Sugestões?

Você tem alguma ideia de tema que quer sugerir para nós? Aqui é o lugar. É muito difícil acompanhar as sugestões que vocês fazem na nossa rotina diária de posts, e com tudo centralizado aqui queremos simplificar o processo de vez. Vale sugerir qualquer tema, vamos analisar cada uma das suas ideias, e se for possível (vulgo soubermos falar disso de forma decente), pode apostar que vamos escrever sobre o assunto e te mencionar no post. Se quiser dar ideias sobre CONTEÚDO, este é o lugar. Vamos lá?

Comentários (331)

  • Olá! Eu me chamo Gustavo, tenho 26 anos e sou criador do blog QueroScat – Hoje, o mais completo site sobre o fetiche scat. (Sexo com cocô, xixi e peidos) focado em informações e curiosidades sobre o tema. Uma raridade por aí.
    Gostaria de sugerir uma matéria , uma entrevista, ou até um textos feitos por mim, em parceria com vocês…
    Vocês fizeram a semana escatológica em 2010! haha (sim, achei isso no Google) e acho que seria legal levantar sobre o tema de novo.
    Muito obrigado, aguardo um retorno. :)
    Gustavo.

  • Aproveitando que o tema de hoje foi as forças armadas do Brasil, que tal um texto desmistificando a participação na Segunda Guerra? As lutas e as vitórias dos pracinhas na Europa contra o nazi-facismo foram mesmo heróicas, dadas as condições em que a FEB e a FAB tomaram parte nos combates; mas, como todo o respeito que os mortos, os feridos e os veteranos sobreviventes dessa campanha merecem, o fato é que as batalhas de que participaram foram de menor importância no cenário geral da guerra.

  • Que tal um “Desfavor Explica” sobre o porquê de praticamente não haver negros na Argentina e no Chile? No vizinho Uruguai, há alguma presença negra, mas entre argentinos e chilenos, esta é quase que inexistente. E, pelo que sei, nesses países também houve mão-de-obra escrava trazida à força da África durante o período colonial, exatamente como no Brasil e em todo o Cone Sul. Então, o que aconteceu?

  • Poderia falar sobre a repentina subida da esquerda na Argentina e possiveis impactos no Brasil? Li que se a esquerda de la nao e muito boa e pode fazer estragos locais la e case ganhar la, pode ajudar bozo se reeleger dizendo ” Veja o que a esquerda fez na Argentina, vcs querem a mesma coisa aqui?”

    • Não é repentina não. Macri fez um monte de cagadas que geraram essa repulsa. Certamente o Peronismo é pior, mas é populista, então, merda por merda, o povo prefere quem dá uma esmola.

      Minha opinião: peronismo é pior, eu os odeio, mas eu QUERO que eles ganhem. Motivo: o país está tão fodido que vai pro fundo do buraco, não importa quem vença, então, deixa os peronistas ficarem com esse pepino.

      Sobre a fala do Bolso: alarmismo puro. Ninguém na Argentina está tão desesperado a ponto de fugir pro Brasil.

      • Sally, segundo algumas coisas que eu já li, teria sido justamente com o advento do peronismo que a Argentina começou o seu longo e tortuoso caminho de decadência, em que ainda está. Isso está correto? Bem que eu gostaria de ter mais informação a respeito, vinda, principalmente, de “uma nativa”. Essas leituras me indicaram também que a Argentina, de um país com a sexta maior economia do mundo nos anos 20 – cuja capital Buenos Aires fazia jus à cognominação de “Paris da América do Sul” – , acabou se transformando aos poucos uma republiqueta latina como todas as outras: com muita instabilidade política e econômica, atrasada e pobre. Como pode uma nação que um dia foi capaz de deixar o “gigante” Brasil no chinelo decair tanto assim? Mais uma coisa: um dos que condenam o peronismo é o Paulo Guedes, Ministro da Economia do Bolsonaro. Dá uma olhada: https://exame.abril.com.br/economia/desde-o-peronismo-argentina-so-afunda-diz-paulo-guedes/

        Pensando nisso, será que rola um texto explicando o que vem a ser o peronismo e qual foi seu legado (bom ou ruim) para a Argentina?

        • Política é complicado, é muito subjetivo. Sim, eu acho o Peronismo um câncer, responsável por toda a derrocada argentina, mas vai ter quem diga o contrário…

  • Mais algumas idéias que me ocorreram:

    A – Cicatrizes, tanto as físicas quanto as emocionais e as psíquicas; partindo da premissa: “se você não as têm, alguma coisa está errada”. Tenho para mim que, se chegar “incólume” a uma certa idade, uma pessoa ainda não “viveu”. Ou seja, essa pessoa não passou por experiências – algumas até traumáticas, admito – que, para o bem ou para o mal, deixam marcas e que, também para o bem ou para o mal, são sim necessárias para o amadurecimento e para o crescimento pessoal. Vocês podem também discutir se há ou não uma “idade certa” para certas coisas.

    B – Um texto sobre como está cada vez mais difícil se fazer entender hoje em dia, sobretudo por escrito, já que não há o fator “tom de voz” para ajudar a dar o teor certo da mensagem. BMs em geral, quando lêem, até conseguem juntar as letras e as palavras, mas não entendem nada realmente. Por causa de ao menos quatro fatores:
    1- a cada vez mais teratológica educação brasileira, que nos envergonha perante o mundo e permite que analfabetos funcionais cheguem à faculdade
    2- uso excessivo de certas palavras bem-soantes em qualquer contexto – e até sem nenhum contexto – até que seus significados sejam “esvaziados”
    3- a incrível preguiça que o populacho tem para evoluir intelectual e culturalmente que todos nós, infelizmente, já conhecemos muito bem
    4- a polarização, a estupidez e o fanatismo típicos tanto da esquerdalha lacradora politicamente correta quanto daquela turma que o Leandro Karnal chama de “direita delirante”
    Daí essa BMzada acaba nos deixando “perplectos” ao não conseguir perceber ironias, piadas, deboches, falácias, sátiras, paródias, hipérboles, referências, paráfrases, distorções, citações, paralelos, comparações, relações de cause e efeito, etc.

    C – Agora que o Bolsonaro é presidente e tem se falado mais na questão de o cidadão comum poder se defender a bala, pensei se não dava pra tocar num assunto até que batido, mas ainda assim importante: o das armas de brinquedo. Ao longo dos anos, já vi muita gente se pronunciar tanto contra quanto a favor, mas gostaria de poder ler algo no estilo “Desfavor Way Of Life” sobre o assunto. Quem é contra diz que armas de brinquedo tornam as crianças mais propensas a comportamentos agressivos, predispostas a resolver tudo apenas na força bruta e insensíveis à violência. Já quem é a favor argumenta que a fantasia do brincar com simulacros de armas ajuda a incutir valores positivos como honra, bravura, coragem a noção de que o mal deve ser combatido.

  • Vendo as notícias de que o novo Agente 007 será uma mulher negra e de que um artigo do “The Washington Post” chamou o remake de “O Rei de Leão” de facista (leiam aqui: https://www.washingtonpost.com/outlook/2019/07/10/lion-king-is-fascistic-story-no-remake-can-change-that/?noredirect=on&utm_term=.f2d96b82bd76 e aqui: https://www.einerd.com.br/o-rei-leao-fascista/), pensei se não daria pra fazer um texto sobre essa turminha da lacração que exige que tudo no entretenimento esteja sempre de acordo com suas caprichosas – e distorcidas – visões de mundo e reclama do conservadorismo. Recentemente, os gibis “progressistas” da Marvel encalharam a ponto de serem cancelados e o remake feminista de “Os Caça-Fantasmas” foi um fracasso retumbante. Será que essa cambada não aprende nunca?

  • “That’s one small step for man, one giant leap for mankind.”. A histórica missão da Apollo 11 fez 50 anos esta semana. E acreditem os conspiracionistas ou não, isso aconteceu mesmo. O Homem foi mesmo à Lua. Foi uma espetacular conquista científica e de toda a humanidade. O Somir pensa em escrever algo sobre isso?

  • Avatar

    Schandelly Thompson

    EU ia sugerir na época que o assunto bombou por causa do Neymar, mas acabei esquecendo.
    Já saiu o “sobrevivendo a um estupro “?
    Lembro que nos comentários de um desses “sobrevivendo a” que infelizmente vc teria que escrever sobre o assunto.
    Se não, vcs poderiam fazer a semana “strumpu ” cada dia um texto sobre uma Nuance diferente do tema, estupradores, estupros masculinos, sobrevivendo a um estupro, estupro coletivo e et
    ..
    O assunto está sempre em voga e nunca sai de moda.

  • No texto “Primeiros Socorros – Radiação”, a Sally diz que há formas de providenciar uma eutanásia no Brasil. Se possível, gostaria de um texto sobre o tema, já que não sabemos o que o futuro reserva para nós e para pessoas queridas em termos de saúde.

  • Já faz algum tempo que, infelizmente, quase tudo o que faz sucesso ou vira moda em matéria de entretenimento (filmes, séries, programas de TV e músicas) acaba ganhando sua contraparte evangélica. Pensando nisso, talvez vocês possam fazer algo esculhambando as “versões gospel” mais toscas que encontrarem e, quem sabe, compará-las com as produções originais. Um exemplo de até onde a turminha evangélica pode ir é isto aqui: o BIBLEMAN! O super-herói de Chessus! Vejam um trecho do seriado de TV da “criatura”, surgida nos EUA:

    https://www.youtube.com/watch?v=x7cdqXCMaGg

    Mais informações sobre ele podem ser encontradas neste artigo da Wkipedia:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Bibleman

    E tem até “action figures” (vulgo bonequinhos) dele! Vejam:
    https://thumbs.worthpoint.com/zoom/images1/1/0218/06/bibleman-bibleman-figure_1_19d0abed1c07e1452455f4818ae42460.jpg

  • Sally, vc poderia fazer uma coluna sobre mistério? Acabo de ler algumas coisas sobre Setealem. Talvez alguma coisa sobre fenômenos paranormais, ETs e coisas que a ciência ainda não é capaz de esclarecer também sejam legais. O que você acha? Muito bobeirol?

  • A Sally já escreveu dois textos sobre brinquedos modernos bizarros e sem noção que a deixaram “perplecta”, mas que tal um agora sobre os da nossa infância que hoje certamente causariam urticária na lacrosfera e seriam vetados pela patrulha do politicamente correto? Dois exemplos dentre os “de menino” são, creio, os que imitavam armas – tive muitos – e outros de inspiração militar como os bonecos “Comandos em Ação”.

    Pra vocês terem uma idéia, no meu “arsenal” infantil havia:
    – revólver de espoleta do Rambo (https://http2.mlstatic.com/revolver-espoleta-rambo-6-cartelas-espoletas-D_NQ_NP_773012-MLB26324457072_112017-F.jpg)

    – metralhadora que soltava faísca da Estrela (https://scontent.cdninstagram.com/vp/2d581027536e4332c8e402b0435cbdf3/5D786C57/t51.2885-15/e35/c99.0.521.521/s480x480/23507584_1373225166120185_372965605545869312_n.jpg?_nc_ht=scontent-frx5-1.cdninstagram.com)

    – arco de plástico cujas flechas tinham ventosas nas pontas – esse não era exatamente igual ao que eu tinha, mas foi a imagem que eu achei – (https://http2.mlstatic.com/kit-arco-e-flecha-com-ventosas-e-porta-flechas-brinquedo-D_NQ_NP_652278-MLB26562883238_122017-F.jpg)

    – espada ninja de plástico acompanhada de “shurikens” (https://http2.mlstatic.com/brinquedo-antigo-espada-jiraya-brinquedos-rosita–D_NQ_NP_863162-MLB28104436061_092018-F.webp)

    Falando ainda em brinquedos “perigosos”, permitam-me por favor contar um causo: um colega de escola tinha um desses joguinhos de química e eu tinha visto, acreditem, em um gibi do Tio Patinhas, a fórmula da nitroglicerina (C3H5N3O9), aquele negócio super volátil que explode só de balançar o frasco. Com essa fórmula em mãos e inspirados pelo que víamos em alguns desenhos animados, tentamos misturar os ingredientes à nossa disposição de várias formas diferentes pra fazer nossa própria nitroglicerina em casa! Não deu certo, claro. Os produtos do joguinho eram super diluídos e ninguém ali era gênio da química pra conseguir fabricar nitroglicerina caseira. Se tivéssemos conseguido, no entanto, acabaríamos fazendo uma cratera de dez metros no quintal da casa desse colega. Acho que a gente não batia muito bem da cabeça…

  • Que tal um texto sobre grandes decepções que vocês já tiveram? Vocês podem começar com algo mais leve, como por exemplo, uma viagem muito esperada que depois acabou não sendo tão legal assim, algum bem de consumo que parecia super incrível no comercial e depois de comprado revelou-se ser uma bela de uma merda, uma série de TV que começou muito bem e desandou depois. Mais adiante, se quiserem, podem até, quem sabe, partir pra coisas mais sérias: contar sobre um emprego que parecia bom nos primeiros dias mas que ou não durou muito ou que causou tanto estresse que ficou sendo melhor pedir demissão, amizades que os deixaram na mão bem na hora em que mais precisavam, um funcionário ou colega de trabalho que tenham feito ou uma grande cagada ou uma grande filhadaputice, um relacionamento que parecia ter futuro e ficou pelo caminho, etc. Ou isso seria querer saber demais de coisas pessoais de vocês?

  • Tenho visto muita coisa sobre o Dr. Lair Ribeiro ultimamente: uns falando que ele é o único médico que presta no país e outros o chamando de charlatão. Até acho que algumas das coisas que ele fala são acertadas, mas tem alguma coisa nele, que mão sei explicar, que pra mim “não bate”. Dá um texto ou não?

    • Não conheço, vou pesquisar sobre, mas já te adianto que dizer que ele é o único médico que presta é fanatismo de gente ruim de cabeça…

      • Sei disso. Por isso a sugestão. E, como eu disse, tem qualquer coisa nele que pra mim, “não bate”, embora eu não saiba explicar muito bem o que é. Além do mais, quando algo parece ser bom demais pra ser verdade, geralmente é caso pra, no mínimo, a gente desconfiar. Tenho acompanhado a trajetória dele de longe e ele me parece estar aparecendo ultimamente quase que como um guru, sempre com resposta certeira pra tudo e um sujeito que “combate a indústria farmacêutica malavada enquanto é acusado de charlatão por invejosos”.

  • Sally e Somir: assim que pus os olhos nesta imagem, pensei em vocês! Eu não sabia onde colocar o link disto pra vocês verem sem que parecesse coisa fora de lugar, mas vocês têm que guardar essa foto e usar futuramente pra ilustrar alguma postagem sobre a qual caiba o uso da expressão impopular “Cadê o seu deus?”. Peguei essa foto no Pracas Ridídulas. Eis a imagem: https://3.bp.blogspot.com/-c-27elw0aME/W_2fu-4-5sI/AAAAAAAARZU/uca_q8d_7Mg8LJXgepbcYbNHcwpwZ6iXACLcBGAs/s1600/Cancelado.jpg

  • Tem um programa chamado “Largados e Pelados” em que um homem e uma mulher são deixados em um lugar inóspito sozinhos (apenas com os cinegrafistas, um médico, o diretor, os contra-regras…) e com um objeto cada um, à sua escolha. Geralmente é uma bosta de lugar cheio de insetos, animais perigosos, chuvoso pra caralho. Nunca vi na neve ou num deserto, pois fazer isso com pelados seria condená-los à morte. Eles precisam sobreviver por algumas semanas e se um precisar sair, o outro prossegue o desafio sozinho, com os dois objetos. Cada um de vocês vai escolher um objeto como mais importante no “Ele disse, Ela disse”, além de um terceiro objeto que você vai dizer que o outro deveria ter escolhido em vez daquele que escolheu. Tipo: o número um é o que eu escolhi, o número 3 é o que essa criatura escolheu em lugar de ter escolhido o número 2, que teria sido uma ideia bem melhor.

  • URGENTE:CASONEYMAR
    /NAJILA/ESTUPRO/PARIS

    Bom dia Sally, passando aqui pra te pedir um post urgente, ainda no calor dos acontecimentos sobre o novo desdobramento no caso Neymar veiculado no cidade alerta em que najila reclama das marcas e ele diz que a culpa também era dela pois ela pedia mais . No caso uma lesão corporal tá configurada. O que vc acha ?
    #CidadeAlerta exibe a última conversa entre Nájila Trindade e o jogador Neymar. https://t.co/dqikbpVPQQ

      • Legal, fico na espera. Só mais uma acréscimo: além do vídeo em que ela tambem comete lesão corporal dando uns tapas nele, tem o laudo que atesta que ela teve lesão num dedo. Será que vão se firmar nisso prá dar uma agravada no caso? Mas acho que estou querendo ensinar o padre a rezar a missa. Desculpa aí, bom trabalho!

  • Que tal um texto sobre TOCs e manias esquisitas? Já ouvi falar de muitas. Tem gente que toma um cuidado enorme no caminho diário entre a casa e o trabalho para pisar somente em determinadas pedras da calçada, tem uns que implicam com números ímpares e só compram coisas aos pares, tem quem verifique mil vezes se a porta de casa está mesmo trancada antes de sair, tem pessoas com tara de organização que surtam com cada mínima coisa que encontrem fora de lugar… Uma vez vi um sujeito que fazia algo estranhíssimo, sem sentido e sem utilidade: identificar tudo o que tinha dentro de casa com etiquetas onde escrevia os nomes das próprias coisas! Assim, esse cara punha uma etiqueta na mesa escrito “MESA”, uma no armário escrito “ARMÁRIO”, uma no ventilador escrito “VENTILADOR” e por aí vai. Que doideira, não?

    • Seria muito bacana, mas acho que é mais para o Somir do que para mim, me falta empatia nesses casos e eu tendo a fazer muitas piadas com algo que deve ser muito sofrido…

  • Renda Mínima Universal. Acho que o Somir já fez um texto mencionando isso, mas seria interessante um texto mais aprofundado. Ou um Ele Disse Ela Disse sobre o que cada um pensa, se discordarem.

  • Avatar

    Geraldo Renato da Silva

    Boa noite.
    Sei que já passou o show deles, mas seria bem legal vocês fazerem uma matéria sobre essa coisa de K-pop e BTS.
    Nada contra, mas uma mãe ficar numa fila durante três meses para comprar ingresso para a filha que não pode ter uma frustração, acho meio doentio.
    Confio no talento e no humor mordaz dessa dupla!

  • Brasileiros mentirosos: bel pesce e joana (professora de Química que mentiu sobre ter estudado em harvard e que ia virar filme a sua biografia).

  • Vocês podiam fazer um Processa Eu da Latrícia Pélis. Já viram a tempestade de merda que virou a vida da garota? Perdeu até o selo de verificado no Instagram.

    • Ahhh… Processa Eu é para desmistificar uma pessoa famosa. Essa menina é desconhecida e os poucos que conhecem sabem que é uma mentirosa compulsiva

  • Relendo alguns textos antigos daqui sobre ocasiões bregas, desconfortáveis, cansativas e maçantes às quais a gente vez ou outra é obrigado a ir, pensei se não daria pra fazer um guia de desculpas para usar na hora de recusar convites. Os eventos a que refiro são aqueles que vários de nós impopulares detestamos do fundo da alma porque são um verdadeiro pé no saco: casamentos, batizados, aniversários de criança, chá de bebê, chás de panela, churrascos, reuniões de família nos finais de ano, amigos secretos e confraternizações de empresa. Acho que também podem ser dadas dicas sobre o que fazer quando for mesmo impossível deixar de ir nessas chatices, com truques para tentar se aborrecer o menos possível e, quem sabe, ainda evitar magoar outras pessoas e não ficar com fama de “chato-amargado-e-de-mal-com-a-vida-que-não-sabe-se-divertir”.

    • Olha, hoje o conselho que eu te dou é: fique na verdade. Fala a verdade e quem quiser se chatear com você, que se afaste.

  • Sugiro o tema,,, a ser escrito por um grupo multidisciplinar de psicólogos, neurocientistas, psiquiatras, psicanalistas e outros cientistas ,,, : EXISTE UMA RELAÇÃO ENTRE A SÍNDROME DE DIÓGENES E A ACUMULAÇÃO DE CONHECIMENTO INÚTIL ?

  • Desfavor Explica: Grandes Clássicos da Literatura Universal. Com sinopses, temáticas, contexto histórico, gênero literário, estilo de cada autor, aspectos estéticos e técnicos, impacto social, alcance, influência no mundo, etc.

    Alguns livros que podem (ou não) ser mencionados:
    – Dom Quixote
    – A Odisséia
    – O Príncipe
    – Metamorfose
    – O Processo
    – A Colônia Penal
    – 1984
    – A Revolução dos Bichos
    – Fahrenheit 451
    – Robinson Crusoé
    – A Divina Comédia
    – Os Lusíadas
    – Dom Casmurro
    – Recordações do Escrivão Isaías Caminha
    – Orgulho e Preconceito
    – Crime e Castigo
    – Os Irmãos Karamazov
    – Ulisses
    – Lolita
    – Cem Anos de Solidão
    – O Apanhador no Campo de Centeio

    A lista acima não está em ordem de preferência. E sintam-se à vontade para incluir mais alguma coisa…

  • Uma sugestão para o Somir: nos Des Contos ele escreve com bastante freqüência sobre um futuro totalmente dominado pela tecnologia, repleto de inteligências artificiais, robôs de vários tipos, simuladores para as pessoas “terem idéia de como certas coisas eram antigamente”, etc. Mas que tal agora um texto sobre toda essa parafernália ultra-moderna entrando em colapso simultaneamente de forma misteriosa e causando um verdadeiro apocalipse com uma “volta ao passado” forçada?

    Imagina só: depois de vários séculos de extrema dependência de máquinas, seres humanos fisicamente inaptos e sem destreza manual nenhuma vendo-se na patética situação de ter que suar muito e bater cabeça até para fazer as coisas que para nós são as mais cotidianas e banais. Pessoas por cujas cabeças jamais passou a idéia de abrir uma lata com as próprias mãos passando vergonha – e até se ferindo – na tentativa de se arranjar sem seus complexos mecanismos automatizados! Gente que durante toda a vida nunca nem sequer viu algum alimento in natura precisando se sujar – mas com verdadeiro pânico de “micróbios” presentes na terra – ou tendo que, depois de muito vomitar de nojo, abater animais para terem o que comer…

    O que acha?

    • Eu acho que dá um desfavor convidado dos bons. Eu posso abordar o tema sim, mas se você já teve a ideia, talvez seja mais bacana você explorar isso.

      • Ficção é sua especialidade e Des Contos é um espaço que você ocupa com maestria, Somir. Não me vejo dividindo-o com você, nem ocasionalmente. E, em matéria de escrever, eu sou bom mesmo é em relatar fatos e com descrições. Além disso, todas as minhas tentativas anteriores de escrever ficção sempre ficaram uma grandessísima merda. Por isso, eu prefiro só sugerir essa “sinopse” e deixar para os profissionais.

  • Como vivemos num país de altíssima criminalidade e hoje em dia a polarização é tanta que também se pode apanhar na rua até por simplesmente ter a “opinião errada”, pensei se não daria pra vocês escreverem algo sobre defesa pessoal. Me lembro que, em alguns comentários de textos antigos, a Sally contou ter feito aulas de Krav-Magá e revelou que carregava na bolsa um aparelho de choque carinhosamente apelidado de “Doutrinador”. E quando eu digo “defesa pessoal”, falo não só de saber lutar ou de andar armado. Existe também a questão de não ser tonto de querer bancar o herói enfrentando um criminoso que não tem nada a perder. Outro tópico importante que não pode ser esquecido é o de certos cuidados básicos que se deve tomar fora de casa para evitar e/ou se livrar de enrascadas com o mínimo de dano possível.

    • Esse é mais para a Sally, porque eu escreveria só uma frase: defesa pessoal é arma e/ou condicionamento físico para correr.

  • Deixei sugestão de tema num post aleatório esses tempos sem sequer pensar a vir nessa seção – ou seja, burra e desatenta demais. Foi mal, gente.
    Mas fica aqui uma ideia: Sally, já leu sobre a Boleskine, casa que costumava ser do Aleister Crowley, entre outros? O post de hoje falando de Notre-Dame e a ideia de renovação/destruição (dependendo de quem analisa) inerente ao fogo mais aquele post que a Sally fez sobre a Nessie (o “monstro do Lago Ness”) me indicam que todas as histórias sobre a Boleskine poderiam ser do interesse de vocês. Acho que talvez mais ainda da Sally, não sei. Se não rolar post acho que é um tema curioso, no mínimo, então fica a dica de leitura.

  • eu ri muito dos descult, old but gold. muito engraçado o do bozo e o do he man, então sugiro um des cult do fantasia, o programa do sbt.

  • Avatar

    Tenho medo mas a curiosidade é maior

    Sobre zangbeto. Caralho, Sally! Pqp.
    Medão!!!

    Obs.: aproveitando o momento, seria interessante um desfavor terror com mistérios sobrenaturais

  • Conta a historia mesmo sem ter provas (fiquei com medo de mencionar o nome) rs
    Eu tô muito curiosa pra saber (acho que todos estão).

    • Uma pessoa de minha total confiança foi assistir a uma “apresentação”. É cheio de regras, cheio de cuidados, mas a pessoa era malandra e deu um jeito de filmar com o celular. É expressamente proibido colocar a mão ou chegar perto dos Zangbetos. Ao assistir à “apresentação” ela disse ter certeza que existiam pessoas por baixo daquele cosplay de lava jato, dizendo ainda que conseguia ver vultos que pareciam ser os pés das pessoas. Ao final da apresentação ela fez a louca e na cara de pau foi levantar a “roupa” de um zangbeto para flagrar a pessoa por baixo da roupa. Quando ela fez isso, na mesma hora, o zangbeto “desmanchou”, caiu no chão murcho e não tinha ninguém dentro. Isso está filmado, mas eu não posso postar o vídeo aqui, por isso, não tem como escrever um texto sobre o assunto: não tenho como provar e não sei explicar what the fuck é isso.

  • Vendo a Sally responder “em situações extremas nosso corpo tira forças e a gente faz o que tem que fazer” em comentários da postagem sobre parto de emergência na rua, pensei: será que rola um texto justamente explicando como e porquê isso acontece quando estamos nessas tais “situações extremas”?

  • Outra sugestão pra série de primeiros socorros: como lidar com envenenamentos e intoxicações, especialmente de crianças. Infelizmente, há muitos casos de pirralhos que, por descuido dos pais, bebem uma água sanitária que deveria estar guardada em local seguro ou engolem um monte de comprimidos achando que é bala…

  • Acabei de ler uma notícia sobre dois PMs que ajudaram num parto de emergência em plena rua e pensei se não daria pra ter aqui um texto ensinando o que fazer se estivermos num local público com uma grávida prestes a parir e não houver tempo para chamar alguém com o treinamento adequado para ajudar.

    • Não é o melhor dos mundos fazer um parto na rua, mas às vezes realmente não tem outro jeito. Vou fazer um texto sobre o assunto!

  • Sally, mais duas sugestões sobre primeiros socorros.
    1 – Você já falou sobre engasgamento, mas que tal um agora sobre corpos estranhos alojados no nariz, nos olhos e nos ouvidos? O que tem de criança pequena com pais descuidados que dá entrada em pronto-socorro com botões, moedas e grãos de feijão enfiados no nariz e nos ouvidos não é brincadeira. Há também os adultos que mexem com lixadeiras e maquinários similares de metalurgia sem óculos de proteção e acabam sendo atingidos nos olhos por cavacos (lascas) de metal.

    2 – Como lidar com vítimas de pancadas, concussões, nocautes em lutas, golpes com instrumentos contundentes e surras em geral.

  • sugestões para o ele disse, ela disse, ou se vocês não discordarem, para outra coluna.
    – O Brasil deveria autorizar jogos de azar (bingos, cassinos)?
    – Voto capacitário é o ideal ?
    – Qual o melhor sistema de governo, parlamentarismo ou presidencialismo?

  • Desfavor Explica: Gêneros Musicais
    Podem ser citados:
    – principais gêneros (rock, samba, pop, jazz, flamenco, tango, fado, blues, R&B, disco, infantil, canto gregoriano, mambo, salsa, merengue, cumbia, andina, erudita, MPB, bolero, sertaneja, folk, funk, hip hop, rap, infantil, reggaeton, eletrônica, big bands, country, soul, gospel, reggae, soul, world music, etc.)
    – particularidades de cada um (origens, lugares do mundo onde são mais apreciados, instrumentos característicos)
    – variantes dentro de um mesmo gênero (exemplos: no rock há o rockabilly, o hard rock, o soft rock, o pop rock, o rock progressivo, o glam rock, o punk rock, o A.O.R., etc., enquanto que no samba há o partido alto, o samba rock, o samba-jóia, o pagode, o samba canção, o samba de roda, o samba de breque, etc.)
    – misturas e/ou fusões entre gêneros

    O que acham?

  • Outro sobre primeiros socorros: depois do texto sobre como sobreviver ao calor, que tal um agora sobre o exato oposto, falando sobre exposição ao frio intenso e com dicas de como evitar/tratar hipotermia?

  • Provavelmente uma sugestão perigosa, mas como o somir escreve sobre esses temas mais internacionais e bizarros, que tal a polêmica da onu com os mangás e animes japoneses? Agora os globalistas vão pegar no pé dos asiáticos com força!

  • Que tal um texto estilo “volta ao mundo” sobre gêneros musicais ruins? Se aqui no Brasil temos funk, axé, arrocha e sertanejo universitário a estuprar nossos ouvidos, outros países também tem seus chorumes sonoros, tais como cumbia (Argentina), Kuduro (Angola), Música Pimba (Portugal), Smooth Jazz (EUA), K-Pop (Coréia do Sul), etc. Além de explicar o que são e de onde vêm, vocês também podem meter o pau nessas porcarias à vontade. O que acham?

      • Vi que Kenny G, com seus solos intermináveis de saxofone, é classificado como Smooth Jazz. Esse gênero, pelo que li, também é depreciativamente chamada de “música de elevador”, embora eu nunca na minha vida tenha usado um elevador com música ambiente…

        • Hmm capisco. É, assunto que talvez dê um texto sim.

          Kenny G, na verdade, é criticado não por solos intermináveis, mas por não ter aqueles solos cheio de novidades com utilização de 5a aumentada, 7a diminuta, 9b, 13#, e utilização de escalas gregas e tal.

          E, na verdade também, Kenny G está mais para o “easy listening” do que pro smooth jazz. O primeiro carrega aquela ideia de algo suave e fácil de ouvir, saca? Não tem solos complexos nem nada que exija muito do ouvinte. Já o segundo é uma variação do fusion jazz (uso de 13#) com uma pegada r&b e pop. Outra característica do smooth é que pode ter solo ou não, mas a ideia não é ter aqueles solos pesados e complexos. É por isso que esse gênero é criticado ou depreciado pelos amantes de jazz, por não ter as novidades harmônicas que os outros subgêneros trazem.

    • Sim, W.O.J. … quando li a respeito fiquei tão deprimido que nem quis comentar bosta nenhuma a respeito. Nessas horas a gente vê que é um passo pra frente e mil pra trás no quesito evolução de pensamento. Na postagem a respeito, estava todo mundo com o mesmo argumento da Sally: “Imagina se fosse ao contrário, branco só comprar com branco…”. E tome “dívida histórica”, e tome “racismo”, e tome “preconceito”, tudo de novo, tudo de novo… vou acabar parando de ler tranqueira na Internet e ficar só aqui!

Deixe uma resposta para Lucas Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.