O lado negro dos cães.

Gosto de cães. Amo cães. Mas tudo é um mar de rosas? Não, certamente não. Quando você vê aquele filhote fofo uma descarga de hormônios de bem estar fazem com que você queira, instintivamente, leva-lo para a sua casa sem imaginar o trabalho que dá. E nessa inconsequência, milhões de cães são abandonados todos os anos. Portanto, este não é um texto “para falar mal de cachorro” e sim para te alertar sobre tudo que pode (eu disse PODE) dar problema, de modo a que, se você for adotar um cãozinho, o faça com a plena certeza de que vai dar conta do recado.

Se você vai adotar um cão de raça, informe-se bem sobre a raça antes. Algumas raças são verdadeiras enciclopédias de doenças (como o Sharpei e o Pug), outras exigem cuidados específicos (cães de pelo longo, por exemplo) e algumas tem restrições para a vida toda (não se pode viajar com um cão braquicefálico, ou seja, de focinho achatado, como o buldogue francês, em avião). Algumas raças babam muito, outras precisam de muito exercício pois são muito agitada (quem já teve Beagle sabe) e algumas raças podem ser muito fortes ou brutas para crianças ou idosos. Então, não adquira um cão por impulso, procure saber antes quais as características da raça e se ela se adequa às suas necessidades, pois aquele filhotinho lindo, fofo e inofensivo cresce.

Cães sem raça definida são ótimos, inteligentes e costumam ter uma saúde melhor do que muito cão de raça. Porém, para leigos, são uma loteria. Se você mora em um apartamento de 28 metros quadrados não pode ter um cão grande, então, consulte quem entende e faça uma projeção do tamanho que o filhotinho vai ficar. É possível mensurar isso pelo tamanho da pata, da cabeça, dos dentes e outros fatores. Também é possível estimar o quanto um filhote vai crescer vendo o tamanho dos seus pais, porém isso nem sempre é possível. Todo filhote é lindo e pequeno, mas às vezes eles crescem muito mais do que o esperado.

Cães são uma fonte de alegria infinita. São muito mais inteligentes do que você pode imaginar. Se conectam com o dono, percebem sentimentos, tem uma empatia muitas vezes maior do que a do próprio ser humano. Mas dão trabalho. Um cão é uma criança que não cresce nunca e que nem ao menos fala, você tem que prestar atenção o tempo todo para perceber se ele está doente, com dor ou triste.

Ele dependerá de você para comer, para sua higiene pessoal, para seu exercício e para sua vida social. A menos que você decida adquirir dois cães (algo que eu sempre recomendo, pois, por incrível que pareça, dá menos trabalho do que ter um), tudo que seu cão tem na vida em matéria de relações afetivas é você. Você tem seu trabalho, seus amigos, sua família. Seu cão só tem você. Então, você tem que estar disposto a reservar um tempo diariamente para dar afeto e brincar com ele. Tempo de qualidade, para ficar só com ele, até ele cansar. E isso pode demorar…

Assim como os seres humanos, cães não nascem conhecendo as regras de uma casa. Um cão precisa ser ensinado onde fazer suas necessidades, onde pode brincar, onde não pode subir e muitas outras coisas. Apesar de serem animais extremamente inteligentes, educar dá trabalho. Não ache que vai repetir meia dúzia de vezes e o cão obedecerá. Existem raças mais inteligentes que as outras (há inclusive um ranking de inteligência canina por raça), mas filhotes sempre precisam de constante supervisão e orientação. Pelo menos até os 6 meses de idade, seu cão vai fazer muita coisa que não deve, e você terá que, todas as vezes, dizer que “não” e fazê-lo entender que esse comportamento não é aceitável. Cada vez que ele fizer algo errado (e serão muitas por dia) você deve estar atento para perceber e disposto para corrigir. Cães precisam de limites, caso contrário acabam se tornando neuróticos e até agressivos.

E não estou falando apenas da paciência infinita de dizer que não pode subir no sofá cem vezes por dia. É preciso que você tenha capacidade emocional de brigar com seu cão, repreender, sem medo que ele fique magoado (é para o bem dele!). Cães não são humanos, não projete sentimentos humanos neles. Muito pelo contrário, seu cão relaxa e fica mais feliz se perceber que o alfa da matilha é você, pois isso significa que ele tem que se preocupar com menos coisas. Brigar é preciso. Repreender é preciso. Não caia em carinhas tristes ou em chantagem, não se deixe manipular por seu cão.

Filhotes demoram para ter total controle de esfíncter, por isso, vão fazer cocô e xixi fora do lugar muitas vezes, mesmo compreendendo que ali não é o lugar certo. Alguns cães se recusam a fazer as necessidades em um local sujo, o que significa que você tem que limpar assim que fazem, caso contrário vão fazer no meio da casa. E se você não estiver em casa para manter a área sempre limpa, vai ter uma bela surpresinha quando chegar. Existe a opção de acostumar seu cão a fazer as necessidades na rua, porém, você vira escravo de horário: tem que levar, todo santo dia, faça chuva ou faça sol, naquele horário, se não, o animal prende, sofre e pode até adoecer.

Filhotes roem coisas. É normal, é esperado. Se você não quer que um filhote destrua algo, só tem duas opções: não deixar a coisa ao alcance do filhote ou passar o dia todo supervisionando-o e dizendo um sonoro e enérgico “NÃO!” cada vez que ele abocanhar o que não deve. E, mesmo assim, em algum momento ele vai destruir algo. Fato da vida, aceite. Se você não tem tempo ou paciência para educar um filhote por 6 meses (supondo que ele chegue na sua casa com 3 meses, aos 9 meses começará a virar adulto), não adote um cachorro. Vejo donos brigando com o cachorro, prendendo, chamando de mal educado… a culpa é de quem?

Muitas coisas que um filhote faz são fofas enquanto ele ainda é filhote, mas são inaceitáveis quando ele vira adulto. Um filhotinho de Pastor Alemão pulando no seu colo é lindo, um Pastor Alemão adulto, nem tanto. Cães não tem essa consciência de que podem fazer algo quando filhotes mas, quando ficarem adultos tem que parar, assim, se você não quer que ele faça algo na vida adulta, deve ensiná-lo que aquilo não é aceitável ainda filhote, repetidas e repetidas vezes. E sim, cães testam limites o tempo todo. Sabem que não pode, mas testam o dono para ver se vencem pelo cansaço. Se o seu cão te vencer pelo cansaço ele vira o dono da casa. Não deixe. Você em que ser mais teimoso do que ele. Tem tempo, energia e disposição para isso?

Cães machos podem mijar pelos cantos da casa, como uma forma de marcar território. Este hábito é muito difícil de mudar ou corrigir, pois é instintivo. Pode melhorar com a castração, mas não é garantia. Cadelas fêmeas entram no cio e mancham de sangue qualquer lugar onde sentem. Existem “absorventes caninos”, mas nem sempre o animal tolera. Muitas vezes arrancam esta fraldinha a dentadas. E nem pense em manter um macho e uma fêmea na mesma casa se a fêmea estiver no cio e você não quiser que eles cruzem, eles fazem um escândalo e acabam dando um jeito.

Não são todas as raças que passam bem por uma gestação. Algumas só podem ter filhotes através de cesariana. Durante a gestação, a cadela vai precisar de suplementos nutricionais, remédios e exames periódicos, que poderão custar o mesmo valor dos exames realizados em seres humanos, e não pense que “por ser para cachorro” é tudo mais barato, pois o material e aparelhos utilizados muitas vezes são similares, tornando os custos os mesmos.

Cães não sabem voar e nem sempre tem noção clara do perigo, principalmente quando são filhotes ou estão tomados por forte emoção. Isso quer dizer que janelas pelas quais seu cão possa cair têm que receber telas, tomadas que ele eventualmente poça fuçar, tem que ter proteção e assim por diante. Cabe a você identificar todos os perigos que a casa oferece e proteger seu animalzinho deles. Não espere bom senso de um filhote, às vezes nem os cães adultos tem.

E não espere bom senso de filhotes de humanos também. Crianças e cães podem ser uma ótima combinação, desde que com a constante supervisão de um adulto. A cabeça do cachorro não funciona como a cabeça do ser humano, o que para uma criança pode ser uma brincadeira, para um cão pode ser uma ameaça ou uma agressão. Então, criança sozinha com cachorro não. Eu sei que você deve achar seu filho a coisa mais inteligente e maravilhosa do mundo, mas crianças podem ser sádicas de vez em quando. Se há crianças na casa, também recomendo pesquisar as melhores raças, não necessariamente por agressividade, pois isso depende da criação do cachorro, mas sim para não adquirir uma raça muito frágil, que a criança possa machucar.

Cães precisam de banhos e nem sempre gostam de tomar banho. Cães de pelo longo precisam de banho e de cuidados com a pelagem, que pode incluir cremes, desembaraçar pelo embolado e até secar com secador se a temperatura estiver muito fria ou tosa se a temperatura estiver muito quente. Cães de apartamento geralmente precisam ter suas unhas cortadas, pois não tem desgaste com um solo áspero e as unhas grandes impedem uma pisada correta. Cães precisam ter suas orelhas limpas, na parte interna e também precisam remover tártaro dos dentes. Precisam de vacinas esporádicas, eventualmente de suplementos vitamínicos e certamente de vermífugos e tratamento preventivo para pulgas e carrapatos. Tudo isso dá trabalho e custa dinheiro. Muito dinheiro.

Alimentar um cão com uma ração boa (Eukanuba, Pro Plan, Sciens Diet e Royal Canin, o resto… é resto) custa caro, às vezes o quilo da ração custa mais caro do que o quilo do filé mignon. Não se atreva a cozinhar para cães, a menos que você tenha profundo conhecimento veterinário, pois suas necessidades nutricionais são muito diferentes das nossas e você provavelmente vai alimentá-lo de forma inadequada. Eventualmente cães precisam de rações específicas, conforme idade ou problemas de saúde, que custam ainda mais caro. Rações vagabundas podem ser baratas a curto prazo, mas a longo prazo vão te custar caro: problemas de pele, de visão, nos ossos e até tumores podem advir de uma alimentação incorreta.

A menos que morem em uma casa com um amplo jardim onde possam correr por quarteirões, cães precisam se exercitar. Não existe raça de cachorro que não precise se exercitar. É necessário para o corpo, pois o cão tem que gastar energia, caso contrário faz besteira dentro de casa, fica ansioso, obseo ou até agressivo. Mas, também é necessário para a mente do cão, pois reforça o vínculo, a subordinação com o dono. O alfa da matilha é quem leva a coleira e o cão deve respeitar e obedecer. No mínimo, eu disse NO MÍNIMO, um passeio por dia. E vai dar um trabalhão ensinar que não pode puxar a coleira, que tem que respeitar o ritmo do dono. Serão centenas de correções, broncas e meses de treinamento.

Alguns cães uivam. É deles, é instintivo. Você pode educar, dar comando para ficar em silêncio, mas alguns sempre uivarão. No meio da noite. Várias vezes no meio da noite. Cães também latem quando entendem que é preciso dar um sinal de alerta. Só que, aquilo que na cabeça deles é um perigo, nem sempre é um perigo na vida real: a porta do elevador se abrindo, o vizinho fechando a porta de casa ou até um gato no muro. Cães latem.

Existem raças mais quietas, existem raças mais “falantes”, mas ter um cachorro é ter que lidar com latidos. Para não ser injusta, existe uma raça que não late: o Basenji. Ele tem o formato da laringe todo errado, então, não consegue latir, mas emite uns gemidos que podem incomodar tanto quanto. Cães sozinhos latem mais ainda, o que pode se tornar um problema com vizinhos, culminando em multa do condomínio. Filhotes podem chorar de forma insistente à noite (e você não choraria se fosse separado da sua mãe e dos seus irmãos?). Colocá-lo na sua cama vai calar a boca dele, mas você vai criar uma prisão sem grades: ele nunca mais vai querer dormir em outro lugar.

Cães podem matar outros animais. Podem se dar muito bem também, principalmente se forem apresentados desde pequenos, mas pode acontecer do instinto falar mais alto. As galinhas do vizinho podem aparecer estraçalhadas no seu jardim, ou, se você tiver um relacionamento estranho onde só acontecem coisas bizarras, um dia seu cão chega com um fuckin´ pavão na boca. Alguns cães também gostam de cavar buracos e enterrar coisas. Esta conduta pode até ser repreendida, mas, por ser instintiva, é possível que nunca mude.

Cães podem viver mais de 20 anos, mas quando envelhecem, começam a ter problemas e doenças, assim como acontece com o ser humano. Algumas raças tem propensão à cegueira, outras à surdez. Se o cão passou sua vida andando em um chão muito liso, pode desenvolver displasia coxofemoral e apresentar muita dificuldade ao andar. A medicina veterinária está anos luz atrás da medicina humana, tratamentos para doenças de cães não são dos mais eficientes. Câncer em um cão é praticamente um atestado de óbito. Então, é possível que no final da vida seu cãozinho precise de cuidados constantes, tenha dificuldade em andar e até em comer. É possível que você se veja obrigado a cogitar sacrificar seu animal para que ele não viva com uma qualidade de vida ruim. E, não importa como, quando seu cão morrer, você vai achar que vai morrer junto. Morre um membro da família.

Mesmo quando não estão idosos, é normal e esperado que cães passem por problemas de saúde em algum momento da sua vida: uma ferida, uma infecção ou até mesmo uma cirurgia. E, acredite, não vai ser barato nem fácil. Cães não entendem que aquela pomada é para o bem deles e não deve ser lambida. Cães nem sempre tomam comprimidos ou xaropes voluntariamente. Cães nem sempre cooperam com você quando você os leva ao veterinário. Pode ser necessário amordaçar seu cão, imobilizá-lo ou até dopá-lo para realizar tratamentos.

Nem todo mundo gosta de cães. Nem todos os lugares permitem cães. Isso pode ser um problema na hora de viajar ou se ausentar. Ao contrário dos gatos, cães sofrem muitíssimo se são deixados sozinhos. Hotéis para cães são opções que eu não recomendo, por já ter visto muita coisa horripilante nos bastidores. Uma pessoa que vá até sua casa trocar a água, dar comida e limpar as necessidades não basta, o cão ficará muito triste e se sentirá abandonado.

Então, ao assumir o compromisso de ter um cão, é bom ter uma retaguarda na hora de viajar ou se ausentar por longos períodos: a casa de alguém de confiança para deixar seu cão, ou então, fazer viagens nas quais seu cão possa te acompanhar. E, por tudo que há de mais sagrado, não viaje com o cão no bagageiro do avião, é perigoso. Há outras opções: você pode pagar a uma transportadora especializada em frete de animais para leva-lo em segurança.

Por mais que você faça tudo certo, ainda assim seu cão pode apresentar problemas físicos ou psicológicos. É um equilíbrio delicado: excesso de amor (ou falta de limites) ou rigidez excessiva podem fazer com que seu cão apresente comportamentos indesejados, difíceis de reverter. Como já falamos nos outros textos sobre cães: eles querem, gostam e precisam de limites. O problema é encontrar o equilíbrio exato para estes limites.

Em 20 anos sua vida vai mudar muitas vezes. Você pode casar, separar, você pode ter filhos. Pode ser que se mude para uma casa pequena, pode ser que seu namorado novo não goste de cachorro. Então, pense e pondere com maturidade: você está tirando um filhotinho da sua mãe, você é tudo eu ele tem. Você vai fazer sacrifícios para não abandoná-lo se isto for necessário? Se a resposta for não, melhor não ter um cachorro.

Se você está disposto a passar por tudo isto, pode adquirir um cãozinho sem medo. As alegrias que ele proporciona compensam o trabalho que ele dá. O que não pode é comprar um filhote só porque achou fofo sem saber o que te espera. Caso contrário, compre um cacto, seu cretino.

Para aguardar os comentários ofensivos, para você mesmo me ofender ou para se iludir e achar que estou sendo pessimista: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas:

Comments (52)

  • Eu tenho 3 cães
    Uma mix de pitbull que exige muito afeto e tem energia pra dar e vender
    Um vira lata tranquilo que está ficando ceguinho e que só faz necessidades na rua
    E um vira lata jovem de média energia
    É muito trabalho, e muito gasto de tempo e dinheiro. Tem dia que eu quero dormir e tenho que acordar pra lavar o quintal e dar atenção pra eles. Meu namorado diz que eu vivo pelos cachorros, mas eu assumi a responsabilidade. Muita gente pensa que é exagero mas conheço as necessidades dos cães. Água e comida não basta

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Pois é, é muita dedicação e muita despesa. Tenho cachorro e acho que compensa cada minuto e cada centavo, mas a escolha tem que ser consciente

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Sally, porque cuidar de dois cães e mais fácil do que cuidar de um?
    Sempre soube que gatos se apegam a casa e não ao dono(a). Mas o meu aqui dorme no meu ombro. Você acredita? O bicho não larga do meu pe…Já tive dois cachorros…Hoje não crio mais por falta de espaço. Cachorro gosta de espaço. O próximo que eu tiver vou chamar de astronauta.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Dois cães passam o dia inteiro cansando um ao outros. Isso faz toda a diferença, o cão fica menos estressado, nunca está sozinho, brinca o dia todo…

      O que você achou?

      Loading spinner

    • Eu diria que esse negócio de “gato se apegar à casa” é um mito, um estereótipo criado sobre os gatos. Eles realmente se apegam ao lugar, principalmente se for confortável pra eles, se tiver comida e tudo mais. Mas não dá pra generalizar e dizer que gato gosta só disso e não do dono, não é uma regra. Gatos também alimentam grande simpatia pelo dono, alguns são até carentes sim, mas ainda assim essa afeição é diferente da demonstrada pelo cachorro.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Ótimo texto, Sally.
    Tenho um biscatinha lhasa apso que é também membro da família mas continua sendo uma cachorra. Por isso, há onze anos, apesar de ter um enorme quintal, saio com a dita duas vezes ao dia para passear pelas ruas e dar a ela a chance de “cachorrear “, como digo, com os outros cachorros das redondezas. E o que mais encontramos são tristes cães prisioneiros de gente sem tempo, neurotizados pelo abandono, pois com certeza é abandono dar comida uma ou duas vezes ao dia e não interagir com eles. Eu não tenho muito tempo mas tenho compromisso com a sanidade física e mental da minha cusca, foi escolha minha e é isso. Mas BM é preguiçoso pra pensar suas escolhas e nas consequências, nem pensa, por isso vemos tanta m por aí.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Parabéns, poucas pessoas teriam essa percepção. Concordo com você, cachorro precisa cachorrar!

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Achei legal a proposta do texto. Até porque, o que tem de madame aí que compra cachorrinho só porque acha fofo e não cuida direito, olha…

    Confesso que sou meio traumatizado com cães, não no sentido de ter tido alguma experiência negativa do tipo cachorro me morder, nada disso. Mas sim no sentido de que minha mãe é que é uma peste, eu já tentei mudar ela, mas não teve jeito, aquela lá não tem salvação…
    Minha mãe é uma dessas carentes e ansiosas que não consegue lidar com seus próprios problemas e ainda não procura ajuda, daí desconta toda essa carência nos cãezinhos (sim, na época na infância quando ainda morava com ela, ela tinha um monte! Porran, um ou outro ainda vá lá, agora 20 cães dentro de casa? Bahh que saco!) e o resultado: bixinhos que não obedecem, que latem a noite, uivam, e também carentes e ansiosos. Eu já cansei de falar pra ela que isso estava errado etc etc, mas quem disse que ela me escuta? E poxa, cansei mesmo, a tal ponto de que… Deixei pra lá e fui seguir minha vida.

    Confesso também que não tenho toda essa paciência e tempo pra cuidar de um cão, por isso prefiro gatos: eles são mais “frios” (ênfase nessas aspas aí porque gato pode ser muito carinhoso e amável com o dono também, mas é um amor diferente do de cachorro) e mais independentes, mais limpos e tal. Sou do tipo que acha mais útil ficar lendo um livro ou trabalhando na minha mesa do que ter toda a trabalheira de passear com cão e limpar as necessidades dele na rua.

    Se bem que gatos também dão alguns trabalhos (dá pra escrever também um lado negro dos gatos! hehe), do tipo persa, tem que ficar desembolando o pêlo, dar ração especial pro pelo crescer bonito etc etc. Gata no cio, então, é um inferno só. Mas ainda assim, considero que eles ainda dão menos trabalho que cachorro.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Eu tenho dois vira-latas que já me deram muito trabalho, o menor deles ainda hoje tem mania de subir no meu carro, que já ficou todo arranhado. Em janeiro de 2016 fiz uma longa viagem com meu marido, e minha irmã ficou na minha casa cuidando deles. Eles mudaram completamente de comportamento. A fêmea ficou agressiva e batia muito no macho. Eles tinham que ficar separados a maior parte do tempo. Quando chegamos, pensei que fariam a maior festa. Mas o macho tremia mais que vara verde, e a fêmea só foi nos dar bola no dia seguinte. Pelo menos não machucou mais o irmão.

    Sobre essa questão de conhecer a raça e suas doenças, minha irmã teve uma péssima experiência mês passado. Ela ganhou um pastor alemão, era super saudável e ativo, tinha uma energia fora de série. Tinha acabado de completar um ano, e nunca apresentou nenhum problema de saúde. Pela manhã, ele fez aula de adestramento normalmente, e na hora do almoço, ao chegar visitas em sua casa, como de costume ficou latindo e pulando muito no canil. De repente deu um ganido e caiu. Minha irmã e a amiga correram pra acudir, chegaram a fazer massagem cardíaca mas ele morreu. Foi um baque ! Meus sobrinhos ficaram arrasados, meu cunhado chegou a dizer que doeu mais do que a perda do próprio pai (pra quem o conheceu não é difícil entender isso).
    Fizeram a necropsia, ele tinha uma cardiopatia congênita, nunca apresentou sintomas e sofreu um infarto fulminante.
    Já tive um pastor, que morreu aos 7 anos de leishmaniose. É uma raça maravilhosa! Nunca tinha ouvido falar em cães infartados, mas depois do ocorrido soube que é até comum na raça. Eles pretendem adotar outro pastor em breve, mas agora vão tomar o cuidado de fazer todos os exames desde novinho.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Primeira coisa ao pegar um filhote é levar a uma consulta no veterinário. Que triste essa história, imagino o choque!

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Adorei o texto, Sally. Eu cometi um erro e comprei um cão de raça sem me informar e tive muitos problemas. Me deixei levar pela carinha fofa. Eu tenho um dachshund e moro em apartamento. Essa raça solta muito pelo e suja muito. Sem brincadeira, fazem muito cocô e xixi (umas 5 vezes por dia). E precisam cavar, meu cachorro abriu um buraco na parede! fora isso, amo muito meu cachorro. Não sei o que vai ser de mim quando morrer, vai ser um choque muito grande (chegar em casa e ser recebida com tanta alegria não tem preço).

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Já tive 2. São meio teimosinhos, né?

      Cuidado com o peso, não deixa engordar. Essa raça para ter problema de coluna não precisa de muito sobrepeso

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Os meus salsichas são educados. Quando pequenos, comeram alguns sapatos e chinelos (inclusive de hóspedes – que vergonha!). Eles melhoram quando tem companhia, melhor ter dois do que um só – brincam o dia inteiro, uma graça. Aprendem com muita facilidade, mas tem um instinto de caça que vou te falar! Cuidado com passarinhos, pombos, répteis e, principalmente gatos e galinhas, eles pegam mesmo!! Fora isso, são tão fofos que chega a ser insuportável!!!

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Pois é, dois cachorros sempre são menos trabalho do que um, e quem sabe, menos despesa também, pois cachorro que fica sozinho adoece, fica ansioso, tem muito mais despesas com veterinário.

          O que você achou?

          Loading spinner

  • Sally, texto de utilidade pública!!

    Só um comentário:
    “Ao contrário dos gatos, cães sofrem muitíssimo se são deixados sozinhos.”

    Gatos também sofrem de serem deixados sozinhos, principalmente aqueles que não tem acesso à rua (às vezes por escolha própria, vide os meus). Aliás, meus gatos sofrem muito mais que meus cachorros, chegando a ficar sem comer!
    E nem vou entrar na parte do rancor depois que eu volto, né? hhahaha!

    O que você achou?

    Loading spinner

      • Ficam, Sally! É um horror! hahahahaha!
        O que para de comer chega a ficar deprimido… A fêmea (a rancorosa) chega a recusar carinho! E desde que eles chegaram são assim!

        (sei lá porque meu comentário saiu anonimo.. hahaha)

        O que você achou?

        Loading spinner

        • PS: preciso desabafar e só aqui me entendem… ainda consigo me chocar com esses BM que votam no BBB (me julguem!) e criam um resultado igual o dessa noite…. extremamente desanimada com tudo!

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Não tenho ideia do que se passa no BBB, mas não é surpresa que brasileiro nao sabe votar, né?

            O que você achou?

            Loading spinner

  • Sally, você tem toda razão em ter medo de gente que abandona animais. Não tem nenhuma lei obrigando a comprar ou adotar, as pessoas assumem a responsabilidade sabendo o que encontrarão pela frente e depois descartam como se fosse um brinquedo quebrado. O amor dos animais é mais desinteressado do que o ser humano, é uma confiança absoluta e temos mesmo de ter medo de gente que trai isso. Convivi pouco com animais e esse pouco já foi suficiente pra presenciar a relação e o trabalho por trás.
    Fui uma criança sem cachorro nem gato e não foi bom crescer sem ter tanto contato com eles. Custei muito pra perder o medo de cães e ainda tenho resquícios dele. Mas meus pais tinham razão em não deixar, era completamente inviável no contexto da época.
    Ainda quero adotar um e todo mundo me pergunta por que ainda não fiz isso. Costumo só dizer que custa um dinheiro que não tenho, vou mandar esse texto a partir de agora.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Uma pessoa que abandona um animal é uma pessoa incapaz de amá-lo o suficiente para fazer o que for preciso para ficar com ele. Eu tenho verdadeiro pavor de pessoas que tem uma capacidade baixa de amar, pois sei que em uma relação com elas, eu vou sair perdendo, pois meu grau de entrega é enorme. Se você ama mesmo um animal, como eu já vi acontecer mais de uma vez, NEM COGITA abandoná-lo, move mundos e fundos, faz o caralho a quatro, mas dá um jeito de ficar com ele.

      O que você achou?

      Loading spinner

    • Simplesmente não consigo compreender o que passa pela cabeça de uma pessoa que abandona um cachorro. Esses tempos vi uma notícia relatando as consequências de uma praga muito comum na China: modismo com raças de cachorro, que leva a abandono em massa de cães na rua. Fiquei apavorado, isso acontece com grande frequência, e já ocorreu com várias raças. A última foi por volta de 2015 (ou 2016, salvo engano), e as vítimas foram da raça Mastiff Tibetano. As pessoas pagavam literalmente o valor de um carro por um filhote dessa raça (porque é moda, foda-se), e quando os animais atingiam a idade adulta, normalmente acabava o espaço, pois não é todo mundo que tem lugar pra um cão que pode atingir 80 fuckin’ quilos! Resultado: houve vários casos de propriedades mais espaçosas que viraram refúgios improvisados para tentar salvar os animais, e um desses lugares chegou a receber 1000 cães de uma tacada só. E como estamos falando da fuckin’ China, claro…muitos foram parar em açougues

      O que você achou?

      Loading spinner

    • Sally, você tem toda razão em ter medo de gente que abandona animais. Não tem nenhuma lei obrigando a comprar ou adotar, as pessoas assumem a responsabilidade sabendo o que encontrarão pela frente e depois descartam como se fosse um brinquedo quebrado. O amor dos animais é mais desinteressado do que o ser humano, é uma confiança absoluta e temos mesmo de ter medo de gente que trai isso. Convivi pouco com animais e esse pouco já foi suficiente pra presenciar a relação e o trabalho por trás.

      Adorei esse trecho do seu comentário, Paula…

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Vale ressaltar que, se por algum motivo, seu cachorro vá fazer cocô dentro de casa (apartamento ou casa sem pátio), vale a pena priorizar rações “indoor” – elas tem por objetivo fazer o cocô feder menos. E quanto à parte de se certificar do futuro tamanho do animal, dica acertadíssima. Tem uma conhecida minha que teve que meio que adotar o cachorro de uma amiga. Essa tal amiga (que mora em um apartamento) comprou o bicho em uma pet shop e nem se informou direito de que raça era, só achou “fofo” e levou. O “filhotinho” era um Golden Retriever, e quando cresceu “vestiu” o apê. Ela teve que se desfazer do cão, grande demais para o lugar…

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Uma amiga minha que tem pavor de baba de cachorro comprou um Shar-pei. Resultado: baba pra todo lado porque ela “não sabia” que Shar-pei babava. Por favor, né? Internet não existe só para postar foto do que comeu ou foto com roupa de academia de frente para o espelho, vamos pesquisar um pouquinho antes de tomar uma decisão séria como adquirir um cachorro!

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Olha, dois vira-latas em um quintal grande ou não serve pra mim essa vida de superprotetor.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Sally está arrumando sarna para se coçar.
    Tem alguns cachorros até bonitinhos, mas eu acho que nunca teria paciência com eles. Pautar a própria vida por um animal irracional não dá. Fala sério que eu ia ficar limpando cocô de cachorro, penteando ou ainda limpando o focinho porque caiu um grão de arroz na água e ele não quer beber.
    E nem me fale em latidos. Não sei porque as pessoas querem um bicho se vão ficar fora de casa e essas bostas latindo. Os de grande porte nem incomodam tanto, o problema são aqueles pequenos histéricos. Latem porque viram outro cachorro, latem porque caiu algo da janela, porque passou uma mosca, porque alguém peidou. Um saco, me dá vontade de arranjar logo um lobo para mordê-los. Isso quando não começa o coral canino. Comprem um gato, uma tartaruga, um peixe. Tem diferença entre macho e fêmea? algum deles late mais ou dá no mesmo?

    O que você achou?

    Loading spinner

    • O latido do cão é mais da criação do que do sexo. Geralmente os que latem muito são inseguros, ansiosos e neuróticos.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Sally, como vcs preferem q a gente proceda qdo quisermos divulgar seus textos? Damos créditos? Pergunto pq não sabemos com quem terceiros os compartilharão. E isso pode atrair BMs incômodos para o Desfavor.

    P.S.: Lindão o Basenji. Gosto de cachorros parecidos com vira-latas.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Eu tenho um pug. Antes de comprá-lo pesquisei na internet acerca do comportamento da raça. Dizia serem calmos e falava sobre a tendência aos problemas de pele e nos olhos.
    O filhote era o verdadeiro Taz. Por maior que fosse a vigilância, em poucos minutos sozinho destruiu um sofá. Tempo depois o outro. Caminhas foram várias.

    Acostumar a fazer xixi no lugar certo somente após a castração, momento em que a calmaria apareceu. Problemas de pele realmente são muito frequentes, e boa parte dos peludos dessa raça precisam fazer correção de entrópio – que custa caro, é dolorido e você precisa parar para cuidar ainda mais dele.

    Todo o gasto que tenho é compensado pela companhia e amor do bichinho. Tornou-se membro da família e faz a alegria da casa.

    Tem muita gente querendo um cachorro da “raça da moda” sem se preocupar com as necessidades dele. Tem maluco que sai cruzando seu cachorro com a cachorra do vizinho, e quando a cria nasce com problemas esses energúmenos ainda anunciam a venda do filhote como se ele fosse especial, o que normalmente acontece com os pugs com nanismo, que são vendidos como micro/toy/mini, padrão inexistente na raça.
    Quem não quer um cachorro que dê muitos gastos, que não lata, que não faça as necessidades fora do lugar (porque isso eventualmente ocorrerá por mais bem adestrado que seja o bichinho), que não precise dispensar tempo e atenção, precisa comprar um urso de pelúcia.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Só de ver a expressão “o lado negro” aqui já associo com as histéricas da maternidade.
    Se possível, poderia rolar um texto sobre outros animais também? Gato, papagaio… (se bem que tem um Siago Tomir bem educativo sobre papagaio).

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Sobre gato acho que nem precisa, os coitados vivem sendo difamados: gato não gosta do dono, gato volta para casa só para comer, etc

      O que você achou?

      Loading spinner

        • É que passarinho eu acho que não tem que ficar em gaiola. Não quero colaborar para que pessoas prendam pássaros.

          O que você achou?

          Loading spinner

          • To com muita vontade de ter uma calopsita, mas quero deixar solta dentro de casa e não em gaiola. Mas agora vou ter que esperar os dois gatos morrerem (o que espero que demore muito).

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Karina, Calopsitas dão um trabalho enorme: elas não tem noção do perigo, se enfiam em lugares perigosos, é preciso vigiar o tempo todo. Além disso fazem muita sujeira (cagam pela casa toda, derramam comida, etc) e gritam o dia todo. Pense com calma se realmente quer isso.

              O que você achou?

              Loading spinner

              • Sim. Por isso que é bom manter algumas penas das asas cortadas pra evitar de a calopsita levantar voo e cair em lugares perigosos. Quanto ao barulho, parece loucura, mas eu gosto dos psitacídeos exatamente por causa do barulho. Eles gritam o dia todo e acho muito relaxante. Único barulho que gosto de ficar na cabeça.

                O que você achou?

                Loading spinner

  • Sally, vou espalhar este texto pro mundo. Já vi MUITA gente que arranjou um cachorro e “teve” que desfazer pq não deu conta.

    Vira e mexe vejo casos de algum cão de apartamento que é largado na rua pra morrer, pq é isso q acontece com esses cães quando não têm a sorte de serem resgatados.

    Vc citou uma marca de ração que minha mãe fazia questão de dar para todos os cachorros dela (Eukanuba). E eu posdo afirmar que vale a pena o investimento em boa ração.

    Amo esses lindos! Para mim é meu ideal de filho, já que provavelmente não terei um filho humano.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Não dar conta = não priorizar, não assumir o compromisso, não fazer os sacrifícos necessários. Juro, eu tenho MEDO de gente que abandona seu pet, imagina o que uma pessoa dessas não vai fazer comigo!

      O que você achou?

      Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: