Bebida única.

A premissa é tão simples quanto inusitada: você se vê diante da obrigação de escolher mais apenas um tipo de bebida para tomar além de água para o resto da sua vida. E é na hora do aperto que você conhece as pessoas… Sally e Somir escolhem as suas, os impopulares dão seus goles.

Tema de hoje: se você tivesse que escolher só uma bebida além de água para tomar pelo resto da vida, qual seria?

SOMIR

Eu iria de coca-cola. É uma pergunta muito mais complexa do que parece, vai muito além da sua bebida preferida entre as inúmeras disponíveis neste mundo, é também uma questão de planejamento de longo prazo. É claro que água sempre vai estar disponível, afinal, seria suicídio não escolher. A partir daí, você deve decidir o que vai usar para complementar sua vida.

Sally vai fazer uma escolha mais técnica no sentido da saúde, pesando os benefícios e malefícios de cada substância no organismo, mas eu vou pensar por outro ângulo: se eu estiver focado em saúde, nada é melhor do que a boa e velha água, e como ela está sempre disponível, essa parte já está coberta. Da água pra frente, tudo é alguma forma de concessão no ponto de vista do bem estar do seu corpo. O projeto do nosso DNA presume o consumo de água, todo o resto usa alguma das ferramentas de proteção do corpo para corrigir a escolha de consumir uma bebida diferente.

É preciosismo escolher algo pela questão de saúde nesse caso. Já que vai fazer seu corpo se virar tirando toxinas e limpando a sujeira de qualquer coisa que não seja água pura, que pelo menos faça isso com algo que te traga prazer e não crie muitos impedimentos na vida cotidiana. Embora eu tenha escolhido um refrigerante específico aqui, não quer dizer que meu lado do argumento seja focado exclusivamente nele: você pode escolher diversos outros tipos de bebidas aparentemente problemáticas do ponto de vista da saúde e continuar na mesma lógica que eu uso aqui para defender a coca-cola. Na verdade, a grande discussão aqui é se você vai ficar contando calorias e tratando essa única bebida como algo que considera mais eficiente para seu corpo, ou se vai colocar o seu bem estar psicológico na frente.

Vejam bem: a partir do momento que você fica preso na escolha que gera a discussão de hoje, é bom considerar o que isso vai fazer com a sua vida. Uma bebida para manter seu corpo funcionando com a água e uma para cobrir todas suas necessidades de prazer e socialização. Eu escolhi o refrigerante mais popular do mundo por agradar meu paladar, é óbvio, mas também porque ele permite o meu funcionamento na maior gama possível de cenários a partir dali.

Eu tinha considerado primeiro alguma bebida social como cerveja ou vinho (mesmo preferindo uísque), porque ela me permitiria circular entre os mais diversos grupos sociais humanos com facilidade. O problema é que colocar álcool nessa equação é um caminho bem perigoso. Imagine só poder escolher entre uma bebida alcoólica e água para o resto da vida? Uma hora água enjoa, e quando você menos perceber, vai se encontrar bebendo sozinho de manhã. Por isso que eu fui num meio termo: coca-cola não é nem um pouco saudável, mas é mais fácil se controlar e açúcar se queima com exercícios. Você pode beber sozinho, no trabalho e em ocasiões sociais. Sim, sempre vai ter gente te enchendo o saco dizendo que faz mal ou chocada por você não querer ficar bêbado em ocasiões sociais, mas é um preço bem mais barato a se pagar do que destruir sua vida com alcoolismo.

Precisamos falar de logística também: uma das vantagens da coca-cola é que você acha num shopping no centro de uma metrópole, mas acha também numa lojinha de turistas nas montanhas do Tibet. A empresa americana passou décadas investindo numa das maiores redes de distribuição já concebidas pela humanidade, e hoje em dia você provavelmente encontra coca-cola em qualquer lugar do mundo onde alguma estrada consegue alcançar. Ela já vem pronta, engarrafada e segura para o consumo onde você estiver. Se você está preso com alguma coisa a vida toda, que seja algo que vai continuar altamente disponível e prático até o final dela.

Bebidas como chá e café podem ter dessas vantagens de alta disponibilidade, mas a logística se torna mais complicada: como precisam ser feitas na hora e os padrões de consumo variam bastante ao redor do mundo, você vai ter que se adaptar constantemente de acordo com seu ambiente. Você só vai ter algum controle sobre o padrão quando estiver em casa e tiver tempo para preparar. Já no caso de uma bebida pronta, basta eletricidade para ter a refrigeração e sua experiência é muito mais homogênea. Às 3 da manhã de um final de semana numa viagem ou às 3 da tarde no trabalho, é algo que você consome do mesmo jeito sem se preocupar com variações.

Sim, coca-cola não é uma bebida saudável, mas vamos concordar que não se escolhe uma bebida além da água por ser saudável. Vamos considerar os benefícios: açúcar é algo que seu corpo gosta de receber, mesmo sabendo que faz mal, te dá energia instantânea junto com felicidade. Fazer o quê? Fomos selecionados para gostar de açúcar. A cafeína tem diversas vantagens que a própria Sally vai contar no texto dela. Eu concordo que bebidas e substâncias em geral que te deixam mais ligado são melhores do que as que entorpecem: para ficar desligado você sempre pode dormir, o que é bem mais saudável mesmo.

Lembrando novamente que você pode ter outra preferência de bebida pouco saudável, mas mesmo assim estar do meu lado do argumento: não vale a pena escolher algo puramente pela função técnica no organismo, o prazer e a versatilidade têm que estar considerados aqui. A vida é mais do que sobreviver, é mais do que ser 10% mais eficiente numa tarefa… o ideal é não ter que fazer uma escolha restritiva como a que fazemos neste texto, mas já que isso é posto, que façamos o melhor com ela.

E o melhor não é necessariamente o melhor para sua capacidade produtiva. Se der para misturar as duas coisas como eu estou fazendo com a coca-cola, excelente, mas se não for o caso, eu sempre vou defender a que trouxer mais prazer. A vida não é RPG para precisar de bônus em cada item utilizado. Às vezes pode fazer mal mesmo, mas se fizer mal te dando algo em troca, é só questão de saber se controlar. Até água pode matar se você sair de controle e beber demais. Na dúvida, escolha o que te fizer mais feliz, o resto dá para compensar de outras formas.

Para dizer que prefere não ser uma baleia, para dizer que cerveja é a única opção realista, ou mesmo para dizer que é Pepsi é melhor (não fale mais comigo, selvagem!): somir@desfavor.com

SALLY

Se você pudesse beber apenas uma bebida, além de água, para o resto da sua vida, qual seria?

Café, caso contrário corro o sério risco de cair na mendicância. Trabalhar sem café seria uma tarefa muito, muito árdua.

Existem muitas bebidas que podem oferecer a mesma quantidade de cafeína (ou até mais), porém eu prefiro o café, pois de todas elas, acredito que seja a que faz menos mal para a saúde. Café, se tomado sem excessos, faz até bem para o seu corpo.

Não parece, mas o café “alimenta”. A bebida é uma importante fonte de antioxidantes e contém uma série de nutrientes, como vitaminas B2, B3, B5 e, manganês, magnésio e potássio. E vai além: o corpo humano absorve mais nutrientes do café do que de outras fontes populares de antioxidantes como frutas e legumes. Então, além de não fazer mal, café ainda faz bem.

Ele também ajuda a acelerar o metabolismo e queimar mais calorias, portanto, é uma pequena ajuda para emagrecimento. Óbvio que não adianta tomar café e comer mal/muito, ninguém fica magro apenas tomando café. Porém, é uma ajuda. Melhor isso do que encher a cara de bebidas açucaradas, com corantes conservantes ou de álcool, cheio de calorias vazias.

Assim como dá mais energia ao corpo, também dá mais energia à mente, melhorando a concentração, a rapidez de raciocínio e a cognição. Isso permite que se desempenhe tarefas melhor, por mais tempo. Sabe aquela hora do dia em que você não está rendendo mais? Café funciona mais ou menos como o espinafre funciona para o Popeye.

Café age no sistema nervoso central e aumenta a produção de hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar (papo técnico: noradrenalina, dopamina e serotonina). Isso, entre outros benefícios, reduz o risco de depressão, o que é algo muito valioso vivendo no atual mundo estranho no qual nos encontramos.

Estudos também comprovam que café com moderação melhora a memória, algo importante para qualquer pessoa, sobretudo quando falamos de “uma única bebida para o resto da vida”. A memória de ninguém melhora com o passar do tempo, logo, ter um reforço para algo que sabemos que vai se deteriorar é sempre muito bem-vindo.

Também há estudos que constataram uma menor incidência de doenças cardíacas (11%) e diabetes (35%) em quem toma café regularmente graças a suas propriedades antioxidantes. Tem efeito broncodilatador, que pode ajudar em problemas respiratórios, principalmente quando falamos em desenvolver sintomas de asma (redução de 30% das chances). Ao consumir café, você tem uma melhora na função pulmonar por pelo menos duas horas.

Há muitos outros estudos em andamento, apontando para o fato de reduzir a incidência de outras doenças como Alzheimer, cirrose, câncer de fígado, câncer de intestino, câncer de mama, câncer de pele, AVC, esclerose múltipla e outras. Uma pesquisa que resume tudo isso, diz que pessoas que bebem entre três a quatro xícaras de café por dia tem um aumento de 10% na expectativa de vida.

Então, francamente, se eu tenho a possibilidade de escolher só beber, além de água, uma bebida que me ajuda a trabalhar e me faz bem, eu teria que ser bem idiota para procurar cafeína em outra fonte, repleta de corantes, de substâncias artificiais e conservantes.

Mais idiota ainda em gastar esse único tiro em uma bebida que não apenas faz mal ao meu organismo, como ainda me entorpece, retirando minha agilidade mental, raciocínio e capacidade produtiva. Acho até falta de respeito beber álcool antes de trabalhar, não importa qual seja o seu trabalho, é de se esperar que você o faça na melhor das suas capacidades.

Além disso, o café é versátil. Permite muitas variações, um tremendo bônus quando você está amarrado a uma bebida para o resto da vida. Você pode tomar com açúcar, com adoçante ou puro. Você pode colocar chantilly, raspas de chocolate ou qualquer outra coisa que não seja outra bebida (afinal, a proposta do texto é UMA única bebida além de água). Café pode ser tomado quente ou gelado. Existe uma infinidade de grãos com diferentes sabores. É desejável que qualquer coisa “para o resto da vida” tenha variações, para não enjoar.

Café é fácil de encontrar. Se você mudar de país ou até de continente, dificilmente vai parar em um lugar onde não haja café à venda, seja para preparo em casa, seja pronto, em cafeterias e similares. Não se pode dizer o mesmo de sucos de frutas, por exemplo. Café é universal, não depende de estação e as poucas culturas que não toleram o café são questionáveis, certamente não seriam um ambiente saudável para se viver.

Mais um ponto para o café: a ambiência que o cerca. Eu sou suspeita para falar, pois sempre fui mais da cafeteria do que do bar, mas em países sérios, há mais chances de encontrar pessoas interessantes lendo um livro em um café do que no meio dessa juventude cabeça oca de bar. Prefiro conversar com quem bebe algo que aguça sua capacidade mental e não que a anestesia.

Café é fácil de comprar, não é algo absurdamente caro e é fácil de armazenar. Também é fácil de preparar, seja manualmente, seja com máquinas que fazem café, estilo Nespresso. Não tem que descascar, não tem que cortar, não tem que guardar na geladeira, não tem que fazer nada além de água quente ou então apertar um botão.

E se você quiser, pode fazer um belo estoque de café em casa, pois não ocupa muito espaço e tem um prazo de validade longo. Café não te deixa na mão. Não é à toa que é uma das bebidas mais consumidas no mundo: faz bem à saúde, não é cara, é fácil de armazenar e fácil de preparar.

É para o resto da vida. É a única bebida além de água que você vai consumir. Não pode ser nada nocivo (a menos que você seja autodestrutivo, nesse caso, procure ajuda), é melhor que não seja nada muito monótono e, se possível, que faça bem à sua saúde. Café, eu te venero.

Para dizer que meus ossos devem parecer um bastão de giz, para dizer que quatro xícaras de café você toma só ao acordar ou ainda para dizer que quem bebe café frio é psicopata: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Desfavores relacionados:

Etiquetas: , ,

Comentários (26)

  • Água de coco. Sou viciada, é a minha bebida preferida. <3 Mas sentiria muita saudade de limonada e suco de maracujá =/

  • Podendo escolher, prefiro leite. Pelo sabor, pelo cálcio e pela proteína. Também não sou intolerante à lactose. Mas, se for para me restringir apenas às duas opções da postagem, fico com o café. E eu teria que tomar com muita moderação. Ultimamente, porém, eu tenho maneirado no café porque estava consumindo em excesso e tendo problemas como dificuldade para dormir e desconforto estomacal.

  • Bom, esse EDED foi bem fácil pra mim, to com a Sally facil! Inclusive na parte da mendicância se o café deixar de existir!

    Mas eu não tomo refrigerante (nenhum) nem bebida alcoólica, então…
    E sempre fui em bares/atividades sociais e pedi ou água ou (raramente) suco. As pessoas dão aquela zoadinha básica, mas vida que segue, o importante é a conversa, o papo. Somir dizer que se abolir a Coca ia atrapalhar socialização não me convence!

  • O único problema ainda a superar é dosar a quantidade de café ao longo do dia. Em teletrabalho até o fim do ano pelo menos, são uma, até duas garrafas por dia. Aí fica-se bem acordado rapidamente, porém a pessoa aqui logo descarrega a bateria por estar pilhada e, ao final do dia, fica com muito mais sono do que antes…

      • Desculpe-me pela intromissão, Sally, mas… E você? Não sei o quanto você toma, mas o café não te deixa sem sono? Ou você se cansa ainda mais no trabalho mas nem sente porque está “dopada” pela cafeína e só depois, quando o efeito desta acaba, é que o sono vem e te faz “capotar”? Eu te pergunto porque comigo é exatamente assim e, por isso, estou agora meio que em uma “rehab” de café. Penso em ficar algum tempo sem tomar para o meu organismo se desacostumar e, quando eu voltar a consumir, vou procurar beber menos e somente pela manhã.

        • Eu tomo de três a quatro xícaras pequenas por dia e não bebo depois das 18hs, então, não costuma afetar meu sono não.

        • Desculpa a intromissão. Mas esse efeito rebote do café é bem estudado. Alguns estudos dizem que o café te deixa em alerta por um tempo e, depois, quando o efeito acaba, a pessoa capota. Em outras pessoas, a cafeína age de forma mais prolongada, o que as leva perder o sono durante a noite. No primeiro caso, é comum, as pessoas relatarem que precisam cada vez mais de café para ficar acordada durante o dia. Eu nunca tomo café, consigo render bem o dia inteiro (quando tenho uma boa noite de sono). Já o meu ex namorado era viciado em café, ele sempre tomava muitos copos/xícaras de café durante o estágio. Pode ser que com a rehab do café, vc consiga ser mais produtivo ao longo do dia. Mas tenta cortar tudo que tenha cafeína (coca-cola, chocolate, chá verde, chá preto, etc).

          • Obrigada por trazer essa perspectiva do rebote! Antes não acontecia isso, deve ser a idade…

            Tentarei alguma outra bebida…

  • Chá. As variações são quase infinitas, e os benefícios de alguns não ficam nada a dever aos do café. E caso fosse necessário limitar a uma única planta, vou de Ilex paraguariensis.

  • Coca-cola. Também gosto de café, principalmente se for como cappuccino, mas ele não me deixa alerta por muito tempo e ainda me deixa cansada. Coca não, eu tomo 1 latinha e é energia instantânea, é ótimo pra quem trabalha a noite ou precisa ficar acordado.

  • Essa é fácil, claro que eu fico com a Sally! Não só pelos motivos citados, mas pensando também no sentido de “dos males, o menos pior”. De um tempo pra cá, com meus problemas de gastrite e tudo mais, não to podendo nem sonhar em colocar bebidas ácidas ou gasosas no estômago, então… Café ainda vai, mas só uma xicrinha por dia mesmo. E se tivesse que escolher, acho que não conseguiria viver sem café não.

  • Entre as duas, eu fico com o café. Mas se fosse pra escolher mesmo, leite achocolatado gelado, batido no liquidificador. Sim, eu tenho um paladar infantil.

  • Me tira uma dúvida? Eu li não sei onde, que o café deve ser tomado ou 3 horas antes ou 3 horas depois das refeições, senão prejudica absorção de alguns nutrientes. Venho tomando nos intervalos. Isso procede?

    • Não tenho a menor ideia… Se houver um nutricionista ou nutrólogo entre nós, ajuda a gente aqui, também quero saber!

  • Coca é química com açúcar e osteoporose. Prefiro café! Eu trocaria até água pura por café. Café puro, sem açúcar, amargo como a vida! Assim eu amo meu café.

  • E quem detesta os dois faz o quê? E se a pessoa foi comer uma fruta cheia de suco? Vitamina conta como bebida? Tantas perguntas…
    Fico com água de coco, é a única bebida depois de água que eu realmente faço questão. Fruta é pra se comer, quem toma suco de fruta, e ainda comete a pachorra de acrescentar açúcar, é nazisto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: