+Nos últimos dias, uma nova “bomba” atingiu o mundo político brasileiro com a revelação de um novo áudio (ouça acima na íntegra) envolvendo os executivos da JBS, Joesley Batista e Ricardo Saud, que colocou em risco o próprio acordo de delação dos dois. Na noite de terça-feira (5), o ministro do STF, Luiz Edson Fachin, derrubou o sigilo da conversa, revelando tudo daquele encontro entre os dois.

+

+O ex-ministro Antonio Palocci prestou depoimento nesta quarta-feira ao juiz Sergio Moro, em processo da Operação Lava Jato, e deixou em situação delicada o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem foi uma espécie de braço-direito: afirmou que o petista tinha conhecimento e incentivou o esquema de corrupção na Petrobras e que firmou um “pacto de sangue” com a Odebrecht, que lhe rendeu benefícios pessoais e 300 milhões de reais para financiar suas atividades políticas e do PT.

Não deu tempo nem de respirar direito, o mar de lama da política brasileira continua em maré alta. Desfavor da semana. Continue lendo

+Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.

A delação dos donos da JBS implicou Temer, Aécio e muitos mais, fazendo pairar sobre o país a ameaça de parar tudo. Desfavor da semana, mas não só por isso. Continue lendo

“Brasileiros e brasileiras, foda-se. Foda-se mesmo. Cansei dessa porra toda, cansei de fazer pose. Eu não presto, eu fiz um monte de merda para chegar onde cheguei, tive que subornar, ser subornado, roubar, ameaçar, mandar matar e tudo mais… e sabem do que mais? Caguei. Faria de novo. Sabem por quê? Porque vocês não valem mais do que isso. Pronto, falei! Continue lendo

+O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prestou depoimento na quarta-feira (10) ao juiz Sérgio Moro em Curitiba, em um processo da Operação Lava Jato relacionado a um apartamento triplex em Guarujá (SP). O depoimento durou quase cinco horas. Em seguida, os vídeos foram divulgados pela Justiça.

No link acima, todos os vídeos na íntegra, se você tiver estômago. Nós tivemos. Como não poderia deixar de ser, desfavor da semana. Continue lendo

+A lista de ministros, governadores, senadores e deputados que serão investigados por determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), tem 16 nomes do PT, 14 do PMDB e 11 do PSDB. Todos foram citados nos depoimentos de delação premiada de ex-diretores da empreiteira Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato. A relação também inclui oito nomes do PP, seis do PSD, quatro do DEM, quatro do PSB, três do PR, três do PRB, dois do PCdoB, além dos partidos PPS, PTC e SD, com um nome cada.

Se gritar “pega ladrão”… a lista de Fachin foi o destaque da semana, mas será que o brasileiro médio entendeu mesmo o que foi isso? Desfavor da semana. Continue lendo