Manifestaralho.

Como todo mundo sabia que ia acontecer, o corajoso escrete canarinho enfiou o galho dentro e disse que vai participar da Copa América. Com o suporte de uma assessoria de imprensa, porque nenhum dos jogadores sabe escrever mais do que “saudades do que nunca vivemos” ou sequências de emojis, prepararam um manifesto de desistência.

Deve ter sido difícil traduzir do babuinês, então, parabéns para quem escreveu em nome dos jogadores. Passou mesmo todo aquele clima “crente que chifra a mulher” que tanto define a seleção brasileira. Em tese, cheios de preocupações sociais, na prática…

Vamos passar a tecla SAP nesse manifesto?


Quando nasce um brasileiro nasce um torcedor.

Quando nasce um brasileiro nasce um otário.

E para os mais de 200 milhões de torcedores escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto à realização da Copa América.

Queridos otários, prevendo que a gente ia enfiar os pés pelas mãos e revelar os reais motivos desse chiliquinho em entrevistas com a imprensa, resolvemos pagar alguém para escrever uma desculpa esfarrapada.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas.

Somos todos muito ricos, mas a fonte da nossas rendas varia bastante, precisamos agradar muita gente.

Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil.

A gente ficou putinho porque não perguntaram pra gente se podia fazer a Copa América no Brasil. Não que fizesse diferença, a gente ia dizer sim para qualquer coisa que desse dinheiro, mas a gente vive numa bolha de aceitação de puxa-sacos e acredita de coração que nossas opiniões são importantes. O Neymar perdeu o boquete, mas achou que dava pra ganhar uma lacrada. Fomos no vácuo.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

Estamos cagando pra pandemia, indo pra festas clandestinas e alimentando o importante mercado da prostituição de alto nível. Nós financiamos a faculdade de muitas mulheres por aí. Mas o Caboclo quis comer de graça e ficou fraco… aproveitamos.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política.

O mais esperto aqui não sabe a diferença entre senador e deputado, evidente que não é sobre política. A gente é bolsonarista ou lacrador, dependendo do que der mais likes na postagem. Hoje em dia, nossa carreira é o perfil do Instagram, futebol é só para pagar o aluguel mesmo.

Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela mídia e estamos presentes nas redes sociais.

E mesmo assim nos achamos extremamente importantes. Como a gente sustenta um monte de desocupado que fica dizendo amém pra qualquer merda que dizemos, realmente acreditamos que temos o que dizer.

Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Achamos que poderíamos lucrar fazendo esse draminha, mas vimos que o dinheiro de verdade está em manter os jogos, senão a taxa de engajamento da rede social cai e os ex-BBB passam de vez na nossa frente.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol.

A gente só estava querendo dar um aperto no Caboclo para pingar mais dinheiro pra gente, mas o filho da puta resolveu perguntar pra funcionária se ela se masturbava… nem a gente é tão burro. Quer comer mulher que não quer dar pra você? Paga! Burro pra caralho! Ele foi afastado e não podemos mais pressionar, ele já se fodeu.

Temos uma missão a cumprir com a história camisa verde amarela pentacampeã do mundo.

Então, de volta ao trabalho! A Fifa ameaçou a gente onde mais dói: no bolso. Todo mundo aqui tem rabo preso. Vamos jogar com todas as medidas de segurança, e depois comemorar na boate com todas as medidas de segurança também. Não, não importa o resultado do jogo, a gente comemora do mesmo jeito.

Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à seleção brasileira.

A gente fez uma graça, os bolsonaristas começaram a nos xingar, não temos estrutura emocional para lidar com isso. A gente lacra outra hora, quando for mais fácil. Agora, dá licença que temos dinheiro pra fazer e cassinos clandestinos para visitar. Fui!


Para dizer que o manifesto verdadeiro seria uma sequência de emojis e uma foto do pinto, para dizer que o mais inocente deles deve milhões em imposto, ou mesmo para dizer pelo menos o Tite poderia ter saído: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas: ,

Comments (4)

  • Nada de espantoso. Afinal, o BM (independente da classe social) não tem comprometimento com nada que não seja com o seu próprio umbigo e com a satisfação de suas necessidades mais imediatas. É por isso que Brasil não deu certo como nação e mesmo que essa corja de vagabundos (“somos trabalhadores” é pra fazer rir muito!) não viva na terra, suas ações refletem lá fora o que o BM é aqui, na prainha ordinária cheia de favelado do RJ, no pampa do RS, na vastidão dos latifúndios de MT/MS, nos prédios comerciais e instalações industriais de SP, no nada do ES, no meio do mato intonso de MG, SC e PR (estes dois últimos povoados por polacos e alemães já contaminados pelo “jeitinho” brazuca), na miséria de todo o Nordeste e nas selvas úmidas e paleolíticas de todo o Norte.

    Era melhor terem ficado quietos.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • O Brasil ultimamente parece uma materialização daquele meme “return to monke”.
    Não sei como ainda não estamos queimando albinos em rituais ou algo assim.

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: