Olá Gente Bonita!

Como vocês sabem, semana que vem é o aniversário do Desfavor e vocês são convidados de honra desta festa sádica. Depois de nos brindarem com o maravilhoso presente de ter que assistir e comentar o filme “Cinderela Baiana”, agora queremos convidá-los a participar de uma rodada de perguntas e respostas.

Funcionará da seguinte forma: Somir e eu responderemos a cinco perguntas cada um, feitas pelos leitores. Regras: não há regras. Podem perguntar o que quiserem.

Somir escolherá as cinco perguntas que eu tenho que responder e eu escolherei as cinco perguntas que ele tem que responder. O detalhe é que as perguntas serão respondidas em áudio e nós só saberemos quais perguntas o outro escolheu na hora da gravação, ou seja, no susto.

Não tem choro nem vela, é obrigatório responder na hora, sem evasivas. É obrigatório falar a verdade. É obrigatório responder a eventuais dúvidas que o outro tenha pertinentes a eventual resposta que não tenha ficado clara. Qualquer violação a estas regras é passível de punição.

Deixem suas perguntas nos comentários deste texto até a próxima sexta-feira, dia 17 de novembro de 2017, especificando a quem ela é dirigida. Podem deixar quantas perguntas quiserem, pode ser anônimo e podem deixar perguntas coringa para ambos.

+Brasil, o país onde pessoas acordam cedo para ver outras se fodendo.
SALLY
Um país onde é certo que pessoas perderão uma prova por atraso…
SOMIR
Consigo imaginar isso avançando com o tempo, numa gincana mortal para os atrasados transmitida ao vivo.

Continue lendo

Pouco mais de uma semana atrás, uma série de cartazes com os escritos “It’s ok to be white” começaram a surgir nos Estados Unidos. Principalmente nos arredores e dentro de grandes universidades. A frase, que pode ser traduzida (bem) livremente como “Não tem problema ser branco”, não deveria gerar nenhuma polêmica, não? Oras, é claro que gerou polêmica, é 2017! Continue lendo