Sugestões?

Você tem alguma ideia de tema que quer sugerir para nós? Aqui é o lugar. É muito difícil acompanhar as sugestões que vocês fazem na nossa rotina diária de posts, e com tudo centralizado aqui queremos simplificar o processo de vez. Vale sugerir qualquer tema, vamos analisar cada uma das suas ideias, e se for possível (vulgo soubermos falar disso de forma decente), pode apostar que vamos escrever sobre o assunto e te mencionar no post. Se quiser dar ideias sobre CONTEÚDO, este é o lugar. Vamos lá?

Comentários (246)

  • Sally, mais duas sugestões sobre primeiros socorros.
    1 – Você já falou sobre engasgamento, mas que tal um agora sobre corpos estranhos alojados no nariz, nos olhos e nos ouvidos? O que tem de criança pequena com pais descuidados que dá entrada em pronto-socorro com botões, moedas e grãos de feijão enfiados no nariz e nos ouvidos não é brincadeira. Há também os adultos que mexem com lixadeiras e maquinários similares de metalurgia sem óculos de proteção e acabam sendo atingidos nos olhos por cavacos (lascas) de metal.

    2 – Como lidar com vítimas de pancadas, concussões, nocautes em lutas, golpes com instrumentos contundentes e surras em geral.

  • sugestões para o ele disse, ela disse, ou se vocês não discordarem, para outra coluna.
    – O Brasil deveria autorizar jogos de azar (bingos, cassinos)?
    – Voto capacitário é o ideal ?
    – Qual o melhor sistema de governo, parlamentarismo ou presidencialismo?

  • Desfavor Explica: Gêneros Musicais
    Podem ser citados:
    – principais gêneros (rock, samba, pop, jazz, flamenco, tango, fado, blues, R&B, disco, infantil, canto gregoriano, mambo, salsa, merengue, cumbia, andina, erudita, MPB, bolero, sertaneja, folk, funk, hip hop, rap, infantil, reggaeton, eletrônica, big bands, country, soul, gospel, reggae, soul, world music, etc.)
    – particularidades de cada um (origens, lugares do mundo onde são mais apreciados, instrumentos característicos)
    – variantes dentro de um mesmo gênero (exemplos: no rock há o rockabilly, o hard rock, o soft rock, o pop rock, o rock progressivo, o glam rock, o punk rock, o A.O.R., etc., enquanto que no samba há o partido alto, o samba rock, o samba-jóia, o pagode, o samba canção, o samba de roda, o samba de breque, etc.)
    – misturas e/ou fusões entre gêneros

    O que acham?

  • Outro sobre primeiros socorros: depois do texto sobre como sobreviver ao calor, que tal um agora sobre o exato oposto, falando sobre exposição ao frio intenso e com dicas de como evitar/tratar hipotermia?

  • Provavelmente uma sugestão perigosa, mas como o somir escreve sobre esses temas mais internacionais e bizarros, que tal a polêmica da onu com os mangás e animes japoneses? Agora os globalistas vão pegar no pé dos asiáticos com força!

  • Que tal um texto estilo “volta ao mundo” sobre gêneros musicais ruins? Se aqui no Brasil temos funk, axé, arrocha e sertanejo universitário a estuprar nossos ouvidos, outros países também tem seus chorumes sonoros, tais como cumbia (Argentina), Kuduro (Angola), Música Pimba (Portugal), Smooth Jazz (EUA), K-Pop (Coréia do Sul), etc. Além de explicar o que são e de onde vêm, vocês também podem meter o pau nessas porcarias à vontade. O que acham?

      • Vi que Kenny G, com seus solos intermináveis de saxofone, é classificado como Smooth Jazz. Esse gênero, pelo que li, também é depreciativamente chamada de “música de elevador”, embora eu nunca na minha vida tenha usado um elevador com música ambiente…

        • Hmm capisco. É, assunto que talvez dê um texto sim.

          Kenny G, na verdade, é criticado não por solos intermináveis, mas por não ter aqueles solos cheio de novidades com utilização de 5a aumentada, 7a diminuta, 9b, 13#, e utilização de escalas gregas e tal.

          E, na verdade também, Kenny G está mais para o “easy listening” do que pro smooth jazz. O primeiro carrega aquela ideia de algo suave e fácil de ouvir, saca? Não tem solos complexos nem nada que exija muito do ouvinte. Já o segundo é uma variação do fusion jazz (uso de 13#) com uma pegada r&b e pop. Outra característica do smooth é que pode ter solo ou não, mas a ideia não é ter aqueles solos pesados e complexos. É por isso que esse gênero é criticado ou depreciado pelos amantes de jazz, por não ter as novidades harmônicas que os outros subgêneros trazem.

    • Sim, W.O.J. … quando li a respeito fiquei tão deprimido que nem quis comentar bosta nenhuma a respeito. Nessas horas a gente vê que é um passo pra frente e mil pra trás no quesito evolução de pensamento. Na postagem a respeito, estava todo mundo com o mesmo argumento da Sally: “Imagina se fosse ao contrário, branco só comprar com branco…”. E tome “dívida histórica”, e tome “racismo”, e tome “preconceito”, tudo de novo, tudo de novo… vou acabar parando de ler tranqueira na Internet e ficar só aqui!

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.