FAQ: Coronavírus – 30

Como está a Copa América “com todos os protocolos de segurança”?

Muito mal, obrigada. Em 72h de evento o número (oficial) de infectados já passa de 50 (33 jogadores, 19 ligados à organização do torneio, hoje provavelmente serão ainda mais) e nenhum protocolo de segurança decente está sendo adotado.

Por hora, os infectados oficiais são: Venezuela, Peru, Colômbia e Bolívia. O caso mais grave, ao que tudo indica, foi na seleção da Venezuela, com mais de dez jogadores contaminados, e crescendo.

O estrago foi tão grande que os organizadores mudaram as regras e aumentaram o número de substituições possíveis em suas delegações: eram cinco, agora podem ser 15, pois a seleção da Venezuela precisou convocar mais 15 jogadores novos, caso contrário não teriam gente suficiente para entrar em campo. Isso mesmo, voa mais e mais gente para o Brasil.

Estudos mostraram que eles foram infectados por uma cepa brasileira, mais precisamente a variante Gama (conhecida como P1 ou Variante de Manaus). Vale lembrar que a Venezuela jogou contra a seleção brasileira no último domingo, portanto, não seria nada estranho que comecem a surgir casos de covid na seleção brasileira também. Mas, a pior parte dessa história foi a forma como o Brasil lidou com essas pessoas infectadas.

Um país sério isolaria os doentes em quarentena absoluta por, pelo menos 14 dias e rastrearia todos os contatos, todas as pessoas que tiveram qualquer contato com cada um dos infectados, testando-os e deixando-os em quarentena também. Isso incluí fechar todos os estabelecimentos comerciais frequentados pelos infectados, até que se averigue se ninguém ali está com covid.

O Brasil, o país de “com todos os protocolos de segurança”, tomou alguma dessas providências? Claro que não, muito pelo contrário. Os jogadores não foram só foram colocados em quarentena “oficialmente”, mas na verdade saíram para bundear na rua e, salvo engano, alguns estavam inclusive em local incerto, não foram encontrados.

Não houve rastreio de contatos, nem ao menos os contatos mais óbvios, como os funcionários do hotel onde eles estão hospedados (Brasília Palace Hotel), foram testados. Os funcionários pediram para ser testados, mas nada aconteceu. Considerando que os jogadores foram bundear por aí, devem ter ocorrido uma infinidade de contatos e contágios.

Além disso, jogadores estão circulando sem máscara (ou tirando a máscara na hora de fotografar com fãs), convidados estão entrando nos estádios, há aglomeração de pessoas na porta dos hotéis. Nada disso é fofoca, estas imagens podem ser vistas nas redes sociais dos envolvidos, pois, além de não obedecerem aos protocolos de segurança, ainda fazem questão de postar e dar publicidade a isso.

Já se está tratando esse número de infectados em tão pouco tempo como um “surto de covid na Copa América”. Obviamente esses números tendem a aumentar e, com eles, o contágio no entorno também. Não custa lembrar do que falamos no último FAQ: se tiver alguém com a variante Delta (Variante Indiana) essa pessoa pode transmitir covid para outras seis pessoas (considerando que estão sem máscara e sem isolamento mesmo quando saem na rua), e, cada um desses seis contaminados transmitirá covid para outros seis. Façam as contas e vejam onde isso pode parar.

Eu sei que toda vacina é boa e a que quiserem me dar eu vou tomar, mas você poderia fazer um apanhado da eficácia geral de cada vacina?

Eu posso fazer, mas não posso garantir que esses números estejam 100% corretos. Dependendo do local, do público-alvo e do número de pessoas que participaram do estudo, os resultados podem variar. Também vale lembrar que a eficácia de todas elas pode cair entre 30 e 60% em casos de contágio pela variante Delta (Variante Indiana).

Se você tiver dúvidas sobre qual vacina estamos falando, tem um guia em outro FAQ com cada nome de vacina e seu laboratório correspondente, hoje vamos usar a designação mais comum para cada vacina, mesmo que não seja a mais correta.

Segue a lista, tirada de um artigo publicado pelo jornal científico “The Lancet”, sobre a eficácia absoluta de cada vacina:

  • Pfizer/BioNtech: 95%
  • Moderna: 94%
  • Sputnik V: 91%
  • Novavax: 89%
  • Sinopharm: 86%
  • Janssen: 85%
  • AstraZeneca: 82%
  • Coronavac: 50%

Você vai encontrar variações destes números, aos montes. Como eu disse, dependendo do lugar, da quantidade de pessoas e de suas idades, estes números podem variar bastante.

Porém, se o que você queria saber é qual é vacina, em números absolutos, mais eficaz, está aí sua resposta: pelo que se sabe até agora, é a da Pfizer. Para quem tiver curiosidade de ler o estudo, aqui está o link.


Qual é a dificuldade em criar um remédio contra covid?

Como já explicamos outras vezes, o grande problema dos casos graves de covid ocorre não pelo ataque do vírus em si, e sim por uma reação que ele gera, que faz o corpo atacar o próprio corpo.

E o ser humano não é muito bom em encontrar remédios para quando o corpo ataca o próprio corpo. Se tivéssemos essa resposta, teríamos a cura para o câncer e para todas as doenças autoimunes, doenças que existem já faz tempo e ainda não conseguimos controlar de forma eficiente.

Quando quem te ataca é seu próprio corpo, você não pode atacar de volta, se não mata seu próprio corpo. É preciso encontrar uma forma de neutralizar o ataque sem atacar de volta, e sabemos que isso não é fácil. A AstraZenca, que foi capaz de produzir uma vacina eficiente em pouquíssimo tempo, acaba de jogar a toalha e dizer que sua tentativa de remédio para covid falhou.

Por isso, não contem com um remédio que vai desobrigar as medidas de precaução, é provável que ele não venha tão cedo. Se vier, que sorte, estamos no lucro, mas não podemos contar com isso. É muito mais fácil conter o vírus com distanciamento, testes, rastreio de contatos e vacina. Vai demorar um pouco, mas, provavelmente menos do que o surgimento de um remédio de fato eficaz para conter o coronavírus.


Eu sei que tem que fazer lockdown, mas eu também sei que não vai acontecer no Brasil. O que mais pode ser feito sem lockdown para tentar reduzir os contágios?

De forma eficiente? Nada além do eu já é feito: uso de máscara, distanciamento na medida do possível, ventilar ambientes, higienizar bem as mãos. Mas, parece que nem isso estão fazendo direito.

Dentro dessa realidade, algumas medidas podem tornar a situação “menos pior”, mas também seriam bem difíceis de implementar. Quando não há disciplina, senso de sacrifício e fiscalização, nada dá certo. Mas, a título de curiosidade, lá vai.

Se vão aglomerar (no ônibus, no trem, na puta que pariu), que ao menos calem a boca e ninguém fale nada. Isso reduz a emissão de gotículas de saliva que podem gerar contágio. Sabemos que nem todos usam máscara, ou a usam de forma correta, ou usam uma máscara efetiva (tem um FAQ explicando em detalhes a PFF2), então, uma boa regra seria impor silêncio em locais públicos com muitas pessoas. Salvo engano o Japão fez isso com bons resultados.

Circulação de ar: é importante, é fundamental, mas nem sempre as pessoas cumprem, principalmente em lugares frios. Não quer deixar tudo aberto o tempo todo? Pode instalar um medidor de carbono no ambiente (que é muito barato) e quando o ar ficar muito tempo sem circular, abrir um pouco as janelas, controlando o processo durante o dia. Na Argentina fizeram isso em algumas escolas, com bons resultados.

O país não faz rastreio de contatos? Faça você a sua parte. Faça um diário de onde vai todos os dias. Se você ou alguém da sua família se infectar, façam uma lista de todos os lugares frequentados nos últimos 14 dias e liguem, para um por um, dizendo que uma pessoa com covid esteve lá, sugerindo que todos sejam testados e colocados em quarentena.

A grande verdade é que se a pessoa tem a disciplina e responsabilidade de adotar medidas alternativas, ela também terá a disciplina e responsabilidade de adotar as medidas tradicionais. Infelizmente, não tem jeito: a única forma segura no Brasil é cuidar individualmente, ficando trancado, para que o resto possa bundear na rua e espalhar o vírus à vontade.


O que você acha dos EUA começarem a dispensar uso de máscaras e reabrir vários lugares e eventos que geram aglomeração? Quando o Brasil vai poder tirar a máscara?

O que eu acho dessa decisão de abolir máscaras: arrogância, excesso de confiança e uma necessidade doentia que não é de hoje de mostrar sua superioridade ao mundo. Grandes chances de dar merda.

Primeiro que a pandemia lá não está tão controlada a ponto de se darem ao luxo de fazer uma ousadia dessas. Melhorou, mas não chegou a um ponto de estar sem riscos, principalmente se lembrarmos que circulam diversas variantes por lá e não surpreenderia se já tivessem a variante Delta (indiana), capaz de causar um estrago muito maior.

Além disso, por mais que os EUA estejam vacinando muito bem, se estima que um terço da população americana não vai tomar vacina por escolha. Ou vocês acham que os EUA mandaram Janssen para o Brasil com prazo de validade expirando por vontade? Não, é hesitância vacinal. Compraram vacina para todo mundo, mas nem todo mundo quer se vacinar.

Já vimos países em situações mais seguras terem um rebote e se ferrarem bastante. Mas, os EUA têm uma característica peculiar: se der merda, o povo faz o que for preciso para reverter a situação. Talvez pela tradição em guerra e hostilidades, o povo sabe fazer o esforço que for necessário e se unir em torno de uma “guerra”, qualquer que seja. Então, o risco que eles correm é calculado, se der problema, vão resolver, é só uma questão de tempo.

Já o Brasil… Não vejo a menos possibilidade de abrir mão de máscara tão cedo. O país está com mais de duas mil mortes por dia, pouco mais de 10% da população vacinada, entrando na terceira onda e com nova variante começando a se instalar. Faça as pazes com as máscaras, vai demorar muito para poder sair sem elas e sem correr riscos.


A Variante Indiana tem sintomas diferentes das outras?

Está muito cedo para falar nisso, mas, como alguns estudos já foram divulgados, vamos passar adiante o que estão dizendo, com a ressalva de que não dá para ter certeza de que veremos esses sintomas em todos os infectados com a variante Delta (indiana).

Em vez dos sintomas clássicos (febre, tosse, perda de paladar e olfato) estão observando que essa nova variante tende a causar outros sintomas como dor de cabeça, dor de garganta e coriza, ou seja, sintomas muito similares aos de um resfriado, eventualmente com febre. Isso pode ser um problema, pois, ao sentir dor de garganta, a pessoa acaba presumindo que é um simples resfriado e continua saindo. Então, é importante divulgar que o vírus pode se apresentar desta outra forma também.

Importante lembrar que não são os sintomas que irão identificar a variante que a pessoa pegou, é preciso um teste específico para descobrir. Então, nada de presumir que por um ou outro sintoma você tem uma ou outra variante. Apenas tenham em mente que os sintomas clássicos de um resfriado agora também podem indicar covid.

Para dizer que dois FAQ por semana é cruel, para dizer que se cada pessoa com coriza no inverno fizer PCR não existirão testes suficientes no mundo ou ainda para sugerir que os venezuelanos infectados façam um tour pelo Congresso: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comments (24)

    • Depende de que proteção você está falando. Tem um FAQ sobre isso. Existe a proteção em pegar a doença e existe a proteção de, se pegar, não ter um caso grave, com internação, intubação, CTI e morte.

      A proteção contra casos graves da doença é muito boa em todas as vacinas, e, em última instância, ela é a mais importante. Na proteção geral, de não pegar a doença (ainda que em uma modalidade muito leve), a Astrazeneca é um pouco maior do que a Coronavac (porém varia muito dependendo de faixa etária e outros fatores), mas, isso não é relevante. O relevante é: reduzir as chances de morte e internação, que ambas fazem muito bem.

  • Agora vamos terminar a letra daquela musiquinha “A cova do mundo é nossa”.

    A Cova do mundo é nossa
    Com o Brasileiro não há quem possa.
    Eta, com o mundão no choro
    Corona samba, povão toma couro.

    O brasileiro mostrou pro estrangeiro
    A praga que ele de verdade é
    Goleou as defesas do mundo
    Tirando onda de malandro que é…

    Gozou?

  • Não sei se vc já falou em outros faq mas um colega meu me disse que não usa máscara porque o vírus se tiver vai entrar pelos olhos. Procede?

    • Pode entrar por qualquer parte do corpo que tenha mucosa, inclusive pelos olhos. Mas não entendi a relação disso com deixar de usar máscara. O normal seria querer proteger os olhos, não?
      Além disso a máscara a gente usa também pelos outros: se estivermos contaminados, não soltamos perdigotos que podem infectar as pessoas próximas.

  • Fica difícil de explicar por que copa américa é um problema se sul americana e libertadores tá de boa, ninguém fala nada.

    • Não tá de boa não e a gente sempre falou que é um absurdo.

      Porém, a Copa América é mais grave para o Brasil, pois é sediada no país, o que impacta mais quando falamos de pandemia.

  • ”…uma boa regra seria impor silêncio em locais públicos com muitas pessoas. Salvo engano o Japão fez isso com bons resultados.”

    Que coisa maravilhosa! Já pensou isso no Brasil, onde o povo compete pra ver quem fala mais e mais alto? Por isso eu admiro tanto os japoneses (salvo suas taras. Obrigada Somir, por me apresentar à elas…NOT). Até nossa falta de educação está nos matando. Não tem pra onde correr.

  • País de bundamolengas, puta que pariu! Se tem 15 contaminados confirmados, bota num avião de volta pra seu país de origem e não volta mais. Mas não… deixa no hotel fazendo o que quer.

  • Como pode haver tanta falta de bom senso em tanta gente? Todos nós estamos cansados de saber que o Brasil e a América Latina em geral sempre foram pródigos em produzir situações nas quais é bem difícil de acreditar, de tão disparatadas. Essa pandemia de Coronavírus, no entanto, fez a freqüência e o tamanho desses absurdos aumentarem exponencialmente. Uma das seleções participantes da Copa América teve que ser quase que toda reconvocada às pressas por causa do alto contingente de contaminados pelo covid-19 entre seus integrantes ou nem sequer teria jogadores suficientes para entrar em campo. Mas mesmo assim a competição – que em nome da razão deveria ter sido cancelada – continua! E “com todos os protocolos de segurança”…

    • Mostra para ela quais são os efeitos colaterais do covid e explica que a chance dela ter covid é muito maior do que a de ter um efeito colateral de vacina.

  • Só quem curte essa Corona50%Vac é o calcinha encravada no rabo do Doria. Perda de tempo investur nessa meia cura chinesa! Meu médico disse que se eu chegar no posto e for a lixovac pra eu ir pra outro lugar!

    • Já falamos disso em outro FAQ: pode reduzir em 50% as suas chances de pegar covid, mas também pode reduzir em 100% as suas chances de morrer ou ser internado. Eu acho muito válido não morrer e não ser internado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


República Impopular do Desfavor - Nenhum direito reservado, nem os seus.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: