Mandato de quatro.

+Dilma Rousseff (PT) venceu Aécio Neves (PSDB) na disputa em segundo turno e foi reeleita neste domingo (26) para um novo mandato como presidente da República (2015-2018). Segundo o sistema de apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o resultado foi confirmado às 20h27min53, quando 98% das urnas estavam apuradas e não havia mais possibilidade matemática de virada.

A situação é um desfavor, a oposição é um desfavor. Desfavor da semana e dos próximos quatro anos.

SALLY

A festa da democracia acabou, e nos deixou uma ressaca de quatro anos, que provavelmente serão acrescidos de mais 8, se a cirrose não chegar antes. E como todo fim de festa, teve muita indignidade, baixaria e desfavor.

Sim, o mais óbvio é o fato de Dilma ter vencido. Não importa se você votou nela ou não, você deve saber que ela está longe de ser a pessoa ideal para ocupar esse cargo. A verdade é que votamos todos em quem nos pareceu menos pior, por critérios subjetivos pessoais, mas todo mundo sabe que poderia ser melhor, bem melhor.

Portanto, o simples fato de Dilma vencer já é um desfavor. Para quem desgosta dela, como eu, o desfavor só aumenta de tamanho. Eu me sinto afrontada pelas incoerências, desde as nefastas alianças com evangélicos, Maluf, Collor e outros, até a cara de pau de mandar prender e torturar manifestante para ter uma Copa do Mundo bonitinha. Não perceber ou tolerar incoerências parece ser a especialidade do brasileiro médio.

Mas até aí, estamos falando do básico, do que todo mundo já falou. Infelizmente estas eleições deixaram outros legados nojentos. Um deles já comentamos na semana passada, que foi essa rivalidade futebolística entre os eleitores, permeada por falta de respeito e agressividade. Pois bem, conforme previsto, ela persistiu e teve desdobramentos.

Começa pela grande torcida para que tudo dê errado. Gente, não adianta rogar praga para o piloto, estamos todos no mesmo avião. Uma coisa é você SABER que está bem ferrado, outra é comemorar cada danação porque quer tanto estar certo, que prefere se ferrar certo do que ver as coisas funcionarem e estar errado. Eu acho que ela vai fazer uma bosta de governo, mas tomara que eu esteja errada. Não torço por isso.

Por sua vez, os eleitores da Dilma estão cobrando perseguição, punição e censura contra todos aqueles que se manifestaram de forma contrária ao PT. Fala-se até em expulsar do país. Oi? Não pode discordar? É isso? Quem chega ao poder persegue quem um dia o criticou? Mas que coisa feia de se pregar! Os mesmos que gritam indignados por liberdade de expressão quando calam à força alguém de sua simpatia pedem aos berros que se calem vozes dissidentes. Isso se chama incoerência.

A mesma incoerência da oposição derrotada afirmando que ninguém vai poder abrir a boca para reclamar de nada, já que votaram nela. O que vocês tem na cabeça? Voto não é procuração em branco para fazer qualquer merda. Todo mundo pode reclamar sempre que se sentir lesado. Eu votei no molusco alcoólatra uma vez e passei quatro anos reclamando dele! Mas aparentemente, não pode se arrepender nem mudar de ideia. Quem revê seus pensamentos, reflete e os muda é um traidor.

Para uma democracia saudável povo tem que fiscalizar, cobrar, reivindicar, por mais que tenha votado naquele candidato. O fato de ser eleito não dá carta branca para fazer qualquer coisa. Esse pensamento está muito equivocado. Collor foi eleito e foi retirado do poder e, à época, ninguém tentou censurar as manifestações com o argumento babaca de “cala a boca que você votou nele e por isso perdeu o direito de reclamar”. O que foi que mudou para agora perdermos o direito ao arrependimento?

Temos também os desfavores trágicos. Existem em ambos os lados: se o PT ganhar vai virar uma ditadura comunista e blablabla. Não, gente. O PT é um governo super capitalista que favorece absurdamente os empresários. NÃO é comunismo, está muito longe de ser. Não vai ter golpe de estado, não vai ter porra nenhuma, não importa quem ganhe. As coisas vão continuar sendo mais ou menos a mesma merda, só mudam as moscas. Quem pensa que Dilma e Aécio são tão antagônicos, ou é inocente, ou é burro. Tem uma cartilha predefinida de concessões e regras que quem chega lá tem que seguir.

Da mesma forma que nenhuma grande tragédia vai acontecer, nenhuma grande melhora vai acontecer, porque essa cartilha engessa quem quer que chegue lá. Não vão erradicar a pobreza, não vai acabar com a fome e a educação não vai melhorar se tudo ficar a critério dos políticos. Cabe ao povo pressionar e reivindicar, em vez de aceitar essas políticas paternalistas onde os direitos vem de cima para baixo. Direito bom é aquele conquistado de baixo para cima e o formato de governo democrático foi pensado e idealizado para ser impulsionado pela força do povo.

Assim como quem votou nela tem e sempre terá o direito de reclamar, quem não votou tem o sagrado direito de dar uma respostinha bem atravessada. E assim como quem votou nela pode reclamar, quem disse que sairia do país caso ela ganhe, tem o sagrado direito de ficar. Dá licença da pessoa escolher onde quer morar? Querer expulsar uma pessoa só porque ela afirmou que sairia do país é de uma imbecilidade sem precedentes. Mas agora parece que além das críticas, mudar de ideia também ofende.

Como eu disse, o direito de reclamar é de todos e reclamações ou suspeitas não são afrontas, são para o bem geral, para assegurar que não passem a perna no povo. Quem acha que as eleições foram fraudadas pode e deve reclamar também. Tudo deve ser apurado e investigado. Não é porque um candidato ganhou ou porque um candidato perdeu que alguém deve ser coagido a abrir mão do seu direito de questionar. Isso é tão claro na minha cabeça que chego a ter dificuldades para compreender quem pensa de forma contrária.

Outro desfavor: as listas de favorecimento e de perseguição já ganham contornos. E não apenas na esfera do Poder Público. Parece que os grupos do “A favor” e do “Contra” se cristalizaram, solidificaram, e continuam hostilizando uns aos outros.

Enquanto o povo brigar entre si, jamais terá tempo e energia para ver a grandessíssima merda que estão fazendo em Brasília e tomar uma providência. Briga de Lado A x Lado B é o novo futebol, já que a seleção brasileira já não diverte mais ninguém. Esse parece ser o novo ópio do povo e a maior prova disso é que estão se portando como torcedores fanáticos. Fanatismo nunca é bom. Nunca.

O saldo final é a continuação de um governo cujo índice de aprovação estava bastante baixo, um país que apresenta sintomas claros de pioras (salvo nos dados maquiados, mas estes não contam), um povo desunido, agressivo e intolerante, uma Presidente despreparada e rios do nosso dinheiro para bancar isso tudo. Parabéns a todos os envolvidos.

Não, o desfavor não é apenas a Dilma ter vencido. Infelizmente essa vitória teve um simbolismo, despertou o que há de pior, consolidou uma série de equívocos. Dilma ter vencido é apenas um sintoma da doença. Aguardemos pelas consequências dela nos próximos quatro anos.

Para apenas sentar e esperar, para fazer previsões inocentemente otimistas ou para fazer previsões doentiamente pessimistas: sally@desfavor.com

SOMIR

Eu já tinha abordado o assunto (do meu jeito) no meio da semana, então vou partir para um assunto paralelo agora: a maneira esquizofrênica como o brasileiro médio lida com o conceito de mudança. Se você teve saco de acompanhar qualquer uma das campanhas dos dois candidatos, percebeu que ambos falavam sobre mudanças frase sim, frase não.

Passou-se a impressão que o candidato que prometesse mais mudanças venceria, tamanho o foco no assunto. Depois das manifestações de 2013, essa provavelmente foi a linha-guia usada pelos estrategistas de ambas as campanhas: o brasileiro quer mudança! Mesmo que não saiba muito bem mudança do quê.

A ilusão já estava de bom tamanho. A campanha da situação se baseou nisso! Falou insistentemente sobre o que já tinha feito, mas sem se esquecer de promover a ideia de que tudo seria diferente. Prometeu manter e ampliar os programas sociais que fortaleceram sua votação, mas também trabalhou com o slogan de “Mais Mudanças”.

Vejam bem: só o fato de ser situação já presume que você tenha o que mostrar para provar ser capaz de se manter situação. A campanha óbvia de Dilma seria concentrada em dizer que as coisas continuariam seguindo o mesmo rumo, mas no final das contas acabou rendida a necessidade de pedir uma segunda chance para colocar as coisas no rumo.

Para convencer a massa desesperada, bastava passar a impressão que os benefícios sociais estavam inseparavelmente atrelados ao PT, mas não sem ignorar os méritos do lulismo (ser populista sem virar o país de ponta cabeça), agora há uma classe média baixa muito mais volumosa; classe que não se convence apenas com histórias de terror sobre o ódio da oposição em relação aos menos abastados.

Esse povo que saiu às ruas em 2013 sem saber muito bem o que estava fazendo manteve a postura confusa até as eleições: querem mudanças, mas sem mexer demais na ordem das coisas. Querem mudanças porque é isso que subir de classe significa para eles. Se os ocupantes tradicionais da classe média sempre foram os mais vocais em seu descontentamento, a nova classe C com certeza não quis terminar com a tradição.

Indiferentes aos fatores muito mais complexos do que ‘governo do PT’ que explicam seu alçar a um patamar mais alto do estrato social, esses novos eternos insatisfeitos da classe média ainda nutriam um senso de débito aos anos de Lula e Dilma no poder. Gostando ou não dos rumos do governo, foi nessa conjuntura que deixaram a pobreza.

Até por isso a oposição pregou seu plano de mudanças da forma mais conservadora possível: mudança de ocupantes nas cadeiras. Aécio prometeu mais do mesmo, ciente da simpatia da maior parcela da população pelos programas de distribuição de renda. Aécio conseguiu ser a face da mudança para quase metade da população brasileira, mesmo sem se distanciar ideologicamente de Dilma. A direita e a esquerda estavam na mente dos defensores dos candidatos, mas não nos candidatos propriamente ditos.

A oposição pregou mudança dizendo que ia fazer o mesmo, a situação pregou mudança dizendo que ia fazer o mesmo. E não é que colou? O povo queria mudança, mas não sabia muito bem o que deveria mudar. Era a mudança como conceito, mais teórico do que prático. Só para não passar a impressão que tudo estava bem. E de certa forma, não podemos culpá-los: o país ainda é uma bagunça cheia de carências.

E esse é o problema real. PT ou PSDB, o caminho é longo e cheio de decisões difíceis. O país continua ‘na banguela’, dependendo demais de boas condições no caminho para continuar acelerando. As reformas necessárias continuam sendo proteladas por uma infinidade de interesses egoístas, o Estado continua parecendo uma entidade alienígena para a maioria das pessoas, a cultura do brasileiro continua tendendo à desonestidade.

Os candidatos prometeram mudanças como um sacerdote religioso promete felicidade. As palavras podem até ser bem intencionadas, mas sem ações ligadas a elas, são apenas palavras. Por isso mesmo essa última eleição assemelhou-se demais a uma moeda jogada ao ar. Sabia-se que a diferença entre os dois lados eram meramente estéticas, e só um dos lados terminaria o dia apontando para cima. O resultado final da apuração também tendeu à jogada dessa moeda. Quase 50 a 50%.

A questão aqui é que essa não é a primeira dessas moedas arremessadas. Um dos lados parece muito mais propenso a terminar virado para cima. Muitos de nós apostamos no lado errado mais uma vez, é natural que comecem a surgir suspeitas. Não necessariamente de um jogo roubado (ridículo pedir a recontagem), mas de um mal jogado.

O lado que sempre cai está fazendo algo que o lado que nunca cai não está. A candidata da situação venceu uma eleição onde todos pediam mudanças! Das duas uma: ou ela recebeu nossa permissão para tentar novamente, ou não queríamos mudanças para começo de conversa. Ambos os casos são preocupantes… pois ambos flertam com a noção de que é aceitável continuarmos no rumo que estamos.

São mais quatro anos do mesmo. E não está tudo bem.

Para dizer que quer mudança de assunto mesmo, para dizer que o choro continua sendo livre, ou mesmo para dizer que se o Aécio tivesse ganhado estaríamos batendo nele agora (isso!): somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas: , ,

Comments (11)

  • eu queria muito que essa energia que o BM está gastando pra ser parte do grupinho especial “contra” ou “a favor” fosse usada de modo produtivo pra fiscalizar e exigir mudanças. pois como a Sally bem disse elas não vem de cima, a gente que tem que batalhar pra um país melhor. mas na real, acho que isso nunca vai acontecer com o perfil de povo que temos.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • O pobre de verdade só tomou na bunda em todo o governo de direita. Passamos por vários governos de direito vendo os pobrezinhos do nordeste morrendo de fome, na seca, na estiagem e imigrando de um lado pra outro. Campanhas e campanhas contra fome e pobreza extrema para mandar caminhões de comida para a população pobre e miserável em geral. Campanhas para ensinar a fazer o soro caseiro e misturas com cascas de alimento para combater a fome. Escola??? Essa era uma segunda preocupação. Turismo sexual a top!! Excursões de velhos tarados vindos da Europa e USA para pegar as meninas de 13, 14 anos…. Que muitas vezes não tinham nem uma chinela no pé e sentadas num bar qualquer de Natal ou Fortaleza com um velho tarado. Mas isso é turismo né Arnaldo??!! Traz dinheiro para o país. Mortes pelo coronelismo, votos comprados a preço de 5 pães e pra quem não sabe soletrar, valia o voto na digital mesmo.

    Favelas e favelas sem saneamento básico, trafico descontrolado e a politicada mamando nas tetas do governo como eu escutei muitas vezes em Brasília. Crescer através dos estudos??? Putz!! Era mais fácil sentar no colo do chefe…. Filho de pobre, de classe média pobre tem que esperar pra ver se será o “entre 1 e um milhão” que terá uma chance. Na Federal só cursa Filosofia, Artes, Sociologia… porque os melhores cursos vai pra galera do Objetivo, Mackenzie, Marista….

    Finalmente chegou um governo que entre trancos e barrancos mandou corruptos pra cadeia. Algo aconteceu!! O pobre foi visto. Agora ele compra televisão, geladeira, sorri, estuda… ve um futuro!! E as campanhas de alimentos?? Onde estão?? Eu já não ouço falar nisso como antigamente!! Agora são campanhas para ajudar instituições de caridade. Menores filhos de drogados, violência domestica… mas já não são filhos da fome e da miséria. Falta muito para um mundo melhor. Mas muito passos foram dados!!

    E agora José??? Estão tirando “do meu” e ajudando os pobre??? Ah! Não! Isso não pode!! Igualdade?? A pobraiada vai poder frequentar os mesmos lugares que eu??!! E assim a classe coxinha se desespera!! A ponto de eleger um Mauricinho cheirador de coca, arrogante e batedor de mulher, covarde…

    A Dilma, o PT e o que seja são perfeitos??? Não, são políticos. De uma coisa sei.. é que para ser político, tem que ser político. Abrir mão de certas coisas e vista grossa para outras, para conseguir alcançar outras… Não vou dizer que está tudo certo, mas não está tudo errado. Acredito que esse governo tem que dar continuação ao que começou, corrigindo os tropeços do caminho… porque desde 2004 até hoje o que eu vi foram mudanças. Só não vê quem não quer. Ninguém tem que concordar que a Dilma é a Melhor opção porém creio que agora, depois de tantos anos governados por uma direita imposta e comprada… os pobres também direito a não serem mais pobres e ver seus filhos crescerem com alguma oportunidade e alguma chance para o futuro. Só dá valor quem nunca teve… e essa geração coxinha está crescendo malcriada e egoísta… ignorante e mal criada. Porque educação não se aprende só na escola. Cada comentário classista, vulgar, depreciativo dos filiados de direita só me fazem ver que a esquerda vencer foi a melhor opção.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Sempre tive um pé atras com essa ideia de nao ser obrigado a calar a boca porque votou errado. Tudo bem. Somos responsaveis por quem colocamos no poder, mas e o direito de fiscalizar aqueles que nos elegemos, nao conta?

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Mudança pensando somente em presidente é muito coisa de BM.
    Acham que presidente resolve tudo, basta querer que muda tudo. Não gente, não é tão simples.
    Querem mudança mas votam nos mesmos merdas pra deputado e senador, nunca conseguem lembrar em quem votaram pra vereador. O presidente não consegue aprovar nada se não estiver alinhado com a câmara. Dizem que esta é a pior bancada eleita: maioria de religiosos, ruralistas e os cretinos de sempre do pmdb e pp.
    O problema é mais em baixo. Voltamos pra questão básica de a população não ter o subsídio intelectual mínimo pra perceber isso.

    O que você achou?

    Loading spinner

      • A Dilma vai comer o pão que o diabo amassou na mão dessa câmara. Um bando de filhos da puta, mas que com certeza irão barrar as propostas infames da “Presidenta” como esse ministério popular que já foi pro saco. Pelo menos espero que eles façam isso.

        O que você achou?

        Loading spinner

  • Textos excelentes!

    Eleição virou torcida
    Fedeu mais
    Cai na besteira de escrever que se a veja era panfleto do Aécio, o que era a Carta Capital para o PT?
    Vixi
    Caíram de pau pra cima de mim
    Tive até que ativar a moderação de comentários
    Por uma simples frase as pessoas surtam, como time que perde pênaltis no ultimo segundo de jogo
    Affffffff
    Falta de educação!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Os textos de vocês foram bem lúcidos hoje.

    As pessoas querem ter razão a qualquer preço. Torcem para que o barco afunde, ainda que morram juntas, só pelo prazer de rir dos que fizeram a escolha errada nos últimos momentos de vida.

    Mas queria perguntar o que acham do Olavo de Carvalho e de toda a discussão que ele tem gerado. É um oportunista? Está equivocado? Pode ter razão?

    O que você achou?

    Loading spinner

  • O pior de tudo foi ter que aguentar a “torcida” da Dilma nas redes sociais “CHUPAAA COXINHAS” como se a diva pop tivesse ganhado o Grammy. Essa é a mentalidade do eleitor brasileiro médio.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Fala serio naonde que os eleitores do PT tão falando em expulsar do país. Só se for da mesma categoria de amebas dos eleitores do PSDB que tão falando que o bom mesmo é golpe militar. Até em falar merda esses 2 partidos se parecem.

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: