Comemorações de 12 anos encerradas. Luto oficial em toda a nação por tempo indeterminado.

Flagra envolvendo o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) foi reproduzido pela imprensa em todo o mundo, com títulos destacando a situação inusitada e textos críticos lembrando outros casos de corrupção do atual governo. LINK


Se o mundo inteiro está tirando sarro, quem somos nós para ser superiores? Dinheiro no cu, Desfavor da Semana.

SALLY

O brasileiro não tem um minuto de paz. Eu imagino a cara de quem abriu as redes sociais e se deparou com o trending topic #PropinaNaBunda. Não bastassem todas as mazelas que afligem o país, agora cidadão tem que passar pela angústia de se questionar se a cédula de dinheiro que ele tem nas mãos já passou pelo cu de algum político.

Um Senador, vice-líder do Governo Bolsonaro, se depara com a polícia na porta da sua casa cumprindo uma ordem judicial. Ele estava sendo investigado por desviar dinheiro da saúde, mais precisamente, dinheiro que seria utilizado no combate ao coronavírus. Ao perceber que a casa ia cair, o Senador Chico Rodrigues achou que seria uma boa ideia enfiar o dinheiro…no cu.

Talvez você tenha lido que o dinheiro estava na cueca. Pois bem, não estava. Estava no cu. Inclusive quando a polícia removeu o dinheiro ele estava sujo de fezes. O mais curioso é que ele tinha uma enorme quantia de dinheiro em casa, que fatalmente seria encontrada, por qual motivo enfiar 30 mil reais no cu? É isso que vale a dignidade da pessoa?

A história é tragicômica. A polícia percebeu que havia algo errado ao notar um grande vulto na bermuda do Senador. Os policiais pensaram que fosse um celular, que ele fosse tentar avisar seus cúmplices da operação. Perguntaram o que era aquilo e o Senador disse que não era nada não. Então, o delegado responsável pelo caso, decidiu que seria preciso fazer uma “inspeção pessoal” e pediu que os policiais filmem, para se resguardar de eventuais acusações de abuso de autoridade. Adivinha se as imagens não vazaram?

Isso é Brasil. Não basta a ilegalidade, ela tem que ser cercada por um show de horrores. Sempre vem a turma do “Ain, mas corrupção tem em qualquer país”. Ok, mas Senador em posto de liderança no governo enfiando dinheiro no cu, mal enfiado, sendo colocado de quatro e filmado enquanto removem notas sujas de merda, vai desculpar, mas esse grau de baixaria não tem em qualquer país não.

Não basta ser corrupto. Tem que ser corrupto e indigno. Tem que profanar o próprio cu por 30 mil reais. Tem que ter sua cavidade anal filmada, fotografada e jogada em redes sociais. Tem que virar motivo de piada nacional e internacional. Tem que ser incompetente até para enfiar dinheiro no cu, deixando metade das notas pra fora, parecendo um pavão com rabo de reais.

Quando a gente achava que a imagem do Brasil não poderia piorar, depois de uma condução desastrosa da pandemia e das queimadas que estão destruindo as florestas, o brasileiro mostra que sempre dá para cavar um pouco mais do fundo do poço. Juro, eu ri mais das manchetes dos jornais de outros países do que dos Memes.

Bolsonaro, que se dizia tão próximo do Senador que tem quase uma “união estável” com ele, que acabou com a Lava-Jato por não haver mais corrupção no seu governo, que disse daria uma “voadora” em corrupto, ficou quietinho. Quando perguntado, disse apenas “tenho nada a ver com isso”. Não tem, né? O vice-líder do seu governo profana a imagem dele duplamente (enfiando coisas no cu e desviando verba pública destinada a salvar vidas) e não tem nada a ver com isso.

O Senador, por sua vez, diz que não fez nada ilícito e que vai provar isso na Justiça. Olha, sem querer ser escrota, mas, nesse caso, é melhor bater no peito e dizer que é um baita criminoso, caso contrário, o que se entende é que a pessoa enfiou dinheiro no cu por prazer.

Olha, nem é sobre corrupção. Por mais monstruoso que seja roubar um dinheiro destinado a salvar vidas de pessoas doentes, tem uma questão preliminar: me espanta como o brasileiro é animalesco. Como é vil, como é ganancioso, como é materialista, a ponto de profanar o próprio cu e se sujeitar a todo tipo de humilhação por dinheiro. É disso que eu falo quando digo que o Brasil é um degrau abaixo do Terceiro Mundo: corrupção acontece em muitos países, mas com esse grau de barbárie, degradação e incompetência? Poucas vezes vi igual.

Resta fazer piada, não dá mais para levar o Brasil a sério. E daqui para frente é isso que vou fazer. Desde já peço desculpas: isso é o que podemos chamar de dinheiro sujo! Depois dessas notas cheias de fezes até a polícia federal vai ser a favor de uma lavagem de dinheiro. Se o Senador enfiou 30 mil no cu, imagina o quanto não caberia na bolsa de colostomia do Bolsonaro. Luisa Mell, corre aqui para ver o que estão fazendo com o coitado do Lobo Guará da nota de 200!

Lavar as mãos para não pegar covid é só o começo, agora também seria bom lavar as mãos depois de mexer em dinheiro, para não pegar oxiúros. Agora sabemos de fato que o governo Bolsonaro está colocando dinheiro no Centrão. O Senador era um homem tradicional, resolveu depositar seu dinheiro na poupança. Agora se entende melhor aquela história de “eles querem nossas hemorroidas”, faz sentido, afinal, é onde eles guardam o dinheiro. Finalmente entendi o motivo para lançar uma nota de 200: otimização de espaço anal.

O Senador emitiu um comunicado à imprensa dizendo “Tenho um passado limpo”. Já o cu… Faz sentido a obsessão do atual governo por higienizar o cu com ozônio, não era para covid, era para a propina sair limpinha. Me espanta ver imagens tão nítidas nas fotos sobre o caso, eu poderia jurar que estariam borradas. Tem que mudar o nome da operação Lava-Jato para Ducha Higiênica, Lava-Toba ou Chuca-Jato. Aproveita e lança mais uma nota, pensada especificamente para corrupção, no valor de mil reais, ilustrada pelo peixe Pacu.

Bolsonaro tem razão, não tem corrupção no governo dele, tem CUrrupção. O lado bom é que o país já pode começar uma startup, a KuBank, para o povo guardar seu dinheiro sem pagar taxas. Feliz é o proctologista do Senador, ter um cliente que também é um caixa 24h.A cereja no sundae é que o Senador foi afastado do cargo por decisão de um Ministro do STF chamado BARROSO. O Brasil é uma piada pronta.

A lição que fica dessa história toda é: nossas mães tinham razão quando diziam que dinheiro é uma coisa suja e que deveríamos lavar as mãos depois de encostar em dinheiro. Lembre-se sempre disso: você não tema menor ideia por onde aquela nota já passou.

Para acrescentar algum trocadilho ou piada infame, para dizer que o Senador tomou no cu ou ainda para reafirmar que não tem a menor chance do Brasil dar certo: sally@desfavor.com

SOMIR

Tem coisa mais emblemática em 2020 do que políticos enfiando dinheiro do combate à pandemia na bunda? Especialmente logo depois de Bolsonaro afirmar cheio de orgulho que acabou com a Lava-Jato porque não tem mais corrupção no governo? Basta ler as notícias para ser humorista no Brasil.

Se tem algo para tirar dessa história, além da merda do dinheiro, é que o Brasil vive um meio termo quase que perfeito entre completo descalabro institucional e uma sociedade razoavelmente civilizada no momento. Alguns vão me chamar de otimista pela análise, mas eu aceito o risco.

Explico: em virtualmente todos os países pouco desenvolvidos do mundo, a corrupção é o método de organização do poder público. Países pobres com gente branca, preta, marrom, bege, vermelha… não importa quem é o povo, importa a desigualdade social e a falta de oportunidades de trabalho e principalmente estudo. Desde uma ex-república soviética até mesmo uma nação da África sub-saariana, a maioria dos países desse mundo é muito corrupta.

Um brasileiro pode se juntar com quase qualquer outro povo desse mundo e passar horas falando sobre as falcatruas que presencia ou pratica em seu país e receber aquele sorriso de compreensão derrotista: “No meu país é igualzinho”. Porque pra muita coisa, é mesmo. Existem gramados mais verdes sim, mas a maior parte da população humana não vive neles.

Subornos, jeitinhos e abusos de autoridade são meio que padrões de funcionamento do ser humano quando a sociedade passa um pouquinho da linha mínima de civilização. Formam-se sistemas extremamente exploráveis, e gente que não tem rede de proteção alguma de um Estado eficiente tende a agir de forma egoísta por necessidade de sobrevivência.

Então, sim, corrupção e mal uso de verba pública tem no mundo todo. Dependendo do rumo da conversa, um brasileiro acha assunto em comum até mesmo com japoneses e noruegueses nesse sentido. Mas é evidente que o problema não tem o mesmo tamanho em todos os lugares. Ou pelo menos a reação da sociedade não é a mesma em todos os lugares.

Se o senador com dinheiro na bunda fosse japonês, já teria se matado. Literalmente. Se fosse norueguês, teria renunciado imediatamente e nunca mais se candidataria a síndico de prédio na vida. Mas, como é brasileiro, diz que o dinheiro cheio de merda que a polícia encontrou na sua bunda é legal e que nunca fez nada de errado da vida. Vai se segurar no cargo até o último segundo, e assim que puder se candidatar de novo, podem apostar que vai estar lá sorrindo para as câmeras e pedindo o voto do povo.

Agora, se esse senador fosse de um país ainda mais bagunçado que o Brasil, é provável que não tivesse enfiado o dinheiro onde enfiou. Teria sido avisado da operação e já teria pagado (mixaria) para escapar. O juiz que aprovou a busca e apreensão morreria alguns dias depois num acidente infeliz. O Brasil já foi assim. Ainda é em instâncias menores de locais menos vigiados que a capital nacional, mas nas últimas décadas fomos avançando a passo de formiga em direção de um sistema um pouco menos dominado por puro abuso de poder.

Existe um ponto entre essas realidades de consequências para corruptos no mundo. O Brasil está nele. Se você quiser olhar pelo lado positivo, vive no Japão em comparação com o Congo, mas se quiser olhar pelo lado negativo, vive no Congo em comparação com o Japão. Eu mantenho a minha teoria que o Brasil é o país médio do mundo moderno no que tange o grau de desenvolvimento da civilização. Não chegou lá, mas está mais perto que muitos outros países. Muitos mesmo. Aliás, com poucas exceções, a América do Sul toda vive nessa zona cinzenta entre país organizado e corrupção total. Alguns mais civilizados que nós, alguns menos.

Todo esse papo é para estabelecer o ponto de que não é derrotismo ou vira-latice tirar sarro desse senador e seu dinheiro literalmente sujo. É uma afirmação do nosso estado atual como sociedade: um estado ridículo com aspirações de ser levado a sério, mas com um povo tosco demais para tornar isso em prática. Falta refinamento no brasileiro, refinamento que só começa a valer numa sociedade onde há alguma previsibilidade das consequências da corrupção.

Às vezes a pessoa faz tudo errado e não é punida, às vezes comete um erro minúsculo e sofre toda a fúria da lei. No STF, por uma tecnicalidade garantista, um traficante poderoso é liberado para fugir do país, mas um ladrão de xampu tem sua prisão confirmada na mesma corte para não passar a mensagem errada para a população. A verdade é que o sistema brasileiro ainda está confuso sobre em que estado da evolução social o país está. Porque o povo vive em realidades muito distintas no dia a dia. Pode entrar numa repartição pública totalmente corrupta e burocrática para pegar um documento que outra extremamente organizada e bem vigiada pediu, tudo no mesmo dia.

Eu não chamo o Brasil de país médio porque todas as coisas funcionam de forma média, e sim porque vivemos sob extremos que tecnicamente se cancelam. Se você der sorte, pode passar anos vivendo num Brasil que funciona e quase parece um lugar decente, mas se a sorte te falhar um pouco que seja, está de volta num buraco de desorganização e desonestidade que desmotiva qualquer um.

Esse tipo de caso acontece em países como o Brasil, onde um tosco que se acha esperto ao ponto de enfiar milhares de reais na bunda ao ponto dos policiais perceberem tem uma das funções mais nobres da política nacional. É o cara das notas na cueca que aprova os novos juízes do STF, por exemplo. O país é uma zona o suficiente para dar poder para essa pessoa, mas não o suficiente para ignorar os esquemas óbvios de corrupção que fazem assim que eleitos.

É por isso que temos essas piadas. O Brasil é a tempestade perfeita para essas situações ridículas. Então, vamos rir. Custou para chegar aqui, e se a história nos ensina algo, é que não demora muito para perder até isso se baixarmos a guarda. Rir desse ser patético é nosso direito adquirido. É quase que uma demonstração de que não queremos voltar a um ponto abaixo desse, onde sequer ficamos sabendo quão absurda é nossa política.

Alguém vai chamar este texto de otimista. Talvez seja. Mas eu considero apenas uma constatação de onde estamos agora. O Brasil é um país que tem dinheiro, mas está no lugar errado… melhor do que não ter.

Para dizer que é só colocar o jornal no horário do humorístico, para dizer que vai reler o texto da Sally para rir com muito mais empolgação, ou mesmo para dizer que não concorda com a alocação de verbas nesse fundo: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comentários (18)

    • Avatar

      Capitão Impressionante

      “O filha da puta enfiou o dinheiro no raaaaaaaaaabo!” PAF! PAF! PAF! PAF! “E o dinheiro ficou todo sujo de meeeeeeeeeeeeeeerrrrrrrrrrrrrrrrrrdaaaaaaaaaa!” PAF! PAF! PAF! PAF!

  • O cara levou a expressão “encher o cu de grana” a outro patamar, literalmente.

    Fico imaginando a cara do policial sendo obrigado a lidar, por fazer parte da profissão, com esse tipo de indignidade. É aquele tipo de coisa que se contar, ninguém acredita.

    • Mesmo vendo a notícia eu custei a acreditar, Fernanda. A coisa toda é surreal demais. É como a Sally disse no texto dela: “esse grau de baixaria não tem em qualquer país não”.

    • O meu constrangimento para explicar a notícia para a minha família, em outro país, quando me perguntaram os motivos do cara ter escolhido o cu para enfiar o dinheiro… O Brasil é difícil de entender.

  • O mais legal é o gaguejamento e o contorcionismo retórico-psico-jurídico-social-pseudo-lógico com que o núcleo duro do boçalnarismo raiz (incluindo gente próxima como parentes daquela imbecil de carla merdelli) tenta desvincular o corrupto cu sujo do pascácio que ocupa o cargo máximo desse paiseco lixento e isentá-lo de qualquer culpa, ao mesmo tempo em que desvia o assunto pro conjunto de temas cíclico-vicioso deles: comunistas, dória, “vírus chinês” ou qualquer outra nova teoria de conspiração que, ultimamente, tem surgido a cada minuto. É um modus operandi que já se tornou típico nos meios bozonaristas nos quais, muito a contragosto, sou obrigado a transitar, por necessidades diversas. E o mais bonitinho é que os mais “inteligentes” desse meio têm sempre uma respostinha na ponta da lingüinha quando você tenta fazer qualquer contestação ou jogar o óbvio na cara deles. É que sou muito caga-baldes pra tudo, porque senão já tinha empalado uns dez!

