Desfavor do Ano: TV Brasileira.

Para completar a série de textos (des)comemorativos de um ano de blog, decidimos escolher o maior desfavor do ano para ser homenageado. Discutimos sobre os vários temas abordados na coluna “Desfavor da Semana” até percebermos um desfavor de padrão: Quase todos estavam envolvidos de alguma forma com a televisão tupiniquim, apesar de quase não assistirmos TV! A força da caixa bestificante na vida cotidiana do brasileiro é o grande desfavor durante o período de existência do desfavor na internet!

Sally: Ué, a internet existia antes do desfavor?
Somir:

Somir

Eu sou um produto da televisão brasileira. Apesar da frase de abertura já ser prova irrefutável de que o tema desta coluna procede, faço questão de desenvolver melhor esta argumentação (com um festival de metáforas escatológicas).

Como a maioria das pessoas da minha faixa etária (entre 18 e 65 anos de idade) boa parte da minha cultura inútil foi resultado direto de altas doses de exposição àquela telinha hipnotizante que reinava absoluta na sala de estar. Não pretendo montar nenhuma argumentação saudosista dizendo que a programação da TV era substancialmente melhor nos “meus bons tempos”. O nível cultural era um pouco maior por ainda não ter acontecido o êxodo da população mais elitizada para a TV a Cabo, mas nada de tão bom assim que evitasse que Lula fosse eleito e reeleito alguns anos mais tarde.

Eu adoro, de verdade, a diversão cabeça-oca e a cultura inútil que a TV me proporcionou durante os vários anos onde eu não tinha acesso a mais nenhuma forma de estímulo intelectual que não estivesse impresso. (As rádios brasileiras sempre foram horríveis, sempre. Sempre.) Nem um elitista metido a intelectual como eu agüenta viver só de erudição e ciência. Eu devo ter assistido praticamente todos os programas estúpidos e apelativos que passaram na TV Brasileira enquanto ainda não tinha internet, vida social (Hahahahaha…) e trabalho.

Eu sei que hoje em dia o nível continua ridículo, tenham em vista que para fazer tantos desfavores da semana baseados na TV Aberta brasileira eu tive que me virar para me inteirar sobre os “assuntos do momento”. O nível continua igual, mas a cara-de-pau se foi… Os programas estúpidos e apelativos de hoje usam uma máscara de hipocrisia para não serem taxados como tal. Isso é um perigo. Isso é um desfavor.

Lembro da minha infância, onde me divertia assistindo as longas coxas brancas de Xuxa e os shorts socados no rego da Mara Maravilha pré-serva-de-Gezuiz (Porra, não me julguem, ela dava um caldo sim na época…). Eu ainda era um pouco novo demais para entender porque aquilo me hipnotizava (mais ou menos como um cachorro correndo atrás de um carro, se alcançar não vai saber o que fazer com ele), mas eu tinha plena consciência que eu gostava de vê-las pulando e dançando naqueles mini-trajes. Os programas infantis com mulheres rebolando em roupas apertadas são motivo de piada com a TV Brasileira internacionalmente até hoje. Era apelativo, mas era honesto de uma certa forma. Diversão e deleite visual sem nenhuma frescura de “ensinar brincando”. As crianças acabavam aprendendo que se não estudassem acabariam rebolando num palco enquanto tentavam conter centenas de outras crianças remelentas. Uma lição honesta: Beleza resolve QUASE todos os problemas.

Hoje em dia, para evitar o estigma de pornografia para baixinhos, os programas infantis da TV Aberta contam com crianças estranhas disfarçadas de mini-adultos, ainda não ensinam porra nenhuma e para piorar tornam os desenhos animados (que estão cada vez mais mongos) na única atração possível. Ao invés da criança perceber que precisa ter alguma coisa que preste na vida para merecer fama (mesmo que sejam as coxas, oras!), vai acabar achando que qualquer um (até um assustador anão cibernético vestido de Shirley Temple) pode se dar bem na vida se for “espontâneo”. Todo mundo é especial!

Todo mundo é especial o caralho! Precisa ser inteligente, original ou gostosa para se dar bem nessa vida. Essa lição se perdeu com o tempo. (Explicação “profissional”: Dizer que todo mundo é especial e merece fama vende mais produtos.)

E ainda no campo da safadeza, tínhamos programas de uma honestidade incorreta incrível há alguns anos atrás. Como eu me lembro com carinho do finado “Tutti-Frutti”, com meu herói de infância/começo da adolescência: Miele. Um programa totalmente voltado para mostrar peitinhos! (Peitinhos, já que era um tempo pré-todas-com-silicone.) Era um tipo de programa (eu sei que era copiado de um programa italiano) safado e inocente ao mesmo tempo. Diversão pura sem fazer nenhuma pose. E tinha um fator realista ali: Como as mulheres ainda não estavam tão desesperadas por 15 minutos de fama, eles não faziam muita questão de escolher. Tinha mulher gostosa, tinha mulher mais ou menos, tinha umas barangas de doer… Era um sonoro foda-se para a indústria da beleza publicitária.

Quer ver peitos? Assista o programa. Não quer ver peitos? Volta pra Globo! Não tinha muito o que pensar, não tinha nenhuma grande proposta por trás. Diversão e pronto. Era uma bobagem de programa, mas não se fingia de algo diferente.

Hoje? A TV brasileira continua sendo bem mais permissiva que a americana, por exemplo. Mas é basicamente de quem a gente ganha. Não tem mais esse “foda-se” para o público, se meia dúzia de mal-comidas reclama de uma cena onde uma mulher dança VESTIDA numa novela, lá vai a emissora cagona cortar tudo. O problema de dar voz para a platéia é que normalmente são as pessoas mais chatas e estúpidas que acabam berrando para que tudo saia do seu jeito. Nem a banheira do Gugu (que devia ter horror daquelas “rachadas” semi-nuas) aguentou. Se tirar a bunda da TV, só sobra o produto dela.

E já que estamos falando de gente berrando, como eu poderia esquecer do grande programa da TV brasileira em todos os tempos: “Cadeia” com Al FUCKYEAH Borghetti! Ele era um reaça cretino que dizia que bandido tem que morrer mesmo! Uma pessoa que eu normalmente desprezaria por ser um desperdício de oxigênio, mas que era tão exageradamente caricatural que funcionava de forma inversa. Se você nunca teve a oportunidade de ver (acho que era na finada OM/Gazeta) perdeu os discursos furiosos hilários com um cacetete em punho, os closes dramáticos (eu quase chorava de rir nos closes) e a cara de psicótico (ele babava de raiva às vezes) que essa lenda da TV brasileira nos proporcionou. Assassinos, estupradores, traficantes, um bêbado preso por roubar uma galinha… Era intensidade insana pura, o tempo todo.

Mas a verdadeira graça é que era mesmo uma palhaçada… e seguindo a linha do que eu venho falando até agora, não fazia a menor questão de se travestir de serviço de utilidade pública. Pelo menos não com uma cara séria.

Comparando com um Datena, por exemplo, que usa hipocrisia para empurrar uma mentalidade reacionária como preocupação social, Al Borghetti era um santo. A preocupação com audiência e a pressão para ser lucrativo “pasteurizaram” a TV brasileira. O problema é que esqueceram de uma informação básica: Não importa o quanto se limpe um monte de merda, ainda vai ser merda.

Um dos últimos bastiões de honestidade da TV aberta acabou engolido por esse movimento de “jogar a sujeira para debaixo do tapete”. Sim, Ratinho. Eu já me divertia com ele desde quando ele também apresentava o “Cadeia”. (Eu acho que o Al Borghetti merecia mais ficar rico, mas…) e nos brindava com sua explicação sobre o funcionamento da câmara de gás. Com um botijão de gás. Depois disso ele foi para a Record apresentar o programa mais honestamente baixaria que eu já vi no Brasil (TV japonesa ainda ganha de goleada…), sem a menor pose. Era baixaria, assumia que era baixaria, e todo mundo se divertia sem levar nada muito a sério.

Esse é o ponto chave. A TV aberta começou a se levar a sério. Começou a assumir um papel de educadora e defensora dos gostos e moral populares. Era uma merda antes, é uma merda agora. Mas agora não quer mais que as pessoas sintam o cheiro característico. (Sim, sempre existiram programas de qualidade aqui e acolá, mas novamente… Não adianta colocar um sabonete dentro de um quilo de merda e esperar que tudo cheire bem.)

A necessidade das emissoras abertas de cobrir todas as possibilidades de programação para todos os tipos de pessoas força a nivelação pelo gosto médio. E dizer que o gosto médio vai ajudar na cultura e no bom desenvolvimento social do cidadão é mentir para o público. A TV existe para ser um meio de comunicação, não uma babá eletrônica para públicos de todas as idades. O Brasil não precisa do Jornal Nacional “enfiando dobrado” noite após noite para se sentir mais confiante, isso aliena o povo. O Brasil não precisa se livrar de programas com apelo sexual para educar seus filhos, precisa de gente disposta a trocar de canal. O Brasil não precisa de diversão televisiva para esquecer seus problemas, esquecer não resolve nada.

E quando começou esse movimento de moralização (de mentirinha) da televisão nacional? Basta saber quando começou a entrar dinheiro sujo nas emissoras. Dinheiro de organizações que se desenvolvem fingindo que não são um monte de bobagens… O aporte de dinheiro religioso na TV aberta foi o golpe de misericórdia nessa transição de honestidade para hipocrisia. Como sempre, não é exatamente culpa da religião, mas puta que pariu, eles sempre conseguem atrapalhar! É um talento.

Eu, assim como muitas pessoas com a condição financeira necessária, parti para a TV a cabo assim que tive a oportunidade. Apesar de não ter tempo de assistir tudo o que quero (e de ter muita porcaria mesmo), é um movimento do qual não me arrependo. Aposto que boa parte do povo que está preso na dupla dinâmica JN/Novela escolheria assistir outras coisas caso tivesse a oportunidade. E olha que eu não penso coisas muito boas sobre o nível intelectual médio do brasileiro…

Como a tendência é que quase a totalidade do público “bom” para a publicidade acabe partindo para a TV fechada, as emissoras abertas abriram as pernas e estão desesperadas para fazer tudo o que seus telespectadores quiserem. Ou seja: Gosto médio. Ou seja: Merda hipócrita.

Ninguém é tão burro e limitado como todos nós juntos.

O que eu assisto hoje em dia? Umas duas ou três séries, alguns documentários… e todo o resto do tempo eu assisto futebol e mesa redonda sobre futebol mesmo! A melhor lição que a TV me ensinou é que a TV não serve para ensinar porra nenhuma.

Para dizer que também era fã do Tutti-Frutti e do Cadeia, para dizer que eu sou um elitista cultural (wat) ou mesmo para me perguntar como o Ratinho fazia a câmara de gás: somir@desfavor.com


Sally

Quando conversamos para decidir qual seria o Desfavor do Ano, muita coisa nos passou pela cabeça. Porque o que não falta neste mundo é desfavor. Foi uma decisão muito difícil, mas acabamos chegando a um acordo: o Desfavor do Ano é a TV brasileira.

Porque este desfavor merece mais destaque? A TV brasileira vem fazendo um estrago sistemático e antigo na população. Não, não é discurso de hippie que odeia a revista Veja. O estrago é em sentido amplo, muito mais abrangente que uma ou outra manipulação política. Além de alienação e manipulação política, a TV contribui para uma população mais brega, mais infantilizada, mais consumista, anoréxica… e por aí vai.

Vamos começar falando dos canais. Existem dois canais: a Rede Globo e o Resto.

A Rede Globo, para começar. Lembro do tempo onde havia uma diferença gritante de nível entre SBT e Rede Globo, nos tempos onde a Rede Globo ainda tinha alguma finesse. Hoje em dia, tá tudo a mesma merda.

Você liga a TV no programa da Ana Maria Brega, desculpe, Braga, o qual eu tenho orgulho de não saber o nome, e vê aleijado pedindo prótese, histórias sobre mundo cão e qualquer outra baixaria que costumava ser explorada apenas no programa do Ratinho. Sem contar que o Ratinho era muito mais engraçado e carismático que aquela múmia lerda que é a Ana Maria Breg… Braga. E isso é só um exemplo.

Programas tidos como “humorísticos” em vez de despertar risos, causam constrangimento a qualquer mente pensante. O que é “Zorra Total”? Tem a tosquice do “Chaves”, só que sem um pingo de humor. Fala sério, aquilo é uma catapulta para vagabunda fazer teste do sofá para, quem sabe um dia, ganhar um micro papel em Malhação!

E os programas de auditório da Rede Globo? Não vou nem começar a falar sobre o Faustão. As novelas eu nem cito, porque já escrevi um Flertando com o Desastre especialmente dedicado a elas. A Rede Globo tem uma espécie de Toque de Midas ao contrário, onde põe o dedo, vira merda. Vide o que fizeram com o Casseta & Planeta, que eram humoristas polêmicos e politicamente incorretos quando entraram e depois de anos de intervenções e censura (eles dizem que não mas TEM SIM, já vazaram vários casos, como o da piada censurada sobre a Sandy) viraram esses humoristas pastelão sem um pingo de acidez e sofisticação.

Tem também o jornalismo da Globo, que é talvez uma das coisas mais deprimentes naquela emissora. Premiado? Com certeza. Isso quer dizer alguma coisa? Não, ao menos não para a gente. O Jornal Nacional, única fonte de informação de grande parte da população brasileira, dedica metade do seu tempo a notícias completamente imbecilóides, como o nascimento de um coala albino em um zoológico na puta que pariu de onde o Judas perdeu as botas. Com tanta coisa acontecendo no mundo, não dava para selecionar melhor? Ah, desculpe. Esqueci que segundo Bonner o nível intelectual dos telespectadores é similar ao Homer Simpson. É por essas e outras que eu passo longe do Jornal Nacional. E o Globo Repórter? Bom, eles alternam matérias sobre corpo (doenças, emagrecimento, alimentação), natureza (amazônia, animais exóticos, plantas exóticas, lugares sacais) e minorias (idosos, deficientes e quaisquer outros grupos vitimizados).

Em matéria de entrevista, a coisa também está mal. Salvo engano, até a Xuxa anda fazendo entrevistas. Acredito que até mesmo ela seja melhor que o Jô Soares. Ao menos ela deve deixar o entrevistado falar em vez de ficar se auto-promovendo em um surto de baixa estima. Preciso falar sobre a seleção de filmes exibidos pela Rede Globo? E sobre a dublagem? Em novela pode ter palavrão à vontade, mas filmes pesados a La Tarantino apresenta dublagens como “Seu boboca!” ou “Chato, feio, bobo e cara de mamão!”. Controle de qualidade zero.

Olha, eu sei que no Brasil de fato tem muito Homer Simpson. Não que a população seja burra, muito pelo contrário, cansamos de ver gênios que saem da merda e são sucesso aqui e no exterior. Tem muito Homer Simpson porque as pessoas não tem oportunidade. Não tem acesso a uma boa educação, a cultura, não tem estímulo para se desenvolver. Pessoas sem o básico do básico, como comida, educação, moradia, saúde e etc realmente não se tornam mentes brilhantes. Porém, gostaria de lembrar que existem pessoas que tem cérebro. Por isso, a Rede Globo poderia destinar uma pequena parcela de sua programação a aqueles cujo cérebro é maior do que um caroço de uva. E mais: apresentando essa programação medíocre, a Rede Globo está afundando os medíocres cada vez mais. Porque, como dizem alguns dos nossos leitores “TV educa”. Já que a Rede Globo é a única fonte de cultura e informação em muitos lares, poderia tentar AJUDAR a subir o nível da nossa população em vez de nos enfiar BBBs goela abaixo.

Eu tenho uma teoria. O ser humano se acostuma com as coisas, sejam elas boas ou ruins. Somos frouxos, maleáveis e manipuláveis por natureza. Geralmente pessoas não gostam de cigarro da primeira vez em que fumam, no entanto, por uma série de motivos que não cabem dizer aqui, insistem e acabam se viciando, mesmo sabendo que é ruim e mesmo sabendo que faz mal. O mesmo vale para a Coca-Cola. E o mesmo vale também para a TV. Por isso, não compro esse discurso de que “só tem programa ruim PORQUE a população gosta”. Auto-perdão! A população só gosta PORQUE a TV empurra programas ruins! Realidade social: as pessoas, em sua maioria, não tem dinheiro para beber em outras fontes de cultura e lazer, como cinema, teatro, livros etc. Só tem a TV. TV só mostra porcaria. Logo, aprendemos a gostar de porcaria porque somos submetidos a ela desde a infância. Se colocar no ar apenas programas de alto nível, em 20 anos o brasileiro terá outra cultura.

TV brasileira não só não educa, como ainda deseduca. Sem contar aquela imagem onipresente do José Mayer, o Chuck Norris Brasileiro, que além de deseducar provoca pesadelos. Valores equivocados, consumismo, moralismo cristão… tem de tudo! Não que o Desfavor ache que transmita valores corretos a seus leitores, afinal, Desfavor é o blog TODO ERRADO, mas nós nos assumimos como errados.

Aliás, não é apenas o José Mayer que é medonho. As figurinhas que andam sendo colocadas como padrão na TV Brasileira são quase todas medonhas. A começar pelo referencial de beleza das mulheres. Mulheres magras quase anoréxicas, altas, cheias de botox, com beiço de pato cheio de colágeno, com pele terracota parecendo um cocô de peruca. Ou é isso, ou é coroa querendo tirar onda de gatinha, como a Ana Maria Breg… Braga vestida de Madonna ou a Xuxa vestida de princesa com trocentas rugas. Joguem o cordão umbilical, porque eu quero subir de volta! E as crianças? Vestidas que nem adulto, falando que nem robô. Parecem anões.

Os outros canais são apenas os outros, que competem entre si para ver quem fica com o segundo lugar. Não porque sejam piores que a Rede Globo, são apenas mais pobres. Não que a gente seja contra coisas “deseducativas”, a gente adora. Mas que seja assumido. Deseducando com orgulho! O que não pode é hipocrisia.

Nesse ponto, Desfavor gosta do Silvio Santos. Não porque ele apresente um programa de nível ou algo do tipo, mas sim porque já que é para ser brega e sem berço, que seja troll pelo menos. A gente se acabava, vibrava e batia palmas quando Silvio jogava dinheiro e a pobralhada se estapeava por causa de uma nota de um real. Ao menos ele é autêntico, assume que é bagaceiro e sem finesse. Não tenta tirar onda de fino como Gugu, Luciana Gimenez e outros. Ainda lembro quando ele pegava um popular da platéia e o obrigava a dizer que o “Tênis Montreal protege os pés contra os micróbios” (estou entregando a minha idade, mas tudo bem) e quando o popular, evidentemente, falava “potrege” e “micóbrios” Silvão rolava de rir apontando para o pobre e dizendo “Que burrrrrroooo! Maaaas ooooeeee! Não sabe falaaaaar”. Saudade desse Silvio Santos sádico assumido.

Recentemente a febre de reality show está invadindo a TV brasileira. Reflexo da sociedade de merda vaidosa superficial onde evasão de privacidade virou um preço baixo a se pagar pelos 15 minutos de fama citados pelo Andy Warhol. Daí neguinho protagoniza todo tipo de baixaria (briga, relacionamento homem-mulher, escatologia etc) com uma câmera enfiada no rabo 24h por dia e ainda acha bacana. Não tem coisa mais brega do que esse desejo por fama a qualquer preço.

Os comerciais que passam na TV também são um capítulo a parte. Existem alguns muito bons, mas a maioria é medonha. Uma vez mandei um para o Somir avaliar. Consistia em um comercial de supermercado, cujo símbolo era um desenho animado de um bebê. Daí o animal que criou o comercial e que estudou cinco anos para isso em uma faculdade, achou que seria bacana colocar o bebê sentado nos legumes PEIDANDO. Muito convidativo, né?

Isso quando não é comercial com criança irritante do tipo Gleid Vou Cagar na Casa do Pedrinho. E quando são famosos anunciando produtos que tá na cara que eles não usam? Xuxa se lambuzando de Monange, Susana Vieira recomendando Corega Segura Dentadura ou ainda Licor de Cacau Xavier para vermes. Muito Digno.

E quando os próprios apresentadores do programa ficam tentando vender aqueles produtos 171? Tá lá, a ___________ (complete com o nome de uma apresentadora qualquer desses programas da tarde bregas), narrando o drama de alguma subcelebridade, se dizendo comovida, quando do nada, vira e começa a anunciar o SEN-SA-CIO-NAL AB PÂNCEPS, que com apenas cinco minutos por dia de exercícios e sem dieta faz você perder 10cm de barriga!

Existe vida inteligente na TV brasileira? Sim, mas por tempo limitado. Um Pânico na TV aqui, um CQC ali… até que sejam engolidos pela exigência de ibope e lucro. Daí desandam e viram programa “para Homer Simpson ver”. Os programas bons, são bons apenas em seus primeiros meses, depois se Homersimpsonizam. Só quero dizer que eu sinto muita falta do Marcos Mion, tanto no Piores Clipes como no Descontrole. Quando ele recebeu INRI Cristo e tentou crucificá-lo para constatar se ele voltaria três dias depois foi o momento mais sublime da TV brasileira.

Existe salvação para a TV brasileira? Claro que sim. DESFAVOR NA TV. Vocês sabem que a gente não se vende. Já posso ver o Somir interrompendo a propaganda que eu estou fazendo de um produto e dizendo “Essa merda não funciona, eu testei. Tá vendo isso aqui? É uma merda, UMA MER-DA”. Não duvide, a gente faria isso. E não duvide II, daria ibope.

Para me dizer que eu falo mal da Rede Globo porque sou comunista, para me dizer que também gostava da fase sádica do Silvio Santos e para nos oferece um contrato para o Desfavor na TV: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Comments (19)

  • Confesso que, desde que pude inserir a TV por assinatura na minha casa, NÃO ASSISTO TV ABERTA, salvo raríssimas (e cada vez mais) exceções, e, ainda assim, esporádicas. Concordo PLENAMENTE com os dois textos. O grande problema é a HIPOCRISIA e o NIVELAMENTE INTELECTUAL POR BAIXO. Afinal de contas, pessoas com alguma cultura, intelectualizada e informada constitui parcela ínfima da sociedade.

    Dito isso…

    SALLY, NÃO ACEITE mais comentários dessa *ANALFABURRA* que se intitula EVELYN. Oh! Anta!!!
    Cada vez que leio um comentário dela (além de ter que reler umas trocentas vezes para tentar depreender ALGUM SENTIDO), sinto meu QI cair imediantamente inúmeros pontos. Isso, sim, é um DESFAVOR !

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Eu escrevi um texto enorme com uma série de argumentos.

    Fiz uma rápida observação de programas que EU gosto. Apenas uma opinião pessoal. E isso virou O ASSUNTO dos comentários.

    FODA-SE PANICO NA TV, FODA-SE MARCOS MION, PELO AMOR DE DEUS, O ASSUNTO ABORDADO É ALGO UM POUCO MAIOR QUE O MEU GOSTO TELEVISIVO!

    A dificuldade de identificar o assunto central de um texto me impressiona.

    Ah sim, evelyn, só aceitei seu comentário porque ele está cheio de erros grotescos de concordância e ortografia, para que as pessoas esculhambem um pouco com você. Mas não acostuma não, porque vou continuar recusando seu 1.098.365.002 de comentários diários neste blog, que você odeia mas dá tanta atenção.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Já gostei de assistir o pânico e me divertia.

    Hoje não consigo assistir mais do que 5 minutos, porque é mais ou menos esse o tempo até aparecer uma daquelas fulanas de bunda de fora.

    E ME NEGO a olhar uma bunda feminina na tv, se eu quiser olhar bunda, olho a minha!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • nossa fazia tempo que eu não vinha ver as babaquices desse blog pelo jeito a coisinha da sally estava com saudades! de mim :D, pelo jeito vc gostou das minhas verdades eu sempre coloco meu nome não sou covarde como algumas pessoas que "batem" e não se mostram. que sem noção esse post da tv brasileira, vc dizer não ter preconceito me poupe, claro que vc não vai assumir afinal isso é crime. olha quem fala em se dar bem as custas dos outros, acho que não é a gente os estressados porque esses que vc chama de estressados provavelmente são os que dizem a verdade sobre vc e sua turminha, e não é a gente que criar um site pra ofender meio mundo porque está revoltado com algo que não lhe agrada,ou por frustração pessoal, agora percebi vc não é invejosa apenas uma revoltada que arranjou um pequeno meio de tentar chamar atenção coitada… gentinha como vc faz até rir com essas coisas sem noção, que ninguém resiste e se sente no favor de fazer um comentário ahahaaha :). o pânico não tem censura?! fala sério bando de mal educados sem noção é…. tem gosto pra tudo! nessa vida! não é por nada que vc gosta deles…. concordo com o comentário da isabel uma parte: se vc fosse rica e famosa não teria esse blog ahaha. evelyn :D

    O que você achou?

    Loading spinner

  • heuehueheuehuehuehu eu só não acho graça no Marcos Mion e no Pânico… nada contra!

    Mas acho que realmente podemos dizer que eles não se deixam censurar. Acho.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • NOOOOOOFFFFAAA!
    como eles se importam! vir aqui e escrever tanta coisa assim…
    dá ate preguiça de ler.

    Panico na tv ja foi bom… agora é pura apelação pra nudez, fico triste com isso, triste.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • BA-CA-NA que pessoas que nem nos conhecem se importem tanto com o que escrevemos em um blog desconhecido. Repito: BA-CA-NA.

    Me emociona saber que posso mexer assim com os outros.

    Só para constar:

    – Não tenho preconceito com animais, apenas os como.
    – Não tenho preconceito contra deficientes, apenas contra pessoas que querem se dar bem às custas da pena alheia, sejam elas deficientes ou não.
    – Eu não acho que TV eduque nem acho que seja esse seu papel. Pais devem educar seus filhos.
    – Não acho que Panico na TV, CQC ou Marcos Mion eduquem, só gosto deles porque não se venderam nem se deixaram censurar.

    No mais, grata a todos, inclusive à evelyn, que vai achar que emplacou um comentário só porque não colocou o nome dela.

    Não existe anonimato na internet, não quando o Somir é dono do blog.

    Beijos a todos os nervosos: o estresse de vocês é a minha cachaça!

    KKKKKKK GRIPE SUÍNA!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Isabel- essa é para rir essa sally além de preconceituosa nunca olha o próprio rabo vai tentar ser feliz minha filha, aposto que se vc fosse rica e famosa não iria ter esse blog ah! isso concerteza!!!, se liga ninguém te culpa de vcs serem errados, e vem botar culpa nos outros, não vou dar uma de psicóloga mas quem é revoltado com tudo no fundo tem uma imensidão! de frustração. ofender gratuitamente é infelicidade, bom eu não sou adivinha é apenas lógica alguém feliz não ofende tudo e todos, me poupe fico rosa chiclete com gentinha desse tipo realmente vc está precisando se olhar no espelho e se dar bem. no seu post do processa eu, vc dizendo "sou de bem com a vida" ahahahaha kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    caraca!!!! vc ganhou o oscar falsidade só que do paraguai porque essa não colou não!,ahaha nem sabe disfarçar vamos ver se vc vai postar meu comentário porque concerteza vc vai camuflar e só postar do seus "amiguinhos" procure ajuda urgente.!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • silvia- eu discordo, claro que tem muitas coisas que não são boas na tv coisas boas e ruins tem em todo! lugar mas a globo e sbt são as melhores, tem excelentes progamações, é que tem coisas que não são para qualquer pessoa. é como aquele cidadão que fala mal do filme porque é burrinho não entendeu a história, e tem gente que diz de algum personagem de novela, de um vilão que apronta e diz nossa! tal coisa é errado isso é mal exemplo, fala sério tem pessoas estúpidas acha que o fulano vai copiar o que o personagem vilão porque a tv ensinou olha se o cara fizer não é porque a tv ensinou é simplesmente porque o fulano é um mal caráter, tem bandido que bota culpa "nos outros" tem vida ruim por isso cometeu tal coisa não é desculpa. as novelas são legais e muito, tratam coisas que acontecem na vida! real isso é bom para mostar a nossa realidade,o elenco é perfeito. em viver a vida o depoimento das pessoas no final são lição! de vida pessoas passam por situações difíceis e conseguem superar um! exemplo!, porque nem todo mundo é assim, tem gente que tem dificuldades, frustrações fica revoltado odeia tudo que vê porque no fundo algo não deu certo é assim… vc tem preconceito contra animais e pessoas deficientes? pelo menos eles ajudam não é como uns e outros que só olham o próprio umbigo no sentido de se preocuprem com si próprio, os filmes são legais só demoram para passar os novos tá certo é que não podem passar filmes muitos novos isso mesmo é só na net ou sky o que deveria passar mais são filmes de terror.! o sbt tem bons seriados de comédias como eu patroa e as crianças não tem censura, e na globo grande família que lembra bem a vida real retrata coisas que acontecem nessas "grandes famílias" merda de emissora é rede tv misericórdia! aquele pânico estraga a emissora não é por nada que muiots famosos processaram esses idiotas,pela invasão e bem mal educada deles, aquela sabrina nem precisa falar porque está com eles…isso sim é anti-educativo, o casseta planeta não tem essa invasão, o globo reporter sim tem cultulra, mostra coisas da natureza ,saúde, coisas do cotidiano, tem gente que não gosta mas assiste se não gosta tudo bem vai lá muda canal são! tantos! não é?!, pronto não precisa espernear com preconceitos que isso sim! é errado, tem muitos e muitos que são assim " não gosta do azul para pintar o quadro mais usa e critíca depois contudo vem o professor de pintura e diz que essa é a cor certa porque ele sim é um profissional que entende sem preconceitos com o azul." uma analogia perfeita.!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Poxa vida,vc escreve um monte de coisas e nao diz nada…como consegue?
    Vc criticou praticamente tudo que se passa na tv,mas pelo jeito se dispoe a assistir pelo menos um pouco de todos esses programas…
    Acho que vc é um ex-baixinho da Xuxa com saudades do tempo em que ela mostrava as coxas ou entao sente saudades,dos shortinhos enfiados no rego da Mara maravilha…

    Tem programa ai que eu nunca assistir,só de ver meio minuto,já mudava de canal…
    Qto a programa a cabo é a mesma porcaria,a diferença é que vc paga para ver. É tipo de coisa que vc adquiri para ter uma qualidade de transmissao melhor,pq nao aguenta mais subir no telhado para arrumar a antena toda hora…Mas a programaçao tbem nao presta,só que como vc paga,nao vai dizer isso,para nao passar por burro.
    Mas continua
    Na verdade o que acontece é que alguns programas da tv aberta estao com temas saturados,a tv tem um programaçao nivelada por baixo,pq o nosso povo gosta mesmo é de ver aquela porcariada,se coloca algo melhor,digo,qualidade,nao dá audiencia,pq o povo prefere a tranqueira.
    Mas tem algumas vezes que passa algo interessante até mesmo em um desdes programa,o duro é ter que ver um monte de lixo para de repente ter sorte de ver algo que preste.
    Agora criticar a programaçao é uma coisa,mas nao precisa descer tanto o nivel e se referir as pessoas que trabalham nesse veiculo de comunicaçao de forma tao pejorativa,afinal sao pessoas que estao fazendo o seu trabalho,e tentam realizar aquilo que é proposto pelas emissoras,naquilo que as emissoras acham que vai dar audiencia. Qualquer pessoa em qq emprego,vai ter que fazer o que o patrao manda,mesmo até discordando,mas é trabalho. A diferença é que quem trabalha em tv,todo mundo ve o que eles fazem…e sao submetidos a toda essa critica.Eles nao tem culpa,acabam virando um produto de entreter o publico

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Vcs tem leitores (podem rir) CEGOS no blog…. se eu pedir umas diferenciações.. rola?

    Para eles ficarem independentes e te malharem kkkkk

    Serião… eles gostam

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Faz mó tempão que nem assisto TV. A TV brasileira é uma merda? O Brasil já é a merda! O que não é merda por aqui? Os filmes da TV aberta são merdas pra obrigar geral a comprar TV a cabo, oras! As novelas são umas merdas pra ajudar a alienar o povão. Simples assim. E acho que foi o Somir que uma vez falou que assiste Big Brother taqueoparil!

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário para Grazi Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: