Tag: educação

Como você trata os prestadores de serviços? Não me refiro a seu médico ou seu dentista, me refiro a aquelas pessoas que desempenham funções consideradas “menores”. Como você trata o ascensorista, o entregador de pizza, o taxista?

Continue lendo

+Em uma votação apertada, o Supremo Tribunal Federal decidiu, por 6 votos a 5, que professores de ensino religioso promovam as próprias crenças em escolas públicas. O voto de minerva foi o da presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, a favor do modelo confessional, ou seja, aquele ligado a uma religião específica.

Estado Laico AONDE? Mais uma coisa para gastar os impostos que você paga. Desfavor da semana.

Continue lendo

Ensinar mudou de conceito. Infelizmente muitos professores brasileiros ainda não perceberam, e, presos a um conceito antigo, que não se encaixa mais na atual realidade, propagam aulas jurássicas que por óbvio não despertam um pingo de interesse nos alunos. A culpa, é claro, é sempre do lado mais fraco: os alunos são vagabundos, não querem nada com nada ou até mesmo tem déficit de atenção. Não, a culpa é sempre do professor. É ele que tem a obrigação de ensinar e se não alcança seu objetivo, está fazendo algo errado e precisa se reinventar.

Continue lendo

Muito se fala na “dificuldade em dizer não”. Livros de autoajuda traçam teorias mirabolantes que passam desde a baixa autoestima até o signo da pessoa para explicar e dar uma receita mágica para esse problema de não conseguir dizer um “não” com tranquilidade. Já venho pensando sobre o assunto faz tempo e decidi escrever justamente por ter um distanciamento saudável do problema, já que minha maior dificuldade é dar “sim”. Será que está mesmo no emissor o problema em dizer um “não”?

Continue lendo

Tomando um café com uma Impopular, ela levantou uma questão muito interessante, da qual eu me aproprio (com a sua autorização) para escrever o texto de hoje. Assim como existem as pessoas imorais (sabem bem o que é certo e errado e optam por fazer o errado) e amorais (não tem sequer noção do que é moralmente certo e errado), também existem os mal educados e os “aeducados”.

Continue lendo

  • 1
  • 2