Distração brilhante.

Na última semana, a história de uma suposta cidade perdida na Amazônia ganhou as redes sociais. A teoria, classificada como infundada por especialistas, trata de uma civilização que teria habitado a região da floresta há mais de 450 milhões de anos. LINK


Curioso o sucesso dessa história enquanto ainda se procurava por Bruno e Dom na Amazônia, não? Não? Desfavor da Semana.

SALLY

Esse caso simboliza tudo que vem acontecendo no Brasil nos últimos anos. E, apesar de ser recorrente, todos os envolvidos continuam se portando da mesma forma, mesmo sendo prejudicial para todos. Vamos falar de um por um.

Bolsonaro, como sempre, se comportou como um perfeito idiota. Ser gente eu nem acredito que seja possível, mas fingir que é gente deveria ser prioridade, principalmente quando se está em uma disputa presidencial – e perdendo.

Em nenhum momento Bolsonaro chegou perto do mínimo aceitável, seja nos atos, seja na postura. Zero esforço para realizar as buscas dos desaparecidos, zero empatia na hora de falar. Poderia ter apenas se calado, mas não, abriu a boca para dizer que não eram “bem-vistos” e insinuar que eles cavaram a própria cova com seu comportamento.

A oposição também continua igual, se deliciando com cada erro do governo, mas sem mover uma palha para impedi-los de errar ou tirá-los do poder, afinal, quanto mais grotescos os erros, maiores as chances de eleger Lula este ano. Foram 17 pedidos de impeachment só contra FHC, que botou a economia nos trilhos e deixou a casa arrumadinha para o Lula.

Bolsonaro matou mais de 600 mil brasileiros, botou um inepto para cuidar da economia, fez subir a inflação, desrespeitou todo tipo de direitos humanos e o PT está rindo de orelha a orelha. Será que Lula e o PT querem o que é melhor para o Brasil ou o que é melhor para Lula e o PT? É nessas pessoas que o brasileiro está apostando a salvação do país…

Por sua vez, o povo também fez o papel de idiota de costume. As pessoas mais uma vez reagiram com ativismo inútil de rede social. Não que redes sociais não possam ser úteis para protestar, pressionar e mudar a realidade, elas podem, mas não quando quem as usa está mais preocupado em mostrar virtude do que em realmente melhorar.

Além de não alterar em nada a realidade, estas pessoas ainda viram alvo fácil de manipulação. Assim que palavras-chave como “Amazônia” e “desaparecimento” começaram a ganhar relevância em redes sociais, perfis falsos começaram a soltar postagens absurdas sobre Ratanabá, uma suposta cidade antiga que “desapareceu” na “Amazônia”. Quase que uma Atlântida tropical.

Um mito sem sentido propagado por um lunático que criou o ET Bilu, mas que serviu muito bem para bagunçar o movimento que vinha crescendo e poderia ganhar alguma expressividade. Quem soltou essas postagens sobre Ratanabá foi muito esperto, percebeu que o brasileiro não resiste a antagonizar com desafetos e mostrar virtude ou superioridade intelectual.

Se o brasileiro fosse minimamente inteligente e focado, leria essa imbecilidade sobre Ratanabá, pensaria “nossa, que ridículo” e seguiria com sua vida e fazendo sua parte para dar visibilidade a este assassinato. Mas não, o brasileiro não quer manifestar indignação, ele quer demonstrar virtude, inteligência e superioridade. Por isso, não demorou até que as pessoas mordam a isca e comecem a promover a teoria Ratanabá, criticando-a.

“Olha que ridícula essa história de Ratanabá, uma cidade que desapareceu na Amazônia kkkkkkkk o gado é muito burro”. Sim, mas você é ainda mais, meu anjo, pois, está inflando o assunto, fazendo com que ele se sobreponha ao movimento de protesto e indignação por assassinatos covardes. Entendam de uma vez por todas que, quando falamos de redes sociais, o conteúdo não importa: se você fala sobre o assunto, você promove o assunto e é isso que a rede social vai mostrar para os demais. Crítica efetiva em rede social é ignorar o assunto.

Mas, semana sim, semana também, na sua ânsia de mostrar virtude/inteligência/superioridade, pessoas acabam manipuladas por este grupo de Bolso-Bots. Se esses Bolso-Bots são burros, quem é manipulado por elas é burro ao quadrado. Sua crítica em rede social não vale nada, é só um desabafo seu. No saldo final, falar sobre um assunto, mesmo que seja para criticar, o promove. Mas, imagina se a pessoa consegue guardar para si sua tão interessante opinião! Não! Ela vai continuar promovendo a coisa errada!

Rapidamente histórias sobre Ratanabá surgiram, com palavras-chave que se misturavam com os protestos pelos desaparecidos. Depoimento de quem está fora do Brasil: criou-se uma mistureba maluca que te impedia de sequer compreender o que estava acontecendo quando você tentava acompanhar o caso. Eu precisei ler várias notícias para entender. Dificilmente todo mundo faça isso, inclusive pela barreira do idioma. Para quem acompanhou o caso por redes sociais, o movimento sério se perdeu.

Era só não ter reverberado Ratanabá e ter focado na sua causa, mas não. Ninguém está em redes sociais para tentar reivindicar um mundo melhor, as pessoas estão para polarizar, para mostrar virtude, para antagonizar com quem elas entendem que está “errado”. Tudo aquilo em que você coloca seu foco, expande. Meus mais sinceros parabéns pelo foco errado. É sempre fascinante ver as “mentes pensantes”, os “intelectuais”, os “conscientes” levando olé do exército dos Bolso-Filhos.

E a melhor parte é como as pessoas sequer percebem isso. Elas colocam a culpa em tudo, até em abstrações: “O Brasil é um absurdo”. Não. O Brasil é um território, um pedaço de terra no mapa. Vocês, brasileiros, é que são o absurdo. E pior do que um escroto psicopata no governo é quem o tolera. O escroto psicopata é totalmente sem consciência, mas você, que percebe o absurdo e o permite, você é o verdadeiro problema.

Por mais que a gente goste de idealizar, todo ser humano quando colocado em uma posição de muito poder pode se tornar um escroto psicopata, em maior ou menor grau. O poder corrompe, o poder cega, o poder transtorna. Então, para que um país melhore não tem que “votar certo”, pois se você está votando em um ser humano, saiba que, por mais maravilhoso que ele te pareça, ele pode se voltar contra os interesses da coletividade.

Então, o que assegura a democracia, os interesses do povo, o respeito pela coletividade, não é “votar certo”, é criar mecanismo para neutralizar qualquer pessoa que ocupe um cargo de poder e comece a agir contra os interesses da coletividade. E, para isso, tem que ter muito foco, empenho e energia para fiscalizar essa pessoa, algo que se torna quase impossível quando a coletividade está imersa em postagem egóica, preocupação em antagonizar entre si e mostra virtude.

Bolsonarista é uma merda sim, mas o resto consegue ser ainda pior. Bolsonarista é burro, é brutalizado, é imbecil, é quase um bicho: mal entende o que faz. E vocês? Todos vocês que se dizem pessoas pensantes, qual é a desculpa de vocês para tolerarem tudo que toleraram nos últimos anos?

Muito fácil se indignar em rede social e logo depois postar selfie, postar o que comeu, postar ridicularizando uma pessoa que pensa diferente de você, mostrar virtude pisando no pescoço de quem ainda não entendeu porra nenhuma. Muito fácil se indignar em rede social, mas usar sua energia e seus recursos para flertar por aí, para comprar o celular x ou o carro y, para tirar 50 fotos até uma ficar bonita e postar.

Desculpa, mas bolsonarista é o menor dos problemas do Brasil. E vocês estão prestes a descobrir isso da pior forma possível. Bolsonaro está empenhadíssimo em perder esta eleição e, quando isso acontecer, vocês não terão mais quem culpar. Não terão mais em quem jogar a responsabilidade por tudo que vai continuar dando errado.

Bolsonaro é só um reflexo de tudo que está errado com o povo, e ele incomoda justamente por isso: ele mostra a sombra de tudo que o brasileiro tem que resolver. E em vez de resolver, o brasileiro insiste em chutar o espelho, por não gostar do que vê refletido.

Parem de falar no Bolsonaro, parem de reverberar o que bolsonarista diz (ainda que seja para falar mal) e comecem a se perguntar o que vocês têm feito para mudar essa realidade que dizem não gostar.

Para dizer que não quer mudar essa realidade pois é um ganho secundário maravilhoso ser o virtuoso da sociedade, para dizer que é tão desempoderado que acredita que só político pode mudar a realidade de um país ou ainda para reclamar que filho da puta mata gente e sobra esporro para você: sally@desfavor.com

SOMIR

Ser Presidente da República não é fácil. Tudo o que acontece no país acaba sendo culpa sua. Não foi fácil para ninguém que carregou a faixa presidencial, e não está sendo fácil para Bolsonaro. Sim, ele não mandou Dom e Bruno se embrenharem por uma área tão abandonada pelo poder público. Ele não mandou matar os dois. Mas vem com o cargo: está nas costas dele.

Eu realmente entendo a putez de Bolsonaro sobre o tema. Ele não quer falar sobre isso, ele não se interessa pela dupla desaparecida, na verdade, ele até tinha bronca do jornalista inglês. Apesar das críticas sobre a falta de empatia do presidente, eu até admiro o quanto ele se controlou. Tenho até medo do que ele deve ter dito sobre Bruno e Dom com as portas fechadas. É o presidente que demitiu o fiscal do Ibama que multou ele por pesca ilegal assim que assumiu o cargo.

É o presidente que diz que tem que explorar a Amazônia mesmo e que índio não deveria ser dono de terra. Pelo Bolsonaro, podiam cimentar a floresta toda e fazer um estacionamento. Não deveria ter ninguém surpreso pela falta de interesse do presidente e do poder executivo em geral no caso. Mas esse assunto não ia embora, por mais que o presidente tentasse jogá-lo para debaixo do tapete.

O assunto não ia embora justo num ano de eleição. E pior, quanto mais as pessoas pensassem sobre isso, pior ficaria pra ele. Aquela parte da Amazônia é um ponto cego do Estado brasileiro. Lá a lei é a da selva, com facções criminosas dominando tudo o que podem, tratando os índios como incômodo ou massa de manobra, de acordo com a ocasião. Os povos originais brasileiros não estão no Brasil, e nem em terra de ninguém, porque aquele lugar tem dono, e é o crime organizado.

Por mais que Bolsonaro esteja torcendo pelo time dos garimpeiros contra o time dos índios e ambientalistas, a situação tem um problema fundamental: nesse caso, o presidente é do time dos bandidos. Quanto mais você apertar Bolsonaro para falar sobre o assunto, maior a chance dele defender os traficantes que dominam a região: ele nunca quer ser visto como alguém que defende reserva florestal indígena. Ele quer ser visto como defensor da iniciativa livre e da exploração ambiental. Eu sei, ao mesmo tempo ele também tenta intervir na Petrobrás que nem a Dilma, mas é bobagem esperar consistência em algo além do discurso eleitoral.

O presidente tentava tirar umas fotos legais com outros líderes mundiais para ver se dava um pouco mais de credibilidade para sua campanha de reeleição, mas o sumiço e agora assassinato brutal de Bruno e Dom o tornaram ainda mais pária internacional. Tudo nessa história foi terrível. Qualquer pesquisa por Amazônia no Google ia colocar essa pá de lama na cabeça dele e de sua campanha eleitoral.

Quer dizer, colocaria. Porque o assunto de cidade mágica cujo nome parece a Michelle Bolsonaro falando em línguas foi crescendo sem parar. Uma imensa bobagem empurrada por um golpista conhecido, mas que era a isca perfeita para colocar uma nuvem de fumaça sobre as pesquisas sobre a Amazônia. Não sou do time conspiração por conspiração, acho mais lógico acreditar que as coisas se alinham por uma série de interesses.

Nesse caso, havia muito interesse em aproveitar o ciclo de notícias sobre a Amazônia logo após a notícia real da cidade encontrada (que virou texto) debaixo da vegetação na Bolívia e é claro, o foco no desaparecimento do jornalista e do indigenista. Com tantos olhos na região, a teoria maluca ganhou força, e como a Sally bem explicou, pegou não só os incautos que acreditaram numa cidade amazônica de centenas de milhões de anos atrás, como também quem resolveu dar audiência tirando sarro desses incautos.

Esse é o século XXI: não existe notícia falsa demais, não existe teoria estúpida demais, todas ganham muita atenção desde que exista interesse em tirar alguma vantagem pessoal com ela. Só existe quantidade de pessoas comentando o tema. Sim, nós meio que mordemos a isca, mas dentro de textos que falam sobre algo além da história absurda da cidade perdida. Se não tivesse o terrível caso de dois cidadãos perdendo a vida numa área abandonada (de propósito) pelo Estado nos últimos anos, não valeria sequer a menção.

O verdadeiro assunto na região não interessava para o gado bolsonarista, porque explicitava uma parte bem escrota e hipócrita do pensamento deles: são a favor dos criminosos quando os criminosos fazem algo que gostam. E para o gado anti-bolsonarista, restou o prêmio de consolação de se provar mais inteligente do que uma das parcelas mais limitadas intelectualmente da população brasileira. Grandes coisas…

Todo mundo jogou junto para Rabanada (ou algo do tipo) ganhar atenção. Não ganhamos nada com isso. Parabéns, Brasil!

Para dizer que o Lula vai manter tudo abandonado (sabemos), para dizer que até as nossas conspirações são bregas, ou mesmo para dizer que sacanear burro é uma das suas últimas fontes de diversão: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas: , , , ,

Comments (10)

  • Toda vez que uma dessas polêmicas cabeludas se avizinha, vai lá o governo e lança essas cortinas de fumaça. E a extrema-esquerda morde a isca direitinho, conforme planejado pelos ideólogos do governo. Brasileiro consegue ser incompetente e inepto na situação e na oposição, chega a ser inacreditável

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Aos políticos de esquerda convém reverberar bastante e polarizar, eles se retroalimentam, pois querem ir para um eventual segundo turno com o Bolsonaro, por ser mais fácil de vencer. O que eu não entendo é o povo divulgar essas merdas achando que está criticando. Crítica, em rede social, é não falar sobre o assunto.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • “para reclamar que filho da puta mata gente e sobra esporro para você”

    E eu nem superei ainda o caso da viatura na qual improvisaram uma câmara de gás…

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Parabéns pela estupidez de insistir em disseminar que a oposição não quis o “impeachment”, mentira decorrente da obsessão em equiparar esquerda e direita.

    O que você achou?

    Loading spinner

      • Isso desconstitui o fato de que o prosseguimento do impeachment foi obstado pelo Presidente da Câmara? Que o cerne do suporte parlamentar do Executivo está na direita, que jamais votaria favoravelmente à retirada do Presidente do cargo?

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Não, mas exemplifica porque não rolou uma CPI de verdade do orçamento secreto. O povo brasileiro está cagando pra matar gente, mas ficaria putíssimo de saber que o Bolsonaro estava com esquema de corrupção à lá Mensalão. A maior chance da oposição era se unir e ir no pescoço da corrupção HORRENDA do Legislativo, mas… adivinha só? Eles estavam no meio. O Lira é bandido raiz, mas o Nhonho ia abrir as pernas eventualmente se a oposição fosse sangue nos olhos e não tivesse rabo preso.

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Bolsonaro está lá só pra manter a pose como palhaço do circo.
            Se Mourão assumir, tem que reorganizar tudo os esquemas e daí complica… Sabe como é. Nossos excrementíssimos deputados e senadores estão mais interessados nas verbas dos orçamentos aberto e secreto pra manter a força em seus próprios currais eleitorais com vistas a eleição que já está chegando.

            O que você achou?

            Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: