Incontroláveis.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quinta-feira, por unanimidade, que o eleitor não poderá levar o celular para a cabine de votação e deverá deixar o aparelho com o mesário da seção eleitoral na hora de votar na urna eletrônica. A medida foi adotada para evitar coações, fraudes e a violação do sigilo do voto. O desrespeito será considerado “ilícito eleitoral” e poderá resultar em punições. LINK


Não discordamos com a ideia da medida, mas é assustador que precisemos forçar isso. Desfavor da Semana.

SALLY

Que vergonha. Que vergonha de um povo tão desinformado, negligente e ignorante que não é capaz de respeitar regras básicas, que foram criadas para protegê-los. Que vergonha dessa postura paranoica típica do burro, achando que sabe mais do que os outros, que consegue ver uma conspiração onde os outros não enxergam.

Eu já contei aqui que quando gerenciava uma equipe precisava recolher celular de adultinho quando chegavam ao trabalho pois, se os deixasse com celular nas mãos, não cumpriam com suas obrigações. Assim é o brasileiro médio, um animal regido por suas vontades e vícios, que só se controla na chibata. Mas, pior do que é isso é ser um animal regido por suas vontades e vícios que encontra justificativas que acreditam serem racionais para a manutenção de suas vontades e vícios. Isso, meus queridos, é o fundo do poço.

Vou ser bem clara aqui: o fato de não poder fotografar ou filmar seu voto não é para proteger o candidato A ou B que quer fraudar as eleições, pois isso não protege ninguém, quem quer fraudar frauda, independente do seu registro. O fato de não poder fotografar ou filmar seu voto é para proteger o eleitor, de modo a que ele não possa ser pressionado pelo miliciano, pelo traficante, pelo patrão ou por quem mais quiser pressioná-lo a votar em determinado candidato e mostrar o recibo do voto depois.

Documentar seu voto é crime eleitoral. Você não gosta das leis? Tem dois caminhos: fazer como eu fiz e sair do país ou tentar contestá-las pelas vias legítimas, ou seja, judicialmente. Sabe o que não é um caminho? Se comportar como um adolescente revoltadinho e descumprir uma lei, e, no minuto seguinte, fica repetindo que bandido bom é bandido morto. Essa frase não cai nada bem em quem comete crime, não é mesmo?

É uma utopia pensar que todo mundo que votar vai documentar seu voto e que isso poderá ser comparado com o resultado oficial das urnas. E também é uma utopia pensar que existe alguma eleição na América Latina que não é fraudada, de uma forma ou de outra. Vai ter fraude sim, e não vai ser você, justiceiro do celular, que vai poder impedir. Recolham-se à sua insignificância. A necessidade de acreditar que tem controle é tanta que emburrece a ponto de pensar que podem evitar fraude documentando voto?

Querem o quê? Sacrificar o voto livre das pessoas só para que tenham uma falsa ilusão de controle? Desculpa, mas eu nem compro essa premissa de que querem fotografar/filmar voto para “fiscalizar” algo. Sabe o que eu acho? Que brasileiro é viciado em celular, em evadir sua privacidade, em postar ostentando qualquer coisa que lhe pareça positiva e virtuosa em redes sociais.

Olha como eu sou esperto, olha como eu ativistão, olha como eu sou safo, eu documentei meu voto! Eu fotografei e filmei, eu burlo o sistema, eu não permito fraude… EU, EU, EU. É isso o que essas pessoas querem fazer: louvar seus políticos de estimação em redes sociais e mostrar virtude.

Mesmo que para isso tenham que arriscar o sagrado direito de qualquer brasileiro de votar em paz, sem ter que prestar contas a pessoas que o pressionam. Brasileiro nunca se importou com porra nenhuma que não ostentar felicidade, bens materiais e virtude em redes sociais.

Colocam até os filhos em risco, postando fotinho de onde estudam, do uniforme da escolinha, de onde frequentam… Você sabia que quase todos os casos de sequestro e pedofilia no Brasil foram concretizados graças à informação que o criminoso captou em redes sociais? Ninguém se importa, continuam postando toneladas de fotos dos filhos.

Pois é, quem não se preocupa nem com a segurança de seus filhos e da sua família não ia se preocupar com mais nada, não é mesmo? O importante é passar a imagem que pega bem na sua bolha: votei em X, votei em Y, sou um vigilante fiscalizando o Estado e suas fraudes eleitorais, sou malandro e fiz o que era proibido sem ninguém ver, e tantas outras mensagens que se passa ao postar uma foto do voto.

Mas, adivinha só? Dessa vez, só dessa vez, quem for contra a lei vai se foder. Pelo Brasil ser um país honesto e fazer valer suas normas? Claro que não. É que dessa vez, quem fizer isso está atrapalhando o sistema, e, como diz o Capitão Nascimento, o sistema é foda, parceiro.

Você não vai impedir fraudes fotografando seu voto, seria necessário que todos o fizessem e sabemos que não vai acontecer. Mesmo que acontecesse, sabemos que metade das imagens seriam manipuladas, que seria criado tumulto para acusar um ou outro candidato de fraude. Esse é o problema quando todos são desonestos: não dá para acreditar em nada.

Mas você pode sim se colocar em uma bela encrenca se tentar documentar seu voto, pois você passa a se tornar um problema. E, como existe lei prevendo que isso é crime, vão fazer questão de te pegar e te punir. Olha que negócio desvantajoso: não impede fraude e ainda se fode, podendo inclusive perder o réu primário, algo que te impede de um monte de coisas no Brasil e no exterior.

Tenta ir para os EUA depois de perder o réu primário. Tenta um emprego… quase todos puxam sua ficha. Tenta um concurso público. Até eu puxava histórico criminal antes de me relacionar com alguém. Vale isso por uma atitude que não tem qualquer serventia? Todas as eleições até hoje sofreram algum tipo de fraude no Brasil, não será você, o Justiceiro do Celular, que vai impedir isso.

E não estou dizendo que é para engolir fraude e calar a boca. Lute, lute contra. Mas sem se foder e foder com os outros no processo, com atitudes que não funcionam e só vão te prejudicar. Seja inteligente, faça direito (no sentido de fazer bem-feito, pois fazer faculdade de direito não é inteligente!). Mas o brasileiro não quer fazer nada que dê trabalho, é melhor fazer algo fácil e ter a falsa sensação de que está contribuindo de alguma forma. Não está. E se você tem essa sensação, leia com muita atenção o parágrafo seguinte.

Bota a mãozinha na consciência e, não só agora, mas para o resto da vida, se faz a seguinte pergunta: “se eu não pudesse nunca mais postar uma foto em redes sociais, compartilhá-la ou torná-la pública de nenhuma forma, o que eu voltaria a fotografar?”. A resposta é: apenas coisas que são verdadeiramente importantes para você, que, se você quer a minha opinião, são as únicas que importam e que merecem a sua atenção.

Então, não vem com essa de justiceiro que não cola, respeita a porra da lei e, se quiser mudar o país (que realmente precisa de mudanças) faça-o sem cometer crime, caso contrário, você será a mesma merda dos que fraudam eleições: desrespeitando as normas por entender que é melhor assim.

Você não vai salvar o Brasil, você não vai impedir um esquema de fraude e corrupção muito bem estabelecido há mais de 500 anos. Pare de ser imbecil e arrogante e vá fazer algo pela sua vida, por você e pela sua família. Hoje, viver no Brasil é viver no meio de fraude e corrupção e, se você não gosta, repito os dois caminhos pelos quais você pode ter uma mudança efetiva: vias legais (que eu não acredito e não respeito) ou saindo do país (que eu super recomendo).

E parem de fotografar tudo, de evadir a porra da vida em redes sociais, de querer passar a imagem X ou Y. Pare de desabafar sobre vida pessoal, problema de trabalho ou questões de relacionamento em redes sociais. Não gera nada de bom e ainda pode causar muita coisa ruim. Em resumo: ao que estão pensando em fazer isso, cresçam.

Para dizer que acredita que, você, com um celular na mão, pode impedir fraude nas eleições, para dizer que pouca diferença faz se ganha Danielzinho Caceteiro ou Ziriguidim ou ainda para dizer que se sente um revolucionário da resistência votando em um conservador de merda mas fotografando o voto: sally@desfavor.com

SOMIR

Sabe o que mais me incomoda sobre o factóide eleitoral do Bolsonaro contra as urnas eletrônicas? Que ele fechou a porta para discussão sobre fraudes verdadeiras por muitos anos. Eu mesmo penso dez vezes antes de falar sobre o que pode dar errado no processo eleitoral brasileiro: pode e será usado contra o bom-senso básico.

Não é extremamente complicado fraudar uma urna eletrônica ou outra. Vai muito além das capacidades dos bandidos habituais brasileiros, mas não é impossível de difícil. Todo sistema tem pontos de falha. O problema é que para discutir esse tema, a pessoa precisa ter alguma noção de como acontece o processo da urna eletrônica e onde estão esses pontos de falha.

O que não é o caso do discurso bolsonarista atual. Eles já decidiram que ou o Bolsonaro ganha ou foi tudo um grande golpe. Não tem profundidade técnica, é puro discurso polarizador. A urna eletrônica é uma interface que compila números digitados e os armazena num arquivo. Ela nunca se conecta à internet. Por quê? Porque precisa de meio ponto de Q.I. para saber que seria um ponto de falha IMENSO deixar cada urna conectada à internet. Um hacker poderia manipular os números em todas elas de uma só vez caso estivessem ligadas à internet.

Não fizeram essa bobagem incrível. Mas é claro, em algum momento esses dados têm que ser enviados para um lugar central. Qualquer sistema que transfere dados de forma digital tem esse ponto de falha. Para reduzir os riscos, os dados são compilados em etapas: cada urna tem seu número de votos impresso em cinco vias que vão para pessoas diferentes, uma delas tem que ser colada na porta da sessão eleitoral depois das 17h.

Cada urna tem uma mídia física com o arquivo dos votos, e essas mídias físicas (tipo um pen-drive) são enviadas para o Tribunal Regional Eleitoral. No TRE, todos esses arquivos são verificados e compilados antes de serem enviados para a contagem final no TSE. Esses arquivos são enviados eletronicamente, mas isso é feito com criptografia. E se você entende um mínimo sobre criptografia moderna, sabe que não é qualquer corrupto que tem equipamento ou condição de quebrar isso. A CIA não consegue abrir HD criptografado para pegar terrorista, não vai ser esse povo que dá golpe mandando link falso de banco que vai quebrar…

A ideia é a seguinte: se algo estiver estranho, você pode voltar várias etapas até chegar de volta numa urna. Não se sabe quem votou em quem, mas se sabe quais votos foram depositados naquela urna. Tem como burlar? Tem sim. O problema é: você tem que ter controle sobre uma quantidade absurda de gente e sistemas para não ser pego facilmente.

Se Bolsonaro estivesse dizendo que temos que investigar melhor o que acontece com votos para vereadores porque tem desconfiança de algumas urnas sendo manipuladas, eu até entenderia. Agora, quando alguém diz que o sistema eleitoral brasileiro é vulnerável à uma manipulação generalizada para mudar o resultado da votação para presidente, o buraco é muito, muito mais embaixo. Se Lula ganhar do Bolsonaro por 1000 votos, eu vou entender chiliques. Se ganhar por alguns milhões, é virtualmente impossível argumentar que foi uma fraude. Você pode expor uma fraude desse nível facilmente. Especialmente se você for o presidente em exercício.

Uma fraude que muda o resultado de uma eleição para vereador numa cidade minúscula é complicada, mas possível. Uma fraude que muda o resultado de uma eleição para presidente num país com mais de cem milhões de eleitores votando beira ao ridículo. Na verdade, a única entidade política capaz de manipular uma eleição dessas é a própria presidência da república. E eu realmente desconfio que com o sistema eletrônico isso nem seja possível sem deixar escancarada a fraude: os dados podem ser compilados em segundos e todas as bizarrices aparecem imediatamente.

Os ditadores profissionais gostam mesmo é do voto impresso. Curiosamente, todos são reeleitos indefinidamente com votação no papel. Se você é presidente com um sistema bem montado, ganha fácil qualquer eleição com cédula de papel. Considerando que só o Brasil e alguns gatos pingados no mundo usam urnas eletrônicas, 99% das fraudes eleitorais do mundo são feitas com o sistema tradicional. Papel não é mais seguro, papel não garante nem por um segundo que o voto do cidadão vai ser contabilizado da forma correta. A urna eletrônica não é mágica, tem pontos de falha sim, mas faz tempo que estamos usando, e francamente, é a fama do Brasil que impede mais países de começarem a usar. Se o Japão tivesse começado com esse sistema e estivesse tudo indo relativamente bem há mais de 15 anos, o mundo todo já estaria mudando pra urna eletrônica.

Não é perfeito, mas mérito onde ele é merecido: o Brasil achou um jeito bem prático e seguro de contabilizar votos. Não precisa mudar nada, porque as outras opções não são mais seguras. Transferir dinheiro pela internet tem seus riscos, mas descobrimos que é muito mais tranquilo do que andar com maços de dinheiro por aí, não? Se quiser segurança perfeita, vai ficar reclamando pra sempre. Se quiser algo prático e relativamente seguro, urna eletrônica resolve muito bem.

Toda essa conversa sobre a urna é para complementar o ponto sobre o absurdo de exigir que a pessoa não filme o seu voto: a possibilidade de fraude contra o presidente em exercício é uma bobagem que os bolsonaristas tiraram da cartola e que colou pra muita gente. Essa gente vai lá querer filmar voto para ser “fiscal” de um sistema que nem entende e por tabela está botando em risco o direito fundamental do cidadão de ter seu voto secreto. Sally já explicou: é secreto para PROTEGER o cidadão. Mas esse povo cheio de certezas sobre algo que nunca tentou estudar não quer saber: quer levar seu brinquedinho pra todo canto e forçar a sociedade a dar uns 10 passos pra trás. Se o voto não for secreto, se for permitido filmar o ato, aí sim que as fraudes vão tomar conta do sistema. A maior parte desse povo vive sob controle de “coroné” e bandido.

Não vai ser uma chance, vai ser uma certeza de fraude se for permitido ficar com o celular durante a votação. O povo que quer a volta do voto impresso que era muito mais corruptível e é usado em larga escala para manter ditadores no poder também quer que o voto deixe de ser secreto, outra ferramenta maravilhosa na mão de quem quer… controlar votos.

É um absurdo o que acontece de desinformação nesse país, e pior, desinformação que tira direitos e proteções do cidadão, mas que eles parecem querer. Quer reclamar de uma coisa? Direito seu, mas faz a porra da obrigação de estudar sobre ela.

Para dizer que o gado adora uma cerca, para dizer que com ou sem fraude escolhemos gente ruim, ou mesmo para dizer que nada online é 100% confiável (nada offline também, mas pelo menos no online precisa saber programar): somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas: , ,

Comments (4)

  • Além de malandro e preguiçoso, brasileiro também é tão burro que se mete a dar pitaco sobre o que não entende e precisa que leis e regras sejam criadas até pra protegê-lo de si mesmo. É de cair o cu da bunda…

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Com o sistema político/social atual, vai ter fraude em qualquer eleição: voto impresso, urna eletrônica, sinais de fumaça ou voto telepático. Pouco importa.

      Não se muda isso alterando a forma de voto e sim mudando o sistema.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Agora fico pensando no que os coronéis/milicianos/traficantes vão fazer se não forem eleitos e não tiverem fotos dos votos, vão matar todo mundo do morro/da cidadezinha?

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: