Pela primeira vez em mais 50 anos o Congresso norte-americano realizou uma audiência pública sobre OVNIs (os Objetos Voadores Não Identificados), no último dia 17. Ela foi, inclusive, transmitida ao vivo, tá aqui o link para quem quiser ver. Se preferir, nós resumimos para você.

A audiência contou com a presença de nomes de alto escalão, como o subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança, Ronald Moultrie, e o vice-diretor de Inteligência Naval, Scott Bray. Além de oferecer alguns esclarecimentos o informar sobre as novas diretrizes para lidar com o assunto, eles também responderam a várias perguntas.

“Mas Sally, por qual motivo decidiram falar em público depois de mais de 50 anos?”. Não sei. O que eles alegaram foi que acreditam que unir esforços para entender o que são esses OVNIs é uma questão de segurança pública para os EUA e manter as informações que possuem em sigilo poderia atrapalhar o objetivo de compreender o que são essas aparições. Basicamente, tem algo acontecendo e eles parecem estar com medo.

Na audiência, eles usam o termo UAP, que significa Unidentified Aerial Phenomena, o que seria, em uma tradução livre, algo como “Fenômeno Aéreo Não Identificado”. Algo bem similar ao conceito de OVNI. Portanto, se você assistir no original, já sabe que UAP = OVNI. Pois bem, parece que o caso de avistamentos e detecção de UAP/OVNIs por pessoas e sistemas de monitoramento está crescendo muito, e isso está preocupando não apenas os EUA, mas o mundo.

O número de relatos sem explicação é se aproximadamente 400 casos, mas o número real deve ser bem maior do que o analisado, já que, durante muito tempo, houve uma cultura de ridicularizar quem ousava vazar alguma informação do tipo, provavelmente como uma estratégia para que não se fale do assunto. Por isso, ele afirmou que muitos oficiais da Marinha e Força Aérea americana “não faziam relatórios contundentes” sobre os casos.

Ele também reforçou a necessidade de uma mudança de cultura, da forma como se lida com relatos de avistamentos, por parte de civis, mas especialmente de aviadores, militares ou não. Disse que por muito tempo o estigma imputado a quem falava no assunto impediu que uma boa análise dos fenômenos seja realizada e que, a partir de agora, isso mudou.

O governo tem interesse em ouvir relatos e analisar evidências. Durante toda a audiência ele reforçou essa postura aberta e amigável a todos os que de alguma forma puderem colaborar para entender o que são esses objetos não identificados, sejam eles militares ou civis.

Disse ainda que, a partir de agora, quem reportar um avistamento ou quiser fornecer alguma prova, será tratado como uma testemunha, não como “crooks”, algo que, em uma tradução livre, seria equiparável a um “marginal” ou “oportunista”. Também afirmou que espera que a próxima audiência não demore outros 50 anos, pois transparência é “desperately needed”, algo como “desesperadamente necessária”.

O governo americando teve um arroubo de transparência. Estranho, não? Não sabemos o que está acontecendo, mas, por algum motivo, eles estão com pressa de mais informações. Não é comum ver o governo dos EUA chamando civis a participarem de assunto que, por décadas, foram considerados secretos.

Houve especulações sobre esses OVNIs serem tecnologia desconhecida de outras nações, citando inclusive Rússia e China. Essa parece ser a grande preocupação: que sejam espiões ou armamaneto “inimigo” sobrevoando os céus dos EUA. Talvez venha daí a iniciativa: com as tensões entre esses países aumentando, os EUA estão, após muitas décadas, voltando a sentir medo ou se sentirem ameaçados.

Deixaram claro que, mesmo nesse novo posicionamento de compartilhar informações e incentivar que avistamentos sejam reportados, ainda existirá informação confidencial não revelada ao povo. Segundo o comitê, não é para ocultar a verdade e sim por questões de estratégia de defesa: se descobrirem, por exemplo, que um avistamento é na verdade uma nova arma de outro país, esta informação não será divulgada, pois para combater essa nova arma é essencial que não saibam que ela foi descoberta.

Fora isso (informação estratégica que envolva segurança nacional), informaram que pretendem compartilhar com o público tudo aquilo que for descoberto, pois “segredo em excesso” só gerara “falta de confiança e especulação”. Confesso que estou surpresa e desconfiada.

Há um número considerável de casos sem explicação. São casos que foram analisados em busca de fraudes, explicações naturais, falhas no sistema de monitoramento e até alterações físicas e psicológicas nas pessoas que avisaram. Muita coisa foi descartada, mas existem sim casos sem qualquer explicação conhecida.

Segundo o padrão deles, antes de classificar algo como OVNI, se descartam objetos dispersos no ar (como pássaros e balões), fenômenos atmosféricos naturais (como cristais de gelo, vapor e flutuações térmicas), tecnologias em desenvolvimento, (sistemas secretos do governo ou empresas americanas) e sistemas estrangeiros “inimigos”, como tecnologias russas ou chinesas. Só aí, depois que se conseguem descartar todas estas possibilidades, é que um objeto é classificado como OVNI.

Foi afirmado que esses 400 casos sem explicação não se tratam de um mero relato humano, que há muitos instrumentos de monitoramento corroborando com os avistamentos, instrumentos que provam que sim, há algo lá, algo que não se sabe o que é.

Esse papo de que fulano viu errado, era um balão meteorológico, era um satélite ou coisa do tipo vai pode água abaixo: estão monitorando com instrumentos capazes de detectar se for algo conhecido do ser humano e, ainda assim, não conseguem identificar o que está lá. Apenas tem a certeza que está sobrevoando os céus dos EUA.

Isso os torna automaticamente uma prova de vida alienígena? Não. Isso os torna casos sem explicação, o que, convenhamos, já é uma mudança e tanto de discurso por parte de órgãos governamentais. “Não sabemos” não é uma frase muito dita por agentes de inteligência, principalmente os de países que estão constantemente preocupados com a segurança nacional.

Estes objetos não identificados se movem de forma considerada “inconsistente com tudo que sabemos sobre física e ciência”. Entre outras coisas, os objetos conseguem ficar parados no ar, se deslocar em uma velocidade muito rápida em diferentes sentidos, não parecem ser movidos por nenhuma força a propulsão conhecida ou identificável, fazem manobras bruscas, mudanças de direção bruscas, desaparecem e reaparecem. Em alguns casos, foram detectadas ondas de frequência de rádio que partiam desses objetos.

E estas imagens foram captadas tanto por pessoas/instrumentos que estavam voando (como aviões, por exemplo) quanto por aqueles que estavam parados no solo (como uma base militar, por exemplo). Há evidências captadas por militares e evidências captadas por civis. E, ao que tudo indica, não é um fenômeno exclusivo dos EUA, ele estaria acontecendo em escala mundial.

Os relatos vêm de pessoas dos EUA e de outros países também. Inclusive, contaram que a China está igualmente preocupada com a questão e que estabeleceu um programa similar, para investigar o que ou quem estaria transitando pelo seu espaço aéreo.

Vários países estão fazendo o mesmo e trocando informações entre si para tentar entender e tentar descobrir se é uma nova tecnologia militar de alguém, que possa estar espionando ou ameaçando a segurança nacional. Se recusaram a dizer quais países estão colaborando com os EUA, mas deixaram claro que parece ser uma preocupação de países do mundo todo.

Vale lembrar que esse comportamento inexplicável é atestado por diversas fontes de monitoramento. Há múltiplos sensores modernos monitorando os céus. Seja o de um caça, seja o da base, seja o da NASA. Diferentes órgãos governamentais e agências de segurança detectam a exata mesma coisa. Esses OVNIs foram identificados por diferentes sensores de última geração e seus movimentos inexplicáveis foram confirmados por todos eles, além do olho humano.

Perguntados sobre a possibilidade desses OVNIs serem projetos secretos dos próprios americanos, afirmaram que não existe essa possibilidade: quem investiga os OVNIs está ciente de todos os projetos do país, portanto, saberia identificar novas armas, novos aviões ou qualquer avanço tecnológico. O comportamento desses OVNIs não é nada que os EUA possam conseguir em matéria de tecnologia e, até onde se sabe, nenhum país estaria apto para isso. Na verdade, eles nem ao menos conseguem entender bem o que são.

E deixaram claro durante toda a audiência que governo tem pressa em entender o que são. Vão criar diversos departamentos para facilitar e compilar relatos e, ao que tudo indica, fazer uma campanha incentivando que qualquer pessoa que teve um avisatmento conte em detalhes. Por qual motivo estão fazendo isso agora? O que eles afirmam é uma grave preocupação com a segurança nacional, dando a entender que tem mais medo de países inimigos serem os responsáveis do que ETs.

Foi relatado um aumento de casos documentados de OVNIS nos últimos anos (desde o ano 2000). Não sabem se eles sempre estiveram lá e não eram vistos ou se de fato estão “chegando” agora. A preocupação nem parece muito com aliens e sim com russos e chineses, parece que eles temem que seja tecnologia “inimiga” desconhecida passeando livremente por seu espaço aéreo.

Diversos órgãos de inteligência e segurança vão se unir para tentar entender o que são esses OVNIs, até a NASA, que durante muitos anos apanhou de políticos e da opinião pública sendo chamada de desperdício de dinheiro, entrou na campanha com prestígio. Também serão recrutados os melhores especialistas particulares em diversas áreas (física, engenharia etc) para atuar em conjunto.

Equipamentos de última geração que permitam documentar esses objetos não identificados serão instalados nas forças armadas americanas, inclusive na marinha, para tentar conseguir mais informações sobre eles. Também foi falado em unir esforços com outros países que possam ajudar a esclarecer o que está acontecendo. Ou seja, estão em modo “esforço total” para descobrir quem anda passeando pelos céus dos EUA. E estão fazendo questão de deixar público esse esforço total.

Parecem estar dizendo ao mundo: “Sabemos que vocês estão passeando por aqui, apesar de não sabermos quem vocês são”. E também: “Mas somos ricos e tecnológicos, então, saibam que vamos investir milhões e descobrir quem vocês são”.

E para isso estão claramente tentando sensibilizar o povo. Virou quase um slogan: “if you see something, you need to report it.” (“se você viu algo, você tem que reportar isso”). E, para coletar o máximo de informações possíveis, serão implementados métodos, processos e padrões para compilar esses relatos e eventuais evidências, categorizá-los a analisa-los.

Provavelmente esse processo será pensado para facilitar ao máximo a vida de quem teve um avistamento, removendo toda a burocracia do caminho, para encorajar a pessoa a falar. Segundo informado, estão tomando providências para agilizar a compreensão destes fenômenos que “nunca foram implementadas antes”. Eles realmente estão desesperados para saber o que está acontecendo, e provavelmente vão fazer uma bela campanha para isso.

Mostraram alguns vídeos de OVNIs, mas não tem nada de impressionante neles. Deixaram de responder apenas duas perguntas: 1) Perguntados sobre objetos não identificados na água, disseram que esse assunto não será discutido em uma sessão aberta e 2) Perguntados se, em algum momento, o encontro com um OVNI foi capaz de alterar em alguma forma a capacidade ofensiva ou defensiva das armas americanas, também responderam dizendo que isso não seria discutido em uma sessão aberta.

Esclareceram que nunca houve uma colisão de jatos da força aérea americana com nenhum desses OVNIs, porém, ocorreram 11 “quase colisões”, o que quer que isso seja. Também afirmaram que nunca houve uma tentativa desses OVNIs em se comunicar com os militares assim como os militares nunca tentaram se comunicar com eles ou tentaram agredi-los ou ataca-los de nenhuma forma. Nunca foi disparado um tiro ou feito algum movimento ofensivo contra eles.

Em resumo, a conclusão foi: OVNIs – Objetos Voadores Não Identificados de fato existem. Para mais de 400 avistamentos não foi encontrada nenhuma explicação plausível, conhecida ou indício de fraude. O que eles são? Ainda não sabemos, mas no momento, está todo mundo com medo de ser tecnologia humana, de um país “inimigo”.

Existe a certeza de que estão lá e que estão desafiando as leis da física como a conhecemos. E o governo dos EUA está realmente preocupado, querendo entende o que são, por medo de serem uma ameaça. E não vão medir esforços para isso. Mais do que isso não se pode dizer dessa audiência aberta, seria mera especulação.

Caso começarmos a ver mais e mais material surgindo nos próximos meses, já estamos com uma nova coluna planejada: DEX FILES. Vamos apresentando os materiais novos, e o Somir vai tentar desacreditar qualquer um deles, porque é um cético mala, mas um cético mala que entende bastante de manipulação de imagens e vídeos.

Para dizer que você sabe “a verdade”, para dizer que duvida que americano não tenha sentado o dedo e coberto os troços de tiro ou ainda para perguntar se agora viramos Google Tradutor: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas: ,

Comments (14)

  • Sexta vi um vídeo (nem pergunte do link, sei lá) que fazia um relato diferente: dos Está analisando terráqueos.

    Que nosso planeta é numa aberração, pois possui uma rotação (criando ciclos de dia e noite) e orbita uma estrela grande demais, que nossa concentração de oxigênio é muito baixa e de nitrogênio muito alta, que os “primatas pelados” se comunicam rápido demais e são muito agressivos… Pena que perdi o link

    O que você achou?

    Loading spinner

  • SE houvesse gente mas inteligente que os terráqueos já teriam dado as caras por aqui faz tempo, ou para nos ensinar como viver melhor ou para nos exterminar de vez pois somos uns incompetentes seres humanos do tipo gafanhoto: por onde passa destróem tudo e não se preocupam com o ambiente que dá suporte à vida, agem como se não houvesse amanhã.
    SE houvesse gente menos inteligente que os terráqueos, nós já os teríamos descoberto faz tempo.
    Óbvio que há vida fora do planeta terra, porém, não vida inteligente.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Se forem realmente inteligentes não chegam nem perto da gente… hahahaha

      Falando sério agora: você está usando premissas humanas e raciocínios humanos para definir o comportamento de seres que não seriam humanos. Nada do que você acha, do que você pensa ou do que você entende como bom-senso se aplica a seres que não são humanos. Podem existir razões, lógicas ou motivos que você nem ao menos cogita.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Cruz credo, parece que todo mês tem pelo menos um acontecimento que gera agitação. Um mês é guerra na Ucrânia, outro mês é OVNI, depois é varíola, depois é atentado…

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Você diz que drones aumentaram os avistamentos pois foram capazes de filmar de um novo ângulo ou que os avistamentos aumentaram pelas pessoas verem drones e acharem que são OVNIs?

      Eu achei estranho o tamanho da preocupação deles. A maioria dos avistamentos são por pilotos de caça, eu suponho que drones não voem tão alto…

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Provavelmente as duas coisas. O fato do numero de tralhas no espaço e na atmosfera ter aumentado exponencialmente justifica as duas coisas. Minha opinião é que é só caroço no angu mesmo.

        O que você achou?

        Loading spinner

      • Por exemplo, boa parte dos problemas explicatórios surge da premissa de que a fonte dos sinais seja uma coisa só. Por mais que essa seja uma premissa lógica dada a coincidência espacial e temporal, a superpopulacão do espaço aéreo aumenta em muito a probabilidade dessas ocorrências. Sem falar na possibilidade de voôs conjuntos, desmembramento de uma operação, projeteis autonomos. Na real, eu acho que estão testando uma estrategia de monitoramento do espaço aéreo com base social. Tem um monte de gente fazendo isso pra quase tudo, esses milicos parecem estar até atrasados.

        O que você achou?

        Loading spinner

  • Acredito que esses OVNIS tenham mais a ver com tecnologia de alguma potência que um contato alienígena. E, ouso dizer que esteja mais relacionado com truques de imagem e velocidade que algo que seja realmente inovador. Talvez seja até um pouco primitivo, porém extremamente criativo. Penso, inclusive que possa estar sendo usado como cortina de fumaça ou mera gracinha internacional.
    Despistar quem é o autor do show faz parte. Se, por exemplo, o Brasil fosse o criador desse tipo de tecnologia, seria interessante que houvesse avistamentos por aqui e uma junta para pesquisar essas aparições fosse feita só para não levantar suspeitas internacionas: “tão tecnológico e tão despreocupado? Aí, tem!”
    Também acho que essa chamada ao público esteja relacionada à possibilidade próxima do escalonamento da guerra na Ucrânia. Uma maneira de tentar antever surpresas e se preparar para o pior. Já que se sabe que as forças russas estão bem longe de usar todo o seu potencial bélico na atual fase da guerra.
    Mas vai que é um E.T.zão no comando..?

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Não tenho a menor ideia do que está acontecendo, mas o fato deles fazerem tanta questão de deixar isso público e incentivar que reportem casos me chama a atenção. Imagina o tanto de maluco que vai aparecer para contar “a verdade que ninguém sabe”. Tenho muita dó das pessoas encarregadas de filtrar todos os relatos que vão chegar.

      O que você achou?

      Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: