DR FOREVER: DRAMA! (Capítulo 4)

DRAMA! CAPÍTULO 4, CENA 1:

Todos permanecem imóveis, olhando para Somir.

SUELI: Não precisa explicar, Sally, explico eu. Mano, sua esposinha estava prestes a te trair…
SALLY: MENTIRA, SOMIR! ISSO É MENTIRA!
SUELI: Somir, sua esposa não vale nada…
SALLY: Somir, sua irmã é uma encalhada que vive tentando separar a gente, você não vai acreditar nela, vai?

Somir olha paralisado, com o olho esquerdo latejando

SUELI: Somir, coloque limites na sua esposa, onde já se viu uma mulher casada receber um homem estranho sozinha em sua casa?
SALLY: Somir, eu te avisei que o pedreiro vinha hoje, não fiz nada escondido de você…
SUELI: Somir, eu sou sangue do seu sangue, porque eu mentiria para você?

Somir rosna algumas palavras pelo canto da boca, ainda sem piscar:

SOMIR: Sally, será que você pode sair de cima desse pedreiro?

Sally pula ao lado de Somir e chora:

SALLY: A Somira é uma escrota! Ela me infeniza desde que a gente começou a namorar! Somir, eu não quero mais essa mulher dentro da minha casa! Não quero!
SUELI: Somir, você vai virar as costas para sua irmã?
SALLY: ENCALHADA! VACA!
SUELI: SONSA! MENTIROSA!

Sally e Sueli começam a gritar uma com a outra enquanto o pedreiro faz um sinal com as mãos que indica que ambas são malucas. Somir olha para o pedreiro, estufa o peito e pergunta:

SOMIR: Afinal, o que foi que aconteceu aqui?
PEDREIRO: Olha, Seu Doutor, eu tava lá no banheiro trabalhando quando essa dali (aponta para Sueli) chegou e as duas começaram a brigar. No começo eu achei graça, mas elas sairam no tapa, então eu achei melhor separar. Aquela de lá (aponta para Sally) tava enfiando a porrada na outra, daí eu fui segurar e o Senhor chegou…
SALLY: Eu não disse que eu era inocente!
SOMIR: Sally, você bateu na minha irmã?

Somira solta um sorriso vitorioso

SOMIR: Depois eu converso com você, Sueli – Somir abre a porta e Sueli sai com cara de deboche.

DRAMA! CAPÍTULO 4, CENA 2:

Na comunidade Nova Esperança, Olavo leva Kelly para jantar. Entram no restaurante “Alegria Verde” e sentam em uma mesa.

KELLY: Que porra de cardápio é esse, Olavo?
OLAVO: Kellynha, é um restaurante vegetariano…
KELLY: Olavo, tá achando que eu sou vaca para comer capim?
OLAVO: Kelly, hoje é sexta-feira santa, não pode comer carne
KELLY: CAGUEI, OLAVO! CAGUEI BALDES! Eu quero carne!
OLAVO: Você pode comer carne de tofu
KELLY: Caralho, Olavo, que bosta de lugar é esse cheio de planta e de bicho?
OLAVO: Kelly, carne vermelha faz mal ao sistema digestivo, aumenta a probabilidade de inúmeras doenças e apodrece dentro do nosso organismo
KELLY: PODRE É VOCÊ, OLAVO, que come essas moitas e depois fica peidando mal!
OLAVO: Kelly, isso são modos de falar com seu marido?
KELLY: Peida mal sim, parece que tem um elefante morto no quarto!

Olavo explica os benefícios de uma alimentação vegetariana enquanto Kelly o imita ridicularizando-o. Uma joaninha sobe pela toalha da mesa e Kelly a esmaga com o a mão.

OLAVO: Kelly, o que você está fazendo?
KELLY: Eu sei, tinha que ter matado com o guardanapo…
OLAVO: Kelly, é um animalzinho de Deus. Porque você o matou? Você acha que esse animal não tem tanto direito à vida quanto você? Você acha que esse animal não tem alma?

Kelly pega sua bolsinha e se levanta da mesa, Olavo se desespera e vai atrás dela

OLAVO: Kelly, espera, princesinha… – Olavo puxa Kelly pelo braço
KELLY: ME LARGA OLAVO, ODEIO QUE ME PEGUEM!

Kelly empurra Olavo, que cai por cima das mesas derrubando refeições e clientes. Kelly sai andando rebolando a bunda e Olavo fica caído com os óculos quebrados chamando por Kelly

Uma hora depois, Olavo sai do restaurante com curativos pelo corpo e se depara com Kelly comendo um espetinho de carne em um bar na esquina do restaurante cujo nome é “Morte Lenta”

OLAVO: Kelly…
KELLY: NÃO PODE CARNE É O CARALHO, OLAVO!
OLAVO: Não pode carne de vaca… mas pode carne de peixe
KELLY: Então relaxa, que isso não é vaca, é no máximo gato…

DRAMA! CAPÍTULO 4, CENA 3:

LINDAMAR: Alô? Oi… Ele está “daquele jeito” novamente… é, preciso de você…
PILHA: ESTOU SANGRANDO!
LINDAMAR: Vem sim, mas tem que ser rápido…
PILHA: Juma, o pessoal da Promoart não vai gostar disso!
LINDAMAR: Tenho que ir, ele está voltando, estou aguardando!
PILHA: Onde está minha guitarra?
LINDAMAR: Pilha…
PILHA: ONDE ESTÁ MINHA GUITARRA???
LINDAMAR: Não grita!

Pilha solta uma sequência de palavrões. Carlão, o vizinho, que estava saindo de casa para um encontro naquele exato momento, passa, escuta e mete o cabeção na janela:

CARLÃO: Tá tudo bem aí ô Dona?
PILHA: Caralho! Pega meus óculos escuros que a camisa amarela desse filho da puta ta me cegando!
LINDAMAR: Tá tudo bem sim, obrigada, viu? Pode ir, já chamei ajuda.
CARLÃO: Tá tirano onda ca minha camisa, Mano?
PILHA: O marca-texto fala!
CARLÃO: PANTERA… CHEGA AQUI
PILHA: Foi chamar teu namoradinho, PiuPiu?

Alguém bate na porta da casa de Pilha e Lindamar. Carlão olha na direção da pessoa e esfrega os olhos, sem acreditar no que está vendo.

DRAMA! CAPÍTULO 4, CENA 4:

Na casa dos Somir, Sally explica com calma o ocorrido para seu marido.

SOMIR: Perdoe a Somira, ela ficou meio maluca desde que se apaixonou por aquele drogado.
SALLY: Que drogado?
SOMIR: Aquele ex-namorado dela que fugiu roubando todos os eletrodomésticos da casa dela
SALLY: BEM FEITO!
SOMIR: Nunca conseguimos achar o vagabundo…
SALLY: Não interessa, eu não quero ela aqui nunca mais!
SOMIR: Sally, não seja intransigente…
SALLY: NÃO QUERO! POR NADA DESSE MUNDO!
SOMIR: Uma caixa do bombom?
SALLY: Não!
SOMIR: UM vestido novo!
SALLY: Não!
SOMIR: Um perfume?
SALLY: Não!
SOMIR: Então escolhe, Sally, o que você quer…
SALLY: Quero uma empregada para me ajudar no serviço doméstico!
SOMIR: Você está achando que dinheiro nasce em árvore?
SALLY: PAÕ DURO! Só para me ajudar com a sujeira dessa obra no banheiro!
SOMIR: Tudo bem, mas EU vou escolher…
SALLY: Tudo bem, mas tem que ser FEIA, MUITO FEIA!
SOMIR: Sally, deixa de ser insegura
SALLY: Nem pensar, Somir. Tem que ser feia!

Somir liga para a secretária, conversa rapidamente e anota dois números de telefone.

SOMIR: Pronto, Sally, já pedi uma indicação. Tá aqui o telefone dela, liga e faz uma entrevista, se ela for feia o bastante a gente contrata

Sally pega o papel com ar vitorioso e comenta de forma maldosa:

SALLY: Se for tão bonita quanto o nome, já está contratada… “Lindamar”! Credo! Amanhã eu ligo.

SOMIR: E por falar em gente feia… o pedreiro está demitido. Vou contratar outro que se encaixe nos “Padrões Sally de Feiura”
SALLY:
SOMIR: Minha secretária me indicou o nome de um rapaz que acabou de se mudar para a comunidade dela e faz esse tipo de serviço.
SALLY: É uma pessoa de confiança?
SOMIR: Claro! Se não minha secretária não indicaria…
SALLY: Então amanhã você liga para ele e marca o dia para ele começar.
SOMIR: Amanhã eu ligo.

Somir deixa em cima da mesa um papel escrito “Carlão” e um número de telefone.

CONTINUA…

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Comments (6)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: