Realidade Básica: Background – Ciência.

Para quem esqueceu, eu tenho essa série de textos nem um pouco arrogantes explicando como tudo funciona e qual deve ser a base de conhecimento de um ser humano. Seguindo uma sugestão do W.O.J., resolvi falar sobre alguns campos de estudo que considero básicos para entender como… as coisas em geral funcionam.

Evidente que isso não cobre todas as necessidades que uma pessoa vai ter de conhecimento durante a vida, mas geram a base necessária para você entender a diferença entre informações realistas e informações absurdas. Esse tipo de conhecimento é essencial nos dias atuais: com a quantidade enorme de informações disponíveis na internet, é complicado saber se você está aprendendo algo decente ou se está sendo empurrado num caminho bizarro de desinformação.

Porque tem isso: se você quiser se aprofundar sobre astronomia ou astrologia, tem conteúdo suficiente para você nunca mais fazer outra coisa da vida. Você pode saturar seus neurônios da memória com informações de todos os níveis de qualidade, por isso é muito importante saber fazer um filtro inicial, e esse filtro depende muito da informação que você já acumulou na vida, ou seja: seu background.

É daquelas coisas que parecem óbvias, mas podem nos enganar facilmente: voltando ao exemplo da astronomia e astrologia, se você conhece um pouco sobre astronomia, astrologia começa a ficar realmente difícil de defender. Mas se for na ordem contrária, você não tem muitas defesas. E eu digo isso dentro da própria mente. O cérebro gosta de informações que confirmem crenças prévias e fica estressado quando elas confrontam o que já está lá.

Vamos começar com o conhecimento que eu considero mais valioso para te proteger da maioria das asneiras que vai ouvir por aí: ciência básica. Ciência básica é química, física e biologia de escola. A gente aprende uma versão chata das coisas enquanto estamos crescendo e depois do vestibular, dificilmente somos cobrados para entender qualquer coisa sobre os temas. Mas eles são essenciais para lidar com 90% das conspirações e maluquices da internet.

O universo tem algumas regras, que se não sabemos explicar com 100% de certeza, pelo menos já identificamos a consistência. Explico: ainda existe um buraco no entendimento da gravidade no nível quântico, mas isso não muda o fato que podemos fazer previsões basicamente perfeitas sobre seu funcionamento na natureza. Se existe um gráviton ou não, a ciência não descobriu ainda, mas que dá pra calcular a trajetória de um objeto interagindo com a gravidade com um grau de precisão absurdo, isso dá.

Se você se aprofundar muito na ciência, começa a perceber que existem muito mais coisas para descobrir do que coisas descobertas, mas que as que já foram costumam estar muito bem defendidas e testadas. Talvez não tenhamos acertado ainda como a matéria/energia é formada, mas testaram milhões de vezes o que acontece quando substância A interage com a B, e sempre dá o mesmo resultado. Isso é conhecimento prático. E desses, temos uma quantidade imensa.

Como lidar com a informação sobre o funcionamento de uma vacina contra a Covid se você não sabe o que é um vírus ou mesmo como funciona o sistema imunológico? Sim, existem várias dúvidas na medicina, mas o que já foi testado e comprovado trilhões de vezes vai se aproximando de uma regra universal ao invés de uma ideia em aberto. Quem diz que vacina faz mal via de regra tem baixo conhecimento sobre a lógica básica da biologia envolvida.

Eu falo sobre conhecimento básico científico não para te forçar a ir ler livros de física do segundo grau ou estudar por estudar, mas sim para te dizer que a informação para te dar segurança sobre algo que você escutou ou leu por aí existe. Está em dúvida sobre algo da pandemia? Oras, é só quebrar o assunto em partes menores: a pandemia é causada por um vírus? Pesquisa vírus no Google e leia em dois ou três lugares diferentes o que é um vírus, como funciona, etc.

Não tem atalho nesse sentido: se você não aprender, um pouco que seja, sobre os elementos básicos de um assunto, informação de qualidade e informação bizarra não podem ser diferenciadas. Background não é saber tudo, é algo que você pode montar mais ou menos na hora para lidar com algum tema. Eu quase nunca sei exatamente sobre o que estou falando, mas cinco minutos de pesquisa na direção certa me deixam pronto para filtrar boa parte das bobagens que eu escuto e leio por aí.

Não precisa nascer de novo, só precisa entender o método: quem quer entender estuda. E ninguém começa a estudar pelo avançado, é sempre pelo básico. Background é básico. Mais do que isso e você vai começar a virar especialista num tema. Ninguém tem tempo de ser especialista em tudo. Vamos dar mais um exemplo fresco da pandemia:

Muita gente começou a falar a asneira que a máscara te sufocava porque não deixava o oxigênio passar. Mas, quando você coloca uma máscara, realmente parece mais difícil respirar, não? Aí, o que você acha melhor, ir procurar informações sobre o que especialistas em virologia e infectologia acham sobre máscaras, ou pesquisar sobre oxigênio no Google? Isso pode te pegar de surpresa, mas a resposta é pesquisar sobre oxigênio no Google!

Oxigênio é um átomo. Um fuckin’ átomo! Uma das menores coisas que podem existir no mundo. Agora, pesquisa sobre máscara. Máscaras são feitas do quê? Tecido? Agora, pensa comigo: um tecido é feito de vários fios entrelaçados. Em que universo um átomo de oxigênio não conseguiria passar pelos buracos de fios entrelaçados? É como ficar em dúvida se uma bolinha de gude pode entrar num gol de campo de futebol! Até o Gabriel Jesus faria esse gol. O básico mata a dúvida sozinho. Não precisa de doutorado em infectologia para saber que uma máscara não consegue impedir a passagem de oxigênio.

Ela consegue evitar que um vírus da Covid, composto de quase um bilhão de átomos, entre com facilidade, especialmente se ele estiver numa gotícula de água (que é como eles saem de uma pessoa para outra) somando mais alguns bilhões. E isso você aprende estudando um pouquinho sobre o que é um vírus. Talvez você não ache a informação de valores de átomos exatos (até porque ninguém nunca contou), mas com certeza acha que ele é composto de muitos e muitos deles. Precisou fazer faculdade de biologia para entender que um átomo é menor que um ser vivo composto de milhões e milhões deles? Não, bastou entender que você tem que buscar o básico. Ciência é sobre entender o básico e depois tirar conclusões.

A oferta quase infinita de opiniões de especialistas na internet é uma faca de dois gumes: você consegue se aprofundar em conhecimento estabelecido e replicável e você consegue se aprofundar em terraplanismo! O segredo é estudar um pouco o começo de cada caminho antes de se embrenhar nele. Por isso que eu falo aqui de conhecimento científico básico: seja lá o que for, a física, a química e a biologia sabem alguma coisa muito importante sobre o assunto. Algo que está lá no começo de tudo.

Esse conhecimento básico vai se acumulando com o passar das pesquisas. Se você pegar o hábito de fazer uma pesquisinha de Google sobre a coisa mais simples possível sobre um tema que quer entender, rapidamente vai criando uma base que te faz fugir de ideias absurdas quase que por instinto. Leu que Mercúrio está retrógrado e isso significa que você vai ter dificuldades no seu relacionamento? Que tal pensar primeiro se faz algum sentido Mercúrio ter influência sobre você?

E aliás, que influência é essa? A astrologia diz o que é? Dá pra pesquisar o que é essa força que mexe no seu relacionamento amoroso? Alguém sabe se é radiação, gravidade? Ao estudar radiação você começa a desconfiar que não tem muito como Mercúrio influenciar algo na Terra. Até porque é meio impossível diferenciar Mercúrio do Sol nesse sentido: é como achar que o culpado do calor que você está sentindo é um fósforo aceso na frente de uma fornalha industrial. Então talvez seja a gravidade! Estudar gravidade te diz que ela afeta tudo ao mesmo tempo! Mas se for gravidade, meio que dá no mesmo. Pela distância que ele está da Terra, é possível que a parede da sua casa esteja gerando mais influência gravitacional que Mercúrio inteiro. Não tem nada na astrologia sobre a parede da sua casa, né?

Ah, mas pode ser algo que ninguém descobriu ainda! Bom, aí a gente abre um leque de possibilidades infinitas, não? Talvez o unicórnio do brejo pulando duas vezes seja mais perigoso que Mercúrio retrógrado! Ei, talvez ninguém tenha descoberto o unicórnio do brejo ainda, ele pode estar lá, muito bem escondido. Quando você ignora a ciência, tudo se iguala na mesma probabilidade. E aí, é só uma questão da superstição que você vai ter. A ideia de estudar o básico sobre física, química e biologia é justamente reduzir o número de possibilidades de explicação sobre alguma coisa.

Senão, duzentos anos de pesquisas feitas pelas mentes mais brilhantes que já conhecemos e o recém-inventado unicórnio do brejo dão exatamente no mesmo. Não é ter “fé” na ciência, é usar uma lógica simples que o ser humano usa desde que surgiu nesse mundo: teste e resultado. Se você testou uma coisa e ela funcionou do jeito X todas as vezes, é bem seguro achar que conhece o resultado esperado. Se cada vez sai um resultado diferente, é porque você não entendeu nada ainda.

Ciência nada mais é do que catalogar o que dá resultados parecidos e o que não dá. Se sempre funciona de um jeito, pode começar a construir em cima disso. Se não, precisa estudar mais para poder avançar. E não tem como pular etapas: você precisa ir entendendo como uma ideia começa para entender como ela se desenvolve.

E como saber o que pesquisar se estiver em dúvida sobre um tema? Física fala sobre leis universais, química sobre como as coisas interagem e biologia sobre o que elas fazem se estiverem vivas. Se você pulou com essa descrição, fique feliz porque você tem um background bom sobre ciência, mas se você não tem a menor ideia de por onde começar, pode confiar que isso te ajuda a começar nos lugares certos. Dúvida sobre o formato do planeta? Física te diz se uma Terra plana é possível. Incerto(a) sobre se algo pode pegar fogo ou não? A química te conta na hora. Não sabe como se proteger de uma doença? A biologia te diz como ela age.

Não se espera de ninguém conhecimento aprofundado sobre todos os assuntos. Mas faz toda a diferença ir acumulando fatos comprovados (vulgo os que foram testados muitas vezes) sobre o funcionamento básico do universo, porque fica quase impossível você ser enrolado sobre algo que é puramente fantasia de gente ignorante. Nem digo que é para decorar e discutir com maluco, é mais para você não ficar com dúvidas inúteis na cabeça e não gastar seu precioso tempo aprendendo sobre algo sem lógica, porque depois que entra na cabeça, o cérebro é muito teimoso sobre deixar ir embora.

Acumule conhecimento básico, sobre como átomos, moléculas e células funcionam. Tudo depende do básico. Essa informação nunca se perde e é sempre relevante para o resto da sua vida. Não é para lembrar dos spins dos quarks, é só para saber que um átomo de oxigênio passa pelo buraco de uma máscara. E se é mais difícil respirar, é porque você tem que vencer mais resistência por causa do pano na frente do seu nariz e boca. É fácil se proteger de desinformação, desde que você entenda que quase tudo o que precisa saber é extremamente básico e bem divulgado.

Se você não for pesquisar como um átomo funciona, não faz diferença ler a opinião de um pesquisador com 30 anos de experiência e o chute do seu tio maluco do WhatsApp. O tio do Whats com certeza vai errar algo básico na primeira frase que escrever (quem estamos enganando? É claro que o maldito vai mandar áudio…)

Busque conhecimento… básico. O que você aprendeu na escola já virou fumaça se você está na vida adulta, precisa relembrar de tempos em tempos.

Para dizer que sua realidade básica não perde tempo com isso, para dizer que desconfia de todo mundo para ter certeza, ou mesmo para dizer que é físico, químico ou biólogo e quer me matar pelas descrições: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comments (6)

  • Pessoas não tem base de nada são sempre candidatas a serem feitas de trouxas e passam a vida dependendo que outros “interpretem” a realidade pra elas.

    • Verdade. E, infelizmente, para muitos, só é “verdade” aquilo que lhes é dito pela TV, pelo “Zap Zap”, pelo pastor ou pelo político de estimação.

  • Agradeço por ter acatado a sugestão, Somir. Background é o filtro que nos permite “separar o joio do trigo” em meio a essa enxurrada de informação à qual todos nós estamos sujeitos hoje em dia. E gente sem um mínimo de conhecimento básico das coisas pode ser enganada ou confundida facilmente por mal-intencionados, sem falar que fica impossível distinguir o conhecimento da abobrinha e o fato da opinião. Como já disse aqui antes várias vezes, é da natureza humana temer aquilo que não entende. Desse temor é que vêm a desconfiança, os preconceitos e as conclusões equivocadas. E o “remédio” para isso é um só: acumular background.

  • Io. Feliz com a 3ª vacina tomada, desta vez, da Pfizer.

    Desconfio de todo mundo e não tenho certeza de nada.
    Quem confia em todo mundo vai se ferrar loguinho.
    Quem tem certeza de alguma coisa que não seja 1 ovo é 1 ovo e se chocar pode virar um pinto, vai quebrar a cara.
    O uso da máscara é incomoda mesmo, mas o legal é que esconde quando se tem um nariz italiano e não perfeitinho como os feitos por cirurgia plástica, assim sendo, todo mundo fica com cara de bandida linda.
    E olha a economia de !

    • Hauahauahauahaua eu amo MUITO os comentários do desfavor. E esse acho que foi um dos textos que mais amei ler aqui!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: