixe janelas com cortinas abertas, para que ele perceba se é dia ou noite e estimula atividades intelectuais: vale tudo, desde conversar, ler livro ou fazer palavras cruzadas. Mantenha a mente ativa com qualquer atividade que seja prazerosa para a pessoa.

Agora vamos falar de você. Não descuide de seus hábitos de higiene, esse costuma ser o primeiro passo para a entrega, que pode levar a uma depressão. Tome banho com a mesma regularidade que sempre tomou, troque de roupa com a mesma regularidade que sempre trocou, etc. Naquilo em que a quarentena não te afeta, siga sua vida exatamente como era antes.

Se você mora sozinho, mantenha contato social: WhatsApp, telefone, Skype, redes sociais, vale tudo, mas interaja com outros seres humanos. Somos seres sociais, sem essa interação nosso estado psicológico decai. O cérebro humano está acostumado a um bombardeio de estímulos todos os dias, se, do nada, isso é suprimido e esses estímulos diminuem, nosso sistema nervoso continua operando no mesmo ritmo, sem nada para processar. Para compensar isso, depois de um tempo, o cérebro acaba “criando” imagens e estímulos, ou seja, você pode ver ou ouvir coisas que não estão lá se ficar completamente isolado.

Além disso, cuide da sua mente. Sua mente te domina ou você domina a ela? Muito fácil de saber: se sua mente te bombardeia com informações, medos e hipóteses que te fazem mal, que te preocupam, que te estressam, é ela quem te domina. Aprenda a dominar sua mente, existem muitos recursos para isso, desde o autoconhecimento até a meditação, tudo amplamente explicado em milhões de vídeos no Youtube, basta encontrar alguém que fale de um jeito que te seja didático e começar a exercitar a mente de acordo com o que seu “guru” te propõe.

E, se tudo mais deu certo, um plus: o mundo está mudando e nunca mais vai ser o mesmo. Isso significa que seu trabalho, seu ofício, sua função e suas relações terão que mudar também, se adaptar. O mais legal é que ninguém sabe para que lado isso vai, então, não tem resposta certa ou resposta errada. Cada um terá a chance de tentar aplicar novidades, inovações, adaptações. E, sabemos que os primeiros que emplacam algo de sucesso se dão muito bem, então, use parte do seu tempo livre para tentar estudar futurismo, para tentar entender os desdobramentos disso na sua área e tentar criar soluções criativas para esse novo mundo que está chegando.

Para terminar, os deixo com uma lista de pessoas que, sempre que param para falar, eu paro para escutar, concordando ou não com elas, pois, independente de concordância, sempre me acrescentam algo, mesmo que seja simples diversão. Se estiver sobrando tempo, visite os canais/redes sociais/podcast cujo assunto te interessa, e se rolar uma identificação, tire proveito das reflexões propostas:

  • Murilo Gun (empreendedorismo)
  • Keep Learning School (criatividade)
  • Marcela Leal – Escola da Liberdade (autoconhecimento)
  • Perestroika (futurismo)
  • Tudo Sobre Cachorros – Halina Medina
  • Cadê a Chave – Nilce e Leon (variado)
  • Matias de Stefano (categoria “louco de pedra”, os vídeos são em espanhol)
  • Nerdologia (ciência)
  • Atma Vidya – Yuri Levy (meditação e vida zen)
  • WebTV Brasileira (fofoca pura e simples, porém divertida)

E, se eu puder ajudar de alguma forma, estou 100% disponível nos comentários.

Para dizer que optou por dormir o dia todo, para dizer que optou por beber o dia inteiro ou ainda para dizer que não sabe por onde começar: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Desfavores relacionados:

Etiquetas: , ,

Comentários (8)

  • Clássicos do rock Queen ensinam a se prevenir do Coronavírus! Parodiaram Queen e Beatles para isso. E as canções ficaram boas:
    Uma matéria sobre a do Queen: https://blitz.pt/principal/update/2020-03-27-Bohemian-Rhapsody-dos-Queen-transforma-se-em-Coronavirus-Rhapsody.-E-e-didatico

    E os vídeos:

    – “Coronavirus Rhapsody” (from “Bohemian Rhapsody”)
    https://www.youtube.com/watch?v=lr_tEdQvFcc

    – “I Gotta Wash My Hands” (from “I Want To Hold Your Hand”)
    https://www.youtube.com/watch?v=WNhT9ys-pns

  • O que eu estou vendo gente surtando por ter que ficar em casa porque agora há uma convivência “forçada” com a família não está no gibi! Para essa gente, é um verdadeiro pesadelo: todos da casa sendo obrigados a ficar sob o mesmo teto, durante dias e dias seguidos, um olhando para a cara do outro o dia inteiro, muitas vezes sem absolutamente nada para fazer. O tédio domina… E aí tome brigas por coisinhas mínimas entre marido e mulher que nunca conviveram de verdade – normalmente era ele no trabalho e ela em casa – e berreiro a todo momento de crianças mal-educadas por causa de brinquedos, TV, internet, etc.

    • É oportunidade.

      Oportunidade para resolver as diferenças, oportunidade para aprender com o outro naquilo que ele tem de melhor, oportunidade para trocar, etc.

      Aproveitem as pessoas enquanto elas estão vivas e bem, ao seu lado.

  • Se me permite, vou repetir mais ou menos o comentário que fiz em outro texto: incrível ver que as pessoas estão surtando por… Simplesmente ficarem em casa! Não sabem minimamente ficar quietas, ouvir o próprio silêncio, tem sempre que fazer ou estar fazendo alguma coisa…

    Agora, sobre home office propriamente dito, deixa eu comentar minha experiência: há um tempo atrás, no decorrer do mestrado, eu dava aulas, então era aquela coisa: passava várias horas do dia em casa, só saia em alguns momentos, e mesmo assim não era todo dia, então… meus horários de trabalho eram diferentes a cada dia, atividades distintas, horários distintos, enfim. Às vezes eu ficava meio surtado com isso, mas só estabelecendo mesmo uma rotina dentro de casa pra “não se perder” nos horários que estiver livre.

    No sentido completamente oposto, também já passei pela experiência de ser “trabalhador brasileiro” normal, trabalhar das 8hs às 18hs numa empresa, bater ponto e tal… E confesso, eu prefiro uma rotina assim quadradinha, horários rígidos a serem seguidos diariamente do que ficar com essa de horários picados cheio de janelas. E olha que sou rechaçado por isso! Enquanto muitos querem fugir da rotina, eu quero ela! Vai ver sou do contra mesmo… rs

    Pra terminar: concordo muito com a Sally quando diz que é pra adotar uma rotina. É bem assim mesmo: mesmo dentro de casa temos que estabelecer padrões, horários pra comer, higiene, etc. E bem, o problema que vejo é quase sempre a teimosia das pessoas, a falta de disciplina.

    • As pessoas estão surtando por muito pouco.
      Tem coisa muito pior do que não poder sair de casa e se elas nunca experimentaram, podemos dizer que são privilegiadas.
      É aquele papo Bruce Lee: seja como a água. Onde quer que você jogue a água ela se adapta, sem resistência. Se você a coloca em um copo, ela fica no formato do copo. Sem choro, sem esperneio. Essa é a nossa realidade agora. Espernear não vai mudar nada, melhor aceitar, lidar da melhor forma possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: