Zika e Microcefalia

“Não deixam a gente falar abertamente para não causar pânico na população”. Foi assim que minha fonte abriu a conversa sobre Zika e Microcefalia, depois de me ouvir prometer sucessivas vezes que tomaria todo o cuidado do mundo para que não fosse possível identificar quem deu o depoimento na minha postagem.

Recentemente o Poder Público admitiu que existe relação entre o Zika Vírus e o surto de nascimento de bebês com Microcefalia. Já se sabia há mais tempo, porém havia relutância em admitir, já que isto é quase o mesmo que dizer que todas as grávidas do país estão arriscadas a ter filhos com Microcefalia, afinal, ninguém consegue se livrar 100% das chances de ser picada por um mosquito. Mas, antes de debater o problema em si (e toda a canalhice que ele envolve), vamos analisar alguns conceitos.

Microcefalia é uma anomalia onde o crânio e o cérebro do bebê são menores do que o normal. Pode ser descoberta ainda na gestação, por um simples exame de ultrassom. Infelizmente, ainda que seja detectada precocemente, não há nada que se possa fazer. Bebês como Microcefalia sofrerão consequências terríveis, como deficiências cognitivas e motoras. Para mostrar que eu não estou exagerando, deixo os dados falarem por si: pelo menos 90% das crianças com Microcefalia tem algum grau de retardo mental. Não tem cura, é algo que “vem de fábrica”, uma má-formação.

Vários fatores podem causar Microcefalia. Pode ser apenas uma loteria genética sem motivo aparente (uma má formação ao acaso) ou então uma alteração causada por fatores externos como substâncias tóxicas ou infecções. Um exemplo clássico (e por isso tão temido) é o vírus da Toxoplasmose, que pode levar à Microcefalia. Quem nunca ouviu que é perigoso para grávidas conviver com gatos? Alguns obstetras chegam a recomendar que as grávidas se desfaçam dos seus gatos. Os fatores que causam Microcefalia geralmente são muito sérios, coisas como drogas ou radiação, das quais toda grávida tem pavor. Pois bem, agora, dentro desses “desencadeadores” da Microcefalia, também está o Zika vírus.

Não se sabe muito bem como se dá o processo, na verdade, oficialmente, alegam ser a primeira vez que se constata sua relação com a Microcefalia. Não se sabe como o vírus atua no feto, o que é péssimo, pois ao não entender como funciona, fica mais difícil neutralizá-lo. Não se sabe nem mesmo qual é o período de maior vulnerabilidade das gestantes. Basicamente não se sabe nada, além do mal que ele causa, o que torna mais difícil prevenir a Microcefalia.

O Zika é um arbovírus, o que quer dizer que ele pode ser transmitido de artrópodes (carrapatos, mosquitos e outros bichinhos pequenos com patas articuladas) para seres humanos. A transmissão de dá no momento em que o mosquito pica o ser humano. É o mesmo princípio da Dengue e de tantas outras doenças. Inclusive o Zika pode se transmitido pelo mosquito que transmite a Dengue, o Aedes Aegypti. A doença tem esse nome curioso porter sido identificado pela primeira vez em 1947, em Uganda, mais precisamente em uma floresta chamada Zika.

Já ocorreram pequenos surtos de Zika vírus em países da África e da Ásia, que foram devidamente superados. Pergunto então à minha fonte se podemos ficar tranquilos, afinal, países que não são um primor de infraestrutura se livraram do problema, o Brasil fatalmente vai se livrar também. “Eu não teria tanta certeza”. Começa uma resposta muito dolorosa. “Pior do que a falta de infraestrutura, é a incompetência” e segue-se a isso uma sequência de informações tenebrosas sobre o sistema de saúde brasileiro e as escolhas do Poder Público sobre como lidar com o assunto. “Além disso, a densidade populacional aqui é bem diferente dos países que já lidaram com o problema. Pode avisar que aqui vai ser bem mais complicado”.

Pergunto se existe forma de erradicar o mosquito. “Se o Brasil conseguisse se livrar de um mosquito, não teríamos mais dengue, quando na verdade, ela não para de crescer”. Minha fonte pensa, e concluí: “Mesmo que tivéssemos um Governo eficiente, o nível de instrução e consciência da população torna praticamente impossível acabar com o Zika”.

Para piorar a situação, os sintomas do Zika Vírus são mais brandos do que os da dengue e podem durar menos tempo. Assim, é possível que mulheres cheguem a ser infectadas e nem mesmo percebam. Podem achar que estão com uma gripe ou até mesmo confundir os sintomas com algo que elas acreditam ser inerente à gestação. Muitas grávidas que tiveram bebês com Microcefalia não sem nem ao menos informar quando foi que contraíram a doença, pois ela passou despercebida. Para piorar ainda mais, existem casos onde a pessoa de fato não tem sintoma nenhum, o vírus entra e se instala em silêncio.

Os sintomas, quando aparecem, são confusos. Podem aparecer todos juntos, ou separados. Até mesmo um único sintoma. Variam entre febre, dor de cabeça, dor no corpo, manchas vermelhas, dor muscular, inflamação nos pés ou nas mãos, conjuntivite, edemas, vômitos, diarreia, dor abdominal ou falta de apetite. Apenas um deles pode estar presente. E, convenhamos, alguns deles se espera de uma gestante, como por exemplo vômitos ou pés inchados. Não existe tratamento. Apenas medicamentos que podem atenuar os desconfortos dos sintomas.

Agora que pincelamos por alto o assunto, vamos coloca-lo em perspectiva. A realidade de uma grávida (ou de uma mulher que deseje ter um filho) no Brasil hoje é: um surto de uma doença que está cada vez mais fora de controle, que causa sequelas gravíssimas e irreversíveis em seu bebê, transmitida por um mosquito, que pode estar em qualquer lugar. Confirmo com minha fonte se essa informação está correta, dita assim, exatamente como a escrevi: “Sim, está correto, mas eu não diria isso em público, pode causar histeria”.

Informo que meu blog não é assim tão lido. “Se você escrever isso, vai ser muito lido, ninguém está falando sobre o assunto com esse grau de sinceridade”. Que seja, é hora da população ficar histérica mesmo, e ter todos os elementos para pressionar o Poder Público e principalmente para pensar se quer engravidar com esse risco. “Cá entre nós? Se a coisa continuar assim, essa vai ser a nova Talidomida”, diz minha fonte, me deixando ainda mais horrorizada.

E é aí que entra aquele pensamento que eu costumo martelar: enquanto todos não estivermos bem, ninguém está bem. Somos um organismo, se parte dele está doente, o corpo todo sofre. Você pode ter uma mansão, um carro importado e o último iphone, mas se outras pessoas da sua cidade não tiverem o cuidado, a instrução, a consciência de tomar medidas para que os mosquitos transmissores desse vírus não se espalhem, o mosquito chega até você. Manter uma boa parcela da população alienada e emburrecida pode custar caro, muito caro.

Nem ao menos a prevenção está sendo feita de forma consciente. O primeiro passo é proteger sua casa, o local onde você passa a maior parte do tempo. Inseticida, repelentes e outros artifícios são falhos e caros. A solução mais eficiente e inteligente é colocar telas pela casa: nas portas, nas janelas, em qualquer buraco que leve ao meio externo e possa ser uma porta de entrada para mosquitos. Estas telas devem estar fechadas o tempo todo. É perfeitamente possível manter a casa arejada com elas.

Pode usar inseticida e repelente também, se eu estivesse grávida, provavelmente beberia um copo de Off no café da manhã, mas não deixem de colocar telas nas portas e janelas. Aqueles tules que cobrem os berços dos bebês, normalmente chamados de “mosquiteiros” são vendidos em tamanhos grandes para camas de adultos e também são um bom complemento às telas.

Não sair de casa não é uma opção, então, outras medidas são necessárias. Nos resta rir para não chorar quando tomamos conhecimento das orientações oficiais do nosso querido Poder Público: “A ordem é orientar as pessoas que saiam com roupas que cubram os braços e as pernas”. Perguntei à minha fonte como fazer isso às vésperas de um verão escaldante que, em muitos lugares pode chegar a temperaturas de 50°. “Eu fiz a mesma pergunta, e você não vai gostar da resposta que recebi”. Diante da minha insistência, ele reproduz a resposta que ouviu: “É isso ou ter um filho com cabeça de minhoca!”.

Pergunto então qual seria uma solução sensata. Minha fonte responde. “O Claudio chegou a dizer que a única coisa sensata a fazer é não engravidar agora, e deu uma merda…”. Ele se refere a Claudio Maierovitch, diretor do departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis, do Ministério da Saúde. Pergunto se ele concorda: “Não, pois a tendência é piorar. Se o conselho for na base do não engravidar, não vão poder engravidar nunca. Meu conselho é que se quiserem engravidar, saiam do país. Mas isso eu nunca vou poder falar publicamente”.

Pergunto a ele quais são as ordens que vem de cima para orientar a população, já que o infeliz que mandou não engravidar foi gongado: “Eles recomendam ter cautela, essa é a palavra que mandam usar: cautela”. Pergunto o que seria ter cautela. Minha fonte pensa, pensa e repete o discurso das roupas e realização de exames pré-natal. “Mas, verdade verdadeira? Os exames só adiantam para descobrir que o bebê tem Microcefalia, pois quando se constata a Microcefalia ela já aconteceu e não há tratamento. Não há como ter cautela com um mosquito”.

Pergunto se alguém tem ideia de como o vírus chegou até aqui. Minha fonte me olha e solta um palavrão: “Você vai me f… né? Você vai me f…”. Insisto. “Dificilmente alguém vai assumir isso, mas começou na Copa do Mundo” e me conta uma história tenebrosa que infelizmente não posso reproduzir sob pena de comprometer seu anonimato. Em resumo (e para bom entendedor, pingo é letra), basta uma pessoa infectada: se o mosquito pica essa pessoa e depois pica você, ele passa o Zika Vírus para você. Como não se pode colocar camisinha em bico de mosquito, somos todos grupo de risco. Quem disse que a Copa do Mundo não deixaria nenhum legado ao Brasil se enganou.

Então, condensando os três encontros de duas horas que tive com minha fonte para escrever este Desfavor Explica, tem algumas coisas que quero dizer a vocês, pessoas com as quais me importo e que eu sei que tem cognição para compreender, pois eu mesma os peneirei nesses últimos sete anos.

Não engravidem agora. Estamos perto do verão, um período onde eclodem epidemias propagadas por mosquitos. Os dados que são passados sobre Zika não são reais, a proporção é muito maior do que querem fazer parecer. O próprio Governo sabe que a população, na média, é tão despreparada e ignorante que não há campanha que os faça combater com efetividade a propagação do mosquito – assim como não houve campanha que consiga sequer reduzir os casos de dengue. Não existe gravidez segura agora. Mesmo que na sua cidade ou estado não existam casos de Zika, basta que alguém de fora da sua cidade, contaminado (sem nem mesmo saber) vá para o seu bairro e seja picado por um mosquito. Pronto, você já está correndo risco. E de dezembro a março, muitos alguéns de fora estarão viajando por todo o Brasil. Não engravidem agora.

Coloquem telas nas portas e janelas. Existem formas de colocar as telas sem fixá-las, elas podem ser removíveis. A tela ganha uma moldura e se encaixa na janelas, o que permite que eventualmente ela seja retirada para lavar. Os tetos das casas tem que ser forrados, caso contrário, as telas não resolvem. E mesmo com tudo isso, a porta do seu quarto (ou do aposento no qual você passa a maior parte do tempo) tem que ter uma porta extra de tela, que nunca deve ficar aberta. Mosquiteiro na cama e onde mais você quiser. Só depois disso você pensa em comprar aquelas porcarias de colocar na tomada que supostamente espantam insetos. Spoiler: insetos adquirem resistência a essas porcarias químicas, a melhor barreira é a física.

Não compartilhem este texto com grávidas, seria desumano expô-las de forma nua e crua à cruel loteria que elas vão passar. Façam sua parte e combatam os possíveis focos de mosquitos, mas já sabendo que certamente meia dúzia de Zé Ruelas não vão fazer a parte deles e corremos sérios riscos de enfrentar uma epidemia. Levem informação, levem conhecimento a quem possa absorvê-lo. E, se quiserem muito engravidar e não estiverem dispostos a adiar os planos, saiam do país.

Omissão nunca resolveu nada na história. O assunto tem que ser discutido, informação tem que ser disponibilizada e se a população quiser ficar histérica, que fique. Está mais do que na hora…

Para dizer que é mais fácil o inferno congelar do que as mulheres brasileiras pararem de engravidar, para fazer piada com o assunto por aqui ser o único lugar do mundo onde isso não será recriminado ou ainda para dizer que não gosta quando escrevo sobre assuntos sérios: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: , ,

Comments (119)

  • A mídia nunca divulga os da os reais. É por isto que prefiro o Desfavor, que para mim, já é fonte principal e informação.

    “Issaí é coisa Duzi Luminati pra crontolà a população…

    Difícil e convencer as bolsistas familia a não engravidar.

  • Uma pequena correção: toxoplasmose é causada por um protozoário, não por vírus.
    Realmente é bem difícil se proteger na atual situação, estou grávida e uso repelente 24 horas por dia, nunca estou sem. Uso o exposis por ser o melhor, mas é caro e chato fazer isso o tempo todo.
    Porém antes de engravidar analisei a situaçã: ou engravida agora ou espera o surto passar, porém isso nunca vai acontecer no Brasil. Há 20 anos temos a dengue como endêmica é isso nunca diminuiu. Tenho absoluta certeza que com a Zika não será diferente.

  • BOA TARDE
    TO COM UMA DUVIDA
    TIVE A DOENÇA ZICA VÍRUS A UM MÊS SOU CASADA A 8 ANOS E EM SETEMBRO DE 2015 PAREI O ANTICONCEPCIONAL PARA TENTAR ENGRAVIDAR E AGORA COM O VÍRUS ESTOU PERDIDA MORRO DO RJ E AQUI POUCO SE FALA NO ASSUNTO PRECISO SABER SE O FATO DE EU JÁ TER TIDO A ZICA TENHO MAS CHANCES DE TER UM BEBE DOENTE OU NÃO ?

    • Fabiana,
      Acompanho o Desfavor silenciosamente há mais de um ano, mas quando li seu comentário tive que escrever. Concordo plenamente com a Sally: não engravide. Não agora. Não se sabe ainda durante quanto tempo o zika vírus fica no organismo depois de passada a fase sintomática da doença. Ou seja, mesmo você já estando melhor, existe a chance de, caso você engravidar, o bebê vir a ter microcefalia. Não vale a pena correr o risco.

    • 3100 casos de gravidas com zika na Colômbia e nenhuma tem feito C microcefalia. OMS está estudando o fato do surto ser SOMENTE no Brasil. Prêmio Nobel de medicina afirma que microcefalia não tem relação com zika e sim com VACINA. Procure ler sobre esses assuntos. Mais uma vez o PT tirando o dele da reta.

  • Estava aqui lendo os comentários e confesso que me bateu uma tristeza sem fim. Estou na minha terceira gestação, hoje com 8 semanas. Não tive sucesso na primeira, pois perdi minha filha com apenas 10 dias de nascida. Na segunda passei por um erro medico e meu filho acabou nascendo prematuro, mas graças a Deus depois de todo sofrimento ele resistiu e hoje é um lindo e saudavel menino. Tenho 36 anos e achei por bem ter minha ultima tentativa de engravidar, aí vem esse grande problema, ZIKA VIRUS. Optei por me isolar em casa, moro numa parte alta e fria do Brasil, aqui ainda não houve casos de dengue ou zika, mas tive que abrir mão do ultimo periodo do meu curso, pois a cidade onde faço esta com epidemia de dengue e zika. So peço a Deus que me ajude a passar por esse tão triste e delicado momento, pois esperar do governo ja perdi as esperanças.

  • Sally, é tudo isso ai mesmo. Estão passando de uma forma bem menos grave do que realmente é . Assisti uma aula sobre isso, tenho amigos que são do SUS.
    A gestao do Brasil é uma merda mesmo. Suécia ja vetou receber esse tipo de evento pq humildemente admitiu que nao tem como lidar com essws surtos, possuem outras prioridades.
    Tenho medo do que estar por vir nas olimpiadas.

  • Aqui na Bahia, a terra de BMs por excelência, pouco se fala no assunto. Já imagino os estragos que este vírus fará… Minha vizinha – que é minha professora de corte e costura – chegou a ficar um mês sem poder dar aula nem pra mim nem pras outras alunas porque a tal da chicugunya e a tal da Zika derrubaram ela… Meu, eu não a reconheci, ela ficou mal pra cacete… E nisso porque ela é quase sessentona (até avó ela já é), mas ela se recuperou, fico a pensar em mulheres em idade fértil que já estão grávidas e passando por pânico… Meu coração está com elas e está com raiva deste desgoverno de merda que deixa isso acontecer – e os políticos locais irresponsáveis que quase não fala sobre este terrível e urgente assunto!

  • Mais um motivo para não parir no Brasil: Além da medicina ginecológica e obstétrica da idade da pedra, o próprio país é um grande desfavor e agora isso.

    Zika e até Chicungunya viraram DST, mais uma pra entrar na lista. Trepar no Brasil ficou ainda mais perigoso, engravidar então, pior ainda…

  • Sally, sou pediatra em minas, queria compartilhar umas informações:

    – O teste para saber se o recém nascido teve Zika na gestação custa R$1.600,00.
    -O governo está liberando 40 testes por ESTADO.
    -Existe uma burocracia enorme para nos impedir de notificar os casos. E só os notificados são candidatos a TALVEZ conseguir fazer o teste.

    Ou seja, é muito maior do que imaginamos, não estamos conseguindo nem confirmar os casos, a saúde está falida e o exame é caro. Imagina dar suporte para essa legião de crianças doentes e para as famílias? A saúde pública não vai suportar.
    É assustador.

  • O Zika vírus provavelmente traz tal dano nos três primeiros meses de gestação. Provavelmente há um numero maior de abortos espontâneos em mulheres com tal vírus do que entre a população não afetada por ele.

  • Aqui em Minas mal se fala nisso também. Estou assustada como isso é pouco divulgado.

    E o que seria chikungunya?

    • Outra doença transmitida pelo mosquito egípcio que ficou famosa antes do zika. Começou com surtos na Guiana Francesa ou algo próximo, entrou no Brasil pelo Amapá (região de Oiapoque) e se instalou no mercado, mas ninguém lembra dela porque o zika tomou toda a atenção pra si.

  • Fudeu. Usar o Off também não funciona, pois a concentração do seu princípio ativo (DEET) é baixo (durando aprox. 20 minutos).

    Para quem está grávida e precisa fazer algo, além das barreiras físicas, tem que usar repelentes com ICARIDINA. Essa é uma substância que comprovadamente diminui as chances de ser picado pelo Aedes. Com icaridina, o tempo de proteção é de até 10 horas.

    No mais, corram para as montanhas (fujam do país).

  • Existe uma pequena luz no fim do túnel…

    Até onde se sabe, o Zika virus só tem um sorotipo, ao contrario da dengue, que tem 4… entao representa uma imunidade duradoura praqueles que já tiveram contato com ele.

    A dengue não para de crescer porque são 4 sorotipos, então a quase totalidade da população é suscetível.
    O que vai acontecer é uma epidemia absurda de Zika e Chikungunya (pensem, pra cada 10 pessoas com dengue, 2 tem sintomas… na Chikungunya é quase 8 pra 10) ano que vem (aguardem!), mas a tendência é reduzir nos próximos anos.
    Então, sem bebês nos próximos anos, mas talvez daqui pouco tempo já dê pra engravidar!

    Pessoal tá abafando muito, mas tem casos de microcefalia confirmados em Campinas já. Não quero nem ver quando chegar o Guillain Barre

    • O problema é convencer as pessoas a não terem filhos nesse momento. Mexer com a santidade da maternidade nunca dá certo…

      • Já foi identificado um quinto sorotipo de Dengue na Ásia. Vírus evoluem rápido. Zyka talvez só tenha um sorotipo por que circulou pouco. Sabe-se muito pouco sobre o zyka. O que eu sei é que sempre que alguém aparece com uma solução mágica contra a Dengue eu me pergunto: combinaram isso com o vírus?

  • Não entendi essa ideia de não poder falar abertamente. As pessoas precisam saber pra se proteger, pra andarem banhadas de repelente, usarem telas nas casas. Não vai ter mais jeito? Vai virar epidemia pra sempre? Ignorar o perigo é pior.

      • Ué, o governo de São Paulo não se omitiu sobre a necessidade de racionar água pra não sujar a campanha de reeleição do governador? Então, ano que vem tem eleições municipais, preparem-se para uma nova temporada de braços cruzados

        • Se aqui perto há dilmista (quase ?) de braços cruzados até com o que talvez pudesse ser a maior obra revitalizadora(?) em décadas…

  • Momento devaneio…

    O número de casos de dengue na Banânia já passou do milhão há meses, então supor que ainda estamos no início do surto de Zika e que o número de casos irá aumentar MUITO é razoável. Da mesma forma, a incidência de dengue não diminui, muito pelo contrário; assim, assumir que a Zika veio para ficar é que teremos milhares de bebês batatinhas nascendo a cada ano também não me parece exagerado.

    É de se esperar que várias dessas mães queiram desistir da gravidez ao descobrir a microcefalia – essa é uma escolha racional, na minha humilde opinião. Será que a Zika pode ter um efeito colateral bom, de estimular o debate sobre aborto na Banânia?

  • Estava conversando ontem com a minha mãe sobre isso e cogitei mais um ponto: imagina o que vai ter de aborto clandestino mal feito e grávida morrendo por causa disso?

    Ok, vamos esperar agora o legado das Olimpíadas.

    • Mas… aborto com 5, 6 meses de gestação? Com quantos meses se pode diagnosticar a microcefalia? Imagino que não seja muito cedo. Alguém me confirma o tempo de gestação necessário?

      • Sally, só detecta tardiamente, realmente. Mas se tem louca que coloca a vida em risco e aborta com 6 meses de gestação por não querer o filho, imagina com a real existência de uma deficiência?!?

          • Vai aumentar ostensivamente o número de abandonos de recém nascidos nas classes mais pobres. Como as classes mais abonadas $ vão “se virar” com algo que seja socialmente “aceitável” ou “contornável” é uma boa pergunta.

  • “É mais fácil o inferno congelar do que as mulheres brasileiras pararem de engravidar.”
    É exatamente nisso em que eu acredito. Não quero engravidar, mas estou tentando alertar ao máximo as pessoas que eu conheço. Inclusive vou compartilhar este texto.
    O problema é que a ignorância é tão grande que eu li muitos comentários e ouvi de amigas que é um absurdo serem “proibidas” de engravidar, que não dá para ter certeza que isso tem relação com o Zica, precisa de mais pesquisa. Fora as teorias da conspiração.
    É uma tristeza mesmo, a pessoa querer correr o risco de o filho nascer com deficiências graves do que esperar um pouco o surto passar.

    • Pior que nem de egoísmo da pra chamar, porque a criança nascendo com microcefalia, vão ser os pais que vão se desdobrar o resto da vida pra lidar com essa pessoa!

      • Sim. É ignorância mesmo. Imagina um país com enorme percentual de deficientes que não trabalham e o estrago que isso faz na previdência e você vai ver que não convém a NINGUÉM esse surto de microcefalia…

        • Creio que vc está desinformada sobre o que chama de estrago…o benefício oferecido aos deficientes pela lei orgânica de assistência social exige que a renda per capita da família seja de no máximo 1/4 do salário mínimo vigente – ou seja, são pessoas miseráveis. Fora isso, no circo Brasil não há saúde nem para os ditos “normais’…

          • Creio que você está desinformada sobre a projeção das quantidades de casos de microcefalia para os próximos dez anos.

            • Vou tentar lhe explicar melhor o que disse quanto ao que vc chamou de estrago na Previdência.O percentual de deficientes que recebem um salário-mínimo do governo, sem exigência de ter contribuído para tal (portanto não se trata de previdência social e sim assistência social) é muuuito pequeno pois exige uma renda per capita ridícula por família. Os que não se encaixam nesta situação tem que se virar para arcar com os custos cotidianos, depender do SUS, das Apaes, enfim, salve-se quem puder. E o maior estrago da previdência é causado por corrupção e mau gerenciamento, como tudo no circo Brasil.Fora isso, seu texto é excelente, alerta para um problema sério e tenho consciência que a situação é muito grave e merece atenção.

              • E se esses deficientes forem 50% da população, a coisa se sustenta? Pense que não se trata só do quanto tem que pagar mas também de 50% a menos de contribuições.

  • Num lugar onde já ouvi “não vou fazer nada a prefeitura que se vire” difícil não achar que vai piorar. Não sei com quanto tempo de gestação pode ser feito diagnostico, mas os bebes (acho que aqui posso dizer isso sem ser exorcizada) pra mim tinha que ser um esquema meio espartano msm: não deixar nascer. O custo vai ser alto demais.

    • O problema é que depois de um tempo deixa de ser aborto e passa a ser homicídio, aí o bicho pega legalmente. Ninguém vai fazer.

      • Sally, mas se a microcefalia for detectada com até 4 meses e o feto não for senciente (o que ocorre a partir dos 6 meses, senão mais tarde, acho), se o aborto fosse legal como é nos EUA, poderia ocorrer sim.

        Eu não acho aborto “coisa boa”, acho até incômodo eu mesma falar assim, mas se é pra nascer e ficar sequelado, melhor nem virar criança e nascer.

        Vi até um argumento muito bom em uma discussão a respeito de aborto na internet: Sobre autonomia corporal da mulher – um feto/embrião não tem que preceder os direitos da mulher sobre o próprio corpo e ele não tem direito de usar o corpo da mulher contra a vontade dela, assim como ninguém pode usar nosso corpo em benefício próprio, nem somos obrigados a doar nossos órgãos se não queremos, nem quando estamos mortos.

          • Ainda não, ainda depende disso ser dentro de 24 horas do recém-nascimento, mesmo o período do início da condição pode ser no trimestre (quarto ao sexto)…

            Ou seja : por nosso ponto de vista, avançá-lo ainda depende de ter o número de casos que foram até o terceiro ou quarto mês (ou até do argumento pré-23ª semana) e outro país “agilizar”(mais algumas aspas) futuro(s) método(s) que (finalmente !!!) corresponderia(m)…

  • Aqui em Minas ninguém nem pincelou o assunto. Não temos casos na cidade ainda, mas começarei hoje a aumentar as medidas de proteção para não dar chance pro azar!
    É muita má vontade e inconsequência do poder público. Preferem manter a população em confortável ignorância… até a microcefalia se tornar endêmica e virar um problema de proporções ainda mais catastróficas!

    • Eles sabem que nao adianta educar, instruir, avisar. O povo é tão burro e ignorante que vai se espalhar de qualquer jeito.

  • Se tiver um biólogo aqui na RID, peço que explique qual seria o desequilíbrio ecológico provocado pela extinção dos mosquitos.

    • No caso do Aedes entraria outra espécie hematófaga para explorar o nicho (sangue humano), mas isso não é tão grave em termos ecológicos (menos grave do que ter 7 bilhoes de pessoas cagando no planeta). O que seria grave é exterminar todas as espécies que não são hematófagas, ou que são mas não picam o homem, e que polinizam a maioria das plantas que conhecemos. Inclusive cultivares humanos.

  • Alguem sabe se o risco é quando pega o Zica quando está grávida ou se engravidar um tempo depois de ter tido a doença tambem tem risco ?

      • Ah é só curiosidade mesmo,não estou.nem.pretendo ficar.grávida, só pensei nisso porque tem vírus que ficam.no corpo, mesmo depois que os sintomas desaparecem

  • Nossa, que pânico! Pior que recentemente teve Copa América aqui no Chile! A parte boa é q o Brasil não veio pra minha cidade, mas será que pode vir pra cá tmb??? Tomara que não! Q medo, cara!

  • Ótimo texto! No brasil quando o assunto é saúde pública o que prevalece é a desinformação e muitas vezes omissão de dados importantes a manutenção da segurança da população. Passando pra frente agora!

  • Quem disse que a Copa do Mundo não deixaria nenhum legado ao Brasil se enganou

    Isso com 32 países participantes…nem quero imaginar qual será o legado da Olimpíada, com 205 comitês olímpicos vindo para cá, sem maiores exigências, um visto sequer…

    Hoje de manhã, no caminho do trabalho, assisti a uma entrevista de um representante do Ministério da Saúde, da qual entendi que o vetor transmitido pelo mosquito devoraria as células do cérebro. Seria isso mesmo?…Gezuiz.

  • Já comecei a ver no Rio de Janeiro um movimento dos telejornais locais explicando o surto de microcefalia e a relação com o Zika. Tudo ainda muito preliminar e sem dar respostas concretas.

    Acho que o fato de a maioria dos casos estar acontecendo no Norte/Nordeste ajuda também na morosidade dos órgãos públicos em decretar estado de emergência. Enquanto aqui só começa a se comentar, lá a situação já está gravíssima, mas não estava se dando muita atenção.

    Mas, parece mania de brasileiro. Só faz alguma coisa quando a água começa a bater na bunda..

  • Sally… perfeito (como sempre)… Sou ginecologista e estou usando esse tom com minhas pacientes: -não engravide agora… se já grávida: coloco o terror com os cuidados e com todos pergunto: -o que você já fez HOJE para acabar com o Aedes???
    Mas estamos vivendo um mar de ignorância. Poucas informações são obtidas e temos pouco para passar.
    Lá vem uma geração de microcéfalos, totalmente dependentes e está só começando.

    • PS: já está saindo indícios de que o Zika Viris também possa ser transmitido via sêmen, sangue e leite materno… o problema vai ganhando novos contornos.

      • Mas aí eu acho menos pior, pois a pessoa tem como se prevenir. Claro que não vai acontecer e vai se espalhar ainda mais…

    • Pois é…esses microcéfalos são seres humanos e qq um de nós pode um dia ficar totalmente dependentes…seria bom se o Brasil fosse um país decente e amparasse aqueles em situação de vulnerabilidade…

  • Iria sugerir um post com esse assunto, porque tantas pessoas falam abobrinhas que realmente não sabemos em quem acreditar, eu não acredito quase nada que venha da internet, a não ser no desfavor. É ainda pior do que imaginava.
    Já nao queria engravidar, agora então..

  • A imprensa aqui de Pernambuco está cobrindo direitinho o assunto, pudera, os registros de microcefalia já passam de 500, foi recentemente decretado estado de emergência! Além disso, também se especula que ela possa causar uma doença autoimune que provoca paralisia, a Guillaim-Barré.

    E recentemente foi confirmado também que a transmissão do zika também poderia se dar por transfusão sanguínea e relação sexual.

    Fora a chikungunya..

    http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/noticia/2015/11/30/transmissao-da-zika-por-via-sanguinea-e-relacao-sexual-e-confirmada-210363.php

    http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/geral/noticia/2015/11/29/zika-e-microcefalia-governo-de-pernambuco-e-prefeitura-do-recife-decretam-estado-de-emergencia-210202.php?kl

    http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/saude/noticia/2015/11/23/numero-de-bebes-nascidos-com-microcefalia-ja-ultrapassa-a-marca-dos-500-209377.php

    • Corrigindo, acabei de ler que a transmissão via relação sexual ainda precisa de confirmação e que, em todo caso, não é tão relevante, por que o vetor principal é o mosquito mesmo!

      E a parte de que se especula que a origem do vírus foi na copa do mundo já tem sido bastante divulgada também. É realmente triste que esse tenha sido o legado, antes fossem só os estádios-elefantes-brancos com dívidas milionárias!

  • Obrigada Sally! Até agora (e provavelmente para sempre) aqui foi o único “lugar” onde as informações foram transmitidas com transparência.

  • Eu ia compartilhar, justamente porque conheço muitas grávidas. Por que seria desumano e cruel?

    Não é sempre melhor ter consciência dos riscos?

    • Por não ter absolutamente nada que possa ser feito a respeito: não importa os cuidados que se tomem, elas podem ser picadas por um mosquito e ter que cuidar para sempre de um filhos com sérias deficiências. Eu não acho que essa informação traga nada além de desespero para quem já está grávida…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: