BMJ – Dia 1

Olá queridos leitores do Di Sfavori. É uma honra fazer a cobertura do primeiro dia de Big Mártir Judeia. Vou contar tudo que aconteceu neste primeiro episódio, pois certamente o que será narrado no jornal A Bíblia, de propriedade da Unidade de entretenimento S. (Sodoma) será devidamente editado por D.E.U.S. (Diretor Executivo da Unidade S.), diretor do programa e pai de um dos participantes.

Fomos acomodados em frente a uma grande casa, sem paredes na parte da frente. Pudemos espiar tudo que se passava do lado de dentro. Foi constrangedor quando os Apóstolos entraram, Maria Madalena desprezando Jesus de forma ostensiva, que a seguia feito um cachorrinho. Rapidamente, os Apóstolos foram divididos em dois grupos, que competiriam entre si e o grupo perdedor seria eliminado.

D.E.U.S. foi esperto, deu um jeito de colocar, de um lado, o grupo que tinha mais afinidade com Jesus: Matheus, Tadeu, Pedro, André, Simão e Thiago. No outro grupo, aqueles que não são tão obedientes ou submissos: Maria Madalena, Judas, Tomé, Filipe, Bartolomeu, Thiago Menor e Simão. O entrosamento entre Maria Madalena e Judas é visível. Faz sentido, ambos são pessoas bem informadas e inteligentes.

Cada grupo teve que escolher um líder, cargo chamado de “ungido”. O mais votado no primeiro grupo foi Pedro, muito mais carismático que Jesus, porém, quando o grupo acabou de votar, a voz de D.E.U.S., que tudo vê, pois acompanha o reality presencialmente 24h por dia, se fez ouvir. Um grito difuso, que não pudemos identificar de onde vinha, eclodiu: “ESTÁ ERRADO, VOTEM NOVAMENTE!”. Por questões de segurança, ninguém sabe onde fica a cabine que contém a sala de D.E.U.S. Olhamos para todos os lados e até para cima, mas não conseguimos identificar onde ele estava, tive a impressão de que D.E.U.S. estava em todos os lados, tudo via, tudo sabia. Fofoqueiro do caralho.

Obviamente o primeiro grupo, intimidado, refez a votação. Obviamente o filho do diretor do programa ganhou: Jesus seria o líder ungido do grupo 1. No grupo 2, Judas foi eleito o líder. Foi quando anunciaram que os líderes ungidos estariam imunes da votação do dia, ou seja, apenas o grupo perdedor seria apedrejado no Muro das Lamentações. Sim, a votação é por apedrejamento: ao final da competição do dia, todos os Apóstolos terão que ir até o Muro das Lamentações e o público presente apedrejará o grupo que quer ver eliminado. Estou começando a achar que este reality vai ser um sucesso, este povo atrasado adora um apedrejamento.

Em determinado momento, ao longo da votação, Jesus se aproximou de Maria Madalena e passou a mão na sua bunda. Ela cuspiu na cara dele. Alguns dos presentes começaram a aplaudir, então, D.E.U.S. deu o comando para que aqueles que aplaudiram sejam retirados à força do local. Enquanto Judas acolhia Maria Madalena e a parabenizava, pude ver soldados removendo as pessoas com truculência. Obviamente A Bíblia não vai contar nada disso amanhã, pois D.E.U.S., o todo-poderoso, vai reescrever a história. Deve ser muito bom mandar nos meios de comunicação.

Foi anunciada a prova do dia: os grupos deveriam responder, através de uma obra de marcenaria, à pergunta “O que a Judeia precisa?”. E quando digo marcenaria, me refiro a todos menos Jesus, hippie vagabundo que nunca pregou um prego na vida, nunca fez nada além de beber compulsivamente e importunar transeuntes na rua com discursos desconexos. É fácil a vida de filho de Diretor Executivo, nunca precisou trabalhar de verdade. Óbvio que esse vagabundo não ia fazer nada que preste. Passou o dia todo coçando o saco, bebendo e sendo inconveniente com Maria Madalena.

Em contrapartida, o outro grupo, liderado por Judas, agiu de forma organizada. Judas distribuiu tarefas, cobrou produtividade e não permitiu que ninguém descanse enquanto os trabalhos não estivessem concluídos. A obra final? Um grande biblioteca pública, para que o povo tenha acesso a livros e conhecimento, em uma configuração atrativa e acessível. Enquanto trabalhava, Judas falava da importância da leitura, do acesso à informação, enquanto Jesus bebia e dançava com seu grupo.

Em determinado momento, Jesus foi oferecer um pouco de vinho para os integrantes do grupo 2. Judas o repreendeu, disse que estavam trabalhando duro e que não era momento para beber. Começou uma discussão acalorada entre Jesus e Judas e algumas ofensas foram trocadas. Culminou com Judas dizendo que não era filho do dono, e que por isso precisava se esforçar. Imediatamente foi ouvida a voz de D.E.U.S. gritando “CUIDADO COM O QUE FALA, RAPAZ”. Jesus fez um sinal nada nobre para Judas, que teve que ficar calado.

Judas estava transtornado pela injustiça. Foi quando Maria Madalena se aproximou e ficou conversando com ele por um bom tempo. Os dois acabaram se beijando, o que fez com que Jesus tenha um ataque histérico, chamando Judas de traidor e Maria Madalena de prostituta para baixo. Certeza que é esta a versão que vai entrar para a história, amanhã A Bíblia terá páginas e mais páginas pintando Judas como traidor e Maria Madalena como piranha e é isto que o povo burro vai repetir.

Jesus ficou irado, gritava o tempo todo que o outro grupo seria eliminado, mas não mexeu um dedo para realizar sua tarefa. Graças a seu incentivo, seu grupo estava totalmente bêbado e não parecia disposto a trabalhar. Enquanto isso, o grupo de Judas trabalhava com empenho, construindo a mais bela e convidativa biblioteca que já se viu. Não parecia ser possível que o grupo de Jesus vença. O tempo estava acabando e Jesus tirava uma ostensiva soneca.

Quando faltavam apenas dez minutos para terminar, escutamos novamente a voz de D.E.U.S. : “ACORDA, VAGABUNDO! VAI FAZER A SUA PROVA!”. Jesus levantou, meio assustado e reclamando que estava com sono, ao que se ouviu novamente a voz de D.E.U.S.: “NÃO ESTOU PEDINDO, ESTOU MANDANDO! ANDA! FAZ QUALQUER MERDA”. O público, com medo de mais uma expulsão truculenta, permanecia imóvel. Jesus levantou xingando D.E.U.S. e o mundo, pegou umas madeiras, uns pregos e marretou uma coisa meio amorfa, deixando clara sua falta de habilidade. Parecia um recipiente. Ninguém entendeu bem o que era, mas ninguém teve coragem de verbalizar nada.

Jesus jogou o martelo no chão e gritou: “PRONTO! TÁ FELIZ?”, mostrou o dedo médio e voltou a dormir. Pedro, discretamente, perguntou a Jesus o que era aquilo, e Jesus resmungou, enquanto pegava no sono: “um cálice, me deixa em paz!”. Constrangido, Pedro encheu o recipiente com água para testar sua usabilidade, mas quando foi beber, acabou espetado por um prego e desistiu. Devolveu o cálice, cheio de água e sai de perto, com uma cara preocupada.

As atividades do dia foram encerradas e colocadas lado a lado: na esquerda, o recipiente amorfo feito pelo grupo 1, e à direita, a bela biblioteca do grupo 2. Foi estipulado um intervalo e todos fomos conduzidos para um refeitório, onde nos foi servida comida. Por algum motivo, que no momento eu não entendi, o intervalo demorou bastante e produtores corriam de um lado para o outro. Estávamos todos ansiosos para o momento da votação, a biblioteca do grupo de Judas ganharia com certeza, seria bonito de ver o filho do dono sendo eliminado.

Quando voltamos para nossos lugares, uma surpresa: no lugar daquela bosta amorfa de madeira, estava um belíssimo cálice de ouro cravejado com pedras. Dentro, em vez de água, vinho. Minha indignação não cabia em mim, mas, para não ser enxotada de forma violenta, me calei. Queria ver o desfecho dessa palhaçada para poder contar a vocês. Jesus apareceu, com uma postura arrogante, olhando Judas de forma desafiadora. Quando Judas, transtornado, perguntou o que era aquilo, como o cálice de madeira teria virado um cálice de ouro, como a água teria virado vinho, Jesus apenas sorriu de forma debochada e disse: “Milagre”. É, era um milagre de D.E.U.S., que tinha mandado trocar a embalagem e o conteúdo.

Judas começou a gritar e fazer acusações. A fraude era evidente, eu pensei. Ninguém vai acreditar. Foi quando se ouviu a voz de D.E.U.S.: “JESUS TRANSFORMOU A ÁGUA EM VINHO!” e todos os presentes começaram a aplaudir freneticamente. Eu já deveria saber, essa gentalha acredita em qualquer coisa. Eu tinha a esperança de que, mesmo para as mentes mais burras e rudimentares, não fosse crível que uma pessoa pode transformar água em vinho, mas eu estava enganada. A multidão gritava o nome de Jesus e dizia que o seguiria onde quer que ele fosse. Bando de cachaceiros filhos da puta, é por isso que a Judeia está como está.

Chegou a hora do Muro das Lamentações. Cada um de nós, da plateia, recebeu um paralelepípedo e se posicionou de pé, de frente para os Apóstolos. Jesus e Judas, que eram os ungidos, foram colocados de lado, pois tinham imunidade. O grupo 1 e o grupo 2 foram posicionados no Muro das Lamentações e ao sinal de D.E.U.S. o apedrejamento começou. Juro que vi soldados atirando pedras também, e depois, me dei ao trabalho de contar quantas pedras havia no local: eram muitas mais do que o numero de espectadores. Não bastasse manipular a prova, manipularam a votação.

O grupo de Judas foi severamente apedrejado e estava eliminado, especialmente Maria Madalena, que levava pedradas aos gritos de “piranha” e “você não é apóstola”. Judas assistia a tudo revoltado, gritando com os populares. Ao final, o populacho aplaudiu Jesus e entoou um coro “Não quero livro, não quero pergaminho, bom é Jesus, que transforma água em vinho”. Jesus abria os braços em deleite, enquanto era aclamado pelo público. Não fosse a ameaça física dos soldados que fazem a segurança do evento, eu tinha jogado uma pedra na testa desse filho da puta.

Para dizer que 1% das pessoas vai entender este texto na totalidade, para dizer que só a gente gosta dessas semanas temáticas ou ainda para dizer que a versão do Di Sfavori é mais legal que a da Bíblia: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas: ,

Comments (4)

  • E, tal como acontece na vida real até hoje, o povão ignorante prefere perder tempo com um reality show claramente armado – que de “reality” não tem nada – do que trabalhar em favor de seu próprio crescimento. E ainda é capaz de espezinhar quem tenta lhe abrir os olhos!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • aeee! que bom que não abortaram a semana pela falta de participação.

    Mas cadê João? Simão está repetido, afinal, ele ficou em qual grupo? Ontem vocês disseram que os apóstolos eram: Jesus, Pedro, André, Tomé, Filipe, Matheus, Bartolomeu, Thiago, Tiago Menor, Simão, Tadeu, João e Judas. E hoje no grupo de Jesus: Matheus, Tadeu, Pedro, André, Simão e Thiago e no outro Maria Madalena, Judas, Tomé, Filipe, Bartolomeu, Thiago Menor e Simão.

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: