Pen drive…

Após aparecer nas arquibancadas durante o jogo da seleção brasileira contra a seleção da Suíça, nesta segunda-feira (28), o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) disse que foi ao Catar entregar pen drives sobre a “situação do Brasil”. LINK


Essa… essa é a oposição. Estamos fodidos. Desfavor da Semana.

SALLY

Não tenho qualquer condição de falar sério sobre esse assunto. O evento em si já é bizarro, bem como a quantidade de burrices do autor. É muita burrice junta. É burrice que não acaba mais.

Começamos pela viagem ao Catar, que estava planejada e comprada há meses, mas, pelo visto, Eduardo Bolsonaro não sabe que isso é averiguável. Teria ele bola de cristal para prever o futuro e já antecipou tudo que ia acontecer? Certamente não, então, foi uma viagem planejada para ver a Copa e ponto final.

“Ele ia para a Copa, mas depois de tudo que aconteceu, ele também decidiu fazer denúncias”. Bem, em um contexto em que diz que o Brasil e a democracia estão em risco (impressionante como é o mesmo discurso de ambos os lados!), que é preciso lutar, resistir, ir para as ruas, me parece incompatível com o discurso que o sujeito vá ao Catar e se dê ao luxo de bundear: assistir aos jogos, ir a festas e a eventos. Enquanto isso manifestante palhaço tá dormindo na rua, cagando em banheiro químico e esperando uma intervenção federal (ou sideral) que não vai chegar nunca.

Considerando essa realidade, ele até poderia ter ido, mas deveria ter ficado low profile. Foi e ainda quis bundear, fazendo com que os patriotas manifestantes façam um papel ridículo sem precedentes, tanto que é muitos estão desistindo da sua resistência, inútil, diga-se de passagem, pois a vida de todo mundo continua, o país está funcionando e a única coisa que conseguiram foi virar motivo de piada.

Mas a pior burrice de todas foi a desculpa inventada: foi ao Catar levar pen-drive com vídeos em inglês para fazer denúncias sobre a atual situação do país. Vamos por partes, pois é muita imbecilidade acumulada para comentar em um parágrafo só.

Hoje, qualquer pessoa que tenha um conhecimento mínimo de tecnologia sabe que existem formas tão sigilosas de enviar informações online que você pode mandar vídeo de pedofilia para a Polícia Federal e ninguém te encontra. Talvez não você, talvez não eu, mas uma pessoa com os recursos e contatos de Eduardo Bolsonaro, com certeza. Então, o que quer que fosse, levar em um pen-drive é algo bizarro, sem cabimento.

“Tem coisas que tem que ser conversadas pessoalmente”. Concordo. Mas levar informação em pen-drive já abriu mal a mentira. Vamos abstrair que os pen-drive de camelô que ele apresentou não tem sequer capacidade para armazenar vários vídeos e pensar na questão do conversar pessoalmente.

Se o seu país está sofrendo uma crise nas proporções que os bolsonaristas alegam, de democracia em risco e todo o resto, e você, preocupado, apela a outras nações por ajuda, eu suponho que seu semblante seja preocupado, que você vá imbuído de uma missão diplomática, um pedido de socorro. Não que esteja pulando feito um macaco em estádio, sorrindo, enchendo a cara, tirando foto em festa e dançando.

Cada pessoa fala o que quer, palavras são livres. É pelos atos que a gente vê a realidade. E nos atos, Eduardo Bolsonaro estava se divertindo demais em um oba-oba incompatível com sua suposta missão diplomática e com a preocupação que ele diz ter pelo país.

E, cá entre nós, pedir ajuda ao Catar? Me diz que poder o Catar tem sobre a realidade brasileira? Se ele fosse aos Países Baixos, onde tem o Tribunal de Haia, dava até para forçar uma barra e talvez pensar em um suposto crime contra a humanidade mas… Catar? Além da Copa do Mundo e de mulher sendo chicoteada, não tem nada no Catar. É um país irrelevante e que, convenhamos, não é o mais indicado para defender democracia.

Não teria sido mais digno dizer: “vim assistir a Copa, qual é o problema? Parem de controlar a minha vida, se preocupem com Lula, que vai manter o orçamento secreto, que fechou com Centrão e que vai onerar a folha de pagamento criando trocentos cargos para acomodar aliados e cabos eleitorais”. Fino, digno, constrange e bota o alvo na oposição. Mas não, ele opta por mentira abissais, pois sabe que cola na base aliada dele.

A história é tosca, vergonhosa, cheia de furos, mas cola para um monte de gente. Bolsonarismo não precisa ter coerência na fala, pode falar qualquer merda que os defensores estão cegos no viés de confirmação e arrumam justificativas para acreditar.

Outro ponto interessante que eu acho que não está sendo debatido o suficiente: repararam que, de todo o clã, Jair Bolsonaro parece ser o único a entender o que realmente aconteceu? Está triste, calado, recolhido. Aquele que tinha menos capacidade de compreender (tiozão, limitado, teimoso feito uma mula e sem noção de tecnologia) é, de todos, aquele que está se portando de acordo com o que aconteceu: uma derrota nas urnas.

Isso me leva a crer que talvez a maior parte das merdas que ele fez e insistiu em continuar fazendo tenham sido obra de alienação, de uma bolha que os filhos criaram, vendendo uma falsa realidade para ele. Agora que a bolha estourou, que a verdade inevitavelmente chegou até ele, ele entendeu e se recolheu.

Ele está se comportando de acordo. Os filhos, que são jovens, que tem maior compreensão do funcionamento do país e da tecnologia, continuam se comportando de forma risível. Os filhos, que são os mais encrencados com implicações criminais, são os que mais estão fazendo estardalhaço e ficando nos holofotes. Qualquer pessoa minimamente inteligente estaria bem quietinha para tentar ser esquecida ou indo morar em outro país. Os dementes estão se mantendo na mídia e provocando.

Uma realidade onde Jair Bolsonaro é o que melhor se comporta me assusta. Quão fodidos da cabeça são os Bolso-Filhos? “Ain mas eles se elegeram, nada vai acontecer com eles”. Não é bem assim, mesmo eleito, o político pode perder o cargo e ser preso, principalmente quando ele passou anos hostilizando instâncias superiores como o Congresso e o STF, falando que dava para fechar tudo com um soldado e um cabo.

Talvez seja feito algum acordo e todos saiam impunes, mas com certeza é mais barato e mais fácil costurar esse acordo se os envolvidos não ficarem chamando a atenção para si mesmos, ostentando e despertando a antipatia da população, inclusive dos próprios militantes patriotas.

A vergonha imensa que sinto da burrice do Eduardo Bolsonaro só não é maior da vergonha imensa que sinto de quem, de alguma forma, acredita nele, o defende ou relativiza as críticas. Estes são ainda mais burros.

Se é que se pode tirar algo de positivo ou sério dessa palhaçada é usando como filtro: observem as pessoas à sua volta que insistem em acreditar em bizarrices para preservar seus egos frágeis e endossas suas narrativas. Essas pessoas não são boas companhias. Essas pessoas estão com sérios problemas e não podem te acrescentar nada de bom.

Não recomendo que se mantenham por perto de pessoas assim, negadoras da realidade, desequilibradas e cegas em suas bolhas. Profilaxia: apenas se afastem.

Para dizer que provavelmente esses pen-drive tinham pornografia que ele levou para assistir no Catar pois lá não poderia acessar, para dizer que Lula vai maquiar o país fazendo parecer que está tudo bem e vai ser ainda mais difícil combater essa podridão ou ainda para dizer que gostaria de ouvir o que Sorayão tem a dizer sobre o caso: sally@desfavor.com

SOMIR

Faz tempo que se fala da era da pós-verdade, um fascinante mundo novo onde versões são tão importantes quanto fatos. Talvez até mais. É nesse mundo que já vivemos, é nesse mundo que Eduardo Bolsonaro se sente seguro para dizer que estava mostrando a situação do Brasil para o mundo com pen-drives de padaria no Catar…

Eu entendo o ângulo da Sally sobre a burrice, tanto dele quanto de quem acreditou, mas eu vou mais longe: é infantilidade. Sabe quando você pergunta para a criança se ela comeu o bolo e ela te diz que um dinossauro apareceu e comeu? Na cabeça dela é uma história eficiente, afinal, tira a culpa dela e evita as consequências. Falta o refinamento de colocar algo crível no lugar.

Com o tempo, a pessoa deveria aprender a não cometer mais esse erro, mas não sei se vocês perceberam… no Brasil (e em outros países com muita gente pobre e ignorante) a necessidade de evoluir suas histórias é muito pequena. As mentiras que boa parte desse povo conta e acredita são de uma inocência assustadora.

Dizem que o brasileiro é esperto, e de uma certa forma eu acredito: crianças podem ser muito espertas também. Isso é resultado de uma mente altamente adaptável. Quanto menos informação você tem, mais maleável é sua visão de mundo. Existe sim uma vantagem em não ter acumulado muita bagagem cerebral, o espaço livre para ocupar.

O conhecimento que eu já adquiri impede que muitas ideias entrem na cabeça, não tem espaço para informação altamente conflitante. Na média, eu acho que vale a pena, mas de tempos em tempos eu deixo de ver coisas que alguém mais “inocente” veria. Por motivos de imensa desigualdade social e cultura pouco condizente ao estudo, a maioria dos brasileiros acaba ficando nessa categoria de inocentes que de tempos em tempos conseguem fazer coisas bem espertas.

O bolsonarismo, o trumpismo e essa “direita” populista se aproveitaram de uma moda de interesse político impulsionado pela internet para se aproveitar dessa grande massa inocente/infantilizada. Muita gente que nem tinha noção de que política existia finalmente achou um lugar para se colocar, um onde sua capacidade de acreditar em qualquer coisa era finalmente valorizada. Finalmente tinham um lugar para chamar de seu no sistema.

O desfavor é mais do que a historinha infantil do Eduardo Bolsonaro, o desfavor é que ele é parte integrante desse movimento: é uma criança inventando mentiras ridículas para outras crianças, está em casa. A reação de Bolsonaro pai é mais um sinal dessa infantilidade, a profissão dele presumia lidar com a derrota de forma… adulta. Não foi o que aconteceu, no máximo comportamento pré-adolescente: bateu a porta do quarto e ficou fazendo bico lá dentro.

Eduardo claramente foi ver a Copa enquanto tinha algum poder político, se aproveitando de puxa-sacos e dinheiro público para ver futebol. Ninguém que está indo para o exterior denunciar supostos abusos contra a democracia nacional fica fazendo graça no camarote de um jogo de futebol. Só alguém muito inocente cairia nessa. Mas ele foi lá e disse do mesmo jeito, afinal, seu público foi selecionado entre pessoas que acreditam ou fingem que acreditam em qualquer história que o bebezão contar.

Quando sua burrice o fez ser pego na transmissão oficial da FIFA, o que a criança faz? Inventa uma história ainda mais ridícula para cobrir. Lembram o que eu disse sobre dizer que o dinossauro comeu o bolo? Ele só queria uma história que desviasse a culpa e evitasse consequências negativas. A primeira coisa que veio na cabeça foi a história do pen drive.

Talvez ele tenha saído do país com isso, talvez ele tenha comprado numa lojinha lá mesmo no Catar (esse layout de pen drive é coisa de camelô ou de brinde, eu já mandei fazer vários para clientes meus), mas a minha certeza é que ele não planejou usar esse ângulo desde o começo, afinal, se fosse assim ele teria dito desde o começo. Não foi uma mentira adulta, foi uma escapatória de momento. Ele acha que não tem problema nenhum não mostrar o que estava no pen drive, acha inclusive que qualquer pessoa com mais de dois neurônios não vai se perguntar por que levar um pen drive…

Já começa errado falando que eram vídeos. Oras, ou ele produziu um vídeo especial secreto ou ele está colocando vídeos que outras pessoas fizeram. Quer apostar quanto que é um monte de vídeo de WhatsApp e TikTok que encaminharam para ele? Não tem nada de secreto nisso, não tem motivo de colocar num pen drive em pleno 2022. E se ele produziu um vídeo especial secreto, por que seria secreto?

Pensem: o que um vídeo dentro de um pen drive pode fazer de melhor que um vídeo na mão da imprensa ou público no YouTube? Mesmo se derrubarem ou não divulgarem, é IMPOSSÍVEL esconder um vídeo na internet se pelo menos uma pessoa de posse dele quiser divulgar. Só uma pessoa muito inocente e/ou ignorante sobre a internet poderia acreditar nisso. Ou ele é burro o suficiente para acreditar que deu uma boa resposta, ou ele está jogando para a parcela radical o suficiente para acreditar em qualquer coisa que ele disser. Infelizmente, tem muita gente assim.

Sally já falou tudo sobre levar o vídeo para o fuckin’ Catar, mas eu ainda posso cobrir uma desculpa esfarrapada dele: pela Copa, vai ter gente do mundo inteiro por lá, certo? GENTE QUE FOI VER FUTEBOL! Quem tem tamanho o suficiente para ter qualquer impacto no Brasil vai estar num camarote superprotegido do lado do Emir e do presidente da FIFA. Um Zé Cu que nem o Eduardo Bolsonaro vai parar no segurança que protege os seguranças dessas pessoas. Sem contar que está todo mundo cagando e andando para o filho do presidente que está indo embora. Ele tinha mais chance de entregar o pen drive se dissesse que tinha vídeo de traveco brasileiro.

O maior feito do Bolsonaro na política externa foi pisar no pé da Angela Merkel (literalmente), a família não tem moral nenhuma com ninguém que manda nesse mundo. Ele só poderia entregar pen drive para alguém do clubinho dele, gente que já repassa qualquer vídeo imbecil que recebe pela internet.

Eu fico puto muito mais com o prospecto de ter gente que acredita nessa baboseira do que com a cara de pau dele. Estamos rodeados de crianças, e são elas que vão ser a resistência contra o bandido mais bem sucedido da história no Brasil, de volta ao poder. A ideia de transformar política em birrinha de criança funcionou e a quadrilha voltou toda. Dessa vez, contra um bando de imbecis que passam vergonha toda vez que abrem a boca…

Para dizer que pelo menos ele nos diverte, para discutir que pornozão nojento tem no pen drive, ou mesmo para dizer que a internet foi um erro: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , , ,

Comments (8)

  • Tenho gente na família que acreditou na história do pendrive e agora parece estar convencido que Lula morreu e foi substituído, pois tem vídeo no zap mostrando.
    Não há lógica possível com esse tipo de pessoa.

  • Bom, pelo menos esse papelão do Eduardo deve ter servido pra acordar mais uma parte do povo que ainda acredita que vai rolar alguma coisa. Me dá até uma certa pena deles quando eu logo no Twitter e vejo alguma coisa do tipo “Lula não vai subir a rampa” ou “os militares vão agir” nos trending topics.

    Enfim, quando chegar Janeiro e os boletos do começo do ano esse povo vai dar uma sossegada.

  • O tal “viés de confirmação” veio para ficar e, como o bozonazismo, se instalar definitivamente no inconsciente coletivo tupiniquim, já por si tão escangalhado e cheio de paranóias atávicas. Era a cereja no topo do bolo de merda que representa as idiossincrasias desse amontoado de gente que vive nos limites geográficos do que se convencionou chamar “Brasil”. Agora, de um lado temos a extrema-esquerda lacradora do matriarcado feminista de subaco peludo e bigode, para o qual homem a) não deveria existir, b) é um “potencial estuprador” ou c) seria melhor se fosse femboy; do outro, a extrema-direita ultraneoliberal privatista, cristã e armada até os dentes, que chama ET com celular e se referencia a ele como “general” e acredita no bananinha até se ele tiver dito que foi ao Catar tramar com sheiks árabes a retomada do poder pelo bozonauro e a deposição precoce do Lula (tem gente berrando em São Paulo que ele não sobe a rampa. Maginem a rasgada de cu de raiva, daquelas de ir até a nuca, quando virem isso ocorrendo!). O bundil virou um manicômio a céu aberto!

    Obrigado por mais essa tão necessária postagem! :-)

  • Não me surpreenderia que os bolsonaristas abandonassem os Bolsonaros e continuassem “protestando” apenas pela “causa”, afastando a família do ideal patriótico…

    Não é mais pelos Bolsonaro, exército ou Brasil. É literalmente surto coletivo com necessidade de atenção médica. Não é terrorismo, nem oposição. É surto persistente. É como aqueles andarilhos esquizofrênicos que gritam sozinhos nas ruas e com o tempo as pessoas convivem sem se importar.

    • “É como aqueles andarilhos esquizofrênicos que gritam sozinhos nas ruas e com o tempo as pessoas convivem sem se importar.”

      Creio que a Ana sintetizou com toda a perfeição o que são esses zumbis de verde-e-amarelo. Perdão, mas vou roubar essa frase e usá-la a rodo!

  • Sally e Somir, vocês dois já disseram tudo o que precisava ser dito e resumiram com perfeição o que eu penso sobre esse assunto. E simplesmente TUDO nessa história é de fazer cair o cu da bunda: a lorota do pen-drive, a quantidade assustadora de pessoas que ainda acredita sem questionar, a sensação de “fui tapeado” que parece ter enfim feito acordar ao menos uma parcela dos militantes da “direita delirante”… Isso sem falar na pirraça e na leviandade de uma completa besta quadrada, mesmo acusado de crimes graves, faz farra enquanto pode em vez de negociar discretamente um acordo para tentar salvar a própria pele. E é gente desse naipe que agora vai ser oposição ao Lularápio que volta ao poder. Como vocês escreveram na introdução: ESTAMOS FODIDOS!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: