Desfavor Bônus: Praga!

SEMANA ANTA: Sallera e Somireus são dois deuses numa missão especial para a entidade de classe, a AUD (Associação Universal de Deuses), investigando inúmeras irregularidades no planejamento divino deste planetinha azulado chamado Terra. Está na hora de tirar isso a limpo!

Em virtude da sindicância nº 0087551239881 na qual fui instituída Presidente da comissão de apuração, passo a relatar as irregularidades por mim apuradas e sugerir as providências cabíveis para minimizar os danos.

Versa o presente sobre o Planeta Azul, popularmente designado como “Terra” por seus nativos, pequenos parasitas que desde já se observa, não são dotados de grande inteligência, uma vez que o mesmo é composto por 70% de água. Como se observa, a sequência de erros se inicia na própria nomenclatura dada ao local.

É sabido que atualmente os Deuses se encontram extenuantemente atarefados, muitos deles cumulando funções e zelando por mais de um planeta por vez. Entretanto, esta sobrecarga não justifica a imprudência cometida com o Planeta Azul, deliberadamente deixado a cargo de um estagiário inexperiente que vem cometendo sucessivos erros de proporções catastróficas.

Este mero relatório, forçosamente de quatro páginas, será insuficiente para detalhar o caos que se instalou no Planeta Azul após séculos de má administração. Peço à Comissão que o avalie que tenha em mente ser este um mero esboço superficial das graves ocorrências que lá encontram abrigo. O que seria um projeto modelo de capacitação para formação de novos Deuses virou um desastre sem a menor supervisão e hoje se encontra abandonado.

A ideia inicial era promissora. Um planeta pequeno, com apenas 20% de área habitável, para desenvolver pequenos parasitas e conduzi-los a uma evolução gradual. A pequena área, somada às condições inóspitas de boa parte do planeta assegurariam que os parasitas fossem mantidos sob controle e a evolução pudesse transcorrer sem maiores problemas. Isto, é claro, se houvesse supervisão adequada, coisa que não ocorreu e o planeta permaneceu nas mãos apenas de um estagiário iniciante e deslumbrado.

Um exemplo claro de má administração foi permitir que a infestação de parasitas se espalhe de forma tão violenta. Quando da criação do Planeta Azul, as devidas medidas de contenção no que tange aos citados parasitas foram adotadas para prevenir esse tipo de acidente: gestação longa (nove meses), uma única cria por gestação, longo período de dependência do filhote para com a mãe (aproximadamente 18 anos). Ainda assim, a má administração do estagiário permitiu a infestação. A falta de gerenciamento impediu que os parasitas evoluam e dediquem sua vida prioritariamente a outras atividades mais produtivas do que procriar.

Acredito que o erro tenha ocorrido de forma inicialmente bem intencionada, porém após inúmeras advertências que foram sistematicamente ignoradas, só resta concluir que o estagiário se envaideceu da relação de adoração que os parasitas parecem nutrir por aquele que está no comendo do Planeta. Além de construir templos, promover eventos e mobilizar milhões deles em cerimônias primitivas, os parasitas parecem também servir a experiências pessoas de caráter sádico do estagiário. Não é e nunca foi esta a intenção do projeto, razão pela qual, a meu ver, ele deve ser finalizado. Não apenas pelas normas éticas, mas até mesmo por questão de piedade com os pobres parasitas, induzidos a erro, sendo tratados como mera diversão de um estagiário que abusa de seu poder sem concretizar o propósito do projeto: promover e estudar a evolução das espécies.

Desde a última Grande Reunião, já havia ficado decidido que os animais que ali habitam haviam saído do controle e deveriam ser exterminados, para seu próprio bem. Mas a atuação pífia do estagiário encarregado faz com que o problema subsista. Um tanto quanto suspeito que o administrador do projeto não consiga colocar-lhe um fim, sobretudo quando conta com a ajuda dos próprios parasitas, que persistem no hábito de exterminar colegas da mesma espécie, algumas vezes em massa. Creio que ser cultuado por um grupo rudimentar de seres comprometeu o discernimento do estagiário. Este fato somado à falta de supervisão adequada faz com que o problema se arraste até os dias de hoje, razão pela qual foi solicitada esta sindicância.

Medidas simples como explosões ou congelamentos poderiam solucionar o problema de imediato, mas o estagiário parece persistir na malfadada técnica do alagamento. Como se ele próprio não o tivesse tentado tantas outras vezes! Em uma das primeira tentativas, há fortes suspeitas de que o estagiário tenha advertido um dos parasitas de sua intenção, permitindo que este construa uma arca e se encarregue de arruinar os planos, salvando não apenas toda a raça de parasitas como outros animais estranhos e mal proporcionados, meros protótipos que não deveriam prosperar. Graças a essa informação privilegiada temos até os dias de hoje, animais grotescos e desproporcionais circulando pelo Planeta Azul. O estagiário deveria ter sido punido pelo seu supervisor, mas não foi, porque este se encontra constantemente ausente e vem negligenciando o problema.

Basta que sobrevivam alguns exemplares e esses parasitas não hesitam em reconstruir suas tocas e, em suas mentes rudimentares, agradecer a nós por estarem vivos. Mal sabem eles que se houvesse de fato um Deus designado para o Planeta Azul, não teriam a menor chance. Apenas estão vivos por conta de um estagiário incompetente. E por falar em incompetência, a última “grande tentativa” do estagiário foi sacudir o Planeta gerando uma grande onda, porém causou apenas simples estragos em uma ilha. Está claro que o estagiário reluta em encerrar o processo e persiste no sadismo de se divertir às custas destes parasitas rudimentares que em retribuição só fazem adorá-lo.

Assim, após tantas tentativas frustradas, é fato que água não é a solução. Os parasitas sabem nadar e podem sobreviver a condições adversas envolvendo água, seja ela na forma de onda, seja na forma de chuva. Peço que por favor seja realizada reunião extraordinária do supervisor com seu estagiário para que este seja advertido novamente sobre sua metodologia falha, assim como recomendo que o fracasso da experiência no Planeta Azul seja utilizado como aprendizado, para evitar os mesmos erros, em especial, jamais delegar um planeta a um estagiário sem a devida supervisão.

É importante frisar que essa infestação cresceu ao longo dos séculos mesmo quando os parasitas se voltaram uns contra os outros e promoveram mortes em massa, não fosse isto a situação estaria ainda pior. É forçoso admitir que a experiência do Planeta Azul não foi bem sucedida. Os parasitas continuam se portando de forma desordenada, procriando sem o menor controle. Ao que tudo indica, manipulados pelo estagiário, que se vale de sua inocência e os induz a introduzir em sua sociedade rudimentar normas que vão de encontro ao controle de natalidade, de encontro ao suicídio e a outras formas de reciclagem. Foi um equívoco sem precedentes presumir que os parasitas evoluiriam até ter um mecanismo instintivo ou racional para frear a reprodução quando esta comprometesse a sobrevivência da espécie. Supervalorizamos nossas criaturas. Nota: trabalhar com cérebros maiores nos próximos projetos.

A realidade é uma só: o projeto falhou e deve ser interrompido. É imperioso admitir que não se pode deixar um planeta apenas nas mãos de um estagiário, sobretudo quando ele está sendo orientado por um Deus relapso e ausente como Somireus, muito mais preocupado com a Nova Galáxia do que com um reles planeta experimental. As formas ludibriosas pelas quais o estagiário alegou em seu relatório estar tentando eliminar os parasitas do planeta não se sustentam. Alega ele estar tentando cortar o suprimento de comida e sujeitar os parasitas à fome, porém basta uma breve analisada para perceber que quanto mais eles se reproduzem, mais gordos ficam. O peso médio dos parasitas está subindo exponencialmente.

Limpar um a um também não é mais uma opção eficiente, considerando o grau de infestação. Foi tentado pelo estagiário, a partir de descargas elétricas, mas os parasitas parecem ter desenvolvido um equipamento rudimentar para se proteger. O máximo que se pode fazer é eliminar um ou outro quando estão em área descampada. Isto sem mencionar que o estagiário está sendo acusado em outro procedimento de utilizar este método conforme sua antipatia pessoal pelos parasitas. O que esperar de um jovem sem qualquer orientação?

Compreendo o excesso de zelo que busca sempre evitar soluções radicais, mas acredito que no ponto em que chegamos, a única solução seja a destruição completa do Planeta Azul. Convenhamos, não seria uma grande perda. Mais da metade dos protótipos de animais rejeitados e considerados inviáveis saiu deste projeto mal sucedido: animais mal proporcionados, de pouco raciocínio e muitas vezes esteticamente repulsivos. Até mesmo os animais aquáticos, que acreditávamos ter grande chance de dominar o Planeta, hoje obedecem aos parasitas em parques recreativos, para sua diversão. Sim, 70% do planeta é água, eles eram maioria, possuíam cérebro maior e ainda assim foram escravizados. Evidente que houve manipulação que comprometeu o experimento.

Analisemos friamente a situação atual: um planeta pequeno, onde a maior parte do seu território tem clima insuportável de temperaturas extremas, onde o animal dominante é um mero parasita de hábitos questionáveis. Não há razões para levar este projeto adiante, não houve qualquer evolução. A vegetação do planeta também é esteticamente rudimentar e reprovada em todos os quesitos do controle de qualidade. Em verdade, chego a me perguntar se o desenho do Planeta, dos animais e dos vegetais não foi uma piada de mau gosto de Somireus para testar as habilidades do estagiário.

Os próprios parasitas tem estrutura corporal estranha e não parecem evoluir. Os mesmos orifícios corporais que existiam séculos atrás persistem até os dias de hoje. Este é o único planeta dominado por seres que não conseguiram evoluir até o grau de total aproveitamento do alimento ingerido, despejando seus dejetos corporais diariamente. Seus hábitos também evoluíram muito pouco, mesmo após séculos. Por exemplo, ainda fazem da procriação seu objetivo principal. Algo assim merece ter continuidade?

Um planeta onde os seres mais desenvolvidos praticam rituais bizarros há muito extintos de todos os planetas civilizados, onde quando conseguem um mínimo de evolução tecnológica a utilizam para… NADA. Para imbecilidades de sua vida parasitária. Isto foi o melhor que essas criaturas conseguiram fazer, e, convenhamos, está muito abaixo do índice médio. Não temos material que justifique a continuidade do investimento. Entendo que são irrecuperáveis e também entendo que Somireus jamais admitirá sua falha, persistindo no erro de tentar reparar o estrago feito pelo estagiário. A meu ver, não há mais reparo.

Portanto, o parecer final da comissão de sindicância, presidida por mim, é pela imediata eliminação do Planeta Azul, considerando que os recursos naturais ali existentes não atendem aos padrões de qualidade e considerando ainda que o estagiário responsável vem se portando de forma antiética e praticando atos de crueldade com os animais dominantes, se aproveitando de sua ignorância e desconhecimento. É ainda recomendação desta comissão que Somireus seja suspenso de seus trabalhos e que não lhe seja facultado coordenar novo projeto, uma vez que não supervisionou de forma adequada o projeto Planeta Azul.

Considerando a oitiva obrigatória das partes envolvidas, questionamos Somireus sobre sua falta de supervisão e sobre as criaturas animais e vegetais bizarras, despreparadas e mal proporcionadas criadas no Planeta Azul. Em sua defesa, ele alega ter permitido esta situação caótica de forma propositada, como parte do experimento, confirmando o comportamento abusivo do estagiário, afirmando tê-lo deixado sem supervisão também de forma propositada, uma vez que seu objetivo final com o experimento é testar nova modalidade para recuperação de povos rudimentares, através das ferramentas que eles próprios criaram.

Em breve resumo, Somireus acredita que se os parasitas forem deliberadamente enganados por séculos e em algum momento esta verdade lhes for revelada, a lição será tão dolorosa e profunda que os impedirá de serem enganados novamente e se perpetrará por séculos, trazendo um salto evolutivo sem precedentes em nenhum outro planeta e uma lição que será contada geração após geração e nunca mais esquecida. A metodologia que pretende utilizar para retirar os parasitas desta realidade cruel instigada por um estagiário imaturo não foi completamente revelada, só é sabido que foi requisitada minha ajuda para atuar de forma conjunta em contato direto através de meio de comunicação de massa criado pelos próprios parasitas. Se assim for determinado, o ajudarei, mas desde já adianto que os parasitas foram muito prejudicados por anos de confusão mental, maus tratos e induções a erro, não creio que seja possível recuperá-los.

É recomendação desta comissão que o pedido de Somireus seja negado, que o Planeta Azul seja destruído e que se tomem as devidas providências para que criaturas inocentes com cognição precária não sofram com experimentos conduzidos por irresponsáveis.

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas:

Comments (13)

  • Ai ai, o desfavor está virando meu livro de cabeceira, antes de dormir sempre tô lendo esse blog, será que sou normal?rsrs

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Não, Julia, para sua sorte você não é normal. Ser normal é ouvir Michel Teló, assistir novela da Globo e ler Paulo Coelho. Continue anormal que você será muito melhor!

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Morrendo de sono zzzzzzzz

    Só uma dúvida: Essa semana é pra afastar os leitores?
    zzzzzzzzzzzzzzz dormi

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Sim, para afastar os leitores que acham esse tipo de texto chato. Não fazemos questão deles por aqui.

      Volte nunca.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Tenho muito interesse em que seja dada nova chance ao Somireus de consertar as coisas.
    Só não sei explicar porque penso dessa forma.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Você deve ter entrado em processo de Somirização, um processo pelo qual indivíduos do sexo masculino começam a se identificar com Siago Tomir Way of Life e começam a nutrir uma simpatia perigosa pelos seus atos irresponsáveis. Vai se tratar antes que você comece a mijar na pia!

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Ou talvez esteja apenas não querendo ser exterminado com o planetinha.
        Mas a teoria do processo de somirização é interessante. Vou tentar mijar na pia pra ver qual é a sensação.

        O que você achou?

        Loading spinner

  • Sally, cheguei meio atrasado, entao vai tudo por aqui mesmo-

    Sobre Eike Batista.
    Em 2001, qdo a pluma mostrou a xoxota pela enesima vez, ela foi ao faustao fazer um leilao da calcinha freada que ela usou no ensaio. O eike entrou ao vivo e tentou comprar do ganhador do leilao a calcinha freada, so que o ganhador nao quis vender para o eike de jeito nenhum, foi um bate-boca ao vivo com direito aos eike brigando com o ganhador do leilao e a PLuma chorando.
    Se vc tivesse um daqueles contatos que pudesse buscar essa imagem e jogar no youtube para afundar ainda mais o eike, seria muito interessante.

    Sobre duvidas juridicas.

    No predio da minha mae, ela foi impedida de votar em uma assembleia pq estava com uma parcela do condominio atrasada. Atraso de 5 dias, pouca coisa, pode isso?
    Segunda ela, um apto foi leilado na justica por falta de pgto, o sindico recebeu o $$ e nao colocou no balancete do condominio e o $$ foi sendo gasto sem que fosse prestado contas aos demais condominos. O pode ser feito em relacao a isso? Parece que foi em torno de 10 mil reais o valor do caixa 2.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Não sabia desse vexame! Procurei no Youtube mas não achei nada! Se alguém achar, por favor, poste!

      Quando aos problemas condominiais, não tenho como responder sem saber o que diz o regulamento do seu condomínio. Apenas as normas gerais estão na lei, os detalhes são definidos pelos próprios condôminos, que aprovam um regulamento próprio para reger aquele condomínio. Procure saber quais são estas normas, lá deve estar escrito na forma de cláusulas o que pode e o que não pode!

      O que você achou?

      Loading spinner

Deixe um comentário para julia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: