Reunião de fumaça.

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), tornou público nesta sexta-feira (22/05) o conteúdo integral do vídeo da reunião de Jair Bolsonaro com seus ministros, em 22 de abril. LINK


Muito barulho por nada de novo. Muito barulho enquanto o Brasil vai se tornando o novo epicentro da pandemia de coronavírus. Desfavor da semana.

SALLY

Como qualquer coisa relacionada a falas do Bolsonaro, esse vídeo é mais do mesmo: quem idolatra ele vai idolatrar ainda mais e quem desgosta dele vai desgostar ainda mais. Em resumo, na minha opinião, não muda nada. Para ser bem sincera, tenho a impressão de que quem não pulou fora até agora, pode encontrar o Bolsonaro em praça pública estuprando um bebê que ainda assim vai relativizar e dar um jeito de justificar o que ele está fazendo.

Se Bolsonaro falou palavrão, ofendeu alguém ou disse que quer armar a população (algo disso é novidade?), desculpa, eu não consigo dar importância nem relevância. É algo que ele vem fazendo sistematicamente, desde o Superpop. Digo mais: ele foi eleito justamente por ser assim: sincericida, torpe, rude, mal educado e sem filtros. Esse vídeo só serviu para adoradores e odiadores de Bolsonaro entrarem em embate, brigarem bastante entre si, apontarem dedos e deixar de lado o real problema: a condução desastrosa da pandemia no Brasil.

Não dá, não me desce ter que analisar ou problematizar esse vídeo com o Brasil sendo epicentro mundial da pandemia. Eu me recuso a esmiuçar ou dar relevância a algo que todo mundo já sabe quando tem mais de mil pessoas morrendo por dia, quando o mundo inteiro está tentando reabrir e o Brasil ainda nem conseguiu fechar, quando cidades totalmente fodidas pelo vírus pretendem reabrir as ruas, o comércio e o estádios de futebol.

Não dá mais para cair em distrações. Bolsonaro pode ser um debilóide, mas décadas de polêmicas em programas de TV baixo nível o ensinaram como criar factóides. E assim ele vem se safando: todo dia solta uma merda, uma fala absurda, uma piadoca inconveniente, algo que repercute e faz todo mundo ir para redes sociais e falar monotematicamente o quão merda e insensível ele é. Nesse bait eu não caio.

O grande desfavor da semana para mim é que se dê importância a esse vídeo. Esse vídeo não basta, por si só, para derrubar o Bolsonaro. É cortina de fumaça. Mais uma polêmica, mais um motivo para odiadores se deleitarem na sua punhetação mental do quanto Bolsonaro é um filho da puta. Cada vez que se dá tanta atenção a alguém, você promove a pessoa. Bolsonaro basicamente ganhou por meterem o cacete nele o tempo todo. O brasileiro não aprendeu porra nenhuma. O brasileiro nunca aprende porra nenhuma.

Tem estados brasileiros sem o básico do básico para enfrentar o coronavírus, onde pessoas estão morrendo como moscas. No Amapá não tem sedativo para colocar a pessoa no respirador. No Rio de Janeiro não tem máscara, tem médico trabalhando protegido apenas por um saco de lixo amarrado na cara. Eu não vou discutir esse vídeo de merda, pois na minha bússola moral mil mortes por dia (e aumentando) grita de tal forma que eu não consigo focar em outra coisa.

Não é momento de desunião. É imbecilidade o povo ficar perdendo tempo e energia brigando a favor ou contra o Bolsonaro em redes sociais. É quase que um vício, dedicar tempo do seu dia para ficar batendo boca sobre uma pessoa bosta como Bolsonaro. Brasileiro virou um alcoólatra da treta! Eu me recuso a participar disso. Bolsonaro não vai cair por você ter xingado muito no Twitter. É distração, é perda de tempo, é um hábito ruim. O foco do Brasil tem que ser controlar o contágio de alguma forma, sem depender do Presidente.

O país tem mentes inteligentes, recursos e força de trabalho para isso. Só falta entender que não depende de ordens de um líder. O Brasil é o elefantinho que foi amarrado em um pedaço de pau quando era pequeno e agora continua imóvel, amarrado em uma vareta que ele poderia facilmente quebrar ao meio se quisesse sair.

Mas em vez de se unir e tentar sair desse buraco sozinhos, já que não dá para contar com o Presidente, o brasileiro treta por cada peido que o Bolsonaro dá, a favor ou contra. Imbecis iguais, quem defende e que ataca. Vai tomar no cu Felipe Neto! Dois lado de uma mesma moeda que só gera atraso ao país.

Tudo aquilo em que você coloca o foco expande. Parem de dar IBOPE pro Bolsonaro. Foi nessa merda que o brasileiro votou, é com essa merda que o brasileiro tem que lidar. Lidar com ele significa não ter o amparo do Governo Federal em um momento muito duro. Ou vocês se unem, arregaçam as mangas e fazem algo como povo, ou vão continuar morrendo como moscas.

Chega de distrações. Foda-se quem disse o que, quem traiu quem, quem foi visto fazendo o quê. O país é o epicentro mundial de uma pandemia, é provável que você que está lendo isso desde o Brasil vá enterrar ao menos uma pessoa querida. Não dá mais para adiar: hora de chamar a responsabilidade para si e fazer alguma coisa. Toda sua energia tem que estar nisso. É como estar no meio de uma guerra, sendo bombardeado e com soldados atirando em você e ficar papeando com outro soldado sobre como o general é escroto. Lute, corra, faça qualquer coisa!

Lutem. Lutem sozinhos, dentro de suas possibilidades. Não gastem um segundo com Bolsonaro, Anitta, Globo, Flamengo ou qualquer outra irrelevância. Chega, hora de abrir o armário e olhar de frente pro monstro que está lá dentro, pois ele vai sair e vai na sua direção. Foda-se o que Bolsonaro disse na reunião, se o STF quiser, vai tomar providências. Não tem nada que você possa fazer a esse respeito. Mas tem muita coisa que você pode fazer em matéria de coronavírus, pois seu controle depende do povo, não do governante.

Chega desse vício de ficar falando mal e reclamando (ou defendendo) quem está no poder. Ainda não perceberam que são todos uma cambada de filhos da puta? Vale a pena ficar perdendo tempo da sua vida atacando ou defendendo? Puta que pariu, que perda de tempo infinita, só posso imaginar que gere um ganho secundário muito bom distraindo as pessoas dos problemas reais e fazendo-as sentir alguma pertinência um grupo “dos que estão certos”. Vão felipenetar assim na casa do caralho, tá morrendo muita gente todos os dias, não dá mais para ficar nessa brincadeirinha.

Vai precisar morrer alguém que você ama para você tirar o foco no merda do Bolsonaro, que não merece um segundo da sua atenção, para você olhar para onde tem que ser olhado? Basta uma iniciativa produtiva de uma pessoa para que a coisa se espalhe pela internet, receba doações, dinheiro, apoio e vire realidade. Já aconteceu várias vezes. Vocês têm essa ferramenta à disposição, usem! Usem a internet para se unir, para dar ideias, sugestões e planos no combate ao coronavírus. Uma hora algo bom emplaca e ajuda o país.

Desculpa, mas incorre no mesmo grau de erro quem perde tempo da sua vida, neste momento, para defender ou atacar o Bolsonaro. Em vez de perder tempo com isso, façam alguma coisa pelas pessoas que vocês amam e pelo país, pois a próxima vítima pode ser você.

Para dizer que a baixa autoestima te faz acreditar que você é incapaz de fazer algo além de esperar que autoridades resolvam o problema, para dizer que fazer algo dá muito trabalho por isso você vai esperar que autoridades resolvam o problema ou ainda para dizer que você briga para tentar esquecer que nenhuma autoridade vai resolver o problema: sally@desfavor.com

SOMIR

Se aprendemos alguma coisa com a eleição de 2018, foi que o público estava sedento por um candidato sem papas na língua, que falasse sobre as coisas de uma forma que a maioria das pessoas entendesse. Nada de nuances, nada de planos de longo prazo, apenas um discurso rápido e rasteiro sobre coisas que os incomodavam imediatamente. Bolsonaro se aproveitou de uma enorme rejeição ao PT, mas também teve seus próprios méritos na hora de construir uma imagem única com a população.

Desde que foi eleito, Bolsonaro teve dificuldades de repetir o comportamento de apontar para cima e reclamar, afinal, era o chefe. Culpar a administração anterior tem prazo de validade, e a dificuldade do país mostrar recuperação econômica começava a cair em suas costas. O brasileiro gostou do jeito explosivo que ele se expressava, mas esse tipo de relação se desgasta rapidamente. Já tinha perdido seu partido, muitos aliados e boa parte da simpatia popular antes mesmo da pandemia.

A crise do coronavírus gera dificuldades para todos os governantes do mundo, mas aqui foi especialmente disruptiva: Bolsonaro decidiu desde cedo ignorar os riscos e apostar numa péssima estratégia de imunidade de rebanho (por não entender como isso funciona). Estar errado de forma subjetiva é algo com que muitos governos conseguem lidar, mas errar de forma tão objetiva como Bolsonaro custa muito mais caro. O Brasil está vendo que o plano dele não é razoável e tem o resto do mundo para comparar. Seu projeto de poder enfraquece a cada dia que o país corre para assumir a liderança mundial de casos e mortes do vírus.

Mas, não se derruba um governante da noite para o dia, e mesmo na visão aceleracionista das coisas, a incompetência de Bolsonaro não consegue gerar devastação suficiente para forçar uma reconstrução do país. Existe resistência suficiente nos dois sentidos. O que nos resta então é esperar que algo ilumine a limitada mente do presidente e ele pelo menos pare de atrapalhar, ou que algum erro seja grande o suficiente para tentarmos passar pela crise com outra liderança. O vídeo liberado pelo STF não serve para nem uma coisa, nem outra.

Nele, vemos uma reunião de descompensados que parecem não ter nenhuma preocupação além de proteger o próprio poder. Quando ela aconteceu, o país já tinha mais de 2.000 mortos pelo coronavírus e não mostrava sinal nenhum de ter a doença sob controle. Demonstraram o interesse mais genérico possível pelo sofrimento do povo, basicamente dizendo “alguém tem que fazer alguma coisa aí” em relação à pandemia e formulando estratégias complexas para avançar interesses próprios. Weintraub fez um desabafo pessoal de sua luta contra o comunismo, Sales queria empurrar um monte de projetos bizarros enquanto o povo estava distraído, Teich estava completamente perdido, Moro estava quase dormindo, Damares fazia questão de lutar contra o aborto, Guedes queria privatizar tudo e Bolsonaro… Bolsonaro estava puto com a imprensa e queria que a Polícia Federal fizesse mais para cuidar da sua família e amigos.

O que não vejo muita gente falando é o grau doentio de egoísmo apresentado ali. Todo mundo reclamando de algo que os impactava diretamente, e a conversa mais vazia possível sobre o problema cada vez maior do coronavírus. Deve ser algo mais difícil de notar, presumo eu. Afinal, egoísmo é algo tão comum que nem deve chamar tanta atenção assim. Tanto que a reação mais comum ao vídeo foi a inútil polarização.

Quem já estava puto com o governo Bolsonaro viu ali um bando de gente completamente despreparada para seus trabalhos falando palavrões e ofendendo compulsivamente os adversários, aumentando seu ódio inicial. Quem ainda estava no time Bolsonaro viu ali o presidente em quem votou, sem papas na língua e tão humano quanto acreditavam desde o começo. Muitos desses defensores já começaram a cantar que a reeleição está garantida.

E analisando esse material sem paixão por um dos lados, eu sinto que os defensores de Bolsonaro ganharam mais com a liberação do vídeo do que seus detratores: você pode acusar o presidente e seus asseclas de muita coisa, mas nunca de faltarem com a consistência. Quem fez o discurso emputecido ali foi o Bolsonaro da eleição, com exatamente as mesmas ideias e propostas. Não podemos nos esquecer que muito foi projetado nele durante a eleição, especialmente a ideia de que ele iria combater a corrupção. Não era exatamente seu discurso: ele prometeu armas, exploração comercial de terras indígenas e combate contra “ideologia de gênero”. Sobre o resto ele mal sabia responder.

E francamente, só esses pontos já passam do limite do que o brasileiro médio está disposto a entender. Bolsonaro só precisava ser consistente na sua putez contra os “comunistas”, evitar impostos altos e não deixar o filho deles virar gay, porque de resto… e quando Bolsonaro faz o discurso que faz num vídeo que com certeza vai ser editado para chegar no WhatsApp só com as partes mais “agradáveis”, é bem capaz de ganhar de volta a simpatia de muita gente que estava em cima do muro.

Não há fato novo para reclamar do governo, mas foi um discurso inflamado perfeito para quem só queria uma desculpa para voltar a apoiar Bolsonaro. No final das contas, não ganha muito território para esquerda ou direita, mas mantém muita gente no mesmo lugar que estava antes. Agindo como analista político amador, eu considero uma vitória para o governo. Primeiro porque ajuda a reacender uma fagulha que podia estar perdida com muitos de seus defensores, e depois porque é mais uma cortina de fumaça na frente do pior gerenciamento de crise do coronavírus do mundo. Ninguém conseguiu fazer mais besteira que o Brasil. E a cada dia que passa, estamos vendo os resultados. Do começo daquela reunião até aqui, o número de mortos aumentou em 10 vezes.

Fique em casa, use máscara e evite grandes centros urbanos. A ajuda não está vindo, e pelo visto, vamos continuar vendo todo tipo de distração nos próximos meses.

Para dizer que percebeu o Teich morrendo por dentro, para dizer que foi um humorista que escreveu a pauta da reunião, ou mesmo para dizer que logo logo a saída não vai mais estar nem nos aeroportos: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (19)

  • Avatar

    Wellington Alves

    Só veio a confirmar a tese do efeito Mr. Magoo.
    Ainda quero que vocês escrevam um texto sobre isso. tem que fazer um compilado com todos os momentos críticos, desde a campanha, em que a imprensa disse “agora ele se fodeu, conseguimos!“.

  • Otimo texto, Sally!
    Assistindo hoje, ao domingueiro coronafest em frente ao Palácio do Planalto, chego ah conclusao de que não é questao de ignorar o Bolsonaro e focarmos no que importa, a pandemia. Enquanto o presidente seguir agindo de forma criminosa contra o combate à pandemia,toda e qualquer tentativa de enfraquecer esse governo ou tirar o insano do poder significa, também, lutar contra a pandemia no Brasil. O vídeo era uma esperança, mas agora acho que podemos virar essa página e seguir torcendo por alguma coisa (um mimagre?) que derrube esse governo.

    • Sonha, Mariana, sonha…
      O fiel da balança é a bancada evangélica e eles não vão votar em favor do impeachment nesse momento mesmo que se tivesse provas contundentes de que a família Bolsonaro esteve envolvida na execução da Marielle Franco.
      O foco dessa turma é tentar pegar carona no Bolsonaro em 2022 pra se livrar dele mais tarde.

      • Cada vez mais difícil o impeachment ser uma opção com o governo comprando o congresso. Será que vamos ficar assistindo a esse show de horrores até 2022?

  • Avatar

    Inimiga do covid 19

    Verdade, anônimo, o brasileiro de modo geral é muito ignorante. Eu já vi uma mãe com seu respectivo filho, que não devia ter nem 5 anos, na rua sem máscara. Eles pararam em frente a uma loja que não era de artigos essenciais (acho que era de bijuteria, coisas para o cabelo) e ouvi a seguinte pérola da mãe: filho, coloca a máscara, nós vamos entrar na loja e passa álcool em gel. Na rua não tem problema pegar corona, mas na rua sim. Foi de cair o cú da bunda. Outra vez, fui atravessar a rua de máscara e um carro parou com 2 debilóides que começaram a simular tosse pra debochar que eu estava usando máscara. Vizinhos indo pra culto na igreja, pra que evitar aglomeração, não é mesmo? É por isso que os casos aumentam tanto, as pessoas têm dificuldade em respeitar o isolamento, só se lembram dos seus “direitos”, mas não dos seus deveres. Essas mesmas pessoas futuramente estarão nos hospitais, xingando os profissionais de saúde pq seu familiar/amigo precisa de leito, de atendimento, mas não se esforçaram minimamente pra evitar que se contaminassem. Lamentável.

    • “(…) As pessoas têm dificuldade em respeitar o isolamento, só se lembram dos seus “direitos”, mas não dos seus deveres”. Aí você acertou NA MOSCA, Inimiga do covid 19! Essa cambada sempre fez muita questão de exigir seus direitos, mas eu nunca vi nenhum desses filhos de umas putas se darem ao trabalho de cumprir direito com seus deveres para fazer por merecer esses direitos. É o famoso “querer o bônus sem ter que arcar com o ônus”.

  • Lembro q vcs falaram durante a eleição . Para haver uma mudança teria q acontecer uma grande destruição , ou algo do tipo. Sinceramente, não sei se me importo com essas mortes, governo, povo … Foda-se tudo.

    • Sim, meu voto foi pensando nisso: quem poderia destruir tudo mais rápido, para que exista a possibilidade de reconstruir algo melhor.

      • O que eu sempre achei uma expectativa um tanto fora da realidade, se levar em conta que todas as coisas que tão “na fila”, “esperando” pra entrar no lugar do sistema atual se ele cair – ditadura militar, monarquia, populismo autoritário, estado não-laico, etc., – são merdas muito, muito piores que o sistema atual…

      • Mas tendo como base a mentalidade do Brasileiro Médio, bem… #ÉMelhorJairEsquecendo.
        Sorte sua ter escapado dessa merda, porque pelo andar da carruagem muito provavelmente vamos sair das mãos do Bolsonaro para a de um daqueles Lobos do Pastoreio da bancada evangélica.
        A polarização entre Bolsonarismo e Lulismo dá sobrevida pro Bolsonaro até ele cair tipo a Dilma, lá pelo início do segundo mandato.

  • Falando em Felipe Neto, eu to impressionado com a quantidade de gente chupando a rola dele (até mesmo POLÍTICOS), puta que pariu. O mundo tá fudido na mão do adolescente esquerdista, 2022 tá logo ali.

  • Meu pai já viu um cara no meio da rua tirando a máscara pra tossir e colocando de volta depois. Por isso que viramos epicentro. A culpa não é só do governo, o brasileiro médio é muito burro por não saber usar um pano na cara, ignorante por se recusar a sair só quando necessário (incluindo trabalhar), e soberbo por achar que “nunca vai acuntecê cumigo”. É levantar as mãos pro céu por não ser tão letal quanto um ebola ou um marburg, senão metade do país já estaria morto nesses 3 meses e a outra metade seguiria sambando e bebendo cerveja.
    Eu estou no grupo de risco por ter problemas de pulmão, se eu morrer dessa merda faço questão de virar um fantasma perturbado e passar a eternidade assombrando brasileiros arrombados.

    • Burro não. COMODISTA. No geral usa a máscara por mera formalidade, mais ou menos como o estaduniense médio lá na época da gripe “espanhola”, há um século atrás.
      Mas isso não é o pior.
      Pior sou eu, que na vizinhança tive que lidar com um incluso porco tossindo e escarrando na porta da casa dele sem máscara, até porque exigência de máscara é só pra entrar em estabelecimento comercial, né?
      Felizmente eu estava NO MEIO DA RUA, que por sorte é pouco movimentada.
      E no dia seguinte, ouço da casa do porco aquele mesmo estupro sonoro de sempre, só um pouco menos incômodo porque ao invés de levar o som alto pra fora pra rua inteira ter que aguentar a porqueira (que faz com que “funk” carioca pareça música boa), resolveu ouvir a porcariada dentro de casa.
      Ao menos por enquanto sigo assintomático, mas não sei até quando.

    • As pessoas tem total condição de acesso a informações sobre como se portar nessa pandemia, elas estão por todos os lados. Mas preferem viver imersas em sua arrogância e fazer o que acham que é preciso (tipo tirar a máscara para tossir). Uma pena, o brasileiro vai aprender uma lição na base de muita dor.

      • Vai nada. Os inclusos se fodem pra caralho como sempre e se isso eventualmente culminar em redução na população, ninguém vai mudar sua postura perante a vida com isso. E com as eleições municipais em 2020, bem… Tudo piora. Os lugares que estão tendo algum controle arriscam de passar por uma descontrolada completa nisso por conta de tal fator, porque sim… Vai ter muito populista aproveitando a deixa pra meter o pau nos legisladores em tal esfera e no clima quente, o pouco controle que se tem vai pra casa do caralho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.


República Impopular do Desfavor - Nenhum direito reservado, nem os seus.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: