Os sonhos são base de muitos estudos sérios e de muitas baboseiras místicas também. Sally e Somir entendem a primeira parte, detestam a segunda, mas discordam sobre um “algo a mais” nos sonhos. Os impopulares interpretam.

Tema de hoje: sonhos podem ser sinais?

SOMIR

Não. E eu sei que estou tomando a posição mais difícil de defender aqui. Afinal, “podem” é uma palavra que permite milhares de caminhos para quem quer defender a ideia de que sonhos sinalizam alguma coisa. Basicamente qualquer combinação de matéria/energia permitida pelas leis da física pode existir. E provavelmente nunca vamos saber se conhecemos todas as leis da física. Eu sei que existe um poço sem fundo na lógica dessa pergunta: é o mesmo problema de discutir a existência de um ou mais deuses, de unicórnios, fantasmas…

Uma das melhores formas de escapar dessa armadilha lógica é tentar trazer as coisas para um plano mais prático: o que essa informação impacta minha vida? Ateus decidiram que no campo prático, as evidências são suficientes para desacreditar a ideia da existência de deuses, e que essa ideia não deve ser levada em conta quando se toma decisões da vida real. É muito comum usarem esse tipo de “dúvida primordial” para empurrar ideias mal explicadas. Ok, só sei que nada sei, mas não dá para ficar olhando para o nada embasbacado enquanto a vida passa: você precisa tomar decisões sobre o que constitui a realidade. E quando mais lógicas e bem-informadas essas decisões, a tendência é que mais positivas elas sejam para sua vida.

Portanto, quando eu digo que não, sonhos não podem ser sinais, eu estou aplicando uma lógica baseada num modelo de realidade que me parece mais razoável. Um modelo de realidade que considera a imensidão do universo nas maiores e menores escalas; um modelo de realidade que abraça a natureza caótica das coisas por aceitar a incapacidade do ser humano de enxergar o suficiente para tornar a realidade determinística. Não temos como saber tudo ao mesmo tempo, então inevitavelmente vamos enxergar aleatoriedade nas coisas.

Para os sonhos serem sinais de alguma coisa, eles deveriam ter essa função. Mas não é isso que a ciência estabelecida e nem mesmo o bom senso do cidadão médio dizem sobre os sonhos. Não se pode provar que seus sonhos são necessariamente sinais sobre ideias e sentimentos reprimidos, nem mesmo previsões sobre processos futuros. Se um sonho falhar em realizar essa função de ser sinal sobre alguma coisa da sua vida que você não está enxergando, nenhum sonho pode ser considerado sinal.

Sem finalidade comprovada, resta apenas coincidência. Vou explicar com um exemplo: você está diante de um leão faminto num dia chuvoso. Ele está dando todos os sinais de que vai te atacar… quando um raio cai na cabeça do felino, matando-o instantaneamente. O raio serviu para te salvar do leão, mas isso quer dizer que raios existem para salvar pessoas de leões? Sim, raios podem te salvar de leões, mas não faz nenhum sentido presumir que essa é a função deles. Raios acontecem em inúmeras outras ocasiões que nada tem a ver com essa ocasião. Você só fez a conexão depois do acontecido!

Se você sonha que uma pessoa vai morrer e ela morre pouco tempo depois, pode parecer impressionante, mas você pode afirmar que essa conexão entre sonho e realidade existe por função do sonho? Um dos maiores problemas da mente humana é a mania de ser “profeta do acontecido”, conectar uma previsão e um acontecimento como se uma fosse garantia da outra. Existe algo bem estudado que é a tendência de confirmação, nossos cérebros costumam guardar informações quando elas se conectam melhor com informações que já tínhamos antes. Sua memória é muito baseada nas informações mais próximas das suas previsões, preconceitos e crenças.

Se você acredita que sonhos são sinais do inconsciente sobre a realidade que você não percebe, vai se lembrar desproporcionalmente mais das vezes que essa relação pareceu ser válida. Quem lembra de sonho com previsão de algo que não aconteceu? Aliás, quem lembra de todos os sonhos que têm? Temos vários por noite, salvo se você dorme muito mal e nunca consegue chegar nos estágios mais profundos.

Você tende a se lembrar dos mais próximos da hora que acorda, enquanto aquele “universo simulado” ainda está ativo dentro da sua mente. Se sonhos tivessem alguma função real de gerar sinais sobre sua vida, eles não teriam esse fator aleatório. E mais, não começariam a desaparecer da mente segundos depois de acordar. Se não pudermos provar que é a função do sonho gerar sinais, não podemos afirmar que são sinais.

Porque quando pensamos neles, já estamos tentando “conectar os pontos”. A amostra está automaticamente poluída pela sua intenção de fazer o sonho ser sinal. Pessoas muito supersticiosas fazem isso o tempo todo, com gatos pretos, espelhos quebrados, estrelas cadentes… tudo pode ser um sinal, se você quiser que seja um sinal. Faz sentido achar que o universo considera sua passagem debaixo de uma escada na hora de definir se você vai ter sorte ou azar? Não, né? Então, é importante lembrar que o sonho não é uma previsão ou uma sessão de terapia: ele é um conjunto de sinapses que nosso cérebro usa para armazenar informação, e muito provavelmente outras funções biológicas importantes.

Se você moldar sua memória do sonho – que não é confiável, por sinal, afinal, qualquer pequeno detalhe que se perder vai ser completado pelo cérebro consciente depois – ele se torna um sinal. Mas não fica óbvio que a função de sinal é posterior ao sonho? Que vira basicamente superstição?

Um bom psicanalista pode depreender muitas coisas dos seus sonhos, mas é uma pessoa treinada por mais de uma década para pegar detalhes e padrões, é mais uma ferramenta desse profissional utilizada em conjunto com as conversas que tem com você. O sonho não é um sinal nesse contexto, o sonho é uma “verbalização” como qualquer outra, que nem sempre quer dizer o que você acha que diz. Então, até mesmo no caso da psicanálise, o significado é construído após o sonho, não pelo sonho. Sonhar com uma coisa não quer dizer nada para um leigo. E mesmo o profissional (pelo menos o decente) não vai puxar uma tabelinha de significados no seu celular para te dizer o que é aquele sonho. Não é horóscopo.

O sonho é um sonho, a gente que gera o que vem depois. Se não é sempre um sinal, se não é a função primária dele ser um sinal, é lógica simples depreender que não é um sinal. Nós que inventamos os sinais depois.

Para dizer que eu escrevi difícil demais, para dizer que sonhou que eu ia escrever essa merda, ou mesmo para dizer que seus sonhos nunca te avisaram nada de útil: somir@desfavor.com

SALLY

Sonhos podem ser sinais?

Sim, podem ser. Também podem não ser. É uma grande sopa de informação e pode ter de tudo lá dentro.

Antes que venha uma alma sem luz dizer que não sonha, vamos esclarecer uma coisa: todo mundo sonha. Se você lembra ou não, é outra coisa, mas todo mundo sonha. E você não precisa lembrar do seu sonho para que ele seja um sinal de algo. Sonhos podem sinal de que você está sobrecarregado, de que está com algum problema ou até ser sinal de alguma doença. “Sinal” não é algo do além, “sinal” é um recado, um indício, algo que passa uma mensagem útil.

Eu jamais viria aqui defender que todo sonho é sinal de algo, definitivamente não. Mas não dá para cair no extremo oposto e dizer que nenhum sonho é sinal de nada. Muitos sonhos são sinais, mandam mensagens e tem significados que podem e devem ser aproveitados na vida.

Ter que falar sobre sonhos em duas páginas deve ser o pior pesadelo de um produtor de conteúdo. É um assunto complexo, há muitas explicações e teorias, portanto, serei obrigada a simplificar de forma tosca para poder passear por algumas delas.

Basicamente, para a maioria das teorias, sonhos podem ser: 1) profecias (uma previsão do futuro com base nas informações acumuladas), 2) uma bússola para te indicar o melhor caminho (também com base em informações acumuladas), 3) comunicados do seu inconsciente que, por ter mais informações do que o consciente, acaba vendo além, 4) dados relevantes do seu dia que estão sendo destacados para você ou 5) um produto da criação das memórias. E, em qualquer um dos casos, sonhos são um sinal de algo.

Como eu disse, não estou falando de nada místico ou paranormal. A parte do nosso cérebro que trabalha com o consciente é muito pequena, a maior parte funciona no modo inconsciente, por uma série de motivos, inclusive economia de energia. Então, muitas vezes, quando tempos uma questão para resolver, nosso consciente empaca mas existem muitas informações arquivadas no inconsciente que, acordados, não conseguimos acessar.

Essas informações podem aparecer em um sonho e ele pode te ajudar com alguma questão. Isso é um sinal: seu inconsciente te mandando um sinal de que você tem a solução e até te mostrando o melhor caminho para ela.

Não importa se a explicação vem de Freud, de um psiquiatra ou da neurociência, cada um estipula uma função para os sonhos e em todos eles, significam algo e são sim sinal de alguma coisa, não um amontoado aleatório de informações. Desejos reprimidos? Informação fixada na sua cabeça? Um recado do seu inconsciente? Um simbolismo? Para qualquer uma dessas explicações os sonhos indicam um sinal: por qual motivo em meio a um mar de informação o cérebro escolheu exatamente essas que entraram no seu sonho?

Não quer dizer que a mensagem em si seja o sinal. Se você sonha todos os dias com um macaco azul te batendo com um ferro de passar roupa não precisa ter medo de que ele apareça na esquina da sua casa e te espanque. Sinal não é clarividência. Macacos azuis não existem e, se existissem, te espancariam com algo mais prático. Mas, talvez, você esteja se colocando em alguma situação de violência e isso esteja transbordando no sonho. Um sinal de algo não é a resposta pronta, é um indicativo de que algo precisa ser olhado.

Muita gente afirma (e eu tendo a concordar) que existem diferentes tipos de sonho. Muitos são apenas “restos” do dia que a mente está jogando fora, sem qualquer significado. Pode ser. Mas outros estão diretamente relacionados com questões, medos, dificuldades, desejos, aspirações e dilemas. E talvez nem sejamos capazes de entender de forma cabal qual é seu significado, mas isso não nos autoriza a negar que o significado exista.

Usando um argumento bem racional, após muitos séculos de evolução, muitos animais continuam sonhando (mamíferos sonhas, até aves sonham). Um mecanismo que sobreviveu séculos não pode ser apenas algo aleatório sem qualquer significado. Tem que ter uma função, caso contrário já teria sido abolido não apenas em humanos como em animais. O organismo não gasta energia com nada inútil.

As teorias mais modernas dizem que uma das funções do sonho é projetar uma situação: seu inconsciente reúne tudo que você sabe (mas não sabe que sabe) sobre um assunto e compila em uma situação concreta para que você a vivencie e aprenda algo. Não precisa ser nada grandioso, pode ser inclusive algo trivial, mas que seu cérebro compreendeu que era importante. Uma forma off-line de aprendizado ou compilar conhecimento. Então, por essa teoria, o sonho é um sinal sim: um sinal de que se fizer ou não fizer alguma coisa pode vir um determinado desfecho.

Se você priva uma pessoa de sono, ela morre. Mas, estudos recentes indicam que não é só o sono que faz falta, os sonhos também: voluntários privados de sono, quando finalmente dormiram, não passaram por todas as fases até chegar ao sono profundo onde os sonhos acontecem, eles pularam fases e foram direito para esse sono, como se o corpo estivesse com pressa de chegar lá, como se fosse muito necessário e urgente sonhar. Não parece algo que nosso corpo faria “sem sentido”.

Se nós sabemos ler os sonhos e seus respectivos sinais devidamente ou não é outra pergunta. O fato de que ainda não sabemos entender claramente os sinais não significam que eles não estejam lá. Muitas pessoas famosas que conseguiram grandes realizações ao longo da história relataram ter percebido algo ou feito alguma descoberta em sonhos. Talvez já tenha acontecido com você: tem um problema te perturbando e alguma resposta vem em sonhos.

Um mecanismo importante o suficiente para continuar por séculos, não apenas em humanos como em animais, não pode ser um amontoado aleatório. O corpo não gastaria energia para isso. É óbvio que tem uma função e que indica algo. É sim sinal de algo, se não emocional, ao menos físico. O fato de ainda não compreendermos bem de que, não quer dizer que os sinais não estejam lá.

Para dizer que você não sonha, para dizer que seus sonhos são para te fazer ignorar o despertador (sinal de que você está dormindo pouco) ou ainda para dizer que sonho é um hábito burguês: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas:

Comments (8)

  • Nada espetacular, mas, se durmo pensando no problema, sonho com a solução.
    Certa vez comprei uma linda bolsa de macrame para presentear alguém, fiquei pensando em como aprender pelo menos o nó básico a título de curiosidade (a paciência estava minguando para tentar fazer uma bolsa igual), sonhei com o nó básico e no dia seguinte sabia fazer todos os nós do macrame.
    Se tenho algum problema cabeludo para resolver no trabalho e durmo intranquila pensando nele, ao acordar tenho a certeza de que passos deverei dar para resolver o problema.
    É, nada espetacular, mas, dormir faz o cérebro descansar e fica mais fácil achar solução para os problemas.
    Não podemos desacreditar no sexto sentido também, que, quando bem cultivado, ajuda o subconsciente a ficar alerta, o que facilita muito a vida. Uma das formas de cultivo do sexto sentido é o silêncio, coisa que gosto muito.
    Crendo que tudo é cíclico, podemos, sem querer, induzir o sonho para o que necessitamos.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Temos muita informação armazenada que não acessamos, por questões de “racionamento de energia” do cérebro. Quando dormimos, essas informações se combinam e acabam aparecendo.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Um amigo meu sonhava frequentemente com urina preta e alguns meses depois ele foi parar no hospital pois estava com uma bela infecção urinária. Acredito que o subconsciente dele estivesse tentando alertá-lo para que tomasse mais água e o sonho/pesadelo era um sinal para ele cuidar melhor da saúde. Às vezes esses sonhos bestas podem servir de alguma coisa.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Pois é, mesmo que a gente não tenha total consciência do que significa, alguns deles tem um significado

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Mais de uma vez já aconteceu de eu não saber como resolver uma situação e sonhei com a resposta. Foi só fazer igual ao sonho e deu certo. No sonho o subconsciente fica ativo e pode nos dar respostas.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Também aconteceu comigo. Muitas vezes nossa mente tem condições de resolver o problema mas nós não “acessamos” essas soluções por algumas travas quando estamos acordados

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Acho que tive interrompido um sonho que deve ter sido melhor que o anterior; já que coincidentemente foi de ontem para hoje…

    O que você achou?

    Loading spinner

  • “ou mesmo para dizer que seus sonhos nunca te avisaram nada de útil”
    Eu nem lembro do que eu sonho.

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário para Sally Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: