Bem-vindos ao último Somira Responde de 2008! Desta vez estou radiante! Minha última postagem teve MAIS comentários do que a última da Sally! Fica uma lição para todos nós aqui: “Se você não tem o que quer, chore bastante até conseguir!”. E ainda nesse assunto, CONSEGUI convencer aquele desfavor do Somir a me dar um banner aqui também! Ele disse que vai estrear junto com o novo layout do desfavor, no começo de 2009! Consegui isso com a ajuda de vocês, queridos e queridas leitoras. (Ou foi por causa da história da cueca da sorte, vai saber…)
Agora, vamos às perguntas da semana:

você já deve ter brigado muito com seu irmão, deve conhecer bem os pontos fracos do corpo masculino. Passe para a gente pequenos truques de defesa pessoal, onde e como bater, em Zé Ruelas inconvenientes.
Eu já saí muito na porrada com aquele Zé Ruela do Somir. Sou 10 anos mais velha que ele (Se aquele desgraçado colocou idade no perfil eu MATO ele.) e já cansei de sentar a mão naquele abusado! Ele me chamou de mal-comida pela primeira vez com 5 anos de idade…

Olha, todo mundo sabe que o ponto fraco máximo de um homem é o saco. E ninguém sabe disso melhor do que o próprio homem. Pode perceber que quando você vai tentar enfiar a porrada em um homem, ele começa a virar de lado. É instintivo.

E explorável. Ameace partir para cima dele e espere o momento em que ele faz esse movimento, a partir daí:

– Use toda sua força para passar uma rasteira. A posição dele é péssima para se defender desse golpe se você pegar pela parte traseira das pernas. Se ele for muito maior, chute a dobra da perna, ele desaba. Bom para sair correndo.

– Homens têm menos gordura corporal na cintura, na parte das costas. Abra bem a mão e enfie um tapa pra lá de ardido bem acima do cofrinho dele. Ele vai mexer as mãos e deixar o saco desprotegido. Pratique o quebra-nozes e saia correndo.

– Dê passos indo em direção às costas dele. O tonto ao invés de virar o corpo todo e manter a guarda, vira a cabeça e o tórax na sua direção. É só abaixar um pouco o corpo e bater no saco dele pelas costas, por baixo das pernas. Não bata com a mão, bata com o antebraço. Saia correndo.

Sair correndo é ideal. Principalmente se você puder correr para alguém…

O que eu posso fazer para ser um pouquinho mais astuta, sagaz, golpista com o próximo? Dê dicas por favor.
Domine algumas técnicas famosas e o próximo será vítima fácil. O material básico para se trabalhar é a sua cara-de-pau e a sua criatividade.

Discurso de autoridade (90% cara-de-pau, 10% criatividade):
Desenvolva a sua certeza. Certeza sobre qualquer assunto que vier a abordar. O que um especialista faz quando é questionado? Ele esmaga o questionador com o seu conhecimento de causa e prova por A+B que só pode estar correto. É a tática preferida dos ditadores, da religião, da publicidade… Se você não entende sobre um assunto, alguém que aparentemente entende mais tende a te convencer.

Como usar? Simples, nada impede que aquela pessoa que está te explicando com toda a certeza do mundo sobre física quântica entenda sobre física quântica. A não ser que você também seja uma especialista. E adivinhe só… Pouca gente nesse mundo é especialista. O que você disser com muita convicção passa como verdade.

Saída pela tangente (10% cara-de-pau, 90% criatividade):
Se não pode vencê-los, confunda-os. Sair pela tangente é grande arma que você tem quando está pressionada. O melhor é que funciona com quase todo mundo, já que o requisito básico na vítima é ela querer se passar por mais inteligente do que é.
Sair pela tangente não é apenas desconversar, é desconversar de uma forma que a outra pessoa ainda ache que está no mesmo assunto.

Como usar? Aja como se a bobagem que você está dizendo fosse fruto do senso-comum. Faça o próximo se achar um imbecil só de pensar na possibilidade de questionar o que você diz, de tão óbvio que é. Se não fosse o bastante, você ainda pode começar a relacionar outro assunto que não faz o menor sentido com o atual debaixo dessa mesma presunção de obviedade.

Como se livrar daquele amigo mala que fica dando em cima de você, mas sem perder a amizade do mesmo? e sem ser chamada de maluca, histérica que fica se achando ou marrenta?(sim foi exatamente disto que me chamaram)
O “sem perder a amizade” colocou um tempero extra na pergunta. Mas eu gosto de desafios.

O golpe mais clássico de todos é tratá-lo como aaamiiiigaaaaaaaaaa!. Sim, pareça completamente distante da idéia de que ele é um homem, comece a falar sobre outros homens abertamente e divida com ele segredinhos que não combinam com um relacionamento diferente de amizade. Diga que está com uma caganeira das bravas, pergunte para ele se ele acha que o pau de Fulaninho é grande, eventualmente diga que vive esquecendo que ele é homem de tão gente boa que ele é.

As vantagens:

– Se ele tiver bolas, vai desistir de você nesse sentido ou dar um ultimato. Aí você pode simplesmente dizer que não o enxerga dessa forma. (CLÁSSICO!)
– Ele pode entrar na jogada sem perceber e descobrir que pegou o caminho errado e que não tem mais volta. Ele mesmo vai parar de dar em cima.
– Se ele fizer qualquer besteira como revelar um dos seus segredinhos ou falar que você está de sacanagem com ele, basta virar o jogo e ELE sai como o errado.

As desvantagens:

– Se ele não tiver bolas, vai continuar por perto feito um cachorrinho. É uma espécie de amigo que faz mais por você do que um amigo normal. (Eu disse que era desvantagem?)
– Ah sim, a desvantagem… se ele for desse tipo, vai se vitimizar com outros conhecidos comuns e você vai ter que ouvir vários: “Dê uma chance para ele…”

Para escapar desse último problema, faça um teatrinho dizendo que por mais que goste dele, não conseguiria ficar com ele. Diga que seria como dar para o irmão.

Em último caso, fique com ele uma vez e diga que não rolou uma química.
Você vai sair como magnânima que deu uma chance para o amor. Óh!
Mas é último caso mesmo!

em um tópico anterior (tempinho) vc falava sobre como conquistar o cara em 7 dias e como perder, no do conquistar vc focou sexo (bom ) e mentir, desprezar os defeitos e focar coisas boas. Que coisas eu posso inventar, liste por favor e se puder fazer a lista das que eu nao devo falar, agradeço!!
Quando eu falei de focar coisas boas, eu estava usando o referencial DO homem em questão. Dá para fazer muito mais, mas eu listo pontos genéricos.

– Você preza pela sua beleza. No-brainer. Homens são seres visuais. O prospecto de uma mulher gostosa hoje e amanhã faz muita diferença. Diga que adora malhar, que faz questão de estar sempre bonita, que GOSTA disso. Ele vai te chamar de fresca, mas vai contar como ponto positivo.

– Você é uma mulher exclusiva. Ao mesmo tempo que é uma vadia COM ELE. Os Zé Ruelas ADORAM cair nessa. Liste ou invente várias situações onde você negou para outros homens o que dá para ele. Crie todo o clima de que ele consegue te dobrar no meio e conseguir o que quer. Se quiser deixar mais interessante, demonstre uma certa raiva dele ter esse efeito em você.

Ah, você quase não tem passado, viu? Evite mencionar ex-namorados, ex-ficantes ou aquele tempo em que você foi o corrimão da escola.

– Se fizer alguma bobagem, peça desculpas. Parece algo bem banal, mas muitos homens concordam numa coisa: Mulheres não sabem estar erradas. Elas fazem qualquer merda para não pedir desculpas e assumir o que fizeram. Muitas e muitas brigas futuras vão sair desse bug no cérebro feminino.

Mulher é muito neurótica, e essa aparente paz de espírito e habilidade de resolver problemas na hora que acontecem são características muito prezadas pela macharada.
Mostre-se controlada, lembre (ou invente) de situações onde esteve errada e percebeu. Diga que tenta entender como funciona a mente do parceiro e não arranjar confusão por qualquer bobagem. Se colar você está feita! Até o primeiro chilique absurdo, pelo menos.

tenho um encontro e sei que vou foder tudo, no sentido de estragar a ocasião… ME AJUDE. estou desesperada e gorda e nojenta e histérica me acalme :(
O problema é DELE.
É sempre o homem que estraga tudo, presume-se que ele esteja louco para te comer e qualquer contratempo é contabilizado na conta de fracassos DELE.

Ser mulher já contabiliza um esforço enorme pré-encontro, portanto nada mais justo que o problema do encontro seja o do homem.

Ou ele faz o certo, ou ele TE perde.
Não é para chegar também dando foras e sendo escrota, mas o seu papel é mais light NESSE momento do que o dele.

Normalmente os termos que você usou se traduzem assim na cabeça de um homem:

– Desesperada = Mulher normal.
– Gorda = Gostosa.
– Nojenta = Fresca, mas pelo menos é gostosa!
– Histérica = Mulher normal.

As coisas sempre parecem piores quando a gente sofre por antecipação.
Sofra, dê chilique e troque de roupa segundos antes de sair, mas chegando lá você só precisa “facilitar” o caminho dele.

Vai dar certo.

E se não der, a culpa é dele! Seja lá o que acontecer.

Eu só me masturbo com os dedos, e tive um problema com os mesmos. Vou ter que fazer um recesso. O problema é que eu penso muito em ‘tocar piano’, por isso preciso preencher minha mente. sugestões.

O pau do seu irmão é rosado?

Chocolate.

Chocolate é um amigo meu, negão, dois metros de altura. Posso te apresentar. Só que ao invés dos dedos, você vai ter problemas com outras áreas do corpo e uma tendência a ter dificuldades de sentar.

Ou você pode encontrar soluções alternativas para se masturbar:

– Você pode sentar na máquina de lavar-roupas ligada e aproveitar o balanço;

– Você pode deixar o celular entre as pernas no modo vibracall e dar seu telefone numa lista de telemarketing;

– Você pode achar um uso novo para aquele ventilador de bolso que comprou por impulso na loja de “1,99”;

– Você pode comprar um “massageador de costas”…

São várias as possibilidades. Não se prenda a só uma prática auto-sexual, varie.

Ah, eu não vou perguntar mais nada para o Somir. A única vez que eu me lembro de ter visto o pau dele o dito cujo estava azul.

Foi no pronto-socorro depois de um acidente pra lá de mal-explicado com uma daquelas gelecas dessa cor.

Ano que vem tem mais! Não se esqueçam de fazer suas perguntas pela comunidade do orkut ou pelo meu e-mail.

Beijinhos,
Somira, sua vadia.

PARTE 2 DE 2

SALLY: Bom dia! Feliz Nat… Somir, o que você pensa que está fazendo?
SOMIR: Tomando café da manhã
SALLY: Você está comendo FEIJOADA no café da manha? Ficou maluco? A gente vai almoçar na casa da minha mãe agora!
SOMIR: Justamente por isso… ou você espera que eu coma comida crua?
SALLY: Somir, deixa de ser ignorante! A comida da minha mãe é saudável
SOMIR: Eu não sou uma vaca para ficar comendo grama
SALLY: Você está chamando minha mãe de VACA?
SOMIR: …
SALLY: Você não tem consideração! Larga esse prato, você vai comer a comida da minha mãe!

*Sally puxa o prato de Somir
SALLY: Anda, vai trocar de roupa!
SOMIR: Não posso ir assim?
SALLY: De CHINELO?
SOMIR: Não é você quem vive dizendo que está calor?
SALLY: E precisa ir mal vestido, porque está calor?
SOMIR: Faz calor. Precisa ir semi-nua porque FAZ calor?
SALLY: Então tá, vai vestido que nem um mendigo, mas depois não reclama se minha mãe falar mal de você!
SOMIR: Sua mãe sempre fala mal de mim…
SALLY: Coitadinho! Chamou a minha mãe de vaca e vai se fazer de vítima agora?
SOMIR: …
SALLY: Anda, estamos atrasados!
SOMIR: Eu tenho mesmo que ir?
* No caminho
SALLY: Tenta ser simpático…
SOMIR: Ok
SALLY: Não faz piada politicamente incorreta!
SOMIR: Ok
SALLY: Não fala mal de religião, nem do Greenpeace!
SOMIR: Ok
SALLY: Não fala palavrão!
SOMIR: Ok
SALLY: Não corrige o português da minha mãe!
SOMIR: Ok
SALLY: Seja educado!
SOMIR: Ok
SALLY: Você acha que pode fazer isso?
SOMIR: Posso sim, basta entrar mudo e sair calado…
* Chegando lá
SALLY: Mamãe!!!!
MAMÃE SALLY: Sally, querida!
SOMIR: *revirando os olhos
MAMÃE SALLY: Ah… olá Somir, você veio…
SALLY: Claro que veio! Ele está louco para provar sua comida!
SOMIR: *tapa na testa
MAMÃE SALLY: Nossa, como você engordou, Somir…
SALLY: Olha quem está aí! Bobby!
* Pincher entra na sala abanando o rabo
SALLY: Boooby! Ti Tatchorrinhooo maaaais buuunituuuu…
SOMIR: Cachorro? Parece um rato…
* Bobby se agarra à perna de Somir e faz movimentos copulatórios
SALLY: Viu, Somir? Ele gostou de você!
MAMÃE SALLY: Pobre Bobby, ficou cego dos dois olhos por causa da idade…
SALLY: Vai ver que ele gostou do cheiro do Somir…
MAMÃE SALLY: Pode ser… ele adora cheirar minhas meias sujas
SALLY: Errr… Vamos almoçar?
SOMIR: *sorri e sacode a perna para se livrar de Bobby
SALLY: Senta aqui do meu lado, Somir
SOMIR: * senta chutando Bobby para o outro canto da sala
MAMÃE SALLY: Espero que vocês gostem da minha Raw Food! Os nutricionistas dizem que se cozinhar o alimento, ele perde os nutrientes…
SALLY: A gente adora comida crua, Mamãe!
MAMÃE SALLY: Somir, você está muito calado hoje, o que aconteceu?
SALLY: Nada não, Mamãe, ele está cansado, trabalhando muito…
SOMIR: *Faz que sim com a cabeça
MAMÃE SALLY: Você ainda trabalha fazendo aqueles desenhos para pacote de papel higiênico?
SOMIR: Publicidade
SALLY: Imagina, agora ele está com projetos muito maiores…
MAMÃE SALLY: Vai ilustrar embalagens de supositório?
* Bobby volta a engatar na perna de Somir por baixo da mesa
SALLY: COME, Somir. Você não está comendo! *beliscando por baixo da mesa
MAMÃE SALLY: Sabe, Somir, perdi 3kg com essa dieta de comida crua, você deveria tentar…
SALLY: COME, Somir!
SOMIR: Estou guardando espaço para a sobremesa…
* Após o almoço
MAMÃE SALLY: Somir, aqui está a sobremesa que você estava esperando!
SOMIR: É um pudim?
SALLY: Não, é um doce de tofu
SOMIR: Hã?
SALLY: TOFU
SOMIR: O nome é bem apropriado, tô fu…
SALLY: Deixa que eu corto, Mamãe
SOMIR: Sally, não precisa servir tanto…
SALLY: Precisa sim, afinal, você quase não comeu no almoço!
* Somir prova uma colherada e uma lágrima escorre de seu olho esquerdo
MAMÃE SALLY: Gostou?
SOMIR: Bem…
SALLY: Serve um pedaço para mim, Mamãe! *olha feio para Somir
SOMIR: Serve sim, serve um bem grande…
* Somir joga discretamente o doce de Tofu por baixo da mesa
* Bobby começa a comer o doce de Tofu
SOMIR: Bom menino…
SALLY: Ah, finalmente você está se entendendo com o Bobby!
MAMÃE SALLY: Bobby é ótimo, tem sido muito importante para mim desde que seu pai se foi, ele é minha única amizade verdadeira…
SALLY: Ele é uma gracinha…
MAMÃE SALLY: Não sei o que faria da minha vida sem o Bobby…
SALLY: Ele está melhor, Mamãe?
MAMÃE SALLY: Sim, melhorou. O veterinário disse que cães diabéticos podem levar uma vida longa e saudável…
SOMIR: Diabético?
SALLY: Pois é, Bobby é diabético
* Somir olha debaixo da mesa e vê Bobby acabando de comer o doce e tendo uma convulsão
SALLY: O que foi, Somir, você está pálido?
SOMIR: Nada… é que… cães diabéticos vivem pouco, né?
SALLY: Somir!
MAMÃE SALLY: Somir, porque você insiste em ser uma pessoa desagradável? *chorando
SALLY: Bobby vai viver muitos anos ainda! *abraça a mãe
* Somir olha debaixo da mesa e vê Bobby dar seu último suspiro e morrer
MAMÃE SALLY: Falando nisso, onde está o Bobby?
SOMIR: Sua comida é uma merda!
SALLY: SOMIR!
SOMIR: Desculpa, uma merda não, porque merda é quente, e a comida estava mais gelada que cu de foca…
SALLY: SOMIR! FICOU MALUCO?
SOMIR: Não me admira que sua mãe esteja encalhada, Sally. Comendo essas coisas ela deve peidar muito mal…
SALLY: Mãe… desculpa… eu não sei o que deu nele!
MAMÃE SOMIR: Como ousa vir na minha casa me dizer estas coisas!
SOMIR: Ecologistas se dizem tão a favor da reciclagem… sabem o que vocês deveriam reciclar?
SALLY: *Tampando a boca de Somir
SOMIR: Deixa eu falar, Sally!
MAMÃE SALLY: Sally, mais uma palavra e eu coloco esse marginal do seu marido para fora daqui!
SALLY: Mãe… desculpa…
* Longo silêncio contrangedor
MAMÃE SALLY: Booobyyy! Vem aqui Booobyyy!
SOMIR: Eu acho que deveriam reciclar os próprios ecologistas: quando morrerem, basta enterrar com a bunda para fora, assim podemos estacionar bicicletas neles! Ecológico, não? HÁ!
MAMÃE SALLY: CHEGA! Saia da minha casa, AGORA!
SOMIR: Com o maior prazer…
SALLY: Mãe, desculpa, eu não sei o que deu nele…
SOMIR: Vamos, Sally!
* Somir entra no carro sorrindo e vai embora

PARTE 1 DE 2

SOMIR: Ano que vem a gente faz assim…
SALLY: Não, ano que vem a gente faz do seu jeito.
SOMIR: Mas eu já prometi para a minha mãe.
SALLY: E eu já prometi para a minha!
SOMIR: A sua mãe sai no lucro se lembrar que é Natal…
SALLY: Não começa! Ela está limpa há dois meses!
SOMIR: Você só está contando os dias úteis, né?
SALLY: Pelo menos a minha mãe se cuida…
SOMIR: Chega! O que nós vamos fazer?
SALLY: Ano passado a gente foi nas duas casas.
SOMIR: Ah, saco… Decide aí.
SALLY: Então a gente vai na casa da minha família.
SOMIR: E como fica a minha?
SALLY: Não era pra eu decidir?
SOMIR: Vamos hoje na casa dos meus pais e amanhã na dos seus.
SALLY: Não pode ser o contrário?
SOMIR: Não, prefiro comer bastante na ceia para não ter que encarar aquelas porcarias que a sua mãe costuma fazer.
SALLY: Ela é vegetariana! Não são porcarias, são comidas saudáveis! E ela sempre faz uma carne para você, seu ingrato!
SOMIR: De soja!
SALLY: Larga de frescura, Somir. Você só vai lá uma vez por ano! Pior sou eu que preciso encarar aquelas bombas de colesterol na casa da sua mãe!
SOMIR: Antes carne gordurosa do que doses cavalares de uva e arroz, né?
SALLY: Uva e arroz?
SOMIR: Vai, se arruma que a gente vai pra casa da minha mãe hoje.
SALLY: Então o almoço de Natal é na minha.
SOMIR: Feito.

*duas horas depois*

SALLY: Pronto?
SOMIR: Pronto. Ei! Que roupa é essa?
SALLY: A minha.
SOMIR: Caralho! Você está mostrando mais peito e coxas do que o peru!
SALLY: Não seja ridículo, Somir. Está calor!
SOMIR: Faz calor.
SALLY: Hã?
SOMIR: Não se diz que está calor, se diz que faz calor.
SALLY: Vai à merda!
SOMIR: Olha a boca!
SALLY: Tá achando que é meu pai para regular o que eu digo?
SOMIR: Não, se eu achasse isso não estaria em casa.
SALLY: *lágrima*
SOMIR: Putz…
SALLY: Vamos logo!
SOMIR: De… desculpa…

*Sally vai na frente*

SOMIR: Amor?

*Sally não espera Somir entrar no elevador*

SOMIR: Opa! Espera!

*Somir entra no elevador, há mais uma pessoa lá dentro*

SOMIR: Sally?
SALLY: Shhh…
SOMIR: Eu… não…
SALLY: Tem mais gente aqui e ninguém é obrigado a saber que você me humilhou e fez uma memória triste da minha vida ser revivida na VÉSPERA DO NATAL! Acredita nisso?
ESTRANHO: Anh…
SOMIR: Ela me provocou, amigo. Foi impensado.
ESTRANHO: Sei lá… é…
SALLY: Provoquei? Escuta aqui, moço, ele reclamou da minha roupa nesse calor! Você acha que está indecente?
SOMIR: Pára de mostrar o decote para ele!
ESTRANHO: Eu nem estou olhando.
SALLY: Não gosta?
SOMIR: EU NÃO GOSTO DISSO!
SALLY: Devia ter casado com um homem então.
SOMIR: Engraçadinha! Estava toda triste há meio minuto atrás e agora está se exibindo para esse cara?
SALLY: Que não dá assistência…
ESTRANHO: Opa! O meu andar!
SOMIR: O décimo? Mas estava descendo…

*Sally e Somir ficam sozinhos novamente no elevador*

SALLY:
SOMIR: Eu vi você fazendo uma careta.
SALLY:

No carro:

SALLY:*emburrada*
SOMIR: Chega disso, vai. Não vamos chegar lá brigados.
SALLY: Devia ter pensado nisso antes.
SOMIR: Natal é época de perdoar.
SALLY:
SOMIR: Afinal, estamos comemorando o nascimento de alguém muito importante.
SALLY:
SOMIR: O Papai-Noel.
SALLY: *risada contida*
SOMIR: Sem contar que se a gente estiver de bem, minha irmã fica mais irritada.
SALLY: *risada*
SOMIR: Eu te amo, Sally.
SALLY: Eu te amo, Somir.
SOMIR: Pegou o presente da minha mãe?
SALLY: Xiii…
SOMIR: Mas que merda, Sally!
SALLY: Culpa sua! Ninguém mandou ficar me maltratando na hora de sair!
SOMIR: Você mereceu!
SALLY: Sua mãe deve ter roubado um igual mesmo…
SOMIR: Cretina!
SALLY: Imbecil!

*a viagem segue silenciosa até seu destino*

SOMIR: Oooooi mãe!
SALLY: Oooooi sogrinha!

*beijinhos generalizados*

SOMIR: Cadê aquele seu namorado, mana?
SUELI: Terminamos.
SALLY: Ele terminou, né?
SOMIR: Ai Gezuiz!
SUELI: Para a sua informação, querida, foi uma decisão de ambas as partes.
SALLY: Ele entrou com o pé e você…
SOMIR: Vamos comer!

À mesa:

SALLY: Pernil? Adooooro pernil. *olhar sarcástico*
SOMIR: Ah é? Então pega esse pedacinho, com bastante gordura!
SALLY: Você adora uma gordura, né?
SOMIR: Casei com você.
SALLY: O QUÊ?

*clima chato na mesa*

SUELI: Eu vou adorar isso.
SALLY: Tá me chamando de goooorda?
SOMIR: Gente, desculpa. Sally, vamos para a sala…
SALLY: Ah não! Se é para falar de banha, a gente fala agora, barrigudo!
SOMIR: Eu sou homem, em homem é sinal de prosperidade!
SALLY: Meu personal-trainer deve morar embaixo da ponte então!
SOMIR: E você está doida para dar um lugar quentinho para ele, né?
SALLY: Seu nojento! Ele é profissional!
SOMIR: Mas você não é. Nem pra trabalhar serve!
SALLY: Você que me pediu para não trabalhar, seu machista!
SUELI: Pão e circo. *passando manteiga num pãozinho*
SOMIR: Cala a boca, Sueli!
SALLY: É! Nova regra: Só abre a boca quem vai dormir acompanhada hoje!
SUELI:
SOMIR: Ai…
SALLY: Você tinha que estragar o Natal, né Somir?
SOMIR: É para você se sentir em casa, amorzinho. Quer que eu encha a cara também?
SALLY:
MAMÃE SOMIR: Tem tender também.
SALLY: Sua especialidade é fazer porco, não?
SOMIR: SALLY!
SALLY:
MAMÃE SOMIR: Você preferia peru?
SOMIR: Não, mãe, ela está satisfeita.
SALLY: Faz tempo que eu não vejo um peru decente, viu?
SUELI: *gargalhada*
MAMÃE SOMIR: Se eu soubesse, faria.
SOMIR: Sally, você está bêbada?
SALLY: Eu tomei um gole de champanhe.
SOMIR: Então você está bêbada mesmo…
SALLY: Culpa sua! Você me deixa assim!
SOMIR: Come alguma coisa para passar esse porre!
SUELI: Tem milho na farofa.
SALLY: EU VOU DAR NA SUA CARA, SUA MAL-COMIDA!
MAMÃE SOMIR: Vamos abrir os presentes? É quase meia-noite.
SALLY: Eu quero um marido novo.
SOMIR: Com essa roupa no máximo você consegue um cafetão.
SALLY: Está calor, Somir!
SOMIR: Faz calor, Sally.
SALLY: VAI TOMAR BEM NO MEIO DO SEU…

*Fogos de artifício começam a estourar*

MAMÃE SOMIR: Feliz Natal!
PAPAI SOMIR: Rrronc… Hã? Feliz Natal!
SALLY: Eu acho que vou vomitar.
SOMIR: Sally, você tomou UM copo de champanhe.
SALLY: Eu te odeio.
SOMIR: Feliz Natal!
SALLY: Feliz Natal… me segura…
SOMIR: Tadinha, ela está com sono, acho que a gente já vai indo.
SALLY: Você me ama, Somir? *hic*
SOMIR: Mais do que você merece.
SALLY: Eu estou com uma vontade doida de dar a…

*Somir tapa a boca de Sally*

SOMIR: Bom, minha gente, vamos indo nessa.
SUELI: Vocês são a vergonha da família.
SOMIR: Mãe, acho que ano que vem você vai ter um netinho no Natal.
MAMÃE SOMIR: Vocês me enchem de orgulho.
SUELI:
SOMIR: Touché.
SALLY: Somir, eu adoro quando você é mau.
SOMIR: Feliz Natal.
SALLY: Feliz Nat… *vomitando*

Esses são os votos do desfavor.com para o seu Natal. Amanhã tem mais!

Hoje escrevo aos Cuecas. Não adianta, vocês são a minha cachaça. É com vocês que eu me (des)entendo.

Já conversamos aqui (ou seria no Sally Surtada?) sobre a necessidade de verbalizar um fora. Não basta sumir, é muito menos doloroso para nós, mulheres, se vocês verbalizarem o fora. Pois bem, hoje venho falar do tema oposto: a necessidade de verbalizar uma relação estável e monogâmica. Talvez essa necessidade seja só minha, talvez não. Veremos nos comentários.

Existem homens que começam a sair com uma mulher e vão saindo, vão saindo, vão saindo… sem nunca verbalizar a natureza da relação que se estabeleceu entre os dois. E por incrível que pareça, muitas mulheres acham isso normal e realmente não se importam! Será que eu sou insegura? Eu me importo, eu fico tensa, eu fico ansiosa e começo a sofrer os sintomas da TPN – Tensão Pré Namoro.

Essa não verbalização começa a gerar um incômodo silencioso. Cria um novo estado civil, o QAC – Quase Alguma Coisa.

Eu fico tensa na presença de QACs. Aquilo me parece uma situação transitória desconfortável, quase que uma gambiarra emocional. Como apresentar um QAC a um conhecido? Não dá para chamar de amigo, né? Muito menos de namorado, porque QAC são criaturas sensíveis que se sentem pressionados por qualquer merdinha que a gente fale ou faça. Eu opto por apresentar pelo nome: “Este é Fulano”. Maaaaas… sempre tem um espírito sem luz que solta a pergunta: “Vocês estão namorando?”

Passei por isso com meu último QAC. Um grande amigo meu, muito sacana, por sinal, me solta essa, na presença de várias pessoas: “Qual é a de vocês? Vocês estão namorando?”.
Eu olhei para ele e disse: “Quando você limpa a bunda, você olha para o papel antes de jogar no vaso?”. Silêncio total na mesa. E complementei: “Ué… que foi? Se é para fazer pergunta constrangedora, eu sei fazer também…”.

Entendem o drama da TPN? Não estou aqui fazendo campanha para que todo mundo comece a namorar de cara, acho saudável conhecer bem a pessoa antes, fazer um test-drive muito bem feito. Só estou dizendo que quando o Cueca sente internamente que quer firmar um compromisso com a mulher, DEVE VERBALIZAR ISSO DE FORMA CLARA E INEQUÍVOCA, porque a mulher pode estar ali sofrendo silenciosamente os efeitos devastadores da TPN.

Tem aquelas que ficam com uma paranóia de “ele só quer me comer”. Isso eu nunca tive. Não me tenho em tão alta conta a ponto de achar que uma foda comigo valha meses de cineminha e jantar, até ele finalmente conseguir o que quer. Quem quer apenas isso, procura outro tipo de mulher (nem pior, nem melhor, apenas outro tipo) que topa um sexo casual já no primeiro ou segundo encontro e não dá trabalho.

A TPN se manifesta em mim aproximadamente um mês depois de estar saindo regularmente com a pessoa. Fico em casa roendo a própria mão, tipo cachorro estressado, me perguntando porque ele não verbaliza. Sempre estipulo um prazo mental, geralmente algo em torno de dois meses depois que comecei a sair com regularidade, e chegado o prazo, se não veio a verbalização, mando um “precisamos conversar” e digo que não dá mais. Geralmente não explico o motivo, porque soa como chantagem: “ou namora comigo ou acabou”. Assim eu não quero. Se não for por vontade de pessoa, espontânea, então deixa pra lá.

Mas nesse período de 30 dias que se dá entre o momento em que eu estipulo o prazo e o momento em que o prazo expira, vivo o inferno na Terra. Uma espécie de continuação do efeito “Bastidores”.

“Sally, você é maluca”. Sim, ainda pairava alguma dúvida?

“Mas Sally, porque você simplesmente não pergunta para a pessoa?”. Porque QACs se sentem cobrados com facilidade. Eu quero que A PESSOA QUEIRA namorar comigo, e não que a pessoa ceda à pressão de namorar comigo! Sim, tem que ler minha mente, tem que ter bola de cristal e tem que verbalizar sem que eu tenha que ficar sondando e mandando indiretas. (30 anos e solteira… bem feito!)

Já escutei de muita gente coisas como “Namoramos faz mais de três anos e nunca teve verbalização!”. PARABÉNS. Eu não tenho esse desprendimento. Eu sempre fico com medo de presumir errado e me comportar como namoradinha enquanto o outro quica no calcanhar e faz o que bem entende, para depois me dizer que “nunca te prometi nada”.

Em parte, entendo os Cuecas. Deve ser chato verbalizar. Sempre acaba ficando uma coisa meio brega. É um horror chegar e perguntar “Você quer namorar comigo?”. Também é um horror sair afirmando que é namorado sem consultar a outra parte envolvida! Se eu fosse homem, teria muita dificuldade em expressar com palavras a estabilidade de uma relação. Deveria existir um código mundial para isso! Ex: Quando ele comparecer a um encontro com uma camisa AZUL, está socialmente instituído que vocês estão namorando. (insegura? Eu?)

Cansei de estar jantando, ou dentro do carro, ou na casa da pessoa e ficar pensando “Verbaliza, verbaliza, verbaliza… filho da puta! Tá esperando o quê porra?”.

EU PRECISO DE VERBALIZAÇÃO! Alguém aqui me entende?

*grilos

Ok. Só para ilustrar, porque meu público alvo de hoje tem uma certa deficiência cognitiva quando se trata do universo feminino…

NÃO GERAM PRESUNÇÃO DE NAMORO

– “Não paro de pensar em você”

– “Você é minha”

– “Vamos lá em casa conhecer minha mãe”

GERAM PRESUNÇÃO DE NAMORO:

– “Essa é Sally, minha namorada”

– “Que sorte que eu tenho, por ter uma namorada tão linda”

– Tatuagem escrito “Eu namoro a Sally” – mas só se for em um lugar visível… hahahaha

Para pedidos de namoro, sugestões de temas e convites para o ano novo: sally@desfavor.com

Vem chegando o Natal e tudo o que ele significa: Presentes.
É consenso geral que todo mundo gosta de ganhar presentes. Mas presentes de qualquer um? O que acontece quando se ganha um presente de quem você não gostaria mais de ter contato?

Sally e Somir, obviamente, discordam.

Mais ou menos como a minha CARA fez semana passada, eu vou entrar para perder hoje. Então eu nem vou ter o trabalho de fazer uma manipulaçãozinha antes de soltar a bomba:

Homem se conquista, mulher se “compra”.

Aposto que as mulheres já começaram a discordar e os homens (Mesmo que mintam depois nos comentários.) já estão batendo palmas por ler essa verdade finalmente sendo dita.

Já viram algum homem cheio de orgulho falando por aí que sua mulher o enche de presentes? Já viram algum homem dizer com confiança que sua mulher gosta muito dele por ter gastado uma NOTA comprando alguma coisa para ele? Já viram algum homem perdoar mulher por ganhar um presente? Agora, pensem no contrário. Todo mundo já viu mulher fazendo isso.

Sabem o motivo dessa discrepância de comportamentos? É fácil. Eu já respondi no começo do texto. Antes que a minha CARA tenha um dos seus famosos chiliques de “eu não sou interesseira” e abandone o blog, eu explico melhor:

Um homem valoriza uma mulher pelo tanto de dedicação que ela demonstra. Seja cuidar da aparência, seja demonstrar exclusividade, seja tratá-lo como seu herói e mostrar que ele é o melhor homem do mundo, seja lavar as cuecas dele… Não importa como a mulher demonstre, dizendo para ele que ela quer ser DELE já está fazendo sua parte.

Uma mulher valoriza um homem pelo tanto que ele gasta com ela. E eu não estou falando de dinheiro. É parte integrante do instinto da mulher: Ela quer um provedor. O provedor não é exatamente o homem com mais dinheiro, o provedor é o homem de confiança que pode tomar conta dela se ela precisar. O provedor não é egoísta, o provedor se esforça pelo bem do seu grupo. E ser a preferida desse provedor é sinal de poder e estabilidade. E como se demonstra para uma mulher que ela é a sua predileta? Gastando mais com ela. Aí entra dinheiro, entra tempo, entra atenção… Tudo é contabilizado.

Entendam que não é uma questão financeira.

Um homem que não é atraente e não é rico pode conquistar uma mulher linda dando presentes para ela. Não é o quanto em dinheiro foi despedido, é o quanto de esforço e atenção estão embutidos naquele presente.

Mulher feia e pobre tem que ser muito inteligente ou muito vadia para conseguir CONQUISTAR algum homem que não esteja desesperado. Podem me odiar, mas é verdade.

Como eu já disse, entrei para perder. Eu sou um suicida que diz várias coisas que não deveria…
Mas todo homem sabe que um dos maiores atalhos para se ganhar uma mulher é um presente. Quanto mais caro e bem pensado, melhor. (Mesmo que ela não esteja nem aí para o quanto ele tem. É questão do instinto feminino, não interesse direto no dinheiro dele.)

Já adianto que não tenho nenhuma raiva secreta das mulheres e que não acho esse mecanismo de atração algo reprovável, JUSTAMENTE por perceber o que está por trás disso.

Essa argumentação toda é para defender que NÃO SE DEVE ACEITAR presentes de quem tem algum interesse em você que não vai ser correspondido. A não ser que você QUEIRA essa pessoa correndo atrás de você.

Aceitar um presente numa situação onde é claro e sabido que a pessoa que presenteou tem algum interesse por você é manter uma porta aberta. Por motivos diferentes em gêneros diferentes. O que cada um quer dando um presente:

HOMEM: Conquistar. Para um homem é um processo direto de causa e conseqüência. Se a mulher aceitar, é porque ainda o quer como seu provedor. Ou pelo menos ainda não descartou a possibilidade. É muito humilhante para um homem ter seus presentes rejeitados por uma mulher que está tentando seduzir. É sinal inegável de falta de interesse NELE.

MULHER: Aproximar. Como sempre as mulheres fazem caminhos mais complicados. Quando uma mulher presenteia um homem pelo qual se interessa, o que ela quer é ter uma oportunidade de fazer contato e ser lembrada através dele. A mulher quer se fazer presente, por assim dizer. Se o homem aceita é porque ainda quer ter algo DELA por perto.

Discordo e MUITO da minha CARA aqui em baixo. Mesmo sem ler o que ela escreveu. Ela é da teoria do “Obrigado pelas jóias, otário”. Não que eu discorde de que quem dá um presente para quem não gosta dele é um otário, pois o é. Mas eu sou da idéia de que não se dá abertura para quem não se quer por perto.

E deixo um conselho para você, minha CARA: Assim que você começar a namorar de novo vai ter um problema sério para resolver se continuar pensando assim. Logo no primeiro presente. Porque chamar o otário de otário não vai ser o suficiente para alguns homens.

Estendo meu conselho para todas as outras pessoas que aceitarem presentes nessas condições nesse Natal e em outras datas: Esse tipo de presente NUNCA é só um presente, e aceitar NUNCA é só aceitar. Uma das coisas que não tem preço é ter paz.

Presenteie-me com um Playstation 3 e eu jamais vou te esquecer: somir@desfavor.com


Sou orgulhosa para muitas coisas nessa vida, mas não para presentes. Lido com presentes de uma forma muito particular, principalmente presentes vindos de homem.

Lembro até hoje de um episódio de muitos e muitos anos atrás, quando recebi de presente um anel muito caro vindo de uma pessoa com a qual eu estava muito magoada. Peguei o anel, escrevi um bilhete dizendo “O anel está à venda, eu não.” E devolvi. Isso mesmo, a burra DEVOLVEU o anel. Como somos radicais quando somos jovens…

Hoje eu não me faço de rogada! Quer me dar um presente? Pode dar. Sem problemas. Não vai conseguir nada em troca, e deixo isso bem claro, mas pode dar que eu aceito! Qual o problema em aceitar um presente de uma pessoa com a qual você está magoada, chateada ou brava? Não acho humilhante nem contraditório.

Minhas amigas mais chegadas sabem que durante este ano todo um ex me presenteou compulsivamente.Ele nunca teve nada em retribuição além de um e-mail, no entanto, até presente no dia dos namorados eu recebi! Se o sujeito é burro o suficiente para ficar gastando dinheiro comigo, sabendo que não tem volta e sabendo que não vai receber sequer um telefonema, quem sou eu para impedi-lo? Estando solteira, não vejo problemas em aceitar!

Vamos lá: qual o prejuízo em aceitar um presente de uma pessoa que você não gosta ou te magoou? Porque se você não aceita, a pessoa te chama de grossa e ainda acaba saindo de vítima! Aceitem! Aceitem! Se for uma coisa feia, vende no Mercado Livre!

Madame aqui de cima é cheio de frescura com isso. Acha que o ato de aceitação do presente diz muito aos olhos de quem presenteia. Talvez, em um primeiro momento, ao ter seu presente aceito, a pessoa pense que te conquistou, mas esse mal entendido acaba rapidinho quando a pessoa te liga, chama para sair e você diz “Não, muito obrigada”. Viu como é fácil? Se existia algum pensamento errado, em cinco minutos tudo se esclarece!

Nesta época do ano, o assunto ganha mais importância, porque as pessoas entram em um frenesi de se presentear. Gente que falou mal de você o ano todo, gente que te sacaneou, gente que mal sabe seu nome… todos são tomados pelo espírito natalino e batem na sua porta com um sabonete do O Boticário, com uma caixa de bombom ou com qualquer outro presente nas mãos e com cara de quem te ama de verdade. Não dá para lutar contra isso!

A coisa fica ainda pior quando quem presenteia é aquele tipo de ex que todo mundo tem: um ex-croto. Eu aceito presentes de ex-croto. Aliás, eu acho bem merecido que um ex-croto gaste seu dinheiro comigo, afinal, ex-crotos fazem a gente sofrer. O presente não deixa de ser uma forma branda de indenização. Deixa o ex-croto gastar uma grana com você! Pega o presente, dá um beijo na bochecha dele, vira as costas e vai embora… Quem perde com isso, você ou ele?

Uma vez a Madame aí de cima me disse que aceitando presentes de ex eu estava dando a eles o que eles queriam: a possibilidade de ter contato comigo. Vamos falar sério, que ser humano em sã consciência gasta dinheiro para poder ter contato comigo? Fiquei até comovida com essa idéia ridícula. Acredito que a motivação seja outra, como culpa, medo, arrependimento e etc. Não existe alguém morrer em uma grana só para receber um e-mail meu!

Excesso de orgulho é brega. Ficar criando animosidade e climão por causa de um presentinho? Tem que aceitar! E não é só no natal não, minha gente, é no ano todo!

Qualquer mal entendido em função da aceitação do presente pode ser desfeito. Em compensação, se você PRESUMIR que é um presente mal intencionado e recusar, nunca mais vai tirar a tromba da cara de quem te presenteou e pior: não vai ter como provar nem ter certeza de que foi realmente mal intencionado.

Tantas vezes eu pensei que pessoas estavam mal intencionadas e no final das contas era IMBECILIDADE PURA… O ser humano consegue ser tão imbecil! Ultimamente, antes de cogitar a hipótese do elemento ser um filho da puta, procuro pensar primeiro se não é um sem-noção, um retardado emocional ou um chato mesmo. Tem mais gente mala do que gente má no mundo.

E só para ilustrar, a Madame aí de cima já me deu presentes depois que o nosso namoro acabou, assim como EU também já dei presentes à Madame depois que nosso namoro acabou. Não achei ofensivo e não me trouxe qualquer problema!

Não quer o presente porque te lembra ao ex-croto e vai te trazer sofrimento? Aceita e doa. Tem tanta gente precisando de bens materiais neste mundo!

Aceitar um presente é só isso: ACEITAR UM PRESENTE. As conseqüências disso estão na sua cabeça. Aceitar um presente não te obriga a nada, nem mesmo a ficar com ele.

Fica aqui meu beijo especial para meu ex-croto que renovou meu guarda-roupas este ano (danadinho, conhece meu gosto para roupas como ninguém!), e me deu outros presentes muito bacanas. Não volto para você nem que aconteça uma hecatombe nuclear no mundo e só sobre você de macho, mas amei os presentes, ta? beijosnãomeliga!

Para presentear com roupas, jóias, perfumes, sapatos e bolsas: sally@desfavor.com