Plantão: Bolsonaro está com Covid-19

Lembro até agora do diálogo entre Somir e eu, definindo o que faríamos para comemorar o Dia do Nerd. Em 2020 as Semanas Temáticas haviam sido abolidas do Desfavor, pois com uma pandemia acontecendo, não dava para monopolizar uma semana inteiro com isso.

Aí eu tive a brilhante ideia de sugerir uma semana temática relacionada com o tema pandemia, assim não ficaria algo alienado da realidade. O que poderia acontecer em uma semaninha? Não teria problema algum.

Pelo visto o feriado de Dia de Murphy se adiantou uma semana e, para nosso azar, na única semana temática do ano o Presidente da República que passou meses menosprezando o coronavírus, está com coronavírus.

Lá vem a corna escrever um plantão, depois de ficar dias pesquisando sobre poliomielite, em um texto que agora ninguém vai ler. Obrigada, universo, vamos todos falar das hemorroidas do Bolsonaro e deixar de lado a história sobre como surgiram as UTIs e os respiradores. Tá feliz?

A notícia é de poucas horas atrás, portanto, é possível que este texto venha com algumas informações que mais tarde se mostrem imprecisas. Por hora o que foi divulgado é que Bolsonaro passou mal no final de semana, teve febre e outros sintomas, fez um teste ontem e outro hoje para confirmar, ambos positivos para covid-19.

Curiosamente, Bolsonaro se apressou em dizer que estava “ótimo”. Duvido muito. Se estivesse ótimo, nem saberia que estava com coronavírus, seria mais um assintomático. Se desmarcou a agenda, se foi ao hospital, não estava tão ótimo assim.

Provavelmente é estratégia para divulgar a porcaria da Cloroquina, mundialmente desacreditada por uma infinidade de estudos científicos, mas que ele comprou em grandes quantidades. Reforço: não funciona e ainda pode fazer mal. A coisa certa a fazer é armazenar essa bosta em algum lugar e esperar por um surto de malária.

Bolsonaro disse todo orgulhoso que “fiz uma chapa do pulmão e está limpo”. Minha alma vomita um pouquinho cada vez que eu escuto alguém se referir a uma radiografia como uma chapa, mas ok, é o nível que tem pra hoje. Porém, eu não comemoraria – ainda.

Estar com o pulmão limpo nos primeiros dias de sintoma é a regra, não motivo para comemorar. No corona, a coisa costuma desandar na segunda semana. O que Bolsonaro poderia ter dado ênfase, para fins educativos, é a saturação do sangue (% de oxigênio no sangue), pois este sim é o grande indicativo de que a doença está evoluindo de forma silenciosa. Abaixo de 95% tem que correr para o hospital, mesmo que não esteja sentindo nada.

Outro ponto curioso: Poucos dias atrás Bolsonaro se reuniu, obviamente sem máscara, como o Embaixador dos EUA no Brasil, um jeca que se veste como um cowboy, para comemorar a independência americana. Imagina o grau de trancamento do cu do Embaixador agora, não passa nem um Bóson de Higgs.

Imagina se o Bolsonaro contamina ou até mata o cara, que belezura que não vai ser. Além de azedar de vez as coisas com os EUA, que já não estão boas, a repercussão internacional não vai perdoar. Eu sei que vocês querem ver o Bolsonaro se lascando, mas isso vai respingar em todo o país, em todos os brasileiros.

Existem duas possibilidades daqui para frente: o organismo do Bolsonaro consegue conter a doença sem maiores problemas, onde ele ganha e o Brasil perde, pois vai creditar sua cura à Cloroquina e/ou reforçar a ideia de que é só uma gripezinha, fazendo com que as pessoas continuem saindo de forma irresponsável ou o organismo do Bolsonaro não consegue combater de forma eficiente a doença e ele vai parar em um hospital, situação na qual ele ficaria bastante desmoralizado e serviria como um alerta muito didático para todos os brasileiros.

Porém, para nós, existem infinitas possibilidades para lidar com a notícia, ao que tudo indica, disponíveis nas mais diversas embalagens em redes sociais.

Basicamente, o brasileiro se divide em dois grandes grupos agora: aqueles que querem que o Bolsonaro morra (e que o chamavam de monstro quando ele dizia coisas como “não sou coveiro”, “e daí” e “todo mundo vai morrer um dia”) e aqueles que acusam de monstros os que estão desejando a morte do Bolsonaro (mas não fizeram uma crítica a ele quando ele desejou que Dilma morra de câncer).

Não é a intenção deste texto julgar a opinião de ninguém, o que se pretende aqui é apenas jogar fora um árduo trabalho de pesquisa sobre poliomielite. Porém, seja lá qual for a sua posição, revise para verificar se ela é coerente. Desejar a morte de uma pessoa com a qual você antipatiza te impede de criticar quando desejam a morte de quem você simpatiza. Desejar a morte do Bolsonaro te impede de criticar a forma fria com a qual ele tratou a morte dos outros.

O ponto é: neste momento de convulsão social, estou passando aqui para dar apenas dois recados. 1) Tenha seus valores, independente de terceiros. Mantenha sua ética, seus princípios, sua moral, independente do que Bolsonaro faz ou deixa de fazer. Não mude seus valores por algo que Bolsonaro fez ou disse, ele não é tão importante. Se você acha ruim desejar ou comemorar a doença de alguém, seja fiel a você mesmo, foda-se o que Bolsonaro é ou disse, você não é a mesma merda que ele. 2) Leiam meu texto de poliomielite, esse filho da puta não pode me ofuscar.

Para completar, gostaria de pontuar que a falta de consideração do Bolsonaro não se resume a adoecer em meio a uma semana temática, ele também estragou o tema do próximo “Ele Disse, Ela Disse”, que já está escrito: “O que seria mais didático para o mundo: Trump ou Bolsonaro morrendo de coronavírus”. E a babaca aqui defendeu que seria o Bolsonaro, com uma série de projeções que podem ser desmentidas nos próximos dias. Valeu, tiozão.

Obrigada, universo, por punir quem é precavido e deixa um monte de textos prontos adiantados. Se hoje fosse um dia do Somir, ele nem teria começado a escrever o texto antes da notícia do resultado positivo para covid-19 e não teria perdido um segundo da sua vida. Obrigada, Bolsonaro, por escolher a única semana em 365 dias em que a gente tenta fazer algo especial para pegar essa bosta. Obrigada por isso ter vazado de manhã, e não 19h, quanto todos já teriam lido meu texto de poliomielite.

Falando sério, não sejam babacas. E ser babaca não é desejar/não desejar isso ou aquilo, ser babaca é ser incoerente, contraditório, ter dois pesos e duas medidas. Mantenha-se fiel aos seus princípios.

Se acontecer algo relevante, voltamos com mais plantões para estragar ainda mais a nossa semana temática.

Para dizer que em algum lugar Atila Iamarino ri, para desejar força ao covid ou ainda para dizer que vai fazer um esforço e ler meu texto sobre poliomielite: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comentários (33)

  • Descobri q não sou babaca … desejo a morte do Pocket, da Dilma , de vizinhos e de alguns familiares e não condeno quem deseja de quem eu gosto, até pq já percebi q meus desejos nada influenciam o universo.
    Bem, vou ler o texto de poliomielite só por empatia q não tenho.

  • Também sou do time do chapéu de alumínio e acho que ele já teve, se tratou com o bom e do melhor e está usando isso com dois propósitos: desencalhar o estoque de cloroquina e capitalizar politicamente. Sugerindo que ele está se tratando com isso, ele passa a mensagem de que é “gente como a gente”, que enquanto os outros políticos e ricos vão se tratar no Sírio Libanês, ele só toma um comprimidinho junto com o pão com leite condensado dele.

  • Aquele Sikeira Jr. com mentalidade Bolsonaro 2.0 também pegou, e enquanto doente chorou suas devidas chorumelas de que “errou subestimando o vírus” e que as pessoas deveriam sim se cuidar e ficar em casa… Mas assim que se curou, já voltou o discurso de “ficar em casa é coisa de hipócrita” e afins. Não duvido que o Bolsonaro, mesmo se recuperando, pouco depois vá retornar com o papo de gripezinha…

    • Acho que a única forma de que o brasileiro tire uma lição disso é: se ele morrer ou se ele ficar com graves sequelas.

  • Não desejo que o Bonoro morra, mas admito que achei bem feito. Se bem que eu não duvido de que ele já teve a doença e se tratou com a cloroquina antes. Nem sei o que pensar disso tudo.

    PS: Eu li o texto sobre a poliomielite. :)

  • Não sei se sou babaca, talvez sim. Mas quero que Bolsonaro fique uns dias no respirador. O sofrimento é didático. Mas também quero que ele cumpra o mandato dele, fazendo e dizendo desfavores atrás de desfavores. O brasileiro merece o presidente que tem.

    • Babaca é quem prega uma coisa e quando a situação inverte, cobra que não façam essa coisa.
      Ex: gente que deseja a morte da Dilma por câncer e depois quando desejam sua morte fica dizendo que é horrível desejar a morte dos outros.

  • Minha versão conspiratória: ele já teve, mostrou exame falso, agora está com um puta estoque de cloroquina pra se desfazer. A popularidade dele está uma bosta. Simulando que teve agora, pode mostrar exame atual com nome e vírus (antigo), feito em hospital militar. Aí, faz de conta que contraiu agora, curou-se com cloroquina, valida o discurso da gripezinha e do tratamento mequetrefe. Pra quem já mentiu tudo o que o Bolso já mentiu, isso é até pouco.

  • Eu acho tudo muito estranho no jeito que ele lidou com isso agora e em como ele lidou com os 3 exames que ele não divulgou pra ninguém… mas já desisti de tentar entender algo!

    Só queria deixar registrado que raaaaros pacientes tem alteração na “chapa do pulmão” (também odeio o termo).
    É a tomografia que mostra a lesão do covid. Então nada de novo no front.

  • Sally, teu texto da polio não foi desperdiçado, havia lido primeiro hoje mais cedo daí…
    Nossa, em meio a essa notícia e todo esse alvoroço não sei nem o que pensar direito! Mas fico oscilando entre duas coisas: 1) aplaudir (eu sei que é feio!) o fato de que ele foi contaminado, e 2) tudo não passar de uma armação mesmo pra enfiar cloroquina goela abaixo.

  • Nem Trump nem Bozo morreriam dessa doença. Morre muito pobre de covid, porque se não chegar morrendo no hospital eles mandam pra casa e na fase quase morrendo é difícil sair. Esses velhinhos se recuperando é tudo de particular, se fosse SUS tava fodido.

  • “ou o organismo do Bolsonaro não consegue combater de forma eficiente a doença e ele vai parar em um hospital, situação na qual ele ficaria bastante desmoralizado e serviria como um alerta muito didático para todos os brasileiros.”
    Que nada, capaz de falarem que foi uma armação comunista.

  • E pensar que se tivessem tido coragem de cancelar o Carnaval lá no comecinho, muito provavelmente as coisas estariam diferentes no Brasil…
    “Ah mas a economia”. A Tailândia cancelou o Songkran (o ano novo tailandês, em abril), a festa mais importante do país e que enche as ruas de pessoas, incluindo turistas. Resultado: 58 mortes de covid até agora, numa população de uns 70 milhões.

    • PS.: Eu li o texto sobre poliomielite antes desse (mas como a maioria dos leitores, não comento muito), seu trabalho não foi perdido <3

    • Teriam que ter fechado fronteiras, feito um bom isolamento social, etc.
      Quem fechou de forma precoce está se recuperando muito melhor.

      • Sally, você viu as noticias de que detectaram o rna do corona em amostras de esgoto de uma cidade europeia, achho que foi Barcelona, de março de 2019? Dias depois saiu noticia de que também ocorreu isso com amostras de esgoto de florianopolis de novembro 2019.
        E já faz uns 2 meses que a França divulgou que detectou mortes por corona ocorridas em dezembro 2019.
        Tudo isso muito antes de a China e a OMS falarem sobre a doença.
        Não me espantaria se essa doença já fosse conhecida desde meados de 2019, nossos queridos chineses fizeram o desserviço de não falar nada e deixaram seus turistas continuarem inundando o mundo.

        • O que não é de se duvidar que aconteça é que a China tenha a cara de pau de se valer dessas informações pra plantar dúvidas sobre onde surgiu o vírus

  • hahahah! Eu aplaudi quando ouvi essa notícia ontem a noite. Espero que ele seja internado na UTI por umas 2 semanas e que os parentes peguem também. Mas não quero que ele morra não, quero um depoimento depois como foi a experiência.
    E eu li o texto da poliomielite sim (adorava aquela vacina. Era ótimo não ser espetada por uma agulha).

    • Considerando as cirurgias complicadas pelas quais ele passou depois da facada e o estresse ao qual está submetido pelo cargo, não me parece impossível que ele de fato vá parar em uma UTI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: