Amigo Cueca, nem precisa ler este texto, isso não acontece com você. Se quiser, leia para aconselhar aquele seu amigo cof! cof! quando isso acontecer com ele.

Ok, broxar acontece. Ainda não entendo muito bem porque, mas acontece. Tudo bem. Broxar, em si, não é o problema. O problema, como tudo nessa vida, é o desfavor. Porque depois da broxada sempre se seguem alguns DESFAVORES clássicos. E é incrível como são sempre os mesmos! Quando homem nasce deve receber uma cartilha com uma série de frases feitas.

Alguns Zé Ruelas já me perguntaram “Mas Sally, porque vocês se incomodam tanto com isso? Afinal, o vexame é nosso…”. Negativo. É um trabalho de equipe, mesmo que a mulher não tenha culpa nenhuma, a derrota pesa nela também. Além disso, vocês não são os únicos que ficam frustrados ao voltar para casa sem sexo. Leiam meu texto Bastidores e imaginem só a reação de uma mulher, depois de passar por tudo isso, ao voltar para casa com um episódio desses nas costas! É quase como chegar na final da Copa do Mundo e perder – em casa.

No fundo acho que toda mulher se pergunta onde foi que errou. No fundo, na rodinha de chopp com as amigas e na comunidade antiga no Orkut. A gente fala mesmo. Por mais que na hora a gente diga que está tudo bem, que não precisa se preocupar com isso, fazemos sim uma retrospectiva mental para entender onde foi que erramos.

E não se enganem: poucas são as mulheres que não comentam uma broxada.

Peço encarecidamente aos Cuecas que estão lendo que nos poupem desses desfavores listados abaixo, porque a broxada em si já é suficientemente constrangedora para a gente:

DESFAVOR 1 ISSO NUNCA ME ACONTECEU ANTES

VOCÊ, Cueca, que está lendo nosso blog: Não diga esta frase. NÃO DIGA ESTA FRASE. Muito menos precedida de “Se eu te disser uma coisa, você não vai acreditar…” porque aí fica ainda mais clichê. Mesmo que realmente tenha sido a primeira vez em toda a sua vida que você broxa, ahãn… não diga porque a frase soa falsa e mentirosa. Parece que você está debochando da nossa inteligência. Dá uma importância maior ao evento, sabe? A gente pensa “Ai meu Deus! Ele nunca broxou antes e broxou justamente comigo? Onde foi que eu errei?”. Prefiro acreditar que o sujeito é um broxador habitual do que eu sou ruim de cama ou estou fora de forma.

DESFAVOR 2 – A CULPA É DAS CONDIÇÕES TÉRMICAS

Tem uns que alegam que foi por causa do calor. Não dá para fazer sexo no calor? Se fosse assim ninguém fazia sexo na praia, nem em um acampamento, nem em um ofurô. Aliás, se fosse assim, toda a população abaixo do equador estaria extinta. Sem contar que homem é tudo descompensado térmico! Tá um frio de lascar e eles estão ali, suando e comentando como está quente! Motel. Ar condicionado a 18º. Ambiente mais gelado que cu de foca, e o Zé Ruela, todo suado, solta que a culpa é do “calor”! Complicado, né? Com frio, frio de verdade, eu não tenho muita experiência, mas acredito que também não baste para impedir um casal “na intenção”. esquimó faz sexo, né? Não consigo aceitar que condições térmicas justifiquem uma broxada. Na verdade acho que nem eles mesmos sabem explicar bem e ficam procurando uma justificativa.

DESFAVOR 3 – A CULPA É SUA

Pois é, ainda tem desses. Ficam meio intimidados porque aquela mixaria não subiu e se voltam contra a mulher com qualquer pretexto. Nem preciso comentar, né? Essa sub-raça acha que a melhor defesa é o ataque. E ai de você se tentar contestar. Deixa ele… com maluco não se conversa, maluco a gente interna.

DESFAVOR 4 – NEGAÇÃO

Você para no meio e faz um comentário tipo “Deixa pra lá, melhor a gente tentar mais tade” e ele se faz de ofendido, como se estivesse tendo A Ereção. Ele nega que esteja acontecendo alguma coisa. Está tudo ótimo. Se bobear ainda te chama de maluca! Fica ofendido com você e solta um “É, agora depois desse seu comentário, não dá mesmo”. Ora, que bonito! Ele faz parecer que seu comentário foi CAUSA e não CONSEQUÊNCIA da broxada dele! Acho até que eles chegam a acreditar nesse discurso. Patético.

DESFAVOR 5 – TENTAR ATÉ A MORTE

Com medo do efeito citado no Desfavor 4, você percebe que a coisa não está fluindo mas fica calada, melhor ele desistir voluntariamente assim não sobra para você. Mas…quem disse que ele se convence? A cada segundo que passa a situação fica mais constrangedora. Você ali, tentando seu melhor desempenho, sentindo aquela vergonha alheia por ele, e ele insistindo em protagonizar esse vexame como se nada estivesse acontecendo. Quando mais passa o tempo, mais complicado abrir a boca para falar alguma coisa. E você lá, se esforçando para ver se ressuscita o dito cujo. SE conseguir reverter a situação, provavelmente vai ser aquela foda meia-bomba, mais para constar mesmo, só para se livrar do estigma de ter broxado, mas cá entre nós, é pior ainda. Você vê aquela carinha de esforço dele, aquela concentração para conseguir manter aquela mixaria parcialmente de pé. Um pouco menos e entrava dobrado. Francamente, fazer sexo deveria ser um prazer, não um esforço…

DESFAVOR 6 – GRANDE DESABAFO

Broxou. Assumiu. Quando você pergunta o que aconteceu, segue-se um relato detalhado dos problemas que assolam a vida da criatura, alguns até choram. Se for seu namorado, marido ou se tiver intimidade, tudo bem. Se não, tudo péssimo. Leiam o texto Bastidores e pensem na nossa alegria depois de passar por tudo isso, além de voltar para casa sem sexo, ainda tivemos que ouvir uma serie de coisas constrangedoras que não nos diziam respeito. Por isso, só abra seu Coraçãozinho Broxa com que você tiver intimidade, Meu Amigo Cueca, porque do contrário, você será um fardo. Explicar sim, desabafar não.

DESFAVOR 7 – LONGO SILÊNCIO

Esse é terrível… Não deu, você fez até malabares com fogo naquela cama, mas não deu. Ai você, humildemente resignada, deita do lado dele sem falar nada. E fica aquele silêncio chato, aquele cheiro de merda no ar! E vem o efeito bola de neve, quanto mais tempo calados vocês ficam, maior a dificuldade de alguém quebrar o silêncio. E o desconforto aumenta. Impossível piorar (mentira, se um dos dois peidar pode piorar sim). Mesmo que ambos durmam, em algum momento vão ter que falar sobre isso. Não falar faz do assunto um tabu e lhe dá uma importância maior do que a que ele realmente tem. Cuecas, a culpa do mal estar é de vocês, cabe a vocês quebrar o silêncio! Vale tudo! (menos peidar), sei lá, conte uma piada, o que for, só não deixe o silêncio de prolongar!

DESFAVOR 8 – FALAR DA EX

Meu Amigo Cueca, você broxou porque estava pensando na ex? Broxou porque está com culpa de estar traindo sua atual namorada ou esposa? Não tem necessidade de contar isso para a gente. Eu não achava nem que precisaria mencionar isso, não fossem tantos os casos que escuto todo santo dia, ao vivo e por e-mail, narrando homens que fazem isso. Diga outra coisa, diga que está preocupado com um problema no trabalho ou que está endividado.

DESFAVOR 9 – GRIPADO

Bacana… não só nos faz voltar para casa sem sexo, como também ganhamos de brinde alguns germes! Muito bacana! Da próxima vez que estiver gripado nos poupe desse desfavor e só nos ligue cinco dias depois, que tal? Melhor para você, Amigo Cueca, que não dá vexame, e melhor para nós que preservamos nossa saúde.

DESFAVOR 10 – FALAR DO PÊNIS NA TERCEIRA PESSOA

Gostamos de ouvir uma explicação, mas não se esqueça que foi você quem broxou, não “ele”. Não se refira a seu pênis na terceira pessoa, como se fosse um ser autônomo naquela cama, porque não é. Dá vontade de rir quando vem uma explicação séria com o homem se dissociando do evento. Só se fala do pênis na terceira pessoa em caso de uma brincadeira (ainda assim, de gosto duvidoso para muitas). Ou então fale na terceira pessoa e permita que a gente ria sem você se ofender.

A essa altura, devem estar pensando que somos impossíveis de agradar! O que fazer?
Bom, eu só faço sexo com pessoas com as quais eu tenho muita intimidade, então, a situação fica menos dramática, porque a pessoa me conhece minimamente bem para saber o que me aborrece e o que não. Se você tem intimidade, avalie o que será menos constrangedor para essa pessoa. Se não tem, manda um “Foi mal ae… estou com uns problemas… achei que ia conseguir deixar eles do lado de fora do quarto mas não deu”.

E pague a conta do motel, né desgraçado?