Cepa América

Horas depois de anunciar que a Copa América deste ano, com início previsto para 13 de junho, não ocorreria mais na Argentina, por conta da situação da pandemia de Covid-19 no país, a Conmebol informou na manhã desta segunda-feira que a competição será realizada no Brasil. Em maio, a Colômbia havia deixado de ser a sede do evento. LINK


A Cova do mundo é nossa, com o brasileiro, não há quem possa… Desfavor da Semana.

SALLY

A Copa América deste ano, competição de futebol disputada pelos países do continente americano, seria disputada originalmente na Colômbia e na Argentina. Porém, com a quantidade de protestos e instabilidade política que ocorre na Colômbia a Conmebol, organizadora do evento, decidiu realizá-la apenas na Argentina.

Mas, graças à variante de Manaus, tão gentilmente enviada pelos brasileiros aos argentinos, o país vive seu pior momento em toda a pandemia, com contágios fora do controle e hospitais colapsados. Diante dessa realidade, o país entrou em lockdown para tentar conter o vírus. Lockdown de verdade, não o que chamam de lockdown no Brasil: entre outras restrições, só pode sair uma pessoa da casa e no raio de quatro quarteirões e só para ir à farmácia e supermercado. A partir das 18h tem toque de recolher e todos devem estar dentro de suas casas.

Estas restrições, principalmente o toque de recolher às 18h, complicariam a realização da Copa América na Argentina. A Conmebol pediu que, por gentileza, retirem o toque de recolher. O governo disse que não. A Conmebol pediu então que, por gentileza, que todo o staff envolvido na organização dos jogos receba uma autorização especial para transitar depois desse horário. O governo disse que não.

O Presidente argentino foi a público dizer que entre vidas e futebol, prefere preservar vidas, dando a indireta final. A Conmebol pressionou por mais flexibilizações e o governo argentino disse que preferia não sediar o evento a colocar em risco a vida da população.

Então, a Conmebol teve que procurar um país onde o governo tope sediar um evento colocando em risco a vida da população. Adivinha? BRASIL-IL-IL! O problema era protestos/instabilidade política e muitos casos de covid? Parabéns para a Conmebol, que escolheu um país com ambos!

Parece que o Brasil viu que o Japão ia passar uma puta vergonha organizando evento em pandemia e se arriscando a criar uma variante tenebrosa e ficou com inveja. O Brasil quer um vexame para chamar de seu! Se por um lado o governo demora meses para responder um e-mail oferecendo vacinas, demorou minutos para responder um e-mail aceitando sediar a Copa América, e com aval do Ministério da Justiça. Olha, ambos estão de parabéns, tanto a Conmebol quanto o Brasil farão o filho mais feio da história.

Atualmente, o Brasil é o segundo pior país do mundo no contexto geral de coronavírus, e, apesar da mentirinha presidencial (falando em casos absolutos, o que não mede nada) está na humilhante posição de septuagésimo nono (79) em vacinas por milhão de habitante (forma que dá a dimensão real de vacinados). Também é um país com instabilidade política com protestos (de ambos os lados), CPI e mais de cem pedidos de impeachment. Mas, por algum motivo ($) os que organizam ($$) e os que pretendem sediar ($$$) acharam que seria uma boa ideia manter a competição.

Óbvio que vieram com aquele papinho de “com todos os protocolos de segurança”. Não sei se vocês já perceberam, mas NÃO EXISTE protocolo de segurança possível em um esporte de contato. Todos os dias lemos casos sobre jogadores infectados. Teve time jogando sem goleiro tamanha a quantidade de infectados! O único protocolo de segurança possível quando falamos de esportes de contato é não praticá-los.

A sinopse do evento é a seguinte: virão jogadores de toda parte do mundo (pois muitos dos convocados por suas seleções jogam em outros continentes que não o americano) e se juntarão em campo, sem máscara, em um esporte de contato onde se grita, se empurra, se está em constante proximidade. Vem cepa do mundo todo para o evento, que foi carinhosamente apelidado de Cepa América.

Um dado curioso: a competição começa em menos de dez dias, ou seja, não dá tempo de vacinar quem não estava vacinado. Então, pode entrar jogador e staff não vacinado no país. Além de uma competição esportiva, termos também o bônus de uma rinha de variantes!

Não é só o jogo em si, no gramado. Não são apenas os jogadores. É uma equipe de, pelo menos, 60 pessoas por seleção. Devem ser, no barato, dez países. Some a isso árbitros e outras pessoas que fazem a coisa acontecer e, segundo estimativa da própria Conmebol, serão em torno de duas mil pessoas. Tem também os jornalistas que irão cobrir o evento e, é claro, os torcedores lunáticos que, mesmo com a entrada proibida em estádio, viajam para se aglomerar na porta do estádio.

Estas pessoas, com variantes do mundo todo, vão se encontrar em fazer um belíssimo intercâmbio de cepas. Vai chegar cepa indiana, cepa ragatanga e cepa da puta que pariu. E o que vai sair dessa mistura, eu não quero nem ver. Tirando o fato de que todos os profissionais envolvidos no evento voltarão para seus países e levarão cepas de A a Z, também existe a possibilidade deles deixarem essas cepas de brinde para vocês, brasileiros.

Todas essas pessoas vão conviver não apenas entre elas, mas também com funcionários de hotel no qual vão se hospedar, com funcionário de restaurante no qual vão comer, com motorista dos veículos que o vão transportar e com mais uma penca de prestadores de serviços. Todos esses prestadores de serviços, por sua vez, voltarão para suas casas e conviverão com seus familiares.

“Ah, mas minha cidade não vai sediar os jogos, eu estou seguro”. Meu anjo, bastou UM chinês do outro lado do mundo para a coisa chegar aonde chegou. Se espalha. É fato indiscutível, se espalha como se espalhou a cepa de Manaus. Vai chegar em você sim, mesmo que você esteja muitos quilômetros distante. Médicos, infectologistas, epidemiologistas e cientistas no geral estão berrando em pânico, implorando para cancelar o evento.

Mas, ao que tudo indica, o brasileiro HUE não só está tirando onda com o fato de sediar a competição, como muitos ainda estão usando isso como argumento para comprovar que covid não existe ou é um exagero, afinal, “se fosse mesmo perigoso a Conmebol não permitiria que o campeonato fosse realizado no Brasil” (em breve Ei, Você, aguardem). Então, o dano é duplo: pode trazer/criar variantes problemáticas e leva o povo a pensar que a situação não é tão grave.

Me apontem um único país com mais de dois mil mortos por dia (ou na mesma proporção por milhão de habitante), com hospital colapsado, com meio milhão de mortos (ou na mesma proporção por milhão de habitante), onde faltam insumos, médicos e respiradores, que esteja sediando um evento como esse. Não tem né? Então parem de falar que as críticas ao Brasil são desmedidas e que “acontece em todo lugar do mundo”.

Não, não acontece em todo lugar do mundo. Não tem país pandemicamente fodido como o Brasil pretendendo evento, nem mesmo a Argentina, que precisa muito desse dinheiro, topou. Não tem país onde pessoa com diploma acredita no hoax do Tedros de shortinho tomando Itaipava no bar. As coisas que acontecem no Brasil estão em outro patamar. Merda acontece no mundo todo, mas o brasileiro pega a merda, esfrega no corpo, esfrega na cara e depois come.

A cereja no sundae: adivinha que grupo esboçou a maior resistência até agora? Jogadores de futebol. Eles não querem que a competição aconteça. Senhoras e Senhores, chegamos a uma realidade distópica onde jogador de futebol tem mais discernimento do que o Presidente da República e boa parte do povo. Esse é o grau de insanidade do Brasil.

Nunca achei que escreveria isso, mas nós estamos totalmente de acordo com os jogadores, o que eles pleiteiam é o mais sensato a se fazer. É hipócrita? É, pois estão jogando eliminatórias da Copa do Mundo e Libertadores, que geram o mesmo risco. Só estão saindo fora da Copa América por ser um campeonato menos relevante. Mas, ainda assim, apoio 100% a iniciativa.

Não sabemos o que vai acontecer. A Copa América pode ser suspensa por pressão dos jogadores e equipe técnica, pode ser adiada ou pode ser realizada na marra. O que sabemos é: se os próprios jogadores, que ganhariam dinheiro com isso, estão fazendo força para cancelar o evento, o que vocês estão esperando para se juntarem a eles?

Está nas mãos de vocês se esse evento vai ou não acontecer, e vocês precisam agir rápido. A Conmebol é cagona (visto que correu rapidamente da Colômbia quando viu protestos). Tornem, de alguma forma, um risco sediar essa competição no Brasil e eles vão recuar e cancelar ou levar esse ninho de variantes para outro lugar. E, por favor, parem de tirar onda por sediar uma coisa que o resto do mundo rejeitou, é feio demais.

Eu sempre percebi que a Conmebol tentava, de um jeito ou de outro, prejudicar o Brasil, mas olha, dessa vez ela acertou em cheio!

Para dizer que sábado deveria ter Siago Tomir em vez dessa coluna depressiva, para dizer que está torcendo para que o nome da nova variante seja Cepa América ou ainda para dizer “chupa Japão quem vai criar a variante que escapa das vacinas somos nós!”: sally@desfavor.com

SOMIR

Já está furioso(a) com a realização do evento no Brasil? Espera que piora: como sempre, muito brasileiro aproveitou para politizar a situação. Já começaram a pipocar nas redes sociais a revolta de bolsonaristas contra a seleção, e especialmente seu técnico. Afinal, o único motivo para ser contra a realização de um evento desse porte num país assolado por uma pandemia só pode ser interesse de instaurar o comunismo!

Não existe meio termo, não existe contexto: ou você é favorável a trazer a Copa América ao Brasil, ou você é inimigo dos bolsonaristas. Sim, eu entendo que no país do gado existem radicais dos dois lados, mas nesse exato momento, quem está mugindo de forma mais irritante são os ditos de direita. A sina de quem tenta se manter mais ao centro é nunca ter paz: o governo de “direita” quer fazer um campeonato na pior hora possível usando os estádios superfaturados construídos pelo governo de “esquerda” para fazer outro evento que não podíamos pagar.

Impressionante como um mínimo de bom senso revelado pela seleção e seu treinador viraram lacração. Mínimo mesmo: porque estão jogando as eliminatórias e todos os outros campeonatos. Eu não apostaria num boicote verdadeiro à Copa América, afinal, em última instância jogadores e comissão técnica sempre cedem no final (dinheiro conta), mas achar que fazer esse evento é um absurdo é apenas o básico de compreensão da realidade.

Mas pelo menos o evento vai ser realizado com todo mundo vacinado, né? Primeiro que como a Sally bem disse, não dá tempo das vacinas agirem mesmo que vacinem todo mundo agora, e depois porque já tem declaração do ministro da Saúde que não vai exigir vacina para ninguém ao entrar no Brasil. Ou seja: país de pernas abertas, aceitando o que nem a Argentina ou Colômbia tiveram coragem de fazer.

Foi-se o tempo que o Brasil era a potência do continente. Rapidamente foi se transformando num pária, não só para nações desenvolvidas, mas para os nossos vizinhos mesmo. Agora, estamos aceitando as sobras dos outros países sul-americanos. A Conmebol precisava de um país otário para colocar o seu campeonato, o Brasil aceitou sorrindo. Que pena que a confederação futebolística não produz vacinas, porque ter uma resposta imediata do governo brasileiro é privilégio para poucos mesmo.

E para completar, o governo brasileiro está usando uma lógica cíclica bizarra para justificar tudo: se o Brasil tem condições de realizar um evento que Argentina e Colômbia não puderam, é porque estamos lidando bem com a pandemia. Quase meio milhão de mortos, vacinação pífia e hospitais lotados, mas de alguma forma, lidando bem! E no universo paralelo do bolsonarismo (porque é culto à personalidade, não é mais direita) isso cola tão bem que o povo começa a repetir esse discurso de maluco.

“Se o Brasil estivesse mal mesmo, não teríamos a Copa América! Se você é contra a realização, é porque quer o Lula no poder.”

Vivemos na era da pós-verdade mesmo. Informações que não tem conexão misturadas com mentiras óbvias replicadas à exaustão até uma parcela da população começar a repetir como se fosse um mantra. Realizar um evento esportivo com gente do mundo todo num país prestes a encarar a terceira onda do coronavírus é, de alguma forma, uma celebração da sua resistência contra a esquerda.

E quanto mais coisa vai ficando borrada nessa politização burra, mais difícil é lidar com a realidade. Tudo parece uma versão, não existem mais dados concretos. Pode negar a ciência, pode rejeitar o bom senso, desde que você coloque um verniz de posicionamento político. A pessoa começa a viver numa realidade paralela, mas só dentro da própria cabeça. Porque no mundo lá fora, as leis naturais continuam valendo. O vírus continua fazendo o que foi geneticamente programado para fazer, completamente indiferente ao imbecil usando a faixa presidencial no momento.

Isso tem consequências, estamos há mais de ano falando delas. A realidade não liga para sua ideologia. Batemos há muitos anos em quem vive numa bolha progressista cagando regra para uma população que simplesmente não se importa com seus pronomes, e temos que bater agora em quem está preso numa bolha conservadora achando que vale tudo (até se matar) para lutar contra os malucos do outro lado.

De nada adianta enfrentar malucos com mais maluquice. Tudo o que você consegue é mais divisão e uma série de problemas derivados de ignorar a realidade. Fingir que a pandemia não era um problema sério só para “beber as lágrimas dos lacradores” não gerou nenhuma vantagem! Só matou um monte de gente à toa e arrasou com a economia do país. Parabéns por nada.

E agora, temos mais uma capítulo dessa insanidade politizada na Copa América. Se você parar para pensar, um minuto que seja, é um torneio do qual podemos prescindir facilmente, que só está sendo forçado porque a Conmebol quer mais dinheiro. Não tem nada a ver com o cenário político brasileiro, mas foi forçado dentro dele porque o governo quer dizer que foi tão bem na pandemia que até podemos dar conta desse evento.

E tem gente caindo nesse papo furado! Acreditando que está tomando uma posição política enquanto a Conmebol tenta salvar suas propinas e Bolsonaro tenta inventar uma narrativa de sucesso em algo que fracassou. Coitada da verdade… acabou de escanteio.

Para dizer que somos comunistas, para dizer que só xingam o Tite porque era do Corinthians, ou mesmo para dizer que prefere a morte do que ser esquerdista (seu desejo será realizado): somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comments (12)

  • Não vai ter torcida nos estádios e estrangeiros aqui nunca pararam de chegar. E a Argentina tá nessa de lockdown há quase 2 anos e não resolve a pandemia lá?

    • A Argentina fez um grande lockdown em 2020 e começou a abrir lentamente no final do ano. Tudo estava indo muito bem, até que o país resolveu, neste ano, permitir o turismo para brasileiros, desde que eles apresentassem PCR com resultado negativo de covid na entrada, no aeroporto.

      Obviamente, um bando de brasileiro viajou contaminado, apresentando PCR falso, e espalhou a porra da cepa de Manaus pela Argentina, que estava aberta e desprevenida. Em pouquíssimo tempo, tudo colapsou.

      Então, querido leitor, a Argentina só vai “resolver o problema” quando fizer um grande mudo separando o país do Brasil e colocar atiradores de elite para dar teco na cabeça do filho da puta que tentar pular esse muro em direção ao país.

  • “O vírus continua fazendo o que foi geneticamente programado para fazer”: essa frase comporta interpretação conspiracionista de que a Covid é arma biológica…

    • As pessoas acham que existe muita diferença entre artificial e natural… como se todas as formas de vida não fossem máquinas biológicas rodando com o código-fonte do DNA. A separação é meramente abstrata.

      Mas, voltando ao foco: a parte de achar que o vírus foi criado em laboratório é a que menos me incomoda, desde que a pessoa se mantenha preocupada em evitar sua transmissão.

    • Sério que foi isso o que você entendeu dessa frase?
      Isso fala mais sobre o que tem na sua cabeça do que sobre o que foi escrito.

  • “todos os protocolos de segurança” = um potinho de álcool em gel na entrada

    Aliás, será que essa Olimpíada vai rolar mesmo? Já adiaram a data pela milionésima vez e a maioria da população japonesa está se opondo ao evento. Daqui a pouco até a Copa de Qatar vai pro development hell também.

    • O Comitê Olímpico falou esta semana e garantiu que não há qualquer possibilidade de adiamento.
      Mas disseram o mesmo no ano passado, então…

      • Tomara que cancelem de vez. É loucura querer fazer esse tipo de evento no contexto atual, com o Coronavírus ainda matando gente à beça e países como o Brasil praticamente sem controle algum da pandemia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


República Impopular do Desfavor - Nenhum direito reservado, nem os seus.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: