Relação doentia.

O julgamento mais falado do momento finalmente terminou. Depois de quase sete semanas, Amber Heard e Johnny Depp foram condenados por difamar um ao outro. A sentença foi lida na quarta-feira (01). Depois de uma série de acusações de ambos os lados, muitas vezes alarmantes de abuso e agressão, o júri considerou que Amber Heard deveria pagar US$ 15 milhões ao ex-marido, mas a juíza diminuiu em razão dos limites legais da Virgínia. O valor que Johnny Depp deve pagar à ex-mulher (US$ 2 milhões), no entanto, foi mantido. LINK


E as reações do público são terríveis. Desfavor da Semana.

SALLY

Finalmente saiu a decisão no processo envolvendo Johnny Depp e Amber Heard. O desfavor? Todo mundo achando que ele “ganhou”. Ninguém venceu nesse processo, todo mundo perdeu. E todo mundo contribuiu para esse grande esmerdeio que agora criticam, tão virtuosamente.

Não vou dizer que eu não gostei da decisão, eu gostei, eu fiquei feliz. Essa decisão passa uma mensagem positiva: se você mentir, tentar forjar provas contra alguém para prejudicar a pessoa, você vai ser desmascarado e isso vai custar caro, seja você homem ou mulher. Mas isso é muito diferente do que estamos vendo por aí.

Muita gente transformou isso em uma guerra dos sexos (team homem x team mulher), projetando crenças e traumas pessoais em uma série de generalizações babacas. É deprimente ver pessoas usando uma tragédia pessoal para promover suas crenças erradas e reforçá-las.

Existem homens e mulheres sem ética, existem homens e mulheres legais. Se na sua vida só aparece homem/mulher sem ética, é hora de se olhar no espelho, pois o problema está em você, não no azar.

Que um homem ou uma mulher seja condenado em um processo como esse não quer dizer que todos os homens e mulheres sejam capazes de fazer o mesmo. Nem todo homem é filho da puta e nem toda mulher é mentirosa. Não culpe 8 bilhões de pessoas pelas suas escolhas erradas. Talvez se as pessoas usassem o tempo livre para cuidar da mente em vez de acompanhar briga de celebridade torcendo como se fosse futebol, conseguissem uma vida pessoal mais saudável.

Teve quem desconte suas frustrações e raiva em Amber: “bem-feito, se fodeu, vai falir, tomou no cu”. Não é por aí. Se você está torcendo para alguém se foder, esse sentimento deriva de raiva, algo bem involuído e igualmente babaca. Você não tem raiva da Amber, você nem a conhece. Você tem raiva de quem pode fazer ou já fez algo similar com você e, adivinha só, você foi o responsável por permitir que façam isso. Projetar seus traumas em uma pessoa que você nem conhece e sentir raiva dela só faz mal a você mesmo.

Na Argentina tem um ditado que diz que “da árvore caída todo mundo faz lenha”, ou seja, é só alguém estar por baixo, que vem todo mundo bater. Estão fazendo isso com Amber. Ela errou, ela foi extremamente escrota e sem ética, porém ela está sendo punida por isso, pelos meios legais. Mas não, é pouco, o usuário de redes sociais quer punir também!

E, adivinha só: não é como se ela sozinha fosse a vilã e tivesse estragado a vida de Depp. Primeiro que para se manter em uma relação onde ambos se agridem, ambos se xingam, se decepa dedo e se caga no travesseiro precisa de dois. Depp pagou o preço por ficar em uma relação nada saudável. Ninguém começa uma briga de casal cagando no travesseiro do outro: a falta de respeito começa sutil e depois vai escalando. A pessoa que permanece após os primeiros indícios de falta de respeito também é responsável por tudo que aconteça. Tanto que ninguém ali foi punido pelo que fez na relação, o processo é apenas sobre difamação: coisas que um disse sobre o outro em público.

Isso significa que Depp não mereça ser indenizado? Claro que não, houve difamação sim. Fosse eu condenava ela a pagar ainda mais. Isso significa que não dá para jogar todo o peso do que aconteceu com ele nas costas dela.

Cada um que deu audiência para essa baixaria (muita gente vê na fodeção alheia um conforto para se sentir menos fodido), cada um que opinou sem saber o que estava acontecendo, cada um que usou a história para ganhar dinheiro ou para defender uma bandeira também contribuiu. Quem repercutiu isso com condenação (para qualquer um dos dois) em redes sociais contribuiu para todo o dano que foi causado.

Pense aqui comigo: o que teria acontecido se fossemos uma sociedade mentalmente sã, e Amber tivesse feito as exatas mesmas acusações? Não teríamos clamor popular, linchamento virtual, pressão para demitir ou punir, xingamentos massivos e rinha de fã-clube. Amber foi uma escrota, mas o maior desgraçamento da vida de Depp foi causado pela internet julgadora, linchadora e militante.

E alguém aprendeu algo? Claro que não. A militância continua se comportando de uma forma escrota. As lunáticas extremistas que se dizem feministas tiveram a cara de pau de dizer que condenar Amber, mesmo sendo culpada, é um desfavor para a causa feminista pois mina a credibilidade das mulheres! Oi? Em nome da sua militância um inocente tem que ser prejudicado? Quem fez um desfavor à causa feminista foi a própria Amber, banalizando acusações sérias, mentindo e minando a credibilidade de mulheres no mundo todo.

Em contrapartida, os misóginos de plantão pegaram esse caso para generalizar e reforçar que toda mulher é filha da puta, ardilosa e mentirosa e estão comemorando como se sua seleção tivesse vencido uma final da Copa do Mundo: “Johnny Depp VENCEU!”. Não, meu anjo, ele foi condenado também, só que a indenização que ele vai ter que pagar a ela vai ser um pouco menor, não por ele ter feito coisas menos graves durante o relacionamento, mas por ele ter difamado ela menos depois. Na real, ninguém venceu nesse esmerdeio todo não. Todo mundo saiu perdendo.

Me preocupa de verdade ver o tanto de gente fodida da cabeça que acha que Depp “venceu”. Como alguém consegue ver uma vitória em tanta merda e sofrimento? É hora de começar a trabalhar na cabeça das pessoas de que não é uma situação com “vencedores”. Ficar em um relacionamento assim é ruim para todos, é prova de probleminha de cabeça, é sintoma de um tipo de doença mental. E acompanhar isso como se fosse uma novela é ainda pior.

E é hora de fazer um mea culpa e entender que enquanto a opinião pública continuar a ser essa máquina de moer reputação, opinando sobre o que não sabe com base em seus achismos, em sua militância e descontando seus traumas e frustrações, sempre vamos ver injustiças como essas se repetirem. Surgiu uma questão que você não tem como avaliar a verdade? Não opine. Mas não, as pessoas PRECISAM tomar um lado e ficar brigando por ele.

E, mais uma coisa: assim como esta nobre internet não é juiz e não deveria julgar, também não é Estado e não deveria punir. Mas vão. A maior pena de Amber não vai ser a indenização em dinheiro, vai ser o tanto que ela será massacrada por muitos anos online. Já ocorreu a vocês que talvez, quem sabe, essa infeliz realmente acredite que foi vítima de tudo que ela alega? Que pode ser uma doente e não uma filha da puta? Dificilmente alguém levaria as acusações até última instância achando que são mentira. Talvez essa moça precise de tratamento e não de linchamento.

Ambos estão muito mal de cabeça e precisam de ajuda. Dar pedrada em Amber vai atrapalhar, mas, o que pouca gente vê é que aclamar Depp também vai. Se ele sair disso como senhor da razão, aplaudido por todos, talvez ele realmente acredite que o problema estava todo nela e não consiga tirar algo de bom esse rebosteio. Nem toda situação tem um certo e um errado. Nesta estão ambos errados, e Depp precisa ver que errou muito. Parem de aplaudir quem errou por projetar nele seus traumas e militâncias.

Acabou. Deixem o circo morrer para que os envolvidos possam lamber suas feridas e, com sorte, melhorar. E melhorem vocês também, não tomando partido de coisas que vocês não sabem e não tem como saber. Levantar suspeitas, fazer afirmações, questionar veracidade com base no que você acha ou leu na internet é ainda mais babaca do que o cagar no travesseiro de alguém. Parem de passar essa vergonha e entendam que a coisa saudável a fazer é não tomar lados. Saiam da polaridade, saiam da pancadaria da internet, saiam desse grande tribunal linchador.

Todos nós já passamos por alguma situação na vida onde erramos e, se esse erro fosse exposto para o mundo todo, seriamos violentamente linchados. Desçam do pedestal, senhores da virtude, e da próxima vez em que se depararem com um conflito que ative seus gatilhos ou suas crenças, sejam melhores e não opinem sem qualquer embasamento, pois isso prejudica todos os envolvidos.

Não tem vencedores. Ambos estão muito errados, muito doentes da cabeça e muito feridos. Deixem esse assunto morrer, deixem essas pessoas em paz.

Para dizer que te conforta ver pessoa rica e bonita se fodendo pois te faz acreditar que a fodeção é inevitável e não sua responsabilidade, para dizer que acredita que seus achismos e conclusões são tão maravilhosos que vai continuar opinando sobre o que não conhece de perto ou ainda para dizer que estamos passando pano para um dos dois: sally@desfavor.com

SOMIR

Eu sempre fico preso no dilema entre ter conhecimento do que é popular por causa da minha profissão e no profundo desinteresse que tenho pela vida pessoal de celebridades. Talvez por isso eu tenha desenvolvido um talento especial para fingir que sei do que as pessoas estão falando só com algumas pequenas informações que vejo por manchetes em sites de notícias. Quer dizer… eu achava que era um talento especial.

Talvez eu não seja o único. Eu sempre me achei muito esperto por navegar por conversas sobre celebridades e fofocas sem ler um parágrafo desse tipo de conteúdo: na verdade, é só prestar atenção na expressão ou no tom da voz da pessoa que puxa esse assunto com você para saber que ângulo ela está procurando. Conversa sobre celebridade e fofoca não é sobre entender o assunto, é sobre as pessoas expressarem suas visões de mundo e tentarem se mostrar “melhores” umas para as outras.

A impressão que eu tenho agora é que eu não sou único em ter pouco conhecimento sobre esse tipo de tema e fazer malabarismos mentais para fingir que sei do que estou falando, eu provavelmente só estou consciente disso. Esse tipo de polêmica entre celebridades (e especialmente subcelebridades) é sempre trabalhado dessa forma: as pessoas famosas são alvos fáceis para projetarmos nossas ideias sobre o valor que temos nesse mundo, e pra maioria das pessoas, os famosos que se explodam.

Tanto que o que vemos desse terrível julgamento que colocou duas pessoas muito mal da cabeça uma contra a outra é um festival de projeções de valor pessoal: não é sobre um casal de pessoas terrivelmente disfuncionais, é sobre com qual problema mental apresentado ali o público mais se identifica. E aí, vira rinha entre homens e mulheres, conservadores e lacradores… tudo o que puderem identificar no processo e por consequência, usar para bater em quem consideram diferente.

A própria ideia de que alguém ganhou ali é um sintoma de problema, como a Sally bem disse. Duas pessoas que se casaram, passaram anos juntas numa relação doentia e terminaram lavando a roupa suja para o mundo todo ver? Isso é uma derrota gigantesca. É sinal claro de que aquelas pessoas sofreram horrores e pelo que pudemos extrair do julgamento, não aprenderam nada com isso. A Justiça definiu que não pode difamar o amiguinho, e quem difamou mais vai pagar mais. Mas a Justiça não definiu quem estava “certo”. Ninguém estava certo.

Tanto não estava que as consequências do julgamento foram todas erradas na opinião pública: um bando de homens malucos achando que foram vingados porque a mulher passou vergonha e vai pagar indenização maior; um bando de mulheres malucas achando que esse é o fim dos direitos delas na sociedade.

Se as pessoas realmente estivessem analisando o caso, conhecendo as pessoas e entendendo o que aconteceu, não fariam esse tipo de generalização. Assim como eu faço para me livrar de conversa estúpida sobre BBB e celebridades de Instagram, ignoraram os detalhes e inventaram alguma coisa para dizer. Algo que achavam que era esperado delas. A diferença é que eu nunca vou puxar esse papo, não vou berrar na orelha de ninguém o que eu acho (faço aqui no meu blog) ou mesmo vou dignificar rinha de celebridade como algo além de gente passando vergonha em público.

O julgamento não tem esse peso todo na humanidade. A crença que isso foi muito mais importante do que realmente foi é o verdadeiro Desfavor da Semana. Qualquer relação humana tem o potencial de ser tóxica como essa aparentemente foi. Qualquer um dos elementos de uma relação pode ter defeitos e dificuldades, e normalmente precisamos de dois para essa dança doentia.

O resultado não quer dizer que o mundo percebeu como mulheres são ruins ou como são injustiçadas, só quer dizer que aquela mulher entrou com um processo de difamação e tomou uma invertida porque na prática tinha difamado mais ainda. Falar merda tem consequência. Mas se tinha uma lição valiosa para aprender ali, está sendo ignorada: ficar num relacionamento merda tem consequência. Estraga a vida da pessoa. Especialmente se ela entra nessa de achar que tudo é culpa do outro e nunca aprende com os erros.

Não era um homem abusando de uma mulher miserável com medo de morrer ou de perder os filhos, eram duas celebridades endinheiradas que ficaram alimentando um a neurose do outro por anos. Ninguém ali tinha medo de ir parar na rua, alguma coisa dentro deles os fazia ficar insistindo numa relação tão bizarra, e com certeza é tudo muito mais complicado do que apareceu no julgamento: entre uma briga e outra tinha muita coisa segurando essas pessoas juntas. Nós só vimos uma briga de casal, onde um falava o pior possível do outro.

Até por isso eu detesto papo de celebridade: porque presume discutir um tema com muitas coisas ocultas essenciais para a compreensão do tema. Papo nerd pelo menos pode ser resolvido com uma pesquisa no Google, papo de celebridade depende de versões e informação escondida propositalmente. O que o mundo viu no julgamento foi uma versão extremamente manipulada da realidade, e não é uma boa ideia tentar entender um tema quando tudo o que se tem são versões conflitantes cheias de interesse embutido.

Senão acabamos com essa palhaçada toda: gente enchendo a boca para falar como homens ou mulheres são terríveis baseados em um caso isolado de gente que vive num universo paralelo de fama e poder. Não significa nada. Nada além de que os dois precisam de tratamento psicológico e talvez psiquiátrico urgente: não desejo pra ninguém viver do jeito que ambos declaravam viver.

E para finalizar, só gente com muito problema na cabeça se expõe desse jeito. É antiético até que esse julgamento tenha sido transmitido e ganhado tanta exposição midiática, é meio como fazer um UFC de deficientes mentais, colocando gente sem noção do que está fazendo para lutar, com todo mundo vendo e torcendo. Se dependesse da gente não teria sido tema, mas como o mundo pareceu insistir nisso, estamos aqui para mostrar um ponto de vista diferente.

Eram duas pessoas doentes sendo incentivadas por todos a ficar mais e mais doentes para o entretenimento das massas. Ninguém ganhou com isso.

Para dizer que trocaria sua estabilidade mental pelo dinheiro deles, para dizer que claramente são atores, ou mesmo para dizer que quem tem pena é galinha: somir@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

O que você achou?

Loading spinner

Etiquetas: , ,

Comments (6)

  • “Quem fez um desfavor à causa feminista foi a própria Amber, banalizando acusações sérias, mentindo e minando a credibilidade de mulheres no mundo todo.”

    Exatamente. Quem defende qualquer um dos dois está apenas passando vergonha, é quase impossível ter uma relação tóxica assim sem que todos os envolvidos sejam tóxicos. O casal deve ter exalado baixaria e agressão desde sempre e tanto Cherno quanto Byl decidiram ignorar.
    Cada vez que abria o youtube, tinha uma transmissão ao vivo do julgamento com milhões de espectadores. É assustador ver que tantas pessoas perdem horas da vida para acompanhar a evasão da vida privada alheia.

    O que você achou?

    Loading spinner

    • Pois é, tem muita gente endeusando Depp, mas ele também cometeu muitos erros. Não venceu um processo por ser uma vítima inocente, venceu por ter difamado ela menos do que ela difamou ele.

      O que você achou?

      Loading spinner

  • Doentio é pouco. E também é doentio que ficou acompanhando avidamente o noticiário sobre o litígio deles.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • Uma relação doentia levantando os egos dos militantes doentios. Nada de novo no front. Nada.

    O que você achou?

    Loading spinner

  • “Para dizer que trocaria sua estabilidade mental pelo dinheiro deles”
    Eu não tenho estabilidade mental nem dinheiro. Então…

    O que você achou?

    Loading spinner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: