Sally Surtada: Percepção Seletiva.

Já repararam como os Cuecas tem uma percepção seletiva? Para algumas coisas tem percepção apurada, mas para outras, que não lhes convém, são tãããão inocentes!

Já não bastava a audição seletiva? Era pouco, né? Tinham que desenvolver também a percepção seletiva. Quando fazem conosco é um erro plenamente justificável, mas quando fazemos com eles é o fim do mundo. É tão conveniente simplesmente “não perceber” certas coisas, que acho que devemos começar a adotar essa tática também.

Como a PS se manifesta? Vejamos estudos clínicos realizados pela Tia Sally, que mostram em experiências práticas esta percepção seletiva:

DANDO EM CIMA DE MIM? NEM PERCEBI…

Já repararam que eles nunca percebem quando tem uma mulher dando em cima deles? Tadinhos, né? Tão inocentes. Pode chegar aquela INHA no Orkut com avatar de biquíni chupando um pirulito e nome “FulanINHA quero beijar a noite toda” e deixar um scrap dizendo “Goxxxtosuu! Saudaix, kero ti beijar todinhooooooo” e ele vai dizer que é amizade, que nem reparou que ela estava dando em cima. Pode chegar aquela piranha com short intra-uterino ou usando uma faixa de cabelo como saia, rebolando e trocando olhares em uma festa que ele vai jurar que nem reparou que ela estava dando em cima, pode chegar a melhor amiga dele e começar a abrir o zíper da calça dele que ele vai dizer “O que é isso, não seja boba, ela me vê como um irmão, nem reparei que ela estava dando em cima de mim”.

Eu até acredito que muitos Cuecas não percebam MESMO algumas coisas, seja porque são tapados, seja porque não se acham assediáveis. Mas, depois que alguém chega e os adverte de que estão sendo cantados, VAI TOMAR NO CU que não percebem! É claro que percebem! Soltam o “não percebi” com a cara mais lavada do mundo, dá vontade de dizer: “Pois bem, Zé Ruela, se não percebeu, perceba agora”. Não tem desculpa.

Pergunta 1: Se eles tem esse senso de percepção tãããão rudimentar para flertes, porque percebem ao primeiro indício quando um gay dá em cima deles e ficam putinhos? Se fosse um gay fazendo tudo que a INHA fez, eles iriam achar que não estava dando em cima? Tolerariam as mesmas atitudes de um homossexual sem achar que é flerte?

Pergunta 2: Se eles tem esse senso de percepção tãããão rudimentar para flertes, porque percebem ao primeiro indício quando um outro Zé Ruela dá em cima da gente? Porque os atenuantes de amizade nunca se aplicam a aquele nosso amigo que eles tem ciúmes?

VOCÊ ESTAVA CHATEADA? NEM PERCEBI…

Acho ridículo mulher que belisca homem no meio da rua, meio que dando esporro. Mas devo concordar que violência física é uma das poucas formas de se fazer entender quando uma mulher está aborrecida com um homem. O Zé Ruela dificilmente vai perceber (ou assumir que percebeu) que você está chateada com ele se não apanhar. Caras e bocas passarão despercebidas, porque eles fazem questão de dizer que não perceberam. Porque? Na cabecinha tosca, ele pensa que mulher funciona como ele, que fica aborrecido mas que se der tempo ao tempo, passa sozinho. Não, mulher precisa conversar. Se der tempo ao tempo, mulher rumina o aborrecimento e ele cresce. Você pode estar emburrada, com os olhos cheios de água, rangendo os dentes e fazendo sinal de degola com o dedo no próprio pescoço, enquanto olha para ele com cara de “eu vou te matar quando chegar em casa” que ele simplesmente não esboça reação. Ele apenas pensa “depois de alguns dias vai passar”.

Isso foi motivo de muitas brigas com a Madame que divide blog comigo, a ponto da gente combinar um código para eu demonstrar que estava ficando puta com alguma coisa, porque ele jurava de pé junto que não percebia. Combinamos o seguinte: quando eu não estivesse gostando de alguma coisa, em público, comentaria “Nossa, estou achando que vai chover, Somir”.

Em um evento ligado ao trabalho dele, tinha uma loira vulgar dando em cima dele e eu lá, batendo pé e falando “O tempo tá fechando, né Somir? Tô achando que vai chover…” e ele “Será?” e continuava dando atenção para a loira. Eu repeti umas três vezes a frase. E ele nada. Eu repeti a frase dando ênfase: “Sabe Somir, chover é pouco, vai cair um temporal, um dilúvio. Melhor começarem a construir uma arca” e Madame nada. A certo ponto da noite, ainda levei um esporro: “Porra Sally, que tanta preocupação é essa que você tem com chuva? Se chover eu tenho um guarda-chuva no carro!” e ainda tive que ouvir a loira debochando “Ela está com medo de estragar o cabelo dela!”. Sorri. Madame passou o resto da noite sem perceber que eu estava chateada e chegando em casa, minimizou o ocorrido dizendo que tinha esquecido do nosso código e que da próxima vez lembraria, fechando a noite com chave de ouro: “Sério que você ficou chateada? Nem percebi”.

Pergunta 1: Porque será que eles sempre cobram que a gente perceba o olhar feio quando um homem se aproxima ou uma pequena alteração de comportamento que denote que eles não estão em um bom dia e não querem ter o saco enchido?

Pergunta 2: Porque quando querem fazer sexo, ou quando sabem que disso depende fazer sexo, eles reparam em tudo?

MUDOU A COR DO CABELO? NEM PERCEBI…

Eu não ligo se o meu macho percebe ou não qualquer mudança no meu cabelo, roupa nova ou qualquer outra alteração estética, mas 99% das mulheres se importam. Tudo bem, podemos citar vários argumentos para justificar porque homens não tem percepção aos detalhes e memória para esse tipo de coisa, mas o que aborrece é perceber que eles não tem percepção CONOSCO, porque para perceber um arranhadinho do tamanho de um fio de cabelo no carro, eles tem uma visão clínica e para lembrar da escalação da seleção brasileira de 1950, modelo da camisa, modelos da chuteira e cor da meia, eles tem uma memória fotográfica. Fica parecendo que homens só lembram daquilo que é realmente importante para eles. E ainda fica parecendo que nós não o somos.

Pergunta: Já que ele não repara na gente, na cor do cabelo, no corte, na unha, na roupa… porque repara quando tem um micro-ponto roxo em algum lugar do nosso corpo (muito mais difícil de perceber do que um cabelo preto que virou amarelo) e já fica todo putinho querendo saber onde foi que conseguimos essa marca?

ERA IMPORTANTE PARA VOCÊ? NEM PERCEBI…

Você fala em casamento dia sim, dia também. Tem fotos suas desde os três anos de idade, segurando sua Barbie Noiva, com os olhos brilhando. Todo mês você compra a revista “Noivas”, lê e marca as páginas com os vestidos que você gostou. Você vive dizendo que seu sonho é casar na igreja tal, que fulana e fulana serão suas madrinhas. Você chora em cenas de casamento em novelas. Um belo dia, o Zé Ruela solta uma brincadeira infeliz a respeito de casamento, dando a entender que nunca quer casar. Você fecha a cara e eventualmente até chora. Ele te olha com cara de susto. Vocês discutem e ao final ele diz “Era tão importante para você? Não percebi…”. Curioso que quando uma mulher se relaciona com um homem e está apaixonada por ele, faz de tudo para agradá-lo. Descobre do que ele gosta, do que ele não gosta, aprende mais sobre as coisas que ele gosta, se informa sobre seus hobbies e lazer. Homem não, homem não “estuda” a parceira. Não se preocupa com isso. E ainda solta um “eu não sabia…” com aquela cara de cachorro que peidou na igreja. Claro que não sabia, nunca se deu ao trabalho de investir, perguntar e conhecer… Se não sabia, foi por total inoperância, incompetência e inércia contemplativa.

Pergunta: Porque eles nunca sabem o que é importante para a gente mas cobram da gente que saibamos o que é importante para eles? “Tem que ser agora, na hora do meu jogo? Você sabe como meu time é importante para mim!”.

MINHA MÃE NÃO GOSTA DE VOCÊ? NÃO PERCEBI…

A Senhora Sua Sogra pode fazer a maior babaquice com você que ele sempre irá procurar argumentos para justificar a atitude da criatura. Sempre será você que leva a mal o que ela disse ou que é muito sensível (isso vale para a cunhada também). Não importa o quanto essas duas te sentem a pata, sempre “é o jeito delas” ou então “não foi tão grave” ou ainda “eu não percebi nada”. Algumas vezes vale para os amigos também. O curioso é que estas mesmas coisas ditas por parentes e amigos seus a ele, gerariam a Terceira Guerra Mundial. Mas Madame tem percepção seletiva, quando pessoas “dele” fazem com você, não é nada, mas quando os “seus” fazem com ele é “uma puta falta de respeito”.

Pegunta: Porque ao menor sinal de discordância ele acha que seu pai não gosta dele, mas quando a mãe dele te chama de gorda brega e idiota não quer dizer que ela não goste de você e sim que ela se preocupa com você?

O pior de tudo é que quando confrontados com as contradições mostradas aqui no texto, eles sempre saem com um “Mas aí é diferente…”. É sim, é diferente. Quando é contra a gente pode tudo, mas quando é contra eles é injusto. Chega de percepção seletiva! Não vamos mais aturar isso! Tenho dito.

Para me perguntar se eu estou de TPM mesmo tendo dito um milhão de vezes aqui que não fico menstruada, para contar como você bateu com uma colher de pau na cabeça do filho da puta do seu namorado quando ele exercitou sua percepção seletiva e para sugerir temas: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Comments (8)

  • Dica pro processa eu: MaluMagalhães.

    Ela é tão ruim, que não dá nem pra fazer trocadilhos com as iniciais.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Adorei isto!
    E o pior é que é deste jeito mesmo!
    Quando é com a gente o miserável não percebe nada.

    Gostei daqui.
    Tô até pensando em mandar email com sugestões. rs

    bjux!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Eu nem tenho mais o que acrescentar , outra bonita também é quando eles somem e ressurgem de uma hora pra outra / não estão pegando ninguem e acham estranho quando vc da um fora ou reclama do sumiço .

    O que você achou?

    Loading spinner

  • hahaha ótimo texto, Sally. A coisa da “sogra, irmã e cunhada” é muito certa. Fiquei aliviada de saber que não acontece só comigo. Sabe o que eu fiz pra não ficar mais chateada? Comecei “sentar a pata” neles também. Tudo era rebatido de forma sutil (às vezes nem tanto). Caso algum deles viessem reclamar com ele, usaria as mesmas justificativas que ele usava pra mim “fulano está exagerando” “esse é o meu jeito mesmo” “que mania de perseguição fulano tem”. Infantil, eu sei. Mas ao menos eu me sentia aliviada!

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: