Siago Tomir no casamento


Certa vez, Siago Tomir e eu fomos convidados para um casamento ao qual tivemos que comparecer meio que por obrigação social. Não, esta não é A História sobre casamento que eu sempre comento (e Siago sempre diz que me mata se eu postar). Mas também é engraçada.

Pois bem, lá estava eu, com meu vestido longo (que era obrigatório) de mãos dadas com Siago, tentando passar uma imagem de finesse. Tínhamos acabado de sair da igreja (onde Siago fazia piadas com a religião católica de cinco em cinco minutos) e estávamos no salão de festas.

A festa transcorria na maior normalidade. Normalidade é Siago alternando momentos de tédio meio emburrado e momentos eufóricos fazendo piadas sem noção e politicamente incorretas. No meio da festa, minha bexiga começou a reclamar. Eu precisava fazer xixi.

Mulheres sabem bem o que é fazer xixi em um banheiro fora de casa. Ruim, muito ruim. Mas, como ainda restavam algumas horas de festa, eu teria que encarar o banheiro.

Fui ao banheiro. Quando entro na cabine posso constatar que aquilo já não está mais tão limpo. A privada era daquelas que a gente aperta um botão e roda um forro plástico novo no assento. Aperto o botão. O forro limpo do assento roda. Me preparo para praticar agachamento.

Para aqueles que estão rindo, eu sugiro que calcem um salto de 12cm de altura, se apertem que nem uma salsicha em um vestido longo que praticamente diminui sua função pulmonar que quando você se abaixa, arrasta no chão e depois tentem mijar, sem um pinto, sentados no ar, sem encostar na tábua e sem escorrer pelas pernas. Não é tão fácil quanto parece.

Mas eu consegui. Anos de musculação me deram força no quadríceps para viabilizar uma boa mijada tábua free. Tudo muito bem, serviço completo, até que, na hora de levantar, um erro primário! Não sei como, porque essas coisas acontecem em fração de segundos, me desequilibrei NO MOMENTO DE DAR A DESCARGA (quão idiota eu sou?) e para não cair, espalmei as mãos no primeiro apoio que eu vi.

Infelizmente, o primeiro apoio que eu vi continha o botão que acionava o assento rotatório do vaso. Acabei apertando o botão sem querer. O assento rodou, e junto com ele, meu vestido.

Fiquei uns dez segundos imóvel, com cara de panaca, tentando entender o que tinha acontecido. Depois mais dez, com cara de idiota pensando “Puta que pariu, eu sou muito burra”. Tentei puxar o vestido de leve. Não saía. Parte do meu vestido tinha migrado para o lado de dentro do vaso, junto com o assento giratório.

Respirei fundo. Tentei puxar um pouco mais. Vi que não dava. O vestido que era longo, agora estava na altura do meu joelho, e eu ali, presa a um vaso sanitário. Era o fim da finesse.

Eu não tenho boas reações quando estou sob pressão. Fiquei uns vinte minutos dando uma puxadinha, constatando que não dava e, minutos depois, dando outra puxadinha. Demorou até realmente me convencer de que não dava. Foi quando tocou meu celular.

Sally: Oi

Siago: Onde você está?

Sally: Estou no banheiro

Siago: Está tudo bem?

Sally: Não

Siago: Eu quero saber porque não está tudo bem?

Sally: Não é nada escatológico! Prendi meu vestido no vaso sanitário e não consigo sair!

Longa risada por parte de Siago Tomir

Siago: Sally! É só puxar!

Sally: Siago, se fosse só puxar eu já teria feito…

Siago: Então puxa mais!

Sally: Siago, essa privada é diferente, tem um dispositivo que gira e…

Siago: “Dispositivo”? É a privada do Batman!

Longa risada de Siago Tomir da própria piada

Siago: Puxa isso e volta logo!

Continuei tentando. Nada. Liguei para minha melhor amiga, que infelizmente não estava na festa:

Sally: oi…

MA: O que aconteceu que você está com essa voz

Sally: Se eu te falar que eu estou entalada em uma privada você acredita?

MA: Vindo de você, eu acredito em tudo

Sally: O vestido prendeu naquele negocinho que roda…

MA: Corta! Fica com um longuete, ninguém vai perceber…

Sally: Com que tesoura?

MA: Liga pro Siago e pede para ele arrumar uma tesoura para você!

Sally: Sei lá, não dá para contar muito com o Siago nessas horas…

MA: Porra! Qualquer retardado é capaz de conseguir uma tesoura!

Coitada, ela não sabia nada sobre Siago Tomir. Mas eu sabia. O erro de recorrer a ele foi meu.

Siago: Alô?

Sally: Faz um favor para mim…

Siago: Você ainda está aí?

Sally: Estou. Presta atenção, só quero uma coisa de você: vai até os organizadores da festa e pede UMA TESOURA, só isso

Siago: Só isso?

Sally: Sim, só isso. Traz a tesoura para mim.

Siago: Porque você precisa de uma tesoura?

– Pausa- Essa era a hora em que eu deveria mandar ele calar a boca e começar a gritar para ele trazer a tesoura rápido, porque ele não entende porra nenhuma de banheiro feminino, de roupa feminina nem de nada feminino, mas eu fui tentar ser fina. Erro meu. Para ser atendida por Siago, algumas vezes é necessário dar uma de maluca. A idiota aqui resolveu argumentar.

Sally: Assim eu posso cortar o vestido e sair daqui

Siago: Para Sally! Você precisa cortar um vestido para sair de uma privada!?

Sally: Siago, não tem outro jeito!

Siago: Estou indo te tirar daí!

Pouco tempo depois, ouço os berros de Siago na porta do banheiro:

Siago: TEM MAIS ALGUÉM AÍ?

Sally: Não, Siago, só eu, pode entrar

Siago entrou e em vez de me socorrer, ficou analisando o banheiro feminino

Sally: DÁ PARA ME AJUDAR EM VEZ DE FICAR OLHANDO O BANHEIRO?

Siago: Estou curioso, não costumo entrar em banheiro feminino…

Siago entrou na cabine, com muita dificuldade e ficou olhando para a situação. Coçou a testa e ficou pensando. Essa era a hora para ele ter uma idéia genial, mas infelizmente não foi o que aconteceu.

Siago: Eu vou puxar você

Sally: Não vai dar certo

Siago olhou com cara de “Papai sabe tudo”

Siago: Confia em mim, eu sei o que estou fazendo

Sally: Não vai dar certo, vai rasgar

Sigao: Confia em mim, não vai rasgar

Sally: Você vai me machucar!

Siago: Eu não vou te machucar

Pessoa desconhecida: Vamos sair daqui, acho que estão fazendo sexo no banheiro

Siago Tomir olha com olhar orgulhoso

Sally: Quer parar!

Siago:Te comi no banheiro – longa risada

Sally: Anda, me tira daqui!

Siago Tomir começou a me puxar

Sally: Aaaaaaiiiiii! Siagoooo! Mais devagaaaar!

Siago: Se segura! Você tem que se segurar!

Sally: Siaaaaagoooo! Paraaaaaa! Vai rasgaaaar!

Pessoa estranha 2: Bem que me falaram que tinha um casal fazendo sexo aqui no banheiro, vamos embora!

Pessoa estranha 3: Que vergonha, em uma festa família como essa…

Sally: Para de rir! Não tem graça!

Siago: Tem sim, te comi numa festa família!

Sally: aff

Siago: Tomara que distorçam a história e espalhem que eu te comi na igreja

Sally: DÁ PARA IR BUSCAR A TESOURA AGORA?

Siago: Calma…

Sally: Calma não! Estou presa numa privada!

Siago: Se gira para um lado, deve girar para o outro… deve ter um jeito…

Foi quando Siago mostrou seu lado mais demente-impulsivo. O mesmo lado que o faz estar dirigindo em paz e do nada, sair virando nas esquinas com o carro, em um rompante.

Siago: PRONTO! ACHEI A SOLUÇÃO

Em meio segundo ele disse isso e PRESSIONOU, VOLUNTARIAMENTE, O BOTÃO QUE FAZ GIRAR O ASSENTO

Sally: NÃÃÃÃÃÃOOOOO!

Siago: Hã?

Sally: Esse botão faz girar PARA O MESMO LADO! FOI POR CAUSA DELE QUE EU FIQUEI PRESA!

Siago: Achei que girava automático!

Sally: NÃO, SIAGO, É MANUAL!

Siago: SE É MANUAL, PORQUE VOCÊ APERTOU DA PRIMEIRA VEZ?

Meu vestido estava uma micro-saia. Olhei para baixo e me vi praticamente com roupa de show de axé.

Sally: TUDO QUE EU TE PEDI FOI UMA TESOURA, SIAGO! UMA PORRA DUMA TESOURA! CUSTAVA PEGAR A TESOURA?

Siago: Mas eu achei que…

Sally: VOCÊ NÃO TEM QUE ACHAR, SIAGO. VOCÊ NÃO TEM QUE ACHAR. VOCÊ NÃO ENTENDE NADA DE ROUPA FEMININA, VOCÊ NÃO ENTENDE NADA DE PRIVADA FEMININA! ESSA SUA MANIA DE ACHAR QUE ENTENDE DE TUDO!

Siago: Não grita comigo! Você se colocou nessa situação!

Sally: E VOCÊ NEM PARA ME AJUDAR! PUTA QUE PARIU, SIAGO! VOU PASSAR O RESTO DA NOITE PRESA NA PRIVADA POR CULPA SUA! NÃO QUERO NEM SABER, VOCÊ VAI FICAR COMIGO AQUI OUVINDO ESTRANHOS CAGAREM NA PORTINHA DO LADO E… blá blá blá

Falei, falei e falei. A veia da testa de Siago começou a saltar. É um mau sinal. Quando a veia da testa dele salta, quer dizer que ele está puto.

Sally: blá blá blá E NEM PARA ME TRAZER UMA TESOURA! PORQUE SE TIVESSE CORTADO O VESTIDO NAQUELA HORA, DARIA PARA DISFARÇAR! VOCÊ NÃO CONSEGUE NEM ME TIRAR DE UMA PRIVAD…

Nesse momento, em um rompante de putez, não sei como, Siago me puxou com força, rasgando meu vestido naquela altura em que estava (micro-saia) e disse:

Siago: Não consigo te tirar da privada é o caralho.

Fiquei ali parada, com as pernas de fora. Siago puto da vida, emburrado. Percebemos que havia pessoas na porta.

Sally: O que essas pessoas estão fazendo paradas na porta do banheiro?

Siago: Não sei. Vamos embora.

Sally: Vou sair ASSIM?

Siago: O que você sugere?

Sally: Tá, mas vamos direto para o carro!

Respiramos fundo e saímos de mãos dadas

Pessoa estranha: O cara rasgou a roupa dela todaaaa!

Pessoa estranha 2: Não falei que tava rolando um sexo no banheiro

Sally: Ei!

Siago: Fica quieta *falando baixo

Sally: Mas…

Siago: Fica quieta * falando baixo

Sally: Porque?

Siago: Porque é menos pior fama de fazer sexo do que fama de entalada na privada…

Para me dizer que quer saber a outra história do casamento, para me dizer que qualquer merda te deixa feliz desde que seja escrita em português correto e para me consolar dizendo que você também prendeu seu vestido no vaso, só que estava bêbada: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Comments (20)

  • que noojo!! É, esse vestido aí só cortando mesmo, vai saber o que tinha nessa privada. Lendo até que é engraçado mas na hora deve ter sido desesperador.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Jacinto, você é intolerante à lactose? Também tive um período de diarréias "inexplicáveis" e passei por situações trágicas como a sua. Conte as outras!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Jacinto, faça o desfavor de enviar suas mensagens p/ serem publicadas. O povão se amarra em rir da desgraça alheia!!!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Jacinto Pinto Aquino Rego

    O pior é que é verídica…. tenho várias, mas essa foi muito tosca. Na minha tenra e burra adolescência, na qual eu não me dava conta que comer Mc Donnalds 4 dias por semana e tomar um pote de 2 lt de sorvete por semana poderia ser a misteriosa causa de uma diarréia que durou ANOS… é foda, adolescente só pensa em mulher. Homem adulto também, mas pelo menos começamos a tomar mais cuidado com o corpo (fazer endo e colonoscopia muda a vida da gente…).

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Jacinto, você escreve muito bem. Deveria mandar um Desfavor Convidado para a gente de tempos em tempos… teremos prazer em publicar!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Jacinto Pinto Aquino Rego

    Sally, vou contar uma história que me aconteceu, envolve banheiro e passar uma vergonha do caralho também. Era moleque, uns 13 ou 14 anos, fui na chácara de um amigo e ficamos 1 semana comendo manga e outras frutas destruidoras de qualquer atividade intestinal normal. Beleza, fomos ao centro jogar fliperama. Ainda lembro do jogo, Darkstalkers. Provavelmente o Somir jogou esse jogo também, deve ser da mesma época. Andamos uns 5 km para chegar na porra do fliperama. Estamos jogando e bate aquele terremoto intestinal avisando que tinha poucos, muito poucos minutos para encontrar um cagódromo. O filho da puta do fliperama não liberou o banheiro. A situação tava "TENÇA", então sai com meu amigo buscando um cagódromo disponível. Era feriado católico num domingo numa cidade do interior paulista, fodeu, tudo fechado. Nem sei como a bosta do fliperama estava aberto. No desespero fui na rodoviária. Aquele banheiro que tinha que forrar a privada para cagar de pé e ainda assim você saía com uma micose anal. Beleza, vamos lá, coragem. Entro e após virar uma WAP de merda humana, literalmente sujar as paredes com o aerosol de merda que fluia da minha bunda, vi que não tinha papel. Meu amigo tava lá me sacaneando, pedi ajuda. "-Vai procurar papel, caralho!". Lá foi ele, prestativo como um amigo de 14 anos pode ser nessa situação. Me sacaneando até não poder mais. Voltou depois de alguns minutos falando que não tinha merda nenhuma aberta na cidade, nem jornal ele conseguiu comprar. E o viado me oferece umas notas de 1 real, porra com aquilo eu não limpava nem a parte de trás da minha coxa, que acredite, precisava ser limpa. Beleza, peço para ele segurar a porta do banheiro. Vou me lavar na pia. Foi-se meu último traço de dignidade, lá fui eu lavar o cu na pia. Tô lá fazendo uma maravilhosa máquina de lavar anal quando vai uma fila de gente entrar no banheiro, meu amigo fiel escudeiro "-Não pode entrar!" e o motorista do busão ignorante mete um tapão no peito do moleque jogando ele pro lado. E entra aquela galera no banheiro e eu de 4 lavando o rabo na pia. Puta que o pariu. Quando sai do banheiro, parecia que tinham umas 200 pessoas me sacaneando lá fora. Podiam ser só as 20 da fila, mas o efeito moral devastador causa o milagre da multiplicação dos filhos da puta. E meu amigo junto, rindo que se mijava.
    Foda.
    Nada a ver com sua história, mas sua vergonha latrinal me fez lembrar do causo…
    Esse foi um autêntico EU, DESFAVOR.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Pior foi a vergonha se sair praticamente semi-nua com todo mundo me olhando como se eu fosse uma ninfomaníaca… aff

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Ahhh!! Pensei q era a outra tão esperada história do casamento!!

    Nunca vi esse dispositivo… meio perigoso (haha), mas melhor q ficar tendo q encaixar o papel separado! Detesto usar banheiros fora de casa!!

    E o vestido rasgado?!? Aii.. ia ter ficado mto brava!!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • "Vindo de você, eu acredito em tudo" Hahahahaha! Nunca que eu vou convidar vcs pra festa minha. Depois vcs vão ficar fazendo sexo e rasgando roupas no banheiro, numa festa de família! Mas que vergonha! Hahaha

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Finalmente! Texto em português correto! Que alegria!

    Na verdade, acho que essa história mais "Eu, Desfavor" que Siago Tomir né!?

    Mas fico impressionada com a capacidade que a Sally tem de se meter em confusões engraçadas.

    Certeza que vc n]ao inventa essas coisas não? É coisa demais para uma pessoa só.

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: