Eu queria estar lavando as cuecas do meu marido no tanque.

Talvez muitos de vocês (principalmente aqueles que me conhecem melhor) estejam surpresos com esta afirmação. É verdade, é de coração: eu queria estar lavando as cuecas do meu marido no tanque. Mas, em vez disso, trabalho em dois lugares diferentes, cerca de 12h por dia, vou para a academia, escrevo blog e tento me manter minimamente informada do que acontece no mundo, e, quando dá, esboço uma vida pessoal. Continue lendo

Como alguns de vocês perceberam, Somir esqueceu de postar a coluna “A Semana Desfavor”, fruto de um árduo trabalho meu de garimpar dez páginas de notícias que sejam verdadeiros desfavores durante a semana. Foram sete horas da minha semana (sim, gasto pelo menos uma hora por dia) perdidas. Ao confrontá-lo, ainda tive que ouvir que “ninguém lê isso”, que eu estava exagerando e que “ninguém vai sentir falta se não postar”. Pois bem, ele estava enganado e fez o (des)favor de me deixar duplamente puta: 1) pelo furo 2) por dizer que a coluna que me dá um trabalho do caralho é dispensável e ninguém lê.

Por isso, achei que este deveria ser um Free Hugs Power. É hora de fazer algo novo, e como sempre digo, o novo não precisa ser algo nunca antes feito por ninguém, ele pode ser fruto de combinatividade, juntar duas coisas ruins para conseguir uma terceira, diferente, e pior ainda…

Aguardem. Em breve ele será punido e desta vez, eu também vou rir da cara dele.

Sou do tempo em que havia duas orientações sexuais: hetero ou homossexual. Se você gostava apenas de pessoas do sexo oposto era hetero, se por um acaso calhava de gostar (ou gostar também) de pessoas do mesmo sexo era homossexual. Entendo que nem sempre as coisas são preto no branco e que existem zonas cinzentas mas, vamos combinar, a orientação sexual das pessoas está virando marketing pessoal. Dezenas de classificações estranhas e desnecessárias vem sendo criadas e fica muito difícil de acreditar que o objetivo seja realmente abraçar a todas as categorias. A orientação sexual deixou de usar como parâmetro o sexo que te desperta atração para usar outros critérios muito subjetivos e duvidosos. Continue lendo