Plantão Transição – 1

Confesso que eu esperava mais. Sei lá, esperava coisas como um pessoal fantasiado invadindo o Congresso, Bolsonaro fazendo um discurso inflamando a massa, tiozão dando tiro para o alto com 38 enferrujado… Golpe a gente sempre soube que não ia ter, pois não há qualquer competência para isso, mas eu achei que ao menos o espetáculo seria de uma dimensão maior.

O que estamos vendo: alguns caminhoneiros bloqueando estradas, ruas e vias de acesso. Tá joinha. Vão ficar quatro anos aí?

Ao que tudo indica, começou um boato no Whatsapp de que o artigo 142 da Constituição diria que se ocorrerem protestos por 72h, se autoriza uma intervenção militar no país. Obviamente, o artigo 142 da Constituição não diz isso em momento algum e essas pessoas ficarão esperando a chegada de militares que nunca acontecerá. É o pior plano que eu já vi na minha vida.

Se você quiser constatar por você mesmo o teor do artigo 142, é só clicar aqui ou esperar 72h para ver que não vai ter nenhuma intervenção militar. Ou melhor, até está ocorrendo, mas não da forma como os “manifestantes” gostariam: no Rio de Janeiro, por exemplo, estão descendo o cacete em quem tenta bloquear algum acesso. Curioso o vídeo: todo mundo comemorando a chegada dos militares, até começar a apanhar deles.

Vamos repetir pela milésima vez: não vai ter golpe. Não se assuste. Não fique nervoso. Não caia na pilha. Não vai ter golpe.

E não cair na pilha não é apenas não ficar com medo de golpe, é não se rebaixar. Não ficar com ódio, gritando que tem que bater, tem que quebrar, tem que aniquilar. Não seja essa pessoa. Não alimente a polarização. Não precisa gostar nem aplaudir, mas não aceite esse convite para briga. A situação está sendo manejada dentro da lei, se você sair da lei, se torna o mesmo que você tanto critica.

É fato: metade do país votou no Bolsonaro e de alguma forma, no mínimo, o tolera. Essa é uma realidade que não muda com a vitória do Lula, 49% da população não vai desaparecer. E sentir raiva deles é como sentir raiva de um deficiente mental que não sabe o que faz. Por qual motivo estão com raiva de pessoas que estão sendo enganadas, manipuladas e usadas?

Pode ser raiva de perceber que o povo do seu país é tão manipulável? Pode. Mas esse povo é uma vítima da falta de cognição, da falta de educação, da falta de noção da realidade. Não adianta absolutamente nada bater em uma pessoa assim. Muito pelo contrário, quanto mais você bate, mais ela acha que tem razão e acirra o “combate” a você.

Alguém tem que parar se querem que essa divisão acabe. E eu acredito que o lado que tem mais condições de fazer esse movimento seja o do Lula, pois os outros estão com medo e acuados. Nós sabemos que não é verdade, mas são pessoas que escutam mentiras assustadoras de fontes nas quais confiam: que vão confiscar sua casa, que vão fechar suas igrejas e coisas ainda piores. São pessoas com medo.

Pessoas com medo, apavoradas, se levadas ao extremo, atacam. Não por maldade, por pura imbecilidade e falta de estrutura para reagir de outra forma. Ninguém é obrigado a tolerar agressão, muito menos ruas fechadas, mas para isso existe a lei. Não faz o menor sentido você atacar de volta e ser agressivo de volta com pessoas insanas.

Primeiro que não vai ser produtivo: uma pessoa com medo não responde bem a agressividade e a ataques e segundo que é feio, é covarde, é pequeno. Se um maluco foge do hospício e me dá um tapa na cara, obviamente eu não vou tolerar, mas não vou ficar xingando o maluco que me bateu.

Esses ânimos exaltados impedem a percepção de que está todo mundo apavorado, cada qual alimentado pelo seu “lado”. Há quatro anos que se solidificou a narrativa de que “vai ter golpe”. A cada 7 de setembro teve gente com medo, chorando, apavorada. Obviamente que pessoas que ficam quatro anos na expectativa disso ficam nervosas, com medo e apreensivas.

Vou repetir: não vai ter golpe. Vai ter esperneio, baderna, talvez até vandalismo, mas golpe não vai ter. Deixe a lei cuidar dessas pessoas. Ir espezinhar, tripudiar ou agredir maluco que está fora de si não é uma boa ideia, só atrai merda para você (nunca se sabe o que maluco pode fazer) e para o país (acirra ainda mais a rivalidade).

“Mas Sally, foda-se a rivalidade, meu lado ganhou”. Olha, o PT está entrando com muita expectativa e pouca margem de manobra. Um país quebrado, um STF que tem processos contra o Lula na mão que podem ser julgados a qualquer momento, um Congresso tenebroso… talvez Lula não consiga fazer tudo que se espera dele e, se ele decepcionar, talvez 1% a mais da população vote no Bolsonaro em 2026 – e é o que basta para ele ganhar.

Então, sei que 99% das pessoas vão discordar de mim, mas é momento de acolhimento e conciliação. Não digo ir abraçar maluco, falo apenas em não pisar em quem está no chão, em não tripudiar de quem está agindo enganado, manipulado, cego. Não precisa ser amigo de ninguém, não precisa tolerar ninguém, basta não ir atacar. Não seja mais um a inflamar o país. Não seja mais um que quando está no poder quer vingança.

É bem claro para todos vocês o quanto eu desgosto do Lula, porém, não faz o menor sentido torcer para o avião no qual você está cair pelo fato de não gostar do piloto. É burrice. É colocar seu ego acima do bem-estar coletivo.

Também é bem claro para todos o quanto eu desgosto do Bolsonaro, passei a pandemia toda estudando feito uma filha da puta para desmentir tudo que ele falava toda semana. Porém, não faz o menor sentido pisar, esculachar, escrotizar pessoas que estão acuadas, apavoradas, com o que elas acreditam ser uma ameaça real. Seria muito mais inteligente mostrar a essas pessoas que não há ameaça alguma.

Basicamente, é sobre isso esse texto: não há ameaça alguma para ninguém. Não vai ter golpe (sem chances dessa gente ter competência para isso) e não vai ter comunismo, kit gay, mamadeira de piroca ou fechamento de igreja. Boa parte do país está lutando contra moinhos de vento.

O que a gente tem que se perguntar é a raiz desse problema: por qual motivo as pessoas alimentam o pensamento de que pode haver um golpe ou que pode haver comunismo? Isso é o que nos ajuda a encontrar a solução para esse hospício.

Será que querem se colocar no papel de oprimidas para mostrar que elas tinham razão, que o outro lado é esse demônio que elas tanto falavam? Será que querem demonstrar virtude lutando contra esse inimigo imaginário (o golpe ou o comunismo, tanto faz) publicamente? Não sei o que é, mas ambos os lados parecem fazer questão de alimentar narrativas que endossem seus medos.

Tem um ganho secundário aí. Sempre tem. Ninguém passa anos alimentando um medo (que nunca se concretiza!) se não houver um belo ganho secundário. Cada um que reflita e descubra o seu e desmonte essa armadilha interna.

Uma coisa eu posso afirmar: o denominador comum de toda pessoa presa em um medo imaginário é o desempoderamento. Desempoderados precisam criar um mundo que não existe, pois no mundo real se sentem muito irrelevantes, muito inúteis, muito pequenos. Melhor ser o único inteligente do bairro que sabe “a verdade” (que a Terra é plana, que vai ter golpe, que o comunismo vai voltar) do que ser mais um na multidão, com uma vida amorosa triste, com um trabalho que não gosta tanto, com uma vida cheia de problemas.

Talvez se as pessoas parecem de medir seu sucesso/fracasso por ideias de Instagram, não precisassem usar desse recurso e pudessem gostar de suas próprias vidas, caso em que, elas seriam o bastante. É como alguém que usa drogas para fugir de uma realidade que não gosta ou anestesiar a dor: a pessoa usa informações falsas para fugir de uma realidade que não gosta e anestesiar a dor, comprando uma realidade paralela que lhe é apresentada. E ambos os lados fazem isso.

Não vai ter golpe, vai ter apenas baderna que será contornada, pois tem pouca adesão e um plano muito ruim. Não vai ter comunismo, igreja fechada ou kit gay, na real não vai ter nem o Lula governando, só sentando na cadeira. Não vai ter nada de novo, emocionante ou surpreendente. Circulando… voltem a cuidar das suas vidas e a focar nos seus problemas, pois esses sim cada um de vocês pode resolver.

Ou vocês brasileiros encontram uma forma de se entender, ou ficarão décadas nessa polarização, nas mãos de canalhas em alternância de poder. Não se bate em pessoa burra, pessoa burra se ajuda. Não com condescendência, superioridade ou dizendo o que ela deve fazer. Não agora, que os ânimos estão exaltados. Mas com o tempo, será possível.

Vocês acham que durante toda a pandemia eu não tive vontade de escrever cada FAQ Covid nos mesmos termos de um Processa Eu? Vocês sabem que essa neutralidade não é meu estilo de escrita, foi esforço escrever assim. Vocês acham que eu vi metade dos meus amigos no Brasil morrerem ou ficarem com graves sequelas e foi fácil escrever sem citar uma gota de política, sem xingar ou sem citar opinião pessoal nos mais de 50 FAQs?

Eu tinha zero vontade de escrever de forma neutra – e inclusive foi esculhambada por isso mais de uma vez. Mas quando a gente fala desde um lugar de raiva, de forma agressiva, com rancor ou com pauta política, ninguém te escuta. Eu sei que o Desfavor é numericamente irrelevante, mas deu certo: algumas pessoas foram tomar vacina por terem acreditado no que a gente escrevia. Talvez essas pessoas não tivessem escutado ou confiado se fosse um texto agressivo, cheio de xingamentos. Esse é o caminho.

Eu não sou um exemplo de virtude, foi um grande esforço não xingar, chamar de burro, mandar tomar no cu, mas ao menos nós tivemos a consciência de como falar para sermos escutados e o estômago para fazê-lo. Seja inteligente, desarme essa bomba agora, se não ela vai explodir no seu colo em 2026.

Dá vontade de rir, de tripudiar, de fazer de volta o que fizeram com você? Normal que dê, mas seja melhor do que isso. Fica na sua, deixa a lei agir. Não tenha medo. E quando a poeira abaixar, tenha uma postura conciliadora. Não precisa concordar com ninguém, apenas não ataque, não dê motivos para que mentiras que foram contadas sejam confirmadas em cabeças ocas e virem verdades aos olhos de gente assustada.

Percebam que estamos fazendo dois pedidos aqui: um interno e outro externo. Internamente, é melhor para todos se as pessoas pararem de sentir raiva das outras por suas burrices, burrice merece ajuda, não raiva. Externamente, é mais inteligente não ir antagonizar, ameaçar, tripudiar ou deseja o mal, pois isso gera apenas distanciamento e desunião. Se 1% dos brasileiros se sentirem escrotizados pela esquerda e votarem o Bolsonaro em 2026, o Brasil tem que engolir mais 4 anos de Bolsonaro.

Estamos na contramão da sociedade, mais uma vez. Se a gente radicalizasse, para um lado ou para o outro, Desfavor poderia explodir de visualizações. Sabemos fazer conteúdo radical, raivoso, detonativo. Seria muito fácil escolher um lado, fazer os textos que agradam esse lado e jogar no colo de meia dúzia de formadores de opinião desse lado para que divulguem. Em duas semanas teríamos nome, patrocinadores e até, quem sabe, algum dinheiro público.

Mas estamos aqui pelo que acreditamos e vamos dar o exemplo. Não é esse o caminho. Não gera nada de bom para ninguém, nem mesmo para quem está por cima, pois o mundo dá voltas e amanhã será o outro lado a retomar o poder.

Chega de lados. Faça a sua parte para que isso acabe. Não consegue ter a grandeza de estender a mão? Então fica na sua, apenas não detone, não jogue gasolina onde já tem incêndio. Pode até te dar um prazer imediato, mas, acredite, não é inteligente a longo prazo.

Esse rebosteio todo é uma oportunidade para que sejamos melhores, é uma oportunidade para romper com essa divisão babaca onde quem perde é apenas o povo.

Dentro daquilo que a pessoa consegue ver, estão todos fazendo o que acham ser melhor para o Brasil. Se alguém cruzar a linha da legalidade, para esses, existe a lei. Não trate pessoas cegas pelo medo como filhas da puta, não ache que se resolve divergências calando, batendo ou escrotizando o lado oposto.

Não vai ter golpe. Não vai ter comunismo. Não vai ter intervenção militar. Não vai ter kit gay. Chega dessa merda, já deu. Sejamos melhores.

Para me criticar pois entendeu que no texto eu defendo bolsonarista, para me criticar pois entendeu que no texto eu defendo petista ou ainda para me criticar por eu ser uma isentona: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou do texto?

Loading spinner

Etiquetas: , ,

Comments (20)

  • Chega de falar em política. Já deu! O país não vai implodir só porque um candidato perdeu ou se tornar um paraíso só porque o outro ganhou. E o inverso também seria verdadeiro. Vamos tratar agora é de tocar nossas vidas em frente porque já se perdeu muito tempo com uma briga estúpida em nome de quem, no fundo, está pouco se fudendo para quem tanto os defende.

  • Só bati o olho na imagem que abre o artigo, já me veio à mente “que tipo de ativistas do MST são esses? Eles estão meio diferentes…”

    • Vivemos para ver a direita apoiar manifestação e a esquerda torcer para a polícia enfiar a porrada em manifestante. O país todo, dois pesos e duas medidas.

  • Se eu fosse o Lula, de imediato baixaria um decreto liberando jogo do bicho e cassinos aqui no Brasil. Aí essa velharada sairia do zápi e teria um entretenimento mais “saudável”.

  • Quando o PT perdeu ninguém esperneou, cambada de minions virgens, enrustidos não tem mulher pra cuidar, não tem uma louça pra lavar. Fanatismo é foda. A polícia tinha que descer o cacete mesmo pra aprender a respeitar a votação e parar de bloquear estrada.

    • Você é parte do problema, você é exatamente como os “minions” que ataca, só que acha que sua causa é válida e a deles não

  • Se Bolsonaro tivesse competência pra meter um golpe de estado, acho que, por tabela, ele teria competência pra não perder uma eleição pra um cara com o histórico do Lula.

    E se o Lula tivesse competência pra implantar uma ditadura comunista por aqui, acho que, por tabela, teria usado essa competência pra não ir preso após deixar uma trilha gigante de provas nos seus esquemas.

    O Brasil vive as sequelas de eleger gente grotescamente estúpida, eleição após eleição

  • Muito reducionista associar toda essa movimentação a simplesmente “bolsominions com medo do comunismo compartilhando notícias falsas” mas em parte é culpa deles também, por insistirem em vincular as manifestações ao Bolsonaro, como se a maioria dos eleitores não tivessem votado nele só por não quererem PT de novo.

  • E pensar que era só esse cabeça de bagre ter levado a pandemia a sério e incentivado as medidas de prevenção, que ele tinha sido reeleito, mesmo que por pouco, aproveitando a fadiga que boa parte da população tem do PT… o mula está há mais de 30 anos concorrendo à presidência, bicho. Que saco.

  • Texto sensato e mais do que necessário neste momento, Sally. E enquanto não parar com essa idiotice de se inclinar ora à direita ora à esquerda levado por figuras messiânicas que falam apenas aquilo que as massas de manobra de seus respectivos lados querem ouvir, o Brasil jamais vai ter a necessária estabilidade para enfim, ir PARA A FRENTE.

  • Ótimo texto, Sally.

    Confesso que tendo a ir pra um lado mais passional das coisas de uma forma geral, mas tenho me esforçado pra ficar com a cabeça mais fria. A meditação ajuda bastante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: