Apaga a luz…

Sergio Moro saiu do governo Bolsonaro, e o circo que a gente não achava que poderia pegar mais fogo, está pegando mais fogo… desfavor da semana.

SALLY

Gostaria muito de poder explicar a vocês o que aconteceu ontem no Brasil, mas, sinceramente, não posso. Não acredito que ninguém possa, apesar de que muita gente vai sair cuspindo teorias e previsões, o grau de insanidade está tanto que não é possível prever nada. Porém, não me parece que o país está indo por um bom caminho.

Moro renunciou a seu cargo de Ministro jogando merda no ventilador, merda que, mais tarde, ele informou que está devidamente gravada e documentada. Suponho que um juiz da Lava Jato saiba colher estas provas impecavelmente. Seria muita inocência pensar que ele não jogaria essa merda no ventilador sem ter provas robustas para respaldá-lo.

Horas depois, Bolsonaro fez um pronunciamento para expor a sua versão dos fatos… ou ao menos essa era a intenção. Não ficou muito claro pra mim. Em compensação, outras informações como quem pegou quem no condomínio, o desligamento do aquecimento de uma piscina (que por sinal, tem aquecimento solar) e longas falas sobre ele mesmo permearam um discurso que eu não fui capaz de compreender. Como sempre, ele felipenetou: em vez de procurar em si sua parcela de culpa e seus erros, saiu apontando o dedo para o externo.

O curioso é que dessa vez nem foi para uma pessoa que poderia estar tentando sabotá-lo. Ele apontou o dedo randomicamente para várias coisas externas que, para mim, não fizeram muito sentido. É isso que gente sem estrutura faz quando fica assustada: vai pra fora, vai pros outros, vai para o externo. Bem, recebemos diversas informações aleatórias sobre piscina, condomínio, cartão de crédito…

Todos os Ministros presentes, amontoadinhos, como não manda o figurino. E por falar em figurino, Paulo Guedes estava sem terno, descalço e de meias. Era o único que estava usando máscara. Muitos dizem que era para se distinguir da cambada de negacionistas, eu acho que era para poder rir sem pegar mal. O novo Ministro da Saúde eu não sei se estava bêbado, drogado ou morto. Esse foi o quadro que se apresentou ao Brasil ontem. Como diria o Away, eu estou perplecta, até agora.

Eu não sei de onde saíram essas pessoas. Eu não entendo como um “Ministro Astronauta” faz um estardalhaço e anuncia um possível tratamento efetivo para o coronavírus que, no final, era um remédio para vermes cujo próprio laboratório fabricante diz não levar a menor fé. Eu não sei o que pensar, eu não sei como me portar sobre isso. Quando perguntam ao Vice Presidente se está tudo sob controle e ele responde que sim, que só não se sabe sob o controle de quem, é sinal de que, talvez, as coisas não estejam no melhor caminho.

O fato é que Bolsonaro é incapaz de uma reflexão, de uma análise ou crítica. É assustador como ele busca fugas e começa a apontar dedos, felipenetando em grande estilo. Tudo é culpa de alguém, uma conspiração, uma armação, tudo tem um motivo oculto externo a ele. A alegria dele é descobrir um erro de um terceiro e ficar apontando. E, como sempre, o líder influencia os símios que gere. E os símios entraram nesse barco.

O brasileiro vai pelo mesmo caminho, felipenetando com força. Colocados em quarentena, uma ótima oportunidade para olhar para si, entender por quais motivos sabota sua vida profissional, sua vida amorosa, sua saúde, seu corpo ou qualquer outra coisa que não esteja ok na sua vida, ele gasta seu tempo em uma grande punhetação mental procurando erros dos outros: Maia é um vendido, China espalhou o vírus de um laboratório para o mundo, Moro é um agente da CIA. Tem pra todos os gostos, mas o princípio é sempre o mesmo: felipenetar, apontar o erro dos outros e deixar de olhar para dentro. E, curiosamente, são pessoas com sérias pendências em suas vidas, para as quais deveriam olhar.

Assim como o original, os felipenetantes tem a certeza de que tudo que eles falam é muito interessante e coerente, e vão despejar seu chorume em pessoas que estão de boas, levando suas vidas sem importunar ninguém, trabalhando ou apenas executando algo concreto. Sim, alguns de nós trabalhamos. São várias categorias de aspirantes a Bolsonaro e, portanto, a Felipe Neto, sempre em busca de certezas, de respostas, de teorias, do erro externo. São filhotes de terraplanistas, que opinam sobre coisas que não tem formação para falar, mas como são floquinhos de neve muito especiais, eles “descobrem” verdades. Olhar pra dentro que é bom, ninguém quer, por mais fodidihos que estejam vários setores da vida.

Tem os terraplanistas da saúde, que negam que a situação do coronavírus seja grave, apesar do colapso funerário em várias cidades. Eles questionam qualquer dado, nunca deram nem “oi” pro Cônsul da China mas tem trocentas teorias de como o vírus foi espalhado propositalmente. Foi? Não sei. Pode ser, pode não ser. Mas certamente não é um Zé Ninguém brasileiro, sem formação na área, que vai “desvendar” o uso do covid-19 como arma biológica, não é mesmo?

Tem os control freaks que precisam da segurança de antever o que vai acontecer e ficam entupindo os ouvidos dos outros com teorias que ninguém quer saber. Eles têm certeza que vai ser feito tal acordo político com um desfecho certo. Vai ter impeachment até o mês tal. Bolsonaro vai se reeleger com certeza. Meu anjo, ninguém sabe e ninguém se importa. E, por algum motivo que eu desconheço, acham essas certezas super interessantes e insistem em compartilhar com terceiros. Ninguém quer saber de achismo sem subsídios, se chama “perda de tempo”. Tem gente aqui tentando viver na vida real, não na mental.

Tem os fanáticos pelo Bolsonaro que insistem em defender qualquer coisa que ele faça, não importa a ginástica argumentativa que seja necessária. São o outro lado da mesma moeda dos petistas que insistem que Lula é um santo que foi preso sem provas. Podem flagrar o Bolsonaro chutando um bebê em praça pública que vão construir uma narrativa para justificar a atitude. É tudo uma grande conspiração, é tudo um grande complô, Bolsonaro nunca erra. Quer ser assim? Monta um altar e fica idolatrando ele, mas não perturba quem está sendo produtivo e fazendo coisas que efetivamente acrescentam algo. Deixem quem vive no mundo real em paz, fazendo o favor?

Só tenho uma coisa a dizer: para os burros, larguem um pouco de mão o corpo e estudem um tiquinho, não para poder falar sobre o assunto, mas para perceber que não podem falar sobre o assunto. Para os inteligentes, façam o contrário: vão malhar um pouquinho, cuidar do corpo, fazer um curso, vão viver a vida real, fora do mental, para ter um mínimo de equilíbrio. Executem em vez de ficar apontando dedos para culpados e fazendo previsões. Executem melhoras para vocês mesmos ou para a sociedade, isso sim é relevante.

Tá sobrando tempo? Investe em você, se aprimora, em vez de procurar culpados, teorias ou ler um futuro sem os dados necessários. Não é assim que se alimenta a vaidade ou se sente inteligente ou pertinente. Se realmente quiser fazê-lo, escreve um blog sobre o assunto, assim consome quem quer. Sua audiência vai ser um ótimo indicador sobre o quanto suas teorias são interessantes, viu? Spolier: vai zerar visualização, pois punhetação mental é chata pra caralho.

Sim, alguns de nós trabalham e tem uma vida. Sim, alguns de nós estão cagando para descobrir “a verdade sobre” (Bolsonaro, Moro, Maia, PT, BBB, pandemia ou o que for) pois tem a sanidade mental de saber que não temos informações suficientes e não vê graça em viver no mundinho mental da punhetação.

Para o resto: não seja palco para gente que escolhe viver felipenetando. Não seja enabler, pois você não ajuda a pessoa, ao contrário, alimenta um aspecto muito nocivo da sua personalidade. Corte. Não seja cúmplice de uma coisa que faz a pessoa ser criticada, passar vergonha, passar por mala sem alça. Deixe que a pessoa procure guetos de punheteiros mentais e fiquem felipenetando entre eles. Não seja palco, seja um membro útil da sociedade, que em vez de “descobrir a verdade” FAZ algo útil.

Então, meu conselho final para todos os envolvidos, desde Bolsonaro até você que está lendo é um só: voltem pro mundo real, voltem para o mundo da AÇÃO. FAÇA alguma coisa boa, por você ou pelo outro, em vez de ficar de punhetação mental, em vez de apontar para o externo. Foda-se o aquecimento da piscina, foda-se a China, foda-se o erro dos outros, olhe para OS SEUS.

Ninguém quer saber de suas teorias sobre o Mito, sobre a armação do BBB, sobre Sergio Moro. Colabore, ajude, se mexa. Parem de apontar o dedo pros outros, para quem errou, para quem mentiu, para quem pegou quem no condomínio, para quem espalhou vírus. Vocês são pequenos Felipes Netos que enchem o saco dos outros, tá ok?

Vale para Bolsonaro, que só aponta o dedo para coisas externas, para erros dos outros e não faz nada em meio a uma pandemia que está ficando crítica, mas também vale pro Zé Ruela cuja vida e emocional não estão bem mas vive de apontar teorias da conspiração de Olavo de Carvalho. CHEGA. OLHEM PROS PROBLEMAS REAIS E FAÇAM ALGUMA COISA!

Apenas parem, saiam do campo do mental e passem para o campo da ação. O mundo é de quem executa. Vale merda nenhuma pensar pra caralho e não fazer nada.

Olhem para vocês mesmos, sua vida, seus problemas, em vez de falar de Marielle, da conspiração contra o Bolsonaro vítima inocente ou de que estão enterrando manequins para inflar o numero de mortos. Parem de felipenetar os outros. O brasileiro virou um chatinho paranoico investigador de meia tigela. Nunca pensei que eu diria isso, mas preferia os símios batucantes.

Para dizer que identificou vários Felipenetinhos pentelhos na sua vida, para dizer que é mais divertido viver no mundinho investigativo da punhetação mental pois lá você tem alguma relevância ou ainda para arriscar um comentário felipenetando para ver se a gente aprova: sally@desfavor.com

SOMIR

O método caótico de Bolsonaro não é algo que deva surpreender, é um macaco com uma navalha por natureza, o que muda com o passar dos anos é o tamanho da navalha. Quando estava dando barraco como deputado e convidado habitual do SuperPop, já demonstrava o mesmo desequilíbrio que define seu governo até aqui.

E neste palco bem maior que é a presidência da república, Bolsonaro pode ser um excelente exemplo de como não agir para o país e talvez até para o mundo. As sucessivas crises que enfrenta são em sua imensa maioria culpa dele mesmo, por não ter preparo emocional para lidar com situações adversas. Sua resposta habitual é partir para o combate e criar inimigos em todos que não concordam com ele.

Talvez o presidente seja legitimamente insano do ponto de vista médico, mas se ele for, vai faltar hospício nesse país para internar a quantidade de gente que age da mesmíssima forma todos os dias. O que não falta por aí é quem perde a capacidade de agir de forma minimamente racional diante de discordância, crítica ou mesmo a mínima necessidade de negociar. Bolsonaro está diante de um buraco, e sua mente não consegue conceber outra alternativa senão cavar mais e mais.

Porque esse é o principal problema de quem não está com a cabeça no lugar: a incapacidade de lidar com crises. O coronavírus pode não ter maltratado o corpo “de atleta” do presidente, mas com certeza está deixando sequelas psicológicas. Na hora que a coisa aperta, a pessoa descompensada fica agressiva e deixa o medo ditar suas ações. Perde a capacidade de entender o contexto na qual está inserida, fica egoísta, irritadiça e frustrada constantemente.

A forma como isso se manifesta em Bolsonaro são arroubos ditatoriais: para vencer o medo que se instaura na mente diante dos inúmeros problemas que o país e ele vivem, procura a segurança de ter poder sobre outras pessoas. Os discursos dele são provas desses comportamento: em todos os casos de demissões de ministros e controvérsias com outros membros do poder, faz questão de mencionar que é ele quem manda. É o gorila batendo no peito, tentando demonstrar uma força que espera que os outros respeitem.

Moro foi mais uma vítima do “modo de pânico” pelo qual Bolsonaro passa. Não sabemos exatamente quais os motivos para ele querer interferir na Polícia Federal (sim, sabemos, é para tentar evitar a prisão dos filhos bandidos, talvez até mesmo a dele, mas temos que esperar as provas), mas não há muitas dúvidas que essa era realmente sua intenção. Bolsonaro não consegue exercer seu poder da forma como (infantilmente) achava que exerceria depois de eleito, por isso fica procurando formas de se sentir mais no controle. O ex-juiz e atual ex-ministro pode ter diversos problemas, mas afeição ao jogo político do toma-lá-dá-cá realmente não parecer ser um deles.

Tanto que estava preparado para sair do governo. Depois de ser atacado de volta no discurso de Bolsonaro, estava pronto para apresentar prints de conversas com o presidente e uma de suas articuladoras mais fiéis no Jornal Nacional horas depois. O presidente já teve que mudar o tom para algo mais emocional hoje de manhã, chorando que tinha sido traído por alguém que ajudou numa hora difícil. Pode falar o que quiser do Moro, mas ele já tem um histórico bem definido de alguém que aguenta o tranco numa briga contra um presidente. De tonto, só a cara.

Claro, isso é Brasil e amanhã pode vazar algo bem menos ambíguo contra Moro do que as conversas da “Vaza-Jato”, mas eu tenho a impressão que o ex-ministro não sofre dos mesmos problemas emocionais do presidente e soube pensar no longo prazo, não deixando pontas soltas. Até porque o tom do culto bolsonarista nas redes sociais é agressivo como sempre, mas não passa de críticas sobre a suposta incompetência de Moro. Não parecem ter munição. E se o que vimos no Jornal Nacional for só um aperitivo do que ele tem guardado, pode ser que mais um presidente caia por causa dele.

E quanto à especulação descontrolada sobre ele se tornar o candidato principal para a próxima eleição (aconteça em 2022 ou antes), eu tomaria um pouco de cuidado: Moro está numa posição forte, mas tem o carisma de uma pedra. Povão ainda gosta de quem faz um showzinho para ele nas eleições, e talvez não tenha marqueteiro nesse mundo que consiga dar conta desse recado. Eu ainda não apostaria todas minhas fichas nele, e nem é por achar que ele não quer, porque ele claramente quer. Sair do governo agora foi uma ação muito mais calculada do que está transparecendo.

E falando em sair do governo, concordo que o próximo na lista de alvos deva ser o Paulo Guedes: aparecer de máscara no pronunciamento é mais do que uma medida de proteção durante a pandemia, é uma sinalização de diferença. Qualquer assessor de imprensa ou profissional de publicidade notaria na hora o problema dessa quebra de padrão visual, e se não conseguiram convencer o ministro da Economia de seguir o estilo “estou querendo me contaminar” do resto da turma, é porque Guedes não está com saco para fazer joguinho com Bolsonaro e cia.

Aliás, muito importante: toda essa bagunça acontece durante a pandemia. Nos últimos dias, tivemos um avanço considerável do número de mortes. Estamos subindo a curva vertiginosamente, mas o governo não consegue se controlar: vai fazer alarde de desligar aquecimento solar da piscina e fazer intriguinha para a toda a imprensa quando tem gente morrendo a rodo e os hospitais começam a entrar em colapso ao redor do país. Bolsonaro pode economizar no cartão corporativo, Moro pode não estar à venda, mas no final das contas, continuamos todos pagando caro por causa deles.

Para dizer que somos comunistas, para dizer que somos minions, ou mesmo para dizer que vai votar no Moro para não votar no Huck (Brasil-sil-sil!): somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (28)

  • Avatar

    Wellington Alves

    Como dizia minha vó: ”Muito peido, sinal de pouca merda“.
    Moro saiu Atirando e todos acharam que seria o fim do governo. Hoje, passados alguns dias, Está ficando claro que ele já estava mesmo querendo sair do governo e resolveu dar um showzinho para se autopromover.
    As graves insinuações que ele soltou não passam de conjecturas. ”Vou sair porque não sou o dono do parquinho e vai que o presidente resolve cometer Algum crime no futuro”.
    Também está ficando nítido que ele agiu influenciado por Grupos que o querem catapultar a presidência. Ele, tão discreto e formal, adotou uma postura totalmente covarde edesleal pra sua saída.
    Minha opinião é que Bolsonaro, abalado num primeiro momento, sairá mais forte ainda e Sérgio Moro submergirá. E não há nada mais valorizado na política do que a lealdade.
    Enquanto vocês focam no discurso desconexo do presidente, abordando assuntos sem relação com o ocorrido, ele falava diretamente ao povo aproveitando a alta audiência do momento.
    Na sexta eu acreditava que Bolsonaro havia jogado fora uma reeleição tranquila. Mas hoje acredito que não será bem assim.

    • Showzinho que vai custar uma investigação, perda de apoiadores importantes e um impeachment. Não sei em qual mundo você vive, mas até Silas Malafaia e o Véio da Havan se afastaram de Bolsonaro depois disso.

      • Avatar

        Wellington Alves

        Uma investigação que só vai mostrar que o tiro dele saiu pela culatra. Afinal ele precisará mostrar provas sobre o que disse. Provas de crimes ocorridos e não de crimes que ele acha que aconteceriam. bolsonaro pode ser louco mas não é burro. Até parece que ele teria a capacidade de pedir para o ex juiz , Bastião da moralidade, que queria cometer um crime e precisava do apoio dele.
        Outra coisa que pegou mal para o Moro foi levar as supostas provas para a Rede Globo e não para a justiça. Só mostrou que está querendo holofote e queimar o governo.
        Obviamente que os apoiadores do presidente se assustaram na sexta-feira e recolheram as velas. Mas pode ter certeza que ja reconsideraram. O próprio Malafaia já fez vídeo apoiando o presidente e criticando a postura do Sérgio Moro.
        Eu já falei aqui e volto a dizer: Bolsonaro possui o efeito Mr. Magoo. Quando você pensa que ele fez merda e vai dar um passo no precipício, surge um andaime subindo e o leva ao patamar superior.

  • Acho que a pior ofensa que alguém pode receber atualmente é a de “Felipenetinho”. Ri muito. Obrigada desfavor por me fazer rir num momento tão difícil/ridículo como esse.

  • Por mim, o governo já acabou. Sabia que o Biroliro, do jeito que tá, não ficaria até 2022 (e não passa do fim de 2020, se brincar).

    O que me consola é que eu não fiz campanha, não botei “#Bolsomito” e não saí brigando com meio mundo na internet em periodo eleitoral por causa desse homem. Mas sinto um misto de pena com vergonha alheia de uma galera ingênua que realmente acreditou no cara. Sei lá o que dizer depois de tudo isso…

    • Eu tenho séria dificuldade em achar que em algum momento alguém acreditou nele. São muitos anos de Superpop discutindo com traveco e com o Pilha para que tenha sobrado alguma esperança em alguém. Será que no fundo todo mundo não estava imbuído do mesmo espírito escroto de querer ver o circo pegar fogo hard, mas sem querer admitir?

    • Ah, essa necessidade atávica que a BMzada tem de um messias, um herói, um ídolo… Vou reproduzir aqui, sem tirar nem pôr, um comentário que fiz em dezembro de 2015 e que ainda cabe perfeitamente no momento que estamos vivendo agora: “Lá vamos nós de novo… Atolado na merda, o povão – essa cambada que detesta pensar – adora quando surge um político assim, de ares messiânicos, apontado sabe-se lá por quem como “o salvador da pátria”… Daí um tempo esse mesmo “iluminado”, arrasta o povo pra uma merda pior ainda do que aquela em que estava antes e da qual só vai se dar conta quando já for tarde demais. Em seguida, o populacho se revolta, enxota o tal que de que “messias” passou a judas” enquanto acredita estar exercendo sua cidadania – essa palavra bonita hoje esvaziada de significado – e a busca por um novo “salvador” recomeça…”

    • Calma aí… O Bolsonaro não vai ser cassado pelos mesmos motivos que a Emenda Dante de Oliveira não foi aprovada. Apesar de maioria numérica, essa maioria é insuficiente pra levar o processo a frente.
      E se prepara que em 2021, o ZERO TRÊS, vulgo BANANINHA, entra pra concorrer a presidência da Câmara, podendo levar a melhor caso a eleição seja em dois turnos. Caso seja assim, além de engavetar os processos contra o presidente, ainda de quebra vai sobrar processos de cassação contra os desafetos da famiglia. Tenham medo.

  • Se aquele pronunciamento tivesse acontecido num navio, o Guedes teria ido com um colete salva-vidas. Acho que até Julho, no máximo, ele sai.

    Quanto ao Bolsonaro, se ele já estava neurótico depois de ter visto tanta gente se eleger pegando carona com ele pra logo em seguida virar seu opositor, agora que ele termina de surtar, e a base de militância mais engajada dele vai surtar junto. Infelizmente ele se acostumou a viver com os holofotes em cima dele desde o fatídico evento do CQC, e não consegue ficar quieto. Ele sabe que a imprensa transforma cada respiração dele em uma manchete negativa, mas não pára de dar munição pra ela, que está com um sorriso de orelha a orelha por causa da saída do Moro e das mortes do Corona.

    Vou ser sincero e dizer que não duvido que o Bolsonaro acabe surtando a ponto de se matar. Uma pessoa com o ego dele dificilmente agüenta o baque de ser lançado ao topo e chegar ao fundo do poço num espaço de tempo tão curto.

    • Eu não duvido DE NADA.
      Mas de nada mesmo!

      Nem sequer me arrisco a fazer qualquer previsão. Acredito que o conjunto de fatores inusitados torna o cenário político imprevisível.

  • Eu sinceramente não sei o que comentar desse discurso totalmente sem nexo, sem coesão e sem coerência proferido pelo pocket. Foi ele mesmo quem escreveu? “De coração”? Ou alguém fez esse discurso horrendo? E poxa, ficou parecendo programa da Márcia Goldschmidt, falou da sogra, cunhada, Marielli, filho que pega o condomínio inteiro, falou tudo, menos contra-argumentou sobre a fala anterior de Moro.

    Aliás, me perguntando aqui o que deve ter descoberto pra ele ter tomado uma atitude dessas. Coisa horrenda mesmo. Ou então, não duvido também que o plano tenha sido arquitetado de antemão e o pocket tenha dado algo bem grande pro Moro… Vai saber! Difícil não cair em teorias conspiratórias também. O fato é que, diante de tudo, dá medo do que o br pode virar nos próximos meses…

    • Ge,tudo é possível. Eu sinceramente não arrisco prever mais nada. O que resta fazer é analisar a atitude patético do Bolso, que não decepionou: entregou exatamente o que vinha prometendo em anos de Superpop.

    • O Moro já era pra ter sido descartado como uma fralda usada faz tempo.
      Só que agora o Pocket finalmente tomou coragem de fazer isso.

  • Oi, gente que está escrevendo comentários sem parar! Eu sou o Somir e eu estou apagando tudo, e pra falar a verdade, nem estou prestando muita atenção porque deu para sacar a ideia geral. Recado recebido.

    Ficar brigando na internet é tão cansativo… eu quero ir jogar um jogo agora que eu acabei de comprar na promoção do Steam. Sabadão vai bombar!

    Para vocês não gastarem energia à toa, sugiro sossegar.

  • “Tem pra todos os gostos, mas o princípio é sempre o mesmo: felipenetar, apontar o erro dos outros e deixar de olhar para dentro. E, curiosamente, são pessoas com sérias pendências em suas vidas, para as quais deveriam olhar.”

    Concordo plenamente. Sem mais.

  • Bolsonaro deve demitir Paulo Guedes em breve e a exemplo de Lula e Dilma deve tomar o rumo da canoa furada do “nacional desenvolvimentismo”, o que metacapitalistas como o CARECA DA HAVAN agradecem.
    A inflação brasileira arrisca de ficar pior que a argentina, mas a pose continua a mesma.

    • Faz pensar mesmo…

      No Brasil, esquerda é “homem branco mau” e direita é “homossexual mau”.

      Porque de economia mesmo, a maioria parece não entender porra nenhuma, o Bolsonaro foi eleito prometendo Estado mínimo, mas acho que nem entende o que isso significa. Quando o Paulo Guedes cair, vai virar o governo do Temer de novo.

      • Antes fosse um Temer II. É coisa bem mais tenebrosa.
        De início o Temer até confrontou alguns interesses do status quo fisiológico, coisa contra as quais o Bosta N’Água sequer tem culhão pra fazer.
        A única coisa que sustenta o Bosta N’Água na presidência é a bancada evangélica (até a Miss Piggy do partido que o elegeu já está com pedido de impeachment contra ele) e ainda assim, é por interesses. Essa turma ainda não conseguiu consolidar uma liderança pra tomar a linha de frente no jogo político e espera que Bolsonaro abra a guarda de forma que se consolide uma liderança do grupo deles na linha de frente.

    • Duvido muito que ele vai drmitir o Guedes. Ele mesmo diz que não entende nada de economia e tudo diz que vai perguntar pro Guedes.

  • Concordo 100% com a Sally no que ela disse sobre essa cambada de “felipenetantes”: parem com essa porra dessa insuportável “punhetação mental” e comecem a fazer algo de efetivo e útil! Porque é só assim que se sai desse gigantesco buraco em que todos nós estamos metidos agora.

    • Geralmente essas pessoas intelectualóides são péssimas executoras. São cheias de ideias, de teorias, de achismos, mas na hora de executar se cagam nas calças e não conseguem fazer.

  • Sensacional o texto de Sally! Um despertar prático e efetivo, tipo “vá procurar ser feliz e pense por vc mesmo”. Hoje muita gente vende um despertar, mas sempre redirecionando pra beneficio próprio. Seja esotéricos, olavistas, cristãos”, esquerdistas…O mundo realmente tá um porre só com todo mundo dizendo o que fazer e no final só tem um monte de vala aberta.Tirei uns dias pra refletir e meditar, mas ate nessa área de “desenvolvimento pessoal” há mt charlatanismo. Falam mal da tal da “matrix”
    mas vendem mts livros, cursos e views no youtube usando a mesma. Dificilmente alguém diz “pense e se desenvolva por si mesmo”.
    Qnto ao assunto Brasil, é um país sistematicamente instável, e q inconscientemente as pessoas optam em viver no caos. Tenho minhas duvidas se não seja sadismo isso. Desde 2013 escolheram a tortura politica de acusação mutua e fantasiosa, e mesmo a beira da morte não saem do circulo vicioso. O inferno real que vivem hoje é reflexo do inferno pessoal e coletivo. Se vc esta numa tribo que nao se identifica, pega as malas e vai embora. Ou então se adapta e vive no seu canto sem se importar. A mudança de um país é feito de vários amadurecimentos individuais, que fica mt claro que estamos muito distante disso.

    • É engraçado que os mais fodidos internamente, são os que mais estão focados no externo agora. É fuga que chama, né?

  • Resumindo: estamos todos a bordo de um trem desgovernado e prestes a descarrilhar. Resumindo mais ainda: estamos todos, TODOS, fodidos! E pensar que tem gente que ainda me chama de exagerado por eu repetir que ter esperança neste paiseco é atestado de ingenuidade…

    • Não sabemos. A tendência é que sim, que o desfecho disso seja muito ruim para o Brasil, mas tudo pode acontecer.
      O importante é não se portar como um débil mental incapaz de encarar a realidade e tomar todas as precauções, esperando pelo melhor, mas preparado caso venha o pior.

    • Eu vou votar no menos pior, como faço há várias e várias eleições. Eu tenho medo de falar isso, mas da última vez foi entre Lula e Bolsonaro, não dá para ficar pior, né?

      Né?

      Aiai…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.


República Impopular do Desfavor - Nenhum direito reservado, nem os seus.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: