O ser humano do futuro.

HGF-88191G4GA81 acaba de receber sua atualização. Diante de si, milhões de oportunidades de emprego. A maioria, como de costume, para o papel de figurante nível 4 em simulações alheias. O pagamento não era dos melhores, especialmente depois dos últimos avanços dos atores, agora praticamente perfeitos como figurantes até mesmo de nível 3.

Os últimos meses foram de uma monótona existência como agricultor numa simulação medieval. Dera o azar de atuar como um dos figurantes mais próximos do centro de ações daquela aventura. Enquanto os humanos mais abastados brincavam de caçar dragões e seduzir princesas, ele observava tudo de uma humilde cabana ao lado de uma plantação de batatas. Outros trabalhadores sortudos foram alocados em terras mais distantes naquela simulação, HGF-88191G4GA81 era obrigado a ficar consciente mais de 70% do tempo.

Para piorar, sua mulher naquele mundo era um ator dos mais baratos, que repetia apenas quatro frases e perambulava aleatoriamente pelos arredores da casa. Ouvira dizer que atores mais modernos vinham até com simulação de desejo sexual. Com certeza teria tornado seu tempo mais divertido ali. Nem mesmo um ataque violento de um dragão foi capaz de resolver seu problema: ter sua personagem morta numa simulação significava receber integralmente pelo trabalho e poder partir para a próxima. O dragão caprichosamente queimou todas as casas da sua região, menos a dele. Tinha certeza que a besta fora programada para não eliminar humanos e fazer valer mais o investimento do criador.

Mas, eventualmente, o criador se cansou da simulação e liberou todos os humanos contratados para procurarem seu próximo emprego. E após uma atualização de dados para receber as novas oportunidades de trabalho como figurante ou até mesmo coadjuvante em simulações alheias, HGF-88191G4GA81 observa seu saldo: 342.092 créditos. O suficiente para uma simulação própria no papel de criador, mas com uma maioria absoluta de atores de baixíssima qualidade.

Resolve ver se pode chamar um de seus amigos para compartilhar uma simulação, nada de muito complexo, talvez uma ilha paradisíaca tomada por belas nativas sedentas por contato humano. Quem sabe até contratar umas duas ou três pessoas para fazer o papel? Por mais que atores consigam fingir desejo, humanos fazem isso muito melhor. Algumas pessoas só pegam esse tipo de trabalho, são especialistas em te fazer se sentir irresistível. São trabalhadores caros, mas costumam compensar.

Infelizmente, nenhum de seus colegas mais próximos estava disponível. Para esse tipo de simulação, é importante ter gente que você conhece bem por perto, entrar em simulação com estranhos normalmente é pedir para se misturar com fetiches terríveis e psicopatia sem fim. Gente que precisa dividir simulação com estranhos normalmente já queimou todas as pontes possíveis com aqueles que conhecia. HGF-88191G4GA81 ainda tem na memória a vez que caiu numa simulação de vida infantil no mercado negro. Os detalhes ele apagou para evitar traumas, mas manteve o suficiente para saber que tipo de situação evitar.

Como seus amigos estavam todos empregados no momento, decide que não vai gastar seus créditos, não agora. Deixa uma mensagem para meia dúzia deles propondo um encontro dentro de um ano ou dois. Talvez mais um trabalho de curta duração para acumular mais recursos de processamento e armazenamento.

Na aba de trabalhos de pesquisa e desenvolvimento, algumas oportunidades de realizar testes com os novos atores desenvolvidos pela maior produtora de inteligências artificiais do sistema. Uma das vantagens de estar com a sua consciência no grupo Sistema Solar é a proximidade com os maiores desenvolvedores e muito mais oportunidades de ganhar créditos fora das simulações tradicionais.

HGF-88191G4GA81 se interessa pelo trabalho de simular a criação de dois atores nível 1, modelos de consciência artificial de altíssimo poder de processamento. Ele assumiria o papel de uma mulher de 24 anos de idade numa simulação iniciada em uma cópia da cidade de Londres na Terra, no ano de 1815. Viúva e constantemente doente. O objetivo era treinar o processo de altruísmo dos atores enquanto sua cuidadora definhava lentamente. Ele já fizera alguns papéis de mães no passado, normalmente em níveis 3 ou 4 de complexidade. As crianças que cuidou não exigiam mais do que alimentação e proteção básicas, mas dessa vez a coisa seria bem mais complexa: os atores-mirins reagiriam de forma realista e teriam mentes de nível alto.

Seis meses. 40.000 créditos de pagamento e 200.000 de colateral. Pagamento de acordo com a sobrevivência dos atores, colateral perdido caso nenhum dos atores sobreviva ao primeiro dia, multa de 40.000 caso nenhum dos atores chegue vivo ao final do período de simulação. HGF-88191G4GA81 aceita o contrato. A empresa é grande e conhecida. Depois de uma rápida verificação de histórico para eliminar óbvios psicopatas, ele é enviado para a antessala da simulação. Lá, tem acesso ao seu avatar, uma franzina jovem de pele muito branca, cabelos encaracolados e tristes olhos verdes. Mary Cooper.

Ao lado dela, o pacote de personalidade: base de instintos e hormônios femininos, algumas fobias comuns, traumas de criação com pai distante, depressão pela perda recente do marido… desafiador, mas bem possível. Mais interessante que camponês genérico ou prostituta cibernética, com certeza. HGF-88191G4GA81 faz a conexão com o avatar. Experiência em níveis tão altos de complexidade de simulação com certeza aumentaria sua chance futura de conseguir papéis melhores e mais lucrativos.

Mary está numa sala debilmente iluminada por uma lamparina sobre a mesa de centro. Deitada num sofá velho e carcomido, sente o cheiro de mofo no ambiente e o de excrementos vindos da janela. Lá fora, várias roupas penduradas nos varais que conectam seu prédio ao vizinho. Ela se sente cansada, músculos fracos e doloridos. Uma sensação terrível de vazio toma conta de sua alma. Sente muita falta dos pais.

Ela se levanta com dificuldade, e começa a andar em direção ao cômodo vizinho, todo escuro. Em um colchonete no chão, duas crianças dormem encolhidas, tentando de proteger do frio da noite com apenas um cobertor compartilhado. A menina de cabelos escuros e mal-cuidados parece ser bem mais nova que o menino, mas ambos compartilham de semelhanças suficientes para serem irmã e irmão. Susan e Joseph.

Mary se aproxima da janela do quarto, com a intenção de impedir a entrada do gelado ar da noite londrina. Olhando para a rua, nota algo inesperado: simulação de baixíssima qualidade além do quarteirão onde sua casa está instalada. Pode perceber claramente que são apenas modelos sem inteligência própria, seguindo em caminhos predeterminados. Alguns se chocam de forma desengonçada, outros até atravessam os corpos uns dos outros.

Ela não entende. Como esperam que ela viva seis meses com essas crianças numa simulação tão tosca e limitada assim? Esperam que ela não saia de casa por tanto tempo? Que as crianças não tentem explorar? Parece uma falha muito óbvia para uma empresa tão grande assim cometer. Ela tenta acessar o modo de correção de problemas para pausar a simulação e entrar em contato com a equipe, mas a opção está bloqueada.

Mary escuta movimentos na direção das crianças. Susan e Joseph estão acordados: ambos de pé, parados com a visão perdida no horizonte. Ela pergunta se eles estão bem, e os dois respondem de forma robótica e uníssona que sim. Uma simulação nível 1 jamais agiria dessa forma, era para serem indiferenciáveis de um ser humano verdadeiro, no máximo algumas falhas. Algo não estava direito ali. Ela se lembra vagamente que deveria sentir falta do marido, mas não tem nenhuma memória dele, apenas dos pais, e eles não se parecem nada com ela.

A confirmação do problema vem com Joseph andando em direção à sala e buscando uma faca que estava sobre a mesa. Mary pergunta o que o garoto estava fazendo, ele para por alguns instantes, mas não responde. Rapidamente se aproxima de Susan, e num golpe rápido corta o pescoço da irmã. Mary grita em desespero, sentindo o terror de perder um filho, ela se joga na direção do garoto, mas seu corpo é muito fraco. O jovem a afasta com facilidade, e com um golpe certeiro, corta a própria garganta. Mary sente uma dor indescritível ao ver ambos os filhos morrendo. Ela se senta ao lado dos corpos, chorando entre duas poças de sangue pelo o que parecem horas.

Eventualmente, sua visão fica escura. HGF-88191G4GA81 se vê novamente no lobby central de empregos, com uma mensagem de quebra de contrato e a retirada de 200.000 créditos de sua conta. Ele caíra num golpe. Ao observar o contrato novamente, nota a falsificação grosseira do nome da empresa. Alguém criou um contrato parecido com que a empresa verdadeira criaria e colocou um colateral alto para pegar algum desavisado. Ele deixa uma denúncia, mas se as experiências de amigos que caíram em golpes parecidos serviam para alguma coisa, eram para convencê-lo que jamais veria seus créditos de volta.

200.000 créditos. Nessa economia, eram mais de quatro anos de trabalho. Dois se ele aceitasse voltar para o mercado negro e se arriscar com todo tipo de abuso. Ele considera mudar para um sistema mais barato, com menos tecnologia e menos oportunidades, mas com preços de processamento e armazenamento mais razoáveis. O upload para Proxima C demoraria pelo menos quatro anos e gastaria boa parte do pouco que restara de suas economias.

HGF-88191G4GA81 contempla suas opções por mais algum tempo, antes de se resignar e aceitar um emprego de camponês, figurante nível 3, em mais uma simulação medieval de grande orçamento. Quem sabe dessa vez tenha uma esposa ou marido melhores? A vida é assim mesmo.

Para dizer que tem medo desse futuro, para dizer que tem certeza desse futuro, ou mesmo para dizer que o tempo passa e todo mundo continua sem imaginação: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas:

Comments (4)

  • Hey, Somir, vc aprecia boa comida que eu sei, o que vc acha da agenda globalista vegana pro futuro? Não pode mais criar galinha em local aberto, daí aumenta preço do ovo. Teve a doença da vaca louca, depois a gripe suína, ta rolando nova gripe aviária, covid porque comiam morcego. Vai chegar a época que vai ser proibido comer animais. Será que vai dar pra fazer churrasco de carne de laboratório?

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: