C.U.radoria de Conteúdo: Deepnude.

Final de mês, C.U.radoria de conteúdo… Vamos ver o que o espírito de porco escolheu dessa vez?

Anônimo
09/03/2021 às 23:31

Cu, manda o nerd explicar pra gente como é que faz aqueles deepnudes??

Bom, pelo menos tem uma parte técnica dessa vez. Como muitos de vocês ainda transam, acho que preciso explicar: deepnude é um nome pelo qual se popularizou a tecnologia de usar inteligência artificial para modificar fotos de pessoas vestidas de forma a deixá-las nuas. E quando eu digo pessoas, eu estou falando mulheres.

Desde que o Photoshop existe, pessoas fazem montagens tirando a roupa de mulheres famosas ou colocando sua cabeça no lugar de uma atriz pornô. E na internet, eu lembro de ver montagens desse tipo desde o tempo da conexão discada. A ideia de usar edição de imagens para criar pornografia de uma pessoa não é uma novidade, mas a dificuldade de chegar nesse resultado diminuiu absurdamente desde então.

No começo, há mais de um século atrás, só quem tinha capacidade de desenhar podia fazer algo do tipo. Já tinha quadrinhos pornográficos com celebridades de Hollywood desde os anos 1920! E eu não duvido que alguns pintores mais talentosos não tenham feito coisa do tipo por vários e vários séculos. É até possível que pinturas famosas com mulheres nuas sejam variações dessa prática: vai saber se o artista não usou uma mulher para o corpo e outra para o rosto?

Mas como eu disse, a barreira de entrada para essa forma de nudez artificial foi desaparecendo com o avanço da tecnologia. E a quantidade de pessoas capazes de produzir esse tipo de imagem significou o aumento do número de mulheres desnudadas sem seu consentimento. Até pouco tempo atrás, a habilidade com o Photoshop era a última barreira: tem diferença considerável entre o que um iniciante e um especialista conseguem fazer nesse caso.

Ninguém acreditaria numa montagem feita por um leigo, eles sempre esquecem detalhes básicos como acertar a iluminação das duas fotos misturadas (o rosto está com luz vinda de cima, o corpo com luz vinda do lado) ou como fazer uma conexão realista entre a pele exposta real e a pele exposta da foto misturada. Alguém com experiência como eu reconhece todas as montagens feitas por amadores e quase todas feitas por profissionais. É relativamente difícil de fazer e não costuma ficar muito realista.

Mas a inteligência artificial vem para mudar esse jogo. Ao invés de misturar fotos de uma pessoa vestida e uma pessoa nua para gerar a impressão que a pessoa vestida está nua, ela desenha por cima da foto da pessoa vestida. O computador pode se dar ao trabalho de mudar cada pixel da foto, coisa que um humano jamais conseguiria fazer com a mesma qualidade.

Isso significa duas coisas: a maioria das pessoas se torna capaz de fazer uma dessas montagens de alta qualidade e a dificuldade de saber se a foto é real ou não começa a ficar cada vez maior.

E como funciona? Bom, são redes neurais na maioria dos casos. Redes neurais são programas de computador que tentam resolver os problemas entregues a elas por um misto de força bruta e pressão evolutiva. Explico: o programa primeiro aprende o que a pessoa quer dele, mas ainda não sabe como fazer, então ele começa a tentar de tudo para chegar nesse resultado. Com o passar do tempo e às vezes bilhões de tentativas, ele vai aprendendo o que funciona e o que não funciona, normalmente com um ser humano do outro lado dizendo se deu certo ou não.

A rede neural não tem conceito de nudez, só sabe que nas fotos com mulher pelada, existe uma maioria de pixels cor de pele, com algumas concentrações de outras cores em lugares chave. Ela recebe uma foto de uma mulher vestida e vai tentando trocar os pixels da roupa por pixels de pele, lembrando de algumas regras como criar seios separados, adicionar mamilos, pelos pubianos, etc.

Como eu disse em outro texto sobre redes neurais, o código que a rede neural usa para chegar nesse resultado nasce aleatório, mas vai aprendendo com o tempo. Atualmente, elas já conseguem gerar alguns resultados realistas, mas dependem muito da foto inicial colaborar: é mais fácil tirar um biquini do que um casaco! A inteligência artificial não sabe de verdade que está desenhando uma mulher pelada, e sim que faltam seios e genitália naquela foto… ela vai colocar isso, faça sentido na foto ou não.

O que ainda está segurando o deepnude é a quantidade imensa de processamento necessário. O computador precisa trabalhar bastante para alterar uma foto pequena, e mesmo assim, costuma errar mais do que acertar na média. Você reconhece uma foto editada por inteligência artificial pela baixa resolução (os pixels parecem bem visíveis) e detalhes como mamilos borrados (o computador não sabe o que é um mamilo).

Para vocês terem uma ideia, eu já vi vários exemplos até hoje e nenhum deles chegou perto de me confundir. Se você sabe que deepnude existe, é mais fácil perceber os problemas da foto. Mas muita gente não entende quase nada de edição de imagens e menos ainda de redes neurais, nos últimos meses eu já comecei a ver fotos que podem enganar leigos. Especialmente os que estão com muita vontade que aquela foto seja real…

Sem querer ser alarmista, mas já sendo: eu imagino que em uns cinco anos essas imagens comecem a confundir pessoas como eu. E quando isso acontecer, a imensa maioria das pessoas já não vai mais saber como diferenciar a foto real da foto modificada. Se tem mulher pelada e pornografia envolvida, podem ter certeza que vai ter milhares de homens trabalhando na tecnologia sem parar.

E mais: edição de imagens e vídeos por inteligência artificial sem fins pornográficos é uma indústria que não para de crescer. Tudo o que for descoberto por quem não está nessa para tirar roupa de mulheres em fotos e vídeos vai ser utilizado para tirar a roupa de mulheres em fotos e vídeos. Talvez até comecem a trabalhar em homens (muito embora quem gosta de ver pinto nunca vá ter dificuldade de ver um se sair pedindo por aí).

A tecnologia já está avançada, e vai continuar evoluindo a cada minuto dos próximos anos e décadas. Talvez num mundo cada vez mais isolado e avesso ao contato humano, torne-se substituto da coisa real para milhões de pessoas. Eu não estou falando só de desenhar peitos numa foto, estou falando de editar vídeos, criar modelos 3D de uma pessoa, colocá-la numa simulação em realidade virtual…

Eventualmente, bastará que uma mulher poste meia dúzia de fotos suas na internet para qualquer tarado ter uma simulação realista dela numa cena pornográfica, bastando um clique para chegar no resultado. Sim, não é a coisa real, nem mesmo é o vídeo de uma coisa real, mas se eu aprendi algo com tantos anos de internet, é que o ser humano tem uma capacidade assustadora de não depender da realidade para saciar seus instintos sexuais.

Vocês vão ouvir e ler cada vez mais sobre o tema, porque o avanço tecnológico é inevitável. Dado tempo suficiente, talvez muitos de vocês tenham problemas com isso, seja você mulher ou um homem com uma mulher próxima vitimada por uma montagem dessas.

Eu poderia entrar na onda das pessoas chamando tudo isso de um absurdo, dizendo que é uma forma de estupro, etc. Sim, eu concordo que é uma sacanagem com a pessoa que tem sua imagem violada dessa forma, mas eu prefiro ser realista e falar do problema da forma mais honesta possível: não adianta reclamar das pessoas que estão fazendo isso, não adianta passar lei proibindo a tecnologia, não adianta nem tentar envergonhar quem faz uso dela. Vai acontecer.

Repito: vai acontecer. Pode chamar de patético, pode chamar de estupro, pode falar o que quiser. A humanidade não consegue parar nem a pornografia infantil, algo que enfurece a imensa maioria das pessoas… tenham certeza que não vai conseguir parar pornografia simulada. Não tem choro, não tem apelo ao bom senso das pessoas fazendo isso.

Por isso, meu foco é em te ajudar a ajustar sua mente para o que vem por aí. Não tenho dúvidas que é no mínimo antiético distribuir imagens alteradas de mulheres desnudadas por inteligência artificial, mas isso não muda o fato que eventualmente pode acontecer com você ou com uma mulher com a qual você se importa. Lembre-se do efeito Streisand: quando você tentar esconder uma coisa da internet, a coisa fica imensamente mais popular. Quando maior o escândalo que você fizer ao redor do tema, mais gente vai compartilhar a imagem ou o vídeo.

Se acontecesse com uma namorada minha, eu provavelmente ia querer matar de porrada a pessoa que fez, mas para isso é importante encontrar a pessoa primeiro. Lembre-se que ameaça pela internet e nada são a mesma coisa. Tente achar a fonte, e nesse meio tempo faça todo o esforço possível para não chamar mais atenção para você ou para ela. Infelizmente pode acontecer de você nunca achar a fonte, especialmente se já foi compartilhado por muita gente. Aí, sinto muito dizer, o melhor é baixar a bola e esperar as pessoas se animarem com outra foto falsificada.

Tente manter na cabeça que é não é a coisa real, é um desenho feito por cima de uma imagem verdadeira. Se você tiver sangue frio suficiente, pode até brincar com isso e dizer que não está realista. Isso já deve desanimar muita gente. Longe de mim exigir frieza nessa hora, mas se conseguir, provavelmente a coisa deixa de ser tão problemática. Dica: encontre a foto original e deixe-a a mais pública possível. Isso pelo menos evita que os mais imbecis continuem dizendo que a montagem é real.

E provavelmente ajuda o fato que se isso começar a ficar muito fácil de fazer, vai ter tanta foto e vídeo alterado circulando que ninguém mais vai acreditar em nada. Se você puder se esconder na multidão, melhor ainda. É impossível impedir que uma pessoa faça uma montagem dessas para consumo próprio, não deixa de ser a mesma coisa que alguém imaginar uma mulher nas próprias fantasias.

Pode não ser muito popular o que eu vou dizer, mas vai lá: não adianta reclamar do deepnude, ele vai ficar cada vez melhor e mais fácil de usar. Vai ser mais uma dor de cabeça do mundo conectado, e quanto mais rápido isso acontecer com a maior quantidade possível de mulheres, menor vai ser o impacto em indivíduos. Eu sinceramente acho que é melhor não botar muita pressão em desenvolvedores de programas do tipo, porque se ficar restrito, as pessoas vão demorar muito tempo para saber que isso existe e muita mulher vai sofrer com excesso de holofotes quando uma montagem sua aparecer por aí. É melhor que aconteça logo, com milhões delas, ao ponto de ninguém mais dar bola.

É patético? É. Mas vivemos numa era onde milhares de mulheres ao redor do mundo descobriram que podem se prostituir virtualmente e ganhar muito dinheiro sem sequer ver seus clientes. Esse é o século XXI. Acostume-se com o patético, porque ele veio para ficar.

Para dizer que eu estraguei a baixaria do texto, para dizer que eu não te ensinei a fazer (um segundo de Google, anta), ou mesmo para dizer que vai começar a postar fotos pelada e dizer que é deepnude: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Desfavores relacionados:

Etiquetas: , ,

Comments (16)

  • Eu fico impressionada com a repercussão que nudes ainda geram, gente nua na internet é o que mais tem. Muitas famosas e famosos mesmo quando vestidos estão o tempo todo postando fotos bem pornográficas, publicidades e clipes dignos de prêmio pornô também tem aos montes. Pq as pessoas (homens em especial) ainda se alvoroçam? Vc acha que é só instinto msm?

    • Mas aparentemente não tem nerds o suficiente para programar. Tem que rolar um programa de incentivo à nerdice na sua comunidade.

    • Não faz, gente que quer acreditar numa coisa ignora qualquer evidência. Mas quem tiver um mínimo de bom senso vai ver saber que é deepnude.

  • A quantidade de estimulo sexual que a sociedade joga na nossa cara o tempo todo é bizarra, é quase impossível você entrar na net e não ver estímulo sexual… e como vende vai produzindo mais. Não é a toa que tanta gente hoje tá perdida na putaria, na pornografia etc. É meio que o caminho natural, levando em conta o cenário.

    “ahh quer dizer então que você é o auge da pureza?”
    Eu não, infelizmente não, queria eu. Mas eu reconheço a situação.

    Uma vez eu li uma história de um suposto monge grego que supostamente viveu num monastério desde recém-nascido e viveu a vida toda sem nunca ver uma mulher. Não sei se é real essa história, mas parei pra pensar. Esse cara não tinha estimulo sexual nenhum, não tinha esse tormento que a maioria das pessoas tem, a mente dele devia ser tranquila.
    Lógico que é um exemplo extremo, não que eu ache que isso é o correto ou que eu queira isso pra mim. Mas é algo a se pensar, será que ele vivia melhor que a gente? Será que vivia pior? Será que existia um desejo reprimido que fudeu a cabeça dele?

    E o irônico é que eu faço essas reflexões justamente porque eu sou um fracasso na pegação. Se eu tivesse tido sucesso, se eu estivesse nas baladas pegando 10 mina por semana, certeza que esses pensamentos nem iam passar pela minha cabeça, eu ia estar 100% consumido pelo prazer.

    • Por isso que é tão importante encontrar o equilíbrio das coisas. O ser humano tem um impulso sexual, não adianta fingir que ele não está lá, mas… se a pessoa ficar viciada nisso, é claro que vai fazer mal.

      Uma das poucas coisas que eu concordo no conservadorismo é controlar o acesso desenfreado à pornografia e estímulos sexuais em geral. O povo perde o controle.

  • >tire uma selfie
    >use o FaceApp pra editar seu rosto e virar muié
    >monte a sua versão muié com deepnudes
    >forje várias fotos
    >?????
    >profit

  • “Como muitos de vocês ainda transam… ” – Olha só o jeito que começa o texto? hahaha
    Quer dizer que o Somir já não transa mais? Evoluiu, foi? haha

    Zoeiras à parte, só acho que, dada a pergunta nas sugestões, estava imaginando mais um texto do tipo tutorial mesmo com direito a descrição detalhada nível “clique aqui na camada assim assado pra enfiar pelo na buceta”…

    • Não tem tutorial porque você coloca uma foto, aperta o botão e recebe de volta uma mulher pelada (mesmo que coloque homem, é hilário).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: