Ei, você! – Coronavírus Edition – Bolsonaro 2

Brasil ultrapassou o número de mortos na China. A curva de contágios e mortes está subindo de forma preocupante e o país já é considerado um dos epicentros de covid-19 no mundo. Bolsonaro é ridicularizado em diversos países e muitos deles fecham as fronteiras para brasileiros. Em muitos estados não há mais leitos de UTI, respiradores ou sequer remédios. Câmaras frigoríficas estão sendo instaladas em diversos hospitais para armazenar a quantidade de corpos que se acumulam diariamente. Covas rasas são abertas às pressas para enterrar as vítimas. O que o Presidente tem a dizer sobre a situação do país?

“Desconheço qualquer hospital que esteja lotado”
Então desconhece os hospitais do Rio de Janeiro, onde você morava

“Esse vírus é igual a uma chuva, vai molhar 70% de vocês”
Com a pequena diferença que chuva não mata em progressão exponencial

“Eu tenho o direito constitucional de ir e vir. Ninguém vai tolher minha liberdade de ir e vir. Ninguém”
Talvez o STF?

“Quarenta dias depois, parece que está começando a ir embora essa questão do vírus”
Brasil tem hoje mais mortos do que a China

“Há 40 dias venho falando do uso da cloroquina como tratamento que cada vez se apresenta mais eficaz. Medicado corretamente não tem efeito colateral”
Realmente, ficar surdo no Brasil não é efeito colateral, é bênção

“O povo foi enganado esse tempo todo sobre o vírus”
Sim, por aqueles que diziam ser uma gripezinha

“O que está errado é a histeria. Uma nação como o Brasil só estará livre quando certo número de pessoas for infectada e criar anticorpos”
Insiste na imunização de rebanho, deve ser por causa do gado

“Eu não sou coveiro, tá certo?” – respondendo a jornalista que perguntou sobre número de mortes
Pois é, o coveiro só enterra. Você mata.

“E daí? Lamento. Quer que eu faça o que?” – sobre mortes por coronavírus
Que conduza essa pandemia com a seriedade que ela merece?

“Sou Messias, mas não faço milagre”- ainda sobre mortes por coronavírus
Bora pregar ele em uma cruz?

Para dizer que em algum momento ele vai ter que admitir que a situação saiu do controle, para dizer que faltou a frase sobre se sentir violado (são tantas…) ou ainda para dizer que ele é tão messias quando Humperdoo: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (18)

  • Se fizerem um fast plebiscito o fim da quarentena venceria tranquilo. Brasileiro além de nada civilizado, não tem força psíquica pra aguentar isolamento. Adoram viver de fantasia e festa, como aquelas micaretas pró ditadura em plena pandemia que tem entretido e provocado punheta coletiva politica, sistemática e inútil no twitter. Pra mim governadores e prefeitos erraram feio em não adotar lockdown severo desde o inicio, achando q os animais brasileiros iam criar responsabilidade e bom senso. Agora já era, a desobediência civil já começou e não sei q merda virará este país de contaminados.

    • Erraram sim, e esse erro vai custar caro. Serão muitos meses de lockdown, provavelmente meia-bomba, pois mal fiscalizado.

      • LOCKDOWN é o caralho. Se mantiverem nesse chove não molha, estão fazendo muito.
        Tem eleições municipais nesse ano e quem for o mais oportunista de se aproximar do Bolsonaro leva a melhor… Isso se STF não jogar essa pra frente por conta do coronavírus.

        • Você acha que vai ter eleições esse ano? Eu duvido bastante. O Brasil vai perder o ano letivo em escolas e universidades e vai ter que adiar as eleições

    • “Brasileiro além de nada civilizado, não tem força psíquica pra aguentar isolamento”. Frase perfeita, Martins. Especialmente a parte sobre força psíquica. Pra muita gente, o simples ficar sozinho por algum tempo já é um suplício, bem como se aquietar e conseguir apreciar o silêncio de vez em quando. Não sei vocês, mas eu conheço uns e outros por aí que simplesmente piram se ficarem sem interagir com ninguém. E o “interagir” a que me refiro é aquele feito “à moda brasileira”, com excessiva efusividade, além de invasão do espaço pessoal dos outros, tagarelice e intimidade e contato físico forçados.

    • Anos de Superpop não deixaram dúvidas. Uma pessoa que bate boca com o Rafael Pilha é perde não pode gerenciar nem sua própria casa.
      Quem votou sabia, e a intenção era destruir o sistema mesmo. Nada afunda mais rápido um navio do que um comandante merda.

  • Ei, Somir, você poderia ter adaptado a foto e incluido toda a Pocket family. Os 5 filhos, a esposa, a ex, o irmão, a nora… ia ficar legal.

  • Agora que emanciparam os estados, tem que prestar atenção é em quem votar pra governador. Presidente é coisa do passado!

  • Sem falar nas intermináveis pérolas do pronunciamento que já foram mencionadas aqui como Desfavor da Semana, mas que também dariam um belo ”Ei, você!”. Fico imaginando como os livros de história daqui a 50 anos (se ainda existirem livros) descreverão o Pocket, o filho pegador, a piscina do palácio desligada, a sogra traficante, o termo ”escrotizar”, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.


República Impopular do Desfavor - Nenhum direito reservado, nem os seus.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: