O tema da semana é: Como se cuidar de um animal de estimação.

“Nossa, que polêmico…” *bocejo*

Não tirem conclusões precipitadas, leitores e leitoras. A forma como uma pessoa trata seu animal de estimação diz MUITO sobre a personalidade dela.

Se eu quisesse um brinquedo, eu escolheria um que não caga.
Começo assim porque diferentemente da sessão passada, esta coluna não trata de mulheres frescas e homens racionais. Esta trata de um ideal.

Um ideal que só homens conseguem expressar corretamente: Liberdade.

Liberdade de ser o que é, liberdade de tomar suas decisões e assumir as responsabilidades por isso. Quem acredita nisso coloca esse ideal em prática em todos os campos da sua vida.

E o seu animal de estimação é um reflexo direto do seu compromisso com a liberdade. Eu sempre preferi gatos a cachorros. Questão de gosto e questão de admiração pela espécie… Um gato não vive em sua função, um gato compartilha um ambiente com você.

Pra mim essa é a graça do animal. Ele é honestidade pura, ele é escroto quando quer, ele é carinhoso quando precisa e quando você o trata mal, ele some de perto de você. Eu gosto de desafios… Não tem a menor graça ser querido por um animal que vai gostar de você apesar de praticamente qualquer problema.

Fidelidade pra mim é mérito e não obrigação. Faz se quiser, porque se for por qualquer outro motivo, não vale nada.

Não estou advogando a causa de gatos serem melhores que cachorros, já tive cachorros antes e eles tinham personalidades incríveis. Sim, animais têm personalidades.

Eu adoro isso. A minha CARA companheira de blog não. Sally gosta de animais de estimação carentes e sem a menor fagulha de espontaneidade. Um desfavor…

Eu critico a Sally aqui, mas essa crítica pode ser estendida para a maioria das mulheres. Já perceberam como animal de estimação de mulher é um NOJO? Chatos, ciumentos, inseguros e vingativos. E isso é culpa DIRETA de vocês, CARAS mulheres.

Vocês já viram algum animal selvagem com FRESCURA? Eu não. Mas experimenta colocar um cachorrinho na mão de uma mulher para ver como ele vai ficar…

“Mas desde quando cachorro é animal selvagem, Somir?”

Comeram cocô? O que você acha que um animal irracional vai ser? Ele nasceu selvagem e vai morrer selvagem. O máximo que dá para fazer é ensiná-los formas de tornar a convivência com você mais frutífera e agradável.

Ou vai dizer que não acham o máximo quando o poodle cor-de-rosa pula na frente de um pit-bull raivoso para proteger o dono? ISSO SIM É A NATUREZA DO ANIMAL!
E não essa coisa ridícula e vergonhosa de cachorrinho de madame. Acho até que quando um cachorro tem que defender A donA ele deve ficar dividido.

“Devo fazer a coisa certa ou continuar sendo uma peça de decoração para continuar sendo amado?”

Sim, porque mulheres fazem isso. Fazem com animais irracionais e fazem com os racionais também. Só que os racionais ganham sexo ao invés de biscoitos quando deixam de seguir sua natureza…

Lembram que eu falei de fidelidade como mérito?
Qual a graça de ser amada por um animal que ficou tão INÚTIL que tem medo de ficar longe da dona por cinco minutos? Por que é isso que pessoas como a Sally fazem com seus bichos. Ela COM CERTEZA vai dizer que trata bem, nunca deixa faltar nada e que eu sou um monstro que não dá comida para o próprio gato. Tudo balela. Ela sabe que no final das contas, a única pessoa que realmente se importa com o bem-estar do animal sou eu.

Um gato, um cachorro ou um periquito, que seja… Nenhum deles é um brinquedo. Eles não são a sua Barbie para adultas. Eles são seres vivos com personalidades incríveis que podem ser desenvolvidas para o bem ou para o mal.

Exemplo? O meu gato, o Goiaba, que ilustra essa postagem.
(Sim, esse é o nome dele. Ele é um gato, animal irracional e está cagando e andando para o nome… Nisso eu posso fazer o que eu quiser.)

O Goiaba foi criado com a liberdade de sair quando quiser, de ficar perto de mim quando quiser e de tomar suas pequenas decisões. Resultado?

Ele nunca passou mais que algumas horas longe das vistas, NUNCA fez suas necessidades fora do lugar designado, está sempre limpíssimo e com o pêlo brilhante, nunca ficou doente, jamais arranhou ou mordeu alguém sem motivos honestos. (Por mais que ele precise ser pego pelo veterinário às vezes, eu acho justo que ele odeie…)

Goiaba tem personalidade, me cumprimenta com um miado toda manhã (UM miado), fica ofendido quando eu viajo, expulsa os gatos vizinhos do meu quintal, tem medo de crianças e ódio de veterinários. E ele gosta de mim. Não precisei forçá-lo em momento algum, simplesmente MERECI deixando ele ser ele e mostrando os limites.

Ah sim, Goiaba gosta da Sally também. Mas gosta porque manda nela. Ele foi criado para ser independente, mas não ignora carinho. Sally se derretia por ele, grudava no bicho e enchia ele dessas comidinhas viadas para gatos. Goiaba foi criado para ser esperto, ele que não ia deixar de explorar o elo-fraco da casa. Me mata de orgulho!

Agora, perguntem para a Sally o que os animais de estimação DELA fazem além de cagar em tudo quanto é lugar e dar escândalo por qualquer coisa…
Está na cara quem cuida melhor do seu animal.

Animal não é brinquedo.


Aposto que Madame tentou desmerecer minha forma de agir com animais de estimação. Típico.

obs: Madame = Somir

Eu tenho muito claro na minha cabeça que bicho é bicho e gente é gente. Não sou favorável a excessos no trato de animais de estimação e não acho que eles sejam um instrumento para suprir carência dos seres humanos.

Entendo como excessos você colocar um bicho na mesa de jantar para comer com você, dar beijo na boca do animal, pintar as unhas do bichinho, dar leite condensado para ele comer e vesti-lo com roupas ridículas. Se bem que, dependendo da raça e do lugar onde se vive, uma roupinha é NECESSÁRIA, pois animais de pêlo curto, especialmente cães pequenos, podem até mesmo morrer de frio. Mas tem uma diferença entre um casaco funcional e uma roupa de cinderela.

Respeitadas normas básicas de bom senso e higiene, não vejo a menor necessidade de manter um distanciamento frio do animal de estimação, como o faz a Madame de cima. Não vejo grandes dramas, por exemplo, em dormir com um gato aos pés da cama. Mas aparentemente isso é o fim do mundo, se no meio da noite seu gato sobre na cama e você não o chuta contra a parede, você é “Maluca, sem noção e Felícia”.

Não vejo problema em dar carinho a animais de estimação. Não vejo problema em dar carinho quando eles pedem. Animais tem necessidades afetivas. Se um gato ou um cão está pedindo sua atenção, não custa nada brincar dez minutinhos com ele. Quem pega um filhotinho e o separa de sua mãe deveria pensar muito bem nisso. Não é o animal que vai suprir sua necessidade afetiva, é VOCÊ que vai ter que suprir as dele, porque você o tirou de sua família.

Também entendo parte da responsabilidade de ter um animal cuidar dele. Estou maluca? Não, né? E quando falo em cuidar, me refiro a alimentar (que tipo de monstro esquece de dar comida para seu animal de estimação? S _ _ _ _ ), dar as vacinas necessárias (quem é o irresponsável que não vacina seu animal? S O _ _ _ ), dar banho nele (que tipo de pessoa porca não dá banho no seu bicho? S O M _ _ ) e mantê-lo em segurança (quem é que deixa seu animalzinho na rua, sumido por dias? S O M I _ ).

Alimentar, cuidar da saúde, da higiene e da segurança é ser fresca? Ok, então talvez eu seja.

Mulheres costumam ser mais sensíveis e ter mais facilidade para demonstrar afeto e carinho do que homens (exceto essa nova horda de homens com sutiã). Não vejo sinal de fraqueza em fazer meu animal feliz. Nem espero que o homem se porte da mesma forma que eu, só que ME PERMITA que eu me porte assim sem uma infinidade de deboches e ironias.

E para a relação com o animal (o de estimação, não o Somir) funcionar, o ser humano tem que ser o alfa da matilha. Animais precisam de limites, é assim que eles vivem na natureza. Então, quando seu namorado diz para você “Não dou banho no Goiaba porque ele não gosta” (Goiaba = um gato que vive em uma casa com quintal), é normal que você fique chocada. Como assim “não gosta”? E gato por acaso tem que gostar ou deixar de gostar de uma coisa que é necessária? No momento em que eu entrei na loja e comprei ele e o separei da mãe, cabe a mim zelar pelo seu bem estar e sua saúde. Ele VAI tomar banho, gostando ou não, porque quem sabe o que é melhor para ele sou eu.

É um verdadeiro desfavor gente que compra um animal de estimação e espera que ele viva da forma como mais lhe agrade. Se nossos cães fossem auto-suficientes, não estariam andando com coleiras. Se jogar veneno no chão, o cachorro come. Dá para lavar as mãos e dizer “Olha, ele comeu porque ele quis, a escolha foi dele, não posso fazer nada”?

O afeto “em excesso” só faz mal quando não vem acompanhado de disciplina. É um desfavor gente que pensa que tem que gostar “mas não muito” do seu animalzinho se não ele fica mimado. Pode gostar muito, dar carinho o dia todo, desde que coloque limites quando necessário (tipo, vai tomar banho mesmo se não gostar do banho).

O que Madame escreveu pareceu coerente? Pois então perguntem quando foi a última vez que Goiaba tomou uma vacina… ou melhor, perguntem SE alguma vez na vida esse gato já foi vacinado… E perguntem também o porquê… “Goiaba não gosta de subir no carro para ir ao veterinário”.

Depois sou eu que mimo os bichos, né? O gato não gosta de subir no carro? Qual a opção mais coerente: fazer valer sua condição de alfa e botar ele no carro, se preciso for, debaixo de cacete, porque é para o bem dele, ou deixá-lo exposto a doenças e expor a vizinhança também? Eu não mimo bicho, eu sou carinhosa e afetuosa, mas quando precisa, tenho pulso firme. Perguntem ao Goiaba, que era tido como “um gato quase-selvagem, impossível de dar banho” se ele não tomou vários banhos nos tempos de ouro do meu reinado por ali? Impossível? Impossível é meu cu! (com trocadilhos, por favor). Madame, com 1,80m acha impossível dar banho no gato, no entando, a mocinha aqui, com um metro e meio, lavou e passou o gato dele. Ainda sequei com secador.

Como o Somir, existem vários cometendo o mesmo erro! Peço aos homens adeptos desse entendimento equivocado que reflitam e tratem melhor seus animais de estimação, porque o segredo para uma boa educação não é economizar na atenção e no carinho e sim se dar ao trabalho (porque é um trabalho do cacete) de educar. É muito mais fácil e cômodo dizer “Ele não quer…”. Mas criar um animal dá trabalho, se não quer trabalho nem tente. Existem coisas que independem do querer do animal, o querer do dono é soberano. Caso contrário, cuidado, em breve seu animal pode estar te levando para passar em uma coleira…

Eu sinto falta do Goiaba…

Antes de qualquer coisa, Sally e Somir gostariam de dizer que acharam este texto um desfavor (no bom sentido) e têm muito orgulho de começar a sessão de convidados com a nossa querida Suellen.

Continuem mandando seus des… textos para a gente: desfavor@gmail.com


Aqui está um texto que escrevi em resposta a uma mensagem que recebe como corrente (“a visão positiva da vida“), em relação à mulher. Nela, as diversas fases da vida da mulher são equiparadas a países e a regiões geográficas. Para ser justo e não correr o risco de ser considerado um desfavor apenas pelas mulheres, complementei com a versão masculina da GEOGRAFIA DO HOMEM, bem como minha ‘versão doentia da vida‘ para as mulheres…

Abraços e sucesso desde sempre ao blog.

A GEOGRAFIA DA MULHER

Visão positiva da vida:
1) – Entre 13 e 17 anos, a mulher é como a Antártida:
Misteriosa e com quase todas as regiões ainda não exploradas.

Visão doentia da vida:
– Entre 13 e 17 anos, a mulher já está como a AntártiCa:
Cada vez mais quente, o que fez sumir praticamente todas as barreiras naturais. Logo, com quase todas as regiões praticamente exploradas, já é faz tempo uma rota comercial para navegações de grande porte…

Visão positiva da vida:
2) – Entre 18 e 25 anos, a mulher é como o Continente Africano:
Uma metade já foi descoberta e a outra metade esconde beleza ainda selvagem e deltas férteis.

Visão doentia da vida:
– Entre 18 e 25 anos, a mulher é como o Continente Africano:
Uma parte já foi bem explorada , outra parte é disputada a tapa por um monte de marginais, de desqualificados e de incompetentes e a parte melhor, com alguma beleza selvagem e deltas férteis, os gringos chegaram primeiro e fizeram a festa.

Visão positiva da vida:
3 )- Entre 26 e 35, a mulher é como a América do Norte:
Moderna, desenvolvida, civilizada e aberta a negociações em troca de muito dinheiro.

Visão doentia da vida:
– Entre 26 e 35, a mulher é como a América do Norte:
Pode ser moderna, desenvolvida, civilizada, mas, no fundo, não dispensa um grande pacote de ajuda financeira…

Visão positiva da vida:
4 )-Entre 36 e 40, é como a Índia:
Muito quente, relaxada e consciente da sua própria beleza.

Visão doentia da vida:
– Entre 36 e 40, é como a Índia:
Muito quente, relaxada, mas cada vez mais castigada pelo meio-ambiente, muito por culpa dela mesma…

Visão positiva da vida:
5) – Entre 41 e 50, a mulher é como a França:
Envelhecida, mas ainda desejável de se visitar.

Visão doentia da vida:
– Entre 41 e 50, a mulher é como a Argentina:
Envelhecida, mas ainda acha que está nos tempos áureos.

Visão positiva da vida:
6) – Entre 51 e 60, é como a Iugoslávia:
perdeu a guerra, é atormentada por fantasmas do passado, mas se empenhando na reconstrução.

Visão doentia da vida:
– Entre 51 e 60, é como a Iugoslávia:
Você fica imaginando como ela era há 30 anos, quando tudo estava ainda no seu lugar.

Visão positiva da vida:
7) – Entre 61 e 70, ela é como a Rússia:
espaçosa, com fronteiras sem patrulha. A camada de neve oculta poucos tesouros.

Visão doentia da vida:
– Entre 61 e 70, ela é como a Canadá:
Grande, espaçosa, com fronteiras sem patrulha. Mesmo próspera e com riquezas, não te atrai, porque você sabe que não vai ter excitação nem desafios.

Visão positiva da vida:
8) – Entre 71 e 80, a mulher é como a Mongólia:
com um passado glorioso de conquistas, mas com poucas esperanças no futuro.

Visão doentia da vida:
– Entre 71 e 80, a mulher é como o Iraque:
A conquista pode ter sido gloriosa, mas com poucas esperanças no futuro, que pode acabar hoje ou daqui a mais uns 20, 30 anos.

Visão positiva da vida:
9) – Depois dos 81, ela é como o Afeganistão:
Todos sabem onde está, mas ninguém quer ir até lá.

Visão doentia da vida:
– Depois dos 81, ela é como o Afeganistão:
Todos sabem onde está, mas ninguém quer ir até lá. Terreno inóspito e muito acidentado.


GEOGRAFIA DO HOMEM

– Entre 13 e 17 anos, o homem é como o Timor Leste:
Sem consciência da sua insignificância, acha que pode ser independente, mas precisa de Deus e o mundo para monitorá-lo.

– Entre 18 e 25 anos, o homem é como o Brasil:
Acha que suas riquezas naturais, aliadas a um avanço material incipiente, são mais do que suficientes para ter um espaço no mundo.

– Entre 26 e 35, o homem é como a China:
Pode apresentar um crescimento econômico impressionante, mas um olhar mais cuidadoso ainda revela sérios contrastes preocupantes como, por exemplo, mostrar um poder aquisitivo comparável ao dos países mais ricos e, ao mesmo tempo, apresentar noções mínimas de higiene.

– Entre 36 e 40, a homem é como a Inglaterra:
Tem seus encantos, vale uma conferida, mas você não quer passar muito tempo lá, até porque você ainda que dá tempo para ver o que o resto do continente tem de atrações antes de optar de vez pelo seu favorito…

– Entre 41 e 50, é homem é como os Estados Unidos:
Muitos já estão estabelecidos, demonstraram sua capacidade, mas acham que isso basta para se manter, mesmo sabendo que precisam, daqui para frente, investir cada vez mais na infra-estrutura se ainda quiserem se mostrar atrativos para o resto do mundo.

– Entre 51 e 60, o homem é como a Suiça:
Tudo funciona ainda perfeitamente, de forma meramente satisfatória, pois não há mais espaço para grandes surpresas. Nem vontade.

– Entre 61 e 70, o homem é como a Suécia:
É o Estado de Bem-Estar social: sustenta pai, mãe, filho, filha, neto, neta, sobrinho, sobrinha, (a família da (o)) amante…mesmo que eles não precisem dessa ajuda ou a mereçam. Mas, mesmo assim, quem pode se afasta daquela chatice toda, em busca de coisas mais interessantes.

– Depois dos 71, o homem é como a União Soviética:
Um dia foi respeitado por sua grandeza, importância, e por ter sido uma grande potência. Hoje nada disso mais está lá… já faz parte da História há muito tempo…

Suellen

Eu e Sally queríamos falar de outro assunto essa semana, mas decidimos evitar que o blog afunde. Seria uma tormenta muito grande e acabaríamos afogados em críticas.

O desfavor da semana é: Sutiã Masculino.

Situando aqueles que perdem as notícias realmente relevantes para a humanidade: Uma empresa japonesa lançou uma linha de sutiãs para homens.

Infelizmente a imprensa brasileira não foi pesquisar a fundo essa notícia. Contentaram-se em citar e mostrar uma imagem de um pobre modelo japonês (visivelmente constrangido) vestindo esse sutiã masculino.
Mas o desfavor vai buscar desfavores muito mais longe do que esses preguiçosos, o desfavor faz a análise crítica da notícia inútil.

Comentários:

Fiz o desfavor de entrar no site oficial da empresa. Ou o que eu creio ser o site oficial da empresa… Meu japonês está um pouco enferrujado. Mas apesar de enferrujado, eu consegui perceber o verdadeiro plano por trás dessa transversão de sutiã masculino navegando pela página.

Sim, caros e desfavoráveis leitores, existe um plano maligno por trás disso tudo!
(Aparentemente eles gostam de muita coisa por trás…)

O enviadamento do homem moderno. Além de ter que lidar com grande parte das mulheres tentando afeminar seus homens nos dias de hoje, teremos que lidar com os malditos publicitários e marketeiros surfando nessa onda para conseguir uns trocados.

É claro que 90% da população mundial achou tudo uma extravagância divertida e até entendeu a proposta de “fazer o homem entender como a mulher se sente” usada como defesa de criação desse desfavor de peça de roupa. Mas eu li nas entrelinhas.

E homem lá precisa entender como a mulher se sente? Mulher é tudo maluca, a melhor coisa que nós fazemos é ficar alheios a essas mentes confusas e inconstantes, afinal, alguém tem que pôr ordem nesse mundo. Não fazia o menor sentido…

O sutiã em si não serve para absolutamente nada além de peça decorativa. Poderia-se dizer que era apenas mais uma das incontáveis sandices oriundas da terra do sol-nascente. Foi a minha primeira impressão também. Na minha cabeça um dia comum no Japão é mais ou menos assim:


Não se joga duas bombas atômicas num país sem conseqüências.

Mas o que me chamou a atenção foram os produtos relacionados:

Aha! Não foi simplesmente a criação de um sutiã para homens, foi o chamariz para uma linha de roupas íntimas femininas VOLTADAS para o público masculino. Elas até têm um espaço extra para comportar as bolas.

“Somir, larga de ser preconceituoso, tem homem que gosta de vestir roupa de mulher.”

Ok, a opção sexual de cada um é a opção sexual de cada um. O que me incomoda é anunciarem essas roupas íntimas como formas de apimentar uma relação heterossexual. Não perceberam que é uma mulher que segura essas calcinhas masculinas? Não perceberam que o sutiã é RENTE ao peito do homem e não simula seios? Eles (os criadores do sutiã masculino) não querem vender isso para homens que querem SER mulheres. Eles querem vender isso para homens que querem COMER mulheres.

E o que me desespera é que as mulheres são as maiores vítimas históricas da publicidade. Pensem comigo:

Quem em sã consciência pode achar que seguir um padrão de beleza anoréxico vai ajudá-la na vida? Uma mulher.

Quem em sã consciência pode achar que está velha quando passa dos 25 anos de idade? Uma mulher.

Quem em sã consciência pode achar que homem que freqüenta um salão de beleza merece passar seus genes para a frente? Uma mulher.

Quem em sã consciência pode achar que um homem vestindo um sutiã ou uma calcinha pode ser um parceiro melhor por estar mais conectado com o que sente? Acho que ninguém ainda, mas se alguém vai cometer esse desfavor com certeza é uma mulher.

Portanto, o sutiã masculino é apenas a ponta do iceberg.
Agora pode parecer engraçado e sem conseqüências, mas aposto que disseram o mesmo quando saiu a notícia do primeiro creme para pele masculino. Agora temos uma onda de metrossexuais e mulheres insatisfeitas por todos os lados.

Depois não digam que eu não avisei.


Gente… só faltava essa! Depois da moda de “saia masculina”, agora o sutiã! É O FIM DO MUNDO! Já pensou se a moda realmente pega?

Eu tenho uma teoria que já postei no Sally Surtada: o Governo sabe que a desigualdade social e a corrupção estão passando dos limites e tem medo que um dia a população se revolte de vez, no melhor estilo “Revolução Francesa”, por isso, está colocando HORMÔNIOS FEMININOS na água. Com isso, homens raivosos e cheios de testosterona estão se transformando em mocinhas acanhadas. Quem de nós, mulheres, não sentiu na própria pele isso alguma vez? Os homens estão virando mulézinha. Um desfavor.

Li um depoimento de um japonês usuário do sutiã dizendo “Eu gosto de me sentir apertado. É uma boa sensação”. Não sei vocês, mas eu acho sutiã uma coisa muito incômoda. Vai ver eles gostam porque começaram a usar agora, não dou seis meses para eles estarem queimando os seus em praça pública! Tomara que esse japonês que gosta de ser apertado compre um modelo com arame e bojo para ver o que é bom!

Eu sou machista. Não gosto de homem muito sensível. Não gosto dessas novidades modernas. Não gosto de metrosexual. Se um dia eu tirar a roupa de um homem e ele estiver com um sutiã por baixo, juro para vocês que eu enfio a porrada no desgraçado.

Porque um homem tem que usar sutiã? Sério… PORQUE? Homem não precisa de sutiã, homem não tem seios. Isso prova a superioridade feminina! Mulher não faz essas palhaçadas! Alguém aqui já viu uma mulher comprando um protetor escrotal? Pois é, homem é um desfavor. (Um desfavor necessário).

O homem não precisa ser um troglodita, mas porra, tem que ter uma linha que separe homem de mulher! Tem coisas que são exclusivas de mulher. Será que eu estou maluca? Será que eu parei no tempo? Por mais flexível que eu tente ser, ainda acho que cada sexo tem ônus e bônus próprios. E para o Cueca que vier aqui dizer que somos todos iguais, eu pergunto: você acha normal sua namorada sair sem camisa na rua, como você pode fazer?

Tudo bem, boa parte da culpa dessa horda de homem frouxo e feminilizado é das mulheres. Ficaram anos pedindo “um homem sensível que me entenda”. Pediram errado! Eu quero um homem que me RESPEITE, que respeite o que eu sinto, mas não faço a menor questão de que me entenda, para entender como funciona minha cabeça, só sendo mulher. Basta respeitar meus sentimentos, devidamente verbalizados, porque ninguém tem bola de cristal, mesmo sem entender porra nenhuma do porquê eu sinto isso.

Bons tempos aqueles da lei da selva, onde o homem mais forte mandava. Hoje não. Na era digital, os nerds estão subindo ao poder. E nerd não entende porra nenhuma de mulher, nerd não tem aquela testosterona de macho alfa. O que está acontecendo? As mulheres estão assumindo o lugar de macho alfa e eles, confusos, pegam o papel que sobrou, que é o de MULÉZINHA. Parem o mundo, eu quero descer.

Os nerds não conhecem as regras do jogo, então, tentam se “adaptar” ao que as mulheres dizem que querem e dá nisso: um desfavor atrás do outro. Uma frase que eu sempre digo (e sempre levo pedrada) é que eu não faço questão absolutra de homem sofisticado, inteligente ou sensível, pois para ir a museu, discutir política e ir ao balé eu tenho minhas amigas, minhas prioridades em homem são outras. Homem eu quero para ser MEU HOMEM.

O grande desfavor é que tem mulheres que querem seu homem para suprir todas as suas carências, tampar todos os buraquinhos (sem trocadilhos): ser pai, amigo, colega de compras, confidente, motorista, psicólogo, etc. Gente, é muita responsabilidade para se jogar nas costas de um único ser humano! Não tem como UMA PESSOA suprir todas as suas carências! Mas elas insistem: fazem com que seu namorado as acompanhe ao salão, ao shopping para comprar roupa, ao balé… e quando você vai ver, tem homem no mundo usando SUTIÃ! Vão se foderem!!! eu sei que a expressão não existe, mas eu crio expressões

Essas mulheres carentes que querem viver para o homem e que, por sua vez, o homem viva para elas, estão aviadando a macharada do mundo! Aloooou? Homem tem que conviver com homem, sair com homem e fazer coisas de homem! Não queria fazer dele o que ele não é! Ele só vai escrever poesia, dar flores e lembrar do aniversario de namoro no começo, PARA TE AGRADAR. Não é do homem fazer essas coisas a longo prazo, por isso, NÃO COBRE, caso contrário você pode se deparar com seu macho usando um sutiã um dia desses. Quer sensibilidade? Quer alguém que saiba exatamente o que você está sentindo: Muda de time, pega mulher.

E parem de medir amor de verdade tomando como parâmetro o que VOCÊS mulheres fazem quando amam. Homem demonstra amor de outras formas. Jamais diga a frase “Se ele me amasse (não) faria tal coisa”. Pode não ser verdade. E provavelmente não é!Antes que me matem, tudo bem, existem homens com perfil mais sensível. Existem exceções que tem prazer em escrever poesia. Mas lembrem-se: as pessoas vem em “pacotes”. Você não pode esperar um cozinheiro na cozinha, um garanhão que faz sexo selvagem na cama e um poeta sensível que te ajuda a escolher sapatos ao mesmo tempo! Quem quer o bônus tem que levar o ônus junto.

Eu gosto de MACHÃO casca grossa e sei bem o ônus disso, aceito de bom grado os defeitos que vem junto com esse tipo de homem.

E quando a vocês, Cuecas… QUE VERGONHA! Cederam às pressões sociais vergonhosamente, abriram as quatro patas! Batam o pé e digam “EU SOU HOMEM, isso eu não posso te dar!” (em vez de fingir que pode dar). Esses “homens lésbicos” que eventualmente se travestem de mulézinha para tentar agradas as fêmeas não passam de inseguros, que não tem culhões de bater no peito e dizer “Lamento, isso eu não posso te dar” porque tem medo de serem rejeitados, ou pior, por medo da mulher “encher o saco”. Não sabem colocar limites nos outros não? Hoje está acompanhando ela ao salão, amanhã está usando sutiã! Vai jogar bola enquanto ela faz as unhas, meu amigo! Se ela precisa de escolta para se sentir amada, compre um cachorro, que também precisa ser levado para passear todos os dias, mas ao menos não fala!

O pior de tudo é que as mesmas mulheres que tanto pediram por homens sensíveis agora estão percebendo a merda que fizeram e não estão gostando: “Não era bem isso que eu queria…” Tarde demais, essas mulheres criaram monstros com sutiã! E pessoas como eu, adeptas de um bom neanderthal, estão pagando o pato.

Olá! Eu me mudei para cá junto com o Somir, porque eu não vou deixá-lo sozinho com aquela Sally, ela é má influência para o meu irmãozinho querido. Agora o tópico de perguntas foi para o desfavor de comunidade deste blog no orkut. Continuo respondendo qualquer tipo de pergunta, por mais escabrosa que seja.

Ah, eu não vou mudar o meu layout lindo por causa desse desfavor de blog. O Somir vai ter um infarto quando vir, mas eu acho que esse blog precisa de mais cores.

Mas chega de enrolação. Vamos logo às perguntas selecionadas da semana!

Como demonstrar a um homem, em um encontro, que ele pode (deve) chegar em você e que isso seria muito bem vindo sem ter que verbalizar?
Considero que você fala do homem médio. Aquele que não tem o talento natural de perceber os menores sinais, nem do sem noção que não percebe nem por decreto.

Se ele tem a mínima familiaridade com os sinais típicos que as mulheres mandam nesse caso, você só tem que cuidar para que você demonstre isso com consistência.

Nada de dar brecha e segundos depois parecer que não quer mais nada.

É um exercício de paciência caso ele seja um pouco lerdo. Você não quer arriscar com a chance de justamente na hora que ele cai em si você já estar dando sinais de desaprovação.

Enquanto na sua cabeça ele já está demorando demais para tomar uma atitude, o processo de perceber suas indiretas ACABOU de começar. E adivinha só o que ele vai ver? Jamais conte com a sutileza masculina de buscar na memória o que acabou de acontecer e contextualizar.

Consistência, mulher!
Consistência. Uma hora ele percebe…

Porque um homem se incomoda tanto de saber que sua namorada acha outros homens atraentes, mesmo sabendo que ela não quer ficar com eles?
Só tem UM macho-alfa, minha filha.
Se a fêmea começa a admirar outro, é porque ele não é mais o dono-do-pedaço.

Isso é irracional e mais forte do que ele na maioria dos casos.
O nosso instinto nos diz que temos que ser os ÚNICOS para ela. Como CONDIÇÃO para ela ficar com a gente. Não tem meio-termo.

Se ele te xinga quando você diz que acha outros homens atraentes é porque ele está demarcando o território dele.

Quanto mais ele se afasta desse instinto, menor a probabilidade dele te pentelhar por isso. Mas menos macho-alfa ele se torna.

Ganha-se de um lado, perde-se de outro.

Ele insiste para que eu passe Vick Vaporub em seu pênis, porque diz que dá um “formigamento gostoso”

Como fazer sexo oral depois do Vick Vaporub sem morrer intoxicada? Sinto que se interromper para limpar vai quebrar o clima.

*anotando no caderninho*

*mas meio desconfiado…*

Bom, minha sugestão é fazer da limpeza do Vick Vaporub um ritual. Assim você não quebra o clima… Você faz isso. De forma lenta, cuidadosa e dando a entender que está…

Está…

VENERANDO O PAU!

Aê!

Homens adoram essas coisas. Acredite em mim, ao invés de tratar do assunto como tirar a pomada para não te incomodar, trate como um momento de intimidade entre você e o pau dele.

A não ser que o seu nariz esteja realmente congestionado. Aí pode ser uma vantagem deixar a pomada ali.

KY custa muito caro, você saberia me indicar bons lubrificantes naturais?
  • Cuspe (clássico, se estiver gripado funciona melhor);
  • Sangue (mais fácil de conseguir se estiver menstruada);
  • Lágrimas (melhor de todos);
  • Sêmen (só vale na segunda);
  • Manteiga (sem sal, por causa do colesterol);
  • Vaselina (depois pode-se esfregar a bunda na prancha de surf dele);
  • Óleo de cozinha (girassol ou canola, colesterol de novo…);
  • Graxa (para quando “for trocar o óleo”);
  • Álcool (retiro o que disse sobre as lágrimas, esse sim é o melhor… não precisa ser aplicado diretamente no local!).
Como convencer meu namorado a gastar em presentes para mim e não em jogos toscos de PS3 ou XBox?
Fazendo o que toda mulher chata faz: Reclamando, se rebaixando e tentando disputar a atenção dele com um pedaço de plástico e circuitos.

Tirando casos graves de nerdice, homem nenhum vai trocar a mulher pelo videogame.

Faça-o se sentir cada vez mais culpado por gostar do videogame e crie nele também a sensação de que ao gastar com seu “brinquedo” ele vai te perdendo aos poucos.

Agora, se você não quiser ser chata demais, o que pode te ajudar a não perder o namorado, reclame um pouco, diga que é por causa da atenção e use o dinheiro que ele gasta com o videogame como um EXEMPLO de como ele se preocupa pouco com você.

Como homens são seres bi-dimensionais, ele vai entender o seu exemplo como exatamente o que ele precisa fazer. Quando ele te der um presente, diga que gostou muito, mas não era só disso que você falava.

Tira a presunção de interesse puro nos presentes.

Flagrei meu namorado se masturbando com uma revista “Cães e cia” na mão. Verifiquei a revista, não tinha nada além de fotos de cachorros. Até que ponto vale tudo na imaginação no momento da punheta? Será que ele é um doente?
Tem certeza que não tinha nada escondido dentro da revista?

Eu sou um defensor de ter 100% de liberdade mental na hora da punheta. Mas… até os zoófilos tendem a fantasiar com o ato sexual em si entre espécies, e não o animal em questão. Seu namorado parece estar um passo além da zoofilia.

O que é um perigo. Ele pode acabar preso por molestar um cachorro em público e dar a desculpa que “a cadela estava pelada, abanando o rabo… ela queria, seu delegado!”.

Fetiche mental não tem nenhum limite. Quase todo mundo já imaginou algo que não tem coragem de contar para mais ninguém.

O problema é a prática. Enquanto ele não ficar olhando para o seu poodle com a mesma cara que olha para você quando quer te comer, tudo bem.

Só para completar… Você pode fazer perguntas na comunidade do orkut ou pelo meu e-mail: somirasilva@gmail.com
A diferença é que as que estiverem na comunidade vão ser respondidas, mas há um limite de 20 por semana. As que chegarem por e-mail podem não ser respondidas, mas você pode mandar quando bem entender e as melhores (piores) vão aparecer aqui na coluna!