  • Eu esperei o fim do experime-, quero dizer, da Quarentena crente de que vocês escreveriam algo sobre!
    Ainda bem que me retirei das redes sociais, pois devem estar cheias de “e agora bolsominiú? eça culpa naum carrego” versus “mas e o petê, que botô dinhêro na cueca primêro?”. É um exemplo perfeito daquilo de “dois lados da mesma moeda” que rege a maioria crescente desse país: políticos, militantes e intelectuais de cabaré que se apresentam como virtudes em pessoa, mas, no final, tudo que arrancam dos anais (ops, não resisti) de sua existência é a mesma merda de sempre: corrupção, desvio de dinheiro, ocultação de patrimônio, etc. Já não importa mais o lado, o Brasil virou exatamente o que esteve cultivando nos últimos, sei lá, trinta anos: uma bunda. Esquerda e direita são as nádegas, o cu é onde brasileiro toma.
    E, como se não bastasse esse causo, aparentemente tem até coronel “cristão, tradicional e de família” (ou seja, provável puritano adepto do pensamento “gente que dá o cu ou chacoalha a bunda em carnaval é a causa da degeneração da nossa sociedade!”) agradecendo a Deus por plástica na bunda…

    • “Esquerda e direita são as nádegas, o cu é onde brasileiro toma.” Definição curta e grossa! Não poderia concordar mais, Ana94. Frase lapidar.

  • Cade o link do video do fdp de quatro tendo o dinheiro retirado do cu??
    Desse jeito vou ter que cancelar minha assinatura.

    Eu sou muito inocente gente. Li no jornal “dinheiro entre as nadegas” pensei que era na cueca porque não custava nada o jornal ter escrito “dinheiro no ânus” ânus é uma palavra feia, mas paciência, é uma parte do corpo. Até a imprensa tentou passar um pano nessa merda.

  • O curioso é que o Brasil, apesar de “muh território grande” e “muh PIB alto”, é bastante irrelevante e desconhecido internacionalmente. Eu sempre achei exagero quando as pessoas falavam isso, mas me toquei quando estive conversando com um estrangeiro sobre política. Uma hora mencionei sobre a crise de refugiados venezuelanos e ele não fazia ideia de que isso estava acontecendo.

  • A maré vai baixar e vai deixar escancarado que o Brasil ta parado faz pelo menos uns 30 anos existindo na base da gambiarra e perdendo toda oportunidade que tem pra sair da merda e ser a real potência que deveria ser. A última da vasta lista de oportunidades perdidas: O mundo inteiro tirando seu parque industrial da China e o Brasil não se preparando com reformas estruturais profundas para criar um ambiente favorável para receber pelo menos parte destas indústrias…

    Na real a macro história econômica do Brasil é só vôo de galinha, 1-5 anos de crescimento pra 10-15 de estagnação. Isso desde o império. Nisso ficamos na ilusão eterna de que vai decolar, mas o foda é que galinha não voa.

    • “Na real a macro história econômica do Brasil é só vôo de galinha, 1-5 anos de crescimento pra 10-15 de estagnação. Isso desde o império. Nisso ficamos na ilusão eterna de que vai decolar, mas o foda é que galinha não voa.”Não poderia ter dito melhor.

  • Não vai rolar hard reset enquanto não houver algo que abale o conforto do cidadão comum, enquanto der pra fazer churrasco na laje a putaria segue e o sistema continua funcionando

    • E se não der, se vira nos 30 porque o pessoal na alta roda não tem dó não.
      Pra descer tiro, porrada e bomba pra certos fulanões que abusam do poder que tem mostrarem que eles é quem mandam na parada, pouco custa. Democracia é uma mentira vendida aos incautos para manter as aparências e a situação não ficar ainda mais afundada do que já está.
      Tem cada coisa podre sendo devassada na política BR que só mostra o nível de baixaria que existe nesse verdadeiro VALE TUDO pelo poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: