Processa Eu!: Gue Chevara

FINALMENTE AQUI!Antes de começar quero dizer que eu não gosto da Veja, não dou de direita e tenho extrema simpatia pelo comunismo. Minhas críticas neste texto não tem absolutamente nenhuma relação com política, estou criticando uma PESSOA e suas escolhas pessoais. A maior parte do que vocês lerão aqui advém de escritas do próprio punho do autor, que foram convenientemente mitigadas por traduções açucaradas ou biografias heróicas. De fato, ele conseguiu uma grande proeza que talvez nenhum outro homem tivesse conseguido: com a ajuda inicial de apenas uma dúzia de pessoas foi, viu e venceu. Fez a revolução em um país que sofria com uma ditadura militar. É algo notável. Mas isso não apaga o fato de que era uma pessoa horrível, um tirano, sanguinário, descontrolado, megalomaníaco, ditador e, pior de tudo, argentino. Processa Eu de hoje: Gue Chevara (*escorrendo lágrimas).

Gue Chevara é descrito como “político, escritor, jornalista e médico”. Mas cá entre nós, era médico e olhe lá. De político não tinha NADA, nem ao menos foi eleito para chegar ao poder, de escritor, quem já leu seus diários sabe que fica muito a desejar e de jornalista (*pausa para rir) não tinha nem o cheiro. Foi um dos idealizadores e comandantes da revolução cubana. Virou ícone entre artistas, intelectuais e pessoas de esquerda. Na suíça é fashion, é cult usar uma camiseta com seu rosto. Porque na Suíça é assim: você não sabe porra nenhuma sobre a pessoa mas se todo mundo usa e se todo mundo diz que foi um cara bacana, você vai e usa também. Os grupos mais oprimidos e mais sacaneados por Chevara são os que mais o prestigiam hoje em dia.

Vendem sua imagem como um herói que libertou o povo cubano da ditadura, mas na verdade não era nem um pouco democrata. Alguns o defendem dizendo que realizou restrições políticas necessárias para manter o regime. Negativo. Depois de assumir o poder em Cuba com seu amiguinho Cidel Fastro (que apesar de estar com o pé na cova, vai ganhar seu próprio Processa Eu) não se limitou a realizar restrições de cunho político. Proibiu, perseguiu e exilou pessoas totalmente fora desse contexto, como por exemplo, bandas de rock. Tem cabimento? Proibir as pessoas de cantarem músicas? Proibiu que fosse tocado rock, chegando ao cúmulo de demitir quem tocasse Beatles na rádio ou na TV. E esse foi só o começo da grande censura artística que promoveu. Jovens eram enviados a “campos de reabilitação” (entenda-se, trabalhos forçados) se fossem flagrados tocando rock. Há relatos de jovens levados a estes campos de reabilitação pelo simples fato de usarem cabelos compridos. Ninguém podia ouvir rock nem tocar rock.

Algum tempo depois, o privilégio de freqüentar esses campos de trabalhos forçados se estendeu a outras pessoas. Estes campos eram localizados em zonas isoladas, rochosas e absurdamente quentes, onde trabalhavam o dia todo (trabalho braçal), de graça, em condições desumanas. As pessoas trancafiadas nestes campos não podiam nem ter contato com seus familiares. Chevara surtou alegando mandaria para lá aqueles que agissem de forma contrária “à moral revolucionária”. Mito? Lenda? Invenção para denegrir sua imagem? Não creio. Nem eu nem a Comissão Interamericana dos Direitos Humanos, que investigou inúmeras denúncias e elaborou um relatório publicado em 1967 afirmando que pessoas eram jogadas ali sem qualquer julgamento ou direito de defesa e muitas vezes suas famílias sequer sabiam onde eles estavam. Ficaram conhecidos como “Campos de concentração cubanos”

Calma que piora. Também eram mandados para esses campos GAYS, ALCOÓLATRAS, SACERDOTES DE CANDOMBLÉ (sim, Cuba tem candomblé) e PORTADORES DE HIV. E você aí usando uma camiseta com os cornos de alguém que fez tudo isso! Qual é o seu problema? Sabe o que ele chegou a dizer? Que o “homossexualismo” era uma doença e que em breve seria erradicada de Cuba, pois o socialismo teria o poder de curar comportamentos e doenças sociais. Dói NA MINHA ALMA quando vejo um gay usando uma camiseta do Gue Chevara, dá vontade de parar na rua e ter uma conversa. Havia um departamento da polícia especial criado para “cuidar” dos homossexuais chamado “Esquadrão da Escória”, que não poupou nem mesmo aqueles gays que foram favoráveis aos revolucionários e que os ajudaram. Sério, vai lá rasgar sua camiseta, eu espero. Recolhia os gays e os levava para os campos de concentração. Ou melhor, recolhia aqueles que ELES ACHAVAM que eram gays.

Quero citar só um dos muitos casos para ilustrar a personalidade do nosso herói Gue Chevara. Um poeta chamado Virgilio Piñera, que sempre apoiou a “revolução” cubana, acabou sendo preso, mesmo tendo ajudado Chevara, pelo simples fato de ser gay. Além de preso, era execrado publicamente por sua sexualidade. Há relatos de Gue Chevara visitando alguns órgãos e embaixadas e, ao se deparar com livros de autoria de Piñera gritar: “Como é que vocês podem ter um livro desta bicha aqui?”, obrigando a que o livro fosse jogado fora. Aliás, só em 1979 a “sodomia” foi retirada do Código Penal cubano, deixando de ser crime. Uma terra exemplar. Veja como eles fizeram muito por Cuba!

Acho bacana que as classes que Chevara tanto perseguiu (artistas e gays) são os que mais os cultuam hoje em dia. Sério mesmo, eu sei que vou arrumar um problemão falando isso, mas se a história de Gue Chevara tivesse sido contada com um pouco menos de açúcar e enfeite e um pouco mais de rigidez e mau humor, hoje ele seria visto no mesmo patamar de Hitler. O cara teve UM mérito: ralou muito e conseguiu um objetivo quase impossível. Só esse, de resto dó vez bosta. Adianta tomar o poder se vai foder com a vida da população que você prometeu libertar? Sim, porque quando estavam tentando fazer a revolução se diziam democratas, queriam eleições e pregavam várias coisas bonitas que foram esquecidas quando finalmente alcançaram o poder. Conseguiram o apoio popular contando mentiras e promessas falsas. E quem os lembrasse disso era fuzilado.

Outra postura que chama a atenção é suposta constante disposição para morrer em nome de um ideal. Ao menos é isso que se narra nas biografias. Será mesmo? Bem, se ele quisesse arriscar a própria vida, eu não teria o que criticar, o problema é que ele expunha a vida dos outros também e quando chegava a hora da verdade, procurava se proteger. Tentou iniciar uma guerra nuclear contra os EUA, dizendo com todas as letras que sabiam que eles tinham um arsenal nuclear significativo mas que os cubanos estavam prontos para morrer. Morrer em nome de uma crença… onde foi mesmo que eu vi isso? (OSAMA! *imitando um espirro). Um tanto quanto fanático isso de se propor a morrer por um ideal, né? Romântico, mas não era verdade. O engraçado é que ele só tomou a decisão de realizar um ataque aos EUA após se assegurar que havia espaço para os líderes cubanos nos abrigos antiaéreos da embaixada soviética em Cuba. Há documentos comprovando a data do questionamento e a data em que ele anunciou sua intenção de promover uma guerra nuclear. O povo que se foda, né? Ele correria para o abrigo, o povo que tome bomba na nuca e morra em nome do ideal. Bonito, muito bonito. Por sorte, foi impedido pelos soviéticos. Esperneou horrores.

Não era apenas em situações grandiosas que ele tinha dois pesos e duas medidas, tirando o dele da reta e botando no cu dos outros. Em 1963, por exemplo, Gue Chevara apoiou e ajudou a aprovar uma lei que instituía o serviço militar obrigatório para jovens cubanos. Curioso que o próprio Gue Chevara tentou fugir do serviço militar de seu país de origem em 1946. Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. Muito bravo este homem. Hipócrita!

Ao menos era um bom amigo? Não sei, porque a gente não pergunta para seu amigo Huber Matos, que Gue Chevara jogou na cadeia por vinte anos por manifestar uma discordância? Ele ousou dizer que era contra eventual ditadura e que o movimento do qual todos participaram lutava para trazer de volta a Cuba uma democracia pluripartidária. Cadeia nele. Ou então para o tanto de companheiros que ele fuzilou por meras desconfianças infundadas ou por vaidade e medo de concorrência? Fuzilar um amigo é algo bem pesado.

E daí você deve pensar “Tá, o sujeito meio que se excedeu, mas foi por um ideal, ele melhorou a vida dos cubanos”. Olha, ditadura existia antes e existiu depois da “Revolução”, mudou apenas o nome do ditador. Só que antes, a situação dos cubanos era a seguinte: tinham mais aparelhos de TV, telefones e jornais por família que qualquer outro país da América Latina, tinha uma das arquiteturas mais prósperas do mundo, havia enorme atividade cultural contando com diversos teatros e 600 salas de cinema, os índices de escolaridade eram altíssimos, havia 1.700 escolas privadas e 22 mil escolas públicas, 23% do orçamento do país era destinado à educação, as leis trabalhistas eram mais benéficas ao trabalhador, não havia pena de morte institucionalizada… eu poderia ficar dez páginas cuspindo dados, mas só tenho quatro. Fato: Cuba PIOROU depois da revolução. E o culpado foi Chevara.

O que eu acho mais bacana é que movimentos de esquerda do mundo todo que se dizem contra tortura e buscam a verdade sobre os desaparecidos políticos e exilados usam camiseta e bandeira com a carinha de Chevara, mesmo sabendo que ele foi o responsável por uma infinidade de fuzilamentos, desaparecimentos, perseguições e exílios. Sabe qual é o problema? No fundo, no fundo, os radicais são todos iguais. Seja para a esquerda ou para a direita, são a mesma bosta, não sabem lidar com as diferenças e aquele que pensa diferente deve ser exterminado, morto, fuzilado, exilado. Por isso não repudiam as atitudes de Chevara.

“Mas Sally, pelo menos ele só fuzilava, não torturava”. Esse argumento é medonho. Mas nem vou entrar nesse mérito, porque além de medonho, é falso. A Corte Interamericana de Direitos Humanos divulgou um relatório onde mostra que sim, ocorria tortura. E muita. Por exemplo, os prisioneiros antes de ser executados tinham uma quantidade de sangue enorme extraída de seu corpo. Este sangue era vendido ao Vietnã. Além disso há inúmeros relatos e denúncias de que as pessoas chegavam ao “paredão” para serem executadas muito feridas, por exemplo, com a mandíbula fora do lugar ou faltando um olho, algumas vezes até inconscientes. Ele não apenas ordenava a tortura como muitas vezes ele próprio a executava nos tempos em que era diretor do presídio montado dentro do forte de La Cabaña.

Sem contar que Chevara era um paranóico inseguro que matava por qualquer merda. Não dava o menor valor à vida humana. Em um de seus diários há o relato curioso. Quando estavam tentando fazer a revolução em Cuba, frequentemente se abrigavam em casas de camponeses. Um camponês os acolheu, lhes deu abrigo e comida, super simpatizante do movimento (enganado, coitado, pois eles diziam que estavam lutando pela democracia). No dia seguinte, quando saíram da casa, os revolucionários começaram a passar mal. Chevara concluiu que haviam sido envenenados e quis voltar para matar o camponês que o ajudou. Só que todos haviam ingerido comida estragada, o próprio camponês e sua família sentiam os mesmos sintomas. Mesmo assim Chevara insistiu em matá-lo. Foi Cidel que o impediu, após muita conversa.

Gue Chevara matou muito. Matou não apenas o “inimigo” (pois para ele quem pensa diferente é inimigo e deve morrer), como também amigos do quais desconfiava por muito pouco, colegas de guerrilha. Disse certa vez “Isto é uma revolução, provas são secundárias” quando questionavam a execução de um companheiro de luta sem qualquer prova contra ele. Matava até mesmo crianças. Um menino que, segundo relatos teria entre dez e doze anos, foi pedir clemência para seu pai, que seria fuzilado, acabou indo parar no paredão também por ordem de Gue. Mas isto não é tudo. Chevara ordenou que o menino se ajoelhe na frente dele aos berros. O garoto se recusou a obedecer e continuou de pé, olhando para a cara de Chevara. O que aconteceu? Gue Chevara disse “Que menino valente” e deu um tiro na cabeça do garoto.

Sempre tem quem tente negar a verdade, porque é muito reconfortante ter um mito para se apoiar e sentir esperanças. Mas a verdade é que quem cultua Gue Chevara raramente estudou a fundo sua vida. Ao ler seus diários fica bem claro como ele era tirano, violento, injusto e preconceituoso. Eu conheço a história por diversas fontes (spoiler: minha família é amiga da família dele) e li todos os diários que ele escreveu, biografias, textos, assisti vídeos além de pesquisar relatórios de organizações sérias ligadas aos Direitos Humanos. Digo com tranqüilidade para vocês: o homem era um ditador sanguinário. Não havia diálogo, não havia a possibilidade de discordar dele. Gente, o sujeito foi a uma conferência das Nações Unidas dizer no microfone que fuzilava mesmo e que iria continuar fuzilando.

Assassinatos por motivação política são um ERRO, seja lá de qual lado eles partam. Assassinatos por motivos políticos deveriam ser REPUDIADOS e não reverenciados e aplaudidos. Você é contra tortura e assassinato? Ou será que você só é contra tortura e assassinato quando eles são aplicados ao seu lado? Contra o adversário pode? Isso é um absurdo. Quem admite assassinato por motivos políticos ou tortura é a mesma merda que a ditadura militar, é apenas o outro lado da moeda. Procurem vídeos dos discursos de Gue Chevara, leiam seus diários (as biografias são enfeitadas e açucaradas, não prestam). Não precisa de biografia, o sujeito escrevia diários! Está tudo lá, o que estou contando não é informação privilegiada.

“Mas Sally, não parecia assim no filme Diarios de uma Motocicleta”. Pois é, o filme foi feito para vender. Para vender tinha que falar bem. Falar mal de Gue Chevara é algo extremamente impopular que as pessoas só costumam fazer quando estão cegas de ódio político. O fato é que ele mesmo deixou rastros do quão escroto era. Tente ler todos os diários de Chevara com cautela e senso crítico e veja como o radicalismo cria assassinos e injustiças. Por exemplo, ele escreveu a seguinte pérola, salvo engano, quando estava na Venezuela: “Os negros mantiveram sua pureza racional graças ao pouco apego que tem em tomar banho” e ainda diz que “o negro é indolente e sonhador, gasta seu dinheiro em qualquer frivolidade”.

E para você que ainda acha que ele trouxe algum benefício ao proletariado, fique sabendo que ele pregou em diversos discursos e colocou em prática quando foi Ministro da Indústria que era um erro aumentar o salário de quem produzia mais, sendo correto CORTAR o salário de quem produz menos. Também exigia que os trabalhadores continuassem a trabalhas em seu período de férias sem receber nada por isso (ele chamava de “trabalho voluntário” nas férias. Ok, voluntário… alguém que tentasse não fazer para ver o que acontecia!) e chegou ao ponto de instituir castigos físicos para os trabalhadores que ele considerasse “preguiçosos” e que não estivessem produzido o esperado.

Para quem não sabe, Ministro da Indústria era um cargo extremamente importante e ligado diretamente aos trabalhadores, o proletariado que ele jurou defender e proteger da exploração do capitalismo. Protegeu benzão, hein? Cortando as férias, aplicando castigos… Sim, ele pregava que recompensar trabalhador era nocivo e que o correto era fazê-los trabalhar através do medo e de castigos. Não sou eu quem diz, ele dizia com todas as letras. Tem material escrito e filmado. O sujeito não tinha o menor preparo para o cargo e ainda era meio pancada da cabeça. Punia seus funcionários, ameaçava-os e colocava espiões para segui-los. Proibia até mesmo o consumo de Coca-Cola, a “água negra do imperialismo”. Aos poucos, todo mundo foi abandonando o barco e se demitindo (fugindo do país, porque quem se demitia era um traidor, desertor que deveria ser fuzilado).

Não é a toa que as pessoas tem tanto medo do comunismo. O que ocorreu em Cuba não foi comunismo, foi Chevarismo. Estatizaram todas as empresas e confiscaram propriedades para dar na mão de Chevara, que era médico e não entendia chongas de economia e produção. O cara quebrou Cuba, fez uma cagada atrás da outra (adoraria entrar em detalhes, mas não cabe) e foi se afundando cada vez mais. Sua arrogância o impedia de ver (ou seria de admitir?) que estava redondamente enganado desde o começo e a cagada se tornou monstruosa. A sorte dele é que a União Soviética tratava Cuba como seu filho caçula superprotegido e ficava injetando dinheiro e recursos para que a danação não fosse tão grande. Era um macaco com uma navalha nas mãos. Engraçado que Chevara criticava tanto a dependência econômica dos EUA, mas não tinha o menor constrangimento de ser bancado pela URSS. Se Cuba está como está hoje em dia, é culpa de Chevara. E há quem diga que a URSS quebrou por causa das altíssimas despesas em sustentar Cuba. Acho que Chevara era o homem mais capitalista do mundo, pois conseguiu extinguir os comunistas.

Tanto é que o próprio Cidel Fastro, seu camarada, viu o tamanho da merda que estava acontecendo e decidiu agir. Cidel era bem mais esperto que Gue. Além disso era carismático e manipulador. Chamou ele para um bate papo e disse que a revolução deveria se estender por todos os países da América Latina e que o único homem no qual ele confiava era ele, Gue Chevara, e que por isso queria confiar-lhe esta missão super importante. Disse ainda que o cargo de Ministro qualquer burocrata poderia fazer, mas a revolução apenas Gue Chevara. E foi nessa, jogando idéias permeadas por elogios, que ele foi plantando aos poucos idéias na cabeça de Gue, para se livrar deste maluco. Não deve ter sido difícil, pois Chevara era um radical raivoso histérico psicopata megalomaníaco. Quando vislumbrou um plano como esse, entrou em delírio.

Lá se foi Gue Chevara fazer a revolução na Bolívia, com a promessa de Cidel Fastro de muito apoio e infraestrutura para fazer a revolução em toda a América Latina. Você ajudou? Nem Cidel. Dava umas ajudinhas muito mal e porcamente, há quem diga que, de propósito, para se livrar daquele louco varrido. Não são poucos os relatos que indicam que Cidel mandou Chevara para a morte certa e que ficou bem aliviado quando ele morreu. Afinal, foi Cidel quem passou décadas limpando a merda que Chevara fez em Cuba. Há relatos ainda que em seus últimos tempos em Cuba, Chevara andava cismado com Cidel e estava cogitando até mesmo fuzilá-lo, por suas posturas mais brandas. Sim, Cidel Fastro era bando se comparado a Chevara. Percebeu o tamanho do problema?

Na selva boliviana, sem infraestrutura e claramente em desvantagem, optou por não recuar. Burrice, arrogância, soberba, aquilo que a gente já conhece. Daí Gue Chevara foi capturado e morto. Foi a melhor coisa que podia ter acontecido a ele. Virou mito, virou imortal. Virou “intocável”. Se você fala mal de Gue Chevara gera automaticamente contra si uma presunção de pessoa horrível, favorável à ditadura e de extrema direita. Gerações que nasceram com Gue Chevara já endeusado não tiveram o desconfiômetro de procurar se informar melhor sobre ele cresceram ouvindo relatos mitigados que destacavam suas qualidades e omitiam as atrocidades cometidas.

Não perca seu tempo traçando teorias da conspiração. Eu li seus diários no original, em espanhol. Além disso a publicação trazia, em uma página, a foto do manuscrito e na outra o texto e eu me dei ao trabalho de conferir se o manuscrito (com letra de médico, puta que me pariu, eu sou muito corna) batia com a transcrição. Ele era sim um belo dum filho da puta, sádico, megalomaníaco, paranóico, cruel e preconceituoso. Só porque defende uma causa pela qual alguns simpatizaram não justifica que tenha feito o que fez. Sei que vão me xingar, porque ele virou mito e mexer em mito incomoda. Vou responder aos comentários seguindo a regra que sempre apliquei: respondo, mas se vier rebater numa de querer polemizar e travar uma discussão pessoal comigo, vou ignorar. Xinguem a vontade. Se ofender é para os fracos.

Esta é a maior postagem da história do Desfavor, com sete páginas. Mas algo me diz que o Somir não vai cortar nada.

Para me perguntar o que eu acho e quando eu responder à pergunta ter um surto de esquizofrenia e me questionar se eu me acho referência, para desconsiderar minhas inúmeras ressalvas e creditar este texto a intenções políticas ou ainda para aproveitar a deixa e falar mal de argentinos mais uma vez: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Comments (122)

  • (Comentário anacrônico, mas, pelo que li acima, parece ser o ÚNICO pertinente ao conteúdo do post )

    Incrível que, mesmo no âmbito acadêmico, o MITO CHE GUEVARA permaneça: na faculdade de História, não somente perpetuam essa MITOLOGIA REVOLUCIONÁRIA, como ocultam todos esses fatos e informações sobre QUEM ERA, DE FATO, O HOMEM por trás do mito. Triste, muito triste!

    Apenas mentes curiosas se dão ao trabalho de buscar os FATOS e, principalmente, as MOTIVAÇÕES políticas e pessoais que interferem (e às vezes definem) o curso da História de uma nação. Infelizmente, nem preciso dizer que 99% dos indivíduos acham o estudo da História “algo chato que aprendemos na escola e que não tem utilidade prática”. Pior: na faculdade de História, onde os mitos geralmente são derrubados e a verdade dos fatos se descortina, por desinteresse ou negligência, não se abordam esses temas e o mito perpetua. Ato contínuo, vemos grupos sociais que foram vítimas no passado das ações de um “líder político” usando camisas com sua foto estampada.

    P.S.: Você pode detestar estudar HISTÓRIA, mas só o conhecimento que dela advém pode evitar vergonha alheia como essa.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Mas não basta simplesmente estudar a história, como também ter senso crítico justamente para não cair no terreno da mitificação.

      Em meio aos vários materiais, você pode cair em alguns que tendam a camuflar a realidade e o melhor caminho para se recorrer em contraponto a isso é buscar outras fontes para poder traçar um perfil mais verossímil.

      De qualquer forma, é sempre bom lembrar que o MITO é a CORRUPÇÃO da HISTÓRIA.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Anônima,
    me lembro de ter lhe passado o link sobre o professor kevin macdonald, ele tem um blog (em inglês obviamente chamado American Observer),
    o link não é o texto inteiro dele, é somente um resumo do que ele escreve,muito elucidativo por sinal.
    Sabe quando vc tem a sensação de finalmente estar conseguindo completar o quebra cabeças?
    http://www.nacional-socialismo.com/Stanley_Hornbeck_-_O_Envolvimento_Judaico_na_Destrui__o_da_Solidariedade_Racial_Branca.pdf
    está aí.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Não é a quantidade de diferenças genéticas que é importante, mas a natureza das diferenças: que genes são diferentes, de que maneira eles diferem, e as consequências dessas diferenças. Espécies de cachorros são análogas a raças humanas. É possível que diferentes espécies sejam geneticamente mais parecidas do que diferentes raças humanas, mas não há dúvida que essas subtis variações resultem em significantes diferenças em aparência, inteligência e comportamento.

    É importante considerar também que uma borboleta e a lagarta da qual ela se desenvolveu são 100% idênticas geneticamente! Os genes não mudam; as enormes diferenças entre lagartas e borboletas resultam do activamento de diferentes genes em épocas diferentes. Isso pode dar alguma pausa para pensar aos que acham que a diferença de 0,1% em dezenas de milhares de genes humanos “não fazem diferença”.

    “Há mais variação genética dentro de grupos humanos do que entre grupos humanos; consequentemente, diferenças entre grupos são inválidas.”

    Esse é outro argumento muito popular que, mesmo verdadeiro, não significaria que raça não tem significado. A falha nesse argumento é a mesma do “argumento do 99,9%”, em que é tratado como mais importante a quantidade – “contagem de feijões” genética (N. do T. genetic "bean counting") – mais do que a importância das diferenças genéticas e suas consequências. De facto, há mais variação genética dentro de grupos do que entre grupos, mas se essa variação não influenciar a expressão de importantes genes, isso não terá grandes consequências. Há uma considerável variação genética entre irmãos e entre pais e filhos, mas isso não altera o facto que eles são mais intimamente relacionados uns ao outro do que a estranhos.

    Novamente o Prof. Whitney demonstra o absurdo do argumento da “variação”. Ele aponta que podemos pegar o total da diversidade genética contida na população de Belfast e uma tropa de macacos e dar a isso um indicador de 100%. Surpreendente como isso possa parecer, a maior parte dessa diversidade será encontrada tanto na população de Belfast quanto na tropa de macacos. Há uma grande diversidade genética igualmente entre dois indivíduos que são muito similares entre si. Isso não significa, claro, que os Irlandeses são mais parecidos com macacos do que com seus vizinhos, ainda que essa é precisamente a maneira que os advogados do “raças-não-existem” usam o argumento quando aplicam ele aos humanos.

    O Prof. Whitney explica que assim como no caso da diferenças genéticas entre homens e mulheres, “a questão significante sobre diferenças raciais não é a percentagem da diversidade total, mas como essa diversidade é distribuída entre as raças, que traços ela influencia, e como isso é modelado.” Pequenas diferenças genéticas podem traduzir-se em importantes diferenças físicas e comportamentais.

    “A variação da população é contínua e traços humanos variam através de um espectro, então raças individuais não existem”.

    Esse é um modo científico de dizer que por existirem híbridos (populações racialmente ou etnicamente misturadas), não existem raças individuais. Esse é um surpreendentemente popular argumento, entretanto igualmente fácil de refutar. Ninguém pensa que a existência de populações híbridas de animais significa que esses animais não podem ser classificados em diferentes grupos. Isso é evidente. Seu cachorro pode ser uma mistura de pastor alemão e dinamarquês, mas isso não significa que não há pastores alemães ou dinamarqueses. A existência de cachorros híbridos significa somente que diferentes espécies de cães podem acasalar e produzir descendentes. Cães e lobos – diferentes espécies – podem acasalar e produzir descendentes, mas ainda será fácil distinguir um cão de um lobo.

    Há certos lugares onde têm havido forte mistura e onde há raças miscigenadas – Ásia Central, América Latina, África do Norte. A existência de populações híbridas nessas áreas de forma alguma invalida a existência de outras populações que são mais diferenciadas geneticamente – na Europa, no Extremo Oriente, e na África sub-Saariana.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • http://obomsensoartigo19.blogspot.com/2011/10/ciencia-distorcida-pela-esquerda-para.html

    A CIÊNCIA DISTORCIDA PELA ESQUERDA PARA PROPÓSITOS POLÍTICOS
    O igualitarismo racial tem falhado em produzir a "igualitária e justa" sociedade prometida pelos técnicos sociais. Ao mesmo tempo, está ocorrendo o marcante renascimento da identidade racial e étnica no mundo pós guerra-fria. Em resposta, a esquerda adoptou uma nova estratégia: negar totalmente a existência de raças! É por Isso que ouvimos falar tão frequentemente que "raça é uma construção social, sem validade biológica" e que "a ciência prova que somos todos iguais". Ironicamente, é em conexão com o progresso e entendimento do genoma humano – progresso no campo que irá definitivamente provar a realidade biológica das raças – que nós mais temos ouvido que raça é nada mais do que características "superficiais" e de aparência.

    Contra essa visão, há primeiro de tudo as óbvias diferenças entre os grupos de populações humanas que todos reconhecem. Há também evidências genéticas que podem ser usadas independentemente dos métodos tradicionais para classificar diferentes populações humanas em grupos raciais que são virtualmente idênticos aos baseados nos alegados traços "superficiais" estudados pela tradicional antropologia física. O professor Glayde Whitney escreveu nessas páginas:

    "Esses dados são portanto uma virtualmente irrefutável demonstração da realidade das raças – uma análise puramente estatística das frequências alelas (diferenças genéticas de um grupo para outro) dando resultados que são essencialmente idênticos aos grupos raciais estabelecidos pela antropologia tradicional".
    Uma honesta avaliação de dados confirma a realidade racial. Mas vamos ver os argumentos do outro lado:

    "Nós somos 99.9% (ou algum outro número) geneticamente idênticos; então não pode haver diferenças e não existem raças."
    Apesar de ser verdade que as populações humanas compartilhem aproximadamente 99.9% de seus genes, é também verdade que os humanos compartilham mais de 98% dos seus genes com chimpanzés, e uma grande porção com animais como ratos e cachorros. Muitos desses genes produzem estruturas básicas do corpo que todos mamíferos possuem em comum; diferenças entre organismos são causadas por diferenças genéticas muito pequenas.

    Homens e mulheres são 99,998% idênticos mas ninguém sugere que homens e mulheres são idênticos.

    Evidências actuais sugerem que todas as diferenças sexuais entre homens e mulher sejam o resultado de somente uma diferença genética – um gene (os Testes Factor Determinante) de uma estimativa de 50,000 – 100,000! Isso significa que homens e mulheres são 99,998 aos 99,999% geneticamente idênticos, mas ninguém sugere que sexo é uma mera “construção social”. Dessa maneira, as diferenças genéticas entre homens e chimpanzés, que ninguém nega, podem ser descritas como 12 à 20 vezes a diferença genética entre grupos raciais.
    Pequenas diferenças genéticas podem ter fortes consequências fenóticas porque os genes são ordenados em um modelo hierárquico. Alguns genes são “genes mestres”, e controlam a expressão de número dos outros genes, cada um deles pode ter grande controlo sobre alguns outros genes. Além disso, a expressão de cada gene é controlada por regiões chamadas “promotoras” (N. do T. “promoters”) e “realçadoras” (N. do T. “enhancers”), normalmente localizadas na frente da parte funcional do gene. Uma pequena mudança na região promotora do gene “X” pode alterar sua expressão. X pode controlar os genes A, B, C, D, E, F. O Gene A por sua vez pode controlar seu próprio conjunto de genes. Mesmo se todos os outros genes controlados por “X” forem idênticos entre dois grupos, uma diferença em “X” pode ser suficiente para produzir grandes diferenças entre os dois grupos.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Aé? para sua ''tristeSA'' eu resolvi deixá-lo papagaiar sozinho as suas PROVAS CONTUNDENTES SOBRE A INEXISTÊNCIA DE RAÇAS!!!!!(levando-se em conta que NÃO É geneticista, N/AO É antropólogo, afinal estudar ''pseudociência''????
    não, vc diria…
    -prefiro estudar QUILOMBO,novo nome para favela, só que mais cultural, mais roots,huahuahuahuahuahua)
    É um leigo e mais, arrogante, estúpido e burro de não notar o óbvio, para podermos comentar algo temos de ter no mínimo conhecimento daquilo, eu tenho esse mínimo,e vc??? é capaz de trazer 'notícia' PROVANDO IGUALDADE RACIAL do site da globo, faz isso pra mim faz??? Será como numa jogada de mestre do truco, vou colar a carta na sua testa e ''gritar pra todo mundo ouvir'' BUUUUUURROOOOOOOOOO (e sinta-se recompensado pq este foi o xingamento mais baixo que eu lancei contra vc, não se compara com os seus, no mais os meus xingamentos são baseados no debate, vendo a sua ''performance'' qualquer um inteligente, ou seja, uma breve minoria neste antro, chegaria a mesma conclusão que eu cheguei, vc é o típico brasileiro das massas metido a inteligente em relação a todos os assuntos que se mete a comentar, e mais, posta respostas batidas, de dois anos atrás vomitada pela mídia esquerdista liberal que obviamente não está aqui pra informar, a diferença entre a novela que vc assiste religiosamente e o jornal das oito, o ''naisscional'', que vc se informa,rsrsrs? nenhuma)
    Hugo,
    por favor, ''não peça ajuda aos universitários'' tá? Assim é ''covardia'', hehehe… Sei (acredito) que está tirando da própria cacCIOLA os seus interessantíssimos comentários, COM BASE (passa maquiagem Júlio?)e muito coerentis, oh sim, muito,muito coerentes??
    Vamos lá DEE NOOVOO, admite que LIGA MUITO PARA O DIGAMOS, DEBATE NÉ?!, isso se chama debate (eu chamaria de monólogo, lembre-se da porta).
    Sou apressado pra responder mas isso não é sinal de nervosismo, eu e a imensa maioria das pessoas quando não estão no mundo de Bob sabem muito bem diagnosticar nervosismo de dedos trêmulos, especialmente quando desses dedos cansados saem ataques direcionados à pessoa mas não a sua idéia (me lembro de ter dito já que SOMENTE com esse fatorzinho bobinho eu já poderia terminar este debate com consciência tranquila).
    Vamos às notícias vindas do tio sam, aquele país que vc odeia mas ADOOORAA. O governo americano divulgou uma listas das cidades americanas, a mais habitável é Pittsburg, interior da Pensilvânia e a menos é Detroit. Pq será????????????????
    deixo o teco, o seu único neurônio sobrevivente trabalhar.
    diicaaaaa: Pittsburg, é uma das cidades mais populosas do EUA, top 10 talvez, só que apresenta diferenças em relação a chicago, los aingeeeles, maiame, nova 'yorque'… detroit
    outra diiicaaa: ambas sofreram com a concorrência da China que destruiu a opulência econômica do nordeste americano.
    Se vai responder (aposto que vai)
    se não vai foda-se.
    Como te disse antes, não estou mais afim de ''responder'' os seus comentários 'desafiadores'

    da paciência e da lógica.
    Vamos ver, talvez lhe dê a chance de continuar a gostar do debate
    quer um conselho? saia deste debate enquanto é tempo, já perdeu logo no início, continua perdendo, e perderá ainda mais nos próximos capítulos…

    O que você achou?

    Loading spinner

  • anonimo,

    com treze materias na faculdade neste semestre, esta dificil ter tempo para seguir sua sugestao: kevin macdonald. Nesse interim, sugiro outro autor, roger scranton.

    Suellen

    O que você achou?

    Loading spinner

  • "É o que está fazendo agora!
    Para uma simples tiração de sarro sua em relação a mim até que vc postou bastante, demonstrou visível irritabilidade"

    Eu confesso: Me afeiçoei a ti. Não sei se conseguirei passar uma semana sem ver algum post rebuscado e sem base vindo de seus dedos nervosos através do teclado. Vc é deveras interessante. COmo disse, um estudo antropológico.

    Vc é meu vício mais sujo.

    Vai fala mais.

    Ps.: Rumo ao post 200

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Sim vc está certo. SOMENTE EU me importo com este debate neste momento.

    Proximo assunto.

    Agora peço as cartas. (Que não sejam pretas pro favor)

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Hugo,
    estou defecando e andando para o que as massas acéfalas ''pensam''. Eles estão penetrados em coisas deveras mais importantes sabe?!
    Se vc ACHA que fico muito tristinho por ser minoria nisso fique tranquilo, nesta droga de país qualquer maioria é no mínimo ditadura.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Hugo,
    contradição é quando atitudes não são iguais a pensamentos. É o que está fazendo agora!
    Para uma simples tiração de sarro sua em relação a mim até que vc postou bastante, demonstrou visível irritabilidade (sabe quando tenta empurrar uma idéia crente que ela é impossível de ser descartada?… Quando percebe que 'sua idéia' já venceu a validade para o 'seu adversário' fica nervosinho)e tentou inúmeras vezes 'me convencer' do seu lado.
    Não queria te dizer não mas sabe quem os universitários diriam que liga? VOCÊ.
    Pela sua lógica vc teria postado alguma coisa, me xingado e saído demonstrando desprezo mas também a velha tática clichê dos debates virtuais (tática do ''ataque terrorista'', postar um empaupério e sair pela tangente), mas não.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • "Hugo,
    QUEM SE IMPORTA??"

    Essa vou ter de perguntar para os universitários.

    _Quem vcs acham?

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Hugo,
    de vez em SEMPRE eu gosto de ser irônico, lhe disse pela primeira vez que somos todos perdedores, um debate é sempre bom, mas um debate não serve para mudar opiniões, serve somente para discutí-las. Segundo sua lógica em um suposto momento irônico seu, existem os vencedores e perdedores de debates, mas segundo a minha todos ''perdem'', pq sempre será um empate.
    Agora, não com relação ao embate de idéias mas em relação a tática usada por nós dois (eu não usei tática alguma), eu posso me considerar um vencedor. Mesmo várias vezes insultado sutilmente por vc caro Watson, não me rebaixei tanto a ponto de me apoiar em xingamentos baixos. Ou seja,'venci', iuuuuupiii, será que vai pensar que estou gritando de alegria por isso (pergunta…)
    Não é me vangloriar, é somente EXPÔR SUAS FALHAS. São coisas muito óbvias,qualquer transeunte virtual pode notar só de dar uma olhadela nos seus comentários.
    Hugo,
    vc deveria estar triste, muito triste. Espero que tenha estômago para ver o seu país se destruir completamente num futuro não muito próximo, já estamos assim e NADA me tira da cabeça que as causas dessa situação (a implosão civilizatória deste país) está ligada umbilicalmente na estirpe do povo.
    Hugo,
    não pense que Europa e EUA serão a mesma coisa se o multiculturalismo tomar conta.
    Tudo aquilo que vc diz, mesmo teorias não confirmadas e frases (um noruegues é mais blábláblá) clichês repetidas por 10 em 10 negacionistas, mesmo a sua linha de pensamento é criação do povo que vc odeia e que celebra a sua destruição biol´ogica,cultural…

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Como vc viu DE VEZ EM QUANDO a sua mídia querida lhe mostra a verdade.
    A única coisa que não concordo com a reportagem é a suposta imutabilidade de eventos, a teoria de que não podemos fazer nada diante das 'mudanças', multiculturalismo, não queria te decepcionar mas já estão. E quando tem uma minoria de pessoas unidas por uma causa mais e mais pessoas verão que esta causa pode fazer muito sentido, a longo prazo veremos como estarão as coisas.
    Hugo,
    é vc que está me dizendo que eu tenho de separar pessoa de idéia (pergunta…, o mesmo pc, o mesmo botão do pto de interrogação falho,rs), me faça rir, rsrsrsrs. Pelo que eu me lembre é VC que tem usado de ataques ''pessoais'' contra a minha ''pessoa''. A velha tática de tentar contornar suas visíveis fragilidades me tornando culpado.
    A massa estúpida, essa mesma UMA RACISTA DAS MAIS HIPÓCRITAS DE TODAS, deve ficar muito irritada.(remorso bateu cara,hehehe) As pessoas não se irritam pelo que o ''racista'' diz, se irrita pq o que ele diz faz muito sentido, elas mesmas pensam a mesma coisa, mas um ''inconveniente'' afirmar essas verdades é constrangedor pra eles. Vivemos numa sociedade forjada em mentiras liberais,as pessoas preferem viver suas vidinhas medíocres do que se embrenhar nesse matagal de animais ''peçonhentos''. Se esquecem que dentro desse matagal há muitos animais peçonhentos dizendo aquilo que QUEREM acreditar, é a morte da lógica,da obviedade dos fatos, por enquanto.
    Não Hugo, uma coisa está ligada na outra, ao mesmo tempo que quer inutilmente expôr meu ponto vc mesmo está expondo o seu. Quando provo a vc que está errado com as suas ofensivas (muitas delas regada a táticas estritamente embasadas em ataques pessoais, visando a pessoa que está digitando, não a idéia, só por isso já poderia fechar este debate, mas não, to gostando) contra minha linha de pensamento ao mesmo tempo provo que estou certo. Vc me ataca, a minha defesa é ofensiva, não pq queira, mas pq a sua ''tentativa de exposição'' das minhas concepções me força a atacar sem precisar fazê-lo. Vc mesmo se expõe, e está sucintamente divertido.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Hugo,
    pensei que não ligasse, PAAREECE que liga e como.
    Tá difícil hein. A teoria ''out africa'' é tão teoria quanto qualquer outra teoria, por ex, de 'conspiração'. Eu me lembro de ter lhe dito para se recompor a sua gama de conhecimento com relação ao assunto aqui debatido, praticamente nulo, afinal vc não nega a existência raças ''einstein' (outro do seu grupinho, muy 'esperto'). Hugo, deixe de ser o TÍPICO BRASILEIRO que ACHA que pode opinar com propriedade sobre qualquer assunto, deixe de ser presunçoso, arrogante e palpiteiro, aqui não é loteria ou bingo. Deixe seus achismos especialmente sobre ESTE ASSUNTO para vc mesmo.
    Vários pontos
    o fato da África subsaariana ser um vazio de civilizações e progresso torna especialmente fácil o trabalho de arqueólogos em encontrar pistas sobre a evolução humana do que por ex no sítio da cidade de Roma, que tem mais de 2500 anos de história, teriam de retirar camada por camada das antigas Romas, que estão debaixo da cidade atual e mais, se preocupar em preservar o valiosíssimo patrimônio histórico ali embutido (uma diquinha pra vc, esses tais arqueólogos são MASSIVAMENTE brancos, aliás, esta ciência que vc regurgita é uma criação de vc sabe quem, BRANCOS, ou seja, eu poderia provar inferioridade e superioridade somente por esses detalhezinhos bobos, se hj vc pode dizer isso, uma teoria, mas pode, não é pq seus irmãos ''de sangue'' descobriram isso pra vc, mas pq os homens maus e racistas do frio que fizeram). Está ficando chato isso, não gosto de conversar com crianças.
    Outro ponto, naquela época não existia branco,negro, argentino, brasileiro, por favor não vá pensar que a ''rivalidade'' brazuca e portenhos vem desde a família dinossauro viu filho. Como resultado não podemos afirmar que viemos de lá, bem pq já se passaram milhares de anos de evolução e especiação entre as raças, e pq supostamente segundo a ''out africa'' não éramos os humanos modernos que somos hj.
    O mundo no passado era exatamente assim, não que não tivesse ocorrido miscigenação, mas não da maneira suicida como acontece aqui no Brasil. O fato de existirem mestiços não descredita raça, o fato de uma pessoa de uma raça diferente poder procriar com outra não descredita raça, o fato é qe estamos passando por um processo,
    http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://www.timesonline.co.uk/tol/news/science/article3031104.ece&ei=DCpiTvW5KYqjtgeox9SeCg&sa=X&oi=translate&ct=result&resnum=8&ved=0CGsQ7gEwBw&prev=/search%3Fq%3Dears%2Bhuman%2Braces%2Bdifferences%26hl%3Dpt-BR%26client%3Dfirefox-a%26rls%3Dorg.mozilla:pt-BR:official%26biw%3D1024%26bih%3D651%26prmd%3Divns

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: