Bíblia Pilhada: Gênesis

Antes de mais nada, uma breve introdução: se você quer realmente aprender sobre a Bíblia, tem dezenas de bons teólogos e historiadores explicando cada passagem em redes sociais, livros e vídeos no YouTube. Se você veio aqui esperando algum compromisso com a verdade, algum olhar técnico ou informação correta, você está no local errado.

Outra ressalva: os trechos da Bíblia aqui citados serão transcritos em termos humanos, compreensíveis e atuais, pois ninguém é obrigado a ler esse amontoado truncado de palavras difíceis.

Dito isto, vamos analisar este livro fascinante, violento, bizarro e baixo nível que é a Bíblia!

Começamos pelo começo: GÊNESIS

Deus criou os céus e a Terra, bla bla bla. Os primeiros parágrafos são basicamente engenharia: fez isso, fez aquilo, ninguém quer saber. Foi criando a luz, o dia, a noite, os animais e várias outras coisas desinteressantes demais para serem compartilhadas. Até que finalmente, chegando no que interessa, Deus criou o homem.

Deus teria dito: “Agora vamos fazer os seres humanos, que serão como nós, que se parecerão conosco. Eles terão poder sobre os peixes, sobre as aves, sobre os animais domésticos e selvagens e sobre os animais que se arrastam pelo chão.”

Vamos lá. Não vamos aqui ficar apontando o óbvio, dizer que tal coisa não é possível. Vamos nos portar tal qual espectador de teatro, cumprindo aquele pacto tácito de mergulhar na história sem questionar sua plausibilidade à luz da ciência. Ninguém vai ao teatro, aponta e grita “Ei! Esse castelo da princesa é falso! É um cenário! Há! Descobri a verdade!”.

Então, vamos mergulhar na história sem questionar sua possibilidade no mundo real. E ainda assim temos coisas, dentro da história, a questiona.

A primeira coisa que me intriga nessa fala de Deus é o plural: VAMOS. Vamos quem, esquizofrênico? A Bíblia deixa muito claro que não havia nada, até que Deus resolveu começar a criar. Seria Deus uma espécie de Pelé, que fala de si mesmo na terceira pessoa?

“Que serão como nós” quem? Quem seriam “nós”? Não importa, é o caralho que seremos com ele, pois o tio pode basicamente tudo e eu não posso fazer nada do que eu quero. Eu posso me teletransportar? Não, eu tenho que pegar o busão. Eu posso criar coisas? Não, na minha medíocre existência a única coisa fora de mim que consigo materializar é um tolete.

Terão poder sobre os peixes? Não, meu senhor, esse é o Aquaman. Eu não tenho poder nem mesmo sobre o meu poodle. Se a intenção era fazer a gente como Ele (Deus), bem, lamento informar, falhou miseravelmente. Aliás, se Deus nos criou assim, como somos, à imagem e semelhança dele, não entendo por que passa a Bíblia toda socando a porrada em suas criaturas, condenando, recriminando e esculachando. Mas enfim, isso é assunto para um futuro próximo.

Então deus criou o ser humano e disse que para ele se alimentar “eu lhe dou todas as plantas que produzem sementes e todas as árvores que dão frutas. Mas, para todos os animais selvagens, para as aves e para os animais que se arrastam pelo chão, dou capim e verduras como alimento.”

Só posso presumir que Deus não quer que comamos verduras. Para mim é tarde demais, mas se você é criança, tem pais religiosos e está lendo isso, vai lá, Gênesis 1, no último parágrafo e mostra para sua mamãe religiosa: verdura é para animais que que se arrastam no chão. E você não é um animal que se arrasta no chão. Portanto, se comer verdura, está desrespeitando o desejo de Deus. Por nada. Espero que sua infância seja melhor do que a minha, com pais ateus que me davam espinafre.

Vamos falar sobre o Jardim do Éden. Depois que Deus criou o primeiro humano, Adão, o colocou para viver no Jardim do Éden, um lugar aparentemente bacana, com muitas árvores e frutas, uma espécie de condomínio daqueles tempos, só que de graça. Deus deu tudo, e só pediu uma única coisa em troca: não encosta nas porras das maçãs.

“Você pode comer as frutas de qualquer árvore do jardim, menos da árvore que dá o conhecimento do bem e do mal. Não coma a fruta dessa árvore; pois, no dia em que você a comer, certamente morrerá.” Nada de mais, sabe?

E não era apenas um “não pega não porque eu não quero”, era um “não coma esta merda por você vai morrer”. Basicamente, Adão só tinha um trabalho: não encostar nas maçãs. Podia comer tudo que quisesse, quando quisesse, só não podia comer a porcaria da maçã. Não precisava pagar aluguel, não precisava pagar boleto, não precisava trabalhar. Era só não comer a maçã.

Então Deus decidiu que Adão estava muito sozinho e resolveu criar uma companheira para ele. O fez cair em sono profundo, tirou uma costela de Adão e com ela criou Eva. Os dois viveram em harmonia nos Jardins do Éden, algo que nem deve ter sido tão difícil, pois além de não ter boletos, ninguém ali tinha nem sogros nem cunhados. Tudo ia bem, até que um dia uma cobra falante apareceu.

A cobra disse que essa conversa de morrer se comer a maçã não era verdade, que Deus estava mentindo e o real motivo para Ele não querer que comam a fruta é que ao fazê-lo, eles adquiririam muito conhecimento. E aqui fica mais uma dica para você, criança, que tem pais religiosos: observem bem o tipo de animal ruim, peçonhento e traiçoeiro que come vegetais! Sua mãe quer que você se transforme nessa cobra? Não, né? Então você tem mais um argumento para não comer vegetais.

Eva ouviu os argumentos da cobra, achou razoáveis, pegou uma maçã e comeu. Também teria dado um pedaço a Adão. Veja bem, não quero ser implicante, mas esses dois vagabundos sustentados tinham tudo de mão beijada, a única coisa que Deus pediu era para não encostarem na porra da maçã. Quando eles tiverem o planeta deles, eles podem fazer as coisas do seu jeito, mas enquanto eles estiverem debaixo do teto do Planeta de Deus, tem que respeitar as regras de Deus!

Quando eles comeram a maçã, segundo a Bíblia, seus olhos se abriram e eles perceberam que estavam nus. Eu não sou muito boa com subjetivismos, então eu nem vou me arriscar a especular sobre esses olhos se abrindo, inclusive por ainda estar com raiva de dois imbecilóides que só tinham um trabalho e nem isso conseguiram fazer. Me lembra demais à época que trabalhava na iniciativa privada e tinha que gerenciar pessoas. Deus, te entendo totalmente.

Quando Deus percebeu o que estava acontecendo, foi interpelar Adão: “Por acaso você comeu a fruta da árvore que eu o proibi de comer?”. Adão tinha muitos caminhos para responder, alguns mais honrosos, alguns mais desonrosos. E escolheu o pior deles: “A mulher que me deste para ser a minha companheira me deu a fruta, e eu comi.”. Ou seja, além de X9, dedo-duro e fofoqueiro, ainda é pau mandado.

Por acaso Eva colocou uma arma na cabeça de Adão e obrigou ele a comer? Não, né? Um adultinho botando a culpa de um erro grave que ele escolheu cometer na esposa para tentar escapar das consequências dos seus atos! Onde é que já se viu algo assim? Bem… talvez no Brasil. Dona Marisa Letícia, descanse em paz!

Deus então foi cobrar satisfações de Eva e perguntou por que caralhos ela fez a única coisa que ele tinha pedido para não fazer. Eva disse que “a cobra me enganou, e eu comi.” Olha, sem querer ser desrespeitosa, será que Deus botou um cérebro nesses dois ou esqueceu dessa parte? Um bota a culpa na esposa, a outra diz que foi enganada por réptil… Me ajude a ajudar vocês! É o que eu sempre repetia, as pessoas tinham a informação do que precisava ser feito, qual é a dificuldade?

E foi aqui que eu percebi que talvez toda aquela repulsa que eu tinha pela figura de Deus pudesse ser injusta. Se pessoas que moram na minha casa de favor comem algo que eu expressamente proibi de comer, meu amigo, o perdão vai passar muito longe deste evento.

Eu esperava algum perdão, benevolência, sermão e compreensão, como usualmente se atribuí a Deus. Mas não, para minha total surpresa, Deus ficou putíssimo e saiu distribuindo castigo e vingança.

Onde estava você esse tempo todo, maravilho Deus Rafael Pilha, descontrolado, raivoso e explosivo? Se eu soubesse que você existia, eu até poderia considerar ser religiosa! Finalmente um Deus com o qual eu posso lidar! Vamos analisar com todo carinho Deus distribuindo danação a quem o desobedeceu.

A cobra Deus puniu da seguinte forma:

“Por causa do que você fez você será castigada. Entre todos os animais só você receberá esta maldição: de hoje em diante você vai andar se arrastando pelo chão e vai comer o pó da terra. Eu farei com que você e a mulher sejam inimigas uma da outra, e assim também serão inimigas a sua descendência e a descendência dela. Esta esmagará a sua cabeça, e você picará o calcanhar da descendência dela.”

Ok, estou em falta com Deus, pois quando vejo uma cobra, não esmago sua cabeça, saio correndo e gritando feio uma maluca. Isso pode explicar muitas coisas que dão errado na minha vida. Tentarei cumprir a minha parte.

Uma dúvida para vocês que tem mais experiência nessa questão de religião: no tocante a essa parte de esmagar a cabeça da cobra, no caso, eu posso terceirizar e chamar alguém para fazer no meu nome ou eu mesma tenho que esmagar a cabeça da cobra para que o Deus Pilha fique feliz? Aguardo as respostas nos comentários.

Eva recebeu a seguinte punição:

“Vou aumentar o seu sofrimento na gravidez, e com muita dor você dará à luz filhos. Apesar disso, você terá desejo de estar com o seu marido, e ele a dominará.”
Putz… isso explica tanto sobre a minha vida. Mais uma coisa que eu burlei: não tive filhos. Foi mal aê, Deus. Essa parte da punição do sofrimento e da dor na gravidez eu vou ficar te devendo, nem foi por mal, só soube do significado disso agora, que tem origem em uma cobra falante que mandou uma moça comer uma maçã.

No caso, talvez a gente possa negociar, visto que eu tenho um histórico de pedras nos rins e os médicos dizem que dói tanto quanto, se não mais do que a dor do parto. Serve? Novamente, o pessoal mais entendido por favor me diga nos comentários se eu agrado o Deus Pilha com a minha cólica renal.

Para Adão, Deus deu a seguinte punição:

“Você fez o que a sua mulher disse e comeu a fruta da árvore que eu o proibi de comer. Por causa do que você fez, a terra será maldita. Você terá de trabalhar duramente a vida inteira a fim de que a terra produza alimento suficiente para você. Ela lhe dará mato e espinhos, e você terá de comer ervas do campo. Terá de trabalhar no pesado e suar para fazer com que a terra produza algum alimento; isso até que você volte para a terra, pois dela você foi formado. Você foi feito de terra e vai virar terra outra vez.”

Bom, já que eu não peguei a punição da mulher, talvez eu possa conseguir algum expurgo pela punição do homem. O problema é que não quero ser enterrada, e sim cremada. Mas como estou desenvolvendo uma verdadeira afeição por esse Deus, é do meu agrado fazer sua vontade. Vocês, entendidos, me digam se eu consigo aderir à punição se for cremada mas jogarem minhas cinzas na terra. Conta? Mesmo carbonizada, ainda serei eu…

Depois de rogar um monte de praga e dar um esculacho muito bem dado, Deus expulsou Adão e Eva do Jardim do Éden. Ponto para ele novamente, nada pior do que pessoa verborrágica que fala na hora da raiva mas depois não faz nada. Realmente desmoralizante. Botou o pau na mesa, esculachou e expulsou. Eu trabalharia com Deus na maior sintonia.

Ao expulsar os dois, Deus disse “Agora o homem se tornou como um de nós, pois conhece o bem e o mal. Ele não deve comer a fruta da árvore da vida e viver para sempre.”. Novamente: nós quem, tio? Só tinha você e mais nada! Totalmente a favor de expulsar, de punir, do que for, só me explica esse plural, pois eu já começo a história não entendendo um ponto crucial.

Ao que tudo indica, não contente em expulsar, Deus ainda botou seguranças na porta para ter a certeza de que nem Adão nem Eva voltariam: “(…) no lado leste do jardim pôs os querubins e uma espada de fogo que dava voltas em todas as direções.” Ou seja, além de ser uma pessoa que faz valer as regras e que impõe consequências para quem as burla, ainda se assegura do cumprimento dessas consequências. Onde posso me batizar?

Realmente fascinada com a gestão de pessoas de Deus. Eu esperava algo completamente diferente, mas estou explodindo em admiração com o patamar de fúria, vingança e punição. E me sentindo muito mais confortável para fazê-lo no meu dia a dia, pois, vamos combinar, eu fui criada à imagem e semelhança de Deus, nada mais lógico do que reproduzir o que ele fez, certo? Se me criticar, está criticando a DEUS.

Aprendam, mães. Aprendam com Deus, em vez de ver seus filhos fazendo coisas que foram proibidas e olhar em inércia contemplativa enquanto dizem “João Pedro, não assoa o nariz na cortina que a mamãe fica triste”. Aprenda, gestores, aprendam com Deus em vez de fazer vista grossa para seus funcionários e deixar passar indisciplina. Se você faz isso você é um mau cristão! Seja como Deus, impute dor física, sofrimento emocional e expulse as pessoas do lugar! Ahhhh coisas que Rafael Pilha faria…

E quem diria que durante a maior parte da minha vida, sem saber, eu seguia os passos de Deus? Agora estou realmente tentada a me esforçar para seguir, de forma consciente, os passos e os ensinamentos de Deus. Deixa alguém comer alguma coisa minha na minha casa para vocês verem.

Não é que esse livrinho tem coisas bastante interessantes?

Para dizer que nunca mais na sua vida você perde tempo lendo esta merda coluna, para dizer que Deus é amor (não o da Bíblia, meu amigo) ou ainda para dizer que Somir deve estar arrependido de ter me negado esta coluna: comente.

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Desfavores relacionados:

Etiquetas: , , ,

Comments (28)

  • Wellington Alves

    Parabéns, Sally, começou muito bem!
    Seus questionamentos São excelentes, continue!
    Qual versão da Bíblia você está lendo? Eu espero que seja a NVI, que traz uma linguagem mais atualizada e fluida.

  • Ovelha cansada

    Analise massa! Olhe que você só comentou Gênesis 1-3. Pode segmentar por capítulos. Gênesis ainda tem várias pérolas. Simplesmente continue, Sally. Seu olhar é deveras singular.

  • “Mas eu quero que vocês saibam de uma coisa: sinceramente, quando se trata de acreditar em Deus, eu realmente tentei. Eu realmente, realmente, tentei. Tentei acreditar que existe um Deus que criou cada um de nós à Sua imagem e semelhança, que nos ama muito, e que observa tudo bem de perto todo o tempo. Eu tentei mesmo acreditar nisso, mas tenho que lhes dizer: quanto mais você vive, quanto mais você olha à sua volta, mais e mais você se dá conta de que tem algo muito errado aqui. Guerras, doenças, mortes, destruição, fome, sujeira, pobreza, tortura, crime, corrupção… Definitivamente, alguma coisa está muito errada. Isso não é um bom trabalho. Se isso é o melhor que Deus pode fazer, eu não estou impressionado. Resultados como esses não poderiam nunca pertencer ao “currículo” de um Ser Supremo. Isso é o tipo de cagada que se espera de um estagiário desleixado”.

    CARLIN, George

    Ah, e eu já imagino o tipo de manifestações de fanatismo religioso que deve haver nos comentários e quero muito ver como serão os próximos textos desta coluna.

    • Eu vi o vídeo em que ele diz isso! É preciso muita coragem pra, diante de uma platéia, comparar a “Obra de Deus” com um trabalho mal e porcamente feito por um “estagiário desleixado”…

  • Esperando ansiosamente por Deuteronômio 22:

    “Se uma mulher for estuprada na cidade, ela deve ser apedrejada pois não gritou alto suficiente por ajuda” E se ela não gritou pq ficou em estado de choque durante o estupro, tinha uma arma na cabeça ou estava com a boca ocupada durante o estupro?

    “Se uma mulher for estuprada e o meliante for pego, ele deve pagar 50 pratas pro pai da vítima e se casar com ela”. Quantos meliantes são pegos hj em dia e esse mandamento não é posto à prova? Está todo mundo desobedecendo a Bíblia.

  • Olha, isso por acaso é um teste depois de ontem? Um projeto piloto? Não porque eu não nego que o texto seja bastante interessante, mas ainda assim, me preocupa se o teor do texto não vai atrair gente louca e pra lá de religiosa aqui.

  • Considerando que altas barbáries acontecem no mundo, inclusive muitas em nome desse deus e passam impunes, consigo entender como o ser humano é que nem ele… Tão indisposto, ineficiente e incapaz quanto.

    É válido também ressaltar que quem começou toda a zorra foi um casal hétero. Dois homens estariam caçando cogumelos no Éden, duas mulheres provavelmente teriam brigado e ficariam sem se falar por dias, então se uma comesse algo que não deve, a outra nem ia saber.

    E eu sempre me perguntei por que uma cobra, e não um ornitorrinco? Convenhamos, seria muito mais impressionante um bicho metade marsupial e metade pato do que uma tripa escamosa que se arrasta no chão!

    Quanto à parte de esmagar a cobra, eu não sei responder, mas posso dizer que algumas pessoas tentaram se tornar a própria cobra e até jorram veneno quando falam!

    Eu não tenho problemas nos rins, mas tenho dentários. Coma uma maça para evitar ir no dentista? Não, coma a maça errada e descubra o desprazer de uma dor no nervo do dente! “seu desejo será para um dentista, um tratamento de canal ele recomendará”

    Sobre punição de Adão: Tá vendo gente, ser vegan e comer coisa do mato é castigo bíblico!

    “Se me criticar, está criticando a DEUS.” Agooooora você sacou, Sally. Bem-vinda à mentalidade do crente médio!

    • Essa semana comeram um troço que eu pedi para não comer e eu tive uma reação nesse estilo bíblico e quando me chamaram de maluca gritei “É O QUE DEUS FARIA”. Hahahaha

      • A primeira coisa que pensei foi naquela famosa marmita “batizada” com laxante quando aparece um ladrão de comida no local de trabalho… caso precise fazer isso em algum momento, vou falar que foi por ordem do Senhor e está na Bíblia!

  • Sobre o plural: erro de tradução que começou quando colocaram em latim. Aramaico (ainda mais aquela porra arcaica) não é fácil de depreender quando é singular e singular quando quer dizer que um engloba tudo (real significado).

    • Teve um comentário (não aprovado, pois não era muito educado) que explicava que o plural vem do fato de Deus ser 3 em 1: pai, filho e Espírito Santo. Como eu disse, esquizofrenia.

      • Tem uns gráficos meio malucos sobre isso, mas basicamente é que a pluralidade não é recíproca: o Espírito Santo é Deus, mas Deus não é o Espírito Santo.

        Mas a questão do plural é que o sentido é dizer de si como a unidade de tudo. Aramaico tem uma maneira meio estranha de tratar pronomes que não foi bem traduzida.

        • Torpe, às vezes eu me pergunto se esses plurais se referem aos outros deuses da tribo em que o deus da Bíblia era cultuado antes do Judaísmo surgir como religião. Já se sabe que ele fazia parte de um panteão maior, tinha uma esposa, e que aparentemente o nome dela era Asherah. Mas não faz muito sentido que ainda haja indícios disso na Bíblia, depois de tantas traduções, concílios e alguns milênios… Essa parte histórica é bem interessante.
          A reportagem da BBC, no caso:
          https://www.bbc.com/portuguese/articles/c72v2l74p59o

          • Não exatamente. A pluralidade é por ser um ser plural de vários significados, mas sim, nasceu como um entre várias divindades de um panteão.

    • Eu aptoveitaria este ano, que a Pascoa cai juntamente dentro do Ramadã. No ano que vem talvez não dê certo isso, dado que o “ano novo” dos muçulmanos anda cerca de 10 dias pra trás todo ano em relação ao calendário solar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: