+O curador da exposição “Queermuseu — Cartografias da diferença na arte brasileira”, Gaudêncio Fidelis, se diz alarmado após o cancelamento da mostra, no último domingo. O Santander Cultural, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, anunciou o cancelamento da exposição após protestos na instituição e nas redes sociais contra o conteúdo da exibição.

E ninguém aprende a lição. Liberdade de expressão significa “o que eu quero pode e o que eu não quero é crime” na cabecinha do BM. Desfavor da semana. Continue lendo

+Nos últimos dias, uma nova “bomba” atingiu o mundo político brasileiro com a revelação de um novo áudio (ouça acima na íntegra) envolvendo os executivos da JBS, Joesley Batista e Ricardo Saud, que colocou em risco o próprio acordo de delação dos dois. Na noite de terça-feira (5), o ministro do STF, Luiz Edson Fachin, derrubou o sigilo da conversa, revelando tudo daquele encontro entre os dois.

+

+O ex-ministro Antonio Palocci prestou depoimento nesta quarta-feira ao juiz Sergio Moro, em processo da Operação Lava Jato, e deixou em situação delicada o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem foi uma espécie de braço-direito: afirmou que o petista tinha conhecimento e incentivou o esquema de corrupção na Petrobras e que firmou um “pacto de sangue” com a Odebrecht, que lhe rendeu benefícios pessoais e 300 milhões de reais para financiar suas atividades políticas e do PT.

Não deu tempo nem de respirar direito, o mar de lama da política brasileira continua em maré alta. Desfavor da semana. Continue lendo

+A escritora Clara Averbuck publicou no início da tarde desta terça-feira (29) um vídeo em seu perfil no Facebook sobre a denúncia de estupro que sofreu de um motorista de Uber. No vídeo, ela aparece com o olho roxo e um machucado na testa. A empresa de aplicativo de transporte baniu o motorista dos seus quadros.

Que esse tipo de abuso ainda aconteça é um tremendo desfavor, mas a forma como foi divulgado e as reações ainda garantem um nível a mais: desfavor da semana. Continue lendo

+A Eletrobras, Casa da Moeda e a Lotex, braço da Caixa Econômica Federal para loterias instantâneas, foram incluídas na lista de privatizações do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), segundo documento distribuído pelo governo à imprensa nesta quarta-feira.

Adivinhem só se não começou o chororô de “estão vendendo o Brasil”? O que nós achamos? Achamos é pouco. Desfavor da semana. Continue lendo