O axioma é um termo da lógica que significa uma afirmação básica sobre a qual se constrói sua ideia. Normalmente é baseado em algo óbvio ou um consenso entre a maioria das pessoas, ou seja, algo que você não precisa ficar provando toda vez que quer falar sobre um tema. Descrevendo assim parece um conceito complexo, mas é algo absolutamente natural a qualquer conversa entre duas pessoas. Sem axiomas, não nos entendemos, porque com premissas muito diferentes, as conclusões costumam ser também muito diferentes. E eu acredito que esse conceito é muito importante para lidar com toda essa questão de mídia manipuladora e fake news que assola a sociedade moderna.

Continue lendo

Embora Nicolau Copérnico (1473-1543) provavelmente não tenha sido o primeiro ser humano a considerar que a Terra não era o centro do universo, é sua teoria do Heliocentrismo que fica registrada nos livros históricos como primeira menção da ideia. Mais do que transferir o ponto central do universo para o Sol, o astrônomo e matemático polonês também colocava em xeque a importância do ser humano para a existência… de tudo. Dá para imaginar como foi difícil para as pessoas aceitarem isso.

Continue lendo

Quase todo presidente que cumpriu seu mandato tem uma montagem do seu rosto ao entrar no governo e uma ao sair. Normalmente a primeira demonstra força e confiança, e a segunda uma face quase que irreconhecível de tão envelhecida e abatida. Especialmente se tiver sido reeleito uma vez durante esse processo. Oito anos não costumam mudar tanto assim a imagem de uma pessoa de meia-idade, mas parecem destruidores para quem assume o cargo mais poderoso de um país…

Continue lendo

A verdade é insustentável sem um consenso. Por mais que você queira acreditar em uma coisa, se ninguém mais concorda com você isso vai se tornando progressivamente mais incômodo, normalmente até o limite da sua sanidade. Somos seres sociais, isolamento em qualquer aspecto da vida costuma ter um preço muito caro para nossa qualidade de vida. Mas eu aposto que você nem deve pensar muito nisso dos dias atuais… especialmente se você tem acesso constante à internet.

Continue lendo

Há uns 15 anos atrás, eu adorava discutir na internet. Claro que alguns temas eram mais queridos, mas a mecânica dessas discussões eram a parte mais divertida: argumentar, contra-argumentar, provocar, criar armadilhas lógicas, encontrar contradições, desvirtuar o discurso do adversário, usar e apontar falácias… eram tantas as possibilidades que parecia que isso nunca ia perder a graça. Mas só parecia.

Continue lendo