Tag: relacionamentos

Num relacionamento duradouro o suficiente, começa uma etapa usualmente tensa de decidir se e quando é hora de casar. Sally e Somir discutem sobre o papel da mulher nesse momento, e os impopulares fazem seus votos.

Tema de hoje: Se a mulher quer casar, ela deve pedir o homem em casamento?

Continue lendo

A polêmica sobre trabalhar com quem se relaciona existe faz tempo, mas Sally e Somir vão além nessa análise de compatibilidade, para saber se currículo conta na manutenção de um namoro ou casamento. Os impopulares se candidatam.

Tema de hoje: o que é melhor, um parceiro que trabalhe na sua área ou um que seja de uma área totalmente diferente?

Continue lendo

Men Going Their Own Way, ou em português “Homens seguindo seu próprio caminho” é um movimento que prega que homens cessem seus relacionamentos amorosos com mulheres. Você ainda não deve ter ouvido falar especificamente dele, afinal, ainda está muito restrito a comunidades online, mas eu acredito que valha muito a pena analisar o contexto que permite a existência de algo assim. E, meio que adiantando o final: tem todo o jeito de algo que só vai crescer daqui pra frente.

Continue lendo

Relacionamentos costumam vir com as bagagens de ambos os envolvidos, e como sabemos, nem sempre elas são positivas. No caso de você ficar sabendo de algo muito ruim do passado da pessoa com quem você está antes dela, Sally e Somir discordam sobre o caminho a ser seguido. Os impopulares abrem o bico.

Tema de hoje: Contar de forma aberta e direta para seu/sua atual namorado(a) que o ex dele(a) o traiu?

Continue lendo

O texto de hoje não é bonito. Muito pelo contrário, ele é muito equivocado, nos mais diversos aspectos. Mas é sincero, sincerão. Enquanto é tendência ostentar uma vertente politicamente correta ou ostentar felicidade em redes sociais, na contramão do socialmente aceito, eu venho falar justamente sobre o oposto. Uma espécie de síndrome que me acomete de tempos em tempos, conforme o momento da minha vida e acredito que ataque alguns de vocês também, que eu carinhosamente apelidei de “Casais felizes me irritam”. Feio, né? Muito feio. Mas é fase, fase passa. Pode ser um texto muito feio, mas eu resolvi fazer mesmo assim, pois prefiro coisas feias e sinceronas do que coisas bonitas artificiais.

Continue lendo