Flertando com o desastre: Mal educados.

Os mal educados venceram. Eles são maioria. Os bem educados, por viver em condição de minoria, acabam sendo os errados e fatalmente são taxados de frescos, esnobes ou qualquer outro adjetivo que desvalorize sua boa educação. Cabe aos educados se virar para tentar, na medida do possível, evitar os mal educados e tentar levar sua vida com um mínimo de graça e elegância. Sim, temos que nos conformar e criar estratégias de sobrevivência, mesmo sabendo que os corretos somos nós. Estou jogando a toalha: hoje afirmo que se preciso for, acho que vale à pena gastar mais dinheiro ou ter mais trabalho, tudo para evitar gente mal educada. Esse povo não tem jeito, não tem volta, a única solução é fugir deles e torcer para que se matem entre si.

Um clássico exemplo foi narrado faz poucos dias aqui mesmo nos comentários: cinema, onde o mal educado é aquele que pede silêncio. Se você quer assistir a um filme com paz e dignidade, com silêncio na sala, como deve ser, tem que montar uma estratégia, ao menos aqui no Rio de Janeiro. Para começo de conversa, filme dublado nem pensar porque vai estar cheio de crianças e imbecilóides que não tem alfabetização suficiente para ler legendas durante o filme. Sim, tem disso. Pessoas que não conseguem ler com a velocidade necessária pequenas frases ou pessoas que não conseguem ler e prestar atenção às imagens ao mesmo tempo. Geralmente estas criaturas (crianças e semi-analfas) não sabem se portar em público e farão do filme um evento irritante. É gente que comenta o filme todo, grita, bate palmas, canta e faz barulho. E se você ousar fazer um shhh, vai ser chamado de “mal educado” nos seus cornos, como aconteceu com um dos Impopulares.

Além do filme ser legendado, é essencial que o horário seja escrotamente tarde, de meia noite em diante e de preferência em um cinema que não seja point e cujo filme não seja estreia ou blockbuster, de modo a evitar aqueles nefastos grupinhos de adolescentes sem um pingo de educação que ficam tentando disfarçar sua insegurança e seus corpos e vozes ridículos na forma de piadinhas e outras inconveniência para tentar aparecer. Ninguém merece dividir uma sala de cinema com essas criaturas nesta fase de retardamento hormonal. Tem ainda as mães que levam seus filhos em filmes legendados e ficam FUCKIN’ LENDO as legendas! Sério, porque? PORQUE? Ou ainda levam bebês para o cinema. O que caralhos um bebê de poucos meses de vida vai fazer no cinema além de chorar e cagar o filme alheio? Quis ter filhos? Fica em casa cuidando do seu filho, abra mão de programas de adultos quando tiver que sair com o bebê!

Cinema na pqp, filme pouco visado e após a meia noite. Sim, os educados tem que ralar se querem algum resquício de ambiente com educação. E muitas vezes nem assim, já me programei para ir ao cinema nestas condições que eu considero de “baixo risco” e sentei ao lado de um casal que brigava aos berros o filme todo. Quando uma pessoa lhes sugeriu que fossem discutir do lado de fora eles começaram a gritar com a pessoa dizendo que era “censura” e que a Constituição assegura o direito à “liberdade de expressão”. Quase tive um colapso jurídico. Levantei e fui embora, discutir com gente mal educada é ainda pior do que perder o valor do ingresso.

Gente, e as pessoas comendo? Isso me tira do sério. A falta de educação das pessoas à mesa poderia render por si só uma postagem. Pior do que a falta de educação são essas mesmas pessoas se achando super educadas. Meio mundo mastiga com a boca aberta e fazendo barulho, mas se você alerta a pessoa para isso, ela nega ofendida. Faz anos que desisti de chamar a atenção de pessoas mais chegadas para esse detalhe. Francamente, acho que todo mundo um dia na vida deveria comer com um gravador ligado sem saber que estava sendo gravado e depois ser obrigado a escutar essa gravação durante toda a próxima refeição, para entender o que a pessoa que está comendo ao seu lado passa. As pessoas mastigam fazendo ruídos inacreditáveis. Depois raspam o prato ou a tigela fazendo ainda mais ruídos. Depois ficam chupando o dente tentando tirar fiapos ou até mesmo palitando. É muito nojento. E as pessoas que mordem a colher ou o garfo cada vez que levam a comida à boca? Taí uma coisa (pelo menos em mim) que mata até a atração sexual: a pessoa comer fazendo barulho ostensivo. Não falo de barulho normal de mastigação, falo de poder ver o bolo alimentar no céu da boca da pessoa e de um ruído similar ao da Maggie dos Simpsons chupando a chupeta.

A mesa é um parque de diversões para os mal educados. Não é apenas no momento de ingerir o alimento que eles desfilam seus predicados. A coisa já começa antes, quando a mesa está posta e a pessoa não vem comer. Tem gente que fica vendo TV enquanto a comida esfria, tem gente que fica jogando joguinho no celular… enfim, em todos os casos, uma tremenda falta de educação para com quem cozinhou para você. Tem ainda os que sentam e começam a comer, sem esperar que todos se juntem à mesa. Tem também os que acabam de comer e se levantam, sem esperar que os demais terminem. Isso é admissível em situações excepcionais, como regra acho muito mal educado. Tem ainda os que quando terminam de comer EMPURRAM O FUCKIN´PRATO. Parece bobagem, mas estas pequenas coisas dizem o quanto de consideração você tem pela pessoa que está ao seu lado. Ninguém faz isso na fase da conquista, quando quer mostrar o melhor de si. Conclusão, se você quer comer sem sentir asco e irritação, tem que dar um jeito de almoçar sozinho, o que pode ser especialmente mal visto no ambiente de trabalho. Sim, quem se recusa a almoçar com colegas é visto como antissocial. Errada é a pessoa que não atura nojeiras e não os porcos que comem feito bicho! Então tá!

E falta de educação com o sono alheio? Gente que liga para a casa dos outros em horários inconvenientes sem ter a absoluta certeza que a pessoa está acordada tem que se foder muito na vida. Nos finais de semana, ligar antes das 10h é sacanagem. Gente que acorda e vai ouvir música alta, TV alta ou qualquer merda alta sabendo que tem outro ser humano dormindo merece ser confinado em um reality show com mais outros duzentos que façam isso para sentir na pele essa falta de respeito. E ainda tem os mal educados máster, ultra arrogantes, que fazem tudo isso e ainda se acham certos dizendo que “são dez da manhã, isso não é hora de estar dormindo”. Oi? A hora de estar dormindo é aquela na qual eu tenho sono, quem a pessoa pensa que é para dizer qual é o “horário universalmente correto” para alguém acordar? Universo Umbigo, se você dorme mais do que aquela pessoa, você é preguiçoso e está na hora de acordar.

Este comportamento é típico do mal educado. O mal educado é referência mundial de bom senso e bom gosto. Vai você fazer alguma coisa que destoe do comportamento que o mal educado considera como certo? Observe: ele vai ficar muito puto. Ele esquece que comete todo tipo de falta de educação e ainda se sente no direito de te chamar de errado. Claro, é muito mais fácil acreditar que você é errado do que passar pela constrangedora situação de perceber que foi mal educado. Assim eles vão se auto-enganando e se auto-perdoando, perpetrando suas faltas de educação. Infelizmente essas porras costumam ter filhos, muitos filhos, claro, criar criança mal educada não dá trabalho (o trabalho só vem na adolescência). Para exercer seu sagrado direito de dormir as horas de sono que seu corpo pedir, você é obrigado a desligar os telefones da sua casa ou trancar a porta do seu quarto e colocar protetores de ouvido. É você quem tem que dar o seu jeito, pois tem gente que mesmo pedindo para não ligar antes de tal hora, sempre liga. Absurdo!

Observem que não me refiro aqui a nenhuma norma formal de etiqueta, apenas ao básico: não mostrar alimentos mastigados a quem está ao seu lado, não acordar pessoas que estão dormindo, enfim, coisas que nem deveriam ter que ser pedidas a alguém. Ainda assim, eles venceram. Daí você pode estar se perguntando porque nós temos que nos desdobrar e nos sujeitar a ajustar nossas vidas, nossas rotinas às imposições dessa cambada de mal educados, quando eu mesma já fiz discurso no sentido contrário, no sentido de combater a falta de educação. E te respondo: PORQUE NÃO FUCKIN’ ADIANTA. Sim, eu jogo a toalha. Não adianta conversar, argumentar um dar um toque em gente mal educada. É perda de tempo, é aborrecimento inútil. Hoje eu acho menos sacrificante me desdobrar em situações muitas vezes incômodas para evita-los e vim aqui recomendar que vocês façam o mesmo, após muito murro em ponta de faca.

A falta de educação ou vem de berço ou é adquirida conforme os costumes do “bando”. Sim, tem disso. Eu conheço pessoas que receberam uma boa educação de seus pais mas quando andam em “bando” com vários mal educados acabam sofrendo um mimetismo e viram mal educados também, seja para ser aceito pelo bando, seja porque ser mal educado dá menos trabalho do que ser bem educado. Quando a falta de educação vem de berço a pessoa simplesmente não vai achar que está sendo mal educada porque cresceu nessa realidade e ninguém no seu entorno achava isso falta de educação, logo, dizer que ela está sendo mal educada é quase que ofender seu pai e sua mãe e vai ser respondido com pedrada. Quando a pessoa é mal educada pela lógica do bando é pior ainda, nem vale a pena falar qualquer coisa, porque o filho da puta teve a opção, teve a informação necessária para ser decente e optou por ser um puta dum mal educado. Quão merda é uma pessoa dessas? Merece seu investimento tentando corrigi-la? Não merece. Apenas se afaste.

A falta de educação pela lógica do bando é muito comum no contexto masculino. Quem aqui não conhece homens que são bacanas e agradáveis mas viram uns idiotas retardados quando estão em bando, no meio dos seus amigos? Meu desprezo por gente assim em uma escala de valores está pau a pau com gente que chega com garrafa de Coca-Cola enfiada no cu em pronto-socorro ou de gente que pinta seu cachorro de rosa. Pule fora de gente mal educada. Pra ontem. Sai fora e vai procurar coisa melhor, porque os bem educados ainda existem. Arrume um bem educado e tenha bem educadinhos, para quem sabe melhorar essa porra desse mundo um dia. Saia fora de qualquer mal educado, mesmo daqueles que você nem conhece. Evite lugares, eventos ou situações onde vai ser exposto a essa gentalha, porque ter que engolir a falta de educação alheia dá câncer, eu tenho certeza! Essa porra mina a saúde e te tira anos de vida. Se poupe, quando possível, fuja de situações que te deixem exposto a essas pessoas. Eu sei que soa como um desaforo ter que mudar sua rotina por causa da gentalha, mas vai por mim, é melhor para você. Eles venceram, eles são esmagadora maioria, não tem jeito.

Para aqueles que estão me achando chata, esnobe ou ranzinza, imprimam este texto e guardem. Provavelmente vocês ainda são jovens e não forampaunocuzados o suficiente por gente mal educada para pegar esse nojinho que eu estou sentindo. Um dia vocês vão cansar também. Vão cansar e vão ficar mais seletivos. Depois dos 35 a gente conversa. Não tenho pressa, cedo ou tarde vocês vão conseguir compreender o que eu quero dizer. E quando esse dia chegar, lembrem das minhas palavras: Não vale a pena embate com gente mal educada, é perda de tempo e de energia. Não vale a pena. Fuja deles, evite-os, nem que para isso você tenha que sofrer algumas restrições. Não caia na armadilha de pensar “Eu estou certo, então eu não abro mão de tal coisa”. Não. Nãããããooo… Não adianta, eles venceram. Aceite isso e aprenda a evita-los, é a melhor opção. Abra mão, se afaste, faça o que for preciso, mas se poupe dessa gentalha!

E se você está ao lado de uma pessoa essencialmente mal educada, meu conselho é o mesmo: pula fora. Provavelmente a pessoa não vai mudar, e mesmo que mude, não vale todo o esforço que você vai ter que fazer até lá e ainda periga ser uma mudança que não passa de mero fingimento. Não se sujeite a ficar ao lado de uma pessoa mal educada, isso é uma violência. Pode ter certeza que em algum lugar existem centenas de pessoas bem educadas com tantas qualidades quanto as do mal educado que está ao seu lado e elas estão esperando por você. Gente bem educada é artigo de luxo e está sendo disputada a tapa na hora da conquista.

Eu só queria relembrar aos empresários e comerciantes que nós, pessoas educadas, ainda existimos. Eu sei que eles, o mal educados, são a maioria e por isso é natural que a maior parte dos estabelecimentos esteja voltado para eles. Mas porra, nós existimos e no momento temos quase nenhum estabelecimento dedicado ao nosso grupo! Somos poucos, mas quando não tem ninguém explorando esse nicho, o primeiro que decide explorar ganha muitos clientes. Façam essa gentileza, quebrem com o politicamente correto e criem áreas de lazer (cinemas, restaurantes etc) onde exista alguma espécie de “fiscalização” de bons modos. Nada muito radical, apenas que impeça pessoas de berrarem durante toda a projeção do filme ou mães de trocarem a fralda cagada do seu filho em cima da mesa do restaurante. Vai por mim, quem fizer isso vai encher o cu de dinheiro. Criem mais lugares que não aceitem crianças ou criem lugares que não sejam de interesse dessa gentalha mal educada. Criem lugares onde a pessoa é obrigada a deixar o celular no silencioso. Vai chover cliente.

Eles venceram. Os errados somos nós e não adianta dialogar. Se poupem, se afastem de gente mal educada, mesmo que isso dê trabalho. Qualquer trabalho é válido para se poupar de gente mal educada.

Para contar algum exemplo chocante de falta de educação do qual você foi vítima, para dizer que a RID é o último reduto de pessoas educadas que você conhece ou ainda para se ofender com algo que eu disse e tentar desvalorizar meu argumento me chamando de fresca: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Comments (243)

  • Olha, concordo com tudo o que vc disse. Os mal educados são maioria e hoje em dia ser bem educado, fazer o certo, é considerado errado, ruim, antiquado, ultrapassado, careta, e outros adjetivos mais. E discutir, seja pessoalmente, ou pior ainda, na internet, é a pior coisa que podemos fazer. O jeito é nos afastarmos e procuramos pessoas como a gente.
    Neste domingo, fui ao lago da minha cidade passar a tarde lá. na volta, peguei o ônibus coletivo e eis que entraram 3 casais de adolescentes. Fazia tempo que eu não sentia tanta raiva. Mal educados, vagabundos mesmos, que não conhecem limites, que não conhecem educação. Esses adolescentes só queriam se aparecer, fazendo o maior barulho, falando palavrão, desrespeitando os outros passageiros.
    Olha, foi terrível ver que esses são os ditos “futuro do país”. Estamos lascados mesmo. Quero ver onde essa m***a toda vai parar.
    Abraço.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Adolescentes, no geral, costumam deixar a desejar em matéria de educação. Em um país onde ser espertão é passar a perna, burlar regras, se dar bem, esse comportamento fica potencializado em adolescentes, que estão em fase de contestação.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Gente mal educada não respeita o próximo,afastei amigos mal educados.não me respeitavam,não aceito atitudes desse jeito…o seu conselho foi ótimo,se afaste desses amigos mal educados,que não te respeitam…no ônibus o que tem mais..é gente mal educada…já soltei um “quanta gente educada”falei em tom de ironia…talvez nem tenha notado…gente mal educada..tem que desenhar assim eles entendem …o mal educado não pensa no próximo…ainda existe gente educada!!educados são as pessoas que fazem desse mundo,,,um ambiente melhor..mal educados,não gostam de regras…prefere se atrasar,e ter uma desculpa

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Dani, eu adoraria abrir um negócio próprio, tipo um café, com regras de comportamento que banissem pessoas mal educadas. Espero um dia poder levar adiante esse projeto, porque tá difícil reunir em um ambiente só gente educada!

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Aqui em Salvador não tem mal educado. Aqui tem é gente desrespeitosa mesmo. E desrespeitável. Eu já gosto de tomar um chazinho de erva doce pra peidar na cara desses ratos………..

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Isso me lembra minhas fracassadas tentativas de ver filme nos shoppings ‘bons’ de São Paulo. Por incrível que pareça eu sou mais feliz assistindo filme nos shoppings mais bagaçados e populares do que nos shoppings de alto padrão paulistano. Moro sozinha em São Paulo por motivos de estudos, moro num bairrinho mais ou menos pq é isso que meu bolso consegue pagar, mas cercado por bairros chiques com shoppings ilustres e afirmo: a classe média paulistana é mais cuzona que os favelado. Porque? Porque os coxinhas da classe média paulistana são INSUPORTÁVEIS! Sabe aqueles pseudo-intelectuais chatos pra caralho que todo mundo conhece? Então, São Paulo tem mais de 11 milhões de pessoas, proporcionalmente tem chatos pra caralho. A última vez que fui num shopping chique assistir filme tive o DESPRAZER de sentar ao lado de 1 fulana com as roupas mais caras que todos os meus móveis mas que ficava tento mini-AVCs a cada cena tensa do filme, e o pior: narrando as emoções que sentia. Além de 1 casal 40tão tosco que ficava imitando as expressões em inglês do filme para se mostrarem os bilíngues-sabidões. A classe média paulistana é soberba e adora ostentar e não consegue deixar de fazer isso nem numa simples sessão de cinema.
    Hoje só frequento cinemas/shoppings de fácil acesso, porque em shoppings próximos á metrôs/corredores de ônibus a tendência é ter público variado, tanto os coxinha quanto os peão, aí a tendência é do cinema ser menos insuportável.

    Desculpa o desabafo.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Quer ouvir pior? Tirando Rio, São Paulo e outras poucas cidades, nem sequer filme legendando você encontra disponível, porque neguinho tira uma onda danada mas não consegue nem ler uma legenda em tempo real, daí você é obrigada a ver tudo dublado!

      O que você achou?

      Loading spinner

      • UPTADE!
        Aniversário de São Paulo: fui andar pelo centro da cidade e curtir o feriado com 1 amiga. Resolvemos assistir o novo filme do Tarantino e o shopping mais próximo era no bairro de Higienópolis (sim, aquele do público diferenciado que não quer metrô). Compramos os ingressos e aparentemente a sessão não estava muito cheia. ERRADO! Sentou ao nosso lado 1 casal gay (nada contra casais gays, tudo contra casais que incomodam, sejam eles heterossexuais, panssexuais, etc.). 1 deles tinha seborréia pq não parava de coçar a cabeça (nada contra coçar a cabeça, tudo contra quem coça fazendo aquele barulhinho nojento), coçar o corpo e se mexer toda hora na poltrona, detalhe: ele era gordo e os bracinhos de Tiranossauro Rex (gordo tem braço curto) ficavam batendo em mim toda hora. O outro ficava rindo SUPER alto nas cenas cômicas e lendo o nome dos Estados americanos que ocasionalmente passavam na tela em voz alta. DECEPCIONANTE.
        Sally, já assisti filme infantil e dublado no Shopping Tatuapé (que é integrado a uma estação de metrô movimentadíssima, então cê imagina, né?) num sábado e fui muito menos incomodada do que sou nos shoppings de alto padrão daqui. Porque? Porque os pobres dão valor ao dinheiro do ingresso e querem aproveitar ao máximo o momento. Os coxinhas esbajam tudo que consomem, então é só mais um filme, só mais uma peça de teatro, eles podem pagar quantos ingressos mais eles quiserem, eles não dão valor.
        Só não fiquei mais puta com a situação porque o filme foi sensacional.

        O que você achou?

        Loading spinner

  • Puxa, apás a leitura de seu texto sinto que minhas convicções e meus valores podem ser menos abandonados e impopulares do que imaginava. Parabéns pelo texto. Infelizmente, é a verdade, eles venceram. Preciso achar um jeito de não alterar minhas emoções com a falta de educação que predomina em tudo hoje, afinal como vc bem disse, isso dá doença. Parece ser como a luta de Dom Quixote, perdida por definição. Muito obrigado por suas palavras. Até.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Tem que aprender a se poupar disso, conviver o mínimo possível, para não deixar que essas pessoas nos façam mal. Já que não dá para matar, porque dá cadeia, temos que nos afastar o máximo possível.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Pena que não li esse texto à época em que foi postado.

    Penso EXATAMENTE como você, Sally. O que é triste, muito triste! Mas há tempos aceitei e assumi minha condição de PÁRIA.

    Os EDUCADOS são vítimas de um novo tipo de MARGINALIZAÇÃO: os mal-educados, deselegantes e grosseiros são MAIORIA e se comportam de maneira deplorável sem se importar com o que os outros pensam, alguns até acham bonito se comportar de maneira reprovável (principalmente entre os adolescentes); e os educados são minoria OPRIMIDA.

    Nos resta FUGIR das situações onde é mais provável nos irritarmos com esses comportamentos. BRIGAR, DISCUTIR, CHAMAR ATENÇÃO desses indivíduos não vale à pena! Se você reprime uma falta de educação, corre o risco de VOCÊ ser considerada BARRAQUEIRA, ESTÚPIDA, INTOLERANTE, FRESCA etc… Exemplo: uma vez eu reclamei que uma mulher ficava esbarrando em mim num transporte público e tive que ouvir a seguinte piada: “Quer conforto? Pega um táxi”. Pois é. Ela não deixa de ter razão: se me INCOMODA falta de educação, eu tenho que fazer o possível pra evitar me colocar em situações como essa e conviver com ANIMAIS como ela. Errada sou eu! (Percebam a INVERSÃO de valores)

    Como mecanismo de defesa, assumo uma espécie de AUTISMO VOLUNTÁRIO. Por exemplo, quando estou em transporte público (ônibus, metrô, trem etc) lanço mão do Ipod em volume máximo + livro. Tudo isso pra evitar NOTAR a falta de educação que SEMPRE acontece: pessoas conversando entre si aos gritos, expondo detalhes (muitas vezes sórdidos) de sua vida pessoal; pessoas ao telefone berrando ou demorando horrores pra atender seu celular que toca música popular alta; pessoas com speakers, obrigando todos a “curtir” seu péssimo gosto musical (isso no RJ é bem comum), pessoas que esbarram em você e nem pedem “desculpas” e nem EVITAM isso quando poderiam fazê-lo etc… Além de zilhões de outras situações possíveis, como quem espirra sem colocar a mão na boca (bloqueio de perdigotos é pros educados).

    Ontem mesmo eu estava num restaurante e uma senhora que se encontrava na mesa ao lado achou que seria bacana ASSOAR O NARIZ ali mesmo, enquanto eu comia. Quase vomitei! Agora pergunto: adianta repreender? Ela nem deve ENTENDER que o que faz é uma PUTA falta de educação (e não precisa alguém BEM educado pra perceber isso). É querer ensinar física quântica à macaco! Não vale o esforço…

    Sem dúvida, ELES VENCERAM.
    * Olhar desolado…

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Eles venceram, a gente está se isolando socialmente com razão, mas ao menos temos uns aos outros. Impopulares, querem ser meus amigos?

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Quando li o relato da Mary-RJ, pensei “Onde estão essas pessoas? Por que eles não são meus amigos?”.

        Realmente… os mal educados venceram. Outro dia estava em Salvador, fui a um restaurante fino e ao perguntar qual era a sugestão do restaurante o maître falou: “Está ai!” apontou pro cardápio e me virou as costas… Quando voltou, pedi que outra pessoa me atendesse.

        Outra situação memorável aqui em Brasília, estava numa fila de mercado esperando meu marido com o carrinho e um senhor de idade começou a berrar pra que eu saísse da fila. Oi?!?! Gente que tem direito a fila especial, mas prefere encher o saco dos outros. Ainda falou que eu era funcionária da “Caixa”, querendo me insultar. Nem trabalho na Caixa Econômica… É cada uma, viu?

        Além de sempre ter que fugir das perguntas indiscretas das pessoas. Tipo, quanto foi isso ou aquilo que você comprou?!?! Tem coisa mais indiscreta? Fico pensando: quer saber porque vai ajudar a pagar???

        Enfim, melhor ser autista social mesmo… E já que o mercado é o antro dos mal educados, afinal, todo mundo come, prefiro pedir minhas compras pela internet!

        O que você achou?

        Loading spinner

  • Curitiba. Querida Curitiba. Minha terra natal. Temos conhecidamente o povo mais xenófobo do Brasil, é foda fazer um curitibano mostrar os dentes, sendo bem sincero, pego ônibus, frequento restaurantes, bares, barecos, cinemas, teatros e é exemplar o comportamento curitibano, realmente, não posso reclamar. Existem poucos grupos responsáveis por estardalhaço, geralmente as pessoas pobres(de espírito, e por esírito, falando de educação, modos, virtudes, conhecimentos,o pobre de conteúdo, por assim dizer), adolescentes escrotos (não são uma maioria, o que é curioso, os cinemas principalmente tendem a ser ‘bem comportados’), radicais (políticamente, religiosamente, foi um pesadelo assistir Brookeback mountain no cinema), e vileiros, manos, funkeiros em geral. A minha queixa mais comum é sobre o som sem fones nos ônibus, e não é tão comum assim.
    Não dá pra entender.
    Mas é assim que funciona, se um dia vier a Curitiba, verá que são bons os ambientes.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Apreendem por ser contrabando e não por ter a comercialização proibida no país “per se”. De qualquer forma, é bom deixar isso fora do olho dos burocratas.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Os mal educados venceram. Eles são maioria.

    E nem poderia ser diferente, até porque dar uma boa educação é um custo enorme.

    Os bem educados, por viver em condição de minoria, acabam sendo os errados e fatalmente são taxados de frescos, esnobes ou qualquer outro adjetivo que desvalorize sua boa educação.

    Ai se tem a boa e velha estratégia de forçar o “inconveniente” a tirar o seu da reta e marcar sua posição no jogo. Lembre-se que estamos na selva e apesar de tudo ter mudado na aparência, nada mudou na essência.

    Cabe aos educados se virar para tentar, na medida do possível, evitar os mal educados e tentar levar sua vida com um mínimo de graça e elegância.

    No bom e velho estilo “cada macaco no seu galho”, na tentativa de assim poder desfrutar dos pequenos prazeres de viver a vida a seu modo e não ao modo que a manada dita.

    Sim, temos que nos conformar e criar estratégias de sobrevivência, mesmo sabendo que os corretos somos nós.

    As pessoas não ligam tanto assim para o que é correto ou errôneo, a não ser quando é dito pela sua doutrina (amigo imaginário, oi!) ou quando podem tirar vantagem em cima disso, seja demarcando território, seja controlando as outras pessoas.

    Estou jogando a toalha: hoje afirmo que se preciso for, acho que vale à pena gastar mais dinheiro ou ter mais trabalho, tudo para evitar gente mal educada.

    É a sua posição, e é respeitável, até porque essa ralé sem noção, além de não ajudar, ainda faz com que você perca a paciência. Vale tudo para se ver livre desse pessoal.

    Esse povo não tem jeito, não tem volta, a única solução é fugir deles e torcer para que se matem entre si.

    É a selva, e você se dá por feliz de ver esse “bando de louco” se matando por causa de pouca merda, não é mesmo?

    Um clássico exemplo foi narrado faz poucos dias aqui mesmo nos comentários: cinema, onde o mal educado é aquele que pede silêncio.

    Nesse caso, “mal-educado” é para não dizer “chato”. O pessoalzinho quer curtir a periguetagem ou então ficar falando de outras coisas que muitas vezes tem pouco a ver com o filme em si, sendo que o cinema nesses casos é só o pretexto dessa turma. Quem pede silêncio é tido como “corta-clima”.

    Se você quer assistir a um filme com paz e dignidade, com silêncio na sala, como deve ser, tem que montar uma estratégia, ao menos aqui no Rio de Janeiro.

    E dá-lhe estratégia. O Rio de Janeiro, pelo pouco que ouvi, é o caos em forma de cidade, sendo que por isso mesmo não tenho vontade de morar ai nem de graça. Imagino que quem tem um pouco de noção das coisas não vê a hora de sair da cidade “maravilhosa” (tsc, tsc!)

    Para começo de conversa, filme dublado nem pensar porque vai estar cheio de crianças e imbecilóides que não tem alfabetização suficiente para ler legendas durante o filme.

    Filme dublado já é uma barbaridade, no cinema então piorou. E com criança então, que não quer saber muito de prestar atenção na “sessão tortura” a não ser em filmes específicos da linha de superheroi, o estrago fica bonito.

    Sim, tem disso. Pessoas que não conseguem ler com a velocidade necessária pequenas frases ou pessoas que não conseguem ler e prestar atenção às imagens ao mesmo tempo.

    Imagino. Anda constante a necessidade da linguagem “tatibitati” para explicar as coisas zilhões de vezes para que a pessoa finalmente entenda o que quero dizer.

    Geralmente estas criaturas (crianças e semi-analfas) não sabem se portar em público e farão do filme um evento irritante.

    Houve algum caso excepcional onde não se teve quizumba por conta das crianças, dos mexeriqueiros e da turma da periguetagem? Essa é a pergunta que não quer calar.

    É gente que comenta o filme todo, grita, bate palmas, canta e faz barulho. E se você ousar fazer um shhh, vai ser chamado de “mal educado” nos seus cornos, como aconteceu com um dos Impopulares.

    Na opinião dessa turma, mal-educados são os outros… Universo umbigo rules! Tudo em nome do “deixa curtir”, que ao fim é uma merda, porque tira a SUA diversão em nome da diversão DOS OUTROS, que muitas vezes nem é lá grandes bostas.

    Além do filme ser legendado, é essencial que o horário seja escrotamente tarde, de meia noite em diante e de preferência em um cinema que não seja point e cujo filme não seja estreia ou blockbuster, de modo a evitar aqueles nefastos grupinhos de adolescentes sem um pingo de educação que ficam tentando disfarçar sua insegurança e seus corpos e vozes ridículos na forma de piadinhas e outras inconveniência para tentar aparecer.

    Preciso dizer que na selva o que manda é tentar aparecer pra ganhar “reputação” em meio ao grupo. Não é a toa que as “redes sociais” são um sucesso.

    Ninguém merece dividir uma sala de cinema com essas criaturas nesta fase de retardamento hormonal.

    Como seria bom se fosse só culpa dos hormônios. Seria mais ou menos como dizer que você está com raiva por conta da TPM que você NÃO TEM pela medicação específica que você toma. Mas convenhamos que essa turma sem noção da vida deve ser chata a beça.

    Tem ainda as mães que levam seus filhos em filmes legendados e ficam FUCKIN? LENDO as legendas! Sério, porque? PORQUE?

    Quer dar uma de “pai/mãe presente” e “educador(a)”, mas seria solenemente ignorado se fizesse isso em casa, ai usa o subterfúgio do cinema (ocasião “especial”) para tentar compensar isso. De qualquer forma, uma palhaçada ter de ouvir esses papagaios de pirata.

    Ou ainda levam bebês para o cinema. O que caralhos um bebê de poucos meses de vida vai fazer no cinema além de chorar e cagar o filme alheio?

    Quem disse que a porra da mãe (sem noção) está se importando com a criança em primeiro lugar. Só quer saber de curtir o filme e os outros que aguentem a “bomba”. Já é um saco tão grande cuidar da criança que se você se queixar vão vir com mil pedras na mão.

    Quis ter filhos? Fica em casa cuidando do seu filho, abra mão de programas de adultos quando tiver que sair com o bebê!

    Seria ótimo se as pessoas tivessem essa noção das coisas… Mas não. Até é justamente quando se tem os filhos que os pais mais querem se distrair para mitigar a ansiedade com as “pestes”, sendo que carregam a molecada porque não tem condições de pagar ou confiança em babás e não podem deixar a criança sozinha.

    Cinema na pqp, filme pouco visado e após a meia noite. Sim, os educados tem que ralar se querem algum resquício de ambiente com educação. E muitas vezes nem assim,

    Pois é. Já se sofre um bocado e nem assim se tem garantia de que vai se ter o que deseja. Mas vamos arriscando porque quem sabe se dá sorte.

    já me programei para ir ao cinema nestas condições que eu considero de “baixo risco” e sentei ao lado de um casal que brigava aos berros o filme todo.

    Exemplo de gente SEM NOÇÃO e SEM EDUCAÇÃO. Será que foi a maldição da cadeira numerada?

    Quando uma pessoa lhes sugeriu que fossem discutir do lado de fora eles começaram a gritar com a pessoa dizendo que era “censura” e que a Constituição assegura o direito à “liberdade de expressão”.

    A boa e velha carteirada dando as caras mais uma vez. Se usa o pouco de conhecimento da lei em prol de seus próprios interesses. Vergonha, não? A turma da maconha manda lembranças.

    Quase tive um colapso jurídico. Levantei e fui embora, discutir com gente mal educada é ainda pior do que perder o valor do ingresso.

    Deu para notar que você não tem paciência de explicar tudo no tatibitati, que aliás seria completamente inconveniente nessa ocasião. Se você expressasse sua indignação com um “Ô, porra! Não pode nem assistir o filme em paz que já vem casalzinho com DR nos torrar a paciência no cinema… Mas que merda! Ninguém tá impedindo a liberdade de expressão de vocês, só que não viemos pra ouvir DR e sim pra assistir o filme. Se querem discutir, a porta da rua é serventia da casa” ganharia pontos e o respeito da turma que queria assistir o filme.

    Gente, e as pessoas comendo? Isso me tira do sério. A falta de educação das pessoas à mesa poderia render por si só uma postagem. Pior do que a falta de educação são essas mesmas pessoas se achando super educadas.

    O pessoal se acha “o exemplo”, ainda que não valha a bosta que caga. Universo Umbigo Rules!

    Meio mundo mastiga com a boca aberta e fazendo barulho, mas se você alerta a pessoa para isso, ela nega ofendida. Faz anos que desisti de chamar a atenção de pessoas mais chegadas para esse detalhe.

    Até imagino… Você falando para a pessoa fazer silêncio e ela falando “mas eu tenho que mastigar a comida”. Uma vergonha a parte. Fazer o que se comedimento é pra quem pode e não para quem quer?

    Francamente, acho que todo mundo um dia na vida deveria comer com um gravador ligado sem saber que estava sendo gravado e depois ser obrigado a escutar essa gravação durante toda a próxima refeição, para entender o que a pessoa que está comendo ao seu lado passa.

    Ia ser engraçado… E bem troll. Por que não faz isso qualquer dia desses com algum sem noção ai? Ah, sei… Porque esse pessoal não se incomoda com isso, só se preocupando com seu próprio umbigo.

    As pessoas mastigam fazendo ruídos inacreditáveis. Depois raspam o prato ou a tigela fazendo ainda mais ruídos.

    A de raspar prato/tigela é pobrice. Mastigar escancaradamente, tipo camelo, também é… Mas fazer o que se a pessoa nem se liga se você dá a dica “é melhor assim e não assim como você tá fazendo”. Explicar no tatibitati cansa pra caralho.

    Depois ficam chupando o dente tentando tirar fiapos ou até mesmo palitando. É muito nojento. E as pessoas que mordem a colher ou o garfo cada vez que levam a comida à boca? Taí uma coisa (pelo menos em mim) que mata até a atração sexual: a pessoa comer fazendo barulho ostensivo.

    Mais pobrice… Se acha ruim os fiapos na boca, porque não vai ao fim da refeição ESCOVAR OS DENTES. Ah, já sei… Porque se todo mundo inventar de escovar os dentes no restaurante mais ou menos na mesma hora, vira uma quizumba onde ninguém tem condição de fazer praticamente nada. E quanto a morder colher e garfo, é tão mal educado, mas tão mal educado que nem sequer o meu pai (que estava a léguas de ser um exemplo de educação) era capaz de fazer.

    Não falo de barulho normal de mastigação, falo de poder ver o bolo alimentar no céu da boca da pessoa e de um ruído similar ao da Maggie dos Simpsons chupando a chupeta.

    Nossa! Cêjura que a má educação a mesa chegou a esse ponto ai no Rio de Janeiro? Não é a toa que a cidade fez por merecer um “Processa Eu” no desfavor.

    A mesa é um parque de diversões para os mal educados. Não é apenas no momento de ingerir o alimento que eles desfilam seus predicados. A coisa já começa antes, quando a mesa está posta e a pessoa não vem comer.

    Mesa posta? Isso não existe aqui, a não ser nas raras vezes em que se tem visita. Pior, minha mãe é uma ingua quando vê que eu me sentei a mesa para comer ou coloquei algo de comer (uma sacola com pão por exemplo) em cima da mesa. Uma desgraça. Pelo menos nos últimos dias ela está torrando menos o saco (o que um namoradinho não faz, hein).

    Tem gente que fica vendo TV enquanto a comida esfria, tem gente que fica jogando joguinho no celular? enfim, em todos os casos, uma tremenda falta de educação para com quem cozinhou para você.

    Em primeiro lugar fica sempre o universo umbigo e quanto a comida, fica no “depois vou comer”. Etiqueta? Tsc, tsc!

    Tem ainda os que sentam e começam a comer, sem esperar que todos se juntem à mesa. Tem também os que acabam de comer e se levantam, sem esperar que os demais terminem.

    Vai se ficar com gueri gueri no que diz respeito a comida? Se insistir que todos se juntem a mesa para só depois comer aumenta a ansiedade de quem já tá com vontade de comer. Quanto a levantar-se antes, é porque não tem clima, ou tem de usar o banheiro ou até mesmo tem de ir em outro lugar resolver algum assunto (o caso excepcional citado aqui).

    Isso é admissível em situações excepcionais, como regra acho muito mal educado. Tem ainda os que quando terminam de comer EMPURRAM O FUCKIN´PRATO.

    Olha o cachorrinho dando a patinha… Au, au! Se fizer isso nas minusculas mesinhas de Shopping, arrisca de quebrar o prato.

    Parece bobagem, mas estas pequenas coisas dizem o quanto de consideração você tem pela pessoa que está ao seu lado. Ninguém faz isso na fase da conquista, quando quer mostrar o melhor de si.

    Tudo para impressionar positivamente. Passada essa fase vem o relaxamento e cai a máscara… Não preciso dizer que a desilusão quando isso acontece é forte. Não é toda hora que Sally vai estar toda bonitona maquiada também, não é mesmo. Educação e etiqueta muitas vezes caem na mesma categoria.

    Conclusão, se você quer comer sem sentir asco e irritação, tem que dar um jeito de almoçar sozinho, o que pode ser especialmente mal visto no ambiente de trabalho.

    O ruim não é nem ser malvisto e sim o risco de puxarem o seu tapete armando a arapuca num desses almoços. Meda1! Ser antissocial nem é o mal maior e sim o de ter de lidar com as armações da turma da rodinha.

    Sim, quem se recusa a almoçar com colegas é visto como antissocial. Errada é a pessoa que não atura nojeiras e não os porcos que comem feito bicho! Então tá!

    Em definitivo, não é questão de certo ou errado. É questão de grau de socialização e de tolerância as outras pessoas na roda. No mundo do ‘politicamente correto’, ganha mais pontos quem está melhor na roda e não quem é mais competente ou mais educado. Tem isso.

    E falta de educação com o sono alheio? Gente que liga para a casa dos outros em horários inconvenientes sem ter a absoluta certeza que a pessoa está acordada tem que se foder muito na vida.

    Mas convenhamos que tem gente que faz por merecer isso. Meu irmão e minha cunhada que assistiam TV alto no quarto ao lado até terminar o corujão (não me deixando dormir) e só acordavam lá pelo início da tarde. Eu acordava um pouco mais cedo que eles e era bosta e mijo de cachorro para todos os lados da casa… Pior que quando eles estavam limpando a sujeira (e era praticamente TODO DIA isso) não podia nem entrar em casa. Acho que gente assim faz por merecer ser acordada.

    Nos finais de semana, ligar antes das 10h é sacanagem. Gente que acorda e vai ouvir música alta, TV alta ou qualquer merda alta sabendo que tem outro ser humano dormindo merece ser confinado em um reality show com mais outros duzentos que façam isso para sentir na pele essa falta de respeito.

    O que você está esperando para jogar a minha mãe na segunda edição do “Os Intocáveis”? Ela volta e meia faz dessas. Pior que nem é o estilo que eu curto.

    E ainda tem os mal educados máster, ultra arrogantes, que fazem tudo isso e ainda se acham certos dizendo que “são dez da manhã, isso não é hora de estar dormindo”. Oi?

    Quando é pai ou mãe e você é CRIANÇA, ainda vá lá, mas quando é gente de fora e/ou você já é uma pessoa adulta responsável que paga suas contas, é uma completa falta de respeito. Se ainda fosse o caso de algum compromisso importante, ainda vá lá, mas pelo que se vê, NÃO É O CASO aqui, né?

    A hora de estar dormindo é aquela na qual eu tenho sono, quem a pessoa pensa que é para dizer qual é o “horário universalmente correto” para alguém acordar?

    Vontade de mandar um pau no cu dessa gente, mas não o pau de foder e sim o de empalar. (6)

    Universo Umbigo, se você dorme mais do que aquela pessoa, você é preguiçoso e está na hora de acordar.

    Pior… Nem é desse jeito. Muitas vezes a outra pessoa foi dormir cedo e você foi dormir tarde, o que faz com que você tenha dormido bem menos que a outra pessoa que está reclamando e te enchendo o saco.

    Este comportamento é típico do mal educado. O mal educado é referência mundial de bom senso e bom gosto. Vai você fazer alguma coisa que destoe do comportamento que o mal educado considera como certo? Observe: ele vai ficar muito puto.

    São as “marias ofendidas” da vida. Se você não baixa a cabeça pro que essa turminha fala, eles vem cheios de querer ofender e descontar a raiva por sua vida FRUSTRADA em cima de você.

    Ele esquece que comete todo tipo de falta de educação e ainda se sente no direito de te chamar de errado.

    Gente muito boa para julgar os outros, mas que na hora de olhar pro próprio umbigo… Tsc, tsc!

    Claro, é muito mais fácil acreditar que você é errado do que passar pela constrangedora situação de perceber que foi mal educado.

    Depois os argentinos é que são arrogantes, né? Brasileiro, exemplo de “humildade”… Faz-me rir!

    Assim eles vão se auto-enganando e se auto-perdoando, perpetrando suas faltas de educação. Infelizmente essas porras costumam ter filhos, muitos filhos, claro, criar criança mal educada não dá trabalho (o trabalho só vem na adolescência).

    Não seria PERPETUANDO também? Criar permissivamente, com aquele olhar de derrota (Another Brick in The Wall feelings) dá menos trabalho e exige menos conhecimento do que criar dentro das regras de boa educação. Pena que os pais da maior parte dos mal-educados são ainda piores, não tendo a permissividade na sua postura e sim uma atitude desesperada de impor respeito, na linha do “eu mando e você obedece”. Claro que grande parte das vezes não sai boa coisa disso.

    Para exercer seu sagrado direito de dormir as horas de sono que seu corpo pedir, você é obrigado a desligar os telefones da sua casa ou trancar a porta do seu quarto e colocar protetores de ouvido. É você quem tem que dar o seu jeito, pois tem gente que mesmo pedindo para não ligar antes de tal hora, sempre liga. Absurdo!

    Na cabeça desse pessoal, foda-se o respeito. O que importa mesmo é o próprio umbigo, nem que com isso acabe irritando quem está do outro lado. Acho que os episódios da série Siago Tomir são só uma pequena parte dos maus bocados que você deve ter passado por ai.

    Observem que não me refiro aqui a nenhuma norma formal de etiqueta, apenas ao básico: não mostrar alimentos mastigados a quem está ao seu lado, não acordar pessoas que estão dormindo, enfim, coisas que nem deveriam ter que ser pedidas a alguém.

    O problema é que esse tipo de gente sequer tem cognição para ler ou entender texto tão longo. Mals aê. Mostrar alimento mastigado? ECA! É pior que morder a colher, ainda que no caso de vômito não tenha jeito mesmo.

    Ainda assim, eles venceram. Daí você pode estar se perguntando porque nós temos que nos desdobrar e nos sujeitar a ajustar nossas vidas, nossas rotinas às imposições dessa cambada de mal educados, quando eu mesma já fiz discurso no sentido contrário, no sentido de combater a falta de educação.

    Educação não vale praticamente nada nesse país onde o que é mais valorizado acaba sendo o conchavo com os cabeças ou a boa e velha bucetada. As greves nas faculdades federais não me deixam mentir.

    E te respondo: PORQUE NÃO FUCKIN? ADIANTA. Sim, eu jogo a toalha. Não adianta conversar, argumentar um dar um toque em gente mal educada. É perda de tempo, é aborrecimento inútil.

    Tatibitati não é suficiente para resolver a parada e você pelo visto está versada nisso, sendo que nem digo nada.

    Hoje eu acho menos sacrificante me desdobrar em situações muitas vezes incômodas para evita-los e vim aqui recomendar que vocês façam o mesmo, após muito murro em ponta de faca.

    Isso é o melhor a se fazer, ainda que seja uma política de redução de danos. É o que faço aqui. Simplesmente ignoro certas pessoas.

    A falta de educação ou vem de berço ou é adquirida conforme os costumes do “bando”. Sim, tem disso. Eu conheço pessoas que receberam uma boa educação de seus pais mas quando andam em “bando” com vários mal educados acabam sofrendo um mimetismo e viram mal educados também, seja para ser aceito pelo bando, seja porque ser mal educado dá menos trabalho do que ser bem educado.

    No bando, a pessoa se sente mais a vontade e deixa de se esconder sob a máscara. Já quando é de berço e a pessoa não teve instrução, nem máscara tem.

    Quando a falta de educação vem de berço a pessoa simplesmente não vai achar que está sendo mal educada porque cresceu nessa realidade e ninguém no seu entorno achava isso falta de educação, logo, dizer que ela está sendo mal educada é quase que ofender seu pai e sua mãe e vai ser respondido com pedrada.

    Ignorância rules. Pior que o pior cego ao fim é aquele que não quer ver.

    Quando a pessoa é mal educada pela lógica do bando é pior ainda, nem vale a pena falar qualquer coisa, porque o filho da puta teve a opção, teve a informação necessária para ser decente e optou por ser um puta dum mal educado. Quão merda é uma pessoa dessas? Merece seu investimento tentando corrigi-la? Não merece. Apenas se afaste.

    O jeito é deixar essa gentinha a ver navios na medida do possível, ainda que não seja sempre que dê para se tomar tal atitude.

    A falta de educação pela lógica do bando é muito comum no contexto masculino. Quem aqui não conhece homens que são bacanas e agradáveis mas viram uns idiotas retardados quando estão em bando, no meio dos seus amigos?

    Você já deve ter passado por muitas dessas situações (Siago Tomir não me deixa mentir), sendo que talvez por isso mesmo que o relacionamento de vocês não tenha dado certo ao ponto de vocês dois estarem juntos até hoje. Se tivesse dado certo, talvez nem se tivesse o DESFAVOR.

    Meu desprezo por gente assim em uma escala de valores está pau a pau com gente que chega com garrafa de Coca-Cola enfiada no cu em pronto-socorro ou de gente que pinta seu cachorro de rosa. Pule fora de gente mal educada. Pra ontem. Sai fora e vai procurar coisa melhor, porque os bem educados ainda existem.

    Mas ver sob a máscara dá um trabalhão porque de início o pessoal faz de tudo para querer manter as aparências.

    Arrume um bem educado e tenha bem educadinhos, para quem sabe melhorar essa porra desse mundo um dia. Saia fora de qualquer mal educado, mesmo daqueles que você nem conhece. Evite lugares, eventos ou situações onde vai ser exposto a essa gentalha, porque ter que engolir a falta de educação alheia dá câncer, eu tenho certeza! Essa porra mina a saúde e te tira anos de vida.

    E se estressar com isso é ainda pior. Eu que o diga.

    Se poupe, quando possível, fuja de situações que te deixem exposto a essas pessoas. Eu sei que soa como um desaforo ter que mudar sua rotina por causa da gentalha, mas vai por mim, é melhor para você. Eles venceram, eles são esmagadora maioria, não tem jeito.

    Nesse país, onde tem um bando de idiota que cai em papo de gente como Olavo de Carvalho e Paulo Henrique Amorim, nem é de se estranhar que a educação não seja lá aquelas coisas.

    Para aqueles que estão me achando chata, esnobe ou ranzinza, imprimam este texto e guardem. Provavelmente vocês ainda são jovens e não foram paunocuzados o suficiente por gente mal educada para pegar esse nojinho que eu estou sentindo.

    Nojinho é pouco… É nojão! E dos grandes, ainda que a gente tenha de disfarçar por conveniência.

    Um dia vocês vão cansar também. Vão cansar e vão ficar mais seletivos. Depois dos 35 a gente conversa. Não tenho pressa, cedo ou tarde vocês vão conseguir compreender o que eu quero dizer.

    Tenho 30 e já entendi. Resumindo, é a boa e velha da Dona Florinda: NÃO SE MISTURE COM ESSA GENTALHA. (No original deve ser melhor)

    E quando esse dia chegar, lembrem das minhas palavras: Não vale a pena embate com gente mal educada, é perda de tempo e de energia. Não vale a pena. Fuja deles, evite-os, nem que para isso você tenha que sofrer algumas restrições. Não caia na armadilha de pensar “Eu estou certo, então eu não abro mão de tal coisa”.

    Isso é dos arrogantes… E arrogante vive quebrando a cara, para alegria da ralé.

    Não. Nãããããooo? Não adianta, eles venceram. Aceite isso e aprenda a evita-los, é a melhor opção. Abra mão, se afaste, faça o que for preciso, mas se poupe dessa gentalha!

    Ralé só é vantagem para políticos e outros demagogos, em especial em época de eleição. Para as pessoas que não fazem parte desse meio, é até bom nem se aproximar muito.

    E se você está ao lado de uma pessoa essencialmente mal educada, meu conselho é o mesmo: pula fora. Provavelmente a pessoa não vai mudar, e mesmo que mude, não vale todo o esforço que você vai ter que fazer até lá e ainda periga ser uma mudança que não passa de mero fingimento.

    Isso se der, porque nem sempre dá. As vezes você tá tão encrencado que sair comprando briga com o “ignorante” é pedir para se fuder ainda mais.

    Não se sujeite a ficar ao lado de uma pessoa mal educada, isso é uma violência. Pode ter certeza que em algum lugar existem centenas de pessoas bem educadas com tantas qualidades quanto as do mal educado que está ao seu lado e elas estão esperando por você. Gente bem educada é artigo de luxo e está sendo disputada a tapa na hora da conquista.

    O pior de tudo é quando o estrago já tá feito e não tem muito como remediar. Ai muitas vezes tem de se optar pela alternativa menos pior.

    Eu só queria relembrar aos empresários e comerciantes que nós, pessoas educadas, ainda existimos. Eu sei que eles, o mal educados, são a maioria e por isso é natural que a maior parte dos estabelecimentos esteja voltado para eles. Mas porra, nós existimos e no momento temos quase nenhum estabelecimento dedicado ao nosso grupo!

    Talvez até se pense em fazer isso em algum estabelecimento “de elite”, mas ao fim isso não resolve porque mesmo os funcionários sendo bem educados, em geral eles não tem condições de lidar com a má educação alheia.

    Somos poucos, mas quando não tem ninguém explorando esse nicho, o primeiro que decide explorar ganha muitos clientes. Façam essa gentileza, quebrem com o politicamente correto e criem áreas de lazer (cinemas, restaurantes etc) onde exista alguma espécie de “fiscalização” de bons modos.

    Como vai se lidar com a maldita instituição da carteirada, que faz estragos enormes e que ao fim deixa o pessoal dos estabelecimentos numa verdadeira SINUCA DE BICO? O problema não é tanto quando o mal educado é da ralé, mas quando ele tem costas quentes por conta de alguma posição influente.

    Nada muito radical, apenas que impeça pessoas de berrarem durante toda a projeção do filme ou mães de trocarem a fralda cagada do seu filho em cima da mesa do restaurante.

    Investir em fraldário é um cu$to. Cortar a onda do gritador é correr o risco de atiçar ainda mais a briga. Não é tão fácil quanto aparenta e a concorrência é cruel.

    Vai por mim, quem fizer isso vai encher o cu de dinheiro. Criem mais lugares que não aceitem crianças ou criem lugares que não sejam de interesse dessa gentalha mal educada. Criem lugares onde a pessoa é obrigada a deixar o celular no silencioso. Vai chover cliente.

    Será mesmo? Pode te agradar, mas tem aqueles que não vão ligar e ainda aqueles que vão se sentir constrangidos com isso. No frigir dos ovos, não é lá tanta vantagem assim.

    Eles venceram. Os errados somos nós e não adianta dialogar. Se poupem, se afastem de gente mal educada, mesmo que isso dê trabalho. Qualquer trabalho é válido para se poupar de gente mal educada.

    Sempre que der, porque tem horas que não dá, principalmente quando você cai na mão de uma dessas figuras que não tem a menor consideração pelas pessoas a volta e passa o trator por cima com o seu enorme EGOCENTRISMO.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Minha mãe é ou não é uma boa candidata para a segunda edição do Os Intocáveis… Só uma parte da folha corrida:

    “Geralda. Adora pagar de independente, apesar de viver na casa do filho do qual sempre puxou o tapete quando teve oportunidade. Carrega sacos e mais sacos de entulho pra onde mora com a história de isso servir para o ganha-pão dela (apesar de ganhar MENOS que as irmãs que pegaram trabalhos mais leves para fazer), além de tentar usar isso para ganhar a comiseração das pessoas a sua volta. Vive metade da vida com o rabo na cadeira de costura e a outra metade dormindo ou lambendo o rabo da sua mãe pilantra na esperança de com isso talvez se dar bem em alguma maracutaia.”

    O que você achou?

    Loading spinner

      • Desse jeitinho mesmo. Se comporta como intocável, não aceita críticas sequer quando está errada. O caso da mesa que citei na longa postagem é um bom exemplo disso.

        O que você achou?

        Loading spinner

  • Porra em matéria de falta de educaação está a porra do Arroto alto, caralho eu tenho um odio disso. Olha a familia do meu padrasto é foda, a MAIORIA dos membros da familia dele são mal educados, ele é um dos pucos que se salvam. Eles vivem dando arroto alto e na eepoca em que isso me tirava do serio (eu ainda fico puto, mas para não enlouquecer, resolvi passar menos tempo quintal onde a familia mora evitando assim os periodos do almoço e fingir que não me importo mais ), quando eu reclamava achaavam graça e na altura do cinismo riam e disiam qu eu era chato usando aquela velha expressão “Melhor para fora do que pra dentro”.

    Pois é Sally, desisti tambem, cansei procuro agora me enturmar com pessoas realmente educadas.

    P.S : Falei varias vezes para a minha mãe ficar de olho nos exemplos no qual os meus irmãos tomaram dessa seleta familia, nem o meu padrasto suporta,totalmente, o povo.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Arrotar alto, de forma propositada, é ostentar falta de educação. Uma pena que a pessoa faça de forma propositada. O melhor é se afastar mesmo, gente assim não tem cérebro para compreender o tamanho do vexame que está protagonizando.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Não li o post inteiro, tive que vir fazer um comentário.
    Ontem passei 13h olhando um júri, a esposa do juiz e a esposa do promotor estavam sentadas perto de mim e, sinceramente, foram um espetáculo a parte.
    As duas “madames” conversavam e faziam ruídos exagerados durante as ultimas 5h do júri.
    A providência do MM? Mandava cafezinhos pras madames terem algo pra entreter a boca…

    depois que a familia da vitima viu que não tinha problema nenhum comentar o júri e fazer barulho as manifestações de “esse advogado é um defensor de bandido de merda”. Vamos matar esse cara se ele sair dai” . “conhece os jurados pra gente ir ver depois? se ele for mandando embora?”

    A histeria punitiva e a conivência do MM com as madames, e por tabela, com a familia da vitima, podem ter aumentado a pena do réu, um cara de 50 anos que descobriu que a mulher o traia e enganava há quase um mês, e que, 6/8 das testemunhas viram se defendendo da mulher antes de matar ela, tenha pego uma pena de 15 anos de cadeia, com o crime sendo considerado hediondo pra progressão do regime.

    Eu me senti sujo quando sai de lá. O tribunal do Júri não é mais uma garantia de ser julgado sem as amarras do tecnicismo. É muito mais um circo montado para a satisfação da histeria punitiva.

    O RID não é necessariamente um reduto de eruditos bem educados… mas tá melhor do que o resto.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Júri não dá certo no Brasil, porque quando o povo é de merda não deve ser chamado para participar de porra nenhuma!

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Meu, as pessoas vão mais para fazer figuração. O caso em si nem é o interesse. O interesse é na convenção social e na imagem de “um julgamento importante”.

        O que você achou?

        Loading spinner

    • O Meretrissímo Magistrado poderia fazer alguma coisa além disso? Expulsar as madames fuxiqueiras do recinto poderia render problemas em casa. Melhor tentar segurar, ainda que isso possa ser prejudicial ao trabalho de julgamento, como foi nesse caso.

      Na verdade, o que aumentou a pena do cara nem foi tanto a fofoca das madames, mas o AD HOMINEM do promotor do caso. É jogo baixo? É, mas funciona.

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Uma pessoa que compromete a justiça por questões pessoais (para não ter briga em casa) merece punição

        O que você achou?

        Loading spinner

  • Apenas lendo hoje porque meu tempo anda escasso (muitos seriados pra assistir no trabalho).

    Sofro com a falta de educação à mesa de uma senhora que além de irritante e rir de coisas inúteis que aparecem na TV durante o almoço no trabalho e, além de falar sozinha e não perceber que ninguém está interessado em sua conversa fiada… Palita os dentes enquanto estamos comendo. Além de palitar ela faz ruídos do tipo “issssssss issssssssss”.

    Tenho me controlado mas vejo o dia em que vou surtar. Uma vez levantei sem terminar de comer e joguei minha comida no lixo e fui embora, perdi o apetite.

    E se eu for falar algo depois vou ter de aguentar climão e talvez eu ainda seja novamente visto como intolerante…perturbado, agressivo e blá blá blá.

    É foda.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Não fala não, eles venceram. Se você falar só se prejudica. Vai comer em outro lugar ou em outro horário e evita essa criatura!

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Alguem precisa fazer alguma coisa pra ver se diminui esse hábito nefasto de palitar os dentes.
        Colocar na novela algum personagem falando o quanto é nojento seria bom. O foda é que gente mais instruída também faz isso. Tinham que colocar nos filmes também, a mocinha da historia falando por 3 minutos o quanto é nojento. Ajudaria pra caramba.
        Povo bunda é assim, incapaz de perceber por si só, mas se sair na tv ou cinema grandes chances de se tocarem.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Se algum dia algum maluco topar filmar um Siago Tomir na forma de seriado a mensagem será passada

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Acredite que apesar desse relato, ainda é a melhor opção considerando as outras pessoas em outros horários.

            Almoçar fora eu já tentei…mas engordei variando entre Mc, BK e Habib’s. Maldito fim de mundo aonde trabalho.

            O que você achou?

            Loading spinner

              • Infelizmente não.

                Hoje eu comi primeiro que a pessoa, peguei um palito e comecei a usá-lo e fazendo o mesmo ISSSSS ISSSSSSSS… ela nem se importou. Acredita?

                Preciso fazer algo mais nojento. Ela costuma roer ossos de frango e também fazer barulho durante o processo…Então o nível dela é bem hardcore.

                O que você achou?

                Loading spinner

                • Deja, gente assim provavelmente cresceu em uma casa onde os pais também faziam isso, ela não vai se importar. Melhor se afastar mesmo.

                  O que você achou?

                  Loading spinner

  • Eu tenho tentado descobrir qual a eficácia destes aparelhos:
    http://www.comprediretodachina.com.br/produto-205-bloqueador_de_sinal_de_celular_gsm_e_3g_raio_de_10_metros
    http://www.youtube.com/watch?v=vBljxucWlfw
    http://www.asiacenter.com.br/products/Bloqueador-de-Sinal-de-Celular-com-04-Antenas.html
    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-432085392-bloqueador-portatil-de-sinal-de-celular-3g-gsm-cdma-_JM

    …pra saber se vale a pena comprar um, mas até agora não consegui falar com ninguém que tenha comprado e/ou usado um. Se for verdade mesmo que ele tem raio de alcance de 10 metros, isso significaria um diâmetro de 20 metros de relativa tranqüilidade pelo menos, além de ser uma forma sutil de trollar quem merece. Só que parece um custo meio alto pra quem vai pouco no cinema…

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Quão fudido, de zero a dez, voce acha que a pessoa que criou a expressão “A gente não escolhe a quem amar” deveria estar quando criou essa frase?
    E, minha mulher nao se importa se é dublado ou legendado.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • “Sally disse:
    24/07/2012 às 19:49

    Não posso falar por ele, mas se fosse comigo, eu não me preocuparia em vez o ingresso, pois eu presumo que seres humanos com bom senso JAMAIS comprariam para um filme dublado. Confesso que meu amor pela pessoa diminuiria substancialmente se ela fizesse uma porra dessas comigo.
    Responder ”

    Eu já disse que se nao fosse casado, dava em cima de você?

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Não creio que tenha dito, aprecio o elogio.

      Qual é o problema da sua esposa? Ela não acha irritante filme dublado?

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Sally,
    O termo nao é meu. Há duas decadas eu lia “Chiclete com Banana” (Fazendo figa para que ninguem imagine que há uma relação entre a criação maxima de Angeli e um grupo simiesco com guitarras e bandanas.)
    Lá o Angeli usou esse termo. Genial.
    Duvido que o Angeli lembre.
    Na verdade, duvido que ele lembre de qualquer coisa.
    Quando eu via o Francisco Milani(finado) em um quadro em que ele se chamava “Saraiva” e tinha a famosa “Tolerância zero” , eu via que ele tinha a S.E.P.
    Minha esposa (à época, namorada) me chamava de “Saraiva”.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • SEP já faz parte do vocabulário oficial do Desfavor e eu prefiro dar os créditos a você do que ao Angeli. Se ele não se lembra, melhor ainda, vai ficar mais fácil.

      Já me chamaram se Saraiva também…

      O que você achou?

      Loading spinner

  • “Vivo com minha mulher há dez anos! Ela me conhece! Ela sabe o quanto eu detesto filme dublado.”
    “Ela nunca faria isso comigo sem me consultar!”
    “Eu posso confiar!”
    “Bom, a porra dos traillers é legendada….OPA! Beleza! Vai começar o f…..QUE PORRA É ESSA?”
    Creio que voce nao seja casado.
    Se voce fosse casado, voce saberia que uma esposa CAGA pras suas preferencias.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Rorschach, El Pistolero

      Cara, não sou casado. E também não quero ser implicante. Sei que existem N motivos pra acontecer esse tipo de coisa. Não só no cinema, mas em vários outros lugares e situações.

      Só acho que é justamente essa a diferença do texto. Pela sua história, você externou um problema que você teve para todo o ambiente. Ninguém tem culpa de você não gostar de algo dublado ou não saber que era dublado.

      É exatamente a mesma lógica, por exemplo, do exemplo de levar criança em lugares assim. O fato das pessoas estarem ali pra ver dublado ou não, não desmerece a boa educação que elas devem receber dos outros.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • É isso aí, guria. Mesmo que vc ache que vai perder, continue lutando!
    Faça como eu: Mesmo sabendo que vou levar porrada, continuo falando.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Fui assitir aos Vingadores.
    Minha esposa foi ao shopping um dia antes para comprar o ingresso por conta da demanda.
    Ultima sessão.
    Colocos os incômodos oculos 3D.
    Faço um esforço IMENSO para abrir meu pacotinho de alguma coisa gostosa e salgada, que nao me lembro o que era.
    Um monte de “SHHH”.
    Tudo bem.
    Finalmente vou assistir a um filme que eu QUERO assistir.
    Começam os traillers.
    OK.
    Pessoas chegando atrasadas.
    OK.
    Acabam os traillers.
    GRAÇAS.
    Começa o filme.
    DU-BLA-DO.
    TAQUELPARIL!
    Comecei a dar faniquito:
    Eu: – OW OW OW OW OW! O filme está errado!!!
    Esposa: O que foi agora?
    Eu: A merda do filme está dublado!?!? Que merda é essa?!?
    Esposa: O filme é dublado!
    Eu: PQP! Eu vi. Pq essa merda está dublada? Entramos na sala errada!
    Esposa: Só tem dublado, em 3D.
    Eu: PQPQPQPQPQPQPQPQQPQPQPQPQPQPQPQQPQPPQPQPQQPQPQPQPQPQP!
    Esposa: Todo mundo está olhando pra você!
    Eu: FO-DA-SE!
    Esposa: Vou embora!
    Eu: Quer dizer que todas essas pessoas estão aqui, pra ver um filme no CINEMA, DUBLADO, de PROPÓSITO?
    Esposa: Eu vou embora.
    Eu: TAAAAAQUEUUUUUUPARIL!
    E assisti aquela merda, dublado, na ultima sessão, pagando caro no ingresso 3D.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Não faz muito tempo postamos uma notícia em um TOP DES que falava sobre isso. Com a “melhora” do poder aquisitivo das classes C e D muita gente que não consegue ler legendas de forma rápida passou a ir aos cinemas e criou uma demanda maior por filmes legendados. Metade dos filmes tem legenda por causa do modelo socioeconômico deste maravilhoso país onde você pode melhorar de vida sem estudar.

      O que você achou?

      Loading spinner

      • É…
        E olha que nem mencionei que SEMPRE senta uma mulher do meu lado. SEMPRE.
        Nas ultimas duas vezes, inclusive essa do Vingadores, a menina nao largava o telefone.
        “(alô?) – Daquele jeito que as pessaos mocorongas sussuram alto pracaraleo.
        E, saibam todos, alguem atender telefone, tipo smart, com aquelas telas gigantescas, quando você ja está puto por ver um filme DUBLADO, com um oculos 3D incomodo é foda.
        A claridade excessiva do smart + oculos 3D incomodos = à S.E.P. (Sindrome do Emputecimento Progressivo), mal que sofro em determinadas situações.
        MAS, como sou um cara legal, e minha esposa me ameaçou de ir embora duas vezes, apenas tirei meu sapato, 44, o qual estava, na ocasião, há aproximadamente 15 horas em meus pezinhos, coloquei o pé na frente dela. O resto….bem…voce ja pode imaginar.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Adorei o termo SEP, vou incorporar ao meu vocabulário

          Eu não sei que desgraça é essa das pessoas ficarem O DIA TODO penduradas no celular. O que essa gente tanto gosta de falar no celular? Quando meu celular toca eu fico PUTA, efetivamente ME INCOMODA que me liguem. Não entendo como as pessoas conseguem matraquear o dia todo no celular e dar conta dos seus afazeres. Depois ficam dizendo que não tem tempo para malhar…

          Eu estou quase desejando que algum estudo comprove que uso excessivo de celular cause câncer no cérebro!

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Club Anti-Social

            Eu também entro em SEP quando o celular o o fixo tocam.
            Só podem ser 2 coisas:
            1- Pessoas querendo pedir alguma coisa
            2 – Notícia ruim

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Sério? Bom saber que eu não sou a única que se incomoda com ligação telefônica! Me sinto mais normal…

              O que você achou?

              Loading spinner

      • Sally, essa “melhora” nas condições de vida é simplesmente o “almoço grátis” a bordo da farsa do “Brasil do futuro”. Espera mais um tempo que a farsa desaba que nem a Argentina dos anos 90. Quem é esperto está juntando bilhões em paraísos fiscais para poder pular fora quando a maré mansa passar.

        O que você achou?

        Loading spinner

    • Rorschach, El Pistolero

      *se intrometendo*

      Deixa eu ver se entendi.

      A sua mulher compra o ingresso com antecedência. Ingresso onde costuma vir escrito se o filme é dublado ou não.
      Aí você vai assistir, faz barulho com a comida e depois dá um faniquito porque o filme é dublado.

      Coisa que você já saberia, se tivesse lido o ingresso. Ou um dos 20 avisos que tem nos cinemas quando você vai entrar na sala.

      Ainda bem que você leu o texto de hoje…

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Não posso falar por ele, mas se fosse comigo, eu não me preocuparia em vez o ingresso, pois eu presumo que seres humanos com bom senso JAMAIS comprariam para um filme dublado. Confesso que meu amor pela pessoa diminuiria substancialmente se ela fizesse uma porra dessas comigo.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Rorschach, El Pistolero

          Sally, acho que dublagem é um bom tema para um futuro post.

          Não quero desvirtuar muito a discussão do tema do texto de hoje, mas eu não sou tão hater da dublagem assim. Digo, a dublagem é a legendagem com rodinhas. Os dois são apoios pra quem não tem o domínio do idioma do filme.

          A diferença é que no Brasil, a dublagem é mal tratada. Existem ótimos dubladores, gente que se esforça pra voz encaixar o melhor possível no ator, pro texto não ser alterado, gente que realmente interpreta o papel (e muito bem) para deixar o melhor possível. Mas o Guilerme Briggs é quem fica famoso.

          Mas se você (ou o Somir) fizerem um texto sobre dublagem e a dublagem no Brasil, adoraria extender a discussão lá…

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Vou fazer sim, mas eu acho que dublagem mata o filme. Acho a entonação do dublador brasileiro muito caricata…

            O que você achou?

            Loading spinner

        • As rádios FM não tinham intervalos comerciais, nem tocavam música povão, quando começaram. Os canais de filme de TV por assinatura não tinham intervalos comerciais, nem passavam filme dublado, quando começaram. O Orkut não tinha mensagens cintilantes ou joguinhos do tipo perca-tempo quando começaram. Sally tem razão, a batalha foi perdida.

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Pois é. Não adianta criar lugares novos, pois se não tiver uma mão de ferro fiscalizando, o lugar acaba ficando orkutizado. Eu não tenho, mas vejo muita gente falando que estão cagando o Facebook também.

            Não adianta, ambiente de internet aberto a público do mundo todo, não pode ser democrático. Tem que ter fiscalização constante para impedir que fique cagado segundo os critérios do grupo que o criou.

            O que você achou?

            Loading spinner

  • Sempre quando eu ligo pra uma pessoa eu pergunto se pode falar ou se está ocupada.
    Uma coisa que me emputece é sinal de trânsito. Já reparou que quando fica verde pro pedestre raramente vc consegue atravessar? Todo mundo já se acostumou e fica esperando pra ver se os carros e principalmente os ônibus vão parar mesmo com medo de serem atropelados. Motos não param nunca, por isso que nem mencionei.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Eu sou meio de outro planeta. Existe isso mesmo de cinema depois da meia noite? Prefiro ver filmes em casa do que no cinema.
    Pensei que só eu que dormia com o telefones desligados e tampão de ouvido.
    Sério que a maioria come com o bocão aberto e fazendo barulho? Eu que sou da zona norte carioca não vejo dessas coisas no meu bando. Será que é porque tenho mais de 35 e não costumo conviver com aborrecentes?

    O que você achou?

    Loading spinner

    • ET, eu tenho mais de 30 e infelizmente convivo com pessoas que comem de boca aberta e/ou fazendo ruídos.

      Eu gosto de ver filmes em casa, mas tem filme que “pede” uma tela grande, principalmente aqueles cheios de efeitos especiais.

      E eu também me sinto um ET. Acho que todos nós estamos aqui por isso, porque encontramos pessoas que pensam como nós no meio desse mar de merda e isso nos faz sentir melhor.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Sally, aconteceu alguma coisa muito ruim contigo nos últimos dias pra te inspirar a fazer esse texto?

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Não, foi o comentário de uma leitora (LNSL) que me fez refletir. Ela comentou sobre um aborrecimento no cinema envolvendo crianças e eu recomendei que ela só vá ao cinema após meia noite para ver filmes legendados. Daí depois eu fiquei pensando “Fodeu, nós que estamos certos temos que nos adaptar, os errados venceram” e comecei a conversar com pessoas conhecidas sobre o assunto. Todos tinham historias bizarras para contar, inclusive algumas que acabaram muito mal…

      O que você achou?

      Loading spinner

  • bibliotecário

    Triste ler esse texto e concordar com tudo. Pelo visto a melhor solução é desistir quando a falta de educação se transforma no padrão aceitável.

    De todos os problemas o que mais me incomoda são crianças mal educadas e seus pais filhos da puta. Depois eu sou o louco entre meus amigos por não querer ter filhos.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Eu penso muito nisso: por mais que você se esforce para educar seu filho direitinho, o que esperar de uma criança que vive em um meio social onde a regra é ser mal educado? Ou seu filho vira um deslocado bem educado sacaneado pelos outros, ou cai para a falta de educação.

      Tenho uma amiga que disse a seguinte frase: tenho que escolher se crio meu filho da forma que eu acho correta e assisto ele ser chamado de “viadinho” no colégio ou se me conformo de ver ele mal educado porém socialmente aceito pelos colegas.

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Ser educado não é sinônimo de ser almofadinha. Pode haver uma confusão aí… dá para ser educado sem ser chamado de “viadinho”. O problema é que muitas vezes as mães acham que ser educado é se portar como uma menina. Aí não tem escapatória, a galerinha esculacha mesmo.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Paulo, não tenho muita certeza que crianças em idade escolar possam ser educadas sem serem recriminadas pelos colegas

          O que você achou?

          Loading spinner

              • Vou chamar a Maria do Rosario eo Jean Willis pra eles te mostrarem que deveriam ter orgulho disso.

                HOMOFÓBICOS!!! HOMOFÓBICOS!!!

                O que você achou?

                Loading spinner

                  • NÃO QUERIA NÃO
                    Vejo os relacionamentos das minhas amigas sapatãs, e concluo: se UMA mulher já é pentelha e neurótica, imagine DUAS.
                    (isso que estou tomando como referencial mulheres normais, tipo eu e você [pausa para risos]. Não sou histérica normalmente, mas QUEM me garante que uma mulher não ia despertar esse tipo de irritação em mim?)

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                • Não se preocupe, Hugo. Do jeito que a coisa anda, daqui pouco ser homofóbico será considerado doença, aí fica liberado. Há muita gente disposta a patologizar condutas para ganhar dinheiro com livros e tratamentos.

                  Mas no exemplo citado, o menino é chamado de “viadinho” em função de sua identidade de gênero, não de sua orientação sexual. Esse é um terreno essencialmente político em que os cientistas sociais normalmente teorizam em causa própria. É o pós-modernismo, a queer-theory… Só falta dizerem que o mundo só será livre quando enforcarem o último machista nas tripas do último positivista.

                  O que você achou?

                  Loading spinner

                  • Paulo, faz uma gentileza para mim? Inicia um estudo que comprove que falar mal dos outros é doença, assim a gente se livra de possíveis processos aqui na RID…

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                    • Dá pra chamar até de “Transtorno de Enveja (com E)”. Pode ser minha chance de ficar rico com picaretagem.

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                    • É hora de começar a escrever um livro de auto-ajuda, Paulo! Gostei do termo: Transtorno da Enveja!

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                  • E digo mais: acredito que seja contagioso.

                    Eu peguei essa mania de chamar todos e, por qualquer razão mínima de homofóbicos depois de de presenciar isso vindo desta maneira das alas militantes.

                    Pior, o contágio se propaga mesmo sem contato físico.

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                    • Bom, se houver contato físico, pelo menos a Larissa já lhe explicou como usá-lo em proveito dos seus glúteos.

                      O que você achou?

                      Loading spinner

  • Mafú Ação Total

    Tem também os filhos da puta que estacionam em frente ao portão de casa. Uma vez que isso aconteceu, eu já ia esvaziar o pneu, grudar um cartaz escrito BUCETA na lateral do carro e chamar o guincho, quando o filho da puta apareceu. Pois o desgraçado ainda me diz “foi rapidinho, só por cinco minutinhos”.

    A frente do meu portão não é estacionamento nem por cinco SEGUNDINHOS, porra!

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Já fiz uma delinquencia assim. Um fulano parou na frente da minha garagem daí eu chamei uns amigos bombados e eles foram deslocando o carro na mão em um ângulo de 90 graus, até que ele fique atravessado na rua e bloqueie a passagem. Fechou a rua. Daí rapidinho apareceu guarda municipal e reboque. É só ir dando pequenos trancos, pequenos empurrões na lateral da frente do carro que ele vai se movendo como o ponteiro de um relógio.

      Se você liga pedindo para rebocarem demora pra caralho ou não vem ninguém, se você fecha a rua rapidamente tomam providências

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Fiquei 10 quilos mais leve lendo o seu texto Sally. Vontade distribuir em cinemas, restaurantes e qualquer local onde se concentre esse tipo de gente. Confesso a você que me sinto muito anti social por raramente sair da minha casa mas quando paro pra pensar em tudo o que pode acontecer ao colocarmos o pé na rua e todas essas inconveniências acabo mudando de idéia. Raramente saio meus amigos pois na maioria das vezes me sinto deslocado do ambiente. Vc foi perfeita quando falou que passamos a sentir como se os errados fossemos nós.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Thiago, eles são maioria, então eles ditam o conceito de normalidade. Nós somos frescos, escrotos, esnobes, intolerantes e etc.

      Não podemos fazer muita coisa além de evitar esse tipo de gente. Nunca perca a noção de que o certo é você, mas tenha em mente que são pessoas que estão fora do alcance da sua mão, não adianta tentar dar um toque nessa gente.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • No restaurante que almoço, estou sempre sozinha e as mesas, quase todas, são de quatro lugares. Como passei anos, comendo no bandejão da universidade, aprendi a ser gentil e dividir a mesa, realmente não me importo. Mas PORFA, peça licença. Daí esses dias chegou um casal, um tiozão e uma senhora, e chegaram chegando. Até aí, ok (tá, não tava ok), mas o tiozão falava de boa cheia e segurava o garfo daquele jeito pedreiro-style, sabe? Acho o horroooor! E não bastasse isso, ainda ficou com um arroz grudado no canto da boca, nojinho eterno! Quando os vejo, até sinto um arrepio e torço pra eles irem pra longe de mim.
    Nesse mesmo restaurante, ontem, tinha uma mulher com um bebê. Até aí tudo bem, a cria tava se comportando, não chorava nem nada, só dava aqueles gritinhos de criança. O que a abençoada da mãe faz? Deixa o fucking celular em cima da mesa, tocando uma música aleatória. A (má) educação vem de berço.
    E os CERUMANOS que ficam ouvindo música alta no celular, no ônibus? Tô falando, vou pedir pro instrutor me dar aulas especiais, pra eu descer a porrada nessa gente em breve. Quando a pilha do meu MP3 player acaba, sinto como se tivessem arrancado um braço meu, é a única coisa que tenho pra me proteger, e olhe lá. :(
    Resumindo: odeio adolescentes, e crianças, adultos, odeio todo mundo e quero que todos morram, GAAAAAHHHH!!1! Eugenia entre os habitantes da RID JÁ!

    O que você achou?

    Loading spinner

      • Sally, outro dia discuti com um jagunço num ônibus que ouvia música alto.

        Comecei educadamente e depois já estava sendo segurado pra não sair na porrada com o cara. Mas percebi algo que não percebia antes.

        O cara era tão ignorante e justificava com coisas tão absurdas que percebi que o problema não era algo relativo provocação ou similar. Era cultural. Ele realmente não conseguia enxergar o problema naquilo e que espaço público não significa fazer o que quiser.

        Poderia brigar com meio mundo que não ia mudar a cabeça deles. Isso vem não só de berço, mas também é ligado a comunidade e amigos com quem convivem.

        Eu sou um egoísta individualista, mas sei que meu direito termina onde começa o do outro. Mas nem todo mundo é assim.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Pois é, eles não fazem sabendo que estão sendo escrotos, eles são animaizinhos que tem a incapacidade de se colocar no lugar do outro e perceber que pode incomodar. Pessoas que vivem no meio de um amontoado de gente em uma casa sem noção de privacidade não tem como depreender que outras pessoas tem necessidade de privacidade. É inútil conversar com eles, é como tentar explicar a um cego o que é azul ou o que é vermelho, eles não estão aparelhados para entender. A melhor coisa é tentar manter distância.

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Antigamente era só funkeiro que ouvia sem fone em transporte coletivo. Depois começaram outros generos de musica, esses dias tinha uma mulher ouvindo um culto evangelico, era 6:15 da manhã.

            Recentemente tenho notado um outro fenômeno desagradável: animais (porque isso não é comportamente de gente) usam fone mas deixam num volume tão alto, mas tão alto que é possível ouvir estando 3 poltronas atrás. Eu fico um tempão me perguntando se o fone não estaria solto, mas não deve ser isso, porque acontece com muita muitissima frequência. Sou medrosa (apesar de ser alta pra uma mulher), tenho medo de apanhar de populares então nunca falei nada.
            Realmente se acaba a bateria do MP3 dá uma raiva imensa. Nessas horas dá vontade de fazer como faz o classe média habitual: ir numa concessionária, comprar um carro financiado em 60 vezes e não ter mais que aturar essa gentalha. Mas como sou uma pessoa que aprendeu um pouquinho de finanças (e sou pão dura também), ainda não fiz isso, vou esperar até poder comprar quase a vista. Mas olha, tá cada dia pior.

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Spoiler: comprar carro só muda o tipo de aborrecimento que você vai ter, porque a falta de educação está no trânsito também. Você vai se estressar com as pessoas que dirigem feito fdp, pode acabar se machucando seriamente em um acidente por causa de um merdinha que bebeu, dirigiu e enfiou o carro dentro do seu, vai se aborrecer para estacionar, vai se aborrecer para abastecer o carro, vai se aborrecer quando o carro der problemas… Enfim, a merda é a mesma, só mudam as moscas. Só que no caso do carro, a merda é mais cara.

              A luz no fim do túnel é o Suriname. Os Impopulares anseiam por uma nação. Talvez se a gente se vitimizar compulsivamente como o outro povo fez alguém crie uma Nação Impopular…

              O que você achou?

              Loading spinner

            • Baah falando em culto, há uns meses, quando eu tava voltando do trabalho de noite (22h) tinha um filho da puta crente com celular a todo vapor, ouvindo música de igreja. Se ele ficasse mais 2 segundos perto de mim, eu teria batida nele de guarda-chuva! Mas ele saiu…
              Falando em má educação, nesse mesmo dia, vi outro filho da puta pregando uma plaquinha parecida com aquelas de ‘jesus voltará’ num poste. Cheguei nele e perguntei que bosta era aquela, queria saber qual é o sentimento que leva uma pessoa a pregar uma porcaria dessas num poste. Ele falou todo felizinho pra eu ler… É o tipo de pessoa que acha que ele ta suuupeer certo, mas quando vê alguém pixando algo, acha errado.

              O que você achou?

              Loading spinner

              • Acho que essas pessoas devem ter alguma desconexão cerebral por falta de estímulo intelectual na infância. Gente que não consegue usar o cérebro, sabe? São animais irracionais bípedes.

                O que você achou?

                Loading spinner

      • Ah, e os infelizes que andam em bando (mas pode ser só duas pessoas) e ocupam a calçada inteira, não deixando a gente passar? Esses dias tinha uns animaizinhos desses na minha frente, tive que andar na rua, e pra completar a cena, passou um cretino com o carro rente a mim e buzinou. Eu mereço.
        Que tal os que deixam a bandeja na mesa, na praça de alimentação do shopping? Não sei se é a minha educação, ou se foi o hábito que peguei comendo no refeitório da universidade, em que a rotatividade era grande, mas eu NÃO consigo deixar a mesa suja. De vez em quando tem funcionários pra limpar, esse deve ser o mesmo tipo de gente que joga lixo na rua pra “dar emprego pro gari”. MORRER pra dar emprego pro coveiro e pro dono da funerária ninguém quer, né?
        Olha só, Sally, tu desviando das “pessoas”, eu querendo armar barraco e/ou meter a mão na cara… Alguma coisa tá MUITO errada, hahaha!

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Pois é, estou procurando justamente evitar essas pessoas, porque se eu for exposta a elas, também vou dar barraco. Como não adianta nada e ainda é perigoso, eu recomendo que você também passe a evitá-las

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Sim, mas quando não é possível, eu só lanço o meu olhar de desprezo e minha cara de “Sou phyna demais pra ter que passar por isso”. E quando estou no ônibus, fico mentalizando pros babacas que incomodam caírem de boca no chão ao descer e perderem todos os dentes. :D

            O que você achou?

            Loading spinner

        • Sobre a bandeja, é mais uma cereja no sundae de morar em Curitóbas. Em qualquer lugar que eu vivi, em restaurantes com bandejas, fast foods etc é hábito recolher a bandeja. Só em Curitiba que não vi isso. Nem no Mc Donalds.
          Sobre quem anda do ladinho em bando e ocupa a calçada.. ahh como é bom ser massudo… nada que uma ombrada generosa que arremesse o filho da puta na rua e que ELE quase seja atropelado não resolvam. Isso combinado a uma cara de drogado (esbugalhe os olhos e comece a rir encarando bem nos olhos da pessoa) resolve qualquer parada.

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Puizé, até que sou relativamente alta pra uma menina, mas sou magricelinha, se der uma ombrada em alguém, quem cai sou eu. :(
            Quer ser meu guarda-costas?

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Se eu ainda morasse em Curitóba até te chamava pra dar um rolê no shóppis e te dava um curso básico de manipulação do seu centro de gravidade… batendo no ângulo certo, dá pra fazer milagres… Rugby, ahhh, o que seria da minha vida sem você…

              O que você achou?

              Loading spinner

              • “manipulação do seu centro de gravidade… batendo no ângulo certo, dá pra fazer milagres…”

                Devo ter e mente poluída…

                O que você achou?

                Loading spinner

                • HAHAHAHAHAHAHAHA sim, nem EU pensei besteira, isso que tenho a mentalidade de um moleque de 12 anos: “Hahahaha, ‘peitos'”.
                  Cê tá pior que eu, vai se tratar.

                  O que você achou?

                  Loading spinner

  • Quer maior exemplo de falta de educação? Gente que deixa o cão solto no condomínio por que ele não morde ninguém, se recusando terminantemente a botar coleira e guia no bicho, fodendo o direito de ir e vir dos condominios que não querem tomar um susto (ou que tem cães que ANDAM com guia e coleira (como é o caso do meu)) Quer criar o bicho solto meu bem, SE MUDA E COMPRA UMA CASA! Condomínio não é a sua praia.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Concordo plenamente. Não é apenas o risco de uma mordida que justifica uma coleira. Tem gente que tem MEDO de cachorro, essas pessoas não são obrigadas a passar por esse susto.

      Além disso, esse papo de “ele não morde” não é 100%. É bicho, não dá para ter 100% de certeza do comportamento de um bicho. Uma vez um desses idiotas estava com seu cachorro “não morde” solto e uma moradora chegou com seu gato do veterinário. O gato estava no seu colo. O cachorro “não morde” arrancou o gato do colo dela e o matou.

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Que dó! Imagino agora a cara do cachorrão e o seu cachorro que não mordia ninguém… Coitada da proprietária do gato, que além de perder uma ligação afetiva, teve SEU BEM (afinal de contas animais são BENS (e não PESSOAS como muitos pensam por aí)) fatalmente avariado.

        E o final da história… Quem processou quem? Conta Sally!

        O que você achou?

        Loading spinner

        • O gato era de uma raça bem cara. A dona do gato processou o dono do cachorro, mas estava mal orientada e quis processar criminalmente, o que acaba não dando em nada pois seria uma desproporção prender uma pessoa porque um cachorro matou um gato. Deveria ter processado na esfera cível, pedindo indenização por danos morais. Mas sabe como é essa gente, neguinho acha que o processo criminal é o auge, o mais fuderoso que se pode conseguir. E não é, para cada coisa existe um tipo de processo pertinente.

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Querida novidades sobre o meu causo… Ontem mesmo, enquanto eu levava meu dog para passear, encontrei o marido da criatura… E pedi pelo amor de gezuis-godzilla que ela parasse com essa falta de educação e tal…

            Detalhe: ela sempre soube do meu desconforto com a situação, mas sempre achou que “não era nada demais” (isso já vem de DÉCADAS essa história dela sempre deixar cão solto)

            Voltando ao causo…A resposta dele: “Eu não sou mais nada dela, ela é de maior” (o que eu não sabia é que eles haviam se separado mas moram no mesmo apto!)

            E hoje, lá pela hora do almoço, a dita cuja veio chorando para dizer que ficou ofendida e tal (sendo que o condominio já botou uma regra há tempos sobre isso, só que gente mal-educada, claro, que faz questão de não seguir) e aproveitou para sensibilizar para minha mãe, contando que o casamento dela e a relação entre ela e agora o ex-marido está uma merda (como se a minha chamada de atenção tivesse algo a ver).

            Pedir desculpas ou mesmo botar o cão na guia como GENTE NORMAL E QUE PENSA NOS OUTROS FAZ… não isso é muito para o carocinho de uva que ela tem no lugar de cérebro…

            E o pior: minha mãe dando razão a ela, que eu devia ter falado pessoalmente com ela… Detalhe: numa reunião de condominio, tempos atrás, meu pai (que é o síndico) deu uma prensa nela exatamente sobre isso, e ela chamou meu pai de MONSTRO DESUMANO!

            Vê se pode!

            Um beijo enorme…

            O que você achou?

            Loading spinner

            • É uma das táticas dessa gente: SE FAZER DE VÍTIMA

              Sabe porque? Porque funciona. A maior parte das pessoas se sente no direito de transgredir normas quando está sofrendo, por isso toleram quando outros se portam assim. Muita vontade de dizer “Minha Senhora, CAGUEI para o seu casamento, com marido, sem marido, com AIDS, com câncer no cu, com sonda anal no cu… a senhora TEM QUE COLOCAR O FUCKIN´ CACHORRO NA COLEIRA, seu sofrimento não te isenta de seguir normas de convivência”

              Mas não adianta. De dois um: terrorismo urbano e envenena o cachorro de forma anonima ou tenta não ter contato com essa filha da puta corna

              O que você achou?

              Loading spinner

              • Outra: pede um cachorro do demo pra alguém e fica de butuca pra passar com ele quando ela estiver lá. Eu tinha um Beagle (BEAGLE, aquele com cara do Snoopy, todo fofo) que não deixava nenhum cachorro tirar barato com a cara dele. Umas duas vezes vieram com essa de “ele não faz nada”, mandei um “mas o meu faz e está na coleira”. Obviamente não deu tempo do dono fazer alguma coisa e meu fofo-Beagle pregou dentada no cachorro alheio. E eles não puderam nem reclamar… Ainda ouviram um “PORRA, EU AVISEI!!!”.

                O que você achou?

                Loading spinner

              • Mais duas idéias: bombinhas, dessas de estalinho mesmo. Cada vez que o cachorro chegar perto, manda bombinha…

                Ou se o cachorro chegar bem perto quando vc estiver com outro cachorro, vc pode tirar a guia do seu, segurá-lo só pela coleira (ser for grande), ou no colo (se for pequeno), segurar a guia pela parte de metal (mosquetão) e sentar porrada com o outro lado. Alegue que vc foi atacada e que o cachorro queria comer o seu. Não esqueça de gritar. Se faça de vítima e vire o jogo.

                O que você achou?

                Loading spinner

                • Eu ando com um aparelho de choque na bolsa que chamo carinhosamente de “O Doutrinador”. Vende no Mercado Livre e não é caro. Dá um choque de 800.000 volts e apaga até ser humano. Dá para usar em cachorro numa boa. Se o cachorro se aproximar você diz que ele te atacou e senta um choque nele. Quando a dona visualizar o cachorro estirado no chão, desacordado, babando e se tremendo, vai pensar duas vezes antes de deixá-lo solto novamente.

                  Aparelho de choque é algo que eu recomendo que TODOS tenham, mesmo que seja para não usar.

                  O que você achou?

                  Loading spinner

              • Um último pedido de uma humilde impopular: que tal lançar a CARTILHA DESFAVOR DE BOA EDUCAÇÃO. Seria um LU-XO!!

                O que você achou?

                Loading spinner

                • Seria um luxo mesmo, e eu gostaria da participação de todos vocês contribuindo. Vou pensar em um meio de viabilizar isso com a colaboração de todo cidadão!

                  O que você achou?

                  Loading spinner

              • Pra dar um susto em algum fdp, uma bolinha de carne com 2 dramin e um relaxante muscular é suficiente? Considerando um cachorro grande.

                (Pode ser útil algum dia.)

                O que você achou?

                Loading spinner

                • dramin é remédio para enjoo! Não sou médica, mas acho que um remedinho para apagar, tipo um Amplictil mesmo, se não periga do bicho ficar acordado e fazer um escândalo maior ainda

                  O que você achou?

                  Loading spinner

  • A do celular sempre rende histórias:

    Certa vez,uma mulher atendeu o celular no ônibus e foi falando alto por cerca de 15 km (bônus do inferno: ônibus articulado da Mercedes Benz – tipo Transoeste RJ),e como todo mundo que estava perto dela estava de fone,nem incomodava tanto.Só que um senhor que já ia descer,aproveitou e xingou muito a mulher.Ela tentava rebater,mas no fim acabou perdendo já que todo mundo que estava no ônibus ficava olhando e rindo dela.

    Sobre cinema:no meu caso,sempre vou em um shopping (que na verdade são 2,anexos a uma estação de Metrô/trem/terminais de ônibus),em que em um dos prédios os cinemas são dublados e no outro,legendados ou dublados em horários alternativos.É quase um oásis na zona leste..hahahahaha

    O que você achou?

    Loading spinner

    • O UCI no shopping New York da Barra tem uma sala VIP chamada DELUX onde o ingresso custa 50 conto mas tem garantia de sossego. Nenhum adolescente paga isso e nenhum pai com criança paga isso.

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Shopping NEW YORK? Sala DELUXE? É aí que tem a tal estátua da liberdade carioca?
        Aqui em SP tem algumas salas com essa proposta também, ingresso de 50 conto, pipoca custa 50 conto.. acho que até mijar deve custar 50 conto. Mas como você mesma disse, na situação que você relatou, vale a pena. Engraçado, parece que quanto a cinema aqui a coisa é menos tensa.. não precisa esse malabarismo todo, basta evitar as estréias. E depois que implantaram as cadeiras numeradas e os lanterninhas botam quem descumpre a numeração no lugar certo, ficou bem interessante.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Sim, o lugar é escroto até o cu bater palminha, mas pelo menos tem cinema VIP onde os mal educados não entram e se entram se sentem oprimidos pelo ambiente. Tem alguns ambientes que ainda tem o poder de oprimir essa gente. Uma vez eu estava em um restaurante chamado “Casa da Suíça”, onde o ambiente é majoritariamente adulto e formal, quando uma criança começou a correr pelo local. Todos se calaram imediatamente e olharam com espanto, a ponto da própria criança perceber, se constranger e sentar de volta.

          Ambientes muito formais intimidam a gentalha, pena que são caros.

          O que você achou?

          Loading spinner

  • O pior não é nem o mal-educado em si… Agora quando ele vive COM você é um inferno! Aqui em casa, eu sou obrigada a aturar os desmandos dos meus pais com relação ao comportamento duma mala sem alça nem rodinhas que eu tenho que chamar de irmão…

    Ele só faz as coisas quanto “está afim” e se acha o Reizinho da casa! Eu já fiquei conhecida no meu prédio por dar uns esporros em alto e bom tom (acho que qualquer pessoa faria o mesmo (ou pior) conhecendo a situação)… E meus pais acham engraçadinho tudo que ele faz. Agora comigo é diferente… Não posso dizer nada que já vem esporro…

    Foda!

    Um beijo Sally (e obrigada por homenagear indiretamente esta impopular!)

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Você merece, depois de ouvir aquele desaforo, você merece até uma estátua de bronze na praça da sua cidade!

      O que você achou?

      Loading spinner

      • O que mais tem são pais achando fofinho o comportamento imbecilóide do pimpolho. Sempre que posso, dou um tapa numa cria dessas. A criança vai chorar e correr pro pai. Posso ficar com a fama de pessoa malvada, mas pelo menos tenho sossego.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Mas bater em criança nunca te causou problemas? É uma coisa que geralmente dá uma encrenca danada!

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Se vc for menor… não :) no máximo um esporro do papito. LNSL, te apoio plenamente. Içami Tiba é meu ovo esquerdo estralado na testa do seu irmão. SURRA DJÁ!

            O que você achou?

            Loading spinner

          • Nunca me deu problema nenhum, porque como a criança é hiperativa e eu sou ‘quietinha com cara de anjinho’, sempre acham que a criança ta fazendo birra.

            O que você achou?

            Loading spinner

                  • Daí eu já não sei se é constrangimento em me dizer que sabe que fui eu quem bati na criança ou se é desconhecimento dos sentimentos do filho.

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                    • BACANA. Muito bacana saber que dá certo. Mas tem que fazer sem deixar marcas, né?

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                    • Sim, faz de um jeito que não deixa marca que não tem problema. Comigo funciona.

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                    • Ah, coisa simples, mas que pra uma criança pequena (de até 7 anos) são fortes. Tipo, um empurrão um pouco mais forte que o normal, daí a criança caí e tu mesmo vai ajudar, daí o pai da criança vê que tu ajudou… Ou puxa o braço da criança de um jeito que ela tenha que se abaixar, daí ela vai ficar braba e vai fazer mimimi pro pai… Coisas assim, bobinhas.

                      O que você achou?

                      Loading spinner

  • Faltou falar das madames donas de Poodles, Yorkshires, Chihuahuas entre outras raças filhas da puta que só servem para cagar, latir a noite inteira e roer sofá, além de serem feios PACARALHO. Parecem mais com ratos de esgoto.

    Já tive uma vizinha dondoca que tinha três Poodles filhos duma puta. A madame não sabia adestrar as bolas de pêlo e os tratava como humanos. Toda vez que ela chegava em casa, os inúteis ficavam pulando na dondoca e ela, sem saber que isso é comportamento dominante, achava uma graxxinha e ficava conversando com voz de retardado com os ratos de esgoto e os agradando: “a mamãe chegouu, cuti-cuti da mamãee”. Ou seja, estimulava esse comportamento. Aí mais à noite, quando ela botava os merdinhas para fora de casa e fechava a porta, os filhos da puta ficavam na porta latindo a noite inteira tentando entrar. Dava vontade de degolar os bostinhas e pendurar suas cabeças num poste.

    Gente que quer ter cachorro deve procurar saber como a mente deles funciona. Deve saber como botar um freio em certos comportamentos, e não deixar o bicho agir como se fosse o dono da casa.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Geralmente madame que tem cachorro tem para suprir carência, não se preocupa em saber como a mente deles funciona muito menos em educá-los. Essa gente não educa nem mesmo FILHO (ou deixa com babá, ou deixa na creche), imagina se vai educar cachorro…

      Olha, a hora do soninho é sagrada. Eu tive um vizinho cujo cão incomodava todo mundo em volta. Durou duas semanas. A hora do soninho é sagrada. Cachorro que não deixa os outros dormirem não sobrevive se eu for a vizinha.

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Deu um pãozinho envenenado pra ele Sally? Cachorro adora pão!

        Meu cunhado tem um desses cachorros enormes, alguma raça de cão caçador. Ele mora numa dessas vilinhas, tem um portão que dá na rua e dentro várias casinhas uma perto da outra. O muro é baixo e ele deixava essa porra de cachorro sozinho o dia todo. Os vizinhos reclamaram e o pai dele (aposentado desocupado) passou a praticamente morar lá pra cuidar desse cachorro (o Lobinho, que adora pão!).
        Particularmente acho esses vizinhos uns frouxos incompetentes. Se fosse eu já teriam enterrado o Lobinho faz tempo.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Pão é ruim de atirar, é muito leve. Funciona melhor bolinha de carne cura com um comprimidinho no meio. Dá pena do cachorro, porque ele não tem culpa, mas porra, as pessoas tem que trabalhar, ninguém pode se dar ao luxo de passar noites e noites em claro.

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Joga uma bolinha de carne com um tranquilizante. Talvez os donos percebam que a vizinhança não está para brincadeira quando acharem o cão desacordado e passem a tomar mais cuidado. Esse susto já serviu para “motivar” muito vizinho meu a tomar cuidado com o cachorro. Se depois de umas duas ou três vezes não der certo, aí você decide se quer finalizar o bicho.

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Excelente essa do tranquilizante. Dá uma chance pro pobre do cachorro trocar de dono, pelo menos… Quem sabe o cara não fica assustado e dá o cachorro para alguém que eduque.

              Apesar das histerias, sou muito mais favorável ao corte das cordas vocais (não, cachorro não PRECISA falar) do que corte de orelhas e rabo que são só estéticos mesmo. Mas corro o risco de tomar um processão declarando isso… Fazer o que… Hipocrisia, a gente se vê por aqui…

              O que você achou?

              Loading spinner

              • Sempre ouvi que o corte das cordas vocais era cruel, mas nunca souberam me explicar exatamente porque. A voz para o cão não tem o mesmo valor do que a voz para o humano, não sei bem qual o grau de importância. Acho que deve ser mais ou menos como quando o cachorro fica cego e o dono chora achando que é o fim do mundo, quando na verdade visão não é o sentido principal do cão.

                O que você achou?

                Loading spinner

  • “Meio mundo mastiga com a boca aberta e fazendo barulho, mas se você alerta a pessoa para isso, ela nega ofendida”

    E conversa mastigando também. Custa muito engolir a porra do bolo alimentar para depois se prestar a falar. Afinal, o que há de tão importante a dizer para a humanidade que não pode esperar? Tão absurdo quanto não deixar o cônjuge cagar em paz e ficar plantado na frente dele falando dessas mesmas coisas tãããooo importantes…

    Lembro da Sally alertando uma vez do quanto o condomínio pode ser uma merda em termos de concentrar gente má educada. E é uma merda mesmo, bem fedorenta. No primeiro mês morando em apartamento, além dos idiotas que não esperam as pessoas descerem do elevador no térreo e já vão entrando (uma vez derrubei um aborrecente no chão), já tive que pedir para interfonarem para o vizinho de cima que estava fazendo reformas no apartamento às 22h30 de uma segunda-feira.

    Pior mesmo é o vizinho jogador de futebol: orgias todos os dias o dia todo (está contundido); o folgado do puxa-saco desse jogador, “Macarrão”, estaciona o carro dele, um utilitário gigantesco blindado em qualquer vaga vazia do prédio (sendo que as vagas são fixas, já bloqueou meu carro uma vez) porque não querem pagar para estacionar; e da porra do pagode tocando alto todo dia, quando volta dos treinos…Torço para que vá para o inferno, ou para o Catar, com um longo contrato…

    De resto, com a má educação já tomando conta do mundo, as próximas palavras a serem extintas na língua portuguesa serão o “por favor” e o “obrigado”.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Seu vizinho é jogador de futebol? QUE MERDA

      Dá um jeito dele ser preso, liga para a polícia…

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Coloca aí na lista dos mal educados os que conversam ao celular berrando, esses geralmente vem no combo toque exagerado (musica cretina, onomatopéia ou musica legal mas que se torna cretina devido ao elevadissimo volume).
    Sério mesmo, eu podia ter passado minha vida sem saber que a tiazinha mongol precisa ligar pra casa todo dia na hora do almoço pra mandar a empregada tirar da cama seu filhinho de 18 anos. Como que a pessoa não se dá conta do quão vergonhoso é isso!

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Terrível. E ainda tem os que conversam no viva voz, com aquele Nextel odioso, de modo a que todos escutem o teor da conversa, quando existe a opção de falar sem ser no viva voz!

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Tenho infartos com aquele PRI no Nextel. Porra, desliga essa merda de barulho, fala igual celular… Não entendo, não entendo.

        Aliás, tenho colapsos toda vez que vejo falta de educação ostensiva… Já empurrei uma mulher pra fora do metrô porque ela furou fila. Já chamei de porteiro (adora ficar na porta). Já briguei com uns adolescentes em pleno horário do rush e quando os caras (que deveriam ter feito alguma coisa) olharam dando risada (tipo “bem feito, se fuderam”), mandei um “e vcs? Tudo frouxo. Monte de homem que não peita nem moleque de 15 anos… Que vergonha, que vergonha”… Parei de andar de metrô porque achei que ia apanhar em algum momento.

        Já mandei uns 3 ou 4 pegarem a sujeira que jogaram no chão.

        No cinema, durante as filmagens: “ALO, ALO, ALO????!!! EU TOU NO CINEEEEEMAAAAAAAAA”. Mandei um “E EU TAMBEM”. Tb ameacei duas crianças que estavam chutando o banco, dizendo que eu iria chutá-las da próxima vez que tocassem o banco. Detalhe: com as mães do lado. Uma vez meu pai tirou 50 reais do bolso virou pra mocinha na fileira de trás e falou um “sai da sala, tá aqui o valor de uns 3 ingressos. Vc não tem idade suficiente pra se comportar no cinema, então não precisa estar aqui”.

        Meu marido tem um “sono imediato” (daqueles que atingem as pessoas sentadas em bancos para deficientes) quando ele percebe que eu vou falar alguma coisa. Mas até agora fui apoiada por quem estava perto e acho que meu jeito transtornada/ maluca/ “vou matar você e é já” deixaram as pessoas meio intimidadas para responder… Confesso que DEPOIS que eu faço, acho que fiz cagada e que poderia ter apanhado. Mas na hora quando eu vejo eu já falei…

        Escolinha da Tia Carol. O que vc não aprendeu em casa, com amor ou na dor.

        PS: estou pensando no texto dos cachorros, mas está enorme…

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Dependendo de onde você faça essas coisas, pode acabar mal sim. Aqui no Rio já teve gente que foi dar esporro em criança no cinema e o pai, que era delegado, tirou a arma e atirou no joelho da pessoa. O melhor para você é realmente evitar esses fdps sempre que isso for possível, porque pode ser que um dia dê errado.

          Pode fazer o texto enorme, não tem problema!

          obs: Chocada com o preço do Shiba, CACHORRO CARO PACARAI. O preço dele é escroto mesmo?

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Qto estão querendo? Vc está vendo em Pet Shop ou com criador?
            Chuto que um bom de um bom criador deve estar por volta de 1,5 ~ 2 mil.

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Não confio em Pet Shop. Os criadores que encontrei estão fora do Rio e me pediram R$2.500,00 por um filhote com envio incluído.

              DOIS E QUINHENTOS! NEM EU VALHO ISSO!

              Você conhece criadores de Shiba no Rio ou em Salvador?

              O que você achou?

              Loading spinner

              • Eu tb não confio NADA em pet shop, até pq já trabalhei em alguns. O que acontece por trás dos vidros não é nada bonito…

                Tem o pai de um amigo meu cria, ele morava em Salvador, não sei se ainda está lá. Vou te mandar um email com os contatos.

                Achei que com o envio (que deve ser de avião) deva sair mais ou menos isso mesmo… :S

                O que você achou?

                Loading spinner

                • Se encontrar um criador em Salvador seria perfeito! Lá deve ser mais barato, tudo em Salvador é mais barato! Tenta ver se ele ainda está lá!

                  O que você achou?

                  Loading spinner

                  • Eu já fui estagiária de uma clínica veterinária e muitas vezes ficava encarregada do banho e tosa. Não é bonito o que acontece. Não sei qual é a experiência da Carol, mas eu vi bicho apanhar muito, ser “afogado” em balde de água por alguns segundos para ficar quietinho, ter as quatro patas amarradas e até tomar choque. Desde então, só eu dou banho e toso meus cachorros.

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                  • Wilson, já vi DE TUDO… Tem ÓTIMOS profissionais, mas tem profissioanais que nem gostam de cachorro… Tem que ficar esperto.

                    No banho e tosa já vi chute, enforcamento, afogamento, apertão, tapa. Já vi inclusive amordaçarem o cachorro para darem uns croques. Gente que deixa cachorro preso na girafa (“postinho” que amarra o cachorro na mesa de secagem para ele não pular)… só que o cachorro pula e se enforca. NUNCA poderia ser deixado sozinho sem ser na gaiola…

                    Na parte de veterinária já vi veterinário formado dando vacina de um lado e furando a pele até sair do outro lado (a vacina foi dada no “nada”, só gastou líquido). Já vi um caso de cesárea que a vet ESQUECEU um fuckin filhote dentro (a cachorra só sobreviveu porque conseguiu expelir o filhote – morto – quando chegou em casa). Já vi vet que não sabia o que era entrópio e ectrópio (“doenças” BÁSICAS, especialmente porque afeta a raça que ela CRIAVA – ou seja, não selecionava filhotes saudáveis por DESCONHECIMENTO veterinário).

                    Cachorros criados/ vendidos em pet shop então… Tem criador que deixa os cães em gaiolas sem sair NUNCA, exceto para cruzar e dar filhotes, usa ração de péssima qualidade, não vacina, não faz exames de saúde antes de acasalar. Resultado: filhotes doentes, que crescem mais do que o esperado, agressivos ou medrosos… Todo filhote banhado é lindo. Tem pet shop que compra ninhadas inteiras e revende, nem sabe quem são os pais. Deixa os bebês expostos – a maior parte das doenças fatais são VIRÓTICAS (nem adianta por atrás de um vidro).

                    Adestrador que dá choque, chuta, senta porrada para ensinar comandos BÁSICOS, tipo SENTA.

                    Enfim. Se for dar banho em pet shop, escolha um que vc possa acompanhar o processo. Se for comprar, VISITE o criador, veja os pais, conheça o ambiente. Se for levar em veterinário, se sentir que o tratamento não faz efeito, ou se ouvir um “é normal”, procure uma segunda opinião. Se for adestrar, escolha escolas que VOCÊ adestra. NUNCA deixe seu cachorro sem sua supervisão com um desconhecido. Coisas ruins acontecem.

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                    • Lembro de ouvir muita gente recomendando o centro de adestramento do Bruno Tausz aqui no Rio, que também tem hospedagem. Olha, nem meu pior inimigo eu deixo lá para adestrar…

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                    • Eu “conheço” ele (internet mesmo), mas não sei dos detalhes sórdidos. Bom saber para não indicar…

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                    • A poodle da minha prima voltou do pet shop cega de um olho. Parece que enfiaram a tesoura.
                      Até eu que odeio cachorro fiquei com dó.

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                    • Você paga (caro) para esse tipo de serviço.

                      Pet shop é como creche: dar responsabilidade demais para estranhos que nunca cuidarão do seu animalzinho como se fosse deles e que por ter que cuidar de vários ao mesmo tempo acabam não cuidando direito de nenhum.

                      O que você achou?

                      Loading spinner

          • E pois é… apesar de ter meus contatos tb, nunca se sabe se o FDP vai deixar vc rebater a carteirada antes de atirar…Tenho medo, por isso tenho evitado tb. Só que custa caro… é uma droga isso…

            Cinema tenho ido nesses que tem poltrona de avião. Carobacarai.

            Metrô não uso mais, se bem que depois que eu mudei ficaria impossível mesmo.

            Tento ver umas coisas e não falar nada, mas me dói no fundo da alma não encher a cara do cidadão de alegria…

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Eu não consigo não falar. Por isso procuro evitar os locais. Já briguei em metrô, já chutei cadeira de rodas, já empurrei idoso. Eu não tenho controle e ataco até Intocáveis. Isso pode acabar mal, por isso parei de frequentar certos lugares ou então apenas me retiro quando um pau no cu chega e começa a paunocuzar… Faça o mesmo. O mundo tá cheio de malucos, não vale a pena se foder por causa desses merdas.

              O que você achou?

              Loading spinner

                • Um cadeirante estava forçando uma barra para entrar na minha sala (no trabalho) para reclamar de uma decisão minha (sobre um assunto em que ele estava completamente errado). Fui fechar a porta na cara dele, porque não queria discutir e ele projetou a cadeira para dentro da sala. Acabou que eu quase consegui fechar a porta, mas ficou um pedacinho da cadeira para dentro, daí eu mandei ele tirar e ele gritou “Vem tirar você sua… *palavrão”.

                  Eu estava com a bota de cano alto, então abri a porta e dei um coice na cadeira, o que fez com que o cadeirante caia de costas no chão (Deus abençoe o Leg Press, cada dia malhado valeu a pena) e fechei a porta. Como não tinha ninguém na sala de espera, o cadeirante ficou berrando ali feito uma tartaruga virada de costas e eu não o socorri, fiquei rindo alto da minha sala. Ficou um bom tempo berrando o filho da puta.

                  Me custou a antipatia de meio mundo. Teria sido melhor eu apenas sair da sala, ou talvez do prédio, pelas escadas, de modo a que ele não pudesse me seguir. Quando se conta a história, tudo que vem à tona é “Sally derrubou um cadeirante e ficou rindo”. Queimação desnecessária.

                  O que você achou?

                  Loading spinner

                  • “Como não tinha ninguém na sala de espera, o cadeirante ficou berrando ali feito uma tartaruga virada de costas e eu não o socorri”
                    HAHAHAHAHAHA fiquei imaginando a cena e rindo em silêncio, pelo menos o chefe não tá perto e não precisei contorcer minha cara pra segurar a risada, como se tivesse tendo um derrame facial.

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                    • Quem quer respeito tem que respeitar também. Pode estar de muletas, pode ter cem anos, pode estar de cadeira de rodas, se me xingar aparece um alvo no peio na hora.

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                • A história que rola é que o tal Chiarelli (o desfavor em pessoa aqui na política de Ribeirão) teria agredido um deficiente e sido cassado por conta disso.

                  Não sei de maiores detalhes porque não morava na cidade na época e nem sou tão entendido da política aqui.

                  O que você achou?

                  Loading spinner

          • Sally, nesses casos de uma pessoa leva um tiro de um delegado (ou alguém que tem habilitação pra andar armado), quem levou o tiro não tem o que fazer? Seilá, processar?

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Claro que sim, mas isso não muda o fato de que quem leva um tiro no joelho fica manco para o resto da vida… Dependendo da profissão da pessoa, não tem dinheiro que pague.

              O que você achou?

              Loading spinner

        • O barulho do nextel é dose mesmo. Só se compara ao maldito som das teclas.
          Tomar no meio do cu viu. Pra que colocar som nas teclas?!?!? a pessoa tem que ser muito retardada pra achar que precisa dissou ou que é legal.

          Queria ter metade dessa coragem pra peitar a gentalha. Eu acho que eles tem uma força descomunal (gente ignorante costuma ter) e fico com muito medo de apanhar.

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Não é coragem peitar a gentalha, é burrice, palavra de quem peita. É burrice porque não adianta NADA e ainda te coloca em risco. O melhor é evitar a gentalha sempre que possível, assim quando somos obrigados a conviver com ela ainda temos algum resto de tolerância

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Dani, escuta a Sally… é burrice… Eu podia ter dado emprego pra coveiro já (como disseram num comentário aí embaixo).

              O que você achou?

              Loading spinner

              • Tem muito maluco descontrolado que não tem nada a perder… eu também poderia estar morta ou ter pelo menos levado uma boa surra!

                O que você achou?

                Loading spinner

                • Concordo.
                  Um diazinho quem sabe eu não faça só um “shiii” pra algum babaca berrando no celular. Vou estar sentada e nem vão perceber de onde veio (risco quase zero e lavo um pouco a alma).

                  O que você achou?

                  Loading spinner

                  • Tem formas interessantes de admoestar gente cretina. Moro perto de um fórum de justiça, perto mesmo, 20 metros. VIVE parando “dotô adevogado você sabe com quem você está falando?” aqui… desencanei de brigar, bater boca… hj jogo ovos no parabrisa… minha mãe já pegou merda de cachorro e fez casulinho de merda nas 4 maçanetas do carro do cara de forma a não ter como ele entrar (ela se deu o trabalho de abrir a tampinha da chave com um arame e socar merda lá tmb, admirei a velha pela vontade, e sim, ela usou luvas). Passo merda no parabrisa tmb… o cara volta, fica puto, grita, xinga, toca a campainha e ai vc sai, olha e fala “puxa vida, que coisa não?”. O que ensina um filhodaputacomgonorréianocu desses a ser menos filhodaputacomgonorréianocu é passar por incômodos, constrangimentos. Gritar, xingar.. não adianta. Até pq esse bando de filhodaputacomgonorréianocu JURA que está certo.

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                    • Sim, eu sou favorável a pequenas delinquências socioeducativas, desde que elas fiquem anônimas, caso contrário passa a ser perigoso

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                • ja me apontaram arma na cara duas vezes…geziuz godzila deve ter propositos maiores para minha vida…

                  O que você achou?

                  Loading spinner

      • Não sabia que dava pra desligar, nunca tive nextel.. achava que não tinha como, de tanta gente pagando esse mico de segurar aquela merda a 5 cm da boca e usar aquele viva voz com qualidade de som de um carro de pamonha.

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Que nada! Dá para falar como um telefone comum e dá para colocar para tocar como um telefone comum! Os donos de Nextel é que geralmente são MAL EDUCADOS mesmo

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Até hoje não entendi o FUNDAMENTO de ter um Nextel. Pra mim, é walkie talkie de traficante, isso que não moro e nem nunca estive no Rio, hein.

            O que você achou?

            Loading spinner

            • A ideia é falar de graça o quanto quiser com outras pessoas que também tem pelo país todo. Pode ser muito útil, por exemplo, para um grande escritório de advocacia que tem filiais em diversos estados, pois fica mais barato. Na verdade o que acontece é que POBRE usa para ficar pendurado no telefone fofocando inutilidades no viva voz.

              O que você achou?

              Loading spinner

              • AH TÁ, isso é realmente mágico.
                No meu mundo eu não CONCEBO pessoas falando no viva-voz. Aliás, DETESTO ficar de papo furado ao celular em lugares públicos (quase nunca acontece, mas né).
                Assim como tem gente que não sabe que é inconveniente porque não absorveu o conceito (tipo o cara com quem o Hugo discutiu no ônibus), eu não devo compreender esse tipo de coisa porque NO MEU MUNDO não faz sentido.
                (vou começar a juntar as garrafas PET pra gente fazer a ilha, enquanto não sai a ocupação do Suriname)

                O que você achou?

                Loading spinner

                • Pessoas falam coisas que, a meu ver, são nocivas a elas mesmas no viva voz, contam traição, falam que mentiram para o chefe e similares. Não sei o que se passa na cabeça desses dementes. Aqui no Rio tá cheio de idiota falando no viva voz por tudo quanto é lado. Por sorte a Nextel está mal das pernas e cada vez menos gente tem essa porra, porque quando era moda a vida era mais difícil.

                  O que você achou?

                  Loading spinner

    • Eu odeio quem fala muito alto.

      No celular já cheguei a comentar que ela poderia até desligar o celular que a pessoa com quem falava ouviria do mesmo jeito.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Reforma da sala de estar ( Pintura + AR Cond + Móveis ) = R$ 4500,00
    TV de LED 42″ + Blue Ray + Home Theater = R$ 3000,00
    PS3 = R$ 1200,00

    Desfrutar do conforto da sua casa, não tem preço!

    Sally,

    EU ODEIO O ADOLESCENTE CARIOCA, por isso mesmo só vou a cinema agora para ver filmes de criança, já que tenho um de 4 anos, e mesmo assim ele se comporta melhor que muitos adultos por aí!

    PS: Sally, preciso me consultar com um advogado de assuntos de condomínio, pode me sugerir algum? Ou posso te mandar um e-mail com o caso?

    Obrigado desde já!

    Mauro.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Tive a sensação de era eu escrevendo esse texto…

    Só lembrei de mais umas:
    – a pessoa te espremendo no elevador lotado. Por essas que no trabalho passei a usar escada, dependendo da hora. Elevador de hospital não dá!
    – gente que te aborda achando que vc tem obrigação de passar infomação, sendo que o quiosque de informação está ali ao lado.
    – os espritos de porco que batem a porta do carro no seu carro, amassando a lataria.

    Sem mais.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • E gente que espirra fazendo um barulho absurdo e sem colocar a mão na frente da boca? E gente que GRITA pelos corredores do hospital esquecendo que existem pessoas doentes com dor tentando dormir? E visita que vai ao hospital e fica horas matraqueando?

      O que você achou?

      Loading spinner

      • Hospital: another desfavor.

        Meu pai na UTI, nós tinhamos 20 minutos para ficar com ele e tinhamos que esperar na maldita sala de espera. Um monte de fuckin crianças (que NÃO podiam entrar naquele setor da UTI) brincando, pisando nos sofás, gritando…

        Surtei uma vez tão surtado que a enfermeira pôs toda a galera pra fora da sala de espera. Flawless Victory!!!

        O que você achou?

        Loading spinner

        • Porra… criança em UTI é sacanagem!

          Nos hospitais o desfavor é tão grande que até alguns funcionários entram na paunocuzação: enfermeiras rindo e berrando, médicas de salto alto na UTI fazendo barulho no quarto dos pacientes…

          O que você achou?

          Loading spinner

          • Olha, tem muita coisa que não convem eu ficar relatando aqui. Mas pelo que Carol relatou, um hospital só permite entrada de criança na UTI quando a própria família peita as normas de um hospital e entram com recursos. Há um limite de idade mínimo para isso acontecer. Quando se trata de Hospital Particular, onde a satisfação do cliente é o mais importante, pois o cliente sempre tem a razão: o Hospital vira Hotel.

            O que você achou?

            Loading spinner

            • Olha, quando eu estava na UTI de não um, mas dois hospitais particulares (Copa D´Or e São José), que supostamente tem visitações muito restritas, meus pais passavam a metade do dia comigo dentro do quarto. Sim, um desfavor, pois aumenta o risco de contaminar o paciente que está muito debilitado, mas ainda assim acontecia.

              O que você achou?

              Loading spinner

              • Há hospitais que permitem um acompanhante por paciente em UTI. A família se reserva, pode um por período. Não sei que critério utilizam, mas sei que há um mini-treinamento de orientação de horários de visita, cuidados de higiene, etc… É o que eles chamam de assistência humanizada. Existe tb essas excessôes que fizeram com seus pais, com certeza foi o médico quem liberou, Sally. Mesmo em UTIs em que não se tem acompanhante, alguns médicos liberam por julgar que assim o paciente e familiares podem se benefeciar de alguma forma. Não é sempre que permitem.

                O que você achou?

                Loading spinner

                  • Meu pai pagava pra liberar o celular. Ele tinha medo que alguem fizesse uma cagada e ele precisasse ligar pro médico dele (o que de fato aconteceu uma outra vez). Detalhe: celular com ele, cheio de aparelhos para controlar o fuckin coração. Meu pai é um desfavor. Siago Tomir em modo avançado.

                    O que você achou?

                    Loading spinner

                    • Porra, desfavor são as pessoas que liberaram o celular! Poderia ter cagado os aparelhos todos!

                      O que você achou?

                      Loading spinner

                    • Porra, desfavor são as pessoas que liberaram o celular! Poderia ter cagado os aparelhos todos!

                      O que você achou?

                      Loading spinner

  • Olha.. faz tempo que me sinto excluida do mundo por pensar exatamente como voce. Meu namorado me chama de barraqueira toda vez que peço silencio no cinema, e acredite, isso acontece com frequencia. Por que ? Porque paguei pelo filme e quero assisti-lo em paz, sem nenhuma interferencia? Fico revoltada .. fora os tres onibus que pego diariamente e logo as 6 da matina sou obrigada a ouvir pessoas conversando fuckin’ das duas extremidades do onibus, e eu bem no olho do furacão..Tento ficar inerte, fingir que não tô nem aí, mas é impossivel. Me revolta saber que as pessoas, alem de mal educadas, nao respeitam o espaço alheio. Sera que seria pedir demais ?

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Infelizmente é pedir demais. Eles venceram. Comece a tentar evitá-los quando for possível.

      Acho que cada um poderia passar uma lista de lugares da sua cidade onde ainda é possível encontrar boa educação.

      O que você achou?

      Loading spinner

    • Infelizmente é pedir demais. Eles venceram. Comece a tentar evitá-los quando for possível.

      Acho que cada um poderia passar uma lista de lugares da sua cidade onde ainda é possível encontrar boa educação!

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Para contar algum exemplo chocante de falta de educação do qual você foi vítima:
    1 – No escritório, a criatura deixa o celular na mesa que toca justamente quando ela sai da sala, com aquela música(!) assassina do Michel Atélogo no volume alto!

    2 – Criatura me chama para almoçar e faz montanha de comida no prato, termina de comer primeiro e me deixa à mesa.

    3 – Criatura assiste novamente filme que ainda não assisti e fica antecipando as cenas, geralmente com comentários ridículos

    4 – Criatura que só assite filmes de porrada, me desmerece porque prefiro filmes que o populacho considera “filme cabeça”

    5 – Criatura que costuma falar cutucando, não adiantando eu manter distância segura, criaturinha irritante chega cada vez mais perto e dessa vez vem com os cutucões e com os perdigotos

    6 – Criatura que, quando menciono a boa educação necessária à convivência social, diz que me preocupo com essas “besteiras” somente porque porque sou viado

    E por aí vai! Não é nada fácil ser educado no meio dessa gente!

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Acho que o pior da situação mesmo é esse fato dessas porras terem FILHOS. Ou seja, passam esse maldito gene pra frente! (porque não é possível que não seja falha genética isso. Não é possível que uma pessoa perfeitamente saudável ache normal ser inconveniente assim. Ainda tenho esperança na descoberta da “doença da falha no cromossomo paunocuzação”). Crianças já são seres desagradáveis por natureza. Crianças com pais mal educados se tornam insuportáveis! Ontem mesmo eu estava sentada numa mesa de um barzinho tomando meu suco sossegada, na minha. Na mesa ao lado tinham duas senhoras com um menininho, mas até então nada de mais. A criança tava na dela. Até que chegou uma outra mulher com um outro garotinho e os dois se juntaram. Criança junta não presta. Criança junta morfa. Criança junta não é de gezuiz. Começaram a brincar, gritar e CORRER no meio das mesas, e eu lançando um olhar mortal praquelas duas criaturas. Quando no meio da correria um esbarra na minha mesa e derruba meu suco. A mãe brigou, a mãe levou embora? Não. A mãe olhou com um sorrisinho idiota e falou “criança é assim mesmo”. Passados uns minutos naquela zona, uma das crianças, no meio da correria, caiu, se estatelou de fuça no chão e começou a chorar. Eu fiquei com pena, eu fiquei comovida? Não. Eu caí na gargalhada, ri mesmo em alto e bom som. Quando vi a cara da mãe me olhando assustada e puta por eu estar rindo, só levantei e falei “eu sou assim mesmo” e fui embora.
    Infelizmente você tá certa, Sally. Eles venceram… e a tendência é piorar.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Clara, concordo muito com tudo que você disse. A pior parte são as crias mal educadas. E garanto que meio mundo acha normal criança correr em restaurante porque “criança é assim mesmo”. Eles venceram. Por sorte ainda existem alguns lugares que não aceitam crianças, eu procuro me limitar a eles.

      O que você achou?

      Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: