Uma coisa que percebi sobre o brasileiro: quase todo mundo se acha muito limpinho e quase todo mundo aponta o dedo para alguém para chamar de porco.

O curioso é que estes que apontam o dedo, quase sempre não são tão limpinhos quanto pensam. Seguem suas regras de higiene, com base no achismo ou no que aprenderam em suas casas, sem realmente compreender o que é necessário para um mínimo de higiene.

Então, vamos bater um papo sobre higiene. Nada muito sofisticado, o básico do básico, o patamar mínimo para que sua casa não seja um chiqueiro, um criadouro de ácaros ou, como vocês mesmos dizem, uma porcaria, aquela que se imputa à casa do vizinho, à casa da cunhada ou à casa da sogra.

Como o assunto é muito extenso, terá que ser dividido em vários textos, caso o assunto interesse a vocês. Vamos começar pelo quarto. Seu quarto é limpo ou é um chiqueiro?

Roupa de cama. O ideal, ideal mesmo, seria trocar duas vezes por semana, mas, como já foi dito, este texto vai se ater ao básico do básico, o mínimo para que sua casa não seja um chiqueiro. E o mínimo esperado, que pouquíssimos brasileiros cumprem, é trocar a roupa de cama UMA VEZ POR SEMANA. Sim senhores, toda fuckin´ semana.

E não interessa se está frio ou está calor, se você transpirou ou não. Além do seu suor, roupa de cama também contém pelos, poeira, caspa, oleosidade do seu corpo, bactérias, ácaros, pele morta, secreções corporais (vou ser delicada e citar saliva, por exemplo, visto que é comum que escorra saliva quando as pessoas dormem) e muitas outras sujeiras que demandariam um texto só sobre elas. Menos de 10% da sujeira é visível a olho nu. Isso significa que detectar sujeita com o seu olhar não pode jamais ser o seu critério para lavar uma roupa de cama.

Então, faça frio, faça calor, chova ou neve, se você não lava a sua roupa de cama uma vez por semana, você não deveria abrir a boca para acusar alguém de não ter higiene. E, por mais desnecessário que me pareça dizer isso, lavar é água e sabão. Colocar ao sol não é lavar. Sim, eu já vi gente que acha que a roupa fica limpa se colocada ao sol pois “mata as bactérias”. Limpeza é com água e sabão, ou por acaso você pisa em uma sujeira e coloca seu pé para tomar sol como forma de limpar?

O que nos leva a outra questão: o conceito de roupa de cama. Na minha casa, roupa de cama é lençol (o que forra a cama e o que eu me cubro), fronha e capa de cobertor. Para fins de higiene, a roupa de cama que deve ser lavada uma vez por semana é aquela que entra em contato com o seu corpo.

Se você bota um lençol forrando a cama e outro entre seu corpo e o cobertor, não precisa lavar o cobertor uma vez por semana, pode ser a cada dois meses, mas, a maior parte dos brasileiros que eu conheço se portam como silvícolas e só forram a cama com o lençol, colocando o edredom por cima do corpo. Nesse caso, lave uma vez por semana também. Vai destruir seu edredom? Provavelmente. Seria melhor usar um lençol entre o corpo e cobertor, como corresponde.

O colchão também precisa ser lavado. Por mais que exista um lençol protegendo-o, isso não basta para impedir que ele suje. O fato de ter um lençol significa que você não precisa lavar toda semana, mas, ainda assim, tem que lavar.

Dependendo do uso que se dá à cama (tem gente que come na cama, que dorme com dois labradores na cama e que faz coisas ainda mais incomuns), o indicado seria lavar todo mês. Mas, como mínimo do mínimo, ao menos cada três meses ele precisa ser lavado.

“Mas Sally eu não sei lavar colchão”. Tem uma infinidade de dicas eficientes para lavar colchão online, minha favorita é com bicarbonato de sódio, dá um Google que você acha diversas opções. E, além de lavar, é indicado virar o colchão a cada três meses, para que a parte onde você coloca a cabeça passe a ser a parte onde você coloca os pés. Isso evita que o colchão deforme, ou ao menos atrasa o processo.

O travesseiro também precisa ser higienizado. Não importa que você tenha uma capa protetora, não importa que você só o use como apoio para o travesseiro de cima, não importa nada: ele existe? Então tem ácaros cagando dentro dele e você precisa limpá-lo.

Sendo muito flexível, indicando o mínimo do mínimo, é esperado que uma pessoa higienize se travesseiro uma vez a cada seis meses. Se quiser uma limpeza mais rigorosa, a cada três meses.

Outra medida importante é colocar seu travesseiro para arejar diariamente, mas sem deixá-lo ao sol, pois o calorzinho do sol faz com que os ácaros que moram nele (sim, ácaros moram em qualquer travesseiro) se proliferem loucamente. E travesseiro tem que ser trocado todo ano, no máximo, com muita boa vontade, a cada dois anos.

“Mas Sally, meu travesseiro tem 4 anos e está novinho!”. Pode estar novinho, mas um terço do peso do seu travesseiro é de ácaros (e de suas fezes), portanto, não me parece higiênico passar a cara nele oito horas por noite. Não interessa se ele está brilhando, depois de um ano, no máximo dois, compre um novo.

Está com pena de jogar fora? Forra com um tecido macio e faz uma caminha para o seu pet. É questão de higiene: um travesseiro com mais de dois anos é tão porco como uma louça cheia de pia suja, aliás, é até mais, pois você não esfrega sua cara na louça de pia suja.

E, sinto informar, pode ser que o travesseiro não chegue inteiro nem ao primeiro ano de uso. Faça o seguinte teste: dobre ele ao meio e veja com qual velocidade ele retorna à posição inicial. Se demora muito a retornar (ou nem retorna), ele pereceu.

O mesmo vale para toalhas: tem que ser lavadas toda semana. O certo, certo mesmo, para uma higiene top, seria lavá-las a cada três usos, mas, como eu disse, estamos falando do mínimo, do básico, do menor grau de exigência para uma higiene decente. Não importa se, aos olhos, sua toalha branca continua branca e aparentemente limpa.

Uma coisa que precisa ser compreendida: nem toda sujeira é visível. Se você esperar que algo tenha uma sujeira visível como critério para limpar, sua casa será um chiqueiro. Mais: a maioria das “sujeiras” são invisíveis: células mortas, ácaros, coliformes fecais e tantas outras hediondezas que seus olhos não conseguem ver, mas o corpo sente.

Aí, depois ficam dizendo “ain, meu filho é tããão alérgico, precisa ver, vive com a pele vermelha”. Se você lava roupa de cama e toalha a cada 15 dias, não é seu filho que é alérgico, é você que é porco mesmo. Compreendam, ó mentes petrificadas: existem um universo de coisas que seus olhos não podem ver e, mesmo sem que você possa ver, elas estão lá.

No caso das cortinas dos quartos, a média é uma lavada a cada seis meses, mas, dependendo do ambiente, esse prazo pode variar, sempre para menos. Cortinas que são expostas a muita poeira precisarão ser lavadas com mais frequência. Vale lembrar, mais uma vez, que cortina se lava removendo e submergindo em água com sabão, não colocando ao sol.

O mesmo vale para tapetes: a média é higienização a cada seis meses, mas se eles forem expostos a muita sujeira (como por exemplo, casas onde as pessoas não tiram o sapato quando chegam da rua), terá que ser mais frequente. Lavar e deixar secar muito, mas muito bem, para não criar mofo ou fungos.

Já tapetes de banheiro precisam ser lavados toda semana. “Mas Sally, eu só piso no meu tapete de banheiro quando saio do banho, estou sempre limpíssimo”. Sim, mas seu tapete de banheiro encara muita umidade, além de um ambiente repleto de coliformes fecais. Vai por mim, toda semana. Não vou me aprofundar pois pode ter gente almoçando.

E por falar em banheiro, sua escova de dentes precisa de limpeza. Se você quer fazer o que há de mais caprichado no reino da limpeza, lave todo dia. Se você quer fazer o básico do básico, pelo menos uma vez por semana. Existem várias formas de limpá-la, como deixar ela de molho uma noite inteira no enxaguante bucal. Pergunte ao seu dentista qual é a melhor forma e siga a recomendação que ele vai te dar.

E, um adendo: escova de dente deve ser guardada da forma correta. Aquele copinho onde várias escovas se encostam é uma das coisas mais nojentas já vistas. Sua escova não deve encostar em outra escova, pois ambas estão cheias de bactérias. Sua escova deve morar sozinha, sem encostar em outras escovas, na escova de cabelo ou em lugar nenhum.

Além disso, via de regra, escovas de dente ficam em banheiros, ambientes que são verdadeiros sprays de coliformes fecais, portanto, escova descoberta é escova cheia de merda (por mais que seja invisível aos seus olhos, está lá, todas as noites você esfrega merda nos dentes). Não se deixa uma escova “ao ar livre” dentro de um banheiro.

E comprar aquelas capinhas protetoras também é ruim, pois a escova é algo que se guarda ainda úmido, pois seu uso implica em molhá-la. Se, ao acabar de usar você a colocar em uma caixinha fechada, fatalmente está implorando pela proliferação de fungos e bactérias.

“Porra Sally, faz o que com a escova depois do uso? Queima?”. Em um mundo ideal escovas de dentes seriam descartáveis, mas, no mundo atual, a melhor opção é guardar em um ambiento protegido, como um armário, mas sem estar abafada e sem encostar em outras coisas. Um copinho para escova, só seu, que fique em uma prateleira de um armário fechado está ótimo.

E já que estamos falando da escova de dentes, vamos falar também da escova de cabelo e do pente. Eles precisam ser higienizados. “Mas Sally, eu só escovo meu cabelo depois que lavo, ele está limpo!”. Esse raciocínio não se aplica à limpeza, nem no caso da escova, nem no caso de nada, pois existem “sujeiras” que estão presentes mesmo no corpo mais limpo: secreções, células mortas e muitas outras coisas.

Não sei quantas vezes por dia você usa sua escova ou pente (tem gente que não usa todo dia), mas eu chutaria que a limpeza deve ser feita ao menos uma vez por semana: coloca de molho em água com xampu durante uma noite e no dia seguinte esfrega, deixa secar bem e dó depois usa. Escova e pente não são itens caros, você pode ter dois, para um esteja sempre limpo e seco enquanto o outro está lavando.

O celular também precisa de limpeza, apesar de que, ele sempre será imundo, pois estamos pegando nele o tempo todo e ninguém consegue limpar as mãos cada vez que mexe no celular. Ainda assim, é indicado realizar ao menos uma limpeza por dia, com um paninho embebido em álcool 70 ou limpa vidro. Mas levemente embebido, por favor, não meta um pano encharcado do celular, pois ele pode parar de funcionar.

Chão do quarto. Tema controverso, visto que quando há crianças derramando comida e cães desfilando com patas enlameadas a resposta correta é “limpar o dia inteiro”. A média para que sua casa não seja um chiqueiro é passar um pano com desinfetante pelo menos duas vezes por semana, obviamente, varrendo antes, para que o pano molhado não transforme a sujeira em lama. Varrer é muito importante, mas só varrer não basta: elimina a poeira, mas não limpa o chão. E sujeira, meus queridos, vai muito além de poeira. E se você tem animais de estimação, use Lysoform, todo o resto vai irritar o olfato e até a pele do seu bichinho.

Tem muito mais a ser dito, tem coisas que as pessoas nem sabem que tem que lavar (como a máquina de lavar roupa, por exemplo) ou que erram brutalmente o prazo para lavar (como o sutiã, que depois de três usos deve ser lavado). Coisas que as pessoas erram a hora de lavar (como o ovo, que nunca deve ser lavado antes de colocar na geladeira, apenas antes do preparo) e tem coisas que as pessoas simplesmente se recusa a aceitar a demanda de limpeza (esponja de lavar louça é uma usada, uma limpada).

Os deixo com uma premissa seguida por uma pergunta: vocês concordam comigo que, quanto mais uma superfície é tocada, mais ela suja e mais frequentemente deve ser limpa? Agora por favor, me digam, com que frequência vocês limpam os interruptores de luz do seu quarto?

Fica minha constatação: bom gosto, bom senso e higiene, todo mundo acha que tem, mas poucos tem de verdade.

Eu sinceramente espero que apareça muita gente nos comentários dizendo “tudo que você escreveu aí é óbvio, não me acrescentou nada”, mas acho que o que vai aparecer é gente me chamando de exagerada e dizendo que é “impossível” ter tempo para tanta limpeza. Como quase tudo, o brasileiro gosta de tirar onda que faz coisa pra caralho quando, na real, não faz nem o básico.

Me digam se querem continuações deste texto. Um “Ei, Você” fatalmente vai acabar saindo, pois agora muitas buscas sobre limpeza serão direcionadas para cá… Haja paciência!

Para dizer que não se deveria esperar higiene de país colonizado por Portugal, para dizer que deveria ter uma matéria sobre higiene doméstica nas escolas ou ainda para dizer que um país onde o povo vira a cueca do avesso para não lavar é um caso perdido: sally@desfavor.com

Se você encontrou algum erro na postagem, selecione o pedaço e digite Ctrl+Enter para nos avisar.

Etiquetas: ,

Comments (41)

  • Uma das minhas brigas com o namorado é a troca dos lençóis, relacionamento a distância e já aconteceu de não conseguir ir a cidade dele por 1 mês e quando chego estava a mesma roupa de cama, mas ele jura que tá limpo. Disse na hora que não tenho filho e não vou educar marmanjo.
    Sally se te contar como é a casa da minha irmã você tem um colapso. Pra vc ter uma ideia, quando minha sobrinha era pequena e estava começando a engatinhar dei um tapete pra ela poder ficar tranquila, derrubaram refrigerante no tapete e colocaram no muro “pra lavar amanhã” o tapete apodreceu no muro…

    • Seu namorado e meio mundo acham que só tem sujeita se eles conseguirem ver ou perceber. Acho fascinante esse conhecimento científico da Idade Média: só o que é visível a olho nu existe. Felizmente você está mais evoluída e já ouviu falar da existência de microscópio e de coisas que não são visíveis a olho nu, como ácaro e suas fezes. Leve luz para essa pessoa!

      Já a sua irmã, bem, ela me parece um caso perdido. Se nem com filho pequeno ela deixa a casa saudável… não consigo imaginar incentivo maior do que proporcionar um lar limpo e um bom exemplo para um filho.

  • Oi Sally!
    Me senti alienada lendo esse texto, o que é ótimo, pois foi a oportunidade de desalienar e traçar um plano de limpeza eficaz para meu quarto e meu banheiro, além de fazer o mesmo com os outros cômodos. Não acho que a limpeza da forma correta é dificil em detrimento da que é mínimo do mínimo porque são tarefas que, ao menos que você more em uma casa muito bagunçada ou cheia de tranqueiras e móveis, são rápidas de se realizar. Aguardo os próximos textos para comparar se meus planos de limpeza vão bater com os descritos por você e pra ver se não serei eu uma das perguntas do “Ei Você”, já que virei a doida do “Credo, eu sou uma porca!” e perguntas de limpeza no Google, kkkkk!!!!

    Obrigada por esse texto!

    • Gabriela, limpeza, como qualquer coisa na vida, demanda organização, planejamento e conhecimento. Se for no improviso, toma muito tempo e fica difícil. Mas, como é considerada uma “tarefa menor”, “indigna”, ninguém perde muito tempo pensando em limpeza.

      Fico feliz em ver que ainda tem pessoas como você que se dedicam a fazer tarefas com empenho!

  • Bah… uma cunhada criou os filhos desde pequenos em uma redoma, tudo esterilizado e a casa impecavelmente higienizada, os pirralhos viviam doentes.
    Os filhos da outra cunhada, crianças também, dia sim outro também e em qualquer lugar lambiam as solas dos tênis, NUNCA ficaram doentes.( eu morria de ver aquilo) e se chamasse a atenção eles lambiam mais ainda. Não era lambidinha não, eram aquelas lambidas com a língua toda, de ponta a ponta do tênis, ambos com a saúde perfeita, hoje dois adultos já atletas que nunca tiveram uma gripe sequer. Ate COVID tiveram e sequer tiveram sintomas, só fizeram testes p q a avó teve e positivou, o q deixou a todos surpresos.

  • Pelo jeito, os efeitos da pandemia foram temporários em termos de melhoria na higiene. Aqui sigo o hábito (desde os ancestrais) de não entrar em casa com sapato da rua, ao passo que alguns conhecidos e amigos o largaram depois das vacinados várias vezes.

    Mas ainda estou longe de não me considerar porca, pelos critérios aqui apresentados.

    • Tirar os sapatos não é só sobre covid, nem mesmo sobre doenças: é higiene no geral. Sola de sapato pode ter de tudo, até coliformes fecais, não é legal ficar transitando pela casa com eles.

  • Sally, posso aproveitar o tema pra pedir uma dica (se você tiver alguma) de como limpar o box do banheiro – tirar aquelas manchas de resíduo de água e sabão? Não encontrei nenhum produto até agora realmente eficaz (único método que funcionou foi esfregar bombrill com o box seco) mas queria saber se tem algum produto que facilita mais isso.

    • Eu uso uma mistura de vinagre branco de álcool, um pouquinho de detergente e água. Borrifo, espero uns 10 minutos e depois passo um rodinho. Comigo sai sem esfregar, mas, eu estou em outro país, a composição da água pode ser diferente.

      Em todo caso, tem uma dica para evitar que essas manchinhas apareçam (ou pelo menos retardar o seu aparecimento): no vidro limpo, passe cera de carro. Aquela cera para lustrar carro, sabe? Passa, esfrega com um pano até a cera cobrir todo o vidro e ele ficar transparente novamente e pronto, a água não vai colar. Eu reaplico a cada 15 dias. Me conta se funciona com a água do Brasil!

    • Não sei, mas o brasileiro tem esse complexo, esse trauma de querer ser limpinho – e, no geral, falha terrivelmente

    • Honestamente, eu não sei. Mas talvez isso seja algo entranhado e nunca resolvido que possa ter surgido com os primeiros – maus – comentários vindos de europeus que aqui aportavam, ainda no tempo da colonização, e persistido desde então. Há relatos em livros de História sobre como o Rio de Janeiro era insalubre, acanhado e precário, sendo preciso até “dar uma disfarçada” quando a família real portuguesa e a corte se transladaram para o Brasil em 1808. Ainda de acordo com esses livros, o Rio só deixou de ser um lugarejo para ganhar mais cara de cidade com obras que começaram depois que D. João VI desembarcou na colônia.

  • Uma curiosidade, lavar ovo se for cozido né? Porque nem ferrando vou perder tempo lavando ovo que quebra a casca, põe ele na frigideira e o fogo mata os microbios!

    • Eu lavo, pois ao quebrar a casca, parte dessa casca entra em contato com o ovo que vai para a frigideira.
      Fogo mata micróbios… deixa eu te fazer uma pergunta: você comeria bosta passada pela frigideira? Pq é isso o que o ovo tem: bosta, já que a galinha caga e bota ovo pelo mesmo buraco. Eu não como bosta frita.

      Entendam uma coisa: sujeira quente, ainda é sujeira.

      • Sally, aquele dr. bactéria diz para não lavar ovo pq a casca é muito porosa e tem uma película de proteção que é retirada quando lavamos e isso que contamina o ovo, além de dizer que o certo é não deixar na porta da geladeira pq a variação de temperatura toda vez que abre e fecha também estraga….mas eu não consigo só colocar ovo sujo na geladeira, vc sabe se tem jeito certo de higienizar?

        • Não pode lavar o ovo antes de colocar na geladeira, mas eu entendo seu nojo. A solução que eu encontrei foi comprar um tupperware de ovos (nem precisa ser dessa marca, vende baratinho em várias lojas de plásticos), tipo esse https://http2.mlstatic.com/D_NQ_NP_651090-MLB47765179750_102021-O.jpg

          Assim, eu isolo completamente o ovo imundo do resto dos alimentos e não preciso colocar na porta da geladeira, onde de fato a temperatura não é adequada para a conservação dos ovos.

  • Trocar roupa de cama 1x na semana, porque quando não tá frio o ar condicionado tá ligado. E lavar colchão nunca ouvi falar. Colchão de espuma aqui tem capa impermeável, a gente lava a capa. Se molhar espuma aí mesmo que vai encher de mofo. Travesseiro idem, além de ser barato pode substituir quando quiser. Sou porco por isso? Prefiro manter os banhos e escovadas de dente em dia do que entrar em neura com coisas da casa.

    • O meu eu lavo as patas, inclusive por ser peludo e trazer consigo plantas, galhos e formigas. Se não quer lavar a pata, existem lenços umedecidos para animais que podem ser usado para limpar a para do pet antes de entrar em casa.

  • A Sally falou sobre limpar a casa e as coisas que a gente usa, mas… E a limpeza corporal, especialmente a das partes íntimas? Faz tempo que eu li uma entrevista de um jogador de futebol contando que desistiu de comer uma maria-chuteira porque, na hora em que tirou a calcinha dela, a fuafa que subiu o fez broxar, chegando até a lacrimejar os olhos e arder as narinas.

    • Posso fazer um texto sobre isso também, vai sair bem revoltado, pois eu acho que é algo que todo mundo deveria saber: se não foi ensinado nem em casa, nem na escola, tá cheio de informação sobre isso online.

  • Coisas que podem ser mencionadas em uma eventual parte 2: limpeza de lugares complicados como rejuntes de azulejos, sofás, teclados de computador (sacudi um de uma empresa uma vez e a quantidade de farelos de pão, asas de moscas e fios de cabelo que caiu me impressionou), interiores de CPUs, sancas de forros de gesso, ventiladores de teto, ralos, corrediças de box, etc.

    • Limpeza de local de trabalho é um bom tema, as pessoas estão aprendendo a fazer home office

      E outra coisa que precisa ser dita, que se aplica aos rejuntes: limpeza não tem que demandar força, esfregação, trabalho braçal. Tenham CÉREBRO, para tudo existe a química certa, que remove a mancha ou sujeira sem que você precise ficar se matando!

      • Às vezes também é questão da ferramenta que a pessoa tá usando. Em alguns casos, esponja de aço (não é a mesma que “bombril”) funciona melhor que a convencional. Em outros, um paninho basta.

  • Tem gente que só varre o chão de casa quando a sujeira estala na sola do pé. E estou certo de que vão aparecer comentários rejeitados dizendo que, se for para seguir à disca tudo o que a Sally disse no texto, não vai sobrar tempo para se fazer mais nada além de limpar e lavar tudo o que tem dentro de casa. Ah, e eu suponho que vai ter também gente com filhos nesses possíveis comentários rejeitados dizendo que “manter as crianças em um ambiente tão esterilizado faz mal, pois faz com que não desenvolvam anticorpos”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